SlideShare uma empresa Scribd logo
Relações Binárias
Disciplina: Estruturas Lógico - Dedutivas
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Relações Binárias
Sejam A e B dois conjuntos.
Definição
Chama-se relação binária de A em B ou apenas relação binária de
A em B toda a terna ordenada R = (G, A, B), onde G é um grafo
tal que G ⊂ A × B.
Diz-se que G é o grafo de R, A o conjunto de partida e B o
conjunto de chegada de R.
Se (x, y) ∈ G, diz-se que “y é correspondente de x pela relação
R”, o que se indica pela notação xRy. Portanto,
(x, y) ∈ G ⇔ xRy
Se, ao invés, (x, y) /
∈ G, escreve-se também xR
/y.
Portanto, (x, y) /
∈ G ⇔ xR
/y
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Relações Binárias
Definição
No caso particular em que B = A, isto é, em que R = (G, A, A),
diz-se que R é uma relação binária em A ou apenas que R é uma
relação em A.
Duas relações, R = (G, A, B) e S = (H, C, D) dizem-se iguais se, e
somente se, G = H e A = C e B = D.
Exemplo
A terna ordenada R = ((A × B), A, B) é uma relação de A em
B, cujo grafo é o produto cartesiano A × B(G = A × B).
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Relações Binárias
Exemplo
Sejam os conjuntos A = {1, 2, 3} e B = {3, 4}. A terna
ordenada R = (G, A, B), onde G é o grafo:
G = {(x, y) ∈ A × B | x + 1 < y}
é uma relação de A em B, que também pode escrever-se:
R = ({(x, y) ∈ A × B | x + 1 < y}, A, B)
Como (1, 3) ∈ G, (2, 3) /
∈ G, (2, 4) ∈ G e (3, 3) /
∈ G, temos:
1R3, 2R
/3, 2R4, 3R
/3
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Operações com relações
Sejam R e S relações de A em B cujos grafos respectivos são G e
H:
R = (G, A, B) e S = (H, A, B)
Sobre R e S efetuam-se as operações usuais de interseção, reunião,
complementação e diferença.
R ∩ S = (G ∩ H, A, B) , R ∪ S = (G ∪ H, A, B)
CA×BR = (CA×BG, A, B) , R − S = (G − H, A, B)
R∆S = (G∆H, A, B)
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Operações com relações
Exemplo
Sejam as relações R e S de A = {1, 2, 3} em B = {3, 4} cujos
grafos respectivos são:
G = {(1, 3), (1, 4), (2, 4)} H = {(1, 3), (1, 4), (3, 3)}
Temos:
R ∩ S = ({1, 3), (1, 4)}, A, B)
R ∪ S = ({(1, 3), (1, 4), (2, 4), (3, 3)}, A, B)
R − S = ({(2, 4)}, A, B)
R∆S = ({(2, 4), (3, 3)}, A, B)
CA×BR = ({(2, 3), (3, 3), (3, 4)}, A, B)
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Dominio e imagem de uma relação
Definição
Chama-se dominio de uma relação R = (G, A, B) de A em B a
primeira projeção do seu grafo G.
Representa-se pela notação D(R). Portanto, D(R) = pr1G, isto é,
simbolicamente
D(R) = {x ∈ A | (∃y)(y ∈ B e (x, y) ∈ G)}
Em outras palavras,
D(R) = {x | (x, y) ∈ G}
Como pr1G ⊂ A, segue-se que D(R) ⊂ A.
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Dominio e imagem de uma relação
Definição
Chama-se imagem de uma relação R = (G, A, B) de A em B a
segunda projeção do seu grafo G.
Representa-se pela notação I(R). Portanto, I(R) = pr2G, isto é,
simbolicamente
I(R) = {y ∈ B | (∃x)(x ∈ A e (x, y) ∈ G)}
Em outras palavras,
I(R) = {y | (x, y) ∈ G}
Como pr2G ⊂ B, segue-se que I(R) ⊂ B.
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Operações com relações
Dominio e imagem de uma relação
Dominio e imagem de uma relação
Exemplo
1 Seja a relação R de A = {1, 2, 3, 4} em B = {a, b, c} definida
pelo grafo:
G = {(2, a), (4, a), (4, c)}
Temos: D(R) = {2, 4}, I(R) = {a, c}
2 Seja a relação S no conjunto R dos números reais cujo grafo é:
G = {(x, y) ∈ R × R | 4x2
+ 9y2
= 36}
Temos aqui: 0 ≤ 4x2 ≤ 4x2 + 9y2 = 36, 0 ≤ x2 ≤ 9
D(S) = {x ∈ R | − 3 ≤ x ≤ 3} = [−3, 3]
I(S) = {y ∈ R | − 2 ≤ y ≤ 2} = [−2, 2]
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Propriedades da relação recı́proca
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Relação Recı́proca
Seja R = (G, A, B) uma relação de A em B. Como o grafo
recı́proco G−1 de G está contido em B × A ( G−1 ⊂ B × A), a
terna ordenada (G−1, B, A) é uma relação de B em A.
Definição
Chama-se relação recı́proca de uma relação R = (G, A, B) de A
em B, a relação (G−1, B, A) de B em A.
A relação recı́proca de R representa-se pela notação R−1.
Portanto, temos R−1 = (G−1, B, A), onde
G−1 = {(y, x)|(x, y) ∈ G}
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Propriedades da relação recı́proca
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Propriedades da relação recı́proca
(P1) A relação recı́proca de R−1 é a relação R, isto é:
(R−1)−1 = R.
(P2) O dominio de R−1 é igual à imagem de R, isto é:
D(R−1) = I(R).
(P3) A imagem de R−1 é igual ao dominio de R, isto é:
I(R−1) = D(R).
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Propriedades da relação recı́proca
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Propriedades da relação recı́proca
Exemplo
1 Seja a relação R de A = {1, 2, 3} e, B = {a, b} cujo grafo é:
G = {(1, a), (1, b), (3, a)}
A relação recı́proca de R é a relação R−1
de B em A cujo grafo é:
G−1
= {(a, 1), (b, 1), (a, 3)}
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Propriedades da relação recı́proca
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Imagem de um conjunto por uma relação
Seja R = (G, A, B) uma relação de A em B e seja X uma parte de
A(X ⊂ A).
Definição
Chama-se imagem de X pela relação R o conjunto de todos os
elementos y de B para os quais existe x ∈ X tal que (x, y) ∈ G.
Este conjunto representa-se pela notação R(X). Portanto,
simbolicamente:
R(X) = {y ∈ B | (∃x)(x ∈ X e (x, y) ∈ G)}
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Propriedades da relação recı́proca
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Imagem de um conjunto por uma relação
Exemplo
Sejam os conjuntos:
A = {2, 3, 5, 7, 11, 19, 33}, B = {1, 3, 7, 10, 11, 13, 17}
e as duas partes de A:
X = {3, 5, 7}, Y = {2, 3, 11}
Consideremos a relação R de A em B definida pelo grafo:
G = {(x, y) ∈ A × B | x|y}
= {(2, 10), (3, 3), (5, 10), (7, 7), (11, 11)}
Temos:
R(X) = {3, 7, 10} e R(Y ) = {3, 10, 11}
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Propriedades da relação recı́proca
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Seja R = (G, A, B) uma relação de A em B e seja Y uma parte de
B(Y ⊂ B).
Definição
Chama-se imagem recı́proca de Y pela relação R a imagem
R−1(Y ) de Y pela relação recı́proca R−1 = (G−1, B, A) de R.
Em outros termos, a imagem recı́proca R−1(Y ) de Y pela relação
R é o conjunto de todos os elementos x ∈ A para os quais existe
y ∈ Y tal que (y, x) ∈ G−1 ou (x, y) ∈ G.
Simbolicamente,
R−1
(Y ) = {x ∈ A | (∃y)(y ∈ Y e (x, y) ∈ G)}
Prof. Liliana Jurado Semana 13
Relações Binárias
Relação Recı́proca
Propriedades da relação recı́proca
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação
Exemplo
Seja a relação R de A = {1, 2, 3} em B = {a, b, c, d} cujo grafo é:
G = {(1, a), (2, b), (3, c), (3, d)}
Considerando as partes de B: Y = {b, c, d} e Z = {c, d}, temos:
R−1
(Y ) = {2, 3} e R−1
(Z) = {3}
Pois G−1 = {(a, 1), (b, 2), (c, 3), (d, 3)}
Prof. Liliana Jurado Semana 13

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Calcúlo 1 2º termo de papel e celulose
Calcúlo 1   2º termo de papel e celuloseCalcúlo 1   2º termo de papel e celulose
Calcúlo 1 2º termo de papel e celulose
INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ - IFPR
 
Exercícios Matemática
Exercícios MatemáticaExercícios Matemática
Exercícios Matemática
Denise Vilardo
 
01 teoria-dos-conjuntos1
01 teoria-dos-conjuntos101 teoria-dos-conjuntos1
01 teoria-dos-conjuntos1
Bernardo José Pica
 
Mono - UFMG
Mono - UFMGMono - UFMG
Mono - UFMG
Aldo Saldanha
 
Conjuntos relacoes funcoes
Conjuntos relacoes funcoesConjuntos relacoes funcoes
Conjuntos relacoes funcoes
Felipe Bugov
 
Teoria de conjuntos virtuamat.blogspot.pt
Teoria de conjuntos virtuamat.blogspot.ptTeoria de conjuntos virtuamat.blogspot.pt
Teoria de conjuntos virtuamat.blogspot.pt
Joaquim Baião
 
Estruturas algébricas
Estruturas algébricasEstruturas algébricas
Estruturas algébricas
Universidade de Pernambuco
 
Teoria dos Conjuntos
Teoria dos Conjuntos   Teoria dos Conjuntos
Teoria dos Conjuntos
Luciano Pessanha
 
TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS
Luciano Pessanha
 
Conjuntos
ConjuntosConjuntos
Conjuntos
guestb1f993
 
Conjuntos
ConjuntosConjuntos
Produto cartesiano - Relação - Função
Produto cartesiano - Relação - FunçãoProduto cartesiano - Relação - Função
Produto cartesiano - Relação - Função
sralkmim
 
Teoria de conjuntos
Teoria de conjuntosTeoria de conjuntos
Teoria de conjuntos
Luciano Bittencourt de Abreu
 
Apostila matematica
Apostila matematicaApostila matematica
Apostila matematica
Jean Silveira
 
Fórmulas matemáticas
Fórmulas matemáticasFórmulas matemáticas
Fórmulas matemáticas
Fernando Viana
 
Matemática Discreta - Parte VII estruturas algébricas
Matemática Discreta - Parte VII estruturas algébricasMatemática Discreta - Parte VII estruturas algébricas
Matemática Discreta - Parte VII estruturas algébricas
Ulrich Schiel
 
Resumo teorico matematica afa
Resumo teorico matematica afaResumo teorico matematica afa
Resumo teorico matematica afa
Acir Robson
 
Semana 9
Semana 9 Semana 9
Semana 9
Carlos Campani
 
Exercicios de função composta e inversa
Exercicios de função composta e inversaExercicios de função composta e inversa
Exercicios de função composta e inversa
Cacu-o (Cursinho Alternativo Campus Unesp Ourinhos)
 

Mais procurados (19)

Calcúlo 1 2º termo de papel e celulose
Calcúlo 1   2º termo de papel e celuloseCalcúlo 1   2º termo de papel e celulose
Calcúlo 1 2º termo de papel e celulose
 
Exercícios Matemática
Exercícios MatemáticaExercícios Matemática
Exercícios Matemática
 
01 teoria-dos-conjuntos1
01 teoria-dos-conjuntos101 teoria-dos-conjuntos1
01 teoria-dos-conjuntos1
 
Mono - UFMG
Mono - UFMGMono - UFMG
Mono - UFMG
 
Conjuntos relacoes funcoes
Conjuntos relacoes funcoesConjuntos relacoes funcoes
Conjuntos relacoes funcoes
 
Teoria de conjuntos virtuamat.blogspot.pt
Teoria de conjuntos virtuamat.blogspot.ptTeoria de conjuntos virtuamat.blogspot.pt
Teoria de conjuntos virtuamat.blogspot.pt
 
Estruturas algébricas
Estruturas algébricasEstruturas algébricas
Estruturas algébricas
 
Teoria dos Conjuntos
Teoria dos Conjuntos   Teoria dos Conjuntos
Teoria dos Conjuntos
 
TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS
 
Conjuntos
ConjuntosConjuntos
Conjuntos
 
Conjuntos
ConjuntosConjuntos
Conjuntos
 
Produto cartesiano - Relação - Função
Produto cartesiano - Relação - FunçãoProduto cartesiano - Relação - Função
Produto cartesiano - Relação - Função
 
Teoria de conjuntos
Teoria de conjuntosTeoria de conjuntos
Teoria de conjuntos
 
Apostila matematica
Apostila matematicaApostila matematica
Apostila matematica
 
Fórmulas matemáticas
Fórmulas matemáticasFórmulas matemáticas
Fórmulas matemáticas
 
Matemática Discreta - Parte VII estruturas algébricas
Matemática Discreta - Parte VII estruturas algébricasMatemática Discreta - Parte VII estruturas algébricas
Matemática Discreta - Parte VII estruturas algébricas
 
Resumo teorico matematica afa
Resumo teorico matematica afaResumo teorico matematica afa
Resumo teorico matematica afa
 
Semana 9
Semana 9 Semana 9
Semana 9
 
Exercicios de função composta e inversa
Exercicios de função composta e inversaExercicios de função composta e inversa
Exercicios de função composta e inversa
 

Semelhante a Semana 13

Relacoes-e-Funcoes-Exercicios.docx
Relacoes-e-Funcoes-Exercicios.docxRelacoes-e-Funcoes-Exercicios.docx
Relacoes-e-Funcoes-Exercicios.docx
DanieleAlves177636
 
1 exercicios relacoes-estruturas-algebricas
1   exercicios relacoes-estruturas-algebricas1   exercicios relacoes-estruturas-algebricas
1 exercicios relacoes-estruturas-algebricas
Marcos Henrique
 
Exercicios
ExerciciosExercicios
Exercicios
Thalles Anderson
 
Conjuntos NuméRicos
Conjuntos NuméRicosConjuntos NuméRicos
Conjuntos NuméRicos
educacao f
 
Integração cálculo 4
Integração cálculo 4Integração cálculo 4
Integração cálculo 4
Alexandre Neris
 
Relações binárias e funções prof. rodolfo uhlmann
Relações binárias e funções prof. rodolfo uhlmannRelações binárias e funções prof. rodolfo uhlmann
Relações binárias e funções prof. rodolfo uhlmann
Rodolfo Freitas
 
Funcoes
FuncoesFuncoes
Funcoes
lopes
 
Funcoes
FuncoesFuncoes
Matemática – produto cartesiano 01 2013
Matemática – produto cartesiano 01  2013Matemática – produto cartesiano 01  2013
Matemática – produto cartesiano 01 2013
Jakson_0311
 
Equações trigronométricas
Equações trigronométricasEquações trigronométricas
Equações trigronométricas
André Luís Nogueira
 
Funcoes matematica mto bom
Funcoes matematica mto bomFuncoes matematica mto bom
Funcoes matematica mto bom
Mayara Oliveira
 
07 funes
07 funes07 funes
07 funes
resolvidos
 
Apostila 002 funções
Apostila  002 funçõesApostila  002 funções
Apostila 002 funções
con_seguir
 
Apostila cálculo 1
Apostila cálculo 1Apostila cálculo 1
Apostila cálculo 1
Gabriel Mendes
 
Revisão em -funções - calculo 1
Revisão   em -funções - calculo 1Revisão   em -funções - calculo 1
Revisão em -funções - calculo 1
Eduardo Soares
 
Relacoes e funcoes_apostila
Relacoes e funcoes_apostilaRelacoes e funcoes_apostila
Relacoes e funcoes_apostila
Thalles Anderson
 
Funções de várias variáveis.pptx
Funções de várias variáveis.pptxFunções de várias variáveis.pptx
Funções de várias variáveis.pptx
CristianoTaty
 
Mat funcoes
Mat funcoesMat funcoes
Mat funcoes
trigono_metria
 
Ita02m
Ita02mIta02m
Discreta1
Discreta1Discreta1

Semelhante a Semana 13 (20)

Relacoes-e-Funcoes-Exercicios.docx
Relacoes-e-Funcoes-Exercicios.docxRelacoes-e-Funcoes-Exercicios.docx
Relacoes-e-Funcoes-Exercicios.docx
 
1 exercicios relacoes-estruturas-algebricas
1   exercicios relacoes-estruturas-algebricas1   exercicios relacoes-estruturas-algebricas
1 exercicios relacoes-estruturas-algebricas
 
Exercicios
ExerciciosExercicios
Exercicios
 
Conjuntos NuméRicos
Conjuntos NuméRicosConjuntos NuméRicos
Conjuntos NuméRicos
 
Integração cálculo 4
Integração cálculo 4Integração cálculo 4
Integração cálculo 4
 
Relações binárias e funções prof. rodolfo uhlmann
Relações binárias e funções prof. rodolfo uhlmannRelações binárias e funções prof. rodolfo uhlmann
Relações binárias e funções prof. rodolfo uhlmann
 
Funcoes
FuncoesFuncoes
Funcoes
 
Funcoes
FuncoesFuncoes
Funcoes
 
Matemática – produto cartesiano 01 2013
Matemática – produto cartesiano 01  2013Matemática – produto cartesiano 01  2013
Matemática – produto cartesiano 01 2013
 
Equações trigronométricas
Equações trigronométricasEquações trigronométricas
Equações trigronométricas
 
Funcoes matematica mto bom
Funcoes matematica mto bomFuncoes matematica mto bom
Funcoes matematica mto bom
 
07 funes
07 funes07 funes
07 funes
 
Apostila 002 funções
Apostila  002 funçõesApostila  002 funções
Apostila 002 funções
 
Apostila cálculo 1
Apostila cálculo 1Apostila cálculo 1
Apostila cálculo 1
 
Revisão em -funções - calculo 1
Revisão   em -funções - calculo 1Revisão   em -funções - calculo 1
Revisão em -funções - calculo 1
 
Relacoes e funcoes_apostila
Relacoes e funcoes_apostilaRelacoes e funcoes_apostila
Relacoes e funcoes_apostila
 
Funções de várias variáveis.pptx
Funções de várias variáveis.pptxFunções de várias variáveis.pptx
Funções de várias variáveis.pptx
 
Mat funcoes
Mat funcoesMat funcoes
Mat funcoes
 
Ita02m
Ita02mIta02m
Ita02m
 
Discreta1
Discreta1Discreta1
Discreta1
 

Mais de Carlos Campani

Técnicas de integração
Técnicas de integraçãoTécnicas de integração
Técnicas de integração
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2
Carlos Campani
 
Aplicações da integração
Aplicações da integraçãoAplicações da integração
Aplicações da integração
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1
Carlos Campani
 
Integral
IntegralIntegral
Integral
Carlos Campani
 
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃOANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
Carlos Campani
 
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕESPROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
Carlos Campani
 
Funções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráficoFunções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráfico
Carlos Campani
 
Solução de equações modulares
Solução de equações modularesSolução de equações modulares
Solução de equações modulares
Carlos Campani
 
Equações polinomiais
Equações polinomiaisEquações polinomiais
Equações polinomiais
Carlos Campani
 
PROVAS DE TEOREMAS
PROVAS DE TEOREMASPROVAS DE TEOREMAS
PROVAS DE TEOREMAS
Carlos Campani
 
Instruções de Aprendiz
Instruções de AprendizInstruções de Aprendiz
Instruções de Aprendiz
Carlos Campani
 
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Carlos Campani
 
Iezzi solcos
Iezzi solcosIezzi solcos
Iezzi solcos
Carlos Campani
 
Iezzi93 109
Iezzi93 109Iezzi93 109
Iezzi93 109
Carlos Campani
 
Iezzi24 35
Iezzi24 35Iezzi24 35
Iezzi24 35
Carlos Campani
 
Equações
EquaçõesEquações
Equações
Carlos Campani
 
Indução Matemática - Exemplos
Indução Matemática - ExemplosIndução Matemática - Exemplos
Indução Matemática - Exemplos
Carlos Campani
 
Indução Matemática
Indução MatemáticaIndução Matemática
Indução Matemática
Carlos Campani
 

Mais de Carlos Campani (20)

Técnicas de integração
Técnicas de integraçãoTécnicas de integração
Técnicas de integração
 
Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3Lista de exercícios 3
Lista de exercícios 3
 
Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2Lista de exercícios 2
Lista de exercícios 2
 
Aplicações da integração
Aplicações da integraçãoAplicações da integração
Aplicações da integração
 
Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1
 
Integral
IntegralIntegral
Integral
 
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃOANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
ANÁLISE COMPLETA DE UMA FUNÇÃO
 
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕESPROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
PROPRIEDADES DAS FUNÇÕES
 
Funções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráficoFunções, suas propriedades e gráfico
Funções, suas propriedades e gráfico
 
Solução de equações modulares
Solução de equações modularesSolução de equações modulares
Solução de equações modulares
 
Equações polinomiais
Equações polinomiaisEquações polinomiais
Equações polinomiais
 
PROVAS DE TEOREMAS
PROVAS DE TEOREMASPROVAS DE TEOREMAS
PROVAS DE TEOREMAS
 
Instruções de Aprendiz
Instruções de AprendizInstruções de Aprendiz
Instruções de Aprendiz
 
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
 
Iezzi solcos
Iezzi solcosIezzi solcos
Iezzi solcos
 
Iezzi93 109
Iezzi93 109Iezzi93 109
Iezzi93 109
 
Iezzi24 35
Iezzi24 35Iezzi24 35
Iezzi24 35
 
Equações
EquaçõesEquações
Equações
 
Indução Matemática - Exemplos
Indução Matemática - ExemplosIndução Matemática - Exemplos
Indução Matemática - Exemplos
 
Indução Matemática
Indução MatemáticaIndução Matemática
Indução Matemática
 

Último

Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
MelissaSouza39
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 

Último (8)

Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
Grupo_3-Como_o_conhecimento_cientifico_e_construido_e_divulgado.pptx ________...
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 

Semana 13

  • 2. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Relações Binárias Sejam A e B dois conjuntos. Definição Chama-se relação binária de A em B ou apenas relação binária de A em B toda a terna ordenada R = (G, A, B), onde G é um grafo tal que G ⊂ A × B. Diz-se que G é o grafo de R, A o conjunto de partida e B o conjunto de chegada de R. Se (x, y) ∈ G, diz-se que “y é correspondente de x pela relação R”, o que se indica pela notação xRy. Portanto, (x, y) ∈ G ⇔ xRy Se, ao invés, (x, y) / ∈ G, escreve-se também xR /y. Portanto, (x, y) / ∈ G ⇔ xR /y Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 3. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Relações Binárias Definição No caso particular em que B = A, isto é, em que R = (G, A, A), diz-se que R é uma relação binária em A ou apenas que R é uma relação em A. Duas relações, R = (G, A, B) e S = (H, C, D) dizem-se iguais se, e somente se, G = H e A = C e B = D. Exemplo A terna ordenada R = ((A × B), A, B) é uma relação de A em B, cujo grafo é o produto cartesiano A × B(G = A × B). Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 4. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Relações Binárias Exemplo Sejam os conjuntos A = {1, 2, 3} e B = {3, 4}. A terna ordenada R = (G, A, B), onde G é o grafo: G = {(x, y) ∈ A × B | x + 1 < y} é uma relação de A em B, que também pode escrever-se: R = ({(x, y) ∈ A × B | x + 1 < y}, A, B) Como (1, 3) ∈ G, (2, 3) / ∈ G, (2, 4) ∈ G e (3, 3) / ∈ G, temos: 1R3, 2R /3, 2R4, 3R /3 Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 5. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Operações com relações Sejam R e S relações de A em B cujos grafos respectivos são G e H: R = (G, A, B) e S = (H, A, B) Sobre R e S efetuam-se as operações usuais de interseção, reunião, complementação e diferença. R ∩ S = (G ∩ H, A, B) , R ∪ S = (G ∪ H, A, B) CA×BR = (CA×BG, A, B) , R − S = (G − H, A, B) R∆S = (G∆H, A, B) Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 6. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Operações com relações Exemplo Sejam as relações R e S de A = {1, 2, 3} em B = {3, 4} cujos grafos respectivos são: G = {(1, 3), (1, 4), (2, 4)} H = {(1, 3), (1, 4), (3, 3)} Temos: R ∩ S = ({1, 3), (1, 4)}, A, B) R ∪ S = ({(1, 3), (1, 4), (2, 4), (3, 3)}, A, B) R − S = ({(2, 4)}, A, B) R∆S = ({(2, 4), (3, 3)}, A, B) CA×BR = ({(2, 3), (3, 3), (3, 4)}, A, B) Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 7. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Dominio e imagem de uma relação Definição Chama-se dominio de uma relação R = (G, A, B) de A em B a primeira projeção do seu grafo G. Representa-se pela notação D(R). Portanto, D(R) = pr1G, isto é, simbolicamente D(R) = {x ∈ A | (∃y)(y ∈ B e (x, y) ∈ G)} Em outras palavras, D(R) = {x | (x, y) ∈ G} Como pr1G ⊂ A, segue-se que D(R) ⊂ A. Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 8. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Dominio e imagem de uma relação Definição Chama-se imagem de uma relação R = (G, A, B) de A em B a segunda projeção do seu grafo G. Representa-se pela notação I(R). Portanto, I(R) = pr2G, isto é, simbolicamente I(R) = {y ∈ B | (∃x)(x ∈ A e (x, y) ∈ G)} Em outras palavras, I(R) = {y | (x, y) ∈ G} Como pr2G ⊂ B, segue-se que I(R) ⊂ B. Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 9. Relações Binárias Relação Recı́proca Operações com relações Dominio e imagem de uma relação Dominio e imagem de uma relação Exemplo 1 Seja a relação R de A = {1, 2, 3, 4} em B = {a, b, c} definida pelo grafo: G = {(2, a), (4, a), (4, c)} Temos: D(R) = {2, 4}, I(R) = {a, c} 2 Seja a relação S no conjunto R dos números reais cujo grafo é: G = {(x, y) ∈ R × R | 4x2 + 9y2 = 36} Temos aqui: 0 ≤ 4x2 ≤ 4x2 + 9y2 = 36, 0 ≤ x2 ≤ 9 D(S) = {x ∈ R | − 3 ≤ x ≤ 3} = [−3, 3] I(S) = {y ∈ R | − 2 ≤ y ≤ 2} = [−2, 2] Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 10. Relações Binárias Relação Recı́proca Propriedades da relação recı́proca Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Relação Recı́proca Seja R = (G, A, B) uma relação de A em B. Como o grafo recı́proco G−1 de G está contido em B × A ( G−1 ⊂ B × A), a terna ordenada (G−1, B, A) é uma relação de B em A. Definição Chama-se relação recı́proca de uma relação R = (G, A, B) de A em B, a relação (G−1, B, A) de B em A. A relação recı́proca de R representa-se pela notação R−1. Portanto, temos R−1 = (G−1, B, A), onde G−1 = {(y, x)|(x, y) ∈ G} Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 11. Relações Binárias Relação Recı́proca Propriedades da relação recı́proca Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Propriedades da relação recı́proca (P1) A relação recı́proca de R−1 é a relação R, isto é: (R−1)−1 = R. (P2) O dominio de R−1 é igual à imagem de R, isto é: D(R−1) = I(R). (P3) A imagem de R−1 é igual ao dominio de R, isto é: I(R−1) = D(R). Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 12. Relações Binárias Relação Recı́proca Propriedades da relação recı́proca Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Propriedades da relação recı́proca Exemplo 1 Seja a relação R de A = {1, 2, 3} e, B = {a, b} cujo grafo é: G = {(1, a), (1, b), (3, a)} A relação recı́proca de R é a relação R−1 de B em A cujo grafo é: G−1 = {(a, 1), (b, 1), (a, 3)} Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 13. Relações Binárias Relação Recı́proca Propriedades da relação recı́proca Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Imagem de um conjunto por uma relação Seja R = (G, A, B) uma relação de A em B e seja X uma parte de A(X ⊂ A). Definição Chama-se imagem de X pela relação R o conjunto de todos os elementos y de B para os quais existe x ∈ X tal que (x, y) ∈ G. Este conjunto representa-se pela notação R(X). Portanto, simbolicamente: R(X) = {y ∈ B | (∃x)(x ∈ X e (x, y) ∈ G)} Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 14. Relações Binárias Relação Recı́proca Propriedades da relação recı́proca Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Imagem de um conjunto por uma relação Exemplo Sejam os conjuntos: A = {2, 3, 5, 7, 11, 19, 33}, B = {1, 3, 7, 10, 11, 13, 17} e as duas partes de A: X = {3, 5, 7}, Y = {2, 3, 11} Consideremos a relação R de A em B definida pelo grafo: G = {(x, y) ∈ A × B | x|y} = {(2, 10), (3, 3), (5, 10), (7, 7), (11, 11)} Temos: R(X) = {3, 7, 10} e R(Y ) = {3, 10, 11} Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 15. Relações Binárias Relação Recı́proca Propriedades da relação recı́proca Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Seja R = (G, A, B) uma relação de A em B e seja Y uma parte de B(Y ⊂ B). Definição Chama-se imagem recı́proca de Y pela relação R a imagem R−1(Y ) de Y pela relação recı́proca R−1 = (G−1, B, A) de R. Em outros termos, a imagem recı́proca R−1(Y ) de Y pela relação R é o conjunto de todos os elementos x ∈ A para os quais existe y ∈ Y tal que (y, x) ∈ G−1 ou (x, y) ∈ G. Simbolicamente, R−1 (Y ) = {x ∈ A | (∃y)(y ∈ Y e (x, y) ∈ G)} Prof. Liliana Jurado Semana 13
  • 16. Relações Binárias Relação Recı́proca Propriedades da relação recı́proca Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Imagem recı́proca de um conjunto por uma relação Exemplo Seja a relação R de A = {1, 2, 3} em B = {a, b, c, d} cujo grafo é: G = {(1, a), (2, b), (3, c), (3, d)} Considerando as partes de B: Y = {b, c, d} e Z = {c, d}, temos: R−1 (Y ) = {2, 3} e R−1 (Z) = {3} Pois G−1 = {(a, 1), (b, 2), (c, 3), (d, 3)} Prof. Liliana Jurado Semana 13