Projeto contos de arrepiar...

4.713 visualizações

Publicada em

Projeto desenvolvido na Escola Estadual de Ensino Fundamental Paulo Freire com alunos do 5º ano para desenvolver habilidades na leitura e escrita.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.713
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 1
  • 1
  • Projeto contos de arrepiar...

    1. 1. E.E.E.F. Paulo Freire Projeto: Contos de Arrepiar 5 º ano A e B 2008
    2. 3. 1 Agradecimentos À Deus e ao empenho de todos...
    3. 4. Í NDICE Insônia 3 Casa mal-assombrada 4 O Diabinho 5 O lobisomem 6 Algo estranho 7 A moribunda 8 Monstros da meia-noite 9 Créditos 10 2
    4. 5. Insônia Teve uma noite em que meu irmão não conseguia dormir. Então ele virou para o lado da janela e viu um homem todo vestido de preto com uma touca que cobria a cabe ç a. Ele estava com uma foice na mão... Tomado de pânico meu irmão pulou da cama, mas quando olhou novamente ele não viu mais nada. 3
    5. 6. Casa mal-assombrada Quando minha avó era pequena aconteciam coisas sinistras. Na hora em que as crianças iam dormir, as paredes começavam a ranger e ninguém sabia se era alma penada ou não. Depois de muito tempo souberam que ali morreram muitas pessoas e foram enterradas embaixo do assoalho. 4
    6. 7. O Diabinho Eram jovens rec é m-casados e a mulher estava gr á vida. J á perto do bebê nascer, o marido a chamou para um baile e ela respondeu: - Não! Eu não vou enquanto esse diabinho não nascer. Quando ela deu a luz todos ficaram apavorados... O bebê nasceu com dois chifrinhos, atacou os m é dicos e as enfermeiras e sumiu! Isso aconteceu à trinta anos atr á s. Saiu no jornal em Curitiba-PR. 5
    7. 8. O lobisomem Um dia meu tio estava vindo do s í tio de carro e avistou com seus pr ó prios olhos um lobisomem. Ele era muito feio, com os dentes pingando sangue, os olhos vermelhos... e ele atacou uma cobra que estava passando no meio da estrada. Essa foi uma hist ó ria real. 6
    8. 9. Algo estranho Uma bela noite estrelada minha mãe pediu para eu ir tomar banho. N ó s hav í amos mudado de apartamento e eu estava com medo porque ali havia muitas baratas. Quando estava no banheiro esfregando o cabelo com o creme, a luz come ç ou a piscar... De repente, acabou a energia e pisei em algo estranho. Fiquei apavorada e gritei: - Mamãe! Mamãe! Somente quando a energia voltou, fui ver que o “ algo estranho ” era apenas o sabonete. 7
    9. 10. A moribunda Minha mãe contou que quando sua amiga morreu seus olhos se estufaram e a l í ngua saltou para fora. À noite, a cabe ç a rachou e o sangue se espalhou no chão. Nunca mais aquele lugar foi o mesmo. Todas as vezes que eu passava l á na frente da ch á cara onde a mulher morreu, ficava com tanto medo que quase ca í a da bicicleta de tanto que eu corria. 8
    10. 11. Monstros da meia-noite Minha vizinha disse que esta hist ó ria é contada h á muitos anos atr á s e quase ningu é m sabe dela, pois é muito assustadora. Havia uma menina muito bonita e sempre alegre. Um dia apareceu um homem misterioso que foi at é a casa dela para pedir sua mão em casamento. Ningu é m sabia que este homem fazia as mo ç as se transformarem em monstros da meia-noite, então infelizmente, ela aceitou e eles se casaram. Ela ficou surpresa depois de se casarem. Sabe por quê? Ela ficou presa em uma jaula com outras meninas que quase não falavam por causa da maldi ç ão. Ela era a ú nica que falava, mas quase não conseguia se mover. Na hora que o homem se transformou em um monstro horr í vel ela deu um grito na esperan ç a de que algu é m ouvisse, mas ali era um lugar deserto e ningu é m podia ouvi-la, então a noiva sofreu a terr í vel transforma ç ão. Ela ficou tão aterrorizada que desmaiou. À meia-noite ela acordou e seguiu os monstros. Caminharam at é uma hora da madrugada assustando os outros. As pessoas e os animais que não conseguiam voar, morreram. Os monstros não queriam que ningu é m estivesse dormindo. Eles perturbavam o sono das pessoas dizendo com uma voz horripilante: - Eu vou te pegar! Você vai morrer! Eles repetiam para que suas v í timas nunca mais conseguissem dormir. Todas as noites eram um pesadelo, por isso as pessoas queriam alguma coisa para derrotar esses monstros e s ó havia uma maneira. Se todos conseguissem não sentir medo e não acordassem, os monstros deixariam de existir, pois eles se alimentavam do medo das pessoas. (...) Claro, ela não conseguiu ficar sem pensar na menina, mas esta terminou salva e os monstros se quebraram todos. 9
    11. 12. Capa Frandsen dos Santos de Souza 5º A A moribunda Escrita por Wuesley Oliveira Soares 5 º A Ilustrada por Janaina da Silva Santos 5 º B Insônia Escrita por Natielli Silva de Souza 5 º A Ilustrada por Wesley Vin í cius Pereira da Silva 5 º B O Diabinho Escrita por Luan Pablo Sganzerla 5 º A Ilustrada por Ana Carolina Oliveira Guedes Memoria 5 º B Algo estranho Escrita por Elvira Gabriela Sarturi 5 º A Ilustrada por M á rcio Anthony Garcia Barreto 5 º B Casa mal-assombrada Escrita e ilustrada por Frandsen dos Santos de Souza 5 º A O lobisomem Escrita por Frandsen dos Santos de Souza 5 º A Ilustrada por Anna Beatriz de Melo Zanol 5 º B Monstros da meia-noite Escrita por É rika Nascimento da Silva 5 º A Ilustrada por Hellen Carolyne e Fernando Padilha 5 º B 10
    12. 13. 11 Equipe Revisora Anderson Bruno Pires Lizieiro Elvira Gabriela Sarturi Érika Nascimento da Silva Felipe Cleyson Silva Sousa Frandsen dos Santo de Souza Luan Pablo Sganzerla Luíz Henrique do Carmo Ratti Natielli Silva de Souza Richard Aparecido Rodrigues Montovani Wuesley Oliveira Soares

    ×