TRABALHANDO O UNIVERSO DE JOVENS E ADULTOS NA EJA E PROEJA
<ul><li>Autores: </li></ul><ul><li>Adolar Pedro Turra Cleides M M Frighetto </li></ul><ul><li>Elenor M F Mezacasa Inês Sal...
PONTO DE PARTIDA <ul><li>A presença de grupos distintos (adolescentes e adultos) </li></ul><ul><li>convivendo nas mesmas t...
METODOLOGIA <ul><li>Observação direta durante as aulas. </li></ul><ul><li>Aplicação de questionário, de cunho quantitativo...
REFERENCIAL TEÓRICO <ul><li>Discutindo a Legislação da EJA </li></ul><ul><li>Quem é o jovem?  </li></ul><ul><li>Quem é o a...
RESULTADOS OBTIDOS
FAIXA ETÁRIA  <ul><li>A maioria dos alunos está entre 16 a 20 anos. </li></ul>16 a 20 anos – 26 alunos 21 a 25 anos – 9 al...
SÉRIE E IDADE DE INTERRUPÇÃO DOS ESTUDOS <ul><li>A maioria dos alunos interrompeu os estudos na 5ª e 7ª série e com a idad...
Em que série interrompeu seus estudos? Não sei/não lembro – 19 alunos 2ª série – 2 alunos 3ª série – 2 alunos 4ª série – 1...
MOTIVO QUE OS LEVOU A INTERROMPER OS ESTUDOS <ul><li>Ter que trabalhar para contribuir no sustento da família. </li></ul>T...
MOTIVO QUE OS LEVOU A RETORNAR À ESCOLA <ul><li>Obter mais conhecimento, esperando, com isso conseguir um emprego melhor. ...
ATIVIDADE MAIS INTERESSANTE EM SALA DE AULA <ul><li>Trabalhos em grupo, como forma de interagir com os colegas, podendo au...
COMO O ALUNO SE SENTE EM SALA DE AULA <ul><li>A maior parte dos alunos se sente bem e integrada em sala de aula. </li></ul...
RELACIONAMENTO COM COLEGAS NA SALA DE AULA <ul><li>A grande maioria respondeu como sendo ótimo ou normal o relacionamento ...
ACOMPANHAMENTO DOS CONTEÚDOS <ul><li>Ficou evidente que os alunos conseguem acompanhar com facilidade os assuntos. </li></...
COMO É O RELACIONAMENTO COM OS COLEGAS ACIMA DE 30 ANOS  (QUESTÃO  APLICADA PARA OS ALUNOS MAIS JOVENS) <ul><li>A maioria ...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
<ul><li>A pesquisa realizada com os alunos de EJA e PROEJA da Escola Municipal de Ensino Fundamental Attilio Tosin ajudou ...
<ul><li>Essa situação nos leva a refletir...  O que pode justificar o resultado obtido na pesquisa?  É possível que os pro...
<ul><li>Do ponto de vista de quem trabalha diariamente com esses alunos, os resultados obtidos na pesquisa não demonstrara...
<ul><li>A convivência de alunos com idades muito diversas, variando de adolescentes até pessoas com quase 60 anos, comum d...
<ul><li>REFERÊNCIAS </li></ul><ul><li>CABALLO, V. E. Manual de avaliação e treinamento das habilidades sociais. São Paulo:...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EMEF Attilio Tosin – Garibaldi-RS

4.781 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.781
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.851
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PROEJA-FIC - Trabalhando o Universo de Jovens e Adultos na EJA e PROEJA - EMEF Attilio Tosin – Garibaldi-RS

  1. 1. TRABALHANDO O UNIVERSO DE JOVENS E ADULTOS NA EJA E PROEJA
  2. 2. <ul><li>Autores: </li></ul><ul><li>Adolar Pedro Turra Cleides M M Frighetto </li></ul><ul><li>Elenor M F Mezacasa Inês Saleri </li></ul><ul><li>Karin Regina Vedana Luciane Gnoatto </li></ul><ul><li>Maria Boscaini David Neida H Martinazzo </li></ul><ul><li>Neusa Furlanetto Miotti Rosimeri Zini Senter </li></ul><ul><li>Vera Lia Agostini Vera Regina L Scomazzon EMEF ATTILIO TOSIN – GARIBALDI/RS </li></ul>
  3. 3. PONTO DE PARTIDA <ul><li>A presença de grupos distintos (adolescentes e adultos) </li></ul><ul><li>convivendo nas mesmas turmas de EJA e PROEJA, na EMEF Attilio Tosin. </li></ul><ul><li>Nesta situação, os docentes percebiam uma certa intolerância de ambas as partes, dificultando o andamento das atividades propostas durante as aulas. </li></ul>
  4. 4. METODOLOGIA <ul><li>Observação direta durante as aulas. </li></ul><ul><li>Aplicação de questionário, de cunho quantitativo e </li></ul><ul><li>qualitativo, abordando características específicas dos educandos matriculados na EJA e PROEJA-FIC da EMEF ATTILIO TOSIN, situada no Bairro São Francisco, em Garibaldi/RS. </li></ul><ul><li>Os dados foram tabulados pelos próprios alunos, </li></ul><ul><li>orientados pela professora de Matemática Maria Boscaini David, e, a partir deles, foram construídos gráficos com representação estatística. </li></ul>
  5. 5. REFERENCIAL TEÓRICO <ul><li>Discutindo a Legislação da EJA </li></ul><ul><li>Quem é o jovem? </li></ul><ul><li>Quem é o adulto? </li></ul><ul><li>O jovem e o adulto na escola: </li></ul><ul><li>- O trabalho </li></ul><ul><li>- Interesses e expectativas </li></ul>
  6. 6. RESULTADOS OBTIDOS
  7. 7. FAIXA ETÁRIA <ul><li>A maioria dos alunos está entre 16 a 20 anos. </li></ul>16 a 20 anos – 26 alunos 21 a 25 anos – 9 alunos 26 a 30 anos – 5 alunos 31 a 35 anos – 12 alunos 36 a 40 anos – 8 alunos 41 a 45 anos – 13 alunos 46 a 50 anos – 7 alunos 51 a 55 anos – 3 alunos 56 a 60 anos – 1 aluno Acima de 61 anos – 1 aluno FONTE: Gráfico produzido pelos alunos do PROEJAFIC- Informática.
  8. 8. SÉRIE E IDADE DE INTERRUPÇÃO DOS ESTUDOS <ul><li>A maioria dos alunos interrompeu os estudos na 5ª e 7ª série e com a idade de 13/14 anos. </li></ul>FONTE: Gráfico produzido pelos alunos do PROEJAFIC- Informática.
  9. 9. Em que série interrompeu seus estudos? Não sei/não lembro – 19 alunos 2ª série – 2 alunos 3ª série – 2 alunos 4ª série – 10 alunos 5ª série – 18 alunos 6ª série – 10 alunos 7ª série – 12 alunos 8ª série – 1 aluno Com que idade interrompeu seus estudos? Não responderam – 23 alunos Não sei/não lembro – 4 alunos 10 anos – 2 alunos 11 anos – 2 alunos 12 anos – 8 alunos 13 anos – 6 alunos 14 anos – 10 alunos 15 anos – 7 alunos 16 anos – 5 alunos 17 anos – 2 alunos 18 anos – 2 alunos 21 anos – 1 aluno 26 anos – 1 aluno 35 anos – 1 aluno
  10. 10. MOTIVO QUE OS LEVOU A INTERROMPER OS ESTUDOS <ul><li>Ter que trabalhar para contribuir no sustento da família. </li></ul>Ter de trabalhar - 41 alunos Falta de interesse – 3 alunos Falta de escola próxima – 8 alunos Gravidez – 7 alunas Mudança de cidade – 8 alunos Casamento – 3 alunos Não conseguia aprender/acompanhar – 1 aluno Outros motivos – 1 aluno Não responderam – 10 alunos FONTE: Gráfico produzido pelos alunos do PROEJAFIC- Economia Solidária.
  11. 11. MOTIVO QUE OS LEVOU A RETORNAR À ESCOLA <ul><li>Obter mais conhecimento, esperando, com isso conseguir um emprego melhor. Isso demonstra que sabem das exigências cada vez maiores em relação ao estudo, no mercado de trabalho. </li></ul>Obter mais conhecimentos – 36 alunos Ter um emprego melhor – 35 alunos Satisfação/desejo pessoal – 10 alunos Exigência da empresa – 4 alunos Outros motivos – 2 alunos FONTE: Gráfico produzido pelos alunos do PROEJAFIC- Informática.
  12. 12. ATIVIDADE MAIS INTERESSANTE EM SALA DE AULA <ul><li>Trabalhos em grupo, como forma de interagir com os colegas, podendo auxiliar-se mutuamente, de forma a superar as dificuldades em conjunto. </li></ul>Trabalho em grupo – 51 alunos Filme – 12 alunos Pesquisa – 11 alunos Aula expositiva – 8 alunos Trabalho individual – 4 alunos FONTE: Gráfico produzido pelos alunos do PROEJAFIC- Informática.
  13. 13. COMO O ALUNO SE SENTE EM SALA DE AULA <ul><li>A maior parte dos alunos se sente bem e integrada em sala de aula. </li></ul>Bem – 30 alunos Integrado – 21 alunos Normal – 21 alunos Regular – 4 alunos Péssimo – 3 alunos FONTE: Gráfico produzido pelos alunos da EJA – Totalidade 5
  14. 14. RELACIONAMENTO COM COLEGAS NA SALA DE AULA <ul><li>A grande maioria respondeu como sendo ótimo ou normal o relacionamento com os colegas. </li></ul>Ótimo – 39 alunos Normal – 20 alunos Bom – 9 alunos Regular – 7 alunos Péssimo – 2 alunos FONTE: Gráfico produzido pelos alunos da EJA – Totalidade 6
  15. 15. ACOMPANHAMENTO DOS CONTEÚDOS <ul><li>Ficou evidente que os alunos conseguem acompanhar com facilidade os assuntos. </li></ul><ul><li>Uma pequena parte respondeu que tem dificuldades em acompanhar as aulas, provavelmente sendo os alunos que estão há mais tempo afastados da escola . </li></ul>Com facilidade – 52 alunos Com muita facilidade – 4 alunos Com dificuldade – 16 alunos Com muita dificuldade – 2 alunos FONTE: Gráfico produzido pelos alunos da EJA – Totalidade 4
  16. 16. COMO É O RELACIONAMENTO COM OS COLEGAS ACIMA DE 30 ANOS (QUESTÃO APLICADA PARA OS ALUNOS MAIS JOVENS) <ul><li>A maioria dos alunos mais jovens disse relacionar-se bem com os colegas acima de 30 anos </li></ul>Ótimo – 17 alunos Normal – 15 alunos Bom – 5 alunos Regular – 3 alunos Péssimo – 3 alunos FONTE: Gráfico produzido pelos alunos do PROEJAFIC-Informática
  17. 17. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  18. 18. <ul><li>A pesquisa realizada com os alunos de EJA e PROEJA da Escola Municipal de Ensino Fundamental Attilio Tosin ajudou a demonstrar que os interesses dos adultos e dos jovens que frequentam as salas de aula são diversos. Os motivos pelos quais estão na escola também. No entanto, na questão do relacionamento entre eles durante as aulas, as respostas obtidas não refletiram o que o corpo docente tem sentido na prática. A dificuldade percebida e a intolerância que algumas vezes causa conflitos não foram apresentadas pelos alunos, em suas respostas, visto que a maioria disse não ter dificuldades para acompanhar os conteúdos, independente da faixa etária. Além disso, nas questões referentes ao relacionamento, tanto para os adultos como para os jovens, foram obtidas respostas que relatam uma convivência normal, boa ou ótima entre eles. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Essa situação nos leva a refletir... O que pode justificar o resultado obtido na pesquisa? É possível que os professores estejam enganados quanto aos problemas de relacionamento entre os jovens e adultos? Ou os alunos não admitiram realmente, em suas respostas, que existem mesmo dificuldades? </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Do ponto de vista de quem trabalha diariamente com esses alunos, os resultados obtidos na pesquisa não demonstraram exatamente a realidade. </li></ul><ul><li>Isso, possivelmente, se deve ao fato de que, ao responder os questionários, os alunos, especialmente os de mais idade e que estavam há mais tempo longe dos bancos escolares, sentiram algum tipo de receio (ou até mesmo vergonha) em admitir suas dificuldades de relacionamento em sala de aula, talvez porque achem que isso os colocaria numa situação constrangedora. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>A convivência de alunos com idades muito diversas, variando de adolescentes até pessoas com quase 60 anos, comum de acontecer nas salas de aula de EJA e PROEJA apresenta situações incomuns para os docentes que estão habituados a trabalhar apenas com os mais jovens. </li></ul><ul><li>Independentemente de existirem ou não dificuldades de convivência, diferentes níveis de aprendizagem, e maneiras diferentes de “ver” a instituição escola, para os professores , o que fica evidente é a necessidade de estar em constante aprimoramento, buscando leituras, cursos e qualquer outra forma de conhecimento que impeça a estagnação e o conformismo, para que tenham sempre em mente os objetivos esperados no processo de ensino-aprendizagem, quais sejam: a evolução dos alunos para tornarem-se indivíduos capazes de buscar eles próprios os conhecimentos de que necessitam e uma educação de qualidade que realmente contribua para a melhoria dos níveis de ensino em nosso país. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  22. 22. <ul><li>REFERÊNCIAS </li></ul><ul><li>CABALLO, V. E. Manual de avaliação e treinamento das habilidades sociais. São Paulo: Santos, 2003. </li></ul><ul><li>CAMARANO, Ana Amélia; MELLO, Juliana L; PASINATO, Maria Tereza, KANSO, Solange. Caminhos para a vida adulta: As múltiplas trajetórias dos jovens brasileiros. Última Década, nº 21. Dezembro 2004, p. 11-50. </li></ul><ul><li>BRASIL. Decreto n° 5.840 de 13 de julho de 2006. Institui o Programa PROEJA Programa Nacional de Integração da Educação Profissional à Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Brasília: MEC, 2006. </li></ul><ul><li>CUNHA, Conceição Maria da. Introdução – discutindo conceitos básicos, In: SEED-MEC. Salto para o Futuro – Educação de Jovens e Adultos. Brasília, 1999. </li></ul><ul><li>DEBERT, G. A antropologia e o estudo dos grupos e das categorias de idade, in LINS DE BARROS, M. (org.), Velhice ou terceira idade? Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1998, p. 49-68.   </li></ul><ul><li>DUARTE, L. F. 6 Da vida nervosa das classes trabalhadoras urbanas. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1986.   </li></ul><ul><li>Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei n.º 8.069 de 13 de julho de 1990. </li></ul><ul><li>GROPPO, L. Juventude. Ensaios sobre sociologia e história das juventudes modernas. Rio de Janeiro, Difel, 2000. </li></ul><ul><li>FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. </li></ul><ul><li>HADDAD, Sérgio. Educação de jovens e adultos no Brasil (1986-1998). Brasília: MEC/Inep/COMPED, 2002. </li></ul><ul><li>HADDAD, Sérgio & PIERRO, Maria Clara Di. Escolarização de jovens e adultos. In: Revista Brasileira de Educação. n.14 – Número especial. maio/ago 2000. </li></ul><ul><li>HEILBORN, M. L.; SALEM, T.; BOZON, M.; AQUINO, E.; KANUTH, D. R. et al. Aproximações sócioantropológicas sobre gravidez na adolescência. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, 2002. Vol. 8, p. 13-45.    </li></ul><ul><li>MOLL, Jaqueline. Jovens cada vez mais jovens na Educação de Jovens e Adultos. </li></ul><ul><li>BRUNEL, Carmen. Jovens cada vez mais jovens na educação de jovens e adultos. Porto Alegre: Mediação, 2004. </li></ul>

×