SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Baixar para ler offline
EMEB José Luiz Jucá



      Contos
        De
    Assombração
                Ilustradores e Autores:
          Alunos do 2º Ano Ciclo II J
                        1ª Edição 2011
                   1
Contos de assombração




              1ª Edição

 Autores: Alunos do 2º Ano Ciclo II J




              2
Equipe de Gestão:

     Vanessa de Magalhães Pina

     Graziela Valizi Bertoluci Braz

 Giovanna Lima dos Santos de Souza



     Coordenadoras Pedagógica:

        Anie Masquete Paruta

          Clemir de Almeida

      Roberta Cinto de Andrade



 Professora: Corina Vila Cenciani Reis



 Digitação: Alunos do 2º Ano Ciclo II J



           Projeto Gráfico:

     PAPE: Priscila Ferreira Simão

Editoração eletrônica e criação gráfica:

     PAPE: Priscila Ferreira Simão



               Revisão:

       Corina Vila Cenciani Reis

        Priscila Ferreira Simão

          Clemir de Almeida


                   3
Apresentação



     Existem histórias que são assustadoras. Trazem emoção,
causam medo, espanto...

     Nós do 2º Ano Ciclo II J, lemos muitas dessas histórias e
criamos nossas próprias.

      Foram momentos ricos em sala e prazerosos no Laboratório
de Informática, onde ilustramos nosso material.

     Se você for corajoso... Entre neste livro e divirta-se com
nossas produções.



                                      Alunos do 2º Ano Ciclo II J




                               4
Dedicatória

      Dedicamos esse trabalho às professoras dos 2ª anos do
ciclo II e aos alunos, em especial, à professora Corina, por nos
apresentar várias histórias e com elas proporcionar novos
conhecimentos para a leitura e escrita.

                               5
6
Sumário



O pai, a morte e a filha ..................................... 8
Cemitério sobrenatural .................................. 10
O menino e a caveira ...................................... 12
A casa abandonada ......................................... 14
Bruxas à solta .................................................. 16
A escola mal assombrada ............................... 18
A morte vingativa ........................................... 19
A casa assombrada ......................................... 20
As famílias assombradas ................................. 22
O carro mal assombrado ................................ 24
A bruxa e os dois homens ............................... 26
O cemitério ..................................................... 28
Os mortos amaldiçoados ................................ 30
A mulher e o coveiro ...................................... 32
Lista de Alunos ................................................ 33
Considerações Finais ...................................... 34

                                 7
O pai, a morte e a filha




      Certo dia, uma menina estava em sua casa, de repente ela
ligou a televisão e começou a passar coisas assustadoras!
      Ela ficou muito assustada e começou a gritar:
      - Socorro, socorro...
      Alguém bateu na porta.
      A menina abriu e viu uma terrível figura estranha, era a
morte procurando seu pai, a menina disse:
      -Meu pai não está em casa, volte outra hora...
      A morte disse:
      -Volto daqui uma semana.
      Uma semana passou e a morte voltou, o pai da menina
estava em casa.
      A morte bateu à porta, o pai perguntou:
      -Quem é você?
      -Eu sou a morte e vim te buscar.
      - Mas como assim? Estou muito novo para morrer...
      O homem pediu mais 10 anos de vida e a morte respondeu:
      - 5 anos e nada mais...

                              8
Cinco anos se passaram e a morte foi buscar o homem.
Antes dela chegar, o homem lembrou e disse para a filha:
      - Vou me disfarçar de seu tio.
      Às 5 horas da tarde a morte bateu a porta e a menina abriu.
A morte perguntou:
      - Cadê o seu pai?
      - Ele foi trabalhar, só está o meu tio em casa.
      - Então eu levo o seu tio mesmo.
      E agora leitor, o que você pensa que aconteceu com esta
história?
                                                      Ana e Willian




                                 9
Cemitério sobrenatural




     Tudo aconteceu em 1998, era noite de lua cheia, uma
mulher chamada Tatiane tremia de medo de fantasmas e nunca
imaginava ver um.

      Neste mesmo dia ela resolveu ir ao cemitério, era
aniversario de seu pai, ele já havia morrido há 5 anos.
      Ela levou três lindos buquês para colocar no túmulo, como
ela tinha muito medo antes de entrar falou:        -
      -Que Deus me abençõe...
      Assim que ela disse essa frase começou ouvir ruídos e
gritou:
      -Ha! Há! Quem está ai?
       Não ouviu nada. Superando seu medo entrou dizendo:
      - Eu não estou de brincadeira.
      Conforme Tatiane entrava no cemitério, ia sumindo como
fumaça, nunca mais ninguém a viu.


                              10
Durante as noites de lua cheia, na cidade onde morava,
alguns ainda escutam os gritos de uma mulher vindo do lado do
cemitério...



                                             Brenda e Samuel




                             11
O menino e a caveira




     Um dia um menino estava passeando quando viu uma casa
estranha, que nunca tinha visto e voltou para casa correndo
e perguntou para sua mãe se ela sabia quem morava lá. Ela
disse que não sabia, mas já tinha ouvido muitas histórias
assustadoras sobre aquela casa.
      Quando amanheceu ele foi até a casa para ver quem
morava lá, o menino chegou e tocou a campainha. Ninguém
atendeu ele resolveu entrar, não viu ninguém e começou a
andar pela casa quando sem perceber chegou no final de um
corredor uma coisa esquisita, chegou mais perto... mais
perto... mais perto... e...
     -Ahhhh! Uma caveira!!!
     O menino saiu correndo, e nunca mais passou nem
perto daquele lugar. Também não contou a ninguém, pois
ele achou que jamais acreditariam.




                            12
Quando ficou velho ouviu alguém bater a sua porta e
foi ver quem era quando abriu, viu a caveira aquela que
tinha visto naquela casa quando era criança.
      -Chegou sua hora vou te levar para o céu. Disse a caveira:
      O velho falou:
      -Caveira, você pode deixar eu realizar o meu sonho?
      A caveira disse:
      -Qual o seu sonho?
      -Viajar. Respondeu o velho.
      -Está bem, mas volte logo, tem mais pessoas para eu
levar para o céu.
      O velho arrumou as malas e foi viajar, para Las Vegas.
      O velho, cada vez ficava mais velho, quando decidiu
voltar para casa para descansar, chegando lá viu a caveira
sentada no sofá o esperando.
      -Dona caveira, o que está fazendo aqui? O velho disse.
      A caveira respondeu:
      - Ora, não se lembra da negociação que fizemos?
      O velho colocou a mão na cabeça pra ver se lembrava.
Pensou, pensou e não lembrou de nada, o velho falou:
      -Não me lembro de nada.
      A caveira disse:
      -Não importa. Eu te lembro...
      E ninguém mais viu o velho...

                                               Carolaine e Kauê




                               13
A casa abandonada




      Um dia uma adolescente que estava voltando da escola
numa noite de tempestade muito forte passou em frente de uma
casa abandonada, que ficava por ali.
      Aparece um homem muito estranho que estava
atrás dela e disse:
      -Oi!
      E ela deu um pulo assustada.
      - Ei, quem é você?
      - Eu vim para te buscar sou a morte.
      -Não, eu sou muito nova! Ela disse assustada.
      -Então eu te dou mais sete dias, você deverá voltar até esta
casa.
      Assustada correu para sua casa e contou para sua mãe.
      Mas a mãe não acreditou e disse.
      -É só um homem querendo te assustar, filha!
      -Mãe, é verdade eu não estou mentido!


                                14
-Você está assustada, vá para sua cama que eu vou levar
um copo de leite com açúcar para te acalmar.
      Passaram 7 dias e a menina não apareceu, e a morte
falou:
      -Aquela menina quer me enganar mas mesmo que
eu tenha que procurá-la pelo mundo inteiro irei encontrá-la.
      A morte preparou as malas e caiu no mundo afora.
      A adolescente convenceu a mãe e foi viajar, ficou sabendo
que havia um lugar onde ninguém morria e decidiu ficar
por lá.
      As duas, mãe e filha, fizeram uma armadilha para fugir
da morte.
      A morte caiu na armadilha das duas e até hoje elas
estão vivas.
                                           Daniele e David Alves




                               15
Bruxas à solta




     Há muito tempo atrás, num lugar distante, havia duas
bruxas que resolveram sair de sua casa para ir à cidade... Cabelos
pretos, corpo verde, roupa vermelha...
     Fazia muito tempo que não pegavam ninguém. Até que um
dia pegaram duas pessoas, e não foram discretas; as bruxas
colocaram os meninos em uma jaula. E disseram:
     -Estamos preparando um caldeirão para colocar vocês.
     As crianças se chamavam João e Juquinha, um tinha
cabelos pretos e olhos verdes o outro tinha cabelos loiros e
olhos castanhos.
     As bruxas estavam morando numa casa de madeira. Elas
esqueceram de trancar a jaula.
     Quando elas foram pegar os garotos para colocar no
caldeirão, não havia ninguém, eles tinham fugido.
     As bruxas foram atrás:
     - Coloca essa vassoura para correr! Disse a bruxa.
     Quando uma das bruxas estava quase os pegando, bateu
em uma árvore.
                                16
João e Juquinha estavam muitos assustados e cansados
então resolveram parar de correr, foram andando para a cidade,
avisaram a polícia, mas ninguém acreditou.
      Não tinham mais o que fazer, e resolveram que teriam que
dar um jeito naquelas duas sozinhos, pensaram, pensaram e
resolveram fazer uma armadilha.
      E lá estava Juquinha saindo correndo das bruxas, levando-
as para a armadilha.
      Quando as bruxas chegaram ao local.
      - Zapt !!! Tinham caído na trapaça.
      João e Juquinha voltaram para casa com as duas bruxas e
disseram aos policiais que resolveram queimá-las para não ter
perigo das duas pegarem mais ninguém.

                                               Diego e Danielly




                              17
A escola mal assombrada




     Certo domingo, um grupo de garotos queria viver uma
aventura. Ficaram pensando no que fazer, resolveram bolar um
plano para entrar na escola.
     Eles pularam o muro, lá estava cheio de câmeras, o
segurança estava vigiando pelo computador.
      O segurança resolveu dar um susto nos meninos.
     O guarda começou a bater as portas do banheiro, eles já se
assustaram, pois não sabiam que lá tinha um guarda e
começaram a pensar que era melhor estar longe dali.
     O guarda vendo que seu plano estava dando certo se vestiu
de fantasma para dar a última lição neles.
     Saiu pelos corredores da escola, os meninos viram aquilo,
pularam o muro e nunca mais entraram na escola sem
permissão.
                                           Evellyn e Victor




                              18
A morte vingativa




      Numa noite de lua cheia, uma menina estava andando pela
rua de repente apareceu um lobo na frente dela e a devorou.
      Os pais da menina ficaram preocupados, pois ela não tinha
chegado em casa e já era uma hora da manhã. Foram procurá-
la.
      O pai procurou a menina na rua em que ela tinha passado.
Quando ouviu a história de que pelas redondezas havia um lobo
que estava devorando crianças.
      Ficou mais preocupado ainda e resolveu chamar o caçador,
que conhecendo o lobo de outras histórias, foi até a floresta
onde ele morava.
      O caçador cortou a barriga do lobo, tirou a menina e
entregou aos pais que conversaram com ela que não se deve
falar com estranhos, mesmo este estranho sendo um lobo.

                                               Isabel e Alissom



                              19
A casa assombrada




      Um dia Jennifer estava com seu amigo Michael brincando e
tiveram a ideia de entrar em uma casa mal assombrada que
ficava na mesma rua onde eles moravam.
      Chegaram até a casa e com muito medo entraram e viram
um vulto, ficaram com medo e subiram as escadas correndo.
      Quando de repente ... um barulho na porta, desceram com
cuidado para ver o que era, viram um velho barbudo com um
saco preto e uma criança dentro que gritava:
      - Me tira daqui...
      E o velho falou:
      - Não vou soltar ela enquanto vocês não me falarem o que
estão fazendo na minha casa!
      As crianças responderam:
      - Como você sabe que estamos aqui?
      - Ví vocês entrando.
      - Por que você está com esta criança no saco?
      -Esta menina entrou na minha casa e pegou as minhas
coisas.
                              20
- Podemos ir embora daqui, esse lugar me dá arrepios...
Disse Michael.
      - Vão embora antes que eu coloque vocês no saco
também...
      Os dois foram embora, quando olharam para trás viram o
velho colocando o saco no chão, voltaram correndo, distraíram o
velhinho e pegaram a menina.
      Nunca mais passaram por aquele lugar.

                                              Jenifer e Michael




                              21
As famílias assombradas




     Havia três irmãos chamados: Joãozinho, Pedrinho e
Juquinha.
     Joãozinho era o mais novo, Pedrinho era o caçula e
Juquinha era mais velho.
     Os três meninos estavam brincando no campo da casa
deles, passou um carteiro entregando as cartas, e deixou uma na
casa deles. Os meninos, como eram curiosos, abriram apara ver
o que estava escrito.
     Estava escrito assim: “Olá crianças, sou o Homem da Morte
vim para pegar vocês, assim em 7 dias eu irei buscá-los”.
     As crianças ficaram morrendo de medo, e foram correndo
para casa falar para mãe deles. Juquinha gritou:
     -Mãe, queremos ir para outro país.
      A mãe preocupada já foi perguntando o assunto direito:
      -Juquinha, o que foi meu filho? O que está acontecendo?
      Pedrinho falou:

                              22
-Mãe leia isso, nós acabamos de receber do carteiro.
      A mãe falou:
      -Meu filho não fique preocupado, é uma lenda!
      Dona Luzia pensando que isso era uma lenda, que corria
pela região nem ligou para a história.
      Depois de alguns dias os meninos ficaram pensando e não
acreditaram muito na mãe deles.
      E eles voltaram a jogar no campo, morrendo de medo,
quando apareceu outro carteiro para entregar mais uma carta.
Na carta estava falando assim “Oi crianças eu sei que vocês estão
com medo de mim, mas eu prometi que em 7 dias eu irei buscá-
los. Acabei mudando de idéia, quero fazer outra proposta:
quando for meia noite, na quinta-feira, quero que vocês venham
me encontrar no cemitério, mas tomem muito cuidado para não
pisarem nas covas porque além de mim, os mortos também os
buscarão”. Os meninos pensaram em contar ou não para a mãe,
se ela soubesse não iria deixá-los ir ao cemitério.
      Os dias se passaram, chegou a quinta-feira, e 00:00,
chegaram lá, mas não lembraram das covas e pisaram nelas.
      Pronto, foi o fim de todos. Ninguém nunca mais viu os
meninos!
                                             Michelly Tainara




                               23
O carro mal assombrado




      Em uma noite de sexta-feira 13, Paulo saiu com seus
amigos para curtir uma balada e resolveram cortar caminho.
      No meio do atalho Paulo encontrou um carro preto. Mais
especificamente um Opala.
      -Você pode me dar uma carona? _Disse o menino.
      - Claro. _Disse uma voz calma.
      O menino entrou e percebeu mais que depressa que não
havia ninguém lá dentro.
      Neste minuto Paulo ficou confuso e tentou sair do carro,
mas as portas estavam trancadas e o carro deu partida sozinho.
      O menino se desesperou, mas sabia que gritar não ia
adiantar, então começou a procurar no “porta treco” algo para
jogar nas rodas.
      Como não achou nada pulou no banco da frente e tentou
virar o volante, neste instante o carro começou a correr na
velocidade da luz.


                              24
Quando ele conseguiu virar o carro, ele bateu em um posto
de gasolina. Dizem que o espírito anda pelas ruas de São
Paulo.

                                               Pamela e Luan




                              25
A bruxa e os dois homens




      Um dia dois homens estavam passando pela floresta,
quando um velho parou e disse:
      -O que vocês estão fazendo nessa floresta amaldiçoada?
Nessa floresta há uma bruxa escondida dentro de uma caverna,
dizem que quem se aproximar será morto pela bruxa.
      Os dois homens, ouvindo essa história, foram até a caverna
ver se existia essa tal de bruxa, e passaram perto de uma árvore
de onde saiu um monte de morcegos.
      Chegaram à caverna e tinha uma pedra bem grande, preta,
onde estava a bruxa.
      Eles empurraram a pedra e a bruxa falou:
      -Quem está ai?
      Os homens responderam:
      -Nós viemos para te matar, sua feiticeira!
      -Eu que vou matar vocês, seus atrevidos!


                               26
A bruxa rapidamente pegou a varinha e jogou o feitiço para
eles morrerem e uma pedra bem grande levantou do chão com
os feitiços da bruxa e caiu perto dos dois homens que viraram
sapo.
      Até hoje, dizem que esses homens estão à espera de uma
princesa para dar-lhes um beijo e torná-los seres humanos
novamente.
                                               Patrícia e Lucas




                               27
O cemitério




      Um dia, Paulo saiu escondido de sua casa para ir a um
cemitério com seus amigos, eles gostavam de ficar no cemitério
contando histórias assustadoras ou de terror. Tiveram a idéia de
convidar João, que era o mais medroso da turma. Paulo
convenceu João a sair de casa para ir ao cemitério e participar
com eles de contar histórias de terror, mas João não queria ir,
então falou para Paulo:
      - Eu não quero ir.
      E Paulo respondeu:
      -Você está com medo?
      -Claro que não! Agora de tanto você falar eu decidi que
vou, pois não sou medroso.
      No outro dia, quando já estava de noite todos eles saíram
para ir ao cemitério. Quando João chegou lá, Paulo e seus amigos
deram um susto no menino:
      -Buuuuuuhhhh....


                               28
-Vamos entrar no cemitério e começar a contar as histórias
de terror. _Disse Paulo.
     João entrou no cemitério e Paulo trancou a porta do local e
João falou:
     - Quando eu sair daqui você vai ver.
     -Há!Há!Há!Há. _Riam todos de João.
    Então João acabou dormindo lá dentro, ao acordar viu o
coveiro que estava com um machado na mão, o menino ficou tão
assustado que acabou morrendo de medo!
     -E nunca mais acharam João.
                                          Thaiza e Matheus




                               29
Os mortos amaldiçoados




     Numa noite chuvosa entre raios e trovões, mortos
começaram a sair de suas covas.
     Entraram nas casas das pessoas e as matavam.
     Chupavam o sangue delas e o das crianças.
     As pessoas ficaram desesperadas com este fato.
     De repente os heróis da noite que eram o Morcego Negro,
Cueca Quente, e Os Terríveis estavam tentando salvar as
pessoas.
     Os mortos não deixaram os terríveis ajudar e as pessoas
estavam sendo vigiadas toda hora e toda noite.
     O Morcego Negro, com seu amigo Cueca Quente, chegou
com o Bat-móvel que era um carro super rápido.
     Eles saíram atropelando os mortos.
     Logo depois os heróis falaram:
     - Todos vocês estão bem, terráqueos?




                             30
Quando estava no final do dia todos os mortos morreram
porque os heróis bateram tanto, mas tanto, que eles não
puderam levantar nunca mais.

                                  Wesley e David Anacleto




                            31
A mulher e o coveiro




     Um dia uma mulher chamada Eduarda recebeu uma carta
que pedia para ela ir ao cemitério resolver as contas com o
coveiro. Na hora que ela colocou o pé na grama começou a
chover e ela saiu correndo. O portão fechou e os mortos
levantaram e disseram:
     - Me dá minha vida de novo!
     - Não peguei a vida de vocês, porque querem me pegar?
     E todos mortos sumiram.
     Ela começou a gritar.
     O padre da igreja da frente ouviu os gritos e foi ver o que
estava acontecendo:
     - Tudo bem com você, menina?
     - Nããão... e desmaiou ali mesmo.
     O padre chamou o SAMU.
     - Oi moça, você está bem? Perguntou o SAMU.
     Ela gaguejou e desmaiou de novo.
     De repente a menina levantou e saiu correndo pelo mato e
nunca mais ninguém viu aquela garota.      Yasmin e Kelvin
                               32
Lista de Alunos
    ALISSON DOS SANTOS SECILIANO
ANA EMANUELLY DE ARAUJO FERNANDES
    BRENDA SANTIAGO DE MACEDO
 CAROLAINE SANTANA DO NASCIMENTO
        DANIELE DE JESUS NAVAS
  DAVID ALVES MOREIRA DE ALMEIDA
    DAVID ANACLETO SOUZA BASTOS
     DENIELLY INOCENTE BARBOSA
    DIEGO DINIZ MARQUES FERREIRA
EMILLY CRISTINA DE ANDRADE DIONÍZIO
        EVELLYN BALDO MARTINS
  ISABEL CRISTINA BATISTA CALTIANO
    JENNIFER FERREIRA DE ARAGAO
       KAUÊ RODRIGUES DA SILVA
  KELVIN CARLOS RODRIGUES PEREIRA
      LUAN FERREIRA DOS SANTOS
        LUCAS SOUZA GREGORIO
      MATHEUS DA SILVA MARTINS
     MICHAEL MARTINS GONÇALVES
      PAMELA CHAVES DE MOURA
     PATRICIA RODRIGUES DA SILVA
         SAMUEL MAFRA SILVA
          THAIZA SANTOS SILVA
      VICTOR VENANCIO BARBOSA
      WESLEY GUILHERME SOARES
       YASMIN SANTOS DE SOUSA
   DIEGO DE VASCONCELOS BONFIM




                33
Considerações Finais
     Agradeço o envolvimento e dedicação dos alunos, que com
grande criatividade criaram histórias de terror assustadoras.
     Todo o processo superou as expectativas, pois desenvolveu
grandes habilidades.

                                            Professora: Corina




                              34
35

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prata
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prataC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prata
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prataAriovaldo Cunha
 
Lygia bojunga nunes a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes   a bolsa amarelaLygia bojunga nunes   a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes a bolsa amarelaEstado do RS
 
Antes do baile verde lygia fagundes telles
Antes do baile verde   lygia fagundes tellesAntes do baile verde   lygia fagundes telles
Antes do baile verde lygia fagundes tellesCybernic Lima
 
Uma aventura na terra dos direitos
Uma aventura na terra dos direitosUma aventura na terra dos direitos
Uma aventura na terra dos direitosermelinda mestre
 
Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...andrea
 
Capítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começaCapítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começapribeletato
 
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do mago
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do magoC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do mago
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do magoAlex Martins
 
Contos de terror
Contos de terrorContos de terror
Contos de terrorrgrecia
 
O monstro no armário
O monstro no armárioO monstro no armário
O monstro no armárioLucas Zanella
 
Ae plv5 teste_avancado4
Ae plv5 teste_avancado4Ae plv5 teste_avancado4
Ae plv5 teste_avancado4Ana Ferreira
 

Mais procurados (15)

C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prata
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prataC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prata
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol. 6 - a cadeira de prata
 
Lygia bojunga nunes a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes   a bolsa amarelaLygia bojunga nunes   a bolsa amarela
Lygia bojunga nunes a bolsa amarela
 
Antes do baile verde lygia fagundes telles
Antes do baile verde   lygia fagundes tellesAntes do baile verde   lygia fagundes telles
Antes do baile verde lygia fagundes telles
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
Rp 2ºb lp_7º_novo
Rp 2ºb lp_7º_novoRp 2ºb lp_7º_novo
Rp 2ºb lp_7º_novo
 
Uma aventura na terra dos direitos
Uma aventura na terra dos direitosUma aventura na terra dos direitos
Uma aventura na terra dos direitos
 
Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...Projeto contos de arrepiar...
Projeto contos de arrepiar...
 
Capítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começaCapítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começa
 
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do mago
C.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do magoC.s.lewis   as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do mago
C.s.lewis as crônicas de nárnia - vol i - o sobrinho do mago
 
Papafigo
PapafigoPapafigo
Papafigo
 
Contos de terror
Contos de terrorContos de terror
Contos de terror
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
 
Vila criança
Vila criançaVila criança
Vila criança
 
O monstro no armário
O monstro no armárioO monstro no armário
O monstro no armário
 
Ae plv5 teste_avancado4
Ae plv5 teste_avancado4Ae plv5 teste_avancado4
Ae plv5 teste_avancado4
 

Destaque

Niveis de escrita
Niveis de escritaNiveis de escrita
Niveis de escritadaianabsf
 
Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...
Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...
Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...Graça Sousa
 
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...ElieneDias
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educaçãoSimoneHelenDrumond
 
Semana pedagógica: 13 dicas valiosas
Semana pedagógica: 13 dicas valiosasSemana pedagógica: 13 dicas valiosas
Semana pedagógica: 13 dicas valiosasAugusto Bertotto
 
Classes E Ordens
Classes E OrdensClasses E Ordens
Classes E Ordensguest9ba0ae
 
LEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊ
LEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊLEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊ
LEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊMarisa Seara
 
PNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 CurrículoPNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 CurrículoElieneDias
 
Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Isa ...
 
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITECris Siqueira
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasElaine Cruz
 
Manual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcv
Manual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcvManual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcv
Manual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcvAna Madrinha
 

Destaque (14)

Apostila 03
Apostila 03Apostila 03
Apostila 03
 
Niveis de escrita
Niveis de escritaNiveis de escrita
Niveis de escrita
 
Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...
Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...
Profª Graça:Leitura deleite Poemas Problemas.ppt-8º Encontro-QUANTIFICAÇÃO, R...
 
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
 
Semana pedagógica: 13 dicas valiosas
Semana pedagógica: 13 dicas valiosasSemana pedagógica: 13 dicas valiosas
Semana pedagógica: 13 dicas valiosas
 
Pequenas e grandes maneiras
Pequenas e grandes maneirasPequenas e grandes maneiras
Pequenas e grandes maneiras
 
Classes E Ordens
Classes E OrdensClasses E Ordens
Classes E Ordens
 
LEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊ
LEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊLEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊ
LEITURA DELEITE - CADÊ, CADÊ
 
PNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 CurrículoPNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
 
Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1Apostila 28 palavras parte 1
Apostila 28 palavras parte 1
 
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE1  pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
1 pra que serve o livro- LEITURA DELEITE
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
 
Manual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcv
Manual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcvManual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcv
Manual metodo 28-palavras-outras-fichas.pdf.z65lmcv
 

Semelhante a Livrinho 4ª J

Histórias em família
Histórias em famíliaHistórias em família
Histórias em famíliaMarcia Neves
 
Wiki barbara e valesca
Wiki barbara e valescaWiki barbara e valesca
Wiki barbara e valescabluiza
 
H I S TÓ R I A S Q U E A 5ª B C O N T A V E R SÃ O A N T E R I O R D...
H I S TÓ R I A S  Q U E  A 5ª  B  C O N T A    V E R SÃ O  A N T E R I O R  D...H I S TÓ R I A S  Q U E  A 5ª  B  C O N T A    V E R SÃ O  A N T E R I O R  D...
H I S TÓ R I A S Q U E A 5ª B C O N T A V E R SÃ O A N T E R I O R D...enir.ester
 
Textos a pares 2
Textos a pares 2Textos a pares 2
Textos a pares 2SaraHonorio
 
Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]sallesz
 
O aprendiz e a senhora da lua negra
O aprendiz e a senhora da lua negraO aprendiz e a senhora da lua negra
O aprendiz e a senhora da lua negraNunes 777
 
1 as lembranças da guerra
1  as lembranças da guerra1  as lembranças da guerra
1 as lembranças da guerraahelenadutra
 
Ficheiro lp casos de ortografia
Ficheiro lp casos de ortografiaFicheiro lp casos de ortografia
Ficheiro lp casos de ortografiaIsa Crowe
 
Gil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelho
Gil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelhoGil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelho
Gil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelhoflavioholograma
 
Livro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendesLivro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendesSusete Rodrigues Mendes
 
A historia que_mora_nas_coisas_web
A historia que_mora_nas_coisas_webA historia que_mora_nas_coisas_web
A historia que_mora_nas_coisas_webSérgio Lima
 

Semelhante a Livrinho 4ª J (20)

Histórias em família
Histórias em famíliaHistórias em família
Histórias em família
 
Wiki barbara e valesca
Wiki barbara e valescaWiki barbara e valesca
Wiki barbara e valesca
 
H I S TÓ R I A S Q U E A 5ª B C O N T A V E R SÃ O A N T E R I O R D...
H I S TÓ R I A S  Q U E  A 5ª  B  C O N T A    V E R SÃ O  A N T E R I O R  D...H I S TÓ R I A S  Q U E  A 5ª  B  C O N T A    V E R SÃ O  A N T E R I O R  D...
H I S TÓ R I A S Q U E A 5ª B C O N T A V E R SÃ O A N T E R I O R D...
 
Textos a pares 2
Textos a pares 2Textos a pares 2
Textos a pares 2
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
 
Texto livre
Texto livreTexto livre
Texto livre
 
Textos a pares
Textos a paresTextos a pares
Textos a pares
 
Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]
 
Trabalho diogo nunes nº6
Trabalho diogo nunes nº6Trabalho diogo nunes nº6
Trabalho diogo nunes nº6
 
O aprendiz e a senhora da lua negra
O aprendiz e a senhora da lua negraO aprendiz e a senhora da lua negra
O aprendiz e a senhora da lua negra
 
Conto ii a casa
Conto ii a casaConto ii a casa
Conto ii a casa
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
 
1 as lembranças da guerra
1  as lembranças da guerra1  as lembranças da guerra
1 as lembranças da guerra
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
Ficheiro lp casos de ortografia
Ficheiro lp casos de ortografiaFicheiro lp casos de ortografia
Ficheiro lp casos de ortografia
 
Gil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelho
Gil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelhoGil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelho
Gil cleber-a-lenda-de-chapeuzinho-vermelho
 
Livro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendesLivro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendes
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
A historia que_mora_nas_coisas_web
A historia que_mora_nas_coisas_webA historia que_mora_nas_coisas_web
A historia que_mora_nas_coisas_web
 

Último

O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 

Livrinho 4ª J

  • 1. EMEB José Luiz Jucá Contos De Assombração Ilustradores e Autores: Alunos do 2º Ano Ciclo II J 1ª Edição 2011 1
  • 2. Contos de assombração 1ª Edição Autores: Alunos do 2º Ano Ciclo II J 2
  • 3. Equipe de Gestão: Vanessa de Magalhães Pina Graziela Valizi Bertoluci Braz Giovanna Lima dos Santos de Souza Coordenadoras Pedagógica: Anie Masquete Paruta Clemir de Almeida Roberta Cinto de Andrade Professora: Corina Vila Cenciani Reis Digitação: Alunos do 2º Ano Ciclo II J Projeto Gráfico: PAPE: Priscila Ferreira Simão Editoração eletrônica e criação gráfica: PAPE: Priscila Ferreira Simão Revisão: Corina Vila Cenciani Reis Priscila Ferreira Simão Clemir de Almeida 3
  • 4. Apresentação Existem histórias que são assustadoras. Trazem emoção, causam medo, espanto... Nós do 2º Ano Ciclo II J, lemos muitas dessas histórias e criamos nossas próprias. Foram momentos ricos em sala e prazerosos no Laboratório de Informática, onde ilustramos nosso material. Se você for corajoso... Entre neste livro e divirta-se com nossas produções. Alunos do 2º Ano Ciclo II J 4
  • 5. Dedicatória Dedicamos esse trabalho às professoras dos 2ª anos do ciclo II e aos alunos, em especial, à professora Corina, por nos apresentar várias histórias e com elas proporcionar novos conhecimentos para a leitura e escrita. 5
  • 6. 6
  • 7. Sumário O pai, a morte e a filha ..................................... 8 Cemitério sobrenatural .................................. 10 O menino e a caveira ...................................... 12 A casa abandonada ......................................... 14 Bruxas à solta .................................................. 16 A escola mal assombrada ............................... 18 A morte vingativa ........................................... 19 A casa assombrada ......................................... 20 As famílias assombradas ................................. 22 O carro mal assombrado ................................ 24 A bruxa e os dois homens ............................... 26 O cemitério ..................................................... 28 Os mortos amaldiçoados ................................ 30 A mulher e o coveiro ...................................... 32 Lista de Alunos ................................................ 33 Considerações Finais ...................................... 34 7
  • 8. O pai, a morte e a filha Certo dia, uma menina estava em sua casa, de repente ela ligou a televisão e começou a passar coisas assustadoras! Ela ficou muito assustada e começou a gritar: - Socorro, socorro... Alguém bateu na porta. A menina abriu e viu uma terrível figura estranha, era a morte procurando seu pai, a menina disse: -Meu pai não está em casa, volte outra hora... A morte disse: -Volto daqui uma semana. Uma semana passou e a morte voltou, o pai da menina estava em casa. A morte bateu à porta, o pai perguntou: -Quem é você? -Eu sou a morte e vim te buscar. - Mas como assim? Estou muito novo para morrer... O homem pediu mais 10 anos de vida e a morte respondeu: - 5 anos e nada mais... 8
  • 9. Cinco anos se passaram e a morte foi buscar o homem. Antes dela chegar, o homem lembrou e disse para a filha: - Vou me disfarçar de seu tio. Às 5 horas da tarde a morte bateu a porta e a menina abriu. A morte perguntou: - Cadê o seu pai? - Ele foi trabalhar, só está o meu tio em casa. - Então eu levo o seu tio mesmo. E agora leitor, o que você pensa que aconteceu com esta história? Ana e Willian 9
  • 10. Cemitério sobrenatural Tudo aconteceu em 1998, era noite de lua cheia, uma mulher chamada Tatiane tremia de medo de fantasmas e nunca imaginava ver um. Neste mesmo dia ela resolveu ir ao cemitério, era aniversario de seu pai, ele já havia morrido há 5 anos. Ela levou três lindos buquês para colocar no túmulo, como ela tinha muito medo antes de entrar falou: - -Que Deus me abençõe... Assim que ela disse essa frase começou ouvir ruídos e gritou: -Ha! Há! Quem está ai? Não ouviu nada. Superando seu medo entrou dizendo: - Eu não estou de brincadeira. Conforme Tatiane entrava no cemitério, ia sumindo como fumaça, nunca mais ninguém a viu. 10
  • 11. Durante as noites de lua cheia, na cidade onde morava, alguns ainda escutam os gritos de uma mulher vindo do lado do cemitério... Brenda e Samuel 11
  • 12. O menino e a caveira Um dia um menino estava passeando quando viu uma casa estranha, que nunca tinha visto e voltou para casa correndo e perguntou para sua mãe se ela sabia quem morava lá. Ela disse que não sabia, mas já tinha ouvido muitas histórias assustadoras sobre aquela casa. Quando amanheceu ele foi até a casa para ver quem morava lá, o menino chegou e tocou a campainha. Ninguém atendeu ele resolveu entrar, não viu ninguém e começou a andar pela casa quando sem perceber chegou no final de um corredor uma coisa esquisita, chegou mais perto... mais perto... mais perto... e... -Ahhhh! Uma caveira!!! O menino saiu correndo, e nunca mais passou nem perto daquele lugar. Também não contou a ninguém, pois ele achou que jamais acreditariam. 12
  • 13. Quando ficou velho ouviu alguém bater a sua porta e foi ver quem era quando abriu, viu a caveira aquela que tinha visto naquela casa quando era criança. -Chegou sua hora vou te levar para o céu. Disse a caveira: O velho falou: -Caveira, você pode deixar eu realizar o meu sonho? A caveira disse: -Qual o seu sonho? -Viajar. Respondeu o velho. -Está bem, mas volte logo, tem mais pessoas para eu levar para o céu. O velho arrumou as malas e foi viajar, para Las Vegas. O velho, cada vez ficava mais velho, quando decidiu voltar para casa para descansar, chegando lá viu a caveira sentada no sofá o esperando. -Dona caveira, o que está fazendo aqui? O velho disse. A caveira respondeu: - Ora, não se lembra da negociação que fizemos? O velho colocou a mão na cabeça pra ver se lembrava. Pensou, pensou e não lembrou de nada, o velho falou: -Não me lembro de nada. A caveira disse: -Não importa. Eu te lembro... E ninguém mais viu o velho... Carolaine e Kauê 13
  • 14. A casa abandonada Um dia uma adolescente que estava voltando da escola numa noite de tempestade muito forte passou em frente de uma casa abandonada, que ficava por ali. Aparece um homem muito estranho que estava atrás dela e disse: -Oi! E ela deu um pulo assustada. - Ei, quem é você? - Eu vim para te buscar sou a morte. -Não, eu sou muito nova! Ela disse assustada. -Então eu te dou mais sete dias, você deverá voltar até esta casa. Assustada correu para sua casa e contou para sua mãe. Mas a mãe não acreditou e disse. -É só um homem querendo te assustar, filha! -Mãe, é verdade eu não estou mentido! 14
  • 15. -Você está assustada, vá para sua cama que eu vou levar um copo de leite com açúcar para te acalmar. Passaram 7 dias e a menina não apareceu, e a morte falou: -Aquela menina quer me enganar mas mesmo que eu tenha que procurá-la pelo mundo inteiro irei encontrá-la. A morte preparou as malas e caiu no mundo afora. A adolescente convenceu a mãe e foi viajar, ficou sabendo que havia um lugar onde ninguém morria e decidiu ficar por lá. As duas, mãe e filha, fizeram uma armadilha para fugir da morte. A morte caiu na armadilha das duas e até hoje elas estão vivas. Daniele e David Alves 15
  • 16. Bruxas à solta Há muito tempo atrás, num lugar distante, havia duas bruxas que resolveram sair de sua casa para ir à cidade... Cabelos pretos, corpo verde, roupa vermelha... Fazia muito tempo que não pegavam ninguém. Até que um dia pegaram duas pessoas, e não foram discretas; as bruxas colocaram os meninos em uma jaula. E disseram: -Estamos preparando um caldeirão para colocar vocês. As crianças se chamavam João e Juquinha, um tinha cabelos pretos e olhos verdes o outro tinha cabelos loiros e olhos castanhos. As bruxas estavam morando numa casa de madeira. Elas esqueceram de trancar a jaula. Quando elas foram pegar os garotos para colocar no caldeirão, não havia ninguém, eles tinham fugido. As bruxas foram atrás: - Coloca essa vassoura para correr! Disse a bruxa. Quando uma das bruxas estava quase os pegando, bateu em uma árvore. 16
  • 17. João e Juquinha estavam muitos assustados e cansados então resolveram parar de correr, foram andando para a cidade, avisaram a polícia, mas ninguém acreditou. Não tinham mais o que fazer, e resolveram que teriam que dar um jeito naquelas duas sozinhos, pensaram, pensaram e resolveram fazer uma armadilha. E lá estava Juquinha saindo correndo das bruxas, levando- as para a armadilha. Quando as bruxas chegaram ao local. - Zapt !!! Tinham caído na trapaça. João e Juquinha voltaram para casa com as duas bruxas e disseram aos policiais que resolveram queimá-las para não ter perigo das duas pegarem mais ninguém. Diego e Danielly 17
  • 18. A escola mal assombrada Certo domingo, um grupo de garotos queria viver uma aventura. Ficaram pensando no que fazer, resolveram bolar um plano para entrar na escola. Eles pularam o muro, lá estava cheio de câmeras, o segurança estava vigiando pelo computador. O segurança resolveu dar um susto nos meninos. O guarda começou a bater as portas do banheiro, eles já se assustaram, pois não sabiam que lá tinha um guarda e começaram a pensar que era melhor estar longe dali. O guarda vendo que seu plano estava dando certo se vestiu de fantasma para dar a última lição neles. Saiu pelos corredores da escola, os meninos viram aquilo, pularam o muro e nunca mais entraram na escola sem permissão. Evellyn e Victor 18
  • 19. A morte vingativa Numa noite de lua cheia, uma menina estava andando pela rua de repente apareceu um lobo na frente dela e a devorou. Os pais da menina ficaram preocupados, pois ela não tinha chegado em casa e já era uma hora da manhã. Foram procurá- la. O pai procurou a menina na rua em que ela tinha passado. Quando ouviu a história de que pelas redondezas havia um lobo que estava devorando crianças. Ficou mais preocupado ainda e resolveu chamar o caçador, que conhecendo o lobo de outras histórias, foi até a floresta onde ele morava. O caçador cortou a barriga do lobo, tirou a menina e entregou aos pais que conversaram com ela que não se deve falar com estranhos, mesmo este estranho sendo um lobo. Isabel e Alissom 19
  • 20. A casa assombrada Um dia Jennifer estava com seu amigo Michael brincando e tiveram a ideia de entrar em uma casa mal assombrada que ficava na mesma rua onde eles moravam. Chegaram até a casa e com muito medo entraram e viram um vulto, ficaram com medo e subiram as escadas correndo. Quando de repente ... um barulho na porta, desceram com cuidado para ver o que era, viram um velho barbudo com um saco preto e uma criança dentro que gritava: - Me tira daqui... E o velho falou: - Não vou soltar ela enquanto vocês não me falarem o que estão fazendo na minha casa! As crianças responderam: - Como você sabe que estamos aqui? - Ví vocês entrando. - Por que você está com esta criança no saco? -Esta menina entrou na minha casa e pegou as minhas coisas. 20
  • 21. - Podemos ir embora daqui, esse lugar me dá arrepios... Disse Michael. - Vão embora antes que eu coloque vocês no saco também... Os dois foram embora, quando olharam para trás viram o velho colocando o saco no chão, voltaram correndo, distraíram o velhinho e pegaram a menina. Nunca mais passaram por aquele lugar. Jenifer e Michael 21
  • 22. As famílias assombradas Havia três irmãos chamados: Joãozinho, Pedrinho e Juquinha. Joãozinho era o mais novo, Pedrinho era o caçula e Juquinha era mais velho. Os três meninos estavam brincando no campo da casa deles, passou um carteiro entregando as cartas, e deixou uma na casa deles. Os meninos, como eram curiosos, abriram apara ver o que estava escrito. Estava escrito assim: “Olá crianças, sou o Homem da Morte vim para pegar vocês, assim em 7 dias eu irei buscá-los”. As crianças ficaram morrendo de medo, e foram correndo para casa falar para mãe deles. Juquinha gritou: -Mãe, queremos ir para outro país. A mãe preocupada já foi perguntando o assunto direito: -Juquinha, o que foi meu filho? O que está acontecendo? Pedrinho falou: 22
  • 23. -Mãe leia isso, nós acabamos de receber do carteiro. A mãe falou: -Meu filho não fique preocupado, é uma lenda! Dona Luzia pensando que isso era uma lenda, que corria pela região nem ligou para a história. Depois de alguns dias os meninos ficaram pensando e não acreditaram muito na mãe deles. E eles voltaram a jogar no campo, morrendo de medo, quando apareceu outro carteiro para entregar mais uma carta. Na carta estava falando assim “Oi crianças eu sei que vocês estão com medo de mim, mas eu prometi que em 7 dias eu irei buscá- los. Acabei mudando de idéia, quero fazer outra proposta: quando for meia noite, na quinta-feira, quero que vocês venham me encontrar no cemitério, mas tomem muito cuidado para não pisarem nas covas porque além de mim, os mortos também os buscarão”. Os meninos pensaram em contar ou não para a mãe, se ela soubesse não iria deixá-los ir ao cemitério. Os dias se passaram, chegou a quinta-feira, e 00:00, chegaram lá, mas não lembraram das covas e pisaram nelas. Pronto, foi o fim de todos. Ninguém nunca mais viu os meninos! Michelly Tainara 23
  • 24. O carro mal assombrado Em uma noite de sexta-feira 13, Paulo saiu com seus amigos para curtir uma balada e resolveram cortar caminho. No meio do atalho Paulo encontrou um carro preto. Mais especificamente um Opala. -Você pode me dar uma carona? _Disse o menino. - Claro. _Disse uma voz calma. O menino entrou e percebeu mais que depressa que não havia ninguém lá dentro. Neste minuto Paulo ficou confuso e tentou sair do carro, mas as portas estavam trancadas e o carro deu partida sozinho. O menino se desesperou, mas sabia que gritar não ia adiantar, então começou a procurar no “porta treco” algo para jogar nas rodas. Como não achou nada pulou no banco da frente e tentou virar o volante, neste instante o carro começou a correr na velocidade da luz. 24
  • 25. Quando ele conseguiu virar o carro, ele bateu em um posto de gasolina. Dizem que o espírito anda pelas ruas de São Paulo. Pamela e Luan 25
  • 26. A bruxa e os dois homens Um dia dois homens estavam passando pela floresta, quando um velho parou e disse: -O que vocês estão fazendo nessa floresta amaldiçoada? Nessa floresta há uma bruxa escondida dentro de uma caverna, dizem que quem se aproximar será morto pela bruxa. Os dois homens, ouvindo essa história, foram até a caverna ver se existia essa tal de bruxa, e passaram perto de uma árvore de onde saiu um monte de morcegos. Chegaram à caverna e tinha uma pedra bem grande, preta, onde estava a bruxa. Eles empurraram a pedra e a bruxa falou: -Quem está ai? Os homens responderam: -Nós viemos para te matar, sua feiticeira! -Eu que vou matar vocês, seus atrevidos! 26
  • 27. A bruxa rapidamente pegou a varinha e jogou o feitiço para eles morrerem e uma pedra bem grande levantou do chão com os feitiços da bruxa e caiu perto dos dois homens que viraram sapo. Até hoje, dizem que esses homens estão à espera de uma princesa para dar-lhes um beijo e torná-los seres humanos novamente. Patrícia e Lucas 27
  • 28. O cemitério Um dia, Paulo saiu escondido de sua casa para ir a um cemitério com seus amigos, eles gostavam de ficar no cemitério contando histórias assustadoras ou de terror. Tiveram a idéia de convidar João, que era o mais medroso da turma. Paulo convenceu João a sair de casa para ir ao cemitério e participar com eles de contar histórias de terror, mas João não queria ir, então falou para Paulo: - Eu não quero ir. E Paulo respondeu: -Você está com medo? -Claro que não! Agora de tanto você falar eu decidi que vou, pois não sou medroso. No outro dia, quando já estava de noite todos eles saíram para ir ao cemitério. Quando João chegou lá, Paulo e seus amigos deram um susto no menino: -Buuuuuuhhhh.... 28
  • 29. -Vamos entrar no cemitério e começar a contar as histórias de terror. _Disse Paulo. João entrou no cemitério e Paulo trancou a porta do local e João falou: - Quando eu sair daqui você vai ver. -Há!Há!Há!Há. _Riam todos de João. Então João acabou dormindo lá dentro, ao acordar viu o coveiro que estava com um machado na mão, o menino ficou tão assustado que acabou morrendo de medo! -E nunca mais acharam João. Thaiza e Matheus 29
  • 30. Os mortos amaldiçoados Numa noite chuvosa entre raios e trovões, mortos começaram a sair de suas covas. Entraram nas casas das pessoas e as matavam. Chupavam o sangue delas e o das crianças. As pessoas ficaram desesperadas com este fato. De repente os heróis da noite que eram o Morcego Negro, Cueca Quente, e Os Terríveis estavam tentando salvar as pessoas. Os mortos não deixaram os terríveis ajudar e as pessoas estavam sendo vigiadas toda hora e toda noite. O Morcego Negro, com seu amigo Cueca Quente, chegou com o Bat-móvel que era um carro super rápido. Eles saíram atropelando os mortos. Logo depois os heróis falaram: - Todos vocês estão bem, terráqueos? 30
  • 31. Quando estava no final do dia todos os mortos morreram porque os heróis bateram tanto, mas tanto, que eles não puderam levantar nunca mais. Wesley e David Anacleto 31
  • 32. A mulher e o coveiro Um dia uma mulher chamada Eduarda recebeu uma carta que pedia para ela ir ao cemitério resolver as contas com o coveiro. Na hora que ela colocou o pé na grama começou a chover e ela saiu correndo. O portão fechou e os mortos levantaram e disseram: - Me dá minha vida de novo! - Não peguei a vida de vocês, porque querem me pegar? E todos mortos sumiram. Ela começou a gritar. O padre da igreja da frente ouviu os gritos e foi ver o que estava acontecendo: - Tudo bem com você, menina? - Nããão... e desmaiou ali mesmo. O padre chamou o SAMU. - Oi moça, você está bem? Perguntou o SAMU. Ela gaguejou e desmaiou de novo. De repente a menina levantou e saiu correndo pelo mato e nunca mais ninguém viu aquela garota. Yasmin e Kelvin 32
  • 33. Lista de Alunos ALISSON DOS SANTOS SECILIANO ANA EMANUELLY DE ARAUJO FERNANDES BRENDA SANTIAGO DE MACEDO CAROLAINE SANTANA DO NASCIMENTO DANIELE DE JESUS NAVAS DAVID ALVES MOREIRA DE ALMEIDA DAVID ANACLETO SOUZA BASTOS DENIELLY INOCENTE BARBOSA DIEGO DINIZ MARQUES FERREIRA EMILLY CRISTINA DE ANDRADE DIONÍZIO EVELLYN BALDO MARTINS ISABEL CRISTINA BATISTA CALTIANO JENNIFER FERREIRA DE ARAGAO KAUÊ RODRIGUES DA SILVA KELVIN CARLOS RODRIGUES PEREIRA LUAN FERREIRA DOS SANTOS LUCAS SOUZA GREGORIO MATHEUS DA SILVA MARTINS MICHAEL MARTINS GONÇALVES PAMELA CHAVES DE MOURA PATRICIA RODRIGUES DA SILVA SAMUEL MAFRA SILVA THAIZA SANTOS SILVA VICTOR VENANCIO BARBOSA WESLEY GUILHERME SOARES YASMIN SANTOS DE SOUSA DIEGO DE VASCONCELOS BONFIM 33
  • 34. Considerações Finais Agradeço o envolvimento e dedicação dos alunos, que com grande criatividade criaram histórias de terror assustadoras. Todo o processo superou as expectativas, pois desenvolveu grandes habilidades. Professora: Corina 34
  • 35. 35