Resposta sexo

686 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
686
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resposta sexo

  1. 1. Pergunta n.º 200 de O Livro dos Espíritos – Os Espíritos têm sexo? – Não como o entendeis, porque os sexos dependem da constituição orgânica. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na afinidade de sentimentos.
  2. 2. Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, temos a seguinte definição: "sexualidade [De sexual + -i- + dade] Substantivo feminino. 1. Qualidade de sexual. 2. O conjunto de fenômenos da vida sexual. 3. Sexo (3) [Sexo(3): Sensualidade, volúpia, lubricidade, sexualidade ]"
  3. 3. “O sexo estaria ligado às mais nobres funções de sentimentalidade, havendo verdadeira entrosagem em todos os planos da vida, onde o próprio prazer do ato sexual deve representar, quando bem dirigi-do, poderosa construção para o EU, tanto maior quanto mais visado for o ato procriativo. Não se pode deixar de afirmar, com razão, que a evolução espiritual estará também ligada à utilização equi-librada do sexo. Quando o prazer se rebaixa e é de-sarmonicamente dirigido, o sexo regride, desenvol-ve-se naquilo que é exclusivamente animalidade e degrada-se.” “Daí, a necessidade de educação e conduta bem orientada para não haver confusões (tão comuns pelas nossas heranças religiosas) e para não considerarmos imoral tudo o que diz respeito ao sexo.” Jorge Andrea
  4. 4. Pergunta o jovem: – E aí, Chico? Sexo antes do casamento é proibido? Responde o médium: – Meu filho, nada é proibido. No entanto, sem amor, nada vale a pena, nem o sexo, nem o casamento.
  5. 5. .“Castidade nem sempre é ausência; castidade é or-dem, é harmonia mental, é função sexual equili-brante com mente sadia e troca de vitalidade entre dois seres que se amam, com ajuda dos órgãos sexuais ou sem eles; neste ultimo caso, utilizando as "mensagens do espírito" na ajuda real ao pró-ximo e no dever cumprido de integral realização.” JA
  6. 6. “Consequentemente, o sexo, a função sexual, no estágio em que se expresse, é sempre construtiva quando em equilibrado uso. O abuso afrouxa os centros de força do psicossoma (chacras) pelos desajustes energéticos, deixando uma verdadeira opacidade na vontade e outros setores emocionais, revelados pelos distúrbios do sistema nervoso neuro-vegetativo, não permitindo aquela claridade e har-monia, sempre presentes num espírito lúcido que avança no caminho positivo da evolução. O ser que tenta extirpar a sua energia sexual de periferia, sem tê-la vivido e suplantado devida-mente, criará graves erros com profundas raízes destoantes, porquanto se está antepondo à sua própria potência de derivação. As forças sexuais representam componentes do próprio impulso cria-tivo; se lhe fazemos cortes e desvios indevidos cria-remos mecanismos outros que, por sua vez, exigirão correções.” Jorge Andrea
  7. 7. “Podemos entender a pornografia e outras tendências como fazendo parte da sexualidade? Sim. Exatamente porque, a partir das definições que adotamos, fazem parte dos sentimentos libidinosos (ver libido) dos seres humanos e também são energias perispirituais. Embora a pornografia represente a prática do sexo moralmente reprovado, e do ponto de vista do psiquismo um sexo pervertido em muitos casos, são manifestações doentes da sexualidade que todos os seres humanos possuem. É como falar de agressividade, mas na forma manifesta de violência ou, por outro lado, de passividade.” Enéas Martim Canhadas Pode haver sintonia com espíritos presos por viciações, podendo abrir ou gerar processos obsessivos” Orson Peter
  8. 8. 459 do Livro dos Espíritos um questionamento sobre esse assunto nos seguintes termos: “Os espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações?” Cuja reposta foi: “A esse respeito sua influência é maior do que credes, porque, frequentemente, são eles que vos dirigem". “Os espíritos nos influenciam no sexo no caso dos ainda presos a viciações e induções mentais de devassidão.” Orson Peter
  9. 9. Relacionando ainda ao compromisso afetivo, no item 7, Cap. XVII, de O Evangelho segundo o Espiritismo diz "O dever íntimo do homem fica entregue ao seu livre arbítrio: o aguilhão da consciência, esse guardião da probidade interior, o adverte e sustenta, mas permanece, freqüentemente, impotente diante dos sofismas da paixão. O dever do coração, fielmente observado, eleva o homem; mas, esse dever, como precisá-lo? Onde começa ele? Onde se detém? O dever começa precisamente no ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranqüilidade do vosso próximo; termina no limite que não gostaríeis de ver ultrapassado em relação a vós mesmos".
  10. 10. "Consideramos, sem qualquer sombra de duvida, que o homossexual, ao atender os sentidos em satisfação sexual, jamais estará em processo de realização conforme pensam algumas escolas. Ninguém se realiza no caminho do desequilíbrio e da desordem. A pratica deformante e resultado da distonia intima que carrega consigo, cujo processo desencadeara desajustes, principalmente no setor moral". Jorge Andrea
  11. 11. ”Dever íntimo do homem fica entregue ao seu livre arbítrio. O aguilhão da consciência, guardião da probidade interior, o adverte e sustenta; mas, muitas vezes se mostra impotente diante dos sofismas da paixão. Fielmente observado, o dever do coração eleva o homem; porém, como determiná-lo com exatidão? Onde começa ele? O dever principia sempre, para cada um de vós, do ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranquilidade do vosso próximo; acaba no limite que não desejais ninguém transponha com relação a vós. (Item 7, Cap. XVII, de "O Evangelho segundo o Espiritismo")

×