SlideShare uma empresa Scribd logo
Lesões Afetivas
Grupo Espírita Deus Cristo e Caridade
Entre, Eu e o Outro, quantos somos?
Definições:
O que é Lesão
O que é Afeto
O que é Emoção
O que é Amor
Lesões Afetivas
Fator determinante de muitos
desajustes
comportamentais, a lesão
afetiva constitui-se num
distúrbio da emoção
Emoção, do ponto de vista espiritual
representa didática e cartesianamente
uma das partes em que se bifurca o
instinto – uma inteligência rudimentar
-,quando o princípio inteligente
alcança a capacidade do pensamento
contínuo, iniciando a longa caminhada
na direção da sua humanização, em
busca da própria espiritualização.
173 –Como devemos entender a
simpatia e a antipatia?
-A simpatia ou a antipatia tem as suas
raízes profundas no espírito, na
sutilíssima entrosagem dos fluídos
peculiares a cada um e, quase
sempre, de modo geral, atestam uma
renovação de sensações
experimentadas pela criatura, desde o
pretérito delituoso, em iguais
circunstâncias.
173 –Como devemos entender a
simpatia e a antipatia?
Devemos, porém, considerar que toda
antipatia, aparentemente a mais
justa, deve morrer para dar lugar à
simpatia que edifica o coração para o
trabalho construtivo e legítimo da
fraternidade
Essa explicação ajuda-nos a entender
a resposta à questão 386 d’O LIVRO
DOS ESPÍRITOS”,
386. Podem dois seres, que se
conheceram e estimaram, encontrar-se
noutra existência corporal e
reconhecer-se?
“Reconhecer-se, não.
Podem, porém, sentir-se atraídos um para
o outro. E, frequentemente, diversa não é a
causa de íntimas ligações fundadas em
sincera afeição. Um do outro dois seres se
aproximam devido a circunstâncias
aparentemente fortuitas, mas que na
realidade resultam da atração de dois
Espíritos, que se buscam reciprocamente
por entre a multidão.”
a) - Não lhes seria agradável
reconhecerem-se?
“Nem sempre. A recordação das passadas
existências teria inconvenientes maiores
do que imaginais. Depois de
mortos, reconhecer-se-ão e saberão que
tempo passaram juntos.” (392)
387. A simpatia tem sempre por
princípio um anterior conhecimento?
“Não. Dois Espíritos, que se ligam
bem, naturalmente se procuram um
ao outro, sem que se tenham
conhecido como homens.”
388. Os encontros, que costumam
dar-se, de algumas pessoas e que
comumente se
atribuem ao acaso, não serão
efeito de uma certa relação de
simpatia?
“Entre os seres pensantes há
ligação que ainda não
conheceis. O magnetismo é o
piloto desta ciência, que mais
tarde compreendereis
melhor.”
389. E a repulsão instintiva que se
experimenta por algumas
pessoas, donde se origina?
“São Espíritos antipáticos que se
adivinham e reconhecem , sem
se falarem.”
comentáriodeChicoaojornalistaFernandoWorm
nolivro APONTE
“é atendendo aos vínculos do afeto que duas pessoas, atraídas
pela complementação magnética, normalmente se unem na
comunhão sexual”.
“os Espíritos Orientadores esclarecem que devemos evitar a
promiscuidade”(...).
“Não se deve usar um corpo usado por
outrem, assim como não se mora em duas
casas concomitantemente.
Conscientizemo-nos também que o
problema da sedução
irresponsável, egoística, é muito grave, de
vez que contraímos séria dívida com a
pessoa seduzida”.
Qual é a conduta afetiva entre as
almas enobrecidas?
Evolução em Dois Mundos – c.31 – 28/5/58.
Francisco C. Xavier – André Luiz
Quantomais elevado o grau de aprimoramento
daalma, mais reclamará espontaneamentede si
própriaa necessá-riadisciplinadas energias do
mundoafetivo,somentedespen-dendo-asno
circuitode forças em quese completacoma alma
a que se encontraconsorciada,ou, então, em
serviçonobre, atra-vésdo qual operea evasãodas
cargasmagnéticas de seus im-pulsos
genésicos,transferindo-aspara o trabalho em que
selhe projetama sensibilidadee a inteligência.
Do ponto de vista dos reajustes
interpessoais impostos pelo
egoísmo peculiar à maior parte
dos Espíritos em evolução na
Terra, qual será a opinião dos
Espíritos esclarecedores ?
Instrutor Ribas, no livro E a Vida
Continua.
Somos mecanicamente
impelidos para pessoas e
circunstâncias que se
afinem conosco ou com os
nossos problemas
“Seja qual for o relacionamento
que você atraiu para dentro de
sua vida, numa determinada
época, ele foi aquilo de que
você precisava naquele
momento”
Deepak Chopra
livro MOMENTOS DE OURO, Emmanuel
fala sobre as Lesões Afetivas
“todos nós, os Espíritos vinculados à evolução da
Terra, estamos altamente compromissados em
matéria de amor e sexo, e, em matéria de amor e
sexo irresponsáveis, não podemos estranhar os
estudos respeitáveis nesse sentido, porque, um
dia, todos seremos chamados a examinar
semelhantes realidades, especialmente as que se
relacionem conosco, que podem efetivamente
ser muito amargas, mas que devem ser ditas”.
Nesses tempos de tanta falta de
referências, Emmanuel recomenda:
“-Se habitas um corpo masculino, conforme
as tarefas que te foram assinaladas, e
encontraste essa ou aquela irmã que se te
afinou com o modo de ser, não lhe
desarticules os sentimentos, a pretexto de
amá-la, se não está em condição de cumprir
a palavra, no que tange a promessas de
amor.
E se moras presentemente num corpo
feminino, para o desempenho de
atividades determinadas, se surpreendeste
esse ou aquele irmão que se harmonizou
com as tuas preferências, não lhe perturbes
a sensibilidade sob a desculpa de desejar-
lhe a proteção, caso não estejas na posição
de quem desfruta a possibilidade de
honorificar os próprios compromissos
“Não comeces um romance
de carinho a dois, quando
não possas e nem queiras
manter-lhe a continuidade”.
“ninguém no mundo pode medir a
resistência de um coração quando
abandonado por outro e nem sabe a
qualidade das reações que virão
daqueles que enlouquecem, na dor da
afeição incompreendida, quando isso
acontece por nossa causa”.
“as Leis do Universo esperar-nos-ão
pelos milênios afora, mas
terminarão por se inscreverem, a
caracteres de luz, em nossas
próprias consciências. E essas Leis
determinam amemos os outros
qual nos amamos”.
Emmanuel, no livro Vida e Sexo
“em matéria de afetividade, no curso dos
séculos, vezes inúmeras disparamos na
direção do narcisismo e, estirados na volúpia
do prazer estéril, espezinhamos sentimentos
alheios, impelindo criaturas estimáveis e
nobres a processos de angústia e
criminalidade, depois de prendê-las a nós
mesmos com o vínculo de promessas
brilhantes, das quais nos descartamos em
movimentação imponderada.
“toda vez que determinada pessoas
convide outra à comunhão sexual ou
aceita de alguém um apelo neste
sentido, em bases de afinidade e
confiança, estabelece-se entre ambas
um circuito de forças, pelo qual a dupla
se alimenta psiquicamente de energias
espirituais, em regime de
reciprocidade.
Quando um dos parceiros foge ao
compromisso assumido, sem razão
justa, lesa o outro na sustentação do
equilíbrio emotivo, seja qual for o
campo de circunstâncias em que esse
compromisso venha a ser efetuado
Criada a ruptura no sistema de
permuta das cargas magnéticas de
manutenção, de alma para alma, o
parceiro prejudicado, se não dispõe de
conhecimentos superiores na auto
defensiva, entra em pânico, sem que
se lhe possa prever o descontrole
que, muitas vezes, raia na
delinquência.
Tais resultados da imprudência e da
invigilância repercutem no
agressor, que partilhará das
consequências desencadeadas por ele
próprio, debitando-se-lhe ao caminho
a sementeira partilhada de conflitos e
frustrações que carreará para o
futuro”.
André Luiz, SINAL VERDE
“toda pessoa que lesa outra, nos
compromissos do coração, está
fatalmente lesando a si
própria”, visto que segundo a Lei
que nos rege o
destino, receberemos, de
retorno, tudo o que dermos aos
Deseje em silêncio, toda vez
que entrar em contato com
alguém, que tenha uma vida
próspera e feliz ...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jesus E A Caridade
Jesus E A CaridadeJesus E A Caridade
Jesus E A Caridade
meebpeixotinho
 
Conduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da CaridadeConduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da Caridade
igmateus
 
Afabilidade e doçura
Afabilidade e doçuraAfabilidade e doçura
Afabilidade e doçura
Lorena Dias
 
Desenvolver a caridade
Desenvolver a caridadeDesenvolver a caridade
Desenvolver a caridade
Helio Cruz
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
gmo1973
 
Amor incondicional 1
Amor incondicional 1Amor incondicional 1
Amor incondicional 1
Luciane Belchior
 
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
Marcel Jefferson Gonçalves
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
Anderson Dias
 
Um grito de cólera
Um grito de cóleraUm grito de cólera
Um grito de cólera
Helio Cruz
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
gmo1973
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
grupodepaisceb
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Sergio Menezes
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
O Bom Samaritano
O Bom SamaritanoO Bom Samaritano
O Bom Samaritano
Eduardo Henrique Marçal
 
Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...
Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...
Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...
Antonio Braga
 
Chico Xavier - Fardos
Chico Xavier - FardosChico Xavier - Fardos
Chico Xavier - Fardos
Emilia Maria Araujo Rios
 
Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste out20
Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste  out20Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste  out20
Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste out20
manumino
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Tiburcio Santos
 
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
   Cap.15 evangelho segundo espiritismo   Cap.15 evangelho segundo espiritismo
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
rodrigo ariola
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
Helio Cruz
 

Mais procurados (20)

Jesus E A Caridade
Jesus E A CaridadeJesus E A Caridade
Jesus E A Caridade
 
Conduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da CaridadeConduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da Caridade
 
Afabilidade e doçura
Afabilidade e doçuraAfabilidade e doçura
Afabilidade e doçura
 
Desenvolver a caridade
Desenvolver a caridadeDesenvolver a caridade
Desenvolver a caridade
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
 
Amor incondicional 1
Amor incondicional 1Amor incondicional 1
Amor incondicional 1
 
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
 
Um grito de cólera
Um grito de cóleraUm grito de cólera
Um grito de cólera
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
 
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
O Bom Samaritano
O Bom SamaritanoO Bom Samaritano
O Bom Samaritano
 
Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...
Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...
Livro dos Espiritos Questões 766 768 - lei de sociedade + Evangelho Segundo o...
 
Chico Xavier - Fardos
Chico Xavier - FardosChico Xavier - Fardos
Chico Xavier - Fardos
 
Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste out20
Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste  out20Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste  out20
Palestra Espírita_ Dai gratuitamente o que gratuitamente recebeste out20
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
 
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
   Cap.15 evangelho segundo espiritismo   Cap.15 evangelho segundo espiritismo
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
 

Destaque

Sacrifícios do amor
Sacrifícios do amorSacrifícios do amor
Sacrifícios do amor
Luciane Belchior
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
Graça Maciel
 
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnaçãoOs laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Luciane Belchior
 
Eem passe c4
Eem passe c4Eem passe c4
Eem passe c4
Rita Bernadete
 
Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
Luciane Belchior
 
Caridade
CaridadeCaridade
Convivência Familiar!
Convivência Familiar!Convivência Familiar!
Convivência Familiar!
Marta Oliveira
 
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Graça Maciel
 
A prece
A prece A prece
A prece
Graça Maciel
 
Palestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoarPalestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoar
André Nunes E Clarisa
 
Inesqueciveis licoes de_jesus
Inesqueciveis licoes de_jesusInesqueciveis licoes de_jesus
Inesqueciveis licoes de_jesus
Graça Maciel
 
Destruição 2
Destruição 2Destruição 2
Destruição 2
Izabel Cristina Fonseca
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
Izabel Cristina Fonseca
 
Paraiso, inferno
Paraiso, infernoParaiso, inferno
Paraiso, inferno
Izabel Cristina Fonseca
 
JESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃO
JESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃOJESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃO
JESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃO
Jorge Luiz dos Santos
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
Luciane Belchior
 

Destaque (16)

Sacrifícios do amor
Sacrifícios do amorSacrifícios do amor
Sacrifícios do amor
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
 
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnaçãoOs laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
 
Eem passe c4
Eem passe c4Eem passe c4
Eem passe c4
 
Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
 
Caridade
CaridadeCaridade
Caridade
 
Convivência Familiar!
Convivência Familiar!Convivência Familiar!
Convivência Familiar!
 
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
 
A prece
A prece A prece
A prece
 
Palestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoarPalestras amar é perdoar
Palestras amar é perdoar
 
Inesqueciveis licoes de_jesus
Inesqueciveis licoes de_jesusInesqueciveis licoes de_jesus
Inesqueciveis licoes de_jesus
 
Destruição 2
Destruição 2Destruição 2
Destruição 2
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
 
Paraiso, inferno
Paraiso, infernoParaiso, inferno
Paraiso, inferno
 
JESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃO
JESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃOJESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃO
JESUS, MESTRE DA EDUCAÇÃO
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
 

Semelhante a Lesões afetivas

Mediunidade no relacionamento
Mediunidade no relacionamento Mediunidade no relacionamento
Mediunidade no relacionamento
Victor Passos
 
Sexualidade sob a ótica espírita
Sexualidade sob a ótica espírita Sexualidade sob a ótica espírita
Sexualidade sob a ótica espírita
Rogerio R. Lima Cisi
 
Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64
Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64
Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64
Patricia Farias
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
Jerri Almeida
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
Jerri Almeida
 
O impulso sexual
O impulso sexualO impulso sexual
Caridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximoCaridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximo
Eduardo Manoel Araujo
 
Aula M2 - Sexualidade
Aula M2 - SexualidadeAula M2 - Sexualidade
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Patricia Farias
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Ceile Maria Bernardo
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Ceile Bernardo
 
Amor e filosofia
Amor e filosofiaAmor e filosofia
Amor e filosofia
Euza Raquel
 
Universalismo crstico apostila - 030 - 2011 - lar
Universalismo crstico   apostila - 030 - 2011 - larUniversalismo crstico   apostila - 030 - 2011 - lar
Universalismo crstico apostila - 030 - 2011 - lar
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6
hannahxa
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros Distanciados
Série Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros DistanciadosSérie Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros Distanciados
Série Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros Distanciados
Ricardo Azevedo
 
Desvios sexuais e compromissos afetivos
Desvios sexuais e compromissos afetivosDesvios sexuais e compromissos afetivos
Desvios sexuais e compromissos afetivos
Newton Krüger
 
Sawabona
SawabonaSawabona
Sawabona
isiane
 
Caridade e lei do amor
Caridade e lei do amorCaridade e lei do amor
Caridade e lei do amor
Alice Lirio
 
Tarot das bruxas ok
Tarot das bruxas okTarot das bruxas ok
Tarot das bruxas ok
Yaoloorisa Osunseyi Lili
 

Semelhante a Lesões afetivas (20)

Mediunidade no relacionamento
Mediunidade no relacionamento Mediunidade no relacionamento
Mediunidade no relacionamento
 
Sexualidade sob a ótica espírita
Sexualidade sob a ótica espírita Sexualidade sob a ótica espírita
Sexualidade sob a ótica espírita
 
Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64
Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64
Livro dos Espíritos Q. 386 ESE cap.28 item 64
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
 
O impulso sexual
O impulso sexualO impulso sexual
O impulso sexual
 
Caridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximoCaridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximo
 
Aula M2 - Sexualidade
Aula M2 - SexualidadeAula M2 - Sexualidade
Aula M2 - Sexualidade
 
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
Livro dos Espiritos Q 298 e 299 ESE cap25 item 4 e 5
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
 
Amor e filosofia
Amor e filosofiaAmor e filosofia
Amor e filosofia
 
Universalismo crstico apostila - 030 - 2011 - lar
Universalismo crstico   apostila - 030 - 2011 - larUniversalismo crstico   apostila - 030 - 2011 - lar
Universalismo crstico apostila - 030 - 2011 - lar
 
Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros Distanciados
Série Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros DistanciadosSérie Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros Distanciados
Série Evangelho no Lar - Cap. 17 - Companheiros Distanciados
 
Desvios sexuais e compromissos afetivos
Desvios sexuais e compromissos afetivosDesvios sexuais e compromissos afetivos
Desvios sexuais e compromissos afetivos
 
Sawabona
SawabonaSawabona
Sawabona
 
Caridade e lei do amor
Caridade e lei do amorCaridade e lei do amor
Caridade e lei do amor
 
Tarot das bruxas ok
Tarot das bruxas okTarot das bruxas ok
Tarot das bruxas ok
 

Último

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 

Último (16)

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 

Lesões afetivas

  • 1. Lesões Afetivas Grupo Espírita Deus Cristo e Caridade
  • 2.
  • 3. Entre, Eu e o Outro, quantos somos?
  • 4.
  • 5. Definições: O que é Lesão O que é Afeto O que é Emoção O que é Amor
  • 6. Lesões Afetivas Fator determinante de muitos desajustes comportamentais, a lesão afetiva constitui-se num distúrbio da emoção
  • 7. Emoção, do ponto de vista espiritual representa didática e cartesianamente uma das partes em que se bifurca o instinto – uma inteligência rudimentar -,quando o princípio inteligente alcança a capacidade do pensamento contínuo, iniciando a longa caminhada na direção da sua humanização, em busca da própria espiritualização.
  • 8. 173 –Como devemos entender a simpatia e a antipatia? -A simpatia ou a antipatia tem as suas raízes profundas no espírito, na sutilíssima entrosagem dos fluídos peculiares a cada um e, quase sempre, de modo geral, atestam uma renovação de sensações experimentadas pela criatura, desde o pretérito delituoso, em iguais circunstâncias.
  • 9. 173 –Como devemos entender a simpatia e a antipatia? Devemos, porém, considerar que toda antipatia, aparentemente a mais justa, deve morrer para dar lugar à simpatia que edifica o coração para o trabalho construtivo e legítimo da fraternidade
  • 10. Essa explicação ajuda-nos a entender a resposta à questão 386 d’O LIVRO DOS ESPÍRITOS”,
  • 11. 386. Podem dois seres, que se conheceram e estimaram, encontrar-se noutra existência corporal e reconhecer-se?
  • 12. “Reconhecer-se, não. Podem, porém, sentir-se atraídos um para o outro. E, frequentemente, diversa não é a causa de íntimas ligações fundadas em sincera afeição. Um do outro dois seres se aproximam devido a circunstâncias aparentemente fortuitas, mas que na realidade resultam da atração de dois Espíritos, que se buscam reciprocamente por entre a multidão.”
  • 13. a) - Não lhes seria agradável reconhecerem-se? “Nem sempre. A recordação das passadas existências teria inconvenientes maiores do que imaginais. Depois de mortos, reconhecer-se-ão e saberão que tempo passaram juntos.” (392)
  • 14. 387. A simpatia tem sempre por princípio um anterior conhecimento? “Não. Dois Espíritos, que se ligam bem, naturalmente se procuram um ao outro, sem que se tenham conhecido como homens.”
  • 15. 388. Os encontros, que costumam dar-se, de algumas pessoas e que comumente se atribuem ao acaso, não serão efeito de uma certa relação de simpatia?
  • 16. “Entre os seres pensantes há ligação que ainda não conheceis. O magnetismo é o piloto desta ciência, que mais tarde compreendereis melhor.”
  • 17. 389. E a repulsão instintiva que se experimenta por algumas pessoas, donde se origina?
  • 18. “São Espíritos antipáticos que se adivinham e reconhecem , sem se falarem.”
  • 19. comentáriodeChicoaojornalistaFernandoWorm nolivro APONTE “é atendendo aos vínculos do afeto que duas pessoas, atraídas pela complementação magnética, normalmente se unem na comunhão sexual”. “os Espíritos Orientadores esclarecem que devemos evitar a promiscuidade”(...).
  • 20. “Não se deve usar um corpo usado por outrem, assim como não se mora em duas casas concomitantemente. Conscientizemo-nos também que o problema da sedução irresponsável, egoística, é muito grave, de vez que contraímos séria dívida com a pessoa seduzida”.
  • 21. Qual é a conduta afetiva entre as almas enobrecidas? Evolução em Dois Mundos – c.31 – 28/5/58. Francisco C. Xavier – André Luiz
  • 22. Quantomais elevado o grau de aprimoramento daalma, mais reclamará espontaneamentede si própriaa necessá-riadisciplinadas energias do mundoafetivo,somentedespen-dendo-asno circuitode forças em quese completacoma alma a que se encontraconsorciada,ou, então, em serviçonobre, atra-vésdo qual operea evasãodas cargasmagnéticas de seus im-pulsos genésicos,transferindo-aspara o trabalho em que selhe projetama sensibilidadee a inteligência.
  • 23. Do ponto de vista dos reajustes interpessoais impostos pelo egoísmo peculiar à maior parte dos Espíritos em evolução na Terra, qual será a opinião dos Espíritos esclarecedores ?
  • 24. Instrutor Ribas, no livro E a Vida Continua. Somos mecanicamente impelidos para pessoas e circunstâncias que se afinem conosco ou com os nossos problemas
  • 25. “Seja qual for o relacionamento que você atraiu para dentro de sua vida, numa determinada época, ele foi aquilo de que você precisava naquele momento” Deepak Chopra
  • 26. livro MOMENTOS DE OURO, Emmanuel fala sobre as Lesões Afetivas “todos nós, os Espíritos vinculados à evolução da Terra, estamos altamente compromissados em matéria de amor e sexo, e, em matéria de amor e sexo irresponsáveis, não podemos estranhar os estudos respeitáveis nesse sentido, porque, um dia, todos seremos chamados a examinar semelhantes realidades, especialmente as que se relacionem conosco, que podem efetivamente ser muito amargas, mas que devem ser ditas”.
  • 27. Nesses tempos de tanta falta de referências, Emmanuel recomenda:
  • 28. “-Se habitas um corpo masculino, conforme as tarefas que te foram assinaladas, e encontraste essa ou aquela irmã que se te afinou com o modo de ser, não lhe desarticules os sentimentos, a pretexto de amá-la, se não está em condição de cumprir a palavra, no que tange a promessas de amor.
  • 29. E se moras presentemente num corpo feminino, para o desempenho de atividades determinadas, se surpreendeste esse ou aquele irmão que se harmonizou com as tuas preferências, não lhe perturbes a sensibilidade sob a desculpa de desejar- lhe a proteção, caso não estejas na posição de quem desfruta a possibilidade de honorificar os próprios compromissos
  • 30. “Não comeces um romance de carinho a dois, quando não possas e nem queiras manter-lhe a continuidade”.
  • 31. “ninguém no mundo pode medir a resistência de um coração quando abandonado por outro e nem sabe a qualidade das reações que virão daqueles que enlouquecem, na dor da afeição incompreendida, quando isso acontece por nossa causa”.
  • 32. “as Leis do Universo esperar-nos-ão pelos milênios afora, mas terminarão por se inscreverem, a caracteres de luz, em nossas próprias consciências. E essas Leis determinam amemos os outros qual nos amamos”.
  • 33. Emmanuel, no livro Vida e Sexo “em matéria de afetividade, no curso dos séculos, vezes inúmeras disparamos na direção do narcisismo e, estirados na volúpia do prazer estéril, espezinhamos sentimentos alheios, impelindo criaturas estimáveis e nobres a processos de angústia e criminalidade, depois de prendê-las a nós mesmos com o vínculo de promessas brilhantes, das quais nos descartamos em movimentação imponderada.
  • 34. “toda vez que determinada pessoas convide outra à comunhão sexual ou aceita de alguém um apelo neste sentido, em bases de afinidade e confiança, estabelece-se entre ambas um circuito de forças, pelo qual a dupla se alimenta psiquicamente de energias espirituais, em regime de reciprocidade.
  • 35. Quando um dos parceiros foge ao compromisso assumido, sem razão justa, lesa o outro na sustentação do equilíbrio emotivo, seja qual for o campo de circunstâncias em que esse compromisso venha a ser efetuado
  • 36. Criada a ruptura no sistema de permuta das cargas magnéticas de manutenção, de alma para alma, o parceiro prejudicado, se não dispõe de conhecimentos superiores na auto defensiva, entra em pânico, sem que se lhe possa prever o descontrole que, muitas vezes, raia na delinquência.
  • 37. Tais resultados da imprudência e da invigilância repercutem no agressor, que partilhará das consequências desencadeadas por ele próprio, debitando-se-lhe ao caminho a sementeira partilhada de conflitos e frustrações que carreará para o futuro”.
  • 38. André Luiz, SINAL VERDE “toda pessoa que lesa outra, nos compromissos do coração, está fatalmente lesando a si própria”, visto que segundo a Lei que nos rege o destino, receberemos, de retorno, tudo o que dermos aos
  • 39. Deseje em silêncio, toda vez que entrar em contato com alguém, que tenha uma vida próspera e feliz ...