SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe 
Manchete: “Fiquei impressionado com a maldade de Felipeh Campos” 
1. Perfil da revista: público-alvo, objetivo e espaço de leitura. 
A revista Tititi foi criada em setembro de 1999 para atender a um público feminino (80% 
dos consumidores) que busca exclusividade em primeira mão das notícias sobre o mundo 
dos artistas e capítulos das novelas. A revista é produzida pela Editora Abril, com 
exemplares semanais, para publicações relacionadas à televisão. Os resumos das 
telenovelas é o assunto mais abordado, porém a vida pública e privada de celebridades, com 
maior importância para atrizes e atores em destaque no momento são relevantes. A 
organização das páginas é feita de forma dinâmica na estrutura de textos objetivos, por 
vezes organizados em boxes, e com uso de imagens. 
É uma revista com 42 páginas, organizada para uma leitura rápida e eficiente. Possui o 
valor simbólico de R$1,99 com tiragem de aproximadamente 250.000 exemplares por 
edição, é vendida com exclusividade nas bancas. A região onde há o maior número de 
consumidores é o sudeste e não há um padrão etário dos leitores. As classes mais assíduas 
na leitura dessa revista são as classes B, com 36%, e C, com 52%. 
2. Estrutura do parágrafo: formato dos períodos e nível de complexidade. 
O parágrafo analisado contém cinco períodos que organizados sintaticamente, desenvolvem 
a ideia central da entrevista, trazendo informações úteis ao leitor, como por exemplo, o 
nome do entrevistado, a idade e a carreira profissional. É fundamental que tais referências 
sejam citadas logo na introdução de maneira clara e objetiva, pois inicialmente, é o que 
chamará a atenção do leitor para dar continuidade ao texto. 
Por se tratar de uma breve apresentação, os períodos são relativamente curtos e ligados 
principalmente, através das conjunções “e” e “mas” utilizados para causar o aspecto de 
continuidade das ideias. Os conectivos podem ser classificados como aditivo e adversativo, 
respectivamente. 
A utilização de parágrafos curtos é uma característica muito encontrada em revistas 
populares, visto que a intenção é que seja feita uma leitura rápida, sem a necessidade de um 
aprofundamento ou uma intensa interpretação dos assuntos expostos. 
Além disso, a entrevista que segue após a breve apresentação do entrevistado, tem por 
objetivo atingir o grande público que acompanha as emissoras de televisão e seus 
programas, e por essa razão, a linguagem é muito aproximada à coloquial, com um nível 
mínimo de complexidade.
3. Classificação dos períodos. 
a) “A descontração sempre foi marca do jornalista e apresentador Britto Jr., 51 anos, e 
que comemora 35 de carreira.” 
Identificamos neste período duas orações subordinadas ligadas por um elo de coordenação. 
É sabido que pela regra gramatical, uma conjunção aditiva jamais pode ligar orações 
subordinadas. Portanto, identificamos aqui a primeira irregularidade com o uso do 
conectivo “e”. 
b) “E um dos maiores motivos para festejar é o sucesso de A Fazenda 7, talvez a mais 
polêmica desde a estreia da atração na Record.” 
A frase é iniciada pelo termo “e”, o que foge aos métodos tradicionais. Na sequência, temos 
uma lacuna a ser preenchida para que se tenha o sentido completo da oração: qual é o maior 
motivo para festejar? A completude da sentença se daria, caso a construção da oração se 
desse da seguinte forma: “Um dos maiores motivos para festejar os 35 anos de carreira de 
Britto Jr. é o sucesso de A Fazenda”. Os termos acessórios “desde a estreia da atração na 
Record” representam uma marcação de tempo, portanto, são adjuntos adverbiais de tempo. 
c) “Mas Britto também ama estar à frente do Programa da Tarde.” 
A oração acima apresenta sua primeira irregularidade ao ser iniciada pela conjunção 
coordenativa adversativa. Através da forma nominal do verbo estar (infinitivo), o período 
passa a ser composto, pois “estar à frente do Programa da Tarde” torna-se uma oração 
subordinada com valor de objeto direto. 
d) “Aliás, toda a sua trajetória é motivo de orgulho.” 
Ao eliminarmos o termo aliás, o formato da oração acima estaria dentro dos padrões da 
gramática normativa. Por possuir apenas um núcleo verbal, trata-se de um período simples. 
e) “E consequência de muitas batalhas desde os tempos de menino, em Caxias do Sul 
(RS), quando sonhava brilhar na TV.” 
Neste último período, sujeito e verbo estão implícitos, pois são os mesmos da oração 
anterior. Na verdade esta frase continua a oração anterior, sem ponto. Portanto, o uso do 
ponto final na oração anterior e do conectivo “e” no início desta oração tornam-se 
desnecessários para que a estrutura por subordinação das orações esteja dentro dos padrões 
da norma culta.
4. Uso dos conectivos e clareza do texto. 
“A descontração sempre foi a marca do jornalista e apresentador Britto Jr., 51 anos, e que 
comemora 35 anos de carreira. E um dos maiores motivos para festejar é o sucesso de A 
Fazenda 7, talvez a mais polêmica desde a estréia da atração na Record. Mas Britto também 
ama estar a frente do Programa da Tarde. Aliás, toda a sua trajetória é motivo de orgulho. E 
consequência de muitas batalhas desde os tempos de menino, em Caxias do Sul (RS), 
quando sonhava brilhar na TV. 
O texto utiliza uma linguagem de fácil compreensão, com muitas marcas de oralidade, 
voltadas para o grande público. A utilização de vários conectivos anexa informações ao 
texto, atraindo a atenção daquele que lê a revista. A linguagem é festiva e alegre e traz uma 
proximidade entre autor e leitor. Os conectivos são usados de forma generosa, apenas neste 
parágrafo podemos relacionar: e, e, e, talvez, mas, aliás, e, quando. O texto está de acordo 
com o perfil da revista: entreter sem exigir através de uma leitura rápida e sem muitas 
exigências. 
(TITITI, edição nº 842. São Paulo: Abril Editora, 2014) 
Ana Carolina Polo da Cruz Felício - R.A B621EE-4 
Camila Cristina Pereira da Silva - R.A B88711-7 
Dea Dilma Correa de Souza - R.A B804AB-8 
Patrícia Carreira de Carvalho - R.A B87DBI-1 
Thabata Paganotti da Costa - R.A B88GEJ-6

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe

Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aulatelasnorte1
 
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritoresAtividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritoresBarbara Vestia
 
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpeSimulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpeMarly Lima
 
Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aulatelasnorte1
 
Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)
Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)
Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)Maria Marlene Marcon
 
Linguagens PROFª Nereyda
Linguagens PROFª Nereyda  Linguagens PROFª Nereyda
Linguagens PROFª Nereyda Pré-Enem Seduc
 
Coerência e coesão
Coerência e coesão Coerência e coesão
Coerência e coesão DriiQuirino
 
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SASResolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SASjasonrplima
 

Semelhante a Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe (15)

Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aula
 
O texto em rádio
O texto em rádioO texto em rádio
O texto em rádio
 
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritoresAtividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
Atividades 7c2ba-ano-lc3adngua-portuguesa-com-descritores
 
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpeSimulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
 
O parágrafo
O parágrafoO parágrafo
O parágrafo
 
Enem na sala de aula
Enem na sala de aulaEnem na sala de aula
Enem na sala de aula
 
A coerência
A coerênciaA coerência
A coerência
 
Tp5
Tp5Tp5
Tp5
 
Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)
Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)
Exemploscitaes 110527082840-phpapp01 (1)
 
1º gramática
1º gramática1º gramática
1º gramática
 
Linguagens PROFª Nereyda
Linguagens PROFª Nereyda  Linguagens PROFª Nereyda
Linguagens PROFª Nereyda
 
Exemplos citações
Exemplos citaçõesExemplos citações
Exemplos citações
 
Coerência e coesão
Coerência e coesão Coerência e coesão
Coerência e coesão
 
Portugues
PortuguesPortugues
Portugues
 
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SASResolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
 

Mais de Ana Polo

Direct and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishDirect and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishAna Polo
 
Pós modernidade
Pós modernidadePós modernidade
Pós modernidadeAna Polo
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Ana Polo
 
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraLibertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraAna Polo
 
Análise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social VisualAnálise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social VisualAna Polo
 
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesPLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesAna Polo
 
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAnálise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAna Polo
 
Análise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAnálise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAna Polo
 
Análise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAnálise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAna Polo
 
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreTrabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreAna Polo
 
Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13Ana Polo
 
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoTrabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoAna Polo
 

Mais de Ana Polo (12)

Direct and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishDirect and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in English
 
Pós modernidade
Pós modernidadePós modernidade
Pós modernidade
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro"
 
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraLibertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
 
Análise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social VisualAnálise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social Visual
 
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesPLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
 
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAnálise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
 
Análise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAnálise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um Apólogo
 
Análise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAnálise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de Fala
 
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreTrabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
 
Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13
 
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoTrabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
 

Último

Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 

Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe

  • 1. Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe Manchete: “Fiquei impressionado com a maldade de Felipeh Campos” 1. Perfil da revista: público-alvo, objetivo e espaço de leitura. A revista Tititi foi criada em setembro de 1999 para atender a um público feminino (80% dos consumidores) que busca exclusividade em primeira mão das notícias sobre o mundo dos artistas e capítulos das novelas. A revista é produzida pela Editora Abril, com exemplares semanais, para publicações relacionadas à televisão. Os resumos das telenovelas é o assunto mais abordado, porém a vida pública e privada de celebridades, com maior importância para atrizes e atores em destaque no momento são relevantes. A organização das páginas é feita de forma dinâmica na estrutura de textos objetivos, por vezes organizados em boxes, e com uso de imagens. É uma revista com 42 páginas, organizada para uma leitura rápida e eficiente. Possui o valor simbólico de R$1,99 com tiragem de aproximadamente 250.000 exemplares por edição, é vendida com exclusividade nas bancas. A região onde há o maior número de consumidores é o sudeste e não há um padrão etário dos leitores. As classes mais assíduas na leitura dessa revista são as classes B, com 36%, e C, com 52%. 2. Estrutura do parágrafo: formato dos períodos e nível de complexidade. O parágrafo analisado contém cinco períodos que organizados sintaticamente, desenvolvem a ideia central da entrevista, trazendo informações úteis ao leitor, como por exemplo, o nome do entrevistado, a idade e a carreira profissional. É fundamental que tais referências sejam citadas logo na introdução de maneira clara e objetiva, pois inicialmente, é o que chamará a atenção do leitor para dar continuidade ao texto. Por se tratar de uma breve apresentação, os períodos são relativamente curtos e ligados principalmente, através das conjunções “e” e “mas” utilizados para causar o aspecto de continuidade das ideias. Os conectivos podem ser classificados como aditivo e adversativo, respectivamente. A utilização de parágrafos curtos é uma característica muito encontrada em revistas populares, visto que a intenção é que seja feita uma leitura rápida, sem a necessidade de um aprofundamento ou uma intensa interpretação dos assuntos expostos. Além disso, a entrevista que segue após a breve apresentação do entrevistado, tem por objetivo atingir o grande público que acompanha as emissoras de televisão e seus programas, e por essa razão, a linguagem é muito aproximada à coloquial, com um nível mínimo de complexidade.
  • 2. 3. Classificação dos períodos. a) “A descontração sempre foi marca do jornalista e apresentador Britto Jr., 51 anos, e que comemora 35 de carreira.” Identificamos neste período duas orações subordinadas ligadas por um elo de coordenação. É sabido que pela regra gramatical, uma conjunção aditiva jamais pode ligar orações subordinadas. Portanto, identificamos aqui a primeira irregularidade com o uso do conectivo “e”. b) “E um dos maiores motivos para festejar é o sucesso de A Fazenda 7, talvez a mais polêmica desde a estreia da atração na Record.” A frase é iniciada pelo termo “e”, o que foge aos métodos tradicionais. Na sequência, temos uma lacuna a ser preenchida para que se tenha o sentido completo da oração: qual é o maior motivo para festejar? A completude da sentença se daria, caso a construção da oração se desse da seguinte forma: “Um dos maiores motivos para festejar os 35 anos de carreira de Britto Jr. é o sucesso de A Fazenda”. Os termos acessórios “desde a estreia da atração na Record” representam uma marcação de tempo, portanto, são adjuntos adverbiais de tempo. c) “Mas Britto também ama estar à frente do Programa da Tarde.” A oração acima apresenta sua primeira irregularidade ao ser iniciada pela conjunção coordenativa adversativa. Através da forma nominal do verbo estar (infinitivo), o período passa a ser composto, pois “estar à frente do Programa da Tarde” torna-se uma oração subordinada com valor de objeto direto. d) “Aliás, toda a sua trajetória é motivo de orgulho.” Ao eliminarmos o termo aliás, o formato da oração acima estaria dentro dos padrões da gramática normativa. Por possuir apenas um núcleo verbal, trata-se de um período simples. e) “E consequência de muitas batalhas desde os tempos de menino, em Caxias do Sul (RS), quando sonhava brilhar na TV.” Neste último período, sujeito e verbo estão implícitos, pois são os mesmos da oração anterior. Na verdade esta frase continua a oração anterior, sem ponto. Portanto, o uso do ponto final na oração anterior e do conectivo “e” no início desta oração tornam-se desnecessários para que a estrutura por subordinação das orações esteja dentro dos padrões da norma culta.
  • 3. 4. Uso dos conectivos e clareza do texto. “A descontração sempre foi a marca do jornalista e apresentador Britto Jr., 51 anos, e que comemora 35 anos de carreira. E um dos maiores motivos para festejar é o sucesso de A Fazenda 7, talvez a mais polêmica desde a estréia da atração na Record. Mas Britto também ama estar a frente do Programa da Tarde. Aliás, toda a sua trajetória é motivo de orgulho. E consequência de muitas batalhas desde os tempos de menino, em Caxias do Sul (RS), quando sonhava brilhar na TV. O texto utiliza uma linguagem de fácil compreensão, com muitas marcas de oralidade, voltadas para o grande público. A utilização de vários conectivos anexa informações ao texto, atraindo a atenção daquele que lê a revista. A linguagem é festiva e alegre e traz uma proximidade entre autor e leitor. Os conectivos são usados de forma generosa, apenas neste parágrafo podemos relacionar: e, e, e, talvez, mas, aliás, e, quando. O texto está de acordo com o perfil da revista: entreter sem exigir através de uma leitura rápida e sem muitas exigências. (TITITI, edição nº 842. São Paulo: Abril Editora, 2014) Ana Carolina Polo da Cruz Felício - R.A B621EE-4 Camila Cristina Pereira da Silva - R.A B88711-7 Dea Dilma Correa de Souza - R.A B804AB-8 Patrícia Carreira de Carvalho - R.A B87DBI-1 Thabata Paganotti da Costa - R.A B88GEJ-6