O texto em rádio

9.068 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.068
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
333
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O texto em rádio

  1. 1. Ivanice LimaPara citar este slide:LIMA, Ivanice. O texto em rádio. Recife: a autora, 2010. 16slides: color.
  2. 2.  O processo deve dar ao ouvinte a impressão de que o radialista está falando com ele e não lendo para ele  tudo deve parecer espontâneo; Formas coloquiais, linguagem direta, concisa, clara; Escrever palavras no papel não dá metade do necessário para ter um texto sem ambiguidades no rádio  não se sabe onde está a ênfase;
  3. 3.  A palavra escrita não fornece nenhuma indicação dos sons vocais pretendidos;Exemplo:Então, eu terei de me organizar para dar aula neste sábado? Existem muitas maneiras de entender essa frase: Então, eu terei de me organizar para dar aula neste sábado? Então, eu terei de me organizar para dar aula neste sábado? Então, eu terei de me organizar para dar aula neste sábado?  O texto é uma parte do processo de comunicação que só é concluído depois que o roteiro for verbalizado – e do modo adequado. Pense sempre que o texto será lido por outra pessoa, por isso, precisa estar muito claro.
  4. 4.  O script é uma “rede de segurança“ – pelo menos você sabe o que vai dizer, mesmo que o script não lhe diga exatamente como será dito (marcações do tom de fala, por exemplo); O script completo garante que nada ficará faltando. rádio é “na hora”, as coisas que são ditas no rádio precisam fazer sentido na hora em que são ditas. Não há como voltar atrás, diferente do impresso; O script serve para que outras pessoas possam comunicar as nossas ideias – para dar forma permanente à natureza efêmera do discurso;
  5. 5. • Decidir o que quer dizer, quais ideias deseja expressar e que tipo de impressão quer deixar;• Faça uma lista dos principais argumentos e veja se dispõe dos fatos ou exemplos necessários para apoiá-los;• A lógica deve prevalecer, junte essas ideias e coloque-as na ordem certa – a ordem certa é aquela que fica mais fácil de o ouvinte entender  e aí, claro depende do ouvinte que se tem: um estudante, uma dona de casa, um homem de classe média, executivo, etc;  visualizar o ouvinte;• Em rádio, nada de querer impressionar, usando palavras difíceis. A palavra certa é aquela que é inteligível para o público ao qual me dirijo;
  6. 6. • Apesar de a comunicação chegar a milhares, milhões de pessoas, a mensagem chega à mente do ouvinte como indivíduo.Prefira o singular.• A primeira sentença deve ser interessante  comece com uma ideia que prenda a atenção, pertinente. Deixe claro do que se está falando, não deixe o ouvinte na dúvida;• Quando tratar de assuntos, digamos, complicados como taxa de juros, índice de inflação, etc uma forma de tornar o assunto inteligível para o seu ouvinte é usar sinalizadores, indicadores como “na prática, isso funciona.....”
  7. 7.  Há diferenças entre o texto para o impresso e o texto falado. Compare as sentenças: Catarina Apolônio, que foi aluna da UFPE, onde cursou rádio e tv, está fazendo cinema em Cuba. Opte por separar as sentenças: Catarina Apolônio está fazendo cinema em Cuba. Ela foi aluna de rádio e tv da UFPE.
  8. 8. Outro exemplo: Tadeu, que está prestes a deixar a cidade em que morou por cinco anos, onde montou seu negócio, agora irá trabalhar no exterior.• Opte por separar as sentenças: Tadeu morou na cidade por cinco anos. Montou um negócio e agora se prepara para trabalhar no exterior.
  9. 9. • Verbalizar o roteiro em voz alta ajuda a evitar frases difíceis de serem pronunciadas;• O texto de rádio não pode ser ambíguo:• Atente: “O homem foi visto amarrado na cadeira pela esposa”. • Isso significa que: a esposa viu o marido amarrado na cadeira • Ou: viram o homem sendo amarrado na cadeira pela esposa?
  10. 10. • Pontuação: ajuda a extrair o sentido do texto, mas para o ouvinte perceber o sentido, é preciso também atentar para a entonação:• Vejamos o exemplo:  As baleias que estavam perto do barco foram mortas • Assim, sugere que só as baleias que estavam perto do barco foram mortas.• O sentido muda se colocamos duas vírgulas na sentença:  As baleias, que estavam perto do barco, foram mortas.• Isso indica que todas as baleias foram mortas e que elas estavam perto do barco.
  11. 11.  Em orações subordinadas, uma boa dica é utilizar travessões. Isso junta as frases e, no entanto, mostra que deve existir certa pausa; Os sinais podem ser colocados no script buscando indicar a intenção do redator.
  12. 12.  - espaço de 1,5 ou duplo; - letras em maiúsculas; - sublinhados para dar ênfase; - margens bem definidas em ambos os lados; - digite apenas um dos lados do papel; - evite continuar uma sentença na página seguinte; - o ideal é que cada folha termine com um ponto final; - os números, de preferência, devem ser escritos por extenso; evite os algarismos, ou mescle-os com o extenso, exemplo: “27 milhões de dólares foram investidos” e não: “U$ 27.000.000 foram investidos”.
  13. 13.  Timing: Linha digitada: 3 a 4 segundos; Página de folha A4 escrita em espaço duplo: 27 linhas, umas 270 palavras, cerca de um minuto e meio. O ideal é que haja conclusão no texto radiofônico. É uma boa ideia terminar referindo-se à mesma ideia do início, isso reforça o argumento;
  14. 14.  decida o que você quer dizer antes; faça uma lista das suas ideias numa ordem lógica; torne a abertura interessante e informativa; escreva para o ouvinte individualmente; visualize-o enquanto escreve; fale em voz alta o que você quer dizer, depois tome nota; use “sinalizadores” para explicar a estrutura da sua fala;
  15. 15.  crie imagens, conte histórias e apele para todos os sentidos; use a linguagem coloquial comum; escreva sentenças ou frases curtas; utilize a pontuação de modo a tornar a locução clara para o ouvinte; digite o roteiro em espaço de 1,5 ou duplo e com margens amplas e parágrafos nítidos; Quando estiver em dúvida, mantenha a simplicidade, a ideia é expressar, não impressionar.
  16. 16.  MCLEISH, Robert. Produção de rádio: um guia abrangente de produção radiofônica. São Paulo: Summus, 2001. VER  PRADO, Emílio. Estrutura da informação radiofônica. São Paulo: Summus, 2000.

×