SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
UNIP – UNIVERSIDADE PAULISTA
Ana Carolina Polo da Cruz Felício
Camila Cristina Pereira da Silva
Dea Dilma Dias Correa de Souza
Thabata Paganotti da Costa
Análise de Imagens
Semiótica Social Visual
São Paulo
2015
Ana Carolina Polo da Cruz Felício
Camila Cristina Pereira da Silva
Dea Dilma Dias Correa de Souza
Thabata Paganotti da Costa
Análise de Imagens
Semiótica Social Visual
Este trabalho tem como objetivo realizar a
análise de duas imagens, segundo a
semiótica social visual, para a disciplina de
Análise do Discurso Crítica, sob
orientações da profa. Dra. Joana Ormundo.
São Paulo
2015
ÍNDICE
Introdução .......................................................................................................... 4
Contato .............................................................................................................. 5
Distância social .................................................................................................. 6
Atitude .............................................................................................................. 10
Considerações finais ........................................................................................ 11
Referências bibliográficas ................................................................................ 12
4
INTRODUÇÃO
Segundo Carvalho (2013), a comunicação de significados não se
restringe apenas ao modo semiótico linguístico, mas também a outros modos
semióticos, como é o caso do modo semiótico visual. Segundo Pietroforte
(2015), o que diferencia esta das demais teorias semióticas, e também da
teoria geral do signo chamada Semiologia, é a ênfase dada, não mais nas
relações entre os signos, mas no processo de significação capaz de gerá-los.
Nesta pesquisa, vamos analisar duas imagens de um mesmo ator social,
Beto Richa, atual governador do estado do Paraná, oriundas de duas diferentes
fontes: o jornal O Globo e o jornal Gazeta do povo. A análise busca
compreender os dois textos escolhidos sob uma perspectiva multimodal. Dessa
forma, nossa linha de pesquisa procura encarar as formas de comunicação que
empregam imagens com a mesma importância dada às formas linguísticas, ou
seja, sem ignorar a multimodalidade dos textos.
O tópico “contato” apresenta características como vestuário, a
perspectiva do contato e possíveis representações, sob as diferentes práticas
discursivas dos leitores. O tópico “distância social” procura desvelar o tipo de
caráter social da interação, se pessoal ou impessoal, e pode ter várias
representações da realidade, dependendo das posições sociais dos leitores.
Também busca descrever os tipos de corte e enquadramento empregados nos
textos analisados. O tópico “atitude” apresenta o posicionamento da imagem e
a relação com o plano fotográfico, através da análise de questões como ângulo
e plano, envolvendo alguns conceitos de fotografia.
CONTATO
5
Na imagem analisada, da edição de O Globo, Beto Richa não estabelece
nenhum contato com o espectador. O governador tem o semblante preocupado
e passa a imagem de reflexão, com a mão fechada e no queixo. Ele aparenta
estrar sentado na poltrona de seu gabinete; ele está vestindo uma camisa
social branca e gravata, e por isso, nesse sentido, se distancia dos leitores.
Dessa forma, não promove nenhum tipo de alinhamento ou identificação entre
leitor e governador.
Na imagem analisada, do jornal Gazeta do Povo, Beto Richa está sob a
perspectiva da oferta. Seu olhar não está direcionado para o espectador, por
isso não cria nenhum tipo de contato. Contudo, sua expressão corporal passa a
imagem de aceitação e de chamamento, pois o mesmo está com a mão direita
para o alto acenando provavelmente para os eleitores da sua campanha para
reeleição. Beto Richa passa uma imagem descontraída, com uma camisa
quadriculada dobrada até o cotovelo e a expressão facial alegre. Essas
características são comprovadas pelos elementos submetidos à contemplação
do observador.
DISTÂNCIA SOCIAL
6
A distância social demonstra o caráter pessoal ou impessoal da
interação social mantida entre os participantes de uma imagem e está
diretamente relacionada ao enquadramento da imagem que apresenta as
diferenças de posições sociais entre os indivíduos e grupos. Existe pouca ou
nenhuma distância social entre pessoas com posições sociais semelhantes ou
idênticas. Ela tende a aumentar à medida que essas diferenças forem maiores
e mais numerosas.
Podemos compreender os sentidos interativos da distância social
através das escolhas que podem ser feitas e que sugerem relações diferentes
entre os participantes da imagem. Por meio de interações diárias,
determinamos a distância social das relações que mantemos com o outro e a
duração está diretamente ligada ao contexto. Nesse sentido, a imagem realiza
o distanciamento, podendo ir da relação mais íntima e pessoal ao mais distante
envolvimento. É através dos cortes que se fazem na imagem que podemos
determinar o nível de relação entre eles.
Para formatação dessa linguagem, são utilizados planos de corte
idênticos aos do cinema e estes enquadramentos sintetizam bem essa relação.
- Plano Fechado (close up) ou Primeiro Plano: inclui a cabeça e os
ombros do participante. Nesta forma de representação, os detalhes do rosto e
a expressão são capturados, possibilitando a identificação de traços da
personalidade e consequentemente a aproximação com o observador.
- Plano Médio (medium shot): apresenta a imagem até os joelhos da
pessoa e sugere certa relação de afinidade com o observador. A distância
social estabelecida é intermediária e configura os participantes como sendo
conhecidos, sem nenhum grau de intimidade.
- Plano Geral ou Plano Aberto (long shot): corresponde a uma
representação mais ampla e inclui todo o corpo do participante. O cenário é
visualizado. Neste plano, um caráter impessoal é atribuído e, com isso,
podemos notar um distanciamento entre os participantes da imagem
7
A imagem é responsável pela realização de papéis interativos e
determina graus de formalidade entre estes participantes da composição
imagética. Considerando a multissemiose contida nestes textos, analisaremos
a distância social em imagens editoriais e o sentido que elas desvelam quanto
ao caráter pessoal ou impessoal da interação social mantida entre os
participantes.
A primeira imagem é do jornal Gazeta do povo de 18/05/2015 e mostra o
governador Beto Richa em plano médio. Isso sugere uma distância social
intermediária e não mantém um grau de intimidade com os participantes da
imagem. Provavelmente, a imagem foi feita em época de campanha eleitoral e
representa um governador sorridente e estabelecendo um contato visual com
alguém que não aparece na imagem. O braço levantado sugere um
cumprimento. Os demais participantes da imagem foram retratados de costas e
parecem não participar da cena em questão. A relação de distanciamento
social não aparece tão caracterizada, pois a imagem sugere que são todos de
uma mesma classe social.
8
Beto Richa (PSDB), governador do Paraná (Foto: O Globo)
Nesta imagem recortada em plano fechado ou primeiro plano,
observamos o governador Beto Richa com semblante preocupado, cansado,
com olhar fixo provavelmente em um computador e sugere uma aproximação
com o leitor, no caso em que o jornal mostra uma denúncia de envolvimento do
governador com um esquema de corrupção na campanha para a reeleição.
Beto Richa (PSDB), governador do Paraná (Foto: Gazeta do Povo)
A primeira imagem foi publicada pelo jornal Gazeta, no dia 18/05, e a
outra imagem no jornal O Globo, no dia 18/05. A análise dessas imagens
sugere as intenções de cada jornal, com o recorte da imagem, e o
distanciamento social. O Globo aparenta aproximação com o leitor e
9
observador da imagem. O jornal Gazeta do Povo, quando utiliza uma imagem
em plano médio, estabelece uma relação social intermediária.
ATITUDE
Em relação à atitude, pode-se verificar que na imagem da Gazeta do
Povo, o governador do Paraná, Beto Richa, não se relaciona diretamente com
10
o plano do fotógrafo, uma vez que esse não direciona seus olhos à câmera,
mas sim a um público maior. Percebe-se ainda um dos princípios mais
conhecidos na composição fotográfica, a regra dos terços, presente nesta
imagem – o governador está estrategicamente posicionado no centro, tornando
a figura equilibrada. Ainda sobre o enquadramento, Beto Richa está no que se
considera o “meio primeiro plano”, que é justamente quando a imagem é
recortada da cintura para cima. Apesar da camisa, que indica formalidade,
pode-se notar que o governador está à vontade, num ambiente que nos
transmite informalidade. O aceno de mão e a direção dos seus olhos indicam
que está mantendo contato com alguém que não apareceu no plano
fotográfico. Uma última observação é a orientação horizontal da imagem, que
permite o enquadramento de outras pessoas ao redor do governador.
Quanto à imagem utilizada pelo O Globo, o governador notavelmente
está num outro contexto, visto pelos detalhes da cadeira, o uso da gravata, o
olhar direcionado para um ponto fixo, que diferentemente da imagem anterior,
não nos remete a um contato com outra pessoa e sim a concentração, a
atenção para algo distante – também acentuado com o gesto de mão. Como na
primeira imagem, Beto Richa não faz contato direto com o fotógrafo, contudo
podemos observar que nesta houve um tratamento fotográfico, uma vez que há
o desfoco no fundo da sala, trazendo a nossa atenção diretamente para o
governador. No que diz respeito ao enquadramento, considera-se também
“meio primeiro plano” e quanto a regra dos terços, a figura do governador está
igualmente no centro. A orientação da imagem é vertical, o que nos permite a
interpretação de que o único objetivo do fotógrafo era o de fotografá-lo.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Concluímos que todos os discursos são moldados por práticas sociais e
que os tipos de representações e interações sociais são produzidos através
dos elementos visuais presentes nos textos multimodais. A escolha desses
11
elementos vai depender dos interesses e das representações que o órgão
responsável sugere defender. Os moldes semióticos nunca permanecem os
mesmos, pois são moldados através dos seus usos culturais, históricos e
sociais, afim de realizar diferentes trabalhos comunicativos.
Dessa forma, sabemos que a Semiótica Visual contribui para o desvelar
de diversas características, aparentemente, encobertas. Características estas
que não poderiam ser identificadas por meio das teorias tradicionais, pois
baseiam-se apenas no modo semiótico verbal.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
PETROFORTE, Antonio Vicente. Semiótica visual: os percursos do olhar. São
Paulo: Contexto, 2015
12
ORMUNDO, Joana; WETTER, Walkyria. Práticas de linguagem na
globalização: introdução à análise de discurso crítica em uma perspectiva
transdisciplinar. São Paulo: Patuá, 2013.
CARVALHO, Flaviane Faria. Temas contemporâneos em semiótica visual.
Brasília: Cepadic, 2013. 93p.
Sites consultados em 15/05/2015:
http://www.primeirofilme.com.br/site/o-livro/enquadramentos-planos-e-angulos/
http://omeuolhar.com/artigos/que-regra-tercos
http://www.letramagna.com/artigo03_15.pdf
http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/nota-comprova-que-delator-
comprou-divisorias-para-o-comite-de-beto-richa-9lv4b7k41fkajmqm923x9sdbq
http://noblat.oglobo.globo.com/meus-textos/noticia/2015/05/beto-richa-um-
governador-acuado.html

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1
Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1
Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1PEDRO DAVID
 
Monografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de caso
Monografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de casoMonografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de caso
Monografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de casojacqueferreira
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Mauricio Mallet Duprat
 
O que é um logotipo regras de construção
O que é um logotipo  regras de construçãoO que é um logotipo  regras de construção
O que é um logotipo regras de construçãoPEDRO DAVID
 
O Poder da Persuasão
O Poder da PersuasãoO Poder da Persuasão
O Poder da PersuasãoAres_Bruno
 
Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens
Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e EmbalagensApresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens
Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagensdaniellert
 
SEMIOTICS OF BRAND BUILDING
SEMIOTICS OF BRAND BUILDINGSEMIOTICS OF BRAND BUILDING
SEMIOTICS OF BRAND BUILDINGSudio Sudarsan
 

Destaque (7)

Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1
Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1
Comunicação visual conceito,signos-v001-parte 1
 
Monografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de caso
Monografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de casoMonografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de caso
Monografia - Persuasão sob o olhar da semiótica: um estudo de caso
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
 
O que é um logotipo regras de construção
O que é um logotipo  regras de construçãoO que é um logotipo  regras de construção
O que é um logotipo regras de construção
 
O Poder da Persuasão
O Poder da PersuasãoO Poder da Persuasão
O Poder da Persuasão
 
Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens
Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e EmbalagensApresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens
Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens
 
SEMIOTICS OF BRAND BUILDING
SEMIOTICS OF BRAND BUILDINGSEMIOTICS OF BRAND BUILDING
SEMIOTICS OF BRAND BUILDING
 

Semelhante a Análise de imagens - Semiótica Social Visual

Aula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesa
Aula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesaAula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesa
Aula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesalucivalbarboatrindad
 
Sociedade Civil prod video - Part2
Sociedade Civil prod video - Part2Sociedade Civil prod video - Part2
Sociedade Civil prod video - Part2Nuno Granada
 
Apresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do Instagram
Apresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do InstagramApresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do Instagram
Apresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do InstagramMarcel Ayres
 
Metodologia de trabalho cqm
Metodologia de trabalho cqmMetodologia de trabalho cqm
Metodologia de trabalho cqmRP-Estudantil
 
TCC Curso de Serviço Social
TCC Curso de Serviço SocialTCC Curso de Serviço Social
TCC Curso de Serviço SocialNilton Silva
 
Ante-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no Brasil
Ante-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no BrasilAnte-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no Brasil
Ante-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no BrasilRafael Krambeck
 

Semelhante a Análise de imagens - Semiótica Social Visual (9)

G Design Visual.ppt
G Design Visual.pptG Design Visual.ppt
G Design Visual.ppt
 
Aula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesa
Aula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesaAula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesa
Aula_21.03._Preservao_das_ linguística portuguesa
 
Fotojotnalismo - Crises em BH
Fotojotnalismo - Crises em BHFotojotnalismo - Crises em BH
Fotojotnalismo - Crises em BH
 
Sociedade Civil prod video - Part2
Sociedade Civil prod video - Part2Sociedade Civil prod video - Part2
Sociedade Civil prod video - Part2
 
Análise visual de imagens inseridas nas matérias jornalísticas sobre SIDA
Análise visual de imagens inseridas nas matérias jornalísticas sobre SIDAAnálise visual de imagens inseridas nas matérias jornalísticas sobre SIDA
Análise visual de imagens inseridas nas matérias jornalísticas sobre SIDA
 
Apresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do Instagram
Apresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do InstagramApresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do Instagram
Apresentações de Si e Gerenciamento de Impressões em Lives do Instagram
 
Metodologia de trabalho cqm
Metodologia de trabalho cqmMetodologia de trabalho cqm
Metodologia de trabalho cqm
 
TCC Curso de Serviço Social
TCC Curso de Serviço SocialTCC Curso de Serviço Social
TCC Curso de Serviço Social
 
Ante-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no Brasil
Ante-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no BrasilAnte-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no Brasil
Ante-Sala da Presidência: a sucessão presidencial no Brasil
 

Mais de Ana Polo

Direct and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishDirect and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishAna Polo
 
Pós modernidade
Pós modernidadePós modernidade
Pós modernidadeAna Polo
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Ana Polo
 
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraLibertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraAna Polo
 
Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de MorfossintaxeAnálise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de MorfossintaxeAna Polo
 
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesPLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesAna Polo
 
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAnálise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAna Polo
 
Análise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAnálise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAna Polo
 
Análise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAnálise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAna Polo
 
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreTrabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreAna Polo
 
Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13Ana Polo
 
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoTrabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoAna Polo
 

Mais de Ana Polo (12)

Direct and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishDirect and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in English
 
Pós modernidade
Pós modernidadePós modernidade
Pós modernidade
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro"
 
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraLibertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
 
Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de MorfossintaxeAnálise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
 
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesPLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
 
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAnálise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
 
Análise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAnálise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um Apólogo
 
Análise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAnálise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de Fala
 
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreTrabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
 
Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13Trabalho Prática de Ensino Maio13
Trabalho Prática de Ensino Maio13
 
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoTrabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
 

Último

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 

Último (20)

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 

Análise de imagens - Semiótica Social Visual

  • 1. UNIP – UNIVERSIDADE PAULISTA Ana Carolina Polo da Cruz Felício Camila Cristina Pereira da Silva Dea Dilma Dias Correa de Souza Thabata Paganotti da Costa Análise de Imagens Semiótica Social Visual São Paulo 2015 Ana Carolina Polo da Cruz Felício
  • 2. Camila Cristina Pereira da Silva Dea Dilma Dias Correa de Souza Thabata Paganotti da Costa Análise de Imagens Semiótica Social Visual Este trabalho tem como objetivo realizar a análise de duas imagens, segundo a semiótica social visual, para a disciplina de Análise do Discurso Crítica, sob orientações da profa. Dra. Joana Ormundo. São Paulo 2015 ÍNDICE
  • 3. Introdução .......................................................................................................... 4 Contato .............................................................................................................. 5 Distância social .................................................................................................. 6 Atitude .............................................................................................................. 10 Considerações finais ........................................................................................ 11 Referências bibliográficas ................................................................................ 12
  • 4. 4 INTRODUÇÃO Segundo Carvalho (2013), a comunicação de significados não se restringe apenas ao modo semiótico linguístico, mas também a outros modos semióticos, como é o caso do modo semiótico visual. Segundo Pietroforte (2015), o que diferencia esta das demais teorias semióticas, e também da teoria geral do signo chamada Semiologia, é a ênfase dada, não mais nas relações entre os signos, mas no processo de significação capaz de gerá-los. Nesta pesquisa, vamos analisar duas imagens de um mesmo ator social, Beto Richa, atual governador do estado do Paraná, oriundas de duas diferentes fontes: o jornal O Globo e o jornal Gazeta do povo. A análise busca compreender os dois textos escolhidos sob uma perspectiva multimodal. Dessa forma, nossa linha de pesquisa procura encarar as formas de comunicação que empregam imagens com a mesma importância dada às formas linguísticas, ou seja, sem ignorar a multimodalidade dos textos. O tópico “contato” apresenta características como vestuário, a perspectiva do contato e possíveis representações, sob as diferentes práticas discursivas dos leitores. O tópico “distância social” procura desvelar o tipo de caráter social da interação, se pessoal ou impessoal, e pode ter várias representações da realidade, dependendo das posições sociais dos leitores. Também busca descrever os tipos de corte e enquadramento empregados nos textos analisados. O tópico “atitude” apresenta o posicionamento da imagem e a relação com o plano fotográfico, através da análise de questões como ângulo e plano, envolvendo alguns conceitos de fotografia. CONTATO
  • 5. 5 Na imagem analisada, da edição de O Globo, Beto Richa não estabelece nenhum contato com o espectador. O governador tem o semblante preocupado e passa a imagem de reflexão, com a mão fechada e no queixo. Ele aparenta estrar sentado na poltrona de seu gabinete; ele está vestindo uma camisa social branca e gravata, e por isso, nesse sentido, se distancia dos leitores. Dessa forma, não promove nenhum tipo de alinhamento ou identificação entre leitor e governador. Na imagem analisada, do jornal Gazeta do Povo, Beto Richa está sob a perspectiva da oferta. Seu olhar não está direcionado para o espectador, por isso não cria nenhum tipo de contato. Contudo, sua expressão corporal passa a imagem de aceitação e de chamamento, pois o mesmo está com a mão direita para o alto acenando provavelmente para os eleitores da sua campanha para reeleição. Beto Richa passa uma imagem descontraída, com uma camisa quadriculada dobrada até o cotovelo e a expressão facial alegre. Essas características são comprovadas pelos elementos submetidos à contemplação do observador. DISTÂNCIA SOCIAL
  • 6. 6 A distância social demonstra o caráter pessoal ou impessoal da interação social mantida entre os participantes de uma imagem e está diretamente relacionada ao enquadramento da imagem que apresenta as diferenças de posições sociais entre os indivíduos e grupos. Existe pouca ou nenhuma distância social entre pessoas com posições sociais semelhantes ou idênticas. Ela tende a aumentar à medida que essas diferenças forem maiores e mais numerosas. Podemos compreender os sentidos interativos da distância social através das escolhas que podem ser feitas e que sugerem relações diferentes entre os participantes da imagem. Por meio de interações diárias, determinamos a distância social das relações que mantemos com o outro e a duração está diretamente ligada ao contexto. Nesse sentido, a imagem realiza o distanciamento, podendo ir da relação mais íntima e pessoal ao mais distante envolvimento. É através dos cortes que se fazem na imagem que podemos determinar o nível de relação entre eles. Para formatação dessa linguagem, são utilizados planos de corte idênticos aos do cinema e estes enquadramentos sintetizam bem essa relação. - Plano Fechado (close up) ou Primeiro Plano: inclui a cabeça e os ombros do participante. Nesta forma de representação, os detalhes do rosto e a expressão são capturados, possibilitando a identificação de traços da personalidade e consequentemente a aproximação com o observador. - Plano Médio (medium shot): apresenta a imagem até os joelhos da pessoa e sugere certa relação de afinidade com o observador. A distância social estabelecida é intermediária e configura os participantes como sendo conhecidos, sem nenhum grau de intimidade. - Plano Geral ou Plano Aberto (long shot): corresponde a uma representação mais ampla e inclui todo o corpo do participante. O cenário é visualizado. Neste plano, um caráter impessoal é atribuído e, com isso, podemos notar um distanciamento entre os participantes da imagem
  • 7. 7 A imagem é responsável pela realização de papéis interativos e determina graus de formalidade entre estes participantes da composição imagética. Considerando a multissemiose contida nestes textos, analisaremos a distância social em imagens editoriais e o sentido que elas desvelam quanto ao caráter pessoal ou impessoal da interação social mantida entre os participantes. A primeira imagem é do jornal Gazeta do povo de 18/05/2015 e mostra o governador Beto Richa em plano médio. Isso sugere uma distância social intermediária e não mantém um grau de intimidade com os participantes da imagem. Provavelmente, a imagem foi feita em época de campanha eleitoral e representa um governador sorridente e estabelecendo um contato visual com alguém que não aparece na imagem. O braço levantado sugere um cumprimento. Os demais participantes da imagem foram retratados de costas e parecem não participar da cena em questão. A relação de distanciamento social não aparece tão caracterizada, pois a imagem sugere que são todos de uma mesma classe social.
  • 8. 8 Beto Richa (PSDB), governador do Paraná (Foto: O Globo) Nesta imagem recortada em plano fechado ou primeiro plano, observamos o governador Beto Richa com semblante preocupado, cansado, com olhar fixo provavelmente em um computador e sugere uma aproximação com o leitor, no caso em que o jornal mostra uma denúncia de envolvimento do governador com um esquema de corrupção na campanha para a reeleição. Beto Richa (PSDB), governador do Paraná (Foto: Gazeta do Povo) A primeira imagem foi publicada pelo jornal Gazeta, no dia 18/05, e a outra imagem no jornal O Globo, no dia 18/05. A análise dessas imagens sugere as intenções de cada jornal, com o recorte da imagem, e o distanciamento social. O Globo aparenta aproximação com o leitor e
  • 9. 9 observador da imagem. O jornal Gazeta do Povo, quando utiliza uma imagem em plano médio, estabelece uma relação social intermediária. ATITUDE Em relação à atitude, pode-se verificar que na imagem da Gazeta do Povo, o governador do Paraná, Beto Richa, não se relaciona diretamente com
  • 10. 10 o plano do fotógrafo, uma vez que esse não direciona seus olhos à câmera, mas sim a um público maior. Percebe-se ainda um dos princípios mais conhecidos na composição fotográfica, a regra dos terços, presente nesta imagem – o governador está estrategicamente posicionado no centro, tornando a figura equilibrada. Ainda sobre o enquadramento, Beto Richa está no que se considera o “meio primeiro plano”, que é justamente quando a imagem é recortada da cintura para cima. Apesar da camisa, que indica formalidade, pode-se notar que o governador está à vontade, num ambiente que nos transmite informalidade. O aceno de mão e a direção dos seus olhos indicam que está mantendo contato com alguém que não apareceu no plano fotográfico. Uma última observação é a orientação horizontal da imagem, que permite o enquadramento de outras pessoas ao redor do governador. Quanto à imagem utilizada pelo O Globo, o governador notavelmente está num outro contexto, visto pelos detalhes da cadeira, o uso da gravata, o olhar direcionado para um ponto fixo, que diferentemente da imagem anterior, não nos remete a um contato com outra pessoa e sim a concentração, a atenção para algo distante – também acentuado com o gesto de mão. Como na primeira imagem, Beto Richa não faz contato direto com o fotógrafo, contudo podemos observar que nesta houve um tratamento fotográfico, uma vez que há o desfoco no fundo da sala, trazendo a nossa atenção diretamente para o governador. No que diz respeito ao enquadramento, considera-se também “meio primeiro plano” e quanto a regra dos terços, a figura do governador está igualmente no centro. A orientação da imagem é vertical, o que nos permite a interpretação de que o único objetivo do fotógrafo era o de fotografá-lo. CONSIDERAÇÕES FINAIS Concluímos que todos os discursos são moldados por práticas sociais e que os tipos de representações e interações sociais são produzidos através dos elementos visuais presentes nos textos multimodais. A escolha desses
  • 11. 11 elementos vai depender dos interesses e das representações que o órgão responsável sugere defender. Os moldes semióticos nunca permanecem os mesmos, pois são moldados através dos seus usos culturais, históricos e sociais, afim de realizar diferentes trabalhos comunicativos. Dessa forma, sabemos que a Semiótica Visual contribui para o desvelar de diversas características, aparentemente, encobertas. Características estas que não poderiam ser identificadas por meio das teorias tradicionais, pois baseiam-se apenas no modo semiótico verbal. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PETROFORTE, Antonio Vicente. Semiótica visual: os percursos do olhar. São Paulo: Contexto, 2015
  • 12. 12 ORMUNDO, Joana; WETTER, Walkyria. Práticas de linguagem na globalização: introdução à análise de discurso crítica em uma perspectiva transdisciplinar. São Paulo: Patuá, 2013. CARVALHO, Flaviane Faria. Temas contemporâneos em semiótica visual. Brasília: Cepadic, 2013. 93p. Sites consultados em 15/05/2015: http://www.primeirofilme.com.br/site/o-livro/enquadramentos-planos-e-angulos/ http://omeuolhar.com/artigos/que-regra-tercos http://www.letramagna.com/artigo03_15.pdf http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/nota-comprova-que-delator- comprou-divisorias-para-o-comite-de-beto-richa-9lv4b7k41fkajmqm923x9sdbq http://noblat.oglobo.globo.com/meus-textos/noticia/2015/05/beto-richa-um- governador-acuado.html