SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Ana Carolina Polo da Cruz Felício
Andressa Paradiso
Déa Dilma Dias Corrêa de Souza
Fátima Cristiane M. da Silva
Janaíne Santana
Kaique da Silva Ferreira
Nelson Chanquini de Lima Filho
Rodrigo Uejo
Sônia Sara de Oliveira Gomes
ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTES
Universidade Paulista - UNIP
Vergueiro -2013
Ana Carolina Polo da Cruz Felício
Andressa Paradiso
Déa Dilma Dias Corrêa de Souza
Fátima Cristiane M. da Silva
Janaíne Santana
Kaique da Silva Ferreira
Nelson Chanquini de Lima Filho
Rodrigo Uejo
Sônia Sara de Oliveira Gomes
ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTES
Trabalho de atividade acadêmica com o intuito
de elaborar e desenvolver projetos educativos
alternativos dentro da escola a partir dos espaços
existentes no Centro Cultural São Paulo (Vergueiro).
Orientadora: Professora Sueli de Britto Salles
Universidade Paulista - UNIP
Vergueiro -2013
Sumário
Introdução..........................................................................................................................1
Capítulo 1..........................................................................................................................3
Capítulo 2..........................................................................................................................5
Considerações Finais.........................................................................................................8
Referências........................................................................................................................9
Introdução
A partir dos conhecimentos adquiridos em sala de aula, na disciplina de Prática de
Ensino orientada pela professora Sueli, nós, alunos do primeiro semestre de Letras,
desenvolvemos ideias e projetos para que futuramente sejam aplicados em escolas.
Nesse trabalho em questão, o objetivo é o de explorar e adaptar um espaço do Centro
Cultural de São Paulo para uma escola pública, salientando a sua relevância para a
educação e quais atitudes serão necessárias para sua realização.
Tendo em vista estes objetivos e levando-se em consideração que a escola não é apenas
um lugar para transpor conteúdo aos alunos, mas acima de tudo, um ambiente de
incentivo para explorar sua criatividade, espontaneidade, talentos, habilidades e o
convivo social – não apenas dentro dos muros escolares, mas também fora deles, -
optamos por desenvolver atividades diretamente relacionadas com as artes, criando uma
programação aberta a participação dos estudantes e também de sua comunidade, onde
esses teriam contato direto com: oficinas, esculturas, poemas, pinturas, fotografia,
teatro, música etc.
Com base nessa concepção, criamos uma inspiradora área de exposições, e
apresentações de todos os tipos, baseada no espaço visitado no Centro Cultural de São
Paulo, um ambiente aonde cada aluno tem a oportunidade de se expressar e mostrar aos
outros os seus talentos e gostos, sendo esses musicais, teatrais, literários, artísticos, entre
outros. Acima de tudo é um local aonde a liberdade de expressão toma conta
Levar uma atmosfera agradável às escolas públicas aproximará os estudantes dos
professores, criando um laço mútuo de respeito e de admiração. O que vai proporcionar
uma grande melhora na qualidade da educação, pois o ensino esta muito além das salas
de aulas. Através desse projeto, os alunos também poderão aprender as disciplinas
tradicionais, mas de uma forma muito mais leve e agradável, o que despertará em cada
um a vontade de aprender e conhecer, aquilo que antes não era interessante.
Além de incentivar constantemente a exploração de seus próprios talentos, habilidades,
conhecimentos de mundo e ainda desenvolver o convívio social dessas crianças e
jovens, esse lugar irá fazer com que eles aprendam a respeitar as diferenças, conhecer as
preferências dos outros e deixar para trás qualquer preconceito que tinham.
Em um primeiro momento, faremos uma exploração a respeito dessa área de exposições
que nos serviu de inspiração para o presente projeto, em seguida examinaremos como
tornar essa idéia em algo palpável no ambiente escolar público e, por último,
avaliaremos sua importância dentro da sociedade. A segunda parte desse trabalho é
destinada a uma conclusão geral sobre a pesquisa realizada.
Capítulo 1
ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTES
Após aproximadamente duas horas de visita aos espaços públicos do Centro Cultural
São Paulo em busca de uma ideia para o projeto “Espaços educativos alternativos” da
disciplina de Práticas de Ensino, observamos que parte do centro cultural realiza
exposições de obras de arte e para o mês de maio a programação está recheada de
esculturas, pinturas, poemas, artes visuais, fotografias etc. Num indeterminado
momento em que nos deixávamos admirar pela exposição, veio a inspiração.
Nossa proposta é de levar à escola pública uma exposição, já nomeada de “Espaço de
Convivência de Artes”.
A princípio, os professores levarão os alunos para conhecer uma determinada
exposição. Em seguida, em sala de aula, os alunos deverão relatar o que viram, o que
mais gostaram, se não gostaram de alguma coisa e justificar num relatório.
Terminada a atividade, os professores farão aos alunos o convite para que seja
elaborado na escola durante todo o semestre uma exposição, e nesta, os protagonistas
serão os professores e principalmente, os alunos. A atividade valerá dois pontos para
cada disciplina e será exposta ao público (pais, amigos, comunidade e familiares) no
final do semestre letivo. Os alunos serão incentivados a convidar os pais a participarem
e desenvolverem alguma atividade que será ser exposta.
Os professores terão o desafio de nortear e auxiliar os alunos quanto ao
desenvolvimento das obras e ao conteúdo artístico apresentado. Como base será
sugerido desenho, escultura, pintura, música, dança, teatro, literatura, fotografia e
artesanato. Entretanto, os alunos terão liberdade total para criar, ou seja, caso surjam
ideias com possibilidade de serem aplicadas, serão aceitas. Os alunos também serão
incentivados a trabalhar com o lixo reciclável coletado em suas casas e na própria
escola.
O espaço utilizado será toda a área pública da escola, exemplos: salas de aula, pátio,
palco, biblioteca, quadra e laboratório.
O projeto consiste em tornar e mostrar que a escola pode e deve ser um ambiente livre e
democrático com total liberdade para expressão do pensamento, desde que o conteúdo
não agrida ou tenha cunho discriminatório perante a cor, o sexo, a orientação sexual, aos
portadores de patologias não contagiosas e etnias. Além disso, há a intenção de
estimular a criatividade, descobrir talentos, aptidões e mostrar aos alunos que qualquer
pessoa possui a capacidade ilimitada de criar. Por fim, e não menos importante,
envolver pais, alunos e o entorno da escola com o propósito de aumentar a convivência
em sociedade e mostrar-lhes que sempre é possível aprender com o outro.
Capítulo 2
Em nossa visita ao centro cultural, o grupo explorou as diversas áreas do local e dentre
elas escolhemos a área de exposições como parte principal do projeto.
Assim como no espaço que temos no centro (composto por grandes murais brancos),
disporíamos um local desse tipo no ambiente escolar. Os painéis serviriam para ilustrar
de maneira palpável a expressão de cada um dos alunos, por intermédio de mensagens
que poderiam ser deixadas nesse espaço, grafite, desenhos, exposições de arte, tudo isso
acompanhado por um orientador para os alunos. Ali seria o espaço democrático para
que todos pudessem expressar a sua arte.
O ambiente seria elaborado pelos próprios alunos, sob a orientação do professor e com a
participação de todos. O projeto para a criação dos painéis usaria de madeira
reaproveitada, contando com a ajuda de alguém que tenha maior habilidade em
marcenaria.
Sendo pintados de branco junto aos alunos. Mesmo a criação do espaço seria tida como
um evento, no qual seriam desenvolvidas oficinas de artesanato, de confecção de
moveis com materiais descartados pela população.
Os alunos colaborariam:
 Na divulgação do evento;
 Convidado aos pais e amigos para participarem da criação desse espaço que
seria de utilidade para todos;
 Sugerindo que fossem doados a escolas os materiais recicláveis que ajudariam
na criação do ambiente;
 Participando da separação e recebimento de materiais;
 Fazendo parte das oficinas de criações de objetos/moveis recicláveis.
Criações com base em materiais recicláveis:
 Pneus como floreiras;
 Pufs e banquinhos com garrafas pet;
 Prateleiras de livros feitas de caixotes de feira;
 Prateleiras de livros, com escada descartada;
 Restauração de moveis descartados, entre outros.
Nosso projeto envolve não só a escola, mas também os pais dos alunos, e a comunidade,
despertando assim o dom artístico de cada um, mostrando que todos são livres para criar
e recriar no próprio ambiente escolar, passando outra visão do que representa a escola
para a sociedade, até mesmo aos alunos que pensam ser este um ambiente monótono e
sem graça.
Pensando em levar a arte ao ambiente escolar. Neste espaço será apresentados aos
alunos todas as formas de expressão e artes dos mais diferenciados tipos, com
apresentações de teatro envolvidas com a literatura, a criação de jogos, espaço com
revistas, gibis, livros materiais bem diversos que atraiam o interesse dos alunos, e que
podem ser doados pela comunidade, música, lugar para apresentações dos alunos sem
distinção de ritmos, desenhos, pintura, um lugar para apresentações dos alunos sem
distinção de ritmos, desenhos, pintura, um lugar onde todos possam se expressar, direito
este garantido por lei.
A ideia central é que os alunos tenham prazer em produzir arte e se expressar. No
começo pode haver certo desinteresse, mas, conforme as apresentações forem
acontecendo os alunos vão se envolvendo no projeto.
O importante é não deixar o espaço abandonado. Durante o ano letivo é importante estar
sempre convocando os professores para envolverem os alunos na manutenção deste
espaço.
Considerações Finais
Todo o aluno tem como direito, expressar-se da maneira em que bem entender. É nesse
pensamento que se dá em conta a utilização da parede em branco, para o aluno poder ali
colocar o que “tem na cabeça”.
A ideia de se aproveitar o que é reciclável tem como intuito mostrar ao aluno que ele
pode aproveitar ao máximo tudo o que tem, colaborando com o meio ambiente e
fazendo sua parte por um futuro melhor.
É uma das funções sociais da escola aproximar o pai do filho e levar seus alunos a
desenvolverem seu senso critico. Aproximar a comunidade local e os pais dos trabalhos
desenvolvidos pelo aluno.
“Devemos ter cuidado, pois estaremos preparando novos cidadãos que governaram e
comandarão um futuro. Devemos plantar, para que haja a esperança de uma colheita
forte”.
Referências
Site consultado: http://curiosidadesnanet.com/ consultado no dia 24/05/13 às 15h20min.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo ArteProjeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo ArteLene Reis
 
Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3
Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3
Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3Suzy Nobre
 
Atps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreaçãoAtps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreaçãoleticiamenezesmota
 
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na EscolaPrinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na EscolaSeduc MT
 
Exposição de pintura em telas com giz de cera. PRINART
Exposição de pintura em telas com giz de cera. PRINARTExposição de pintura em telas com giz de cera. PRINART
Exposição de pintura em telas com giz de cera. PRINARTSeduc MT
 
Aula de pintura pdf
Aula de pintura pdfAula de pintura pdf
Aula de pintura pdfAmanda Depp
 
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...Vis-UAB
 
Atividade 7 eproinfo
Atividade 7 eproinfoAtividade 7 eproinfo
Atividade 7 eproinfotininha
 
Projeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo solProjeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo solJúlia Gama
 
Biblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escolaBiblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escolaGisele Lima
 
Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar   arte e educaçãoProjeto interdisciplinar   arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãolina1974
 
Projeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aula
Projeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aulaProjeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aula
Projeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aulaMaria Cecilia Silva
 
Biblioteca do CAp/UFRJ 2015 - Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ 2015 -  Integração com o processo pedagógico da escolaBiblioteca do CAp/UFRJ 2015 -  Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ 2015 - Integração com o processo pedagógico da escolaGisele Lima
 
EMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação Cidadã
EMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação CidadãEMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação Cidadã
EMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação CidadãAlexandre da Rosa
 
Concurso um mapa de ideias regulamento
Concurso um mapa de ideias   regulamentoConcurso um mapa de ideias   regulamento
Concurso um mapa de ideias regulamentoFilomena Claudino
 
Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...
Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...
Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...Ana Beatriz Cargnin
 
Projeto mosaicos 2011 profª silvana
Projeto mosaicos 2011 profª silvanaProjeto mosaicos 2011 profª silvana
Projeto mosaicos 2011 profª silvanaSilvana Morais
 

Mais procurados (20)

Projeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo ArteProjeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo Arte
 
Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3
Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3
Estágio Supervisionado em Artes Visuais-3
 
Atps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreaçãoAtps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreação
 
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na EscolaPrinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
 
Exposição de pintura em telas com giz de cera. PRINART
Exposição de pintura em telas com giz de cera. PRINARTExposição de pintura em telas com giz de cera. PRINART
Exposição de pintura em telas com giz de cera. PRINART
 
Apresentacao 1 a
Apresentacao 1 aApresentacao 1 a
Apresentacao 1 a
 
Aula de pintura pdf
Aula de pintura pdfAula de pintura pdf
Aula de pintura pdf
 
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
TÉCNICAS DE PINTURAS: USOS E POSSIBILIDADES EM AULAS DE ARTES, NO ENSINO FUND...
 
Atividade 7 eproinfo
Atividade 7 eproinfoAtividade 7 eproinfo
Atividade 7 eproinfo
 
Projeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo solProjeto interdisciplinar artes grupo sol
Projeto interdisciplinar artes grupo sol
 
Agenda maio
Agenda maioAgenda maio
Agenda maio
 
Biblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escolaBiblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ - Integração com o processo pedagógico da escola
 
Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar   arte e educaçãoProjeto interdisciplinar   arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educação
 
Projeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aula
Projeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aulaProjeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aula
Projeto poemas em festa - Gêneros textuais na sala de aula
 
Biblioteca do CAp/UFRJ 2015 - Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ 2015 -  Integração com o processo pedagógico da escolaBiblioteca do CAp/UFRJ 2015 -  Integração com o processo pedagógico da escola
Biblioteca do CAp/UFRJ 2015 - Integração com o processo pedagógico da escola
 
EMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação Cidadã
EMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação CidadãEMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação Cidadã
EMEF Erna Würth - Apresentação EJA Educação Cidadã
 
Concurso um mapa de ideias regulamento
Concurso um mapa de ideias   regulamentoConcurso um mapa de ideias   regulamento
Concurso um mapa de ideias regulamento
 
Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...
Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...
Plano de aula 1: Pinturas que Contam Histórias I: Arte Rupestre, Arte Egípcia...
 
Projeto mosaicos 2011 profª silvana
Projeto mosaicos 2011 profª silvanaProjeto mosaicos 2011 profª silvana
Projeto mosaicos 2011 profª silvana
 
Projeto Acróstico
 Projeto Acróstico Projeto Acróstico
Projeto Acróstico
 

Destaque

Análise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAnálise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAna Polo
 
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraLibertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraAna Polo
 
Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de MorfossintaxeAnálise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de MorfossintaxeAna Polo
 
Process Storytelling - New York Business Process Professionals Meetup
Process Storytelling - New York Business Process Professionals MeetupProcess Storytelling - New York Business Process Professionals Meetup
Process Storytelling - New York Business Process Professionals MeetupSamuel Chin, PMP, CSM
 
Ch 3.2 invest 2
Ch 3.2 invest 2Ch 3.2 invest 2
Ch 3.2 invest 2hgraffam
 
PC Blindado Antivírus
PC Blindado AntivírusPC Blindado Antivírus
PC Blindado AntivírusPCBlindado
 
ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...
ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...
ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...Meenarat Bunkanha
 
Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015
Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015
Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015Youssef Jwakech
 
การออกแบบสิ่งแวดล้อม การเรียนรู้บนเครือข่าย
การออกแบบสิ่งแวดล้อมการเรียนรู้บนเครือข่ายการออกแบบสิ่งแวดล้อมการเรียนรู้บนเครือข่าย
การออกแบบสิ่งแวดล้อม การเรียนรู้บนเครือข่ายmutto kung
 
Go под капотом
Go под капотомGo под капотом
Go под капотомIdris Djumanov
 
Analizando Mi Vida
Analizando Mi VidaAnalizando Mi Vida
Analizando Mi VidaJess Buretti
 
Code of conduct for public services
Code of conduct for public servicesCode of conduct for public services
Code of conduct for public servicesOleg Lagodiyenko
 
Existing situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in Ukraine
Existing situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in UkraineExisting situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in Ukraine
Existing situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in UkraineAlexey Yankovski
 
Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...
Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...
Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...Samuel Chin, PMP, CSM
 
Você me leva ao deserto ministerio zoe
Você me leva ao deserto ministerio zoeVocê me leva ao deserto ministerio zoe
Você me leva ao deserto ministerio zoeMylena Vasconcelos
 

Destaque (20)

Análise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de FalaAnálise das categorias de Atos de Fala
Análise das categorias de Atos de Fala
 
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel BandeiraLibertação em "Poética", de Manuel Bandeira
Libertação em "Poética", de Manuel Bandeira
 
Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de MorfossintaxeAnálise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
Análise da Revista Tititi para a disciplina de Morfossintaxe
 
Process Storytelling - New York Business Process Professionals Meetup
Process Storytelling - New York Business Process Professionals MeetupProcess Storytelling - New York Business Process Professionals Meetup
Process Storytelling - New York Business Process Professionals Meetup
 
Ch 3.2 invest 2
Ch 3.2 invest 2Ch 3.2 invest 2
Ch 3.2 invest 2
 
PC Blindado Antivírus
PC Blindado AntivírusPC Blindado Antivírus
PC Blindado Antivírus
 
ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...
ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...
ภารกิจที่ 1 ความหมายของการเรียนรู้บนเครือข่าย พัฒนาการ และเทคโนโลยีการเรียนรู...
 
Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015
Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015
Présentation catalogue L&E Cosmétiques 2015
 
การออกแบบสิ่งแวดล้อม การเรียนรู้บนเครือข่าย
การออกแบบสิ่งแวดล้อมการเรียนรู้บนเครือข่ายการออกแบบสิ่งแวดล้อมการเรียนรู้บนเครือข่าย
การออกแบบสิ่งแวดล้อม การเรียนรู้บนเครือข่าย
 
Protocolo
ProtocoloProtocolo
Protocolo
 
Go под капотом
Go под капотомGo под капотом
Go под капотом
 
Analizando Mi Vida
Analizando Mi VidaAnalizando Mi Vida
Analizando Mi Vida
 
Ch1-Operating System Concept
Ch1-Operating System ConceptCh1-Operating System Concept
Ch1-Operating System Concept
 
Code of conduct for public services
Code of conduct for public servicesCode of conduct for public services
Code of conduct for public services
 
Existing situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in Ukraine
Existing situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in UkraineExisting situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in Ukraine
Existing situation and proposed solutions to improve Cybersecurity in Ukraine
 
Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...
Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...
Process Improvement for Operations vs Projects - What's the Difference? (NYBP...
 
Informe practicas i de Ingenieria Civil
Informe practicas i de Ingenieria CivilInforme practicas i de Ingenieria Civil
Informe practicas i de Ingenieria Civil
 
Merger and analysis ppt
Merger and analysis pptMerger and analysis ppt
Merger and analysis ppt
 
Você me leva ao deserto ministerio zoe
Você me leva ao deserto ministerio zoeVocê me leva ao deserto ministerio zoe
Você me leva ao deserto ministerio zoe
 
Pagkilala sa sumulat ng Noli Me Tangere
Pagkilala sa sumulat ng Noli Me TangerePagkilala sa sumulat ng Noli Me Tangere
Pagkilala sa sumulat ng Noli Me Tangere
 

Semelhante a Espaço de Arte na Escola Pública

Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoProjeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoRaquel Barboza
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºARose Silva
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaRose Silva
 
Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013
Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013
Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013pibiduergsmontenegro
 
ARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
ARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTALARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
ARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTALProfessorPrincipiante
 
A formação de professores em arte
A formação de professores em arteA formação de professores em arte
A formação de professores em arteRomulo Coco
 
O ensino-da arte na educacao infantil
O ensino-da arte na educacao infantilO ensino-da arte na educacao infantil
O ensino-da arte na educacao infantilerlonmoreira
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesJúlia Gama
 
Plano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino MédioPlano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino MédioGliciane S. Aragão
 
2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatriz
2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatriz2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatriz
2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatrizPIBIDSolondeLucena
 
Resenha de orientações
Resenha de orientaçõesResenha de orientações
Resenha de orientaçõesisacsantos02
 
ORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTESORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTESJayme Sousa
 
Jornal de Filosofia - Edição Especial
Jornal de Filosofia - Edição EspecialJornal de Filosofia - Edição Especial
Jornal de Filosofia - Edição EspecialAnaKlein1
 
Artes recreação e criatividade
Artes recreação e criatividadeArtes recreação e criatividade
Artes recreação e criatividadejugegi
 
ReflexãO CríTica Didatica Evt
ReflexãO CríTica Didatica EvtReflexãO CríTica Didatica Evt
ReflexãO CríTica Didatica EvtAlfredo Lopes
 

Semelhante a Espaço de Arte na Escola Pública (20)

Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoProjeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educação
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
 
Projetos ensino religioso semeduc
Projetos ensino religioso semeducProjetos ensino religioso semeduc
Projetos ensino religioso semeduc
 
Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013
Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013
Pauta da reuniao de 28 de maio de 2013
 
ARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
ARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTALARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
ARTE CONTEMPORÂNEA, EXPERIÊNCIAS DE ACUMULAÇÃO NO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
 
A formação de professores em arte
A formação de professores em arteA formação de professores em arte
A formação de professores em arte
 
Grafitrovar
GrafitrovarGrafitrovar
Grafitrovar
 
Projeto de arte
Projeto de arteProjeto de arte
Projeto de arte
 
O ensino-da arte na educacao infantil
O ensino-da arte na educacao infantilO ensino-da arte na educacao infantil
O ensino-da arte na educacao infantil
 
Atps artes, criatividade e recreaçao
Atps artes, criatividade e recreaçaoAtps artes, criatividade e recreaçao
Atps artes, criatividade e recreaçao
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artes
 
Plano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino MédioPlano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino Médio
 
2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatriz
2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatriz2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatriz
2 d-plano-de-aula-2-d.-04.09-beatriz
 
Resenha de orientações
Resenha de orientaçõesResenha de orientações
Resenha de orientações
 
ORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTESORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTES
 
Jornal de Filosofia - Edição Especial
Jornal de Filosofia - Edição EspecialJornal de Filosofia - Edição Especial
Jornal de Filosofia - Edição Especial
 
Artes recreação e criatividade
Artes recreação e criatividadeArtes recreação e criatividade
Artes recreação e criatividade
 
Projeto muralismo
Projeto muralismoProjeto muralismo
Projeto muralismo
 
ReflexãO CríTica Didatica Evt
ReflexãO CríTica Didatica EvtReflexãO CríTica Didatica Evt
ReflexãO CríTica Didatica Evt
 

Mais de Ana Polo

Direct and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishDirect and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishAna Polo
 
Pós modernidade
Pós modernidadePós modernidade
Pós modernidadeAna Polo
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Ana Polo
 
Análise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social VisualAnálise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social VisualAna Polo
 
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesPLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesAna Polo
 
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAnálise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAna Polo
 
Análise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAnálise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAna Polo
 
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreTrabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreAna Polo
 
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoTrabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoAna Polo
 

Mais de Ana Polo (9)

Direct and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in EnglishDirect and indirect speech through Literature in English
Direct and indirect speech through Literature in English
 
Pós modernidade
Pós modernidadePós modernidade
Pós modernidade
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro"
 
Análise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social VisualAnálise de imagens - Semiótica Social Visual
Análise de imagens - Semiótica Social Visual
 
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/ArtesPLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
PLANO DE AULA Fome Come LP/Artes
 
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneoAnálise literária: poema português x poema contemporâneo
Análise literária: poema português x poema contemporâneo
 
Análise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um ApólogoAnálise do conto Um Apólogo
Análise do conto Um Apólogo
 
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo SemestreTrabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
Trabalho de Análise Literária - Teoria Literária - Segundo Semestre
 
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do TextoTrabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
Trabalho de Análise da Conversação - Teorias do Texto
 

Espaço de Arte na Escola Pública

  • 1. Ana Carolina Polo da Cruz Felício Andressa Paradiso Déa Dilma Dias Corrêa de Souza Fátima Cristiane M. da Silva Janaíne Santana Kaique da Silva Ferreira Nelson Chanquini de Lima Filho Rodrigo Uejo Sônia Sara de Oliveira Gomes ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTES Universidade Paulista - UNIP Vergueiro -2013
  • 2. Ana Carolina Polo da Cruz Felício Andressa Paradiso Déa Dilma Dias Corrêa de Souza Fátima Cristiane M. da Silva Janaíne Santana Kaique da Silva Ferreira Nelson Chanquini de Lima Filho Rodrigo Uejo Sônia Sara de Oliveira Gomes ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTES Trabalho de atividade acadêmica com o intuito de elaborar e desenvolver projetos educativos alternativos dentro da escola a partir dos espaços existentes no Centro Cultural São Paulo (Vergueiro). Orientadora: Professora Sueli de Britto Salles Universidade Paulista - UNIP Vergueiro -2013
  • 4. Introdução A partir dos conhecimentos adquiridos em sala de aula, na disciplina de Prática de Ensino orientada pela professora Sueli, nós, alunos do primeiro semestre de Letras, desenvolvemos ideias e projetos para que futuramente sejam aplicados em escolas. Nesse trabalho em questão, o objetivo é o de explorar e adaptar um espaço do Centro Cultural de São Paulo para uma escola pública, salientando a sua relevância para a educação e quais atitudes serão necessárias para sua realização. Tendo em vista estes objetivos e levando-se em consideração que a escola não é apenas um lugar para transpor conteúdo aos alunos, mas acima de tudo, um ambiente de incentivo para explorar sua criatividade, espontaneidade, talentos, habilidades e o convivo social – não apenas dentro dos muros escolares, mas também fora deles, - optamos por desenvolver atividades diretamente relacionadas com as artes, criando uma programação aberta a participação dos estudantes e também de sua comunidade, onde esses teriam contato direto com: oficinas, esculturas, poemas, pinturas, fotografia, teatro, música etc. Com base nessa concepção, criamos uma inspiradora área de exposições, e apresentações de todos os tipos, baseada no espaço visitado no Centro Cultural de São Paulo, um ambiente aonde cada aluno tem a oportunidade de se expressar e mostrar aos outros os seus talentos e gostos, sendo esses musicais, teatrais, literários, artísticos, entre outros. Acima de tudo é um local aonde a liberdade de expressão toma conta Levar uma atmosfera agradável às escolas públicas aproximará os estudantes dos professores, criando um laço mútuo de respeito e de admiração. O que vai proporcionar uma grande melhora na qualidade da educação, pois o ensino esta muito além das salas de aulas. Através desse projeto, os alunos também poderão aprender as disciplinas tradicionais, mas de uma forma muito mais leve e agradável, o que despertará em cada um a vontade de aprender e conhecer, aquilo que antes não era interessante. Além de incentivar constantemente a exploração de seus próprios talentos, habilidades, conhecimentos de mundo e ainda desenvolver o convívio social dessas crianças e jovens, esse lugar irá fazer com que eles aprendam a respeitar as diferenças, conhecer as preferências dos outros e deixar para trás qualquer preconceito que tinham.
  • 5. Em um primeiro momento, faremos uma exploração a respeito dessa área de exposições que nos serviu de inspiração para o presente projeto, em seguida examinaremos como tornar essa idéia em algo palpável no ambiente escolar público e, por último, avaliaremos sua importância dentro da sociedade. A segunda parte desse trabalho é destinada a uma conclusão geral sobre a pesquisa realizada.
  • 6. Capítulo 1 ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTES Após aproximadamente duas horas de visita aos espaços públicos do Centro Cultural São Paulo em busca de uma ideia para o projeto “Espaços educativos alternativos” da disciplina de Práticas de Ensino, observamos que parte do centro cultural realiza exposições de obras de arte e para o mês de maio a programação está recheada de esculturas, pinturas, poemas, artes visuais, fotografias etc. Num indeterminado momento em que nos deixávamos admirar pela exposição, veio a inspiração. Nossa proposta é de levar à escola pública uma exposição, já nomeada de “Espaço de Convivência de Artes”. A princípio, os professores levarão os alunos para conhecer uma determinada exposição. Em seguida, em sala de aula, os alunos deverão relatar o que viram, o que mais gostaram, se não gostaram de alguma coisa e justificar num relatório. Terminada a atividade, os professores farão aos alunos o convite para que seja elaborado na escola durante todo o semestre uma exposição, e nesta, os protagonistas serão os professores e principalmente, os alunos. A atividade valerá dois pontos para cada disciplina e será exposta ao público (pais, amigos, comunidade e familiares) no final do semestre letivo. Os alunos serão incentivados a convidar os pais a participarem e desenvolverem alguma atividade que será ser exposta. Os professores terão o desafio de nortear e auxiliar os alunos quanto ao desenvolvimento das obras e ao conteúdo artístico apresentado. Como base será sugerido desenho, escultura, pintura, música, dança, teatro, literatura, fotografia e artesanato. Entretanto, os alunos terão liberdade total para criar, ou seja, caso surjam ideias com possibilidade de serem aplicadas, serão aceitas. Os alunos também serão incentivados a trabalhar com o lixo reciclável coletado em suas casas e na própria escola. O espaço utilizado será toda a área pública da escola, exemplos: salas de aula, pátio, palco, biblioteca, quadra e laboratório.
  • 7. O projeto consiste em tornar e mostrar que a escola pode e deve ser um ambiente livre e democrático com total liberdade para expressão do pensamento, desde que o conteúdo não agrida ou tenha cunho discriminatório perante a cor, o sexo, a orientação sexual, aos portadores de patologias não contagiosas e etnias. Além disso, há a intenção de estimular a criatividade, descobrir talentos, aptidões e mostrar aos alunos que qualquer pessoa possui a capacidade ilimitada de criar. Por fim, e não menos importante, envolver pais, alunos e o entorno da escola com o propósito de aumentar a convivência em sociedade e mostrar-lhes que sempre é possível aprender com o outro.
  • 8. Capítulo 2 Em nossa visita ao centro cultural, o grupo explorou as diversas áreas do local e dentre elas escolhemos a área de exposições como parte principal do projeto. Assim como no espaço que temos no centro (composto por grandes murais brancos), disporíamos um local desse tipo no ambiente escolar. Os painéis serviriam para ilustrar de maneira palpável a expressão de cada um dos alunos, por intermédio de mensagens que poderiam ser deixadas nesse espaço, grafite, desenhos, exposições de arte, tudo isso acompanhado por um orientador para os alunos. Ali seria o espaço democrático para que todos pudessem expressar a sua arte. O ambiente seria elaborado pelos próprios alunos, sob a orientação do professor e com a participação de todos. O projeto para a criação dos painéis usaria de madeira reaproveitada, contando com a ajuda de alguém que tenha maior habilidade em marcenaria. Sendo pintados de branco junto aos alunos. Mesmo a criação do espaço seria tida como um evento, no qual seriam desenvolvidas oficinas de artesanato, de confecção de moveis com materiais descartados pela população. Os alunos colaborariam:  Na divulgação do evento;  Convidado aos pais e amigos para participarem da criação desse espaço que seria de utilidade para todos;  Sugerindo que fossem doados a escolas os materiais recicláveis que ajudariam na criação do ambiente;  Participando da separação e recebimento de materiais;  Fazendo parte das oficinas de criações de objetos/moveis recicláveis. Criações com base em materiais recicláveis:  Pneus como floreiras;
  • 9.  Pufs e banquinhos com garrafas pet;  Prateleiras de livros feitas de caixotes de feira;  Prateleiras de livros, com escada descartada;  Restauração de moveis descartados, entre outros. Nosso projeto envolve não só a escola, mas também os pais dos alunos, e a comunidade, despertando assim o dom artístico de cada um, mostrando que todos são livres para criar e recriar no próprio ambiente escolar, passando outra visão do que representa a escola para a sociedade, até mesmo aos alunos que pensam ser este um ambiente monótono e sem graça. Pensando em levar a arte ao ambiente escolar. Neste espaço será apresentados aos alunos todas as formas de expressão e artes dos mais diferenciados tipos, com apresentações de teatro envolvidas com a literatura, a criação de jogos, espaço com revistas, gibis, livros materiais bem diversos que atraiam o interesse dos alunos, e que podem ser doados pela comunidade, música, lugar para apresentações dos alunos sem distinção de ritmos, desenhos, pintura, um lugar para apresentações dos alunos sem
  • 10. distinção de ritmos, desenhos, pintura, um lugar onde todos possam se expressar, direito este garantido por lei. A ideia central é que os alunos tenham prazer em produzir arte e se expressar. No começo pode haver certo desinteresse, mas, conforme as apresentações forem acontecendo os alunos vão se envolvendo no projeto. O importante é não deixar o espaço abandonado. Durante o ano letivo é importante estar sempre convocando os professores para envolverem os alunos na manutenção deste espaço.
  • 11. Considerações Finais Todo o aluno tem como direito, expressar-se da maneira em que bem entender. É nesse pensamento que se dá em conta a utilização da parede em branco, para o aluno poder ali colocar o que “tem na cabeça”. A ideia de se aproveitar o que é reciclável tem como intuito mostrar ao aluno que ele pode aproveitar ao máximo tudo o que tem, colaborando com o meio ambiente e fazendo sua parte por um futuro melhor. É uma das funções sociais da escola aproximar o pai do filho e levar seus alunos a desenvolverem seu senso critico. Aproximar a comunidade local e os pais dos trabalhos desenvolvidos pelo aluno. “Devemos ter cuidado, pois estaremos preparando novos cidadãos que governaram e comandarão um futuro. Devemos plantar, para que haja a esperança de uma colheita forte”.
  • 12. Referências Site consultado: http://curiosidadesnanet.com/ consultado no dia 24/05/13 às 15h20min.