Trabalho Prática de Ensino Maio13

577 visualizações

Publicada em

Trab

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
577
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
365
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho Prática de Ensino Maio13

  1. 1. Ana Carolina Polo da Cruz FelícioAndressa ParadisoDéa Dilma Dias Corrêa de SouzaFátima Cristiane M. da SilvaJanaíne SantanaKaique da Silva FerreiraNelson Chanquini de Lima FilhoRodrigo UejoSônia Sara de Oliveira GomesESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTESUniversidade Paulista - UNIPVergueiro -2013
  2. 2. Ana Carolina Polo da Cruz FelícioAndressa ParadisoDéa Dilma Dias Corrêa de SouzaFátima Cristiane M. da SilvaJanaíne SantanaKaique da Silva FerreiraNelson Chanquini de Lima FilhoRodrigo UejoSônia Sara de Oliveira GomesESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTESTrabalho de atividade acadêmica com o intuitode elaborar e desenvolver projetos educativosalternativos dentro da escola a partir dos espaçosexistentes no Centro Cultural São Paulo (Vergueiro).Orientadora: Professora Sueli de Britto SallesUniversidade Paulista - UNIPVergueiro -2013
  3. 3. SumárioIntrodução..........................................................................................................................1Capítulo 1..........................................................................................................................3Capítulo 2..........................................................................................................................5Considerações Finais.........................................................................................................8Referências........................................................................................................................9
  4. 4. IntroduçãoA partir dos conhecimentos adquiridos em sala de aula, na disciplina de Prática deEnsino orientada pela professora Sueli, nós, alunos do primeiro semestre de Letras,desenvolvemos ideias e projetos para que futuramente sejam aplicados em escolas.Nesse trabalho em questão, o objetivo é o de explorar e adaptar um espaço do CentroCultural de São Paulo para uma escola pública, salientando a sua relevância para aeducação e quais atitudes serão necessárias para sua realização.Tendo em vista estes objetivos e levando-se em consideração que a escola não é apenasum lugar para transpor conteúdo aos alunos, mas acima de tudo, um ambiente deincentivo para explorar sua criatividade, espontaneidade, talentos, habilidades e oconvivo social – não apenas dentro dos muros escolares, mas também fora deles, -optamos por desenvolver atividades diretamente relacionadas com as artes, criando umaprogramação aberta a participação dos estudantes e também de sua comunidade, ondeesses teriam contato direto com: oficinas, esculturas, poemas, pinturas, fotografia,teatro, música etc.Com base nessa concepção, criamos uma inspiradora área de exposições, eapresentações de todos os tipos, baseada no espaço visitado no Centro Cultural de SãoPaulo, um ambiente aonde cada aluno tem a oportunidade de se expressar e mostrar aosoutros os seus talentos e gostos, sendo esses musicais, teatrais, literários, artísticos, entreoutros. Acima de tudo é um local aonde a liberdade de expressão toma contaLevar uma atmosfera agradável às escolas públicas aproximará os estudantes dosprofessores, criando um laço mútuo de respeito e de admiração. O que vai proporcionaruma grande melhora na qualidade da educação, pois o ensino esta muito além das salasde aulas. Através desse projeto, os alunos também poderão aprender as disciplinastradicionais, mas de uma forma muito mais leve e agradável, o que despertará em cadaum a vontade de aprender e conhecer, aquilo que antes não era interessante.Além de incentivar constantemente a exploração de seus próprios talentos, habilidades,conhecimentos de mundo e ainda desenvolver o convívio social dessas crianças ejovens, esse lugar irá fazer com que eles aprendam a respeitar as diferenças, conhecer aspreferências dos outros e deixar para trás qualquer preconceito que tinham.
  5. 5. Em um primeiro momento, faremos uma exploração a respeito dessa área de exposiçõesque nos serviu de inspiração para o presente projeto, em seguida examinaremos comotornar essa idéia em algo palpável no ambiente escolar público e, por último,avaliaremos sua importância dentro da sociedade. A segunda parte desse trabalho édestinada a uma conclusão geral sobre a pesquisa realizada.
  6. 6. Capítulo 1ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA DE ARTESApós aproximadamente duas horas de visita aos espaços públicos do Centro CulturalSão Paulo em busca de uma ideia para o projeto “Espaços educativos alternativos” dadisciplina de Práticas de Ensino, observamos que parte do centro cultural realizaexposições de obras de arte e para o mês de maio a programação está recheada deesculturas, pinturas, poemas, artes visuais, fotografias etc. Num indeterminadomomento em que nos deixávamos admirar pela exposição, veio a inspiração.Nossa proposta é de levar à escola pública uma exposição, já nomeada de “Espaço deConvivência de Artes”.A princípio, os professores levarão os alunos para conhecer uma determinadaexposição. Em seguida, em sala de aula, os alunos deverão relatar o que viram, o quemais gostaram, se não gostaram de alguma coisa e justificar num relatório.Terminada a atividade, os professores farão aos alunos o convite para que sejaelaborado na escola durante todo o semestre uma exposição, e nesta, os protagonistasserão os professores e principalmente, os alunos. A atividade valerá dois pontos paracada disciplina e será exposta ao público (pais, amigos, comunidade e familiares) nofinal do semestre letivo. Os alunos serão incentivados a convidar os pais a participareme desenvolverem alguma atividade que será ser exposta.Os professores terão o desafio de nortear e auxiliar os alunos quanto aodesenvolvimento das obras e ao conteúdo artístico apresentado. Como base serásugerido desenho, escultura, pintura, música, dança, teatro, literatura, fotografia eartesanato. Entretanto, os alunos terão liberdade total para criar, ou seja, caso surjamideias com possibilidade de serem aplicadas, serão aceitas. Os alunos também serãoincentivados a trabalhar com o lixo reciclável coletado em suas casas e na própriaescola.O espaço utilizado será toda a área pública da escola, exemplos: salas de aula, pátio,palco, biblioteca, quadra e laboratório.
  7. 7. O projeto consiste em tornar e mostrar que a escola pode e deve ser um ambiente livre edemocrático com total liberdade para expressão do pensamento, desde que o conteúdonão agrida ou tenha cunho discriminatório perante a cor, o sexo, a orientação sexual, aosportadores de patologias não contagiosas e etnias. Além disso, há a intenção deestimular a criatividade, descobrir talentos, aptidões e mostrar aos alunos que qualquerpessoa possui a capacidade ilimitada de criar. Por fim, e não menos importante,envolver pais, alunos e o entorno da escola com o propósito de aumentar a convivênciaem sociedade e mostrar-lhes que sempre é possível aprender com o outro.
  8. 8. Capítulo 2Em nossa visita ao centro cultural, o grupo explorou as diversas áreas do local e dentreelas escolhemos a área de exposições como parte principal do projeto.Assim como no espaço que temos no centro (composto por grandes murais brancos),disporíamos um local desse tipo no ambiente escolar. Os painéis serviriam para ilustrarde maneira palpável a expressão de cada um dos alunos, por intermédio de mensagensque poderiam ser deixadas nesse espaço, grafite, desenhos, exposições de arte, tudo issoacompanhado por um orientador para os alunos. Ali seria o espaço democrático paraque todos pudessem expressar a sua arte.O ambiente seria elaborado pelos próprios alunos, sob a orientação do professor e com aparticipação de todos. O projeto para a criação dos painéis usaria de madeirareaproveitada, contando com a ajuda de alguém que tenha maior habilidade emmarcenaria.Sendo pintados de branco junto aos alunos. Mesmo a criação do espaço seria tida comoum evento, no qual seriam desenvolvidas oficinas de artesanato, de confecção demoveis com materiais descartados pela população.Os alunos colaborariam: Na divulgação do evento; Convidado aos pais e amigos para participarem da criação desse espaço queseria de utilidade para todos; Sugerindo que fossem doados a escolas os materiais recicláveis que ajudariamna criação do ambiente; Participando da separação e recebimento de materiais; Fazendo parte das oficinas de criações de objetos/moveis recicláveis.Criações com base em materiais recicláveis: Pneus como floreiras;
  9. 9.  Pufs e banquinhos com garrafas pet; Prateleiras de livros feitas de caixotes de feira; Prateleiras de livros, com escada descartada; Restauração de moveis descartados, entre outros.Nosso projeto envolve não só a escola, mas também os pais dos alunos, e a comunidade,despertando assim o dom artístico de cada um, mostrando que todos são livres para criare recriar no próprio ambiente escolar, passando outra visão do que representa a escolapara a sociedade, até mesmo aos alunos que pensam ser este um ambiente monótono esem graça.Pensando em levar a arte ao ambiente escolar. Neste espaço será apresentados aosalunos todas as formas de expressão e artes dos mais diferenciados tipos, comapresentações de teatro envolvidas com a literatura, a criação de jogos, espaço comrevistas, gibis, livros materiais bem diversos que atraiam o interesse dos alunos, e quepodem ser doados pela comunidade, música, lugar para apresentações dos alunos semdistinção de ritmos, desenhos, pintura, um lugar para apresentações dos alunos sem
  10. 10. distinção de ritmos, desenhos, pintura, um lugar onde todos possam se expressar, direitoeste garantido por lei.A ideia central é que os alunos tenham prazer em produzir arte e se expressar. Nocomeço pode haver certo desinteresse, mas, conforme as apresentações foremacontecendo os alunos vão se envolvendo no projeto.O importante é não deixar o espaço abandonado. Durante o ano letivo é importante estarsempre convocando os professores para envolverem os alunos na manutenção desteespaço.
  11. 11. Considerações FinaisTodo o aluno tem como direito, expressar-se da maneira em que bem entender. É nessepensamento que se dá em conta a utilização da parede em branco, para o aluno poder alicolocar o que “tem na cabeça”.A ideia de se aproveitar o que é reciclável tem como intuito mostrar ao aluno que elepode aproveitar ao máximo tudo o que tem, colaborando com o meio ambiente efazendo sua parte por um futuro melhor.É uma das funções sociais da escola aproximar o pai do filho e levar seus alunos adesenvolverem seu senso critico. Aproximar a comunidade local e os pais dos trabalhosdesenvolvidos pelo aluno.“Devemos ter cuidado, pois estaremos preparando novos cidadãos que governaram ecomandarão um futuro. Devemos plantar, para que haja a esperança de uma colheitaforte”.
  12. 12. ReferênciasSite consultado: http://curiosidadesnanet.com/ consultado no dia 24/05/13 às 15h20min.

×