Teoria Neoclássica tipo de organizações

5.150 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.150
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria Neoclássica tipo de organizações

  1. 1. Teoria Neoclássica – Tipos De Organização Kauâne Loreno Lourdes Celso Serie: 1º B ADM Arthusa Prof: Maria Da Penha. Leandro
  2. 2. Introdução A teoria neoclássica da administração é o nome dado a um conjunto de teorias que surgiram na década de 1950 e que propõem uma retomada das abordagens clássica e científica da administração. A teoria têm como principal referência Peter Drucker, mas também inclui um grupo amplo de autores como Willian Newman, Ernest Dale, Ralph Davis, Louis Allen e George Terry. Dentre os principais conceitos abordados por essa teoria, destacam-se: • ênfase na prática da administração; • reafirmação relativa das proposições clássicas; • ênfase nos princípios gerais de gestão; • ênfase nos objetivos e resultados. Esta nomenclatura é utilizada apenas no Brasil. Foi popularizada no livro texto de Chiavenato, que é utilizado no ensino da administração de empresas no país. Chiavenato diz: "Os autores aqui abordados, (…) muito embora não apresentem pontos de vista divergentes, também não se preocupam em se alinhar dentro de uma organização comum. Em resumo, os autores neoclássicos não forma propriamente uma escola bem definida, mas um movimento relátivemente heterogêneo. Preferimos a denominação teoria para melhor enquadramento didático e facilidade de apresentação". Fora do Brasil, pode-se associar essa escola de pensamento à abordagem teórica proposta por Drucker, que é considerada uma ruptura com a abordagem vigente. As teorias depois de Drucker são chamadas de "modernas" por ser ele reconhecido como "pai da administração moderna" ("modern management" em inglês), embora o termo "administração moderna" seja mais abrangente que a proposta de Chiavenato.
  3. 3. Teoria Neoclássica Organização Linear A organização do tipo linear tem sua origem na organização dos antigos exércitos, o princípio da autoridade linear, princípio escalar que estabelece a hierarquia da autoridade. O nome organização linear significa que existe m linhas diretas e únicas de autoridade e responsabilidade entre superior e subordinados. É uma forma de organização típica de pequenas empresas ou de estágios inicias das organizações. Características da Organização Linear o Autoridade linear ou única: é a autoridade única e absoluta do superior sobre seus subordinados, típica das organizações militares. o Linhas formais de comunicação: são feitas unicamente através das linhas existentes no organograma. o Centralização das decisões: existe uma autoridade máxima que centraliza todas as decisões e o controle da organização. o Aspecto piramidal: á medida que se sobe na escala hierárquica, diminui o numero de cargos ou órgãos.
  4. 4. Vantagens o Estrutura simples e de fácil compreensão: o subordinado só se relaciona formalmente com seu supervisor o Clara delimitação das responsabilidades: nenhum órgão ou cargo intervém em área alheia. o Facilidade de implantação: oferece facilidade em seu funcionamento, controle e na disciplina. o É bastante estável: permite o funcionamento da organização, graças á centralização do controle. o É o tipo de organização indicada para pequenas empresas. Desvantagens o Estabilidade e constância das relações formais: podem levar à rigidez e inflexibilidade, dificultando a inovação e adaptação da organização a novas situações. o Não responde às mudanças rápidas. Â Autoridade linear baseada no comando único e direto: pode tornar-se autocrática, dificultando a cooperação e a iniciativa das pessoas. o A organização linear exagera a função de chefia e de comando: pois pressupõe a existência de chefes capazes de faze tudo e saber tudo (monopólio das comunicações). o A unidade de comando torna o chefe um generalista: impede a especialização, pois acumula os chefes com todos os assuntos possíveis da organização. o Provoca o congestionamento das linhas formais de comunicação. o As comunicações, por serem lineares, tornam-se demoradas.
  5. 5. Organização Funcional A organização funcional é o tipo de estrutura organizacional que aplica o princípio funcional ou princípio da especialização das funções. O princípio funcional separa, distingue e especializa. Características da Organização Funcional o Autoridade funcional ou dividida: é uma autoridade do conhecimento. Cada subordinado reporta-se a muitos superiores,simultaneamente. Nenhum superior tem autoridade total sobre os subordinados. o Linhas diretas de comunicação: as comunicações são efetuadas diretamente. A organização funcional busca a maior rapidez possível nas comunicações. o Descentralização das decisões: não é hierarquia, mas a especialidade quem promove as decisões. Caracteriza-se pela descentralização das decisões. o Ênfase na especialização: baseia-se no primado da especialização de todos os órgãos ou cargos. As responsabilidades são delimitadas de acordo com as especializações. Vantagens o Proporciona o máximo de especialização nos diversos órgãos. Permite a cada órgão ou cargo concentrar-se total e unicamente sobre seu trabalho e sua função.
  6. 6. o Permite a melhor supervisão técnica possível, pois cada órgão ou cargo reporta-se a “experts” em seu campo de especialização. o Desenvolve comunicações diretas, sem intermediação, mais rápidas e menos sujeitas a distorções de transmissão. o Separa funções de planejamento e de controle das funções de execução. Desvantagens o Diluição e conseqüente perda de autoridade de comando: traz como conseqüência uma enorme dificuldade dos órgãos, os cargos superiores em controlar o funcionamento dor órgãos ou cargos inferiores. o Subordinação Múltipla: nem sempre os órgãos sabem exatamente a quem recorrer para resolver determinados assuntos. Isso leva à perda de tempo e a confusões imprevisíveis. o Tendências à concorrência entre os especialistas: perda da visão de conjunto da organização e a uma tendência de defender o seu ponto de vista em detrimento dos pontos de vista dos outros especialistas. o Tendência à tensão e conflitos dentro da organização: a competição e a concorrência levam à tensões e conflitos entre os especialistas. Daí, a animosidade, sentimentos de oposição e resistência à cooperação. Organização Linha - Staff O tipo de organização linha-staff é o resultado da combinação dos tipos de organização linear e funcional, buscando-se incrementar as vantagens desses dois tipos de organização e reduzir as suas desvantagens. Na organização linha-staff há características do tipo linear e do tipo funcional, reunidas para proporcionarem um tipo de organizacional mais completo e complexo. É o tipo de organização mais utilizado. Na organização linha-staff coexistem órgãos de linha ( órgãos de execução) e de assessoria (órgãos de apoio e de consultoria) mantendo relações entre si. Os órgãos de linha caracterizam-se pela autoridade linear e pelo princípio escalar, enquanto os órgãos de staff prestam assessoria e serviços especializados. Características
  7. 7. o Fusão da estrutura linear com a estrutura funcional, com predomínio da primeira. Cada órgão se reporta a um e apenas um órgão superior: típica da organização linear. Porém, cada órgão recebe também assessoria e serviços especializados de diversos órgãos de staff. o Coexistência entre as linhas de comunicação com as linhas diretas de comunicação. Na organização linha-staff existem linhas formais de comunicação entre superiores e subordinados e que representam a hierarquia. Existem também linhas diretas de comunicação que ligam os órgãos e o staff e que representam a oferta de assessoria. o Separação entre órgãos operacionais (executivos) e órgãos de apoio e suporte (assessores). o A autoridade e responsabilidade dos membros do staff são de natureza aconselhadora. No entanto, são os chefes de linha que retêm a completa autoridade e responsabilidade pela execução dos planos. o Hierarquia versus especialização. A organização linha-staff mantém o princípio da hierarquia (cadeia escalar). A hierarquia (linha) assegura o comando e a disciplina, enquanto a especialização (staff) fornece os serviços de consultoria e de assessoria. Vantagens o Assegura assessoria especializada e inovadora mantendo o princípio de autoridade única. Os órgãos de staff proporcionam serviços especializados, fator importante em uma era de especialização e competição. A estrutura linha-staff tem a vantagem de oferecer uma área de assessoria e prestação de serviços, com predomínio da estrutura linear. o Atividade conjunta e coordenada dos órgãos de linha e órgãos de staff. Os órgãos de linha responsabilizam-se pela execução das atividades básicas, enquanto os órgãos de staff responsabilizam- se pela execução dos serviços especializados.
  8. 8. Desvantagens o Existência de conflitos entre órgãos de linha e de staff caracterizam-se por:  O assessor de staff é um técnico com preparo profissional, enquanto o homem de linha é um homem de prática.  O assessor tem melhor formação escolar. O homem de linha subiu na hierarquia.  Ao planejar e recomendar, o assessor não assume responsabilidade pelos resultados dos planos que apresenta.  A assessoria representa custos elevados para a empresa. o Dificuldades na obtenção e manutenção do equilíbrio entre linha e staff. o Os especialistas de staff tendem a forçar suas sugestões e tentar impor suas idéias.Isto pode provocar um enfraquecimento da linha ou a linha dividida de autoridade. Em uma situação de equilíbrio dinâmico e perfeita sincronização entre a linha e o staff, de modo que ambos tenham um comportamento cooperativo e integrativo, é difícil de alcançar e manter. Administração Por Objetivos (APO) Década de 1950 com Peter F. Druker. Surgiu como método de avaliação e controle sobre o desempenho de áreas e organizações em crescimento rápido. Característica É uma técnica de direção de esforços através do planejamento e controle administrativo. Para a organização atingir resultados é preciso definir em que negócio está atuando e aonde pretende chegar.
  9. 9. É um sistema dinâmico que integra a necessidade da companhia de alcançar os seus objetivos de lucro e crescimento. É um estilo exigente e compensador de administração de empresas. É um método no qual as metas são definidas em conjunto entre administrador e seu superior, as responsabilidades são especificadas para cada posição em função dos resultados esperados, que passam a integrar os padrões de desempenho sob os quais os gerentes são avaliados. Fixação de Objetivos É o ponto de partida para a APO. É a declaração escrita do que se pretende alcançar. 1. Proporciona à organização uma diretriz certa no sentido de uma finalidade comum. 2. Promovem o trabalho em equipe e podem ser usados para eliminar as tendências egocêntricas de grupos existentes na organização. 3. Serve de base segura para verificar o valor das metas e dos planos e ajudam a evitar erros devidos à omissão. 4. Tornam maiores as possibilidades de previsão do futuro. Uma organização deve dirigir o seu destino, em vez de submeter-se a fatalidade ou ao acaso. 5. Os objetivos ajudam a orientar e a prever distribuição criteriosa dos recursos. A APO implica uma técnica sistemática de gerência, onde uma forte ênfase é colocada no planejamento e no controle. Então APO é: o Uma Técnica participativa de planejamento e avaliação através da qual superiores e subordinados, conjuntamente, definem aspectos prioritários e o Estabelecem objetivos (resultados) a serem alcançados, num determinado período de tempo e em termos quantitativos, dimensionado, as respectivas contribuições (metas) o E acompanham sistematicamente o desempenho (controle) procedendo às correções necessárias. Teoria Estruturalista Surgiu como um desdobramento da Burocracia, buscando resolver os conflitos existentes entre a Teoria Clássica (com sua abordagem mecanicista do homem econômico), a teoria das Relações Humanas (com sua visão ingênua do
  10. 10. homem social) e a própria Teoria Burocrática (que propunha a aplicação de um modelo organizacional ideal e universal, inviável na prática). Independentemente das críticas específicas a cada uma dessas teorias, as três forneciam um enfoque somente parcial e fragmentado da organização. Características do pensamento estruturalista: o A organização é concebida como um sistema social aberto e deliberadamente construído; o Os conflitos são considerados inevitáveis e até muitas vezes desejáveis, no que se refere às relações empresa-empregado; o Os incentivos mistos são recomendados para a motivação dos funcionários, em lugar de recompensas materiais (dinheiro) somente, como fonte única de estimulação. o O sentido de “homem organizacional” em contraposição ao “homem administrativo”, do comportamentalismo, ao “homem social”, da dinâmica de grupo e ao “homem econômico”, da administração cientifica, de Taylor. o São visados “resultados máximos”, à semelhança da Escola Clássica, em oposição ao comportamentalismo que visa “resultados satisfatórios”.
  11. 11. Amitai Etzioni ( fundador ) Peter M. Blau W. Richard Scott Victor Thompson
  12. 12. Conclusão Decorrência da Teoria Neoclássica: Tipos de Organizações São as características básicas da Teoria de Organizações. - divisão do trabalho; - especialização; - hierarquia; - distribuição de autoridade e responsabilidade; - racionalidade da organização formal. Essas características mudam de acordo com as organizações, que podem ser de três tipos:linear, funcional, e linha staff – cada uma apresenta vantagens e desvantagens. Linear É a estrutura mais simples e antiga. Sua denominação deve-se ao fato de que, entre escalão e os subordinados, existe apenas linha direta de autoridade. Funcional Embora nos permita, com evidente vantagem, o uso das especializações e de métodos de produção mais eficientes, a organização de tipo funcional torna muito difícil o controle disciplinar e a cooperação das diversas funções em virtude da pluralidade de comando. Linha staff Consiste no tipo linear acrescido de um órgão de assessoria (ou staff)cuja função é opinativa, orientadora ou de aconselhamento.Os órgãos de staff não tem poder de execução ou de decisão. Departementalização Ao começar o processo de departementalização devemos dar atenção a dois aspectos: a divisão do trabalho, segundo as especializações existentes.Dessa forma departamentalizar é descentralizar as atividades agrupando-as de forma lógica e racional para que obtenha um melhor resultado. Bibliografia:
  13. 13. http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_neocl%C3%A1ssica_da_administra %C3%A7%C3%A3o http://www.ricardoalmeida.adm.br/tga06ra.pdf http://sendoempreendedor.blogspot.com.br/2008/07/decorrncia-da-teoria- neoclssica-tipos.html

×