SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
“DIÁLOGOS
INTERDISCIPLINARES A
CAMINHO DA AUTORIA”
Professor Ulisses Vakirtzis
Sobre a Interdisciplinaridade
A ação interdisciplinar é favorecida pela
possibilidade de atribuição de aulas
compartilhadas e foco no planejamento de
projetos pedagógicos que favoreçam a
percepção de que a escola é uma instituição
onde a vida está presente em um contexto
de reconhecimento da diversidade e
diferença, e orientados pela e para a
qualidade social da educação.
Sobre a Interdisciplinaridade
A origem da proposta interdisciplinar pode
estar em questões sociais ou em problemas.
Quais conhecimentos são mobilizados para
que a questão social seja problematizada?
Hernández (1998) e Fourez (2008) apontam
para a perspectiva de identificação de
problemas e de construção de
conhecimentos novos na busca de soluções
em intervenção social.
CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO
Cada concepção carrega consigo um
projeto de escolarização, uma visão de
formação dos sujeitos envolvidos no
processo, influenciada pelas teorias e
pelos modelos de nação ou políticos que
se fazem hegemônicos em um dado
contexto.
CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO
O currículo é o método científico de
construção coletiva do conhecimento
escolar, bem como a articulação de sua
transmissão, apreensão e produção,
que inclui as relações entre os sujeitos
participantes e a definição de um
suporte teórico que o sustente.
CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO
Currículo pode ser definido como um
“projeto” seletivo de cultura, cultural,
social, política e administrativamente
condicionado, que preenche a
atividade escolar e que se torna
realidade dentro das condições da
escola como se acha configurada.
SACRISTÁN (Currículo: uma reflexão sobre a prática)
CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO
Currículo seria, portanto, o que as
escolas desenvolveriam para os
estudantes e com eles, por meio
do Projeto Político-Pedagógico,
que contém aspectos culturais e
educacionais, entendidos ou
considerados mais adequados.
CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO
A construção do currículo numa perspectiva
crítica, democrática e emancipatória, por sua
vez deve ocupar todo o planejamento escolar,
ao estabelecer claramente que seu público –
alvo é representado pelas camadas populares
que possuem na educação pública o principal
caminho para a leitura e participação na
complexa vida brasileira e internacional a
partir do município de São Paulo e de seus
arredores.
O CURRÍCULO NAS INSTITUIÇÕES
No interior das instituições educativas,
circulam uma pluralidade de concepções,
marcadas por diferentes interesses e marcas
ideológicas que geram conflitos. Quando
esses conflitos são problematizados por meio
de intervenções pedagógicas emancipatórias,
podem gerar conhecimentos significativos e
contextualizados para a construção do
currículo.
INTERDISCIPLINARIDADE
O Programa Mais Educação São Paulo, trouxe
novamente a interdisciplinaridade como
conceito e fundamento das ações educativas
em toda a rede municipal de ensino. A
demanda pela maior interação dos saberes não
é uma opção, e sim uma necessidade, diante do
contexto atual, em que o acesso à qualidade
social da educação surge como direito, e não
apenas como expectativa.
INTERDISCIPLINARIDADE
A partir dessa contextualização, é
possível delinear aquilo que é próprio
da interdisciplinaridade: a articulação
entre saberes existentes provenientes
das diversas áreas de conhecimento,
para a construção de conhecimentos
novos.
INTERDISCIPLINARIDADE
A origem da proposta interdisciplinar
pode estar em questões sociais, em
fenômenos ou em problemas. Quais
conhecimentos são mobilizados para
que a questão social seja
problematizada?
O que dizer perante esta imagem?
REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E
DIVERSIDADE
Os problemas do mundo são econômicos,
políticos, culturais e éticos. Mas seu
tratamento transcende as políticas imediatas
só sendo compreendidos por um tratamento
humanista, filosófico e transcultural. A
diversidade, o respeito às minorias, o
tratamento da liberdade e da justiça são as
bases do olhar curricular sobre os projetos de
intervenção e de autoria coletiva.
REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E
DIVERSIDADE
A sociedade, antes concebida em termos
de estratos e níveis, ou distinguindo-se
segundo identidades étnicas ou nacionais,
agora é pensada com a metáfora da rede.
Os incluídos são os que estão conectados;
os outros são excluídos, os que veem
rompidos seus vínculos ao ficar sem
trabalho, sem casa, sem conexão.
REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E
DIVERSIDADE
A diversidade cultural se manifesta
como expressão dinâmica de
significados construídos de forma
diversa em contextos específicos. É por
isso que as políticas de identidade são
a chave no processo de construção de
identidades coletivas que partem do
reconhecimento da diversidade.
REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E
DIVERSIDADE
O desafio do século XXI é o pleno
exercício dos direitos humanos
com a garantia do princípio da
igualdade a partir do
reconhecimento da diversidade, ou
seja, a equidade.
REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E
DIVERSIDADE
A institucionalização do discurso do
direito à educação escolar e à
igualdade de oportunidades de acesso
à escola, ao lado de outras políticas
públicas, pretende responder
positivamente ao multiculturalismo
crescente.
REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E
DIVERSIDADE
A escola e o currículo são práticas
sociais que têm papel relevante na
construção de conhecimentos e de
subjetividades sociais e culturais.
Aprende-se na escola a ler, escrever e
contar , tal como se aprende a dizer
“branco”, “negro”, “mulher”, “homem”.
REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E
DIVERSIDADE
No momento atual, as questões
culturais não podem ser ignoradas
pelos educadores e educadoras, sob o
risco de que a escola cada vez se
distancie mais dos universos
simbólicos, das mentalidades e das
inquietudes das crianças e jovens de
hoje.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
curriculoemmovimentopara
 
Parâmetros curriculares nacionais grupo
Parâmetros curriculares nacionais grupoParâmetros curriculares nacionais grupo
Parâmetros curriculares nacionais grupo
Mayannarosa
 
3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)
3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)
3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)
Josueyahoo
 
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLACURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
cefaprodematupa
 
Temas transversais
Temas transversaisTemas transversais
Temas transversais
Erica Frau
 

Mais procurados (19)

Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera CandauEducação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
Educação Escolar, Cultura e Diversidade.Texto de Antonio Flávio e Vera Candau
 
Pc ns pibid
Pc ns   pibidPc ns   pibid
Pc ns pibid
 
Currículo i
Currículo iCurrículo i
Currículo i
 
Temas Trasversais
Temas TrasversaisTemas Trasversais
Temas Trasversais
 
Ppp carlosmota2
Ppp carlosmota2Ppp carlosmota2
Ppp carlosmota2
 
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
 
Tecnologia e currículo
Tecnologia e currículoTecnologia e currículo
Tecnologia e currículo
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
 
Resumo inclusão escolar pontos e contrapontos Mantoan
Resumo inclusão escolar  pontos e contrapontos   MantoanResumo inclusão escolar  pontos e contrapontos   Mantoan
Resumo inclusão escolar pontos e contrapontos Mantoan
 
Resumo PCNs
Resumo PCNsResumo PCNs
Resumo PCNs
 
Temas transversais
Temas transversaisTemas transversais
Temas transversais
 
Parâmetros curriculares nacionais grupo
Parâmetros curriculares nacionais grupoParâmetros curriculares nacionais grupo
Parâmetros curriculares nacionais grupo
 
3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)
3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)
3. gestao organizacao trabalho-pedagogico (1)
 
Pcn 10.1 Temas Transversais
Pcn   10.1   Temas TransversaisPcn   10.1   Temas Transversais
Pcn 10.1 Temas Transversais
 
Pedagogia Social
Pedagogia SocialPedagogia Social
Pedagogia Social
 
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLACURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
 
Temas transversais
Temas transversaisTemas transversais
Temas transversais
 
Eixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículoEixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículo
 
Projeto+smed+2013
Projeto+smed+2013Projeto+smed+2013
Projeto+smed+2013
 

Semelhante a 2. dialogos interdisciplinares

Artigos sobre educação no campo
Artigos sobre educação no campoArtigos sobre educação no campo
Artigos sobre educação no campo
João Bet
 
ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11
ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11
ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11
ivanizehonorato
 
Pós - graduação Uemanet.pptx
Pós - graduação Uemanet.pptxPós - graduação Uemanet.pptx
Pós - graduação Uemanet.pptx
LinaKelly2
 
Ppt por carlina boros tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...
Ppt por carlina boros   tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...Ppt por carlina boros   tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...
Ppt por carlina boros tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...
videoparatodos
 
A construção do discurso e da diversidade e as suas práticas
A construção do discurso e da diversidade e as suas práticasA construção do discurso e da diversidade e as suas práticas
A construção do discurso e da diversidade e as suas práticas
Hugo Antunes
 
Caderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINI
Caderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINICaderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINI
Caderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINI
Salete Perini
 
Candau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticas
Candau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticasCandau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticas
Candau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticas
jessicabiopires
 

Semelhante a 2. dialogos interdisciplinares (20)

Educacao ed1
Educacao ed1Educacao ed1
Educacao ed1
 
Educação intercultural
Educação interculturalEducação intercultural
Educação intercultural
 
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
 
TÓPICOS EM EDUCAÇÃO II: Resumo do 2º bimestre multicuralismo
TÓPICOS EM EDUCAÇÃO II: Resumo do 2º bimestre multicuralismoTÓPICOS EM EDUCAÇÃO II: Resumo do 2º bimestre multicuralismo
TÓPICOS EM EDUCAÇÃO II: Resumo do 2º bimestre multicuralismo
 
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidadePNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
 
Artigos sobre educação no campo
Artigos sobre educação no campoArtigos sobre educação no campo
Artigos sobre educação no campo
 
ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11
ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11
ApresentaçãO Do Grupo B Para O SemináRio 25 11
 
Educação especial
Educação especialEducação especial
Educação especial
 
Pós - graduação Uemanet.pptx
Pós - graduação Uemanet.pptxPós - graduação Uemanet.pptx
Pós - graduação Uemanet.pptx
 
A escola novos tempos
A escola novos temposA escola novos tempos
A escola novos tempos
 
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadasCibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
 
Reunião pedagógica 03 06 2016
Reunião pedagógica 03 06 2016Reunião pedagógica 03 06 2016
Reunião pedagógica 03 06 2016
 
A cibercultura e as teorias sociocríticas
A cibercultura e as teorias sociocríticasA cibercultura e as teorias sociocríticas
A cibercultura e as teorias sociocríticas
 
Teorias do Currículo
Teorias do Currículo Teorias do Currículo
Teorias do Currículo
 
Teorias sociocríticas segundo Libâneo
Teorias sociocríticas segundo LibâneoTeorias sociocríticas segundo Libâneo
Teorias sociocríticas segundo Libâneo
 
EDUCAÇÃO, DIVERSIDADE, TRABALHO E JUSTIÇA SOCIAL.
EDUCAÇÃO, DIVERSIDADE, TRABALHO E JUSTIÇA SOCIAL.EDUCAÇÃO, DIVERSIDADE, TRABALHO E JUSTIÇA SOCIAL.
EDUCAÇÃO, DIVERSIDADE, TRABALHO E JUSTIÇA SOCIAL.
 
Ppt por carlina boros tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...
Ppt por carlina boros   tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...Ppt por carlina boros   tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...
Ppt por carlina boros tr45 - educomunicação contribuições para a melhora do...
 
A construção do discurso e da diversidade e as suas práticas
A construção do discurso e da diversidade e as suas práticasA construção do discurso e da diversidade e as suas práticas
A construção do discurso e da diversidade e as suas práticas
 
Caderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINI
Caderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINICaderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINI
Caderno 3 e 4 - SALETE VARGAS PERINI
 
Candau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticas
Candau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticasCandau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticas
Candau, vera didática entre saberes, sujeitos e práticas
 

Mais de Ulisses Vakirtzis

Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdfOrientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Ulisses Vakirtzis
 
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escolaComo gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
Ulisses Vakirtzis
 
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
Ulisses Vakirtzis
 

Mais de Ulisses Vakirtzis (20)

Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdfOrientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
Orientacoes-para-atendimento-de-estudantes-transtorno-do-espectro-do-autismo.pdf
 
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdfGuia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
Guia de Publicação Editora Albatroz (1).pdf
 
Como gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escolaComo gerenciar o espaço físico da escola
Como gerenciar o espaço físico da escola
 
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escolaComo gerenciar os recursos financeiros da escola
Como gerenciar os recursos financeiros da escola
 
Como promover a construção ppp
Como promover a construção pppComo promover a construção ppp
Como promover a construção ppp
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
 
6.proposta curricular
6.proposta curricular6.proposta curricular
6.proposta curricular
 
5.projeto político pedagógico da escola
5.projeto político pedagógico da escola5.projeto político pedagógico da escola
5.projeto político pedagógico da escola
 
4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem4.avaliação da aprendizagem
4.avaliação da aprendizagem
 
3.teorias do desenvolvimento adolescência
3.teorias do desenvolvimento adolescência3.teorias do desenvolvimento adolescência
3.teorias do desenvolvimento adolescência
 
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
2.comunidades de aprendizagem e educação escolar
 
1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo1.ensino as abordagens do processo
1.ensino as abordagens do processo
 
8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas
 
4.politicas docentes no brasil
4.politicas docentes no brasil4.politicas docentes no brasil
4.politicas docentes no brasil
 
3.freitas eliminação adiada
3.freitas eliminação adiada3.freitas eliminação adiada
3.freitas eliminação adiada
 
2. escola e conhecimento
2. escola e conhecimento2. escola e conhecimento
2. escola e conhecimento
 
1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública
 
4. decretos 54.454 portaria 5941
4. decretos 54.454 portaria 59414. decretos 54.454 portaria 5941
4. decretos 54.454 portaria 5941
 
3. decreto 54.542 portaria 5930
3. decreto 54.542 portaria 59303. decreto 54.542 portaria 5930
3. decreto 54.542 portaria 5930
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 

Último (20)

Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 

2. dialogos interdisciplinares

  • 1. “DIÁLOGOS INTERDISCIPLINARES A CAMINHO DA AUTORIA” Professor Ulisses Vakirtzis
  • 2. Sobre a Interdisciplinaridade A ação interdisciplinar é favorecida pela possibilidade de atribuição de aulas compartilhadas e foco no planejamento de projetos pedagógicos que favoreçam a percepção de que a escola é uma instituição onde a vida está presente em um contexto de reconhecimento da diversidade e diferença, e orientados pela e para a qualidade social da educação.
  • 3. Sobre a Interdisciplinaridade A origem da proposta interdisciplinar pode estar em questões sociais ou em problemas. Quais conhecimentos são mobilizados para que a questão social seja problematizada? Hernández (1998) e Fourez (2008) apontam para a perspectiva de identificação de problemas e de construção de conhecimentos novos na busca de soluções em intervenção social.
  • 4. CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO Cada concepção carrega consigo um projeto de escolarização, uma visão de formação dos sujeitos envolvidos no processo, influenciada pelas teorias e pelos modelos de nação ou políticos que se fazem hegemônicos em um dado contexto.
  • 5. CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO O currículo é o método científico de construção coletiva do conhecimento escolar, bem como a articulação de sua transmissão, apreensão e produção, que inclui as relações entre os sujeitos participantes e a definição de um suporte teórico que o sustente.
  • 6. CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO Currículo pode ser definido como um “projeto” seletivo de cultura, cultural, social, política e administrativamente condicionado, que preenche a atividade escolar e que se torna realidade dentro das condições da escola como se acha configurada. SACRISTÁN (Currículo: uma reflexão sobre a prática)
  • 7. CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO Currículo seria, portanto, o que as escolas desenvolveriam para os estudantes e com eles, por meio do Projeto Político-Pedagógico, que contém aspectos culturais e educacionais, entendidos ou considerados mais adequados.
  • 8. CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO A construção do currículo numa perspectiva crítica, democrática e emancipatória, por sua vez deve ocupar todo o planejamento escolar, ao estabelecer claramente que seu público – alvo é representado pelas camadas populares que possuem na educação pública o principal caminho para a leitura e participação na complexa vida brasileira e internacional a partir do município de São Paulo e de seus arredores.
  • 9. O CURRÍCULO NAS INSTITUIÇÕES No interior das instituições educativas, circulam uma pluralidade de concepções, marcadas por diferentes interesses e marcas ideológicas que geram conflitos. Quando esses conflitos são problematizados por meio de intervenções pedagógicas emancipatórias, podem gerar conhecimentos significativos e contextualizados para a construção do currículo.
  • 10. INTERDISCIPLINARIDADE O Programa Mais Educação São Paulo, trouxe novamente a interdisciplinaridade como conceito e fundamento das ações educativas em toda a rede municipal de ensino. A demanda pela maior interação dos saberes não é uma opção, e sim uma necessidade, diante do contexto atual, em que o acesso à qualidade social da educação surge como direito, e não apenas como expectativa.
  • 11. INTERDISCIPLINARIDADE A partir dessa contextualização, é possível delinear aquilo que é próprio da interdisciplinaridade: a articulação entre saberes existentes provenientes das diversas áreas de conhecimento, para a construção de conhecimentos novos.
  • 12. INTERDISCIPLINARIDADE A origem da proposta interdisciplinar pode estar em questões sociais, em fenômenos ou em problemas. Quais conhecimentos são mobilizados para que a questão social seja problematizada?
  • 13. O que dizer perante esta imagem?
  • 14. REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E DIVERSIDADE Os problemas do mundo são econômicos, políticos, culturais e éticos. Mas seu tratamento transcende as políticas imediatas só sendo compreendidos por um tratamento humanista, filosófico e transcultural. A diversidade, o respeito às minorias, o tratamento da liberdade e da justiça são as bases do olhar curricular sobre os projetos de intervenção e de autoria coletiva.
  • 15. REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E DIVERSIDADE A sociedade, antes concebida em termos de estratos e níveis, ou distinguindo-se segundo identidades étnicas ou nacionais, agora é pensada com a metáfora da rede. Os incluídos são os que estão conectados; os outros são excluídos, os que veem rompidos seus vínculos ao ficar sem trabalho, sem casa, sem conexão.
  • 16. REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E DIVERSIDADE A diversidade cultural se manifesta como expressão dinâmica de significados construídos de forma diversa em contextos específicos. É por isso que as políticas de identidade são a chave no processo de construção de identidades coletivas que partem do reconhecimento da diversidade.
  • 17. REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E DIVERSIDADE O desafio do século XXI é o pleno exercício dos direitos humanos com a garantia do princípio da igualdade a partir do reconhecimento da diversidade, ou seja, a equidade.
  • 18. REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E DIVERSIDADE A institucionalização do discurso do direito à educação escolar e à igualdade de oportunidades de acesso à escola, ao lado de outras políticas públicas, pretende responder positivamente ao multiculturalismo crescente.
  • 19. REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E DIVERSIDADE A escola e o currículo são práticas sociais que têm papel relevante na construção de conhecimentos e de subjetividades sociais e culturais. Aprende-se na escola a ler, escrever e contar , tal como se aprende a dizer “branco”, “negro”, “mulher”, “homem”.
  • 20. REORGANIZAÇÃO CURRICULAR E DIVERSIDADE No momento atual, as questões culturais não podem ser ignoradas pelos educadores e educadoras, sob o risco de que a escola cada vez se distancie mais dos universos simbólicos, das mentalidades e das inquietudes das crianças e jovens de hoje.