SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Os aspectos neuromotores são essenciais para saúde e funções fisiológicas.
É bem verdade que poucas pessoas morrem por falta de flexibilidade ou força
diminuída.
No entanto muitas pessoas sofrem de problemas lombares crônicos e diminuição
da força muscular com o envelhecimento, isto associado à carência de atividade
física , tornando-se visível a importância de exercícios ,regulares para manutenção
do aspecto Neuromuscular (POLLOCK,1986).
• Flexibilidade
• Força
• Resistência muscular localizada
De acordo com FARINATTI & MONTEIRO (2000, p.236) esta qualidade
física que pode ser definida como a amplitude de movimento em determinada
articulação, apresenta relevante papel para obtenção
de níveis satisfatórios de saúde e aptidão física.
• Medidas angulares : Resultados expressos em graus. Feitos através de
aparelhos especificos.
• Medidas lineares: Sentar e alcançar. Os testes lineares são os mais difundido
por prescindirem de instrumentos (FERNANDES 2003, p.205).
• Medidas admensionais: Avalia de forma passiva ,com 20 movimentos.
Avalia a flexibilidade através de movimentos específicos
(FERNANDES, 1985).
AVALIAÇÃO NEUROMUSCULAR
Medidas angulares:
Sentar e alcança de Wells
Medidas Lineares:
• Mede o grau de flexibilidade do quadril ,
dorso e posteriores dos membros inferiores.
Expressam os valores da distância do ponto do corpo em relação a um
ponto de referência.
 Teste admensional : adaptado do original de MONTEIRO e FARINATI de 20
movimentos,para 8 .
 A avaliação da força é importante para uma eficaz prescrição de exercício
tendo como objetivo a promoção da saúde.
Além disso, o treinamento de força pode atenuar a perda em força muscular e em
densidade óssea associada ao processo de envelhecimento.
Os estudos têm mostrado que o treinamento de força muscular reduz o risco de
lesões articulares e/ou musculares que podem ocorrer durante a atividade física.
Casos cirúrgicos / compensação muscular
 Segundo a ACSM(2006),força de resistência é a capacidade de um grupo
muscular executar contrações repetidas por um período de tempo suficiente
para causar fadigas, ou manter estaticamente uma contração muscular voluntária
Máxima por um período prolongado de tempo.
AVALIAÇÃO DE FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR
 Podendo ser medida e avaliada de forma isométrica , isotônica e
isocinética.
AVALIAÇÃO DE FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR
 Isométricas (estáticas), o músculo desenvolve tensão sem mudar o comprimento.
 Isotônicas (dinâmica) a tensão deve estar constante em toda a amplitude do
movimento. Ocorrem de forma concêntrica e excêntrica.
 Isocinéticas contração com velocidade constante em toda amplitude do
movimento.Necessita equipamentos especiais , permitem um a velocidade constante
na contração independente da carga).
 Para tal mensuração são empregados desde aparelhos como dinamômetro,
tensiometros até forma simples como pesos livres. Dentre vários testes que objetivam
medir a força muscular de um individuo ,classificamos estes teste em:
 Teste de avaliação da força máxima
 Teste de avaliação da força explosiva
 Teste de avaliação da força rápida
AVALIAÇÃO DE FORÇA MÁXIMA
Os testes utilizados na avaliação da força máxima podem ser classificados em
teste dinâmicos (isotônicos), estáticos (isométricos) e isocinéticos
Testes dinâmicos
POLLOCK e col (1984), apud FARINATTI(2000, 250) relatam a utilização do
teste de peso máximo (TPM) também chamado de 1 RM (teste de uma
repetição máxima), para avaliar a força dinâmica em determinado músculo
ou grupamento muscular.
Isso refere-se a quantidade máxima de peso levantado um a única vez
de forma correta, durante a realização de um exercício predeterminado
de levantamento de peso.
 Teste de peso máximo (1 RM)
Finalidade: medir a quantidade de força dinâmica máxima executando um movimento
completo abrangendo todo o arco articular.
População-alvo: deve ser aplicado em pessoas acostumadas com o trabalho de força.
Porção corporal envolvida:
sistema locomotor
AVALIAÇÃO DE FORÇA MÁXIMA
Material necessário: aparelho para musculação com pesos fracionados ou barra e
anilhas.
Metodologia do teste: Segundo FARINATTI (op.cit) a metodologia do teste conta das
seguintes etapas:- Escolhe-se o músculo ou grupamento muscular a ser testado;- O
avaliado realiza uma série de tentativas para determinar a maior carga que é capaz de
mover em determinado movimento.- A carga inicial deve ser leve e em
função da primeira tentativa, vai-se aumentando a mesma até que o avaliado consiga
realizar no máximo uma repetição completa com a maior carga possível.
Desenvolvimento Supino:
Peitoral maior e menor, deltóide anterior,
trícepsbraquial, córoco braquial
 A força máxima isométrica é medida por meio de aparelhos específicos que
geralmente são Tensiometros ou Dinamômetros.
 De acordo com McARDLE (1992, p.294) o tensiometro é leve, portáti ,durável, fácil
de usar e comporta a vantagem da versatilidade para registra as mensurações da
força em praticamente todos os ângulos na amplitude do movimento de
determinada articulação.
 Finalidade: mensurar a força máxima de um músculo ou grupamento muscular
em determinado ângulo de movimento
 Material necessário: tensiômetro com cabo.
AVALIAÇÃO DE FORÇA MÁXIMA
 TESTE ESTÁTICO
AVALIAÇÃO FORÇA MÁXIMA
 TESTE ESTÁTICO
DINAMÔMETRO
Força explosiva, também conhecida como potência muscular é a capacidade de realizar
uma contração muscular utilizando uma força máxima no menor tempo possível
Avaliação neuromuscular para saúde e aptidão física
Avaliação neuromuscular para saúde e aptidão física

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Definição de treino funcional
Definição de treino funcionalDefinição de treino funcional
Definição de treino funcionalJordânio Leite
 
Treinamento esportivo i
Treinamento esportivo iTreinamento esportivo i
Treinamento esportivo iMarcus Prof
 
Slides avaliação física
Slides avaliação físicaSlides avaliação física
Slides avaliação físicaAna Lucia Costa
 
Avaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbia
Avaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbiaAvaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbia
Avaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbiaJoao P. Dubas
 
Avaliação Neuromuscular
Avaliação NeuromuscularAvaliação Neuromuscular
Avaliação NeuromuscularAmarildo César
 
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicasTreinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicasRafael Laurindo
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaThelsy
 
Ginástica localizada
Ginástica localizadaGinástica localizada
Ginástica localizadaanabeatrizsa
 
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...AcarahybaLobatomusician Lobato
 
Exercicios e-postura
Exercicios e-posturaExercicios e-postura
Exercicios e-posturaTatiana Lage
 
Teste de Resistência Aeróbia
Teste de Resistência AeróbiaTeste de Resistência Aeróbia
Teste de Resistência AeróbiaPedro Monteiro
 
Avaliação da composição corporal
Avaliação da composição corporalAvaliação da composição corporal
Avaliação da composição corporalJoao P. Dubas
 

Mais procurados (20)

Definição de treino funcional
Definição de treino funcionalDefinição de treino funcional
Definição de treino funcional
 
Treinamento esportivo i
Treinamento esportivo iTreinamento esportivo i
Treinamento esportivo i
 
Ciclos de treinamento
Ciclos de treinamentoCiclos de treinamento
Ciclos de treinamento
 
Ginastica localizada
Ginastica localizadaGinastica localizada
Ginastica localizada
 
Slides avaliação física
Slides avaliação físicaSlides avaliação física
Slides avaliação física
 
Avaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbia
Avaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbiaAvaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbia
Avaliação da capacidade/potência aeróbia e anaeróbia
 
Avaliação Neuromuscular
Avaliação NeuromuscularAvaliação Neuromuscular
Avaliação Neuromuscular
 
Avaliação morfológica
Avaliação morfológicaAvaliação morfológica
Avaliação morfológica
 
Treinamento de Força
Treinamento de ForçaTreinamento de Força
Treinamento de Força
 
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicasTreinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de Vida
 
Ginástica localizada
Ginástica localizadaGinástica localizada
Ginástica localizada
 
Conceitos básicos de treinamento
Conceitos básicos de treinamentoConceitos básicos de treinamento
Conceitos básicos de treinamento
 
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
Aula 1-crescimento-desenvolvimento-e-aprendizagem-motora-contextualizac3a7c3a...
 
Anamnese núcleo de educação física
Anamnese núcleo de educação físicaAnamnese núcleo de educação física
Anamnese núcleo de educação física
 
Exercicios e-postura
Exercicios e-posturaExercicios e-postura
Exercicios e-postura
 
Musculação
MusculaçãoMusculação
Musculação
 
Beneficios exercicio fisico[1]
Beneficios exercicio fisico[1]Beneficios exercicio fisico[1]
Beneficios exercicio fisico[1]
 
Teste de Resistência Aeróbia
Teste de Resistência AeróbiaTeste de Resistência Aeróbia
Teste de Resistência Aeróbia
 
Avaliação da composição corporal
Avaliação da composição corporalAvaliação da composição corporal
Avaliação da composição corporal
 

Destaque

E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...
E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...
E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...Adriano Vretaros
 
Organograma do departamento de futebol
Organograma do departamento de futebolOrganograma do departamento de futebol
Organograma do departamento de futebolRodrigo Saffi Mello
 
Adaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamento
Adaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamentoAdaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamento
Adaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamentoFernando Farias
 
Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholoApresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholopstec25
 
As inteligências múltiplas
As inteligências múltiplasAs inteligências múltiplas
As inteligências múltiplasMiguel Loureiro
 
Métodos de avaliação física
Métodos de avaliação físicaMétodos de avaliação física
Métodos de avaliação físicaJoao P. Dubas
 
Programa Social "Comunidade Power"
Programa Social "Comunidade Power"Programa Social "Comunidade Power"
Programa Social "Comunidade Power"Marilia Coutinho
 
148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamento
148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamento148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamento
148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamentoEdivaldo Santos Lima
 
Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.
Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.
Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.Pedro Ferrer
 
Comportamento das Capacidades Físicas
Comportamento das Capacidades FísicasComportamento das Capacidades Físicas
Comportamento das Capacidades FísicasRodrigo Saffi Mello
 
treinamento neuromuscular
treinamento neuromusculartreinamento neuromuscular
treinamento neuromuscularClaudio Pereira
 
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais Evelyn Feitosa
 
A importancia da_tecnica_de_corrida
A importancia da_tecnica_de_corridaA importancia da_tecnica_de_corrida
A importancia da_tecnica_de_corridaDanielly Santos
 
Alfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolistaAlfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolistaPaulo Sousa
 

Destaque (20)

E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...
E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...
E-book - Futebol: Bases Científicas da Preparação de Força (ISBN: 978-85-9203...
 
Organograma do departamento de futebol
Organograma do departamento de futebolOrganograma do departamento de futebol
Organograma do departamento de futebol
 
O treino sem baliza
O treino sem balizaO treino sem baliza
O treino sem baliza
 
Prescrição de atividade física
Prescrição de atividade físicaPrescrição de atividade física
Prescrição de atividade física
 
Adaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamento
Adaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamentoAdaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamento
Adaptação Neural: Principal fator para ganho de força no inicio do treinamento
 
Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholoApresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholo
 
As inteligências múltiplas
As inteligências múltiplasAs inteligências múltiplas
As inteligências múltiplas
 
Métodos de avaliação física
Métodos de avaliação físicaMétodos de avaliação física
Métodos de avaliação física
 
Metodos de treinamento neuromuscular
Metodos de treinamento neuromuscularMetodos de treinamento neuromuscular
Metodos de treinamento neuromuscular
 
Programa Social "Comunidade Power"
Programa Social "Comunidade Power"Programa Social "Comunidade Power"
Programa Social "Comunidade Power"
 
Aptidão ao longo da vida
Aptidão ao longo da vidaAptidão ao longo da vida
Aptidão ao longo da vida
 
Avaliação física
Avaliação físicaAvaliação física
Avaliação física
 
148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamento
148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamento148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamento
148203083 musculacao-biomecanica-e-treinamento
 
Hipertrofia muscular alimentos e suplementos
Hipertrofia muscular   alimentos e suplementosHipertrofia muscular   alimentos e suplementos
Hipertrofia muscular alimentos e suplementos
 
Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.
Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.
Pedro Ferrer - Metodologia para o treino de guarda-redes.
 
Comportamento das Capacidades Físicas
Comportamento das Capacidades FísicasComportamento das Capacidades Físicas
Comportamento das Capacidades Físicas
 
treinamento neuromuscular
treinamento neuromusculartreinamento neuromuscular
treinamento neuromuscular
 
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
 
A importancia da_tecnica_de_corrida
A importancia da_tecnica_de_corridaA importancia da_tecnica_de_corrida
A importancia da_tecnica_de_corrida
 
Alfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolistaAlfabetização Tática do jovem futebolista
Alfabetização Tática do jovem futebolista
 

Semelhante a Avaliação neuromuscular para saúde e aptidão física

Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013Fabio Mazzola
 
Trançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki Queiroz
Trançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki QueirozTrançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki Queiroz
Trançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki QueirozKiran Gorki Queiroz
 
Qualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaQualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaFilipe Matos
 
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...gemusc
 
Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1
Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1
Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1Rodrigo Ansaloni de Oliveira
 
Qualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensQualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensEd_Fis_2015
 
instrumentos e técnicas nas medidas motoras e física
instrumentos e técnicas nas medidas motoras e físicainstrumentos e técnicas nas medidas motoras e física
instrumentos e técnicas nas medidas motoras e físicaAmarildo César
 

Semelhante a Avaliação neuromuscular para saúde e aptidão física (20)

Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
 
Seminario morfo
Seminario morfoSeminario morfo
Seminario morfo
 
Flexibilidade 01
Flexibilidade 01Flexibilidade 01
Flexibilidade 01
 
Treinamento funcional cefiep1
Treinamento funcional cefiep1Treinamento funcional cefiep1
Treinamento funcional cefiep1
 
Flexibilidade01
Flexibilidade01Flexibilidade01
Flexibilidade01
 
Trançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki Queiroz
Trançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki QueirozTrançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki Queiroz
Trançados Musculares - Aula 04 - Kiran Gorki Queiroz
 
03
0303
03
 
Comparativo entre RPG e Alongamento Segmentar
Comparativo entre RPG e Alongamento SegmentarComparativo entre RPG e Alongamento Segmentar
Comparativo entre RPG e Alongamento Segmentar
 
Musculação bases metodológicas
Musculação   bases metodológicasMusculação   bases metodológicas
Musculação bases metodológicas
 
Musculação conceitos e aplicações
Musculação   conceitos e aplicaçõesMusculação   conceitos e aplicações
Musculação conceitos e aplicações
 
Treinamento de força
Treinamento de força Treinamento de força
Treinamento de força
 
Qualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaQualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - Força
 
Personal Trainer para grupos especiais
Personal Trainer para grupos especiaisPersonal Trainer para grupos especiais
Personal Trainer para grupos especiais
 
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
 
Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1
Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1
Eficiência do Treinamento Resistido para Glúteos, Abdome e Perna PARTE 1
 
Principios biomecanicos 3
Principios biomecanicos 3Principios biomecanicos 3
Principios biomecanicos 3
 
Qualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensQualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubens
 
Qualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensQualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubens
 
Exercício resistido
Exercício resistidoExercício resistido
Exercício resistido
 
instrumentos e técnicas nas medidas motoras e física
instrumentos e técnicas nas medidas motoras e físicainstrumentos e técnicas nas medidas motoras e física
instrumentos e técnicas nas medidas motoras e física
 

Mais de Sandra Cristina Ramos

Slide do menu INICIAR do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandra
Slide do menu INICIAR  do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandraSlide do menu INICIAR  do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandra
Slide do menu INICIAR do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandraSandra Cristina Ramos
 
Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1
Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1
Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1Sandra Cristina Ramos
 
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0 Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0 Sandra Cristina Ramos
 
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0 Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0 Sandra Cristina Ramos
 
Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0Sandra Cristina Ramos
 
Oficina: noções básicas, writer, impress
Oficina: noções básicas, writer, impressOficina: noções básicas, writer, impress
Oficina: noções básicas, writer, impressSandra Cristina Ramos
 
COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?
COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?
COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?Sandra Cristina Ramos
 

Mais de Sandra Cristina Ramos (18)

Oficina de blog 2012
Oficina de blog 2012 Oficina de blog 2012
Oficina de blog 2012
 
Slide do menu INICIAR do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandra
Slide do menu INICIAR  do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandraSlide do menu INICIAR  do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandra
Slide do menu INICIAR do Linux Educacional 3.0 parte 2 sandra
 
Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1
Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1
Apostila tutorial do Linux Educacional 3.0 - Parte 1
 
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0 Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
 
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0 Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina de Abertura do Linux Educacional 3.0
 
Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0
Oficina da abertura do Linux Educacional 3.0
 
Oficina: noções básicas, writer, impress
Oficina: noções básicas, writer, impressOficina: noções básicas, writer, impress
Oficina: noções básicas, writer, impress
 
Oficina writer
Oficina writerOficina writer
Oficina writer
 
COOPERAÇÃO PRESSUPÕE DIÁLOGO!
COOPERAÇÃO PRESSUPÕE DIÁLOGO!COOPERAÇÃO PRESSUPÕE DIÁLOGO!
COOPERAÇÃO PRESSUPÕE DIÁLOGO!
 
COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?
COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?
COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDE?
 
ELABORAÇÃO E EDIÇÃO DE TEXTOS
ELABORAÇÃO E EDIÇÃO DE TEXTOSELABORAÇÃO E EDIÇÃO DE TEXTOS
ELABORAÇÃO E EDIÇÃO DE TEXTOS
 
Apresentação da unidade 6
Apresentação da unidade 6Apresentação da unidade 6
Apresentação da unidade 6
 
Apresentação 2ª unidade
Apresentação 2ª unidadeApresentação 2ª unidade
Apresentação 2ª unidade
 
Apresentação 2ª unidade
Apresentação 2ª unidadeApresentação 2ª unidade
Apresentação 2ª unidade
 
Apresentação 2ª Unidade
Apresentação 2ª UnidadeApresentação 2ª Unidade
Apresentação 2ª Unidade
 
Apresentação da 1ª unidade
Apresentação da 1ª unidadeApresentação da 1ª unidade
Apresentação da 1ª unidade
 
Apresentação da 1ª unidade
Apresentação da 1ª unidadeApresentação da 1ª unidade
Apresentação da 1ª unidade
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 

Último

Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 

Avaliação neuromuscular para saúde e aptidão física

  • 1.
  • 2. Os aspectos neuromotores são essenciais para saúde e funções fisiológicas. É bem verdade que poucas pessoas morrem por falta de flexibilidade ou força diminuída. No entanto muitas pessoas sofrem de problemas lombares crônicos e diminuição da força muscular com o envelhecimento, isto associado à carência de atividade física , tornando-se visível a importância de exercícios ,regulares para manutenção do aspecto Neuromuscular (POLLOCK,1986). • Flexibilidade • Força • Resistência muscular localizada
  • 3. De acordo com FARINATTI & MONTEIRO (2000, p.236) esta qualidade física que pode ser definida como a amplitude de movimento em determinada articulação, apresenta relevante papel para obtenção de níveis satisfatórios de saúde e aptidão física. • Medidas angulares : Resultados expressos em graus. Feitos através de aparelhos especificos. • Medidas lineares: Sentar e alcançar. Os testes lineares são os mais difundido por prescindirem de instrumentos (FERNANDES 2003, p.205). • Medidas admensionais: Avalia de forma passiva ,com 20 movimentos. Avalia a flexibilidade através de movimentos específicos (FERNANDES, 1985). AVALIAÇÃO NEUROMUSCULAR
  • 5. Sentar e alcança de Wells Medidas Lineares: • Mede o grau de flexibilidade do quadril , dorso e posteriores dos membros inferiores. Expressam os valores da distância do ponto do corpo em relação a um ponto de referência.
  • 6.  Teste admensional : adaptado do original de MONTEIRO e FARINATI de 20 movimentos,para 8 .
  • 7.
  • 8.  A avaliação da força é importante para uma eficaz prescrição de exercício tendo como objetivo a promoção da saúde. Além disso, o treinamento de força pode atenuar a perda em força muscular e em densidade óssea associada ao processo de envelhecimento. Os estudos têm mostrado que o treinamento de força muscular reduz o risco de lesões articulares e/ou musculares que podem ocorrer durante a atividade física. Casos cirúrgicos / compensação muscular  Segundo a ACSM(2006),força de resistência é a capacidade de um grupo muscular executar contrações repetidas por um período de tempo suficiente para causar fadigas, ou manter estaticamente uma contração muscular voluntária Máxima por um período prolongado de tempo. AVALIAÇÃO DE FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR
  • 9.  Podendo ser medida e avaliada de forma isométrica , isotônica e isocinética. AVALIAÇÃO DE FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR  Isométricas (estáticas), o músculo desenvolve tensão sem mudar o comprimento.  Isotônicas (dinâmica) a tensão deve estar constante em toda a amplitude do movimento. Ocorrem de forma concêntrica e excêntrica.  Isocinéticas contração com velocidade constante em toda amplitude do movimento.Necessita equipamentos especiais , permitem um a velocidade constante na contração independente da carga).
  • 10.  Para tal mensuração são empregados desde aparelhos como dinamômetro, tensiometros até forma simples como pesos livres. Dentre vários testes que objetivam medir a força muscular de um individuo ,classificamos estes teste em:  Teste de avaliação da força máxima  Teste de avaliação da força explosiva  Teste de avaliação da força rápida
  • 11. AVALIAÇÃO DE FORÇA MÁXIMA Os testes utilizados na avaliação da força máxima podem ser classificados em teste dinâmicos (isotônicos), estáticos (isométricos) e isocinéticos Testes dinâmicos POLLOCK e col (1984), apud FARINATTI(2000, 250) relatam a utilização do teste de peso máximo (TPM) também chamado de 1 RM (teste de uma repetição máxima), para avaliar a força dinâmica em determinado músculo ou grupamento muscular. Isso refere-se a quantidade máxima de peso levantado um a única vez de forma correta, durante a realização de um exercício predeterminado de levantamento de peso.
  • 12.  Teste de peso máximo (1 RM) Finalidade: medir a quantidade de força dinâmica máxima executando um movimento completo abrangendo todo o arco articular. População-alvo: deve ser aplicado em pessoas acostumadas com o trabalho de força. Porção corporal envolvida: sistema locomotor AVALIAÇÃO DE FORÇA MÁXIMA
  • 13. Material necessário: aparelho para musculação com pesos fracionados ou barra e anilhas. Metodologia do teste: Segundo FARINATTI (op.cit) a metodologia do teste conta das seguintes etapas:- Escolhe-se o músculo ou grupamento muscular a ser testado;- O avaliado realiza uma série de tentativas para determinar a maior carga que é capaz de mover em determinado movimento.- A carga inicial deve ser leve e em função da primeira tentativa, vai-se aumentando a mesma até que o avaliado consiga realizar no máximo uma repetição completa com a maior carga possível. Desenvolvimento Supino: Peitoral maior e menor, deltóide anterior, trícepsbraquial, córoco braquial
  • 14.  A força máxima isométrica é medida por meio de aparelhos específicos que geralmente são Tensiometros ou Dinamômetros.  De acordo com McARDLE (1992, p.294) o tensiometro é leve, portáti ,durável, fácil de usar e comporta a vantagem da versatilidade para registra as mensurações da força em praticamente todos os ângulos na amplitude do movimento de determinada articulação.  Finalidade: mensurar a força máxima de um músculo ou grupamento muscular em determinado ângulo de movimento  Material necessário: tensiômetro com cabo. AVALIAÇÃO DE FORÇA MÁXIMA  TESTE ESTÁTICO
  • 15. AVALIAÇÃO FORÇA MÁXIMA  TESTE ESTÁTICO DINAMÔMETRO
  • 16. Força explosiva, também conhecida como potência muscular é a capacidade de realizar uma contração muscular utilizando uma força máxima no menor tempo possível