SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
MOVIMENTO MODERNISTA EMOVIMENTO MODERNISTA E
SEMANA DE ARTE MODERNA DESEMANA DE ARTE MODERNA DE
19221922
Brasil: Modernismo e arte
Contemporânea
• O Brasil historicamente se colocou, no campo da arte e do
pensamento, na dependência de movimentos externos
que, depois de se consolidarem nos países de origem,
foram adotados como expressões significativas para o
entendimento de nossa realidade. Contudo, tais
concepções exógenas adquiriram uma “cor” local, ou seja,
foram adaptadas às circunstâncias históricas do país e, em
muitos casos, foram até subvertidas. Entretanto, esse
estado de coisas foi rompido quando tratamos do século
XX, em especial, ao estudarmos o modernismo e a arte
contemporânea no Brasil. O país foi protagonista e
dialogou com várias correntes do pensamento mundial em
uma condição até então imaginada.
O movimento modernista e a 1.
Semana de Arte Moderna de 22
• O ano era 1922. Um momento de
muitas turbulências sociais,
políticas, econômicas e culturais
que marcaram a maioria dos
artistas e intelectuais que
buscavam novos caminhos.
•Aqui, existia um cenário: a
cidade de São Paulo e a
sociedade paulista, cuja
elite, composta de
membros das oligarquias
cafeeiras, sustentava a
política do “café com leite”.
• Esta elite ainda cultuava o
tradicionalismo dos padrões estéticos
europeus, mostrando-se desinteressada
pela arte produzida no Brasil e também
por seus artistas. Muito embora, já em
1913, tivessem acontecido, no Brasil, a
exposição expressionista de Lasar Segall
e em 1914, a primeira exposição de Anita
Malfatti, elas não tiveram a repercussão
esperada.
• Mas a segunda exposição de Anita Malfatti,
carregada de influências do cubismo, do
expressionismo e do futurismo, em dezembro de
1917, foi alvo de duras críticas de Monteiro
Lobato, em seu artigo Paranoia ou Mistificação,
publicado no “Estadinho”, órgão do jornal O
Estado de S. Paulo. Estas críticas fizeram com que
Oswald e Mário de Andrade se unissem a Anita
Malfatti, a qual foi defendida de imediato por
Oswald na imprensa. Di Cavalcanti, o artista
considerado o verdadeiro idealizador e articulador
do evento, em companhia de Guilherme de
Almeida, também correu em defesa de Anita.
• Paralelamente a esses fatos, percebia-se
grande inquietação no cenário artístico
nacional, por parte de jovens artistas e
intelectuais que, além de quererem
propagar seus ideais modernistas,
sentiam-se, naquele momento,
contagiados e motivados pelo clima das
festas do Centenário da Independência,
preparadas pelo governo de Epitácio
Pessoa, que, em grande estilo, exaltaria o
Brasil.
• Estes artistas e intelectuais sentiram
que aquele seria o momento para
suas ideias eclodirem num
movimento de contestação, de
derrubada de velhos cânones que
legitimavam a criação artística em
nosso país.
• Sentiram que era também o
momento de atualizar a linguagem
brasileira com a do mundo
contemporâneo, atualizar nossa
inteligência artística e estabelecer
uma consciência criadora nacional e
ainda garantir nosso direito
permanente à pesquisa estética, sem
influências externas.
• Com essa iniciativa, uma das mais
importantes páginas da história da
arte brasileira foi escrita no período
de 11 a 18 de fevereiro de 1922. Foi
preciso apenas uma semana para
que acontecesse o grande marco do
movimento modernista no Brasil, o
qual não foi bem entendido em sua
época: “A Semana de Arte Moderna
de 1922”.
Cartaz da Semana de Arte
Moderna, anunciando
apresentação do maestro
Villa-Lobos.
• A Semana de Arte Moderna aconteceu no
Teatro Municipal, na cidade de São Paulo, e
foi um evento artístico que, embora com
curto período de duração, deixou marcas
indeléveis e mudou os rumos da história da
arte brasileira.
• Durante os sete dias da Semana, uma
exposição modernista, também chamada de
Manifesto, ocupou o Teatro e, na noite dos
dias 13, 15 e 17, ocorreram festivais de
música, poesia e palestras sobre os ideais
modernos.
• Entretanto, não estavam ali apenas artistas e
intelectuais ligados ao mundo das artes.
Educadores, trabalhadores, empresários,
políticos e várias outras pessoas
representantes dos diversos segmentos da
sociedade se faziam presentes. Foram ao
Teatro Municipal com o propósito de
participar das discussões sobre a identidade
nacional, os rumos do Brasil e outras questões
sociais, e, agora, ainda mais motivados pelo
centenário da Independência, que se
aproximava.
• Embora a verdadeira intenção dos artistas
e organizadores da exposição fosse romper
com as regras clássicas ensinadas nas
escolas de Belas-Artes, para legitimar a
hegemonia dos padrões europeus na arte,
muitas outras questões de cunho político e
social foram abordadas, como, por
exemplo, denunciar a apatia das classes
cultas e dominantes em relação à nossa
estagnação cultural e em relação às
desigualdades sociais, tema que, aliás,
permanece atual até os dias de hoje.
• Os objetivos da Semana de Arte Moderna
não foram atingidos de imediato, mas sua
importância cresceu à medida que sua
rejeição pelo passado permeava outros
movimentos político-sociais que eclodiriam
no país a partir de 1922, como: em julho
desse mesmo ano, a sublevação do Forte
de Copacabana e dois anos depois, em São
Paulo, a Revolução de 1924, além da luta
contra o paternalismo da I República.
Também, nesses movimentos, muitos
modernistas estavam envolvidos.
• Essas manifestações desembocariam na
Revolução de 30, que marcaria o
aparecimento de uma nova era para o Brasil.
Todas estavam impregnadas dos ideais da
Semana de 22, que antecipou, com sua
ideologia, seu repúdio e a insatisfação que
assumiria, anos depois, perante o
tradicionalismo e o aristocratismo.
• No entanto, os eventos da semana não foram
cercados apenas de aplausos. Houve muitas
vaias e críticas, especialmente por parte dos
adeptos do academicismo e daqueles que não
entendiam as propostas apresentadas.
• Embora a literatura encabeçasse a lista dos
descontentes com a ordem estética
estabelecida, a pintura, a escultura, a
arquitetura e a música também se faziam
presentes, tentando alargar seus horizontes.
• Nas artes plásticas, três nomes se destacaram:
Anita Malfatti, Di Cavalcanti e Victor
Brecheret.
• Na escultura, a grande presença foi Brecheret,
com um conjunto de doze peças escultóricas.
Brecheret, mais que seus colegas, foi alvo de
exaltação por parte de Oswald de Andrade e
de Menotti Del Pichia.
• As artes plásticas contribuíram em muito para
que a Semana acontecesse com noções
menos abstratas e puramente verbais e para
que os problemas estéticos fossem tratados
com uma compreensão mais direta e concreta
para o espectador. Sem a contribuição direta
das artes plásticas, o movimento modernista
dificilmente teria o sucesso e a repercussão
que teve na evolução intelectual e artística de
nosso país.
• A São Paulo de 1922 nada ou quase nada
tinha de moderno. De novo, na música,
apenas a obra de Villa-Lobos, e na poesia, a
Pauliceia Desvairada, de Mario de Andrade,
além das obras apresentadas no saguão do
Teatro Municipal, que estavam ainda muito
distantes do que poderia ser chamado de
“vanguarda”.
• O grupo que contestava o ranço do passado
era vitorioso em sua tentativa de destruição.
Embora não tivesse ainda uma proposta
pronta e madura para substituir os padrões
vigentes, plantou sementes que germinam até
hoje.
• Seus frutos foram sendo colhidos, ao longo
dos anos, e resultando numa grande
irradiação cultural, que, podemos afirmar,
beneficia-nos até os dias de hoje.
Alguns dos principais participantes da
Semana de Arte Moderna de 1922:
• Na literatura:
• Mário de Andrade•
• Oswald de Andrade•
• Menotti Del Pichia•
• Na arquitetura:
• Antonio Moya •
• Georg Prsirembel•
• Na escultura:
• Victorio (Victor) Brecheret •
• Wilhelm Haerberg•
• Na pintura:
• Anita Malfatti•
• Emiliano Di Cavalcanti•
• John Graz•
• Martins Ribeiro• Zina Aita•
• J. F. de Almeida Prado•
• Ferrignac•
• Vicente Rego Monteiro.•
• Conheça agora algumas das principais obras
dos participantes da Semana de 1922, já
impregnadas dos traços do modernismo que
emergia no Brasil.
Mural do artista plástico Di
Calvalcanti, no Hotel
Jaraguá, em São Paulo
Victor Brecheret. Monumento
às Bandeiras, 1954. Conjunto
escultórico situado no
Parque do Ibirapuera. São
Paulo - SP.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Slide semana de arte moderna
Slide   semana de arte modernaSlide   semana de arte moderna
Slide semana de arte moderna
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
Aula de Dadaísmo
Aula de DadaísmoAula de Dadaísmo
Aula de Dadaísmo
 
Arte Urbana
Arte UrbanaArte Urbana
Arte Urbana
 
História da arte - Arte Contemporânea
História da arte -  Arte ContemporâneaHistória da arte -  Arte Contemporânea
História da arte - Arte Contemporânea
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
 
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art decoAula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Pop arte
 Pop arte Pop arte
Pop arte
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Semana da arte moderna de 1922
Semana da arte moderna de 1922Semana da arte moderna de 1922
Semana da arte moderna de 1922
 
EXPRESSIONISMO
EXPRESSIONISMOEXPRESSIONISMO
EXPRESSIONISMO
 
A semana da arte moderna blog
A semana da arte moderna   blogA semana da arte moderna   blog
A semana da arte moderna blog
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 

Destaque

Caracteristicas do modernismo 3º ano
Caracteristicas do modernismo   3º anoCaracteristicas do modernismo   3º ano
Caracteristicas do modernismo 3º anoLuana Bastos
 
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiroSemana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiroColégio Santa Luzia
 
Novo Acordo Ortografico
Novo Acordo OrtograficoNovo Acordo Ortografico
Novo Acordo Ortograficodeathie
 
Manual da-nova-ortografia
Manual da-nova-ortografiaManual da-nova-ortografia
Manual da-nova-ortografiaPaula Tannus
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.Bruna
 
Slides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoSlides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoFlaviacristina74
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAMarcelo Cordeiro Souza
 
Parnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian TrombiniParnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian TrombiniVIVIAN TROMBINI
 
Vanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian TrombiniVanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian TrombiniVIVIAN TROMBINI
 
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.Zelma Alzareth Almeida
 
A mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa
A mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua PortuguesaA mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa
A mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesajoao_pimentel
 
Apresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo BrasileiroApresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo BrasileiroKleiner Paulo Geraldi
 
Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922
Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922
Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922tatalves
 

Destaque (20)

Caracteristicas do modernismo 3º ano
Caracteristicas do modernismo   3º anoCaracteristicas do modernismo   3º ano
Caracteristicas do modernismo 3º ano
 
Nova Ortografia - Aula 02
Nova Ortografia - Aula 02Nova Ortografia - Aula 02
Nova Ortografia - Aula 02
 
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiroSemana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
Semana de arte moderna e 1ª fase do Modernismo brasileiro
 
Novo Acordo Ortografico
Novo Acordo OrtograficoNovo Acordo Ortografico
Novo Acordo Ortografico
 
Manual da-nova-ortografia
Manual da-nova-ortografiaManual da-nova-ortografia
Manual da-nova-ortografia
 
Pré modernismo I
Pré modernismo IPré modernismo I
Pré modernismo I
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.
 
Nova Ortografia - Aula 01
Nova Ortografia - Aula 01Nova Ortografia - Aula 01
Nova Ortografia - Aula 01
 
Slides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoSlides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFico
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Parnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian TrombiniParnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian Trombini
 
Vanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian TrombiniVanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian Trombini
 
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
 
Aula 3 arte - 2º ano
Aula 3   arte - 2º anoAula 3   arte - 2º ano
Aula 3 arte - 2º ano
 
A mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa
A mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua PortuguesaA mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa
A mais completa apresentação sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Apresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo BrasileiroApresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo Brasileiro
 
Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922
Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922
Webgincana da Semana de Arte Moderna de 1922
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Nova Ortografia
Nova OrtografiaNova Ortografia
Nova Ortografia
 

Semelhante a Modernismo 1922

Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte modernamarleiart
 
Modernismo no Brasil - 1ª fase
Modernismo no Brasil - 1ª faseModernismo no Brasil - 1ª fase
Modernismo no Brasil - 1ª faseMiriam Zelmikaitis
 
Semana de Arte Moderna de 1922.pptx
Semana de Arte Moderna de 1922.pptxSemana de Arte Moderna de 1922.pptx
Semana de Arte Moderna de 1922.pptxKeila Formagi
 
Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930
Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930
Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930Felipe Marques
 
Artes semana da arte moderna
Artes  semana da arte modernaArtes  semana da arte moderna
Artes semana da arte modernaEdwin Juan
 
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Literatura   aula 22 - modernismo no brasilLiteratura   aula 22 - modernismo no brasil
Literatura aula 22 - modernismo no brasilJuliana Oliveira
 
Semana Da Arte Moderna
Semana Da Arte ModernaSemana Da Arte Moderna
Semana Da Arte Modernamariajose
 
Apresentação (4).pptx
Apresentação (4).pptxApresentação (4).pptx
Apresentação (4).pptxEndelCosta1
 
Pré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptx
Pré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptxPré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptx
Pré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptxEndelCosta1
 
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptxTATE9
 

Semelhante a Modernismo 1922 (20)

Semana da Arte Moderna
Semana da Arte ModernaSemana da Arte Moderna
Semana da Arte Moderna
 
Arte moderna slide
Arte moderna slideArte moderna slide
Arte moderna slide
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Modernismo no Brasil - 1ª fase
Modernismo no Brasil - 1ª faseModernismo no Brasil - 1ª fase
Modernismo no Brasil - 1ª fase
 
Semana de Arte Moderna de 1922.pptx
Semana de Arte Moderna de 1922.pptxSemana de Arte Moderna de 1922.pptx
Semana de Arte Moderna de 1922.pptx
 
Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930
Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930
Publicidade e Propaganda entre 1920 e 1930
 
Artes semana da arte moderna
Artes  semana da arte modernaArtes  semana da arte moderna
Artes semana da arte moderna
 
modernismo brasileiro
modernismo brasileiromodernismo brasileiro
modernismo brasileiro
 
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Literatura   aula 22 - modernismo no brasilLiteratura   aula 22 - modernismo no brasil
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Semana Da Arte Moderna
Semana Da Arte ModernaSemana Da Arte Moderna
Semana Da Arte Moderna
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Apresentação (4).pptx
Apresentação (4).pptxApresentação (4).pptx
Apresentação (4).pptx
 
Pré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptx
Pré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptxPré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptx
Pré-modernismo e mordenismo 1°geração.pptx
 
Modernismo no brasil
Modernismo no brasilModernismo no brasil
Modernismo no brasil
 
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
 
Trabalho de pt
Trabalho de ptTrabalho de pt
Trabalho de pt
 

Mais de Cristiane Seibt (20)

Obras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidasObras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidas
 
16 artistas conceituais
16 artistas conceituais16 artistas conceituais
16 artistas conceituais
 
Arte e tecnologia
Arte e tecnologiaArte e tecnologia
Arte e tecnologia
 
Circo
CircoCirco
Circo
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
Arte ambiental
Arte ambientalArte ambiental
Arte ambiental
 
ARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIAARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIA
 
10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo
 
Música
MúsicaMúsica
Música
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
MÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADAMÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADA
 
BRINQUEDOS
BRINQUEDOSBRINQUEDOS
BRINQUEDOS
 
SURREALISMO
SURREALISMOSURREALISMO
SURREALISMO
 
FUTURISMO
FUTURISMOFUTURISMO
FUTURISMO
 
DADAÍSMO
DADAÍSMODADAÍSMO
DADAÍSMO
 
ABSTRACIONISMO
ABSTRACIONISMOABSTRACIONISMO
ABSTRACIONISMO
 
FAUVISMO
FAUVISMOFAUVISMO
FAUVISMO
 
100 MARAVILHAS DO MUNDO
100 MARAVILHAS DO MUNDO100 MARAVILHAS DO MUNDO
100 MARAVILHAS DO MUNDO
 
Pós impressionismo
Pós impressionismoPós impressionismo
Pós impressionismo
 

Último

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 

Último (20)

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 

Modernismo 1922

  • 1. MOVIMENTO MODERNISTA EMOVIMENTO MODERNISTA E SEMANA DE ARTE MODERNA DESEMANA DE ARTE MODERNA DE 19221922
  • 2. Brasil: Modernismo e arte Contemporânea • O Brasil historicamente se colocou, no campo da arte e do pensamento, na dependência de movimentos externos que, depois de se consolidarem nos países de origem, foram adotados como expressões significativas para o entendimento de nossa realidade. Contudo, tais concepções exógenas adquiriram uma “cor” local, ou seja, foram adaptadas às circunstâncias históricas do país e, em muitos casos, foram até subvertidas. Entretanto, esse estado de coisas foi rompido quando tratamos do século XX, em especial, ao estudarmos o modernismo e a arte contemporânea no Brasil. O país foi protagonista e dialogou com várias correntes do pensamento mundial em uma condição até então imaginada.
  • 3. O movimento modernista e a 1. Semana de Arte Moderna de 22 • O ano era 1922. Um momento de muitas turbulências sociais, políticas, econômicas e culturais que marcaram a maioria dos artistas e intelectuais que buscavam novos caminhos.
  • 4.
  • 5. •Aqui, existia um cenário: a cidade de São Paulo e a sociedade paulista, cuja elite, composta de membros das oligarquias cafeeiras, sustentava a política do “café com leite”.
  • 6. • Esta elite ainda cultuava o tradicionalismo dos padrões estéticos europeus, mostrando-se desinteressada pela arte produzida no Brasil e também por seus artistas. Muito embora, já em 1913, tivessem acontecido, no Brasil, a exposição expressionista de Lasar Segall e em 1914, a primeira exposição de Anita Malfatti, elas não tiveram a repercussão esperada.
  • 7. • Mas a segunda exposição de Anita Malfatti, carregada de influências do cubismo, do expressionismo e do futurismo, em dezembro de 1917, foi alvo de duras críticas de Monteiro Lobato, em seu artigo Paranoia ou Mistificação, publicado no “Estadinho”, órgão do jornal O Estado de S. Paulo. Estas críticas fizeram com que Oswald e Mário de Andrade se unissem a Anita Malfatti, a qual foi defendida de imediato por Oswald na imprensa. Di Cavalcanti, o artista considerado o verdadeiro idealizador e articulador do evento, em companhia de Guilherme de Almeida, também correu em defesa de Anita.
  • 8. • Paralelamente a esses fatos, percebia-se grande inquietação no cenário artístico nacional, por parte de jovens artistas e intelectuais que, além de quererem propagar seus ideais modernistas, sentiam-se, naquele momento, contagiados e motivados pelo clima das festas do Centenário da Independência, preparadas pelo governo de Epitácio Pessoa, que, em grande estilo, exaltaria o Brasil.
  • 9. • Estes artistas e intelectuais sentiram que aquele seria o momento para suas ideias eclodirem num movimento de contestação, de derrubada de velhos cânones que legitimavam a criação artística em nosso país.
  • 10. • Sentiram que era também o momento de atualizar a linguagem brasileira com a do mundo contemporâneo, atualizar nossa inteligência artística e estabelecer uma consciência criadora nacional e ainda garantir nosso direito permanente à pesquisa estética, sem influências externas.
  • 11. • Com essa iniciativa, uma das mais importantes páginas da história da arte brasileira foi escrita no período de 11 a 18 de fevereiro de 1922. Foi preciso apenas uma semana para que acontecesse o grande marco do movimento modernista no Brasil, o qual não foi bem entendido em sua época: “A Semana de Arte Moderna de 1922”.
  • 12. Cartaz da Semana de Arte Moderna, anunciando apresentação do maestro Villa-Lobos.
  • 13. • A Semana de Arte Moderna aconteceu no Teatro Municipal, na cidade de São Paulo, e foi um evento artístico que, embora com curto período de duração, deixou marcas indeléveis e mudou os rumos da história da arte brasileira.
  • 14. • Durante os sete dias da Semana, uma exposição modernista, também chamada de Manifesto, ocupou o Teatro e, na noite dos dias 13, 15 e 17, ocorreram festivais de música, poesia e palestras sobre os ideais modernos.
  • 15. • Entretanto, não estavam ali apenas artistas e intelectuais ligados ao mundo das artes. Educadores, trabalhadores, empresários, políticos e várias outras pessoas representantes dos diversos segmentos da sociedade se faziam presentes. Foram ao Teatro Municipal com o propósito de participar das discussões sobre a identidade nacional, os rumos do Brasil e outras questões sociais, e, agora, ainda mais motivados pelo centenário da Independência, que se aproximava.
  • 16. • Embora a verdadeira intenção dos artistas e organizadores da exposição fosse romper com as regras clássicas ensinadas nas escolas de Belas-Artes, para legitimar a hegemonia dos padrões europeus na arte, muitas outras questões de cunho político e social foram abordadas, como, por exemplo, denunciar a apatia das classes cultas e dominantes em relação à nossa estagnação cultural e em relação às desigualdades sociais, tema que, aliás, permanece atual até os dias de hoje.
  • 17. • Os objetivos da Semana de Arte Moderna não foram atingidos de imediato, mas sua importância cresceu à medida que sua rejeição pelo passado permeava outros movimentos político-sociais que eclodiriam no país a partir de 1922, como: em julho desse mesmo ano, a sublevação do Forte de Copacabana e dois anos depois, em São Paulo, a Revolução de 1924, além da luta contra o paternalismo da I República. Também, nesses movimentos, muitos modernistas estavam envolvidos.
  • 18. • Essas manifestações desembocariam na Revolução de 30, que marcaria o aparecimento de uma nova era para o Brasil. Todas estavam impregnadas dos ideais da Semana de 22, que antecipou, com sua ideologia, seu repúdio e a insatisfação que assumiria, anos depois, perante o tradicionalismo e o aristocratismo.
  • 19. • No entanto, os eventos da semana não foram cercados apenas de aplausos. Houve muitas vaias e críticas, especialmente por parte dos adeptos do academicismo e daqueles que não entendiam as propostas apresentadas.
  • 20. • Embora a literatura encabeçasse a lista dos descontentes com a ordem estética estabelecida, a pintura, a escultura, a arquitetura e a música também se faziam presentes, tentando alargar seus horizontes.
  • 21. • Nas artes plásticas, três nomes se destacaram: Anita Malfatti, Di Cavalcanti e Victor Brecheret.
  • 22. • Na escultura, a grande presença foi Brecheret, com um conjunto de doze peças escultóricas. Brecheret, mais que seus colegas, foi alvo de exaltação por parte de Oswald de Andrade e de Menotti Del Pichia.
  • 23. • As artes plásticas contribuíram em muito para que a Semana acontecesse com noções menos abstratas e puramente verbais e para que os problemas estéticos fossem tratados com uma compreensão mais direta e concreta para o espectador. Sem a contribuição direta das artes plásticas, o movimento modernista dificilmente teria o sucesso e a repercussão que teve na evolução intelectual e artística de nosso país.
  • 24. • A São Paulo de 1922 nada ou quase nada tinha de moderno. De novo, na música, apenas a obra de Villa-Lobos, e na poesia, a Pauliceia Desvairada, de Mario de Andrade, além das obras apresentadas no saguão do Teatro Municipal, que estavam ainda muito distantes do que poderia ser chamado de “vanguarda”.
  • 25. • O grupo que contestava o ranço do passado era vitorioso em sua tentativa de destruição. Embora não tivesse ainda uma proposta pronta e madura para substituir os padrões vigentes, plantou sementes que germinam até hoje.
  • 26. • Seus frutos foram sendo colhidos, ao longo dos anos, e resultando numa grande irradiação cultural, que, podemos afirmar, beneficia-nos até os dias de hoje.
  • 27. Alguns dos principais participantes da Semana de Arte Moderna de 1922: • Na literatura: • Mário de Andrade• • Oswald de Andrade• • Menotti Del Pichia• • Na arquitetura: • Antonio Moya • • Georg Prsirembel•
  • 28. • Na escultura: • Victorio (Victor) Brecheret • • Wilhelm Haerberg• • Na pintura: • Anita Malfatti• • Emiliano Di Cavalcanti• • John Graz• • Martins Ribeiro• Zina Aita• • J. F. de Almeida Prado• • Ferrignac• • Vicente Rego Monteiro.•
  • 29. • Conheça agora algumas das principais obras dos participantes da Semana de 1922, já impregnadas dos traços do modernismo que emergia no Brasil.
  • 30. Mural do artista plástico Di Calvalcanti, no Hotel Jaraguá, em São Paulo
  • 31. Victor Brecheret. Monumento às Bandeiras, 1954. Conjunto escultórico situado no Parque do Ibirapuera. São Paulo - SP.