AS DOENÇAS TROPICAIS QUE ASSOLAVAM O RIO DEJANEIRO.               Grupo 1
INTRODUÇÃO■O RIO DE JANEIRO NAPRIMEIRA REPÚBLICA.■A REVOLTA DA VACINA.■O DESFECHO DA REVOLTA.■O CONTEXTO POLÍTICO DA   .RE...
O Cenário da cidade do Rio de Janeiro no início da República .●O Centro do Rio de janeiro no início da primeira repúblicam...
A REVOLTA DA VACINA.
O CONTEXTO DA REVOLTA.●Para cumprir seu objetivo Oswaldo cruz, encaminhou ao congresso a proposta de lei de obrigatoriedad...
A População se viu invadida em                      sua vida privada, seus costumes,                      seu cotidiano, o...
A Revolta da Vacina.  Durante o mês de novembro de 1904, século XX, oRio de Janeiro foi cenário de uma das maiores revolta...
AS BARRICADAS DOS MANIFESTANTES.
A População estava insatisfeita com lei de obrigatoriedade da vacina ecom as medidas arbitrárias do governo . O Governo de...
O DESFECHO DA REVOLTADepois de decretado estado de sítio na cidade, foram contidas as insurreições militares que tentavam ...
OSWALDO CRUZ E SEU SANITARISTA.
CONTEXTO POLÍTICO DA REVOLTA.A Revolta da Vacina ocorrida num momento decisivo de transformação da sociedade Brasileira, n...
A CIDADE REURBANIZADA.
OS MÉTODOS DE IMUNIZAÇÃO DEOSWALDO CRUZ.
BIBLIOGRAFIA■SEVCENKO, Nicolau. A Revolta da Vacina: Mentes Insanas em Corpos Rebeldes. São Paulo, Cosac Naify, 2010.■CARV...
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.

6.745 visualizações

Publicada em

CONTEXTO POLÍTICO E SOCIAL DA REVOLTA DA VACINA SÉC. XIX, OCORRIDA NO RIO DE JANEIRO.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.745
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
147
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.

  1. 1. AS DOENÇAS TROPICAIS QUE ASSOLAVAM O RIO DEJANEIRO. Grupo 1
  2. 2. INTRODUÇÃO■O RIO DE JANEIRO NAPRIMEIRA REPÚBLICA.■A REVOLTA DA VACINA.■O DESFECHO DA REVOLTA.■O CONTEXTO POLÍTICO DA .REVOLTA.
  3. 3. O Cenário da cidade do Rio de Janeiro no início da República .●O Centro do Rio de janeiro no início da primeira repúblicameados do século XIX era o local onde as pessoas residiam ecomercializavam pelas ruas, pela cidade encontravam-se porcos,vacas, negras de tabuleiros, capoeiras além dos vários cortiçosonde viviam várias famílias amontoados nas pequenos quartoscom pouca ventilação e muita umidade, a sujeira e adesorganização eram comuns nestes locais.● os marinheiros desembarcavam no porto do Rio aterrorizadospois muitos os que aqui desembarcavam contraiam vários tiposde doenças, os imigrantes recusavam-se a vir trabalhar naslavouras de café temiam a”cidade da morte”, assim eradenominada a capital. ●Preocupado com esse cenário o presidente Rodrigues Alves eo prefeito Pereira Passos começaram a realizar um projeto dereurbanização e saneamento básico, e pediram o auxílio domédico sanitarista Oswaldo Cruz para acabar com as epidemiasque eram constantes no Rio de Janeiro.● Oswaldo Cruz assume o cargo de diretor geral dodepartamento de saúde pública do governo federal e decreta a leide obrigatoriedade da vacina, com o objetivo acabar com asepidemias que impediam a chegada do progresso, começa entãoo processo de saneamento e urbanização da capital.
  4. 4. A REVOLTA DA VACINA.
  5. 5. O CONTEXTO DA REVOLTA.●Para cumprir seu objetivo Oswaldo cruz, encaminhou ao congresso a proposta de lei de obrigatoriedade da vacina em 31 de outubro.●Começam os protestos e a insatisfação de diversos setores da sociedade civil.●A destruição de casebres para alargamento das ruas e avenidas da cidade, junto com a política de vacinação obrigatória e a arbitrariedade do governo, e a falta de esclarecimentos á população foram os fatores que desencadearam a revolta da vacina.●As brigadas de mata mosquitos formadas pelos sanitaristas invadiam as casas com ajuda dos policiais vacinando as pessoas á força, além de exterminar ratos e mosquitos.
  6. 6. A População se viu invadida em sua vida privada, seus costumes, seu cotidiano, o governo não desenvolveu nenhum programa de orientação a população de como seria a vacinação e a chegada dos sanitaristas,eles agiam violentamente revirando as casas e quintais adentravam nas casas mesmo sem a presença dos maridos o que nesta época eraA Revolta da Vacina uma afronta,um desrespeito com a família. A população sentia-se violada com as medidas do governo e obteve o apoio de militares, monarquistas, intelectuais, e alguns poucos líderes operários daquela época, que também estavam descontentes com o governo de Rodrigues Alves. Assim começaram as manifestações contra a vacinação obrigatória.
  7. 7. A Revolta da Vacina. Durante o mês de novembro de 1904, século XX, oRio de Janeiro foi cenário de uma das maiores revoltasurbanas que aconteceram neste país, onde centenas depessoas tomaram as ruas da cidade para protestar pelamedida adotada pelo governo. Ocorreram manifestações de militares para retirada deRodrigues Alves do poder com o apoio de monarquistase intelectuais. A Polícia e a Marinha tomaram as ruas da cidade ondeocorreram confrontos violentos com a população quedestruía bondinhos, lojas, e formavam barricadas nasruas da cidade. A população reagiu ativamente contra a obrigação davacina a cidade parou por mais de uma semana cominúmeros protestos chegou até a ser decretado estado desítio na cidade.
  8. 8. AS BARRICADAS DOS MANIFESTANTES.
  9. 9. A População estava insatisfeita com lei de obrigatoriedade da vacina ecom as medidas arbitrárias do governo . O Governo decretou que quem não cumprisse a lei seria impedido deassumir cargos públicos, além de não conseguirem matrícula nas escolas,hospedagem em hotéis, viagens, casamentos e estariam sujeitos a pagarmultas.
  10. 10. O DESFECHO DA REVOLTADepois de decretado estado de sítio na cidade, foram contidas as insurreições militares que tentavam tirar Rodrigues Alves do poder.O Desfecho final para a população foi de várias mortes, muitas pessoas feridas e centenas deportadas para o Acre na ilha das cobras.A Questionada Lei da Vacina obrigatória foi revogada.A vida dos participantes da revolta da vacina não seria mais a mesma, dentre os presos que foram deportados para o acre muitos deles morreram de varíola pois viviam em locais com péssima higiene e em condições subumanas.os que ficaram assistiram a reforma urbana de Pereira Passos derrubando cortiços e despejando pessoas de suas casas, tendo que se refugiarem nos morros do entorno do Rio de Janeiro, ou nos locais mais afastados.O centro da cidade não era mais local para a camada pobre, a cidade após a reforma urbana ficou sendo um local de luxo e refinamento onde apenas a burguesia poderia desfrutar.
  11. 11. OSWALDO CRUZ E SEU SANITARISTA.
  12. 12. CONTEXTO POLÍTICO DA REVOLTA.A Revolta da Vacina ocorrida num momento decisivo de transformação da sociedade Brasileira, nos fornece uma visão particularmente esclarecedora de alguns elementos estruturais que preponderam em nosso passado recente e que repercutem até os dias atuais. A constituição de uma sociedade predominantemente urbanizada e de origem burguesa no inicio da fase Republicana, que idealizavam uma Capital Federal com ares Europeus, para que fossem reconhecidos como um país estruturado e não mais visto como atrasado e de costumes primitivos,a burguesia deveria limpar o centro da cidade retirando dela toda a escória da sociedade do Rio de Janeiro, começando pela classe pobre que teimava em resistir ao progresso da cidade.A Cidade iria se erguer linda e deslumbrante com a reforma urbana de Pereira Passos, e no campo da saúde Oswaldo Cruz finalizava o empreendedorismo acabando de vez com os surtos endêmicos para que europeus pudessem chegar a cidade sem o menor risco de contrair qualquer doença, e os planos de crescimento econômico do país finalmente iriam ser concretizados, juntamente com a exclusão da camada pobre das ruas do centro do Rio de Janeiro.
  13. 13. A CIDADE REURBANIZADA.
  14. 14. OS MÉTODOS DE IMUNIZAÇÃO DEOSWALDO CRUZ.
  15. 15. BIBLIOGRAFIA■SEVCENKO, Nicolau. A Revolta da Vacina: Mentes Insanas em Corpos Rebeldes. São Paulo, Cosac Naify, 2010.■CARVALHO,José Murilo de. Os Bestializados: O Rio de Janeiro e a República que Não Foi. São Paulo; Companhia das Letras,1987.■PILETTI, Nelson. História e Vida Integrada: 9º ano Ensino Fundamental. São Paulo, Editora Ática, 2009.

×