SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
AULA 3 – ARTE
2º E.M
Professora Vivian Trombini
CONTEÚDO - PAS
 Definições da arte e suas funções - (ponto, linha,
belo, abstrato e figurativo, naturalista,
funcionalista, pragmática).
 Estética nas Artes Visuais: a relatividade do
gosto e do belo. (Sócrates, Platão, Aristóteles –
poética) (Kant, Hegel – Estética)
 Elementos fundamentais da linguagem artística.
(Harmonia, simetria, linearidade, perspectiva,
estilos)
Funções da obra de arte
 As funções da obra de arte sofreram mudanças da
antiguidade até os dias de hoje, mas, do ponto de
vista didático, e dependendo do tipo de interesse e
do propósito com que alguém se aproxima de uma
obra de arte, é possível separar tais funções em
pragmática ou utilitária, naturalista e formalista
(ARANHA, M. L. de A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: Introdução à
filosofia. São Paulo: Moderna, 2003, p. 378).
Função naturalista
 O interesse está mais voltado para o conteúdo da
obra do que para seu modo de apresentação.
Exemplo: os retratos.
Dá-se menos importância a algumas características
normalmente consideradas intrínsecas à obra de arte,
como a técnica e a criatividade, direcionando o foco
ao conteúdo dessa obra.
Os critérios de avaliação de uma obra de arte do
ponto de vista da função naturalista são: a correção
da representação, a inteireza ou integridade do
assunto e o vigor da representação: ficamos
convencidos da sua existência?
Função pragmática
 Segundo essa função, a arte serve como meio para se
alcançar um fim não-artístico, não sendo valorizada por
si mesma, mas por sua finalidade. Esses fins não-
artísticos variam muito no decorrer da história. A partir
desse ponto de vista, os critérios para se avaliar uma
obra de arte são exteriores à obra: não interessa saber
se a obra tem ou não qualidade estética, basta que se
avalie, do ponto de vista moral, a finalidade à qual a obra
serve. Esse é o critério moral. O outro é o critério da
eficácia da obra em relação à sua finalidade, isto é, se a
obra conseguiu atingir o objetivo a que se propôs.
Exemplo: muitos membros da Igreja, na Idade Média, não
sabiam ler nem escrever e a arte exercia um papel
pedagógico ao ilustrar principalmente passagens do
Evangelho, cumprindo, assim, uma função pragmática.
Função formalista
 Visa a forma de apresentação a obra de arte. É o
único dos interesses que se ocupa da obra de arte
como tal e por motivos estéticos. Os critérios de
avaliação desse do ponto de vista são tirados da
própria obra, ou seja, os princípios e organização
interna dos elementos que compõem uma obra de
arte variam de acordo com cada novo projeto.
Para que se possa apreender a arte a partir de sua
função formalista, é preciso conhecer os signos que
estruturam a obra examinada e procurar as relações
entre seus elementos compositivos.
Figurativismo
 O Figurativismo, também conhecido como arte
figurativa é um termo usado para descrever as
manifestações artísticas que representam: a forma
humana, os elementos da natureza e os objetos
criados pelo homem. Ele pode ser realista ou
estilizado, desde que haja o reconhecimento do
que foi desenhado.
REALISTA ESTILIZADO
NATUREZA MORTA
 Natureza-morta é um tipo de pintura e fotografia em
que se vê seres inanimados, como frutas, louças,
instrumentos musicais, flores, livros, taças de vidro,
garrafas, jarras de metal, porcelanas, dentre outros
objetos.
 O termo natureza-morta se refere à arte de pintar,
desenhar, fotografar composições deste gênero. Na
arte contemporânea é frequente utilizar ainda outros
suportes como a escultura, instalação ou videoarte
destas representações de objetos inanimados.
PAISAGEM
 A pintura de paisagem é um termo utilizado para a
arte que representa cenas da natureza, como
montanhas, vales, rios, árvores e florestas. É
utilizado especialmente para representar a arte onde
o tema principal é uma visão ampla, com seus
elementos dispostos em uma composição coerente.
Quase sempre se inclui a vista do céu, o tempo
usualmente é um elemento da composição.
Tradicionalmente, a arte de paisagens retrata a
superfície da Terra, mas pode haver outros tipos de
paisagens, que são inspirados por sonhos.
RETRATO
 Representação de uma figura individual ou de um
grupo, elaborada a partir de modelo vivo,
documentos, fotografias, ou com o auxílio da
memória, o retrato em seu sentido primeiro ligado à
ideia de mimese . Por essa razão, foi muito utilizado
nas academias e escolas de arte para o
aprendizado do ofício e domínio da técnica. A
produção de autorretratos segue o desenvolvimento
do gênero, desde o início, constituindo um filão
fartamente explorado por artistas de todas as
épocas.
PINTURA HISTÓRICA
 O termo se aplica à pintura que representa fatos
históricos, cenas mitológicas, literárias e da história
religiosa. Em acepção mais estrita, refere-se ao
registro pictórico de eventos da história política.
Batalhas, cenas de guerra, personagens célebres,
fatos e feitos de homens notáveis são descritos em
telas de grandes dimensões. Realizadas, em geral,
sob encomenda, as pinturas históricas evidenciam
um tipo de produção plástica comprometida com a
tematização da nação e da política.
PINTURA MITOLÓGICA
 A expressão indica um gênero pictórico -
caracterizado pela representação de personagens e
cenas da mitologia greco-romanas - que tem um
longo trajeto na história da arte. Nasce na Grécia e
em Roma, como pintura religiosa, e se desenvolve
no Ocidente, sobretudo no Renascimento e no
neoclassicismo, ora como exaltação da antiguidade,
ora com sentido alegórico (por exemplo, Vênus
como representação da beleza; Minerva, da
sabedoria; Marte como personificação da guerra e
assim por diante).
PINTURA DE GÊNERO
 A pintura de gênero (ou género, em Portugal)
desenvolveu-se a meio do florescimento do Barroco
na Europa Católica (século XVII) nos Países Baixos,
sobretudo nos Países Baixos do Norte (a porção
que hoje corresponde à Holanda). Trata-se de um
estilo sóbrio, realista, comprometido com a
descrição de cenas rotineiras, temas da vida diária
como homens dedicados ao seu ofício, mulheres
cuidando dos afazeres domésticos, ou até mesmo
paisagens. Nasce então a pintura de genre (ou petit
genre) como uma resposta nacionalista,
glorificadora da cultura neerlandesa, ao processo de
libertação dos Países Baixos da dominação
espanhola.
PINTURA RELIGIOSA
 Convenciona-se chamar de pintura sacra aquela que
representa assuntos ou personagens religiosos. Uma
parcela significativa dessa produção é realizada sob
encomenda para decorar forros das igrejas e capelas.
Nesse sentido falar em pintura sacra significa referir-se a
praticamente toda a história da arte cristã pois é na
religião, nas cenas e figuras bíblicas, que os pintores vão
buscar a maior parte de seus temas. Algumas
representações transformaram-se em verdadeiros
tópicos da pintura sacra, trabalhadas pelos artistas em
diferentes períodos: a virgem; a virgem com o menino, a
santa ceia, a crucificação, a conversação sacra (onde a
virgem, o menino e os santos estão dispostos numa
única cena). Desde que o imperador Constantino
estabelece a Igreja Cristã como um poder do Estado, no
ano 311 d.C., o relacionamento entre religião e arte se
redefine.
ABSTRACIONISMO
 É um termo genérico utilizado para classificar toda
forma de arte que se utiliza somente de formas,
cores ou texturas, sem retratar nenhuma figura,
rompendo com a figuração, com a representação
naturalista da realidade. A principal característica da
pintura abstrata é a ausência de relação entre suas
formas e cores e as formas e cores de um ser. Por
isso uma tela abstrata não representa nada da
realidade que nos cerca, nem narra figurativamente
alguma cena histórica, literária, religiosa ou
mitológica.
FORMAL INFORMAL
SIMBOLISMO
 Para o simbolismo, tudo pode assumir um
significado simbólico: elementos da natureza,
construções do homem, formas abstratas, etc. O
Simbolismo se manifestou na literatura, porém
também teve grande expressão nas artes plásticas.
 Desde a antiguidade mais remota há registros de
símbolos deixados pelos nossos antepassados, e
que ajudaram a construir nossa história. Hoje em
dia, pinturas e esculturas ainda unem história,
religião e arte, emocionando e encantando o olhar
daqueles que as apreciam.
 Alguns dos nomes mais conhecidos das artes
plásticas simbolistas são Paul Gauguin, Gustave
Moreau e Odilon Redon.
 Os pintores simbolistas davam preferência a
temáticas ligadas à religião, à morte ou ao pecado,
com forte teor moralizante. Alguns conceitos
românticos eram retomados, especialmente os de
pintores como William Blake e Philipp Otto Runge,
os quais falaram sobre a simbologia da cor e a
relação entre forma e cromatismo.
William Blake – Red dragonPhillip Otto Runge – Colour

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)graduartes
 
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Vera Britto
 
Mapa mental Vanguardas Europeias
Mapa mental Vanguardas Europeias Mapa mental Vanguardas Europeias
Mapa mental Vanguardas Europeias Julimac
 
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroMoesio Alves
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Fabiola Oliveira
 
Arte aula inicial Ensino Médio
Arte aula inicial Ensino MédioArte aula inicial Ensino Médio
Arte aula inicial Ensino MédioItamir Beserra
 
Elementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º anoElementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º anoGeovanaPorto
 
Resumo final av2 historia da arte (2)
Resumo final av2   historia da arte (2)Resumo final av2   historia da arte (2)
Resumo final av2 historia da arte (2)Tania Maria Araujo
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasilpagodes
 

Mais procurados (20)

Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)
 
Mapa mental arte grega
Mapa mental   arte gregaMapa mental   arte grega
Mapa mental arte grega
 
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 
Mapa mental Vanguardas Europeias
Mapa mental Vanguardas Europeias Mapa mental Vanguardas Europeias
Mapa mental Vanguardas Europeias
 
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
 
Arte naif
Arte naifArte naif
Arte naif
 
Arte 8 ano
Arte 8 anoArte 8 ano
Arte 8 ano
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
 
Arte aula inicial Ensino Médio
Arte aula inicial Ensino MédioArte aula inicial Ensino Médio
Arte aula inicial Ensino Médio
 
Prova de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 anoProva de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 ano
 
Simulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arteSimulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arte
 
Arte Rupestre
Arte Rupestre Arte Rupestre
Arte Rupestre
 
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
 
Elementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º anoElementos visuais - Artes 1º ano
Elementos visuais - Artes 1º ano
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Mapa mental arte barroca
Mapa mental   arte barrocaMapa mental   arte barroca
Mapa mental arte barroca
 
Resumo final av2 historia da arte (2)
Resumo final av2   historia da arte (2)Resumo final av2   historia da arte (2)
Resumo final av2 historia da arte (2)
 
Arte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no BrasilArte Contemporanea no Brasil
Arte Contemporanea no Brasil
 

Destaque

ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISVIVIAN TROMBINI
 
Caracteristicas do modernismo 3º ano
Caracteristicas do modernismo   3º anoCaracteristicas do modernismo   3º ano
Caracteristicas do modernismo 3º anoLuana Bastos
 
Arte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º anoArte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º anoteresavalse
 
Parnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian TrombiniParnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian TrombiniVIVIAN TROMBINI
 
Vanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian TrombiniVanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian TrombiniVIVIAN TROMBINI
 
O que é arte?
O que é arte?  O que é arte?
O que é arte? anajuho1
 
Redação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - invernoRedação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - invernoVIVIAN TROMBINI
 
Dois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton HatoumDois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton HatoumVIVIAN TROMBINI
 

Destaque (20)

ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
 
Aula 2 arte - 2º ano
Aula 2   arte - 2º anoAula 2   arte - 2º ano
Aula 2 arte - 2º ano
 
Caracteristicas do modernismo 3º ano
Caracteristicas do modernismo   3º anoCaracteristicas do modernismo   3º ano
Caracteristicas do modernismo 3º ano
 
Fundamentos da arte
Fundamentos da arteFundamentos da arte
Fundamentos da arte
 
GÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOSGÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOS
 
Aula 3 arte - 3º ano
Aula 3   arte - 3º anoAula 3   arte - 3º ano
Aula 3 arte - 3º ano
 
Apostila de arte
Apostila de arteApostila de arte
Apostila de arte
 
Arte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º anoArte e Meio Ambiente 2º ano
Arte e Meio Ambiente 2º ano
 
Parnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian TrombiniParnasianismo - Professora Vivian Trombini
Parnasianismo - Professora Vivian Trombini
 
Vanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian TrombiniVanguardas européias - Professora Vivian Trombini
Vanguardas européias - Professora Vivian Trombini
 
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.MAULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.MAULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
 
O que é arte?
O que é arte?  O que é arte?
O que é arte?
 
Redação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - invernoRedação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - inverno
 
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.MAULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
 
Dois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton HatoumDois irmãos - Milton Hatoum
Dois irmãos - Milton Hatoum
 
AULA 5 - ARTE - 3º E.M
AULA 5 - ARTE - 3º E.MAULA 5 - ARTE - 3º E.M
AULA 5 - ARTE - 3º E.M
 
Aula 1 - Arte - 2º e.m
Aula 1 - Arte - 2º e.mAula 1 - Arte - 2º e.m
Aula 1 - Arte - 2º e.m
 
AULA 4 - 2º E.M
AULA 4 - 2º E.MAULA 4 - 2º E.M
AULA 4 - 2º E.M
 
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.MAULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
 

Semelhante a Aula 3 - Arte: Definições, Funções e Estilos

357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptx
357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptx357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptx
357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptxRecepoTuju
 
Elementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da ImagemElementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da Imagemelizetearantes
 
Entenda a arte 2013
Entenda a arte 2013Entenda a arte 2013
Entenda a arte 2013graduartes
 
Laura Castro, Sobre uma obra
Laura Castro, Sobre uma obraLaura Castro, Sobre uma obra
Laura Castro, Sobre uma obraDomenico Condito
 
Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"
Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"
Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"Evany Nascimento
 
Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Sheila Rodrigues
 
Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.Italo Colares
 
Desenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imaginário
Desenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imaginárioDesenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imaginário
Desenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imagináriocmarinho1
 
Definições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta respostaDefinições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta respostaTina Lima
 
Arte, leitura e elementos
Arte, leitura e elementosArte, leitura e elementos
Arte, leitura e elementosAline Raposo
 
História da arte oficina de pintura 20 e 21 maio 2010
História da arte oficina de pintura  20 e 21 maio 2010História da arte oficina de pintura  20 e 21 maio 2010
História da arte oficina de pintura 20 e 21 maio 2010Antenor Lago
 
Marco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literaturaMarco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literaturaELAINE BARROMEU
 
Marco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literaturaMarco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literaturaELAINE BARROMEU
 
Apostila de artes visuais 2014
Apostila de artes visuais 2014 Apostila de artes visuais 2014
Apostila de artes visuais 2014 Tininha Souza
 
Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014VIVIAN TROMBINI
 
Arte literária 2012 nota de aula 1 mast
Arte literária 2012 nota de aula 1 mastArte literária 2012 nota de aula 1 mast
Arte literária 2012 nota de aula 1 mastPéricles Penuel
 

Semelhante a Aula 3 - Arte: Definições, Funções e Estilos (20)

357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptx
357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptx357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptx
357727624-Historia-Da-Arte-Aplicada-Ao-Turismo-Aula-02.pptx
 
Elementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da ImagemElementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da Imagem
 
Entenda a arte 2013
Entenda a arte 2013Entenda a arte 2013
Entenda a arte 2013
 
Laura Castro, Sobre uma obra
Laura Castro, Sobre uma obraLaura Castro, Sobre uma obra
Laura Castro, Sobre uma obra
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"
Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"
Leitura Semiótica da "Donzela Desnuda"
 
Imagem, magia e imaginação
Imagem, magia e imaginaçãoImagem, magia e imaginação
Imagem, magia e imaginação
 
Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014
 
Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.Conhecimento pela arte.
Conhecimento pela arte.
 
Desenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imaginário
Desenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imaginárioDesenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imaginário
Desenhando na Amazônia: Mediações educativo-culturais entre imagem e imaginário
 
Definições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta respostaDefinições de arte pergunta resposta
Definições de arte pergunta resposta
 
Ilustração
IlustraçãoIlustração
Ilustração
 
Arte, leitura e elementos
Arte, leitura e elementosArte, leitura e elementos
Arte, leitura e elementos
 
História da arte oficina de pintura 20 e 21 maio 2010
História da arte oficina de pintura  20 e 21 maio 2010História da arte oficina de pintura  20 e 21 maio 2010
História da arte oficina de pintura 20 e 21 maio 2010
 
Marco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literaturaMarco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literatura
 
Marco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literaturaMarco operacional de artes e literatura
Marco operacional de artes e literatura
 
EHA01 Conceitos
EHA01 ConceitosEHA01 Conceitos
EHA01 Conceitos
 
Apostila de artes visuais 2014
Apostila de artes visuais 2014 Apostila de artes visuais 2014
Apostila de artes visuais 2014
 
Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014
 
Arte literária 2012 nota de aula 1 mast
Arte literária 2012 nota de aula 1 mastArte literária 2012 nota de aula 1 mast
Arte literária 2012 nota de aula 1 mast
 

Mais de VIVIAN TROMBINI

Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017VIVIAN TROMBINI
 
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEADANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEAVIVIAN TROMBINI
 
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃODANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃOVIVIAN TROMBINI
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMVIVIAN TROMBINI
 
Memórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasMemórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasVIVIAN TROMBINI
 
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3VIVIAN TROMBINI
 
AULA 7 - 3º ANO - TEATRO - aula 2
AULA 7 - 3º  ANO  - TEATRO - aula 2AULA 7 - 3º  ANO  - TEATRO - aula 2
AULA 7 - 3º ANO - TEATRO - aula 2VIVIAN TROMBINI
 
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1VIVIAN TROMBINI
 

Mais de VIVIAN TROMBINI (20)

PAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANOPAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANO
 
CARTAS - UEM - PAS 2
CARTAS - UEM - PAS 2CARTAS - UEM - PAS 2
CARTAS - UEM - PAS 2
 
CARTAS - UEM - PAS
CARTAS - UEM  - PASCARTAS - UEM  - PAS
CARTAS - UEM - PAS
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017
 
VANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIASVANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIAS
 
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEADANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
 
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃODANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Musica brasileira
Musica brasileiraMusica brasileira
Musica brasileira
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEM
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Memórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasMemórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubas
 
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.MAULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
AULA 8 - 3º ANO - TEATRO - aula 3
 
AULA 7 - 3º ANO - TEATRO - aula 2
AULA 7 - 3º  ANO  - TEATRO - aula 2AULA 7 - 3º  ANO  - TEATRO - aula 2
AULA 7 - 3º ANO - TEATRO - aula 2
 
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
AULA 6 - 3º ANO - TEATRO- aula 1
 
AULA 4 - ARTE - 3º E.M
AULA 4 - ARTE - 3º E.MAULA 4 - ARTE - 3º E.M
AULA 4 - ARTE - 3º E.M
 

Último

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 

Último (20)

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 

Aula 3 - Arte: Definições, Funções e Estilos

  • 1. AULA 3 – ARTE 2º E.M Professora Vivian Trombini
  • 2. CONTEÚDO - PAS  Definições da arte e suas funções - (ponto, linha, belo, abstrato e figurativo, naturalista, funcionalista, pragmática).  Estética nas Artes Visuais: a relatividade do gosto e do belo. (Sócrates, Platão, Aristóteles – poética) (Kant, Hegel – Estética)  Elementos fundamentais da linguagem artística. (Harmonia, simetria, linearidade, perspectiva, estilos)
  • 3. Funções da obra de arte  As funções da obra de arte sofreram mudanças da antiguidade até os dias de hoje, mas, do ponto de vista didático, e dependendo do tipo de interesse e do propósito com que alguém se aproxima de uma obra de arte, é possível separar tais funções em pragmática ou utilitária, naturalista e formalista (ARANHA, M. L. de A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: Introdução à filosofia. São Paulo: Moderna, 2003, p. 378).
  • 4. Função naturalista  O interesse está mais voltado para o conteúdo da obra do que para seu modo de apresentação. Exemplo: os retratos. Dá-se menos importância a algumas características normalmente consideradas intrínsecas à obra de arte, como a técnica e a criatividade, direcionando o foco ao conteúdo dessa obra. Os critérios de avaliação de uma obra de arte do ponto de vista da função naturalista são: a correção da representação, a inteireza ou integridade do assunto e o vigor da representação: ficamos convencidos da sua existência?
  • 5. Função pragmática  Segundo essa função, a arte serve como meio para se alcançar um fim não-artístico, não sendo valorizada por si mesma, mas por sua finalidade. Esses fins não- artísticos variam muito no decorrer da história. A partir desse ponto de vista, os critérios para se avaliar uma obra de arte são exteriores à obra: não interessa saber se a obra tem ou não qualidade estética, basta que se avalie, do ponto de vista moral, a finalidade à qual a obra serve. Esse é o critério moral. O outro é o critério da eficácia da obra em relação à sua finalidade, isto é, se a obra conseguiu atingir o objetivo a que se propôs. Exemplo: muitos membros da Igreja, na Idade Média, não sabiam ler nem escrever e a arte exercia um papel pedagógico ao ilustrar principalmente passagens do Evangelho, cumprindo, assim, uma função pragmática.
  • 6. Função formalista  Visa a forma de apresentação a obra de arte. É o único dos interesses que se ocupa da obra de arte como tal e por motivos estéticos. Os critérios de avaliação desse do ponto de vista são tirados da própria obra, ou seja, os princípios e organização interna dos elementos que compõem uma obra de arte variam de acordo com cada novo projeto. Para que se possa apreender a arte a partir de sua função formalista, é preciso conhecer os signos que estruturam a obra examinada e procurar as relações entre seus elementos compositivos.
  • 7. Figurativismo  O Figurativismo, também conhecido como arte figurativa é um termo usado para descrever as manifestações artísticas que representam: a forma humana, os elementos da natureza e os objetos criados pelo homem. Ele pode ser realista ou estilizado, desde que haja o reconhecimento do que foi desenhado. REALISTA ESTILIZADO
  • 8. NATUREZA MORTA  Natureza-morta é um tipo de pintura e fotografia em que se vê seres inanimados, como frutas, louças, instrumentos musicais, flores, livros, taças de vidro, garrafas, jarras de metal, porcelanas, dentre outros objetos.  O termo natureza-morta se refere à arte de pintar, desenhar, fotografar composições deste gênero. Na arte contemporânea é frequente utilizar ainda outros suportes como a escultura, instalação ou videoarte destas representações de objetos inanimados.
  • 9. PAISAGEM  A pintura de paisagem é um termo utilizado para a arte que representa cenas da natureza, como montanhas, vales, rios, árvores e florestas. É utilizado especialmente para representar a arte onde o tema principal é uma visão ampla, com seus elementos dispostos em uma composição coerente. Quase sempre se inclui a vista do céu, o tempo usualmente é um elemento da composição. Tradicionalmente, a arte de paisagens retrata a superfície da Terra, mas pode haver outros tipos de paisagens, que são inspirados por sonhos.
  • 10. RETRATO  Representação de uma figura individual ou de um grupo, elaborada a partir de modelo vivo, documentos, fotografias, ou com o auxílio da memória, o retrato em seu sentido primeiro ligado à ideia de mimese . Por essa razão, foi muito utilizado nas academias e escolas de arte para o aprendizado do ofício e domínio da técnica. A produção de autorretratos segue o desenvolvimento do gênero, desde o início, constituindo um filão fartamente explorado por artistas de todas as épocas.
  • 11. PINTURA HISTÓRICA  O termo se aplica à pintura que representa fatos históricos, cenas mitológicas, literárias e da história religiosa. Em acepção mais estrita, refere-se ao registro pictórico de eventos da história política. Batalhas, cenas de guerra, personagens célebres, fatos e feitos de homens notáveis são descritos em telas de grandes dimensões. Realizadas, em geral, sob encomenda, as pinturas históricas evidenciam um tipo de produção plástica comprometida com a tematização da nação e da política.
  • 12. PINTURA MITOLÓGICA  A expressão indica um gênero pictórico - caracterizado pela representação de personagens e cenas da mitologia greco-romanas - que tem um longo trajeto na história da arte. Nasce na Grécia e em Roma, como pintura religiosa, e se desenvolve no Ocidente, sobretudo no Renascimento e no neoclassicismo, ora como exaltação da antiguidade, ora com sentido alegórico (por exemplo, Vênus como representação da beleza; Minerva, da sabedoria; Marte como personificação da guerra e assim por diante).
  • 13. PINTURA DE GÊNERO  A pintura de gênero (ou género, em Portugal) desenvolveu-se a meio do florescimento do Barroco na Europa Católica (século XVII) nos Países Baixos, sobretudo nos Países Baixos do Norte (a porção que hoje corresponde à Holanda). Trata-se de um estilo sóbrio, realista, comprometido com a descrição de cenas rotineiras, temas da vida diária como homens dedicados ao seu ofício, mulheres cuidando dos afazeres domésticos, ou até mesmo paisagens. Nasce então a pintura de genre (ou petit genre) como uma resposta nacionalista, glorificadora da cultura neerlandesa, ao processo de libertação dos Países Baixos da dominação espanhola.
  • 14. PINTURA RELIGIOSA  Convenciona-se chamar de pintura sacra aquela que representa assuntos ou personagens religiosos. Uma parcela significativa dessa produção é realizada sob encomenda para decorar forros das igrejas e capelas. Nesse sentido falar em pintura sacra significa referir-se a praticamente toda a história da arte cristã pois é na religião, nas cenas e figuras bíblicas, que os pintores vão buscar a maior parte de seus temas. Algumas representações transformaram-se em verdadeiros tópicos da pintura sacra, trabalhadas pelos artistas em diferentes períodos: a virgem; a virgem com o menino, a santa ceia, a crucificação, a conversação sacra (onde a virgem, o menino e os santos estão dispostos numa única cena). Desde que o imperador Constantino estabelece a Igreja Cristã como um poder do Estado, no ano 311 d.C., o relacionamento entre religião e arte se redefine.
  • 15. ABSTRACIONISMO  É um termo genérico utilizado para classificar toda forma de arte que se utiliza somente de formas, cores ou texturas, sem retratar nenhuma figura, rompendo com a figuração, com a representação naturalista da realidade. A principal característica da pintura abstrata é a ausência de relação entre suas formas e cores e as formas e cores de um ser. Por isso uma tela abstrata não representa nada da realidade que nos cerca, nem narra figurativamente alguma cena histórica, literária, religiosa ou mitológica. FORMAL INFORMAL
  • 16. SIMBOLISMO  Para o simbolismo, tudo pode assumir um significado simbólico: elementos da natureza, construções do homem, formas abstratas, etc. O Simbolismo se manifestou na literatura, porém também teve grande expressão nas artes plásticas.  Desde a antiguidade mais remota há registros de símbolos deixados pelos nossos antepassados, e que ajudaram a construir nossa história. Hoje em dia, pinturas e esculturas ainda unem história, religião e arte, emocionando e encantando o olhar daqueles que as apreciam.
  • 17.  Alguns dos nomes mais conhecidos das artes plásticas simbolistas são Paul Gauguin, Gustave Moreau e Odilon Redon.  Os pintores simbolistas davam preferência a temáticas ligadas à religião, à morte ou ao pecado, com forte teor moralizante. Alguns conceitos românticos eram retomados, especialmente os de pintores como William Blake e Philipp Otto Runge, os quais falaram sobre a simbologia da cor e a relação entre forma e cromatismo. William Blake – Red dragonPhillip Otto Runge – Colour