Professor Ramon Chieppe da Silva
Segundo Heródoto, historiador grego, “O Egito é uma
dádiva do Nilo”.
Localizado no norte da África.
A localização propiciou o processo de unificação.
Formação de ambiente favorável ao apareci...
Período Pré-Dinástico (5000-3200 a.C)
Desenvolvimento de clãs ao longo da faixa cultivável do
Nilo.
Os nomos travavam con...
Por volta de 3200 a.C, Menés, pondo fim às disputas e
rivalidades, unifica todo o território egípcio.
O isolamento da regi...
Desenvolvimento de um governo teocrático, com o
Faraó ascendendo a líder político, administrativo,
religioso e militar.
A ...
O período termina com uma série de revoltas
organizadas pelos Nomarcas contra o faraó, buscando
enfraquecer seu poder polí...
A nobreza tebana consegue sufocar as revoltas e unifica
novamente o império transferindo a capital para Tebas.
Período de ...
Novamente a nobreza tebana consegue restaurar a
integridade política do Egito.
A campanha militar para expulsar os hicsos ...
Após a morte de Ramsés II o Egito entra em
decadência, sendo invadido por diversos povos.
Após o domínio assírio a nobreza...
A sociedade egípcia era dividida em castas hereditárias
organizadas de acordo com a função dos membros na
sociedade.
Podem...
 Escribas: funcionários responsáveis pelos registros no
Egito. Cobravam impostos, organizavam as leis,
registravam questõ...
A economia egípcia era totalmente ligada ao Estado.
Portanto não havia no Egito pessoas trabalhando fora
do controle do Es...
Entre as principais atividades desenvolvidas no Egito
Antigo destacamos:
 Agricultura: com o cultivo de trigo, cevada, li...
A cultura egípcia foi fortemente influenciada pela
religião, assim como a própria do egípcio. O que não
impediu-os de dese...
Acreditando na vida após a morte os egípcios
desenvolveram um complexo sistema de preservação do
corpo: a mumificação.
Esc...
As artes egípcias foram expressas principalmente nas
esculturas e pinturas.
Ciências
Tiveram grande êxito principalmente n...
Egito Antigo
Egito Antigo
Egito Antigo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Egito Antigo

850 visualizações

Publicada em

Material utilizado como ferramenta metodológica pelo professor Ramon Chieppe da Silva.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
850
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Egito Antigo

  1. 1. Professor Ramon Chieppe da Silva
  2. 2. Segundo Heródoto, historiador grego, “O Egito é uma dádiva do Nilo”.
  3. 3. Localizado no norte da África. A localização propiciou o processo de unificação. Formação de ambiente favorável ao aparecimento do Estado. A geografia local contribui para a formação do Estado. A dependência de uma área fértil limitada, vai levar os povos que viviam ao longo do Nilo a se organizarem socialmente. Clima menos enervante (irritante, quente). Região rochosa – facilitava a realização de construções. Cercada por desertos. “Muralha natural contra invasores”.
  4. 4. Período Pré-Dinástico (5000-3200 a.C) Desenvolvimento de clãs ao longo da faixa cultivável do Nilo. Os nomos travavam constantes conflitos entre si pela disputa da terra. Em decorrência das guerras e da própria dependência do rio, os clãs vão se organizar em dois reinos: O Alto Egito e o Baixo Egito. De origem Semita e Camita. Também chamados de Nomos = comunidades agrícolas. Situado no Vale do Nilo. Situado no Delta do Nilo.
  5. 5. Por volta de 3200 a.C, Menés, pondo fim às disputas e rivalidades, unifica todo o território egípcio. O isolamento da região possibilitou aos egípcios a formação e manutenção de uma cultura original e nacionalista, que desprezava os estrangeiros.  Período Dinástico (3200-1085 a.C) Com a unificação realizada por Menés, surge a figura do faraó . Temos a construção das pirâmides, expansão territorial, econômica e militar. Rei do Alto Egito Líder supremo e autoridade máxima dentro do Egito, adorado como um deus. Suas palavras faziam-se leis. Era auxiliado pelo Vizir e por Nomarcas para administrar o Império. Governadores locais, que auxiliavam a administração. Segundo homem mais importante do Egito.
  6. 6. Desenvolvimento de um governo teocrático, com o Faraó ascendendo a líder político, administrativo, religioso e militar. A capital do Egito, inicialmente, será a cidade de Tinis, deslocando-se futuramente para Mênfis. Período da construção das principais pirâmides: Quéops, Quéfren e Miquerinos (IV Dinastia). O Poder advêm de uma figura divina. Construídas na Planície de Gizé. Durante os 3000 anos de esplendor do Império o Egito foi governador por mais de 300 faraós.
  7. 7. O período termina com uma série de revoltas organizadas pelos Nomarcas contra o faraó, buscando enfraquecer seu poder político. Os levantes irão ocorrer em decorrência de uma pesada carga tributária paga pela população, que somada a formação de uma rica nobreza local e invasões externas, levarão o império a se fragmentar. Iniciados por volta de 2400 a.C
  8. 8. A nobreza tebana consegue sufocar as revoltas e unifica novamente o império transferindo a capital para Tebas. Período de estabilidade política, crescimento econômico e florescimento cultural. O governo será menos centralizado e mais democrático. Por volta de 1730 a.C os hicsos invadem e dominam o Egito. Amosis I inicia o processo de expulsão dos hicsos. Conquista da Núbia, região rica em ouro. Nômades vindo da Ásia e militarmente superiores consegue dominar a região por aproximadamente 170 anos. Transferem a capital para Ávaris.
  9. 9. Novamente a nobreza tebana consegue restaurar a integridade política do Egito. A campanha militar para expulsar os hicsos marca o inicio das conquistas territoriais do período. Nesse período os faraós mantinham exércitos permanentes. Dominação total da Síria; Conquista dos hititas; Conquista das cidades de Jerusalém, Damasco, Assur e Babilônia. Tutmosis III = Tutmés III Ramsés II Amenófis IV Implantou o monoteísmo no Egito. Com adoração de Atón, o deus Sol.
  10. 10. Após a morte de Ramsés II o Egito entra em decadência, sendo invadido por diversos povos. Após o domínio assírio a nobreza da cidade de Sais inicia uma fase de recuperação financeira e cultural . 525 a.C os persas invadem e dominam a região quase dois séculos, quando os macedônios liderados por Alexandre, o Grande, derrotam os persas e assumem o controle do Egito. Finalmente em 30 a.C os egípcios são dominados pelos Romanos. Em 670 a.C os assírios invadem e dominam o Egito por um período de 8 anos. Renascença Saíta
  11. 11. A sociedade egípcia era dividida em castas hereditárias organizadas de acordo com a função dos membros na sociedade. Podemos dividir a sociedade egípcia em uma pirâmide social assim disposta:  Faraó: cujas atribuições abrangem funções político, administrativa, militar e religiosa;  Nobres: administradores dos nomos, também chamados nomarcas;  Sacerdotes: senhores da cultura, administravam o patrimônio dos templos e presidiam cerimônias; A mobilidade social era praticamente inexistente, sendo que a condição social era herdada de seus ascendentes.
  12. 12.  Escribas: funcionários responsáveis pelos registros no Egito. Cobravam impostos, organizavam as leis, registravam questões ligadas a produção de alimentos e censo populacional. Sabiam ler e escrever; As camadas mais baixas da sociedade estavam assim dispostas:  Artesãos: trabalhadores das cidades. Além da construção dos templos e pirâmides desempenhavam outros ofícios como: ferreiro, carpinteiro; ourives, tecelão...  Felás: a maior parcela da população; eram os camponeses egípcios;  Escravos: provenientes de guerras eram empregados na realização dos serviços pesados.
  13. 13. A economia egípcia era totalmente ligada ao Estado. Portanto não havia no Egito pessoas trabalhando fora do controle do Estado. A grande maioria estava fadada a sustentar o faraó e a elite dominante, pagando tributos em forma de bens ou serviços. Dono das terras controlava todas as atividades econômicas desenvolvidas no Egito. Agricultura, construções (templos, pirâmides, diques e canais) e o comércio exterior Servidão Coletiva
  14. 14. Entre as principais atividades desenvolvidas no Egito Antigo destacamos:  Agricultura: com o cultivo de trigo, cevada, linho e papiro.  Criação de animais: bois, asnos, cabras, carneiros, porcos e aves.  Comércio exterior: mantinham relações comerciais com a Fenícia, a Palestina, Creta, comercializando principalmente linho e trigo. Empregado principalmente na produção de papel.
  15. 15. A cultura egípcia foi fortemente influenciada pela religião, assim como a própria do egípcio. O que não impediu-os de desenvolver outras áreas como a medicina. Religião Os egípcios eram politeístas e cultuavam deuses funcionais que eram responsáveis por vários acontecimentos naturais ou cotidianos. Os egípcios tinham dois tipos de cerimônias religiosas: Culto Oficial com a adoração de Amon-Rá e o Culto Popular com a adoração a Osíris, Isis e Hórus.
  16. 16. Acreditando na vida após a morte os egípcios desenvolveram um complexo sistema de preservação do corpo: a mumificação. Escrita Os egípcios desenvolveram um complexo sistema de escrita denominada hieroglífica. Arquitetura O símbolo máximo da arquitetura egípcia é expressado na construção das pirâmides. Feita a partir de ideogramas. Repouso sagrado dos faraós.
  17. 17. As artes egípcias foram expressas principalmente nas esculturas e pinturas. Ciências Tiveram grande êxito principalmente no desenvolvimento da Química, Matemática, Astronomia e Medicina. Empregadas geralmente na decoração de templos e palácios buscando sempre exaltar os feitos dos faraós e dos deuses.

×