SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 61
Prof. Douglas Barraqui
MESOPOTÂMIA:MESOPOTÂMIA:
ANTIGO BERÇO DAANTIGO BERÇO DA
CIVILIZAÇÃOCIVILIZAÇÃO
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
““região entre riosregião entre rios””
O nome Mesopotâmia foi
dado pelos antigos gregos
e significa “Região entre
rios”
Alta Mesopotâmia, ao
norte, caracterizada pela
presença de montanhas e
pouca fertilidade dos
solos;
Baixa Mesopotâmia, as
áreas central e sul, com
maior fertilidade dos
solos;
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Ambos nascem próximo às montanhas
congeladas da Armênia. No período de
degelo das montanhas, esses rios
transbordam e fertilizam as margens
com grande quantidade de matéria
orgânica.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Durante as vazantes, os rios recuam e as
margens então férteis são utilizadas
para a prática agrícola.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Para controlar grandes inundações e
possibilitar a agricultura em áreas
distantes das margens dos rios Tigre e
Eufrates, os povos que ali viviam cons-
truíram diques, reservatórios e canais de
irrigação, muitos deles utilizados até
hoje.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Mesopotâmia: localizaçãoMesopotâmia: localização
 Significado: “Terra entre rios” – Gregos
 Vale dos rios Tigre e Eufrates (Crescente Fértil)
 Mesopotâmia hoje: Iraque, Irã, Síria, Turquia e Kuwait
 Localização geográfica:
Oriente Médio
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
“O berço da civilização”“O berço da civilização”
Mesopotâmia foi ocupada por diferentes grupos humanos desde o
Paleolítico. Durante o Neolítico, por volta de 7000 a.C., o aprimoramento
das técnicas agrícolas possibilitou que comunidades se fixassem na região.
Povos:
SUMÉRIOS
ACADIANOS
AMORITAS (BABILÔNICOS)
ASSÍRIO
CALDEUS
Contribuições desse povos:
 Primeiro veículo de rodas,
 Primeiras cidades,
 Primeira forma de escrita,
 Primeiras leis escritas,
 Estudos ligados a matemática e a astronomia,Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
“O berço da civilização”“O berço da civilização”
Escrita Cuneiforme
Código de
Hamurabi
Assurbanipal
Portão de Ishtar
reconstruído em
museu da
Alemanha.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
“O berço da civilização”“O berço da civilização”
CIDADES-ESTADO
 cidades organizadas e independentes que tinham autonomia política e
econômica.
O aproveitamento das condições
naturais, por meio da construção de
canais, reservatórios e diques, contribuiu
para o desenvolvimento da:
AGRICULTURA E DAS CIDADES.EXCEDENTE
AUMENTO DA POPULAÇÃO E A DIVISÃO DO TRABALHO.
A essa estrutura de organização e controle das cidades por meio de
um soberano com amplos poderes dá-se o nome de Estado.Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Organização social e políticaOrganização social e política
POLÍTICA
 As cidades-estados pertenciam a um Deus,
representado pelo rei.
 A autoridade do rei estendia-se a todas as
cidades-estados.
 O rei era auxiliado por sacerdotes,
funcionários e ministros.
Nobres,
sacerdotes,
artesãos,
criadores de
gado, escribas,
camponeses e
pessoas mais
ricas.
Prisioneiros de
guerra e
escravos por
dívida
A SOCIEDADE
era composta por dois
grupos sociais principais: o
das pessoas livres e o dos
escravos.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Economia (agricultura e comércio)Economia (agricultura e comércio)
Base da economia:
• Agricultura:
 Cereais (cevada e trigo);
 Criação de Gado
• Comércio:
 Empréstimos a juros;
 Cartas de créditos;
 Barras de metal usadas como
moedas;
 Produtos comercializados:
cerâmicas, armas, tecido
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Religião (Politeísta)Religião (Politeísta)
 Deuses moravam no céu;
 Decidiam pelo nascimento ou pela
morte;
 Se choveria ou não;
 Se uma guerra seria vencida ou não;
 Os deuses agiam e sentiam como os
seres humanos (podiam ser bondosos
ou cruéis)
Shedu, touro alado postado às
entradas dos palácios assírios.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Os zigurates representavam a moradia dos deuses na
Terra. Essas construções em forma de torre eram
compostas por sucessivos terraços e um pequeno templo no
topo, e em seu interior havia salas onde os sacerdotes
realizavam diferentes rituais religiosos: sacrifícios de
animais, práticas mágicas e oferendas aos deuses.
O Zigurate de Ur, localizava na cidade de Ur, atual Iraque.
MesopotâmiaMesopotâmia
Zigurate de UrZigurate de Ur  
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Criado pelos sumérios e comum para os babilônios e assírios,
pertinente à época do antigo vale da Mesopotâmia e construído na
forma de pirâmides terraplanadas.
MesopotâmiaMesopotâmia
Zigurate de UrZigurate de Ur 
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Zigurate de UrZigurate de Ur  
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Zigurate de UrZigurate de Ur  
1. Escadarias: levam direta ou
indiretamente ao templo.
2. Contrafortes: servem para
reforçar as paredes do zigurate.
3. Portão: antecâmara do pináculo
4. Buracos Laterais: permitiam que a
água do interior evaporasse.
5. Drenos: serviam para retirar a
água da chuva empossada.
6. Terraço: área plana coberta por
tijolos.
7. O Templo: onde eram realizados os
rituais e cultos aos deuses.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Zigurate de UrZigurate de Ur  
1. Escadarias: levam direta ou
indiretamente ao templo.
2. Contrafortes: servem para
reforçar as paredes do zigurate.
3. Portão: antecâmara do pináculo
4. Buracos Laterais: permitiam que a
água do interior evaporasse.
5. Drenos: serviam para retirar a
água da chuva empossada.
6. Terraço: área plana coberta por
tijolos.
7. O Templo: onde eram realizados os
rituais e cultos aos deuses.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Zigurates de Babel “Torre de Babel”Zigurates de Babel “Torre de Babel”
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Zigurates de Babel “Torre de Babel”Zigurates de Babel “Torre de Babel”
• Segundo a narrativa
bíblica no Gênesis, foi
uma torre construída com
o objetivo que o cume
chegasse ao céu, para
tornar o nome do homem
célebre. Isto era uma
afronta a Deus, pois os
homens queriam se igualar
a ele. Deus então parou o
projeto, depois castigou
os homens de maneira que
estes falassem varias
línguas para que os
homens não se
entendessem e não
pudessem voltar a
construir uma torre com
esse propósito. Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Ciência e AstronomiaCiência e Astronomia
 Para os mesopotâmicos,
os astros e os
fenômenos celestes
sinalizavam a vontade e
os avisos dos deuses.
 Mesopotâmicos foram
os primeiros a observar
as fazes da lua, os
eclipses e outros
fenômenos.
 Foram os responsáveis
pela criação dos signos
do zodíaco e do
calendário.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Mesopotâmia
Ciência e Astronomia
 Escrita Cuneiforme
(desenvolvida pelos sumérios,
signos cunhados na rocha.)
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
MesopotâmiaMesopotâmia
Ciência e AstronomiaCiência e Astronomia
 O ano de 12 meses e a semana de 7 dias;
 A divisão do dia em 24 horas;
 O círculo de 360 graus;
 Primeiro veículo de rodas;
 O processo aritmético da multiplicação, pesos e medidas.
 Escrita;
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
A primeira grande
civilização, mais antiga
da humanidade
Sumérios (cerca de 3000 a.C.-
2350 a.C.):
Desenvolveram a escrita
cuneiforme;
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
 Primeiras obras hídricas (canais para
irrigação e navegação, represas e
diques);
 Carros movidos a roda e o arado de
metal
Estátua de Gudeia, governador de Lagar, uma das
mais belas peças da escultura sumeriana e de toda a
arte mesopotâmica (Museu do Louvre, Paris)Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
 A mais antiga forma de escrita
(anotações sobre pequenos
blocos de barros úmidos,
pictogramas) dando origem a
escrita cuneiforme.
Tábua sumeriana de terracota,
trata-se de um registro doméstico
de uma casa e dos escravos que nela
trabalham
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
 Cidades Estado:
Por volta dos finais do IV
milênio a.C, a Suméria foi
dividida por cidades-estados
independentes, as quais
foram delimitadas por canais
e muros de pedra.
 Cada uma cidade era centrada
em um templo dedicado a um
deus ou deusa patrono
particular da cidade e
governado por um sacerdote.
 Principais cidades:
Ur, Nipur e Lagash;
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Período Acadiano – 2400 a 2250 a.C
 As cidades-estado sumerianas viviam
constantemente em guerras pela supremacia
na região.
 Acadianos - Povos de origem semita que
ocupavam a região central da Mesopotâmia.
 Sargão I – 2300 a.C, rei acadiano unificou
politicamente o centro e o sul da
Mesopotâmia, dominando os sumerianos
e estabeleceu um império unificado,
integrando as cidades num todo
Busto de relevo acádio
(possivelmente Sargão),Nínive,
séculos XXIII-XXII a.C.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
“[Sargão] tinha rival nem igual. Seu
esplendor, sobre as terras ele
espalhava. Cruzou o mar no oriente.
No décimo-primeiro ano conquistou a
terra ocidental, em seu ponto mais
distante. Colocou-a sob uma
autoridade única. Ergueu suas
estátuas ali e transportou o butim do
ocidente em barcas. Estacionou seus
oficiais de corte a cada intervalo de
cinco horas-duplas, e governou em
união com as tribos das diferentes
terras. Marchou a Kazallu e
transformou Kazallu num monte de
ruínas, de tal maneira que não havia
nada que servisse de poleiro para um
pássaro.”
(texto babilônico)
Inovação militar- arqueiros com
flechas capazes de penetrar em
armaduras de couro e corpo de elite
Exército de Infantarias – machados,
lanças,
Conhecido como “O rei dos quatros
cantos”,
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:Curiosidades:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:Curiosidades:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:Curiosidades:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:Curiosidades:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:
"Eu percebi que havia grande silêncio, não
havia um só ser humano vivo além de nós, no
barco. Ao barro, ao lodo haviam retornado. A
água se estendia plana como um telhado, então
eu da janela chorei, pois as águas haviam
encoberto o mundo todo. Em vão procurei por
terra, somente consegui descobrir uma
montanha, o Monte Nisir, onde encalhamos e
ali ficamos por sete dias, retidos. Resolvi
soltar uma pomba, que voou para longe, não
encontrando local para pouso retornou (…)
Então soltei um corvo, este voou para longe
encontrou alimento e não retornou.”
" (TAMEN, Pedro. Gilgamesh, Rei de Uruk. São Paulo: ed.
Ars Poetica, 1992.) Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:Curiosidades:
• O mito sumério de Gilgamesh conta os feitos do rei da cidade de
Uruk, Gilgamesh, que parte em uma jornada de aventuras em busca da
imortalidade, nesta busca encontra as duas únicas pessoas imortais:
Utanapistim e sua esposa, estes contam à Gilgamesh como
conquistaram tal sorte, esta é a história do dilúvio. O casal recebeu o
dom da imortalidade ao sobreviver ao dilúvio que consumiu a raça
humana.
• Na tradição suméria, o homem foi dizimado por incomodar os deuses.
Segundo este mito, o deus Ea (deus da sabedoria e das águas), por
meio de um sonho, apareceu a Utanapistim e lhe revelou as pretensões
dos deuses de exterminar os humanos através de um dilúvio. Ea pede a
Utanapistim que renuncie aos bens materiais e conserve o coração
puro. Utanapistim, então, reúne sua família e constrói a embarcação
que lhe foi ordenada por Ea, estes ficam por sete dias debaixo do
dilúvio que consome com os humanos.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:Curiosidades:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS
Curiosidades:Curiosidades:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
AMORITAS E O IMPÉRIO
BABILÔNICO
• 1900 a. C. Os sumérios e acadianos foram dominados
pelos amoritas;
• Estabeleceram sua capital na cidade da Babilônia
• Fundaram o Primeiro Império da Babilônia.
Sítio Arqueológico da cidade histórica da BabilôniaProf. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Hamurabi (1810 a.C -
1750 a.C)
 Conquistou e unificou
toda a mesopotâmia sob o
seu governo
AMORITAS E O IMPÉRIO
BABILÔNICO
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
AMORITAS E O IMPÉRIO
BABILÔNICO
 Hamurabi foi o primeiro grande organizador
que consolidou o seu império sobre normas
regulares de administração.
 Código de Hamurabi:o mais antigo código de
leis escritas, conhecido como Código de
Hamurabi
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
AMORITAS E O IMPÉRIO
BABILÔNICO
 Código de Hamurabi (um dos mais antigos conjuntos
de leis escritas já encontrados):
"Se um construtor edificou uma casa para um Awilum (homem
livre, proprietário de terras), mas não reforçou seu trabalho, e
a casa que construiu caiu e causou a morte do dono da casa,
esse construtor será morto".
A essência do Código de Hamurábi consiste no que os juristas chamam
de “lei de talião”, a história do “olho por olho, dente por dente” 
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
AMORITAS E O IMPÉRIO
BABILÔNICO
Código de Hamurabi:
 Se alguém enganar a outrem, difamando esta pessoa, e este outrem não puder
provar, então aquele que enganou deverá ser condenado à morte.
 Se uma pessoa roubar a propriedade de um templo ou corte, ele será condenado
à morte e também aquele que receber o produto do roubo deverá ser igualmente
condenado à morte.
 Se uma pessoa roubar o filho menor de outra, o ladrão deverá ser condenado à
morte.
 Se uma pessoa arrombar uma casa, deverá ser condenado à morte na parte da
frente do local do arrombamento e ser enterrado.
 Se um homem tomar uma mulher como esposa, mas não tiver relações com ela,
esta mulher não será considerada esposa deste homem.
 Se um homem adotar uma criança e der seu nome a ela como filho, criando-o,
este filho quando crescer não poderá ser reclamado por outra pessoa.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
OS ASSÍRIOS
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
OS ASSÍRIOS
 Conhecidos pela violência
militar:
“Um soberano assírio
chamado Salmanasar I
(1274 a 1245 a.C.), levou
como escravos cerca de 14
mil soldados inimigos
derrotados, porém para
assegurar-se de que
seriam dóceis tratou de
cegá-los.”
Gravura representando o rei assírio, Sennakerib
705-681 a.e.c., em seu trono.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
OS ASSÍRIOS
 Ferozes guerreiros e usavam sua grande
força militar para expandir seu Império.
 Assurbanipal (690 a.C.- 627 a.C.) período de
maior glória e prosperidade,
 Construção da Biblioteca de Ninive.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império
BabilônicoBabilônico
 Aproveitaram-se
do
enfraquecimento
político dos
assírios e
ocuparam a cidade
da Babilônia
ergueram o
Segundo Império
Babilônico.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império
BabilônicoBabilônico
Nabucodonosor
(604 a.C. – 562 a.C.):
 Responsável por fazer da
Babilônia um grande império;
 Construção das maravilhas
arquitetônicas:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império
BabilôniocoBabilônioco
• Torre de Babel:
Ruínas do zigurate da cidade de
Borsipa:
ideia aproximada da construção
da Torre de Babel
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império
BabilôniocoBabilônioco
• Jardins Suspensos da Babilônia:
Os Jardins Suspensos, composta de criptas
abobadadas ou sótãos reforçados com arcos de
ladrilhos, é conhecido como uma das 7 maravilhas do
mundo antigo.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Ruínas da Babilônia
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Tumba suméria saqueada perto da vila de Dhahir, no sul do Iraque 
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Referências:
• AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris:
história 6º ano. São Paulo: Ática, 1º ed., 2012.
• CAPELLARI, Marcos Alexandre; NOGUEIRA, Fausto Henrique Gomes.
História: ser protagonista - Volume único. Ensino Médio. 1ª Ed. São Paulo:
SM. 2010.
• COTRIM, Gilberto. História Global – Brasil e Geral. Volume Único. Ensino
Médio. 8ª Ed. São Paulo: Saraiva 2005.
• Projeto Araribá: História – 6º ano. /Obra coletiva/ São Paulo: Editora
Moderna, 2010. Editora Responsável: Maria Raquel Apolinário Melani.
• Uno: Sistema de Ensino – História – 6º ano. São Paulo: Grupo Santillana,
2011. Editor Responsável: Angélica Pizzutto Pozzani.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Nota do autor:
• Muitos dos slides aqui postados estão disponíveis para dowloading.
Outros, porém, por questões de direitos autorais e direitos de
imagens, não estão disponíveis para serem baixados gratuitamente.
• Caso você queira algum desses arquivos, ou mesmo encomendar
alguma apresentação com um tema em especial, entre em contato
comigo pelo E-mail (ambientalhistoria@gmail.com).
• Visite minha página na internet:
• www.dougnahistoria.blogspot.com.br
Prof. Douglas Barraqui
_______________________
PROF. DE HISTÓRIA
(ENSINO FUNDAMENTAL / MÉDIO / PREPARATÓRIOS PARA CONCURSO,
PRÉ-VESTIBULAR E PRÉ-IFES)
www.dougnahistoria.blogspot.com.br
PESQUISADOR EM HISTÓRIA AMBIENTAL PELA UFES
www.ambientalhistoria.blogspot.com.br/
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações Adail Silva
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisDouglas Barraqui
 
1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da america1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da americaPaulo Alexandre
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Nefer19
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européiaedna2
 
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia  - Antiguidade OrientalEgito e Mesopotâmia  - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade OrientalValéria Shoujofan
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoLeonardo Caputo
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasDouglas Barraqui
 
O declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoO declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoJanayna Lira
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)Nefer19
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesMarcia Fernandes
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilDouglas Barraqui
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaMarilia Pimentel
 

Mais procurados (20)

Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
 
1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da america1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da america
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia  - Antiguidade OrientalEgito e Mesopotâmia  - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8ano
 
Império Romano - Ens. Médio
Império Romano - Ens. MédioImpério Romano - Ens. Médio
Império Romano - Ens. Médio
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persas
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
 
O declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoO declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio Romano
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
A origem do homem
A origem do homemA origem do homem
A origem do homem
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Os sumérios
Os sumériosOs sumérios
Os sumérios
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
 

Semelhante a O Berço da Civilização Mesopotâmica

Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia   as civilizações da antiguidadeMesopotâmia   as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia as civilizações da antiguidadeElaine Santos
 
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdfTrabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdfVinciusKusma
 
A civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaA civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaAndré Jn José
 
A civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaA civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaAndré Jn José
 
A civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicaA civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicahistoriando
 
Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)
Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)
Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)Luciene Guedes
 
Povos da Mesopotâmia.pdf
Povos da Mesopotâmia.pdfPovos da Mesopotâmia.pdf
Povos da Mesopotâmia.pdfssuserc718b5
 
A pré história sul maericana
A pré história sul maericanaA pré história sul maericana
A pré história sul maericanadinicmax
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasJoão Medeiros
 

Semelhante a O Berço da Civilização Mesopotâmica (20)

Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia   as civilizações da antiguidadeMesopotâmia   as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
 
Sumerianos
SumerianosSumerianos
Sumerianos
 
A mesopotâmia
A mesopotâmiaA mesopotâmia
A mesopotâmia
 
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdfTrabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
 
A civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaA civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamia
 
A civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaA civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamia
 
A civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicaA civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmica
 
Primeiras Civilizações - Mesopotâmia
Primeiras Civilizações - MesopotâmiaPrimeiras Civilizações - Mesopotâmia
Primeiras Civilizações - Mesopotâmia
 
Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)
Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)
Resumo do professor antonio carlos(mesopotâmia)
 
Povos da Mesopotâmia.pdf
Povos da Mesopotâmia.pdfPovos da Mesopotâmia.pdf
Povos da Mesopotâmia.pdf
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
A pré história sul maericana
A pré história sul maericanaA pré história sul maericana
A pré história sul maericana
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
 
Trabalho
Trabalho Trabalho
Trabalho
 
Materia hist av2
Materia hist av2Materia hist av2
Materia hist av2
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Ana e alice
Ana e aliceAna e alice
Ana e alice
 

Mais de Douglas Barraqui

FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?Douglas Barraqui
 
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLADouglas Barraqui
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADEDouglas Barraqui
 
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃOA BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃODouglas Barraqui
 
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGAOS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGADouglas Barraqui
 
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASFORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASDouglas Barraqui
 
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERSOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERDouglas Barraqui
 
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALMÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALDouglas Barraqui
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?Douglas Barraqui
 
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINAHIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINADouglas Barraqui
 
História da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaHistória da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaDouglas Barraqui
 
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãRevolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãDouglas Barraqui
 
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaReleitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaDouglas Barraqui
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraDouglas Barraqui
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDouglas Barraqui
 
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaAs Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaDouglas Barraqui
 

Mais de Douglas Barraqui (20)

FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
 
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
 
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃOA BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
 
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGAOS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
 
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASFORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
 
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERSOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALMÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
 
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINAHIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
 
SEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRASEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRA
 
História da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaHistória da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônica
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãRevolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
 
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaReleitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaAs Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
 

Último

Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 

Último (20)

Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 

O Berço da Civilização Mesopotâmica

  • 1. Prof. Douglas Barraqui MESOPOTÂMIA:MESOPOTÂMIA: ANTIGO BERÇO DAANTIGO BERÇO DA CIVILIZAÇÃOCIVILIZAÇÃO
  • 3. MesopotâmiaMesopotâmia ““região entre riosregião entre rios”” O nome Mesopotâmia foi dado pelos antigos gregos e significa “Região entre rios” Alta Mesopotâmia, ao norte, caracterizada pela presença de montanhas e pouca fertilidade dos solos; Baixa Mesopotâmia, as áreas central e sul, com maior fertilidade dos solos; Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 4. Ambos nascem próximo às montanhas congeladas da Armênia. No período de degelo das montanhas, esses rios transbordam e fertilizam as margens com grande quantidade de matéria orgânica. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 5. Durante as vazantes, os rios recuam e as margens então férteis são utilizadas para a prática agrícola. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 6. Para controlar grandes inundações e possibilitar a agricultura em áreas distantes das margens dos rios Tigre e Eufrates, os povos que ali viviam cons- truíram diques, reservatórios e canais de irrigação, muitos deles utilizados até hoje. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 7. Mesopotâmia: localizaçãoMesopotâmia: localização  Significado: “Terra entre rios” – Gregos  Vale dos rios Tigre e Eufrates (Crescente Fértil)  Mesopotâmia hoje: Iraque, Irã, Síria, Turquia e Kuwait  Localização geográfica: Oriente Médio Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 8. MesopotâmiaMesopotâmia “O berço da civilização”“O berço da civilização” Mesopotâmia foi ocupada por diferentes grupos humanos desde o Paleolítico. Durante o Neolítico, por volta de 7000 a.C., o aprimoramento das técnicas agrícolas possibilitou que comunidades se fixassem na região. Povos: SUMÉRIOS ACADIANOS AMORITAS (BABILÔNICOS) ASSÍRIO CALDEUS Contribuições desse povos:  Primeiro veículo de rodas,  Primeiras cidades,  Primeira forma de escrita,  Primeiras leis escritas,  Estudos ligados a matemática e a astronomia,Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 9. MesopotâmiaMesopotâmia “O berço da civilização”“O berço da civilização” Escrita Cuneiforme Código de Hamurabi Assurbanipal Portão de Ishtar reconstruído em museu da Alemanha. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 10. MesopotâmiaMesopotâmia “O berço da civilização”“O berço da civilização” CIDADES-ESTADO  cidades organizadas e independentes que tinham autonomia política e econômica. O aproveitamento das condições naturais, por meio da construção de canais, reservatórios e diques, contribuiu para o desenvolvimento da: AGRICULTURA E DAS CIDADES.EXCEDENTE AUMENTO DA POPULAÇÃO E A DIVISÃO DO TRABALHO. A essa estrutura de organização e controle das cidades por meio de um soberano com amplos poderes dá-se o nome de Estado.Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 11. MesopotâmiaMesopotâmia Organização social e políticaOrganização social e política POLÍTICA  As cidades-estados pertenciam a um Deus, representado pelo rei.  A autoridade do rei estendia-se a todas as cidades-estados.  O rei era auxiliado por sacerdotes, funcionários e ministros. Nobres, sacerdotes, artesãos, criadores de gado, escribas, camponeses e pessoas mais ricas. Prisioneiros de guerra e escravos por dívida A SOCIEDADE era composta por dois grupos sociais principais: o das pessoas livres e o dos escravos. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 12. MesopotâmiaMesopotâmia Economia (agricultura e comércio)Economia (agricultura e comércio) Base da economia: • Agricultura:  Cereais (cevada e trigo);  Criação de Gado • Comércio:  Empréstimos a juros;  Cartas de créditos;  Barras de metal usadas como moedas;  Produtos comercializados: cerâmicas, armas, tecido Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 13. MesopotâmiaMesopotâmia Religião (Politeísta)Religião (Politeísta)  Deuses moravam no céu;  Decidiam pelo nascimento ou pela morte;  Se choveria ou não;  Se uma guerra seria vencida ou não;  Os deuses agiam e sentiam como os seres humanos (podiam ser bondosos ou cruéis) Shedu, touro alado postado às entradas dos palácios assírios. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 14. Os zigurates representavam a moradia dos deuses na Terra. Essas construções em forma de torre eram compostas por sucessivos terraços e um pequeno templo no topo, e em seu interior havia salas onde os sacerdotes realizavam diferentes rituais religiosos: sacrifícios de animais, práticas mágicas e oferendas aos deuses. O Zigurate de Ur, localizava na cidade de Ur, atual Iraque. MesopotâmiaMesopotâmia Zigurate de UrZigurate de Ur   Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 15. Criado pelos sumérios e comum para os babilônios e assírios, pertinente à época do antigo vale da Mesopotâmia e construído na forma de pirâmides terraplanadas. MesopotâmiaMesopotâmia Zigurate de UrZigurate de Ur  Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 16. MesopotâmiaMesopotâmia Zigurate de UrZigurate de Ur   Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 17. MesopotâmiaMesopotâmia Zigurate de UrZigurate de Ur   1. Escadarias: levam direta ou indiretamente ao templo. 2. Contrafortes: servem para reforçar as paredes do zigurate. 3. Portão: antecâmara do pináculo 4. Buracos Laterais: permitiam que a água do interior evaporasse. 5. Drenos: serviam para retirar a água da chuva empossada. 6. Terraço: área plana coberta por tijolos. 7. O Templo: onde eram realizados os rituais e cultos aos deuses. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 18. MesopotâmiaMesopotâmia Zigurate de UrZigurate de Ur   1. Escadarias: levam direta ou indiretamente ao templo. 2. Contrafortes: servem para reforçar as paredes do zigurate. 3. Portão: antecâmara do pináculo 4. Buracos Laterais: permitiam que a água do interior evaporasse. 5. Drenos: serviam para retirar a água da chuva empossada. 6. Terraço: área plana coberta por tijolos. 7. O Templo: onde eram realizados os rituais e cultos aos deuses. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 19. MesopotâmiaMesopotâmia Zigurates de Babel “Torre de Babel”Zigurates de Babel “Torre de Babel” Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 20. MesopotâmiaMesopotâmia Zigurates de Babel “Torre de Babel”Zigurates de Babel “Torre de Babel” • Segundo a narrativa bíblica no Gênesis, foi uma torre construída com o objetivo que o cume chegasse ao céu, para tornar o nome do homem célebre. Isto era uma afronta a Deus, pois os homens queriam se igualar a ele. Deus então parou o projeto, depois castigou os homens de maneira que estes falassem varias línguas para que os homens não se entendessem e não pudessem voltar a construir uma torre com esse propósito. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 21. MesopotâmiaMesopotâmia Ciência e AstronomiaCiência e Astronomia  Para os mesopotâmicos, os astros e os fenômenos celestes sinalizavam a vontade e os avisos dos deuses.  Mesopotâmicos foram os primeiros a observar as fazes da lua, os eclipses e outros fenômenos.  Foram os responsáveis pela criação dos signos do zodíaco e do calendário. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 22. Mesopotâmia Ciência e Astronomia  Escrita Cuneiforme (desenvolvida pelos sumérios, signos cunhados na rocha.) Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 23. MesopotâmiaMesopotâmia Ciência e AstronomiaCiência e Astronomia  O ano de 12 meses e a semana de 7 dias;  A divisão do dia em 24 horas;  O círculo de 360 graus;  Primeiro veículo de rodas;  O processo aritmético da multiplicação, pesos e medidas.  Escrita; Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 24. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS A primeira grande civilização, mais antiga da humanidade Sumérios (cerca de 3000 a.C.- 2350 a.C.): Desenvolveram a escrita cuneiforme; Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 25. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS  Primeiras obras hídricas (canais para irrigação e navegação, represas e diques);  Carros movidos a roda e o arado de metal Estátua de Gudeia, governador de Lagar, uma das mais belas peças da escultura sumeriana e de toda a arte mesopotâmica (Museu do Louvre, Paris)Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 26. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS  A mais antiga forma de escrita (anotações sobre pequenos blocos de barros úmidos, pictogramas) dando origem a escrita cuneiforme. Tábua sumeriana de terracota, trata-se de um registro doméstico de uma casa e dos escravos que nela trabalham Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 27. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS  Cidades Estado: Por volta dos finais do IV milênio a.C, a Suméria foi dividida por cidades-estados independentes, as quais foram delimitadas por canais e muros de pedra.  Cada uma cidade era centrada em um templo dedicado a um deus ou deusa patrono particular da cidade e governado por um sacerdote.  Principais cidades: Ur, Nipur e Lagash; Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 28. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Período Acadiano – 2400 a 2250 a.C  As cidades-estado sumerianas viviam constantemente em guerras pela supremacia na região.  Acadianos - Povos de origem semita que ocupavam a região central da Mesopotâmia.  Sargão I – 2300 a.C, rei acadiano unificou politicamente o centro e o sul da Mesopotâmia, dominando os sumerianos e estabeleceu um império unificado, integrando as cidades num todo Busto de relevo acádio (possivelmente Sargão),Nínive, séculos XXIII-XXII a.C. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 29. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS “[Sargão] tinha rival nem igual. Seu esplendor, sobre as terras ele espalhava. Cruzou o mar no oriente. No décimo-primeiro ano conquistou a terra ocidental, em seu ponto mais distante. Colocou-a sob uma autoridade única. Ergueu suas estátuas ali e transportou o butim do ocidente em barcas. Estacionou seus oficiais de corte a cada intervalo de cinco horas-duplas, e governou em união com as tribos das diferentes terras. Marchou a Kazallu e transformou Kazallu num monte de ruínas, de tal maneira que não havia nada que servisse de poleiro para um pássaro.” (texto babilônico) Inovação militar- arqueiros com flechas capazes de penetrar em armaduras de couro e corpo de elite Exército de Infantarias – machados, lanças, Conhecido como “O rei dos quatros cantos”, Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 30. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades:Curiosidades: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 31. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades:Curiosidades: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 32. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades:Curiosidades: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 33. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades:Curiosidades: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 34. SUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades: "Eu percebi que havia grande silêncio, não havia um só ser humano vivo além de nós, no barco. Ao barro, ao lodo haviam retornado. A água se estendia plana como um telhado, então eu da janela chorei, pois as águas haviam encoberto o mundo todo. Em vão procurei por terra, somente consegui descobrir uma montanha, o Monte Nisir, onde encalhamos e ali ficamos por sete dias, retidos. Resolvi soltar uma pomba, que voou para longe, não encontrando local para pouso retornou (…) Então soltei um corvo, este voou para longe encontrou alimento e não retornou.” " (TAMEN, Pedro. Gilgamesh, Rei de Uruk. São Paulo: ed. Ars Poetica, 1992.) Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 35. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades:Curiosidades: • O mito sumério de Gilgamesh conta os feitos do rei da cidade de Uruk, Gilgamesh, que parte em uma jornada de aventuras em busca da imortalidade, nesta busca encontra as duas únicas pessoas imortais: Utanapistim e sua esposa, estes contam à Gilgamesh como conquistaram tal sorte, esta é a história do dilúvio. O casal recebeu o dom da imortalidade ao sobreviver ao dilúvio que consumiu a raça humana. • Na tradição suméria, o homem foi dizimado por incomodar os deuses. Segundo este mito, o deus Ea (deus da sabedoria e das águas), por meio de um sonho, apareceu a Utanapistim e lhe revelou as pretensões dos deuses de exterminar os humanos através de um dilúvio. Ea pede a Utanapistim que renuncie aos bens materiais e conserve o coração puro. Utanapistim, então, reúne sua família e constrói a embarcação que lhe foi ordenada por Ea, estes ficam por sete dias debaixo do dilúvio que consome com os humanos. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 36. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades:Curiosidades: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 37. SUMÉRIOS E ACADIANOSSUMÉRIOS E ACADIANOS Curiosidades:Curiosidades: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 38. AMORITAS E O IMPÉRIO BABILÔNICO • 1900 a. C. Os sumérios e acadianos foram dominados pelos amoritas; • Estabeleceram sua capital na cidade da Babilônia • Fundaram o Primeiro Império da Babilônia. Sítio Arqueológico da cidade histórica da BabilôniaProf. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 39. Hamurabi (1810 a.C - 1750 a.C)  Conquistou e unificou toda a mesopotâmia sob o seu governo AMORITAS E O IMPÉRIO BABILÔNICO Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 40. AMORITAS E O IMPÉRIO BABILÔNICO  Hamurabi foi o primeiro grande organizador que consolidou o seu império sobre normas regulares de administração.  Código de Hamurabi:o mais antigo código de leis escritas, conhecido como Código de Hamurabi Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 41. AMORITAS E O IMPÉRIO BABILÔNICO  Código de Hamurabi (um dos mais antigos conjuntos de leis escritas já encontrados): "Se um construtor edificou uma casa para um Awilum (homem livre, proprietário de terras), mas não reforçou seu trabalho, e a casa que construiu caiu e causou a morte do dono da casa, esse construtor será morto". A essência do Código de Hamurábi consiste no que os juristas chamam de “lei de talião”, a história do “olho por olho, dente por dente”  Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 42. AMORITAS E O IMPÉRIO BABILÔNICO Código de Hamurabi:  Se alguém enganar a outrem, difamando esta pessoa, e este outrem não puder provar, então aquele que enganou deverá ser condenado à morte.  Se uma pessoa roubar a propriedade de um templo ou corte, ele será condenado à morte e também aquele que receber o produto do roubo deverá ser igualmente condenado à morte.  Se uma pessoa roubar o filho menor de outra, o ladrão deverá ser condenado à morte.  Se uma pessoa arrombar uma casa, deverá ser condenado à morte na parte da frente do local do arrombamento e ser enterrado.  Se um homem tomar uma mulher como esposa, mas não tiver relações com ela, esta mulher não será considerada esposa deste homem.  Se um homem adotar uma criança e der seu nome a ela como filho, criando-o, este filho quando crescer não poderá ser reclamado por outra pessoa. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 43. OS ASSÍRIOS Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 44. OS ASSÍRIOS  Conhecidos pela violência militar: “Um soberano assírio chamado Salmanasar I (1274 a 1245 a.C.), levou como escravos cerca de 14 mil soldados inimigos derrotados, porém para assegurar-se de que seriam dóceis tratou de cegá-los.” Gravura representando o rei assírio, Sennakerib 705-681 a.e.c., em seu trono. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 45. OS ASSÍRIOS  Ferozes guerreiros e usavam sua grande força militar para expandir seu Império.  Assurbanipal (690 a.C.- 627 a.C.) período de maior glória e prosperidade,  Construção da Biblioteca de Ninive. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 46. Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império BabilônicoBabilônico  Aproveitaram-se do enfraquecimento político dos assírios e ocuparam a cidade da Babilônia ergueram o Segundo Império Babilônico. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 47. Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império BabilônicoBabilônico Nabucodonosor (604 a.C. – 562 a.C.):  Responsável por fazer da Babilônia um grande império;  Construção das maravilhas arquitetônicas: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 48. Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império BabilôniocoBabilônioco • Torre de Babel: Ruínas do zigurate da cidade de Borsipa: ideia aproximada da construção da Torre de Babel Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 49. Caldeus e o Segundo ImpérioCaldeus e o Segundo Império BabilôniocoBabilônioco • Jardins Suspensos da Babilônia: Os Jardins Suspensos, composta de criptas abobadadas ou sótãos reforçados com arcos de ladrilhos, é conhecido como uma das 7 maravilhas do mundo antigo. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 55. Ruínas da Babilônia Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 56. Tumba suméria saqueada perto da vila de Dhahir, no sul do Iraque  Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 60. Referências: • AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris: história 6º ano. São Paulo: Ática, 1º ed., 2012. • CAPELLARI, Marcos Alexandre; NOGUEIRA, Fausto Henrique Gomes. História: ser protagonista - Volume único. Ensino Médio. 1ª Ed. São Paulo: SM. 2010. • COTRIM, Gilberto. História Global – Brasil e Geral. Volume Único. Ensino Médio. 8ª Ed. São Paulo: Saraiva 2005. • Projeto Araribá: História – 6º ano. /Obra coletiva/ São Paulo: Editora Moderna, 2010. Editora Responsável: Maria Raquel Apolinário Melani. • Uno: Sistema de Ensino – História – 6º ano. São Paulo: Grupo Santillana, 2011. Editor Responsável: Angélica Pizzutto Pozzani. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 61. Nota do autor: • Muitos dos slides aqui postados estão disponíveis para dowloading. Outros, porém, por questões de direitos autorais e direitos de imagens, não estão disponíveis para serem baixados gratuitamente. • Caso você queira algum desses arquivos, ou mesmo encomendar alguma apresentação com um tema em especial, entre em contato comigo pelo E-mail (ambientalhistoria@gmail.com). • Visite minha página na internet: • www.dougnahistoria.blogspot.com.br Prof. Douglas Barraqui _______________________ PROF. DE HISTÓRIA (ENSINO FUNDAMENTAL / MÉDIO / PREPARATÓRIOS PARA CONCURSO, PRÉ-VESTIBULAR E PRÉ-IFES) www.dougnahistoria.blogspot.com.br PESQUISADOR EM HISTÓRIA AMBIENTAL PELA UFES www.ambientalhistoria.blogspot.com.br/ Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com