Successfully reported this slideshow.

Literatura romantismo

938 visualizações

Publicada em

Literatura Romantismo

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Literatura romantismo

  1. 1. Romantismo
  2. 2.  Predomínio da emoção;  Subjetivismo;  Nacionalismo;  Maior liberdade formal;  Vocabulário e sintaxe mais brasileira;  Valorização da cultura popular;  Natureza mais real, que interage com o eu lírico;  Sentimentalismo; estados de alma triste e melancólicos. romantismo (Características gerais)
  3. 3.   Inicio da Revolução Industrial;  Revolução Francesa;  1808 A família Real chega ao Brasil;  1822 Independência do Brasil;  Ascensão da burguesia: criação de novas estéticas Contexto histórico
  4. 4.  Romantismo em Portugal  1º Geração- Almeida Garret- politicas, sociais e culturais; Alexandre Herculano- romance histórico;  2º Geração- Camilo Castelo Branco- novela passional
  5. 5.   Inicio com a publicação de Suspiros Poéticos e Saudades, de Gonçalves de Magalhães;  Romance indianista e histórico- vida primitiva;  Romance regional- a vida rural;  Romance urbano- a vida na cidade; Romantismo no Brasil
  6. 6.   Primeira geração Nacionalista, indianista e religiosa. Poetas: Gonçalves Dias e Gonçalves de Magalhães.  Segunda geração Marcada pelo mal-do-século, apresenta egocentrismo exacerbado, pessimismo, satanismo e atração pela morte. Poetas: Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela e Junqueira Freire. As gerações do Romantismo
  7. 7.   Poetas: Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela e Junqueira Freire.  Terceira geração formada pelo grupo condoreiro, desenvolve uma poesia de cunho político e social. Poeta de maior expressão: Castro Alves. As gerações do Romantismo
  8. 8.  Canção do exílio Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá; As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá. Nosso céu tem mais estrelas, Nossas várzeas têm mais flores, Nossos bosques têm mais vida, Nossa vida mais amores. Em cismar, sozinho, à noite, Mais prazer eu encontro lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Minha terra tem primores, Que tais não encontro eu cá; Em cismar –sozinho, à noite– Mais prazer eu encontro lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Não permita Deus que eu morra, Sem que eu volte para lá; Sem que disfrute os primores Que não encontro por cá; Sem qu'inda aviste as palmeiras, Onde canta o Sabiá.  Gonçalves Dias Amor Amemos! Quero de amor Viver no teu coração! Sofrer e amar essa dor Que desmaia de paixão! Na tua alma, em teus encantos E na tua palidez E nos teus ardentes prantos Suspirar de languidez! Quero em teus lábio beber Os teus amores do céu, Quero em teu seio morrer No enlevo do seio teu! Quero viver d’esperança, Quero tremer e sentir! Na tua cheirosa trança Quero sonhar e dormir! Vem, anjo, minha donzela, Minha alma, meu coração! Que noite, que noite bela! Como é doce a viração! E entre os suspiros do vento Da noite ao mole frescor, Quero viver um momento, Morrer contigo de amor!  Álvares de Azevedo
  9. 9.   Poesia lírica e amorosa;  Poesia social;  Linguagem essencialmente romântica;  Inovações de forma e conteúdo;  Sua poesia retrata o lado feio da pátria. Terceira Geração: poesia condoreira ( Castro Alves)
  10. 10.  Amar e Ser Amado  Castro Alves Amar e ser amado! Com que anelo Com quanto ardor este adorado sonho Acalentei em meu delírio ardente Por essas doces noites de desvelo! Ser amado por ti, o teu alento A bafejar-me a abrasadora frente! Em teus olhos mirar meu pensamento, Sentir em mim tua alma, ter só vida P’ra tão puro e celeste sentimento Ver nossas vidas quais dois mansos rios, Juntos, juntos perderem-se no oceano, Beijar teus lábios em delírio insano Nossas almas unidas, nosso alento, Confundido também, amante, amado Como um anjo feliz... que pensamento!? A canção do africano Castro Alves Lá na úmida senzala, Sentado na estreita sala, Junto ao braseiro, no chão, Entoa o escravo o seu canto, E ao cantar correm-lhe em pranto Saudades do seu torrão … De um lado, uma negra escrava Os olhos no filho crava, Que tem no colo a embalar… E à meia voz lá responde Ao canto, e o filhinho esconde, Talvez pra não o escutar! “Minha terra é lá bem longe, Das bandas de onde o sol vem; Esta terra é mais bonita, Mas à outra eu quero bem! “O sol faz lá tudo em fogo, Faz em brasa toda a areia; Ninguém sabe como é belo Ver de tarde a papa-ceia!
  11. 11.  Romantismo Excesso de sofrimento Mulher fenomenal O herói sempre presente Romantismo é legal A morte serve de fuga Se renuncio a viver A natureza é cúmplice Por amor posso morrer Poeta romântico espelha Excesso do "eu" nos poemas Criando com liberdade Romantismo em vários temas Três gerações encontramos Na poesia do Romantismo Nacionalista; Ultra-Romântica Por fim o condoreirismo Gonçalves Dias retrata O índio e nacionalismo "Minha terra tem palmeiras ... " Nunca me esqueço disso Álvares de Azevedo é sofrido A morte ele procurou Levado pelo mal-da-século "Foi poeta - sonhou - e amou" Castro Alves é condoreiro, Sua poesia é social Dos escravos revela dramas Descreve a mulher sensual Navio Negreiro é sua marca De eloquência e vibração Espumas Flutuantes cultiva Mulher, natureza e nação A Moreninha é um romance De aspecto urbano Do conhecido Macedo Que açucara o cotidiano A virgem dos lábios de mel E a Iracema de Alencar Deflorada por Martim América vem simbolizar Do Manuel de Almeida, No Sargento de Milícias Leonardo é o primeiro anti- herói E se enrola com a polícia
  12. 12.   CEREJA, William Roberto. MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português linguagens. Vol. Único. 4 ed. São Paulo: Atual 2013.  Sites visitados: http://conversadeportugues.com.br https://www.google.com http://scholar.google.com.br http://www.vagalume.com.br Referência

×