Obsessão

2.588 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.588
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
429
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
299
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obsessão

  1. 1. 459. Influem os Espíritos em nosso pensamento, e em nossos atos? “Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.” O Livro dos Espíritos, Allan Kardec.
  2. 2. 457. Podem os Espíritos conhecer os nossos mais secretos pensamentos? “Muitas vezes chegam a conhecer o que desejaríeis ocultar de voz mesmos. Nem atos, nem pensamentos se lhes podem dissimular.” O Livro dos Espíritos, Allan Kardec.
  3. 3. “(...) criando imagens fluídicas, o pensamento se reflete no envoltório perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e aí de certo modo se fotografa. (...) Desse modo é que os mais secretos movimentos da alma repercutem no envoltório fluídico; que uma alma pode ler noutra alma como num livro e ver o que não é perceptível aos olhos do corpo.” A Gênese, Allan Kardec, capítulo 14º, Item 15.
  4. 4. “A obsessão é a ação persistente que um Espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.” O Evangelho Segundo o EspiritismoCapitulo XXVlll - Coletânea de Preces Espíritas Configura-se a obsessão toda vez que alguém, encarnado ou desencarnado, exercer sobre outrem constrição mental negativa — por um motivo qualquer — através de simples sugestão, indução ou coação, com o objetivo de domínio — processo esse que se repete continuamente, na Terra ou no Plano Espiritual inferior. E, por conseguinte, teremos o obsessor e o obsidiado. Obsessão e Desobsessão – Suely C. Schubert
  5. 5. A Obsessão consiste na tenacidade (persistência) de um Espírito, do qual não consegue desembaraçar-se a pessoa sobre quem ele atua. O Livro dos Médiuns – Capitulo XXIII – Da Obsessão 1 ESSE – Allan Kardec – Cap. 28 - Item 81 – “Prece pelos Obsediados” 2 “O Livro dos Mediuns” - Cap. 23 – Item 237 • É influenciação nociva. ¹ • É praticada somente por Espíritos inferiores.²
  6. 6. 1. Desencarnado para encarnado; 2. Encarnado para desencarnado; 3. Encarnado para encarnado; 4. Desencarnado para desencarnado; 5. Obsessão recíproca (4 opções possíveis); 6. Auto – Obsessão (encarnado e desencarnado).
  7. 7. Obsessão Simples Fascinação Subjugação Influência negativa de um Espírito sobre o outro de forma duradoura. Ilusão produzida pela ação direta de um Espírito sobre o pensamento do médium e que lhe paralisa o raciocínio. É uma constrição que paralisa a vontade daquele que a sofre e o faz agir a seu mau grado.
  8. 8. Somente existe a obsessão porque há endividados, criaturas que se procuram através dos tempos para acertar os débitos do passado. Ação e reação. Causa e efeito. Hoje, choramos ao peso das aflições que nós mesmos semeamos. Agora, reclamamos pelos padecimentos obsessivos que nos atormentam a alma. Somos os atormentadores, agora atormentados. “(...) as Imperfeições morais dão azo à ação dos Espíritos obsessores.”
  9. 9. É “porta” ou “brecha psíquica” que abrimos facilitando a aproximação e sintonia dos obsessores que vibram em faixas mentais semelhantes.  Idéias profundamente negativas;  Depressão, desânimo;  Revolta;  Medo;  Irritação;  Ociosidade;  Remorso;  Ciúme;  Egoísmo;  Avareza;  Vícios;  Maledicência.
  10. 10. “Haverá no homem alguma coisa que escape a todo constrangimento e pela qual goze ele de absoluta liberdade? No pensamento goza o homem de ilimitada liberdade, pois que não há como pôr-lhe peias (entraves) . Pode-se-lhe deter o vôo, porém, não aniquilá-lo.” (O Livro dos Espíritos,Allan Kardec, questão 833.) Obsessão é escravização temporária do pensamento, imantando credores e devedores, que inconscientemente ou não se buscam pelas Leis Cármicas. Pelo pensamento nós nos libertamos ou nos escravizamos. “Nem teus piores inimigos podem te causar tantos danos como teus próprios pensamentos”. Buda
  11. 11. Obsessores incursionam na mente da vítima, sugerindo pensamentos que visam acentuar suas preocupações, fobias e tendências, numa repetição constante. Dramas da Obsessão - Yvone A. Pereira – Bezerra de Menezes Um verdadeiro processo hipnótico que muitas vezes tem o início sutil e, a medida que é aceito, se consolida até a completa dominação de uma mente ativa sobre a outra que permanece passiva.
  12. 12. “Justapondo-se sutilmente cérebro a cérebro, mente a mente, vontade dominante sobre vontade que se deixa dominar, órgão a órgão, através do perispírito pelo qual se Identifica com o encarnado, a cada cessão feita pelo hospedeiro, mais coercitiva se faz a presença do hóspede, que se transforma em parasita insidioso...” Nos Bastidores da Obsessão, Manoel Philomeno de Miranda, psicografia de DivaldoPereira Franco, “Examinando a obsessão”. COMO SE PROCESSA Sintonia Mental Envolvimento Fluídico Hipnose
  13. 13. “Na obsessão, o Espírito atua exteriormente, com a ajuda do seu perispírito, que ele identifica com o do encarnado, ficando este afinal enlaçado por uma como teia e constrangido a proceder contra a sua vontade.” Há, pois, uma afinização da aura de ambos, uma identificação, cujas raízes se encontram nos compromissos do passado (cúmplice, parceria, etc), possibilitando a sintonização inicial, que, por carência de méritos morais do paciente e por sua invigilância, transforma-se em obsessão. A Gênese, Allan Kardec, capítulo 14º, Item 47. Obsessão e Desobsessão – Suely C. Schubert
  14. 14. Em qualquer caso de obsessão, para que os resultados dos tratamentos sejam eficazes, a atenção e cuidados devem ser estendidos a ambos os contendores. Isto é, ao obsessor e ao obsediado, porque dois princípios invariáveis regem qualquer desses processos. 1. Na obsessão existe sempre uma fonte emissora de vibrações dominantes, e um receptor à ela submetido. 2. Essa característica só se estabelece quando os desejos da fonte e do receptor se igualam.
  15. 15. Estes princípios resumem o seguinte: A instalação de um quadro de obsessão vem da ideoplastia (forma pensamento) que uma pessoa tenha criado e que atraiu a outro. Não importa em que lado estejam um ou o outro. Não obstante, são merecedores, igualmente, de cuidados esclarecedores. Mas sem o esclarecimento compreendido e aceito, jamais haverá a desimantação, e o processo só tenderá a agravar. Em qualquer das situações, não há vítima e nem algoz, na acepção dos termos. Conscientemente, em alguma época recente ou de longínquo passado, construíram e caminharam para o desfecho comum que agora protagonizam.
  16. 16. As ligações não são direcionadas para vida pessoal do médium. Os obsessores atuam na mente desestruturando o emocional, comportamental e mental. Interferem na família, no trabalho, na vida social desestabilizando as emoções e sentimentos (desarmonia). As ligações são direcionadas para vida pessoal do médium. Os obsessores atuam na energia do médium causando doenças, principalmente, quando há acumulo de ectoplasma, devido a falta do exercício mediúnico. É um processo individualizado. Médium de Efeito Inteligente Médium de Efeito Físico
  17. 17. Assim como as enfermidades resultam das imperfeições físicas que tornam o corpo acessível às perniciosas influências exteriores, a obsessão decorre sempre de um imperfeição moral, que dá ascendência a um Espírito mau. A Gênse – Cap. XXIII - DaObsessão Obsessão e Desobsessão – Suely C. Schubert Falta do bemMoralCármica
  18. 18. OBSESSÃO Desejo de fazer o mal Vingança Orgulho do falso saber Ódio do bem Fraqueza moral
  19. 19. OBSEDIADO PsicopatiasSuicídio Desanimo Doenças Físicas Medo Conflitos Isolamento Social Vícios Loucura Epilepsia
  20. 20. 467. Pode o homem se libertar da influência dos Espíritos que procuram arrasta-los ao mal? “Sim, porque apenas se ligam àqueles que os solicitam por seus desejos ou os atraem pelos seus pensamentos.” 469. Como se pode neutralizar a influência dos maus Espíritos? “Fazendo o bem e colocando toda confiança em Deus, repelis a influência dos Espíritos inferiores e anulais o domínio que querem ter sobre vós. Evitai escutar as sugestões dos Espíritos que vos espiram maus pensamentos, sopram a discórdia e excitam as más paixões. Desconfiai, especialmente, daqueles que exaltam o vosso orgulho, porque vos conquistam pela fraqueza. Eis porque Jesus nos ensinou a dizer na oração dominical: “Senhor, não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal”.
  21. 21. “Estai de sobreaviso, vigiai e orai; porque não sabeis quando será o tempo.” “É assim que somos, por vezes, loucos temporários, grandes obsidiados de alguns minutos, alienados mentais em marcadas circunstâncias de lugar ou de tempo, ou, ainda, doentes do raciocínio em crises periódicas, médiuns lastimáveis da desarmonia, pela nossa permanência longa em reflexos condicionados Viciosos, adquirindo compromissos de grave teor nos atos menos felizes que praticamos, semi- inconscientemente, sugestionados uns pelos outros, porquanto, perante a Lei, a nossa VONTADE é responsável em todos os nossos problemas de sintonia.” Mecanismos da Mediunidade,André Luiz.
  22. 22. • O Livro dos Espíritos – Allan kardec • Livro dos Médiuns – Allan Kardec • A Gênese - Allan Kardec • O Evangelho Segundo o Espiritismo • Dramas da Obsessão -YvoneA. Pereira • Obsessão – Allan Kardec • Mecanismos da Mediunidade - André Luiz. • Grilhões Partidos - Manoel Philomeno de Miranda • Obsessão e Desobsessão – Suely C. Schubert • Dialogo com as sombras – Hermínio C. Miranda • Nos Domínios da Mediunidade – Chico Xavier/André Luiz • Obreiros daVida Eterna - Chico Xavier/André Luiz • Nos Bastidores da Obsessão – Divaldo Franco

×