SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 43
FENÔMENOS DE
EMANCIPAÇÃO DA ALMA
ESTUDO SISTEMATIZADO DA
DOUTRINA ESPÍRITA - ESDE
PROGRAMA
COMPLEMENTAR
MÓDULO VII
Emancipação significa
o ato de tornar livre ou
independente.
ROTEIRO 1 - Sono e sonhos
SONO E SONHO: DIFERENÇA ENTRE UM E OUTRO
Ciência - As células corticais apresentam
dois tipos de atividade: o que equivale aos
estados de excitação, caracterizado por
grande despesa de energia, e o que se
define como pensamento inibitório,
destinado, basicamente, à reconstituição
e reparação da célula. A generalização
dos processos inibitórios responde pela
instalação do sono
(Enciclopédia Mirador Internacional. São Paulo,
Encyclopaedia Britannica, 1987)
Pensamento
inibitório
Estados de excitação
Ciência - Processo intenso que
corresponde aos estados paradoxais
do sono, isto é, àqueles momentos
durante os quais os registros
eletroencefalográficos se aproximam
dos que se caracterizam o estado de
vigília.
Geralmente é a parte lembrada da
sucessão de imagens ou ideias
fantásticas e associações,
apresentadas de maneira
provavelmente contínua à mente
durante o sono.
(Enciclopédia Mirador Internacional. São Paulo,
Encyclopaedia Britannica, 1987)
Acredite ou não, vamos
passar cerca de 12 a
24 anos da nossa vida
dormindo!
A Noite e o Sono, de Evelyn de Morgan, 1878.
O espírito encarnado
não permanece de bom
grado no corpo. Quanto
mais grosseiro o corpo
mais aspira a sua
libertação.
400. O Espírito encarnado permanece de
bom grado no seu envoltório corporal?
“O Espírito encarnado é
como se fosse um
encarcerado: está preso
na carne por laços
fluídicos que o fazem
prisioneiro por
determinado tempo. Ele
aspira constantemente à
liberdade, no entanto, a
sua consciência lhe avisa
que ele tem um dever a
cumprir, que abandonar o
corpo antes do tempo
poderá ser bem pior.”
Filosofia Espírita - Volume VIII
“É preciso que aqueles que se
encontram na carne façam mais força
para ficar o mais que puderem nela.
As lições são duras, mas
compensadoras, e a repetição desta
oportunidade é bem mais difícil para o
coração ansioso de luz. O Espírito
encarcerado pode permanecer de bom
grado na carne. Se tem evolução
espiritual, ele faz esforço todos os dias
na caridade verdadeira, de modo que
ela lhe dá forças novas em todos os
rumos do entendimento; ele usa, na
hora de esmorecimento, a oração e a
vigilância. E Jesus não o deixa
sozinho no caminho das provas”.
O Espírito jamais está inativo.
Durante o sono, afrouxam-se os
laços que o prendem ao corpo e, não
precisando este então da sua
presença, ele se lança pelo espaço e
entra em relação mais direta com os
outros Espíritos.
401. Durante o sono, a alma repousa como o corpo?
A Terra é apenas o duplo das
coisas espirituais.
Convém pensar nisso e procurar
entender as coisas do Espírito. O
Espírito não fica inativo; ele busca
a liberdade parcial, pelo sono, pois
é nessas saídas que encontramos
com mais facilidade os nossos
companheiros fora da carne e
travamos conversações com eles
acerca dos assuntos que nos
convém falar e ouvir.
Enquanto o corpo descansa, a alma
trabalha; enquanto o corpo trabalha, a alma
trabalha.
402. Como podemos julgar da liberdade
do Espírito durante o sono?
“Pelos sonhos. Quando o
corpo repousa, acredita-o,
tem o Espírito mais
faculdades do que no
estado de vigília. Lembra-
se do passado e algumas
vezes prevê o futuro.
Frederick Grant Banting, médico
canadense e Prêmio Nobel de Fisiologia e
Medicina, sonhou com um experimento
que na realidade significou a descoberta
da insulina.
“Diabetis (sic) ligar
ductos pancreáticos dos
cachorros. Manter
cachorros vivos até a
parte exócrina atrofiar.
Tentar isolar a secreção
das ilhotas restantes e
diminuir a glicosurea
(sic).”
Benzeno
O químico orgânico alemão Friedrich
August Kekulé von Stradonitz Aldrich viu
em um sonho que ele estava rodeado por
serpentes que formavam um hexágono.
Este sonho ajudou o cientista a descobrir
a estrutura do anel de benzeno, contendo
átomos de carbono de seis membros com a
alternância de ligações duplas e simples.
Tabela periódica dos elementos
O químico russo Dmitri Mendeleev
inventou e desenvolveu sua tabela
periódica dos elementos com base
exclusivamente em experimentos
científicos. Mas durante muito tempo
não foi possível determinar a
localização final dos elementos
químicos na tabela, até que em um
sonho ele viu a versão final da mesma
que durante 140 anos vem sendo
usada em todo o mundo.
Estrutura do átomo
Os sonhos de Niels Bohr
foram muitas vezes
realacionados ao seu trabalho.
Em um desses sonhos, ele
sonhou com a estrutura do
átomo: Bohr viu os elétrons e
o núcleo em forma de sistema
solar.
Neurologia
O sonho de Otto Loewi, um destacado fisiologista
alemão, ganhador o prêmio Nobel. “A noite antes do
Domingo de Páscoa daquele ano eu acordei, acendi a
luz e anotei algumas informações em um papel
pequeno e voltei a dormir. Ao acordar às seis da
manhã, eu revi as notas, mas não conseguia decifrá-
los. Na noite seguinte, às três horas, a ideia voltou.
Era o projeto de um experimento para determinar se a
hipótese de transmissão química que tinha
pronunciado há 17 anos estava correta. Levantei-me
imediatamente, fui até o laboratório e realizei um
experimento simples em um coração de rã, como no
desenho noturno”, escreveu o cientista em sua
autobiografia.
Máquina de costura
Elias Howe, inventor americano e
pioneiro na criação da máquina de
costura, quebrou a cabeça para
resolver o problema do desenho das
agulhas para máquinas de costura, até
que em um sonho ele viu uma tribo
atacando com lanças. Howe prestou
especial atenção para o fato de que as
lanças tinham olhos, o que serviu de
inspiração para o design atual das
agulhas.
Avião Antei
Oleg Antonov, projetista de aviões soviéticos e um dos fundadores da empresa
fabricante de aviões Antonov, sonhou com a forma peculiar da cauda de seu
lendário avião Antei.
Seu nome deriva do gigante da mitologia grega “Anteu”, filho do deus
Poseidon e da deusa Gaia. E o título é merecido: desenhado na década de
1960, este avião de proporções titânicas foi feito pelos soviéticos para o
transporte estratégico de cargas pesadas. Ainda hoje, o Antonov An-22 Antei é
o maior turbo-hélice do mundo.
Alfabeto armênio
Mesrob Mashtots, o criador do
alfabeto armênio, alegou que
tinha sido emitido por um anjo
em um sonho.
403. Por que não nos lembramos sempre dos sonhos?
“Em o que chamas sono, só há o repouso
do corpo, visto que o Espírito está
constantemente em atividade. Recobra,
durante o sono, um pouco da sua
liberdade e se corresponde com os que
lhe são caros, quer neste mundo, quer
em outros. Mas, como é pesada e
grosseira a matéria que compõe, o corpo
dificilmente conserva as impressões que
o Espírito recebeu, porque a este não
chegaram por intermédio dos órgãos
corporais.”
Quando o Espírito volta ao corpo,
ocorre uma espécie de filtragem na
lembrança do que ocorreu no mundo
espiritual. Esses acontecimentos não
são apagados da memória, visto que,
pela lei, nada se perde. Entretanto,
eles ficam gravados no fundo da
consciência, vindo à tona quando
necessário, manifestando-se como
lições ou testes para o Espírito.
Se nos lembrássemos de todo o
ocorrido no mundo dos sonhos, a
mente não iria suportar essa
carga além das suas forças e
perturbaria a vida na matéria.
Se as lembranças fossem ...
Lembranças boas demais
Lembranças ruins demais
404. Que se deve pensar das
significações atribuídas aos sonhos?
“Os sonhos não são verdadeiros como o
entendem os ledores de buena-dicha, pois
fora absurdo crer-se que sonhar com tal coisa
anuncia tal outra. São verdadeiros no sentido
de que apresentam imagens que para o
Espírito têm realidade, porém que,
frequentemente, nenhuma relação guardam
com o que se passa na vida corporal.
Os sonhos são o produto da emancipação da
alma, que se torna mais independente pela
suspensão da vida ativa e de relação. Daí
uma espécie de clarividência indefinida, que
se estende aos lugares os mais distantes ou
que jamais se viu, e algumas vezes mesmo a
outros mundos. Daí também a lembrança
que retraça na memória os acontecimentos
verificados na existência presente ou nas
existências anteriores. A extravagância das
imagens referentes ao que se passa ou se
passou em mundos desconhecidos
entremeadas de coisas do mundo atual
formam esses conjuntos bizarros e confusos
que parecem não ter senso nem nexo.
(Allan Kardec)
A incoerência dos sonhos ainda se
explica pelas lacunas decorrentes
da lembrança incompleta do que
nos apareceu no sonho. Tal como
um relato ao qual se tivessem
truncado frases ou partes de
frases ao acaso: os fragmentos
restantes sendo reunidos,
perderiam toda significação
racional.
Allan Kardec
405. Acontece com frequência verem-se em sonho coisas que parecem um
pressentimento, que, afinal, não se confirma. A que se deve atribuir isto?
“Pode suceder que tais pressentimentos venham a
confirmar-se apenas para o Espírito. Quer dizer que este
viu aquilo que desejava, foi ao seu encontro. É preciso
não esquecer que, durante o sono, a alma está mais ou
menos sob a influência da matéria e que, por
conseguinte, nunca se liberta completamente de suas
ideias terrenas, donde resulta que as preocupações do
estado de vigília podem dar ao que se vê a aparência do
que se deseja, ou do que se teme. A isto é que, em
verdade, cabe chamar-se efeito da imaginação. Sempre
que uma ideia nos preocupa fortemente, tudo o que
vemos se nos mostra ligado a essa ideia.”
406. Quando vemos em sonho pessoas vivas,
que conhecemos perfeitamente, praticarem
atos em que absolutamente não pensam, não
é isso um efeito de pura imaginação?
— Em que absolutamente não pensam?
Como o sabes? Seus Espíritos podem vir
visitar o teu, como o teu pode visitar os deles,
e nem sempre sabes o que pensam. Além
disso, frequentemente aplicais, a pessoas que
conheceis, e segundo os vossos desejos, aquilo
que se passou ou se passa em outras
existências.
407. É necessário o sono completo para a
emancipação do Espírito?
“Não; basta que os sentidos entrem
em torpor para que o Espírito recobre
a sua liberdade. Para se emancipar,
ele se aproveita de todos os instantes
de trégua que o corpo lhe concede.
Desde que haja prostração das forças
vitais, o Espírito se desprende,
tornando-se tanto mais livre, quanto
mais fraco for o corpo.”
TIPOS DE SONHOS
Therezinha Oliveira
Há 3 tipos de sonhos:
Espiritual: é a lembrança
de uma atividade
desenvolvida pelo
Espírito no mundo
espiritual durante o
sono. Kardec denomina
essa situação como
“emancipação da alma”.
Fisiológico: é aquele que
dramatiza algo que
acontece com nosso
corpo. Se está frio e nos
descobrimos, sono
pesado, sem despertar
poderemos nos ver num
campo de neve, tiritando.
Pessoas com
incontinência urinária
sonham que estão
satisfazendo essa
necessidade fisiológica,
enquanto molham a
cama.
Psicológico: é aquele que
exprime nossos estados
íntimos. Nos velhos tempos, em
que não havia os recursos da
informática, eu (Richard
Simonetti) passava dias e dias
procurando diferenças nas
fichas gráficas de contas
correntes, no Banco do Brasil,
onde trabalhava. Á noite,
sempre me via, durante o sono,
na agência, repetindo
intermináveis verificações. Era
a dramatização de meu
envolvimento com aquele
problema.
Como podemos distinguir o sonho?
Os sonhos de caráter fisiológico ou psicológico são
fugidos, mal delineados. Os sonhos espirituais são mais
nítidos, mais claros. Guardamos melhor.
Classificação dos Sonhos – Martins Peralva
Comuns - Repercussão de nossas disposições,
Físicas ou psicológicas.
Reflexivos - Exteriorização de impulsos e
imagens arquivadas no
cérebro.
Espíritas - Atividade real e efetiva do
Espírito durante o sono.
A Gênese, também se refere ao tema. Relata que
José, pai de Jesus, foi advertido por um anjo em
sonhos para que fugisse para o Egito com o
menino. O capítulo XV da obra faz uma reflexão
sobre as advertências que podem ser feitas por
intermédio dos sonhos e que fazem parte dos
livros sagrados de todas as religiões. Salienta
ainda que o fenômeno nada tem de anormal, já
que durante o sono o espírito se desliga dos laços
da matéria para entrar momentaneamente na
vida espiritual, porém adverte que nem sempre
se pode deduzir que os sonhos são avisos ou
tenham significado específico.
O livro Recordações da Mediunidade – da médium
Yvonne A. Pereira, orientado pelo espírito de Bezerra
de Menezes, diz: “Existem vários processos pelos quais
o homem poderá ser informado de um ou outro
acontecimento futuro importante da sua vida.
Comumente, se ele fez jus a essa advertência, ou
lembrete, pois isso implica certo mérito, ou ainda certo
desenvolvimento psíquico, de quem o recebe, é um
amigo do Além, um parente, o seu espírito familiar ou o
próprio guardião maior que lhe comunicam o fato a
realizar-se, preparando-o para o evento, que
geralmente é grave, doloroso, fazendo-se sempre em
linguagem encenada, ou figurada, como de uso no
Invisível, e daí o que chamais “avisos pelo sonho”, ou
seja, sonhos premonitórios...
O livro Conduta Espírita, ditado por
André Luiz ressalta algumas
observações a respeito da postura
que se deve assumir diante dos
sonhos e suas revelações: “Encarar
com naturalidade os sonhos que
possam surgir durante o descanso
físico, sem preocupar-se
aflitivamente com quaisquer fatos
ou ideias que se reportem a eles. Há
mais sonhos na vigília que no sono
natural.
Sonhos Premonitórios
Martin Luther King
Revela o jornal parisiense, France-Dimanche em seu
número 1.130, que dois dias antes de ser assassinado, o
líder negro tivera um sonho em que se via estendido em
um caixão mortuário e cercado de milhares de pessoas.
Impressionado com o sonho, chamou seu amigo Andy
Young e telefonou para a sua esposa informando sobre o
acontecido.
Na véspera da tragédia, ele se encontrava discursando
para os membros das associações sanitárias em
Memphis, quando surpreendeu a todos falando: “muitas
vezes penso na minha morte e no meu enterro. Se um
dia alguém de vós falar sobre a minha campa, diga que
Martin Luther King deu a vida pelos seus irmãos, para
vestir os pobres e alimentar os esfomeados”. Parecia
sem sentido o que falara. Porém, a previsão tornou-se
realidade; algum tempo depois, ele foi assassinado.
Janeiro 1958 – “Visões”
27 para 28 de agosto de 1857...
Sono e Sonhos
Recomendações Úteis
1) Leitura evangélica - Ao deitar, ler, em voz normal, o Evangelho Segundo
o Espiritismo. Este hábito faz-nos ficar mais calmos e, acalma também, os
Espíritos menos felizes que nos acompanham; aqueles que querem nos
prejudicar durante o sono.
2) Evitar tensões graves no momento que antecede o sono.
3) Evitar comer em excesso.
4) No caso de insônia, fazer algum exercício de educação física.
Extrair sempre os objetivos edificantes desse ou daquele painel
entrevisto em sonho.
Em tudo há sempre uma lição.
Repudiar as interpretações supersticiosas que pretendam
correlacionar os sonhos com jogos de azar e acontecimentos
mundanos, gastando preciosos recursos e oportunidades da
existência em preocupação viciosa e fútil.
Objetivos elevados, tempo aproveitado.
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentesMarta Gomes
 
6ª aula manifestaçoes visuais - coem
6ª aula   manifestaçoes visuais - coem6ª aula   manifestaçoes visuais - coem
6ª aula manifestaçoes visuais - coemWagner Quadros
 
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da almaPrimeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da almaCeiClarencio
 
Terceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parte
Terceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parteTerceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parte
Terceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parteCeiClarencio
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispiritoduadv
 
Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituaisLisete B.
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Marcos Antônio Alves
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhosMarta Gomes
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hshome
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiGraça Maciel
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardecmarjoriestavismeyer
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoLouis Oliver
 
Slide perispírito
Slide  perispíritoSlide  perispírito
Slide perispíritobonattinho
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesGraça Maciel
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuEduardo Ottonelli Pithan
 

Mais procurados (20)

2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
 
6ª aula manifestaçoes visuais - coem
6ª aula   manifestaçoes visuais - coem6ª aula   manifestaçoes visuais - coem
6ª aula manifestaçoes visuais - coem
 
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da almaPrimeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
 
Terceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parte
Terceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parteTerceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parte
Terceiro Módulo - 8ª aula - Educação mediunica e exerc. mediunico 1ª parte
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituais
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
 
Estados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hsEstados de emancipação da alma-1,5hs
Estados de emancipação da alma-1,5hs
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Espírito E Matéria
Espírito E MatériaEspírito E Matéria
Espírito E Matéria
 
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
 
Slide perispírito
Slide  perispíritoSlide  perispírito
Slide perispírito
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiações
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
 

Destaque

Leidy castillo= fotoflexer
Leidy castillo= fotoflexerLeidy castillo= fotoflexer
Leidy castillo= fotoflexerleidy castillo
 
I Live Dangerously
I Live DangerouslyI Live Dangerously
I Live DangerouslyMark Smith
 
Dispositiva corregida grupo martes informatica
Dispositiva corregida grupo martes informaticaDispositiva corregida grupo martes informatica
Dispositiva corregida grupo martes informaticaDavid Quintana
 
Sono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da Alam
Sono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da AlamSono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da Alam
Sono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da AlamDeborah Oliver
 
Sharing is caring_27.3.2017
Sharing is caring_27.3.2017Sharing is caring_27.3.2017
Sharing is caring_27.3.2017Tero Toivanen
 
The early church and the word pt 2
The early church and the word pt 2The early church and the word pt 2
The early church and the word pt 2Steve Moreland
 
à Beira do abismo andré luiz ,chico xavier
à Beira do abismo   andré luiz ,chico xavierà Beira do abismo   andré luiz ,chico xavier
à Beira do abismo andré luiz ,chico xavierDeborah Oliver
 
à Beira do abismo André Luiz ,Chico Xavier
à Beira do abismo   André Luiz ,Chico Xavierà Beira do abismo   André Luiz ,Chico Xavier
à Beira do abismo André Luiz ,Chico XavierDeborah Oliver
 
Lidando com a ansiedade: em busca de uma nova prática
Lidando com a ansiedade: em busca de uma nova práticaLidando com a ansiedade: em busca de uma nova prática
Lidando com a ansiedade: em busca de uma nova práticaDaniel Faria Jr.
 
50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundo50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundoDeborah Oliver
 
História da música 1
História da música 1História da música 1
História da música 1Deborah Oliver
 

Destaque (19)

Leidy castillo= fotoflexer
Leidy castillo= fotoflexerLeidy castillo= fotoflexer
Leidy castillo= fotoflexer
 
S4 tarea4 caalm
S4 tarea4 caalmS4 tarea4 caalm
S4 tarea4 caalm
 
News SSL 13 2017
News SSL 13 2017News SSL 13 2017
News SSL 13 2017
 
I Live Dangerously
I Live DangerouslyI Live Dangerously
I Live Dangerously
 
Dispositiva corregida grupo martes informatica
Dispositiva corregida grupo martes informaticaDispositiva corregida grupo martes informatica
Dispositiva corregida grupo martes informatica
 
Terapia transfusional
Terapia transfusionalTerapia transfusional
Terapia transfusional
 
Sono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da Alam
Sono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da AlamSono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da Alam
Sono & Sonhos ESDE. Visão Espírita, Fenômenos da Atencipação da Alam
 
Sharing is caring_27.3.2017
Sharing is caring_27.3.2017Sharing is caring_27.3.2017
Sharing is caring_27.3.2017
 
The early church and the word pt 2
The early church and the word pt 2The early church and the word pt 2
The early church and the word pt 2
 
Derecho a la intimidad
Derecho a la  intimidadDerecho a la  intimidad
Derecho a la intimidad
 
à Beira do abismo andré luiz ,chico xavier
à Beira do abismo   andré luiz ,chico xavierà Beira do abismo   andré luiz ,chico xavier
à Beira do abismo andré luiz ,chico xavier
 
à Beira do abismo André Luiz ,Chico Xavier
à Beira do abismo   André Luiz ,Chico Xavierà Beira do abismo   André Luiz ,Chico Xavier
à Beira do abismo André Luiz ,Chico Xavier
 
Materializações
MaterializaçõesMaterializações
Materializações
 
Lidando com a ansiedade: em busca de uma nova prática
Lidando com a ansiedade: em busca de uma nova práticaLidando com a ansiedade: em busca de uma nova prática
Lidando com a ansiedade: em busca de uma nova prática
 
50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundo50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundo
 
História da música 1
História da música 1História da música 1
História da música 1
 
Igreja
IgrejaIgreja
Igreja
 
Grupo aval
Grupo avalGrupo aval
Grupo aval
 
áGua fluidificada
áGua fluidificadaáGua fluidificada
áGua fluidificada
 

Semelhante a Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo

07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhosjcevadro
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)Maria Salete da Cunha
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)Maria Salete da Cunha
 
Exposicao interpretacao dos sonhos
Exposicao   interpretacao dos sonhosExposicao   interpretacao dos sonhos
Exposicao interpretacao dos sonhoscaminhodaluz41
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosAntonino Silva
 
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...dariosr40
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaMarta Gomes
 
Visaoespiritasonosonhos
VisaoespiritasonosonhosVisaoespiritasonosonhos
VisaoespiritasonosonhosNeusa Lustosa
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. contiSilvio Figueirôa
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...Cynthia Castro
 
Livro dos Espiritos 403 e Introducao do ESE
Livro dos Espiritos 403 e Introducao do ESELivro dos Espiritos 403 e Introducao do ESE
Livro dos Espiritos 403 e Introducao do ESEPatricia Farias
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoDenise Aguiar
 

Semelhante a Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo (20)

Do Sono ao Sonho
Do Sono ao SonhoDo Sono ao Sonho
Do Sono ao Sonho
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
 
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)Estados da emancipação da alma   parte 1 (elio mollo)
Estados da emancipação da alma parte 1 (elio mollo)
 
Exposicao interpretacao dos sonhos
Exposicao   interpretacao dos sonhosExposicao   interpretacao dos sonhos
Exposicao interpretacao dos sonhos
 
O sono e os sonhos
O sono e os sonhosO sono e os sonhos
O sono e os sonhos
 
O sono e os sonhos
O sono e os sonhosO sono e os sonhos
O sono e os sonhos
 
Evangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e SonhosEvangeliza - Sono e Sonhos
Evangeliza - Sono e Sonhos
 
Palestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E SonhoPalestra Sobre Sono E Sonho
Palestra Sobre Sono E Sonho
 
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
Paletras - Sonhos, mensagens da alma ...
 
O SONO E OS SONHOS
O SONO E OS SONHOSO SONO E OS SONHOS
O SONO E OS SONHOS
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
 
Visaoespiritasonosonhos
VisaoespiritasonosonhosVisaoespiritasonosonhos
Visaoespiritasonosonhos
 
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
081029 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos
 
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
081105 le–livro ii-cap.8–o sono e os sonhos-cont
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
 
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
Evolução em Dois Mundos - Segunda Parte - Capítulos III e IV - Corpo Espiritu...
 
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
 
Livro dos Espiritos 403 e Introducao do ESE
Livro dos Espiritos 403 e Introducao do ESELivro dos Espiritos 403 e Introducao do ESE
Livro dos Espiritos 403 e Introducao do ESE
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do Espírito
 

Mais de Deborah Oliver

Quarto de Despejo - história da autora.pdf
Quarto de Despejo - história da autora.pdfQuarto de Despejo - história da autora.pdf
Quarto de Despejo - história da autora.pdfDeborah Oliver
 
ESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptx
ESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptxESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptx
ESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptxDeborah Oliver
 
Esde x lei de liberdade - roteiro ii
Esde x  lei de liberdade - roteiro iiEsde x  lei de liberdade - roteiro ii
Esde x lei de liberdade - roteiro iiDeborah Oliver
 
Esde x lei de liberdade - roteiro i
Esde x   lei de liberdade - roteiro iEsde x   lei de liberdade - roteiro i
Esde x lei de liberdade - roteiro iDeborah Oliver
 
Grammar quiz reflexive pronouns
Grammar quiz   reflexive pronounsGrammar quiz   reflexive pronouns
Grammar quiz reflexive pronounsDeborah Oliver
 
ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5
ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5
ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5Deborah Oliver
 
Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12
Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12
Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12Deborah Oliver
 
percepeções de uma professora de Inglês
percepeções de uma professora de Inglêspercepeções de uma professora de Inglês
percepeções de uma professora de InglêsDeborah Oliver
 

Mais de Deborah Oliver (11)

Quarto de Despejo - história da autora.pdf
Quarto de Despejo - história da autora.pdfQuarto de Despejo - história da autora.pdf
Quarto de Despejo - história da autora.pdf
 
ESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptx
ESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptxESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptx
ESDE - Tomo Único - Módulo I - Roteiro VII.pptx
 
Esde x lei de liberdade - roteiro ii
Esde x  lei de liberdade - roteiro iiEsde x  lei de liberdade - roteiro ii
Esde x lei de liberdade - roteiro ii
 
Esde x lei de liberdade - roteiro i
Esde x   lei de liberdade - roteiro iEsde x   lei de liberdade - roteiro i
Esde x lei de liberdade - roteiro i
 
Grammar quiz reflexive pronouns
Grammar quiz   reflexive pronounsGrammar quiz   reflexive pronouns
Grammar quiz reflexive pronouns
 
Lar, escola das almas
Lar, escola das almasLar, escola das almas
Lar, escola das almas
 
ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5
ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5
ESDE - TOMO I - Módulo VI - Roteiro 5
 
Saint patrick Day
Saint patrick DaySaint patrick Day
Saint patrick Day
 
Mediunidade de cura
Mediunidade de curaMediunidade de cura
Mediunidade de cura
 
Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12
Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12
Nos domínios da mediunidade - Capítulo 12
 
percepeções de uma professora de Inglês
percepeções de uma professora de Inglêspercepeções de uma professora de Inglês
percepeções de uma professora de Inglês
 

Último

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 

Último (8)

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 

Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo

  • 1. FENÔMENOS DE EMANCIPAÇÃO DA ALMA ESTUDO SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA - ESDE PROGRAMA COMPLEMENTAR MÓDULO VII
  • 2. Emancipação significa o ato de tornar livre ou independente.
  • 3. ROTEIRO 1 - Sono e sonhos
  • 4. SONO E SONHO: DIFERENÇA ENTRE UM E OUTRO Ciência - As células corticais apresentam dois tipos de atividade: o que equivale aos estados de excitação, caracterizado por grande despesa de energia, e o que se define como pensamento inibitório, destinado, basicamente, à reconstituição e reparação da célula. A generalização dos processos inibitórios responde pela instalação do sono (Enciclopédia Mirador Internacional. São Paulo, Encyclopaedia Britannica, 1987) Pensamento inibitório Estados de excitação
  • 5. Ciência - Processo intenso que corresponde aos estados paradoxais do sono, isto é, àqueles momentos durante os quais os registros eletroencefalográficos se aproximam dos que se caracterizam o estado de vigília. Geralmente é a parte lembrada da sucessão de imagens ou ideias fantásticas e associações, apresentadas de maneira provavelmente contínua à mente durante o sono. (Enciclopédia Mirador Internacional. São Paulo, Encyclopaedia Britannica, 1987)
  • 6. Acredite ou não, vamos passar cerca de 12 a 24 anos da nossa vida dormindo! A Noite e o Sono, de Evelyn de Morgan, 1878.
  • 7. O espírito encarnado não permanece de bom grado no corpo. Quanto mais grosseiro o corpo mais aspira a sua libertação. 400. O Espírito encarnado permanece de bom grado no seu envoltório corporal?
  • 8. “O Espírito encarnado é como se fosse um encarcerado: está preso na carne por laços fluídicos que o fazem prisioneiro por determinado tempo. Ele aspira constantemente à liberdade, no entanto, a sua consciência lhe avisa que ele tem um dever a cumprir, que abandonar o corpo antes do tempo poderá ser bem pior.” Filosofia Espírita - Volume VIII
  • 9. “É preciso que aqueles que se encontram na carne façam mais força para ficar o mais que puderem nela. As lições são duras, mas compensadoras, e a repetição desta oportunidade é bem mais difícil para o coração ansioso de luz. O Espírito encarcerado pode permanecer de bom grado na carne. Se tem evolução espiritual, ele faz esforço todos os dias na caridade verdadeira, de modo que ela lhe dá forças novas em todos os rumos do entendimento; ele usa, na hora de esmorecimento, a oração e a vigilância. E Jesus não o deixa sozinho no caminho das provas”.
  • 10. O Espírito jamais está inativo. Durante o sono, afrouxam-se os laços que o prendem ao corpo e, não precisando este então da sua presença, ele se lança pelo espaço e entra em relação mais direta com os outros Espíritos. 401. Durante o sono, a alma repousa como o corpo?
  • 11. A Terra é apenas o duplo das coisas espirituais. Convém pensar nisso e procurar entender as coisas do Espírito. O Espírito não fica inativo; ele busca a liberdade parcial, pelo sono, pois é nessas saídas que encontramos com mais facilidade os nossos companheiros fora da carne e travamos conversações com eles acerca dos assuntos que nos convém falar e ouvir.
  • 12. Enquanto o corpo descansa, a alma trabalha; enquanto o corpo trabalha, a alma trabalha.
  • 13. 402. Como podemos julgar da liberdade do Espírito durante o sono?
  • 14. “Pelos sonhos. Quando o corpo repousa, acredita-o, tem o Espírito mais faculdades do que no estado de vigília. Lembra- se do passado e algumas vezes prevê o futuro.
  • 15. Frederick Grant Banting, médico canadense e Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina, sonhou com um experimento que na realidade significou a descoberta da insulina. “Diabetis (sic) ligar ductos pancreáticos dos cachorros. Manter cachorros vivos até a parte exócrina atrofiar. Tentar isolar a secreção das ilhotas restantes e diminuir a glicosurea (sic).”
  • 16. Benzeno O químico orgânico alemão Friedrich August Kekulé von Stradonitz Aldrich viu em um sonho que ele estava rodeado por serpentes que formavam um hexágono. Este sonho ajudou o cientista a descobrir a estrutura do anel de benzeno, contendo átomos de carbono de seis membros com a alternância de ligações duplas e simples.
  • 17. Tabela periódica dos elementos O químico russo Dmitri Mendeleev inventou e desenvolveu sua tabela periódica dos elementos com base exclusivamente em experimentos científicos. Mas durante muito tempo não foi possível determinar a localização final dos elementos químicos na tabela, até que em um sonho ele viu a versão final da mesma que durante 140 anos vem sendo usada em todo o mundo.
  • 18. Estrutura do átomo Os sonhos de Niels Bohr foram muitas vezes realacionados ao seu trabalho. Em um desses sonhos, ele sonhou com a estrutura do átomo: Bohr viu os elétrons e o núcleo em forma de sistema solar.
  • 19. Neurologia O sonho de Otto Loewi, um destacado fisiologista alemão, ganhador o prêmio Nobel. “A noite antes do Domingo de Páscoa daquele ano eu acordei, acendi a luz e anotei algumas informações em um papel pequeno e voltei a dormir. Ao acordar às seis da manhã, eu revi as notas, mas não conseguia decifrá- los. Na noite seguinte, às três horas, a ideia voltou. Era o projeto de um experimento para determinar se a hipótese de transmissão química que tinha pronunciado há 17 anos estava correta. Levantei-me imediatamente, fui até o laboratório e realizei um experimento simples em um coração de rã, como no desenho noturno”, escreveu o cientista em sua autobiografia.
  • 20. Máquina de costura Elias Howe, inventor americano e pioneiro na criação da máquina de costura, quebrou a cabeça para resolver o problema do desenho das agulhas para máquinas de costura, até que em um sonho ele viu uma tribo atacando com lanças. Howe prestou especial atenção para o fato de que as lanças tinham olhos, o que serviu de inspiração para o design atual das agulhas.
  • 21. Avião Antei Oleg Antonov, projetista de aviões soviéticos e um dos fundadores da empresa fabricante de aviões Antonov, sonhou com a forma peculiar da cauda de seu lendário avião Antei.
  • 22. Seu nome deriva do gigante da mitologia grega “Anteu”, filho do deus Poseidon e da deusa Gaia. E o título é merecido: desenhado na década de 1960, este avião de proporções titânicas foi feito pelos soviéticos para o transporte estratégico de cargas pesadas. Ainda hoje, o Antonov An-22 Antei é o maior turbo-hélice do mundo.
  • 23. Alfabeto armênio Mesrob Mashtots, o criador do alfabeto armênio, alegou que tinha sido emitido por um anjo em um sonho.
  • 24. 403. Por que não nos lembramos sempre dos sonhos? “Em o que chamas sono, só há o repouso do corpo, visto que o Espírito está constantemente em atividade. Recobra, durante o sono, um pouco da sua liberdade e se corresponde com os que lhe são caros, quer neste mundo, quer em outros. Mas, como é pesada e grosseira a matéria que compõe, o corpo dificilmente conserva as impressões que o Espírito recebeu, porque a este não chegaram por intermédio dos órgãos corporais.”
  • 25. Quando o Espírito volta ao corpo, ocorre uma espécie de filtragem na lembrança do que ocorreu no mundo espiritual. Esses acontecimentos não são apagados da memória, visto que, pela lei, nada se perde. Entretanto, eles ficam gravados no fundo da consciência, vindo à tona quando necessário, manifestando-se como lições ou testes para o Espírito. Se nos lembrássemos de todo o ocorrido no mundo dos sonhos, a mente não iria suportar essa carga além das suas forças e perturbaria a vida na matéria. Se as lembranças fossem ... Lembranças boas demais Lembranças ruins demais
  • 26. 404. Que se deve pensar das significações atribuídas aos sonhos? “Os sonhos não são verdadeiros como o entendem os ledores de buena-dicha, pois fora absurdo crer-se que sonhar com tal coisa anuncia tal outra. São verdadeiros no sentido de que apresentam imagens que para o Espírito têm realidade, porém que, frequentemente, nenhuma relação guardam com o que se passa na vida corporal.
  • 27. Os sonhos são o produto da emancipação da alma, que se torna mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação. Daí uma espécie de clarividência indefinida, que se estende aos lugares os mais distantes ou que jamais se viu, e algumas vezes mesmo a outros mundos. Daí também a lembrança que retraça na memória os acontecimentos verificados na existência presente ou nas existências anteriores. A extravagância das imagens referentes ao que se passa ou se passou em mundos desconhecidos entremeadas de coisas do mundo atual formam esses conjuntos bizarros e confusos que parecem não ter senso nem nexo. (Allan Kardec)
  • 28. A incoerência dos sonhos ainda se explica pelas lacunas decorrentes da lembrança incompleta do que nos apareceu no sonho. Tal como um relato ao qual se tivessem truncado frases ou partes de frases ao acaso: os fragmentos restantes sendo reunidos, perderiam toda significação racional. Allan Kardec
  • 29. 405. Acontece com frequência verem-se em sonho coisas que parecem um pressentimento, que, afinal, não se confirma. A que se deve atribuir isto? “Pode suceder que tais pressentimentos venham a confirmar-se apenas para o Espírito. Quer dizer que este viu aquilo que desejava, foi ao seu encontro. É preciso não esquecer que, durante o sono, a alma está mais ou menos sob a influência da matéria e que, por conseguinte, nunca se liberta completamente de suas ideias terrenas, donde resulta que as preocupações do estado de vigília podem dar ao que se vê a aparência do que se deseja, ou do que se teme. A isto é que, em verdade, cabe chamar-se efeito da imaginação. Sempre que uma ideia nos preocupa fortemente, tudo o que vemos se nos mostra ligado a essa ideia.”
  • 30. 406. Quando vemos em sonho pessoas vivas, que conhecemos perfeitamente, praticarem atos em que absolutamente não pensam, não é isso um efeito de pura imaginação? — Em que absolutamente não pensam? Como o sabes? Seus Espíritos podem vir visitar o teu, como o teu pode visitar os deles, e nem sempre sabes o que pensam. Além disso, frequentemente aplicais, a pessoas que conheceis, e segundo os vossos desejos, aquilo que se passou ou se passa em outras existências.
  • 31. 407. É necessário o sono completo para a emancipação do Espírito? “Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o Espírito recobre a sua liberdade. Para se emancipar, ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede. Desde que haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, tornando-se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo.”
  • 32. TIPOS DE SONHOS Therezinha Oliveira Há 3 tipos de sonhos: Espiritual: é a lembrança de uma atividade desenvolvida pelo Espírito no mundo espiritual durante o sono. Kardec denomina essa situação como “emancipação da alma”. Fisiológico: é aquele que dramatiza algo que acontece com nosso corpo. Se está frio e nos descobrimos, sono pesado, sem despertar poderemos nos ver num campo de neve, tiritando. Pessoas com incontinência urinária sonham que estão satisfazendo essa necessidade fisiológica, enquanto molham a cama. Psicológico: é aquele que exprime nossos estados íntimos. Nos velhos tempos, em que não havia os recursos da informática, eu (Richard Simonetti) passava dias e dias procurando diferenças nas fichas gráficas de contas correntes, no Banco do Brasil, onde trabalhava. Á noite, sempre me via, durante o sono, na agência, repetindo intermináveis verificações. Era a dramatização de meu envolvimento com aquele problema.
  • 33. Como podemos distinguir o sonho? Os sonhos de caráter fisiológico ou psicológico são fugidos, mal delineados. Os sonhos espirituais são mais nítidos, mais claros. Guardamos melhor.
  • 34. Classificação dos Sonhos – Martins Peralva Comuns - Repercussão de nossas disposições, Físicas ou psicológicas. Reflexivos - Exteriorização de impulsos e imagens arquivadas no cérebro. Espíritas - Atividade real e efetiva do Espírito durante o sono.
  • 35. A Gênese, também se refere ao tema. Relata que José, pai de Jesus, foi advertido por um anjo em sonhos para que fugisse para o Egito com o menino. O capítulo XV da obra faz uma reflexão sobre as advertências que podem ser feitas por intermédio dos sonhos e que fazem parte dos livros sagrados de todas as religiões. Salienta ainda que o fenômeno nada tem de anormal, já que durante o sono o espírito se desliga dos laços da matéria para entrar momentaneamente na vida espiritual, porém adverte que nem sempre se pode deduzir que os sonhos são avisos ou tenham significado específico.
  • 36. O livro Recordações da Mediunidade – da médium Yvonne A. Pereira, orientado pelo espírito de Bezerra de Menezes, diz: “Existem vários processos pelos quais o homem poderá ser informado de um ou outro acontecimento futuro importante da sua vida. Comumente, se ele fez jus a essa advertência, ou lembrete, pois isso implica certo mérito, ou ainda certo desenvolvimento psíquico, de quem o recebe, é um amigo do Além, um parente, o seu espírito familiar ou o próprio guardião maior que lhe comunicam o fato a realizar-se, preparando-o para o evento, que geralmente é grave, doloroso, fazendo-se sempre em linguagem encenada, ou figurada, como de uso no Invisível, e daí o que chamais “avisos pelo sonho”, ou seja, sonhos premonitórios...
  • 37. O livro Conduta Espírita, ditado por André Luiz ressalta algumas observações a respeito da postura que se deve assumir diante dos sonhos e suas revelações: “Encarar com naturalidade os sonhos que possam surgir durante o descanso físico, sem preocupar-se aflitivamente com quaisquer fatos ou ideias que se reportem a eles. Há mais sonhos na vigília que no sono natural.
  • 39. Martin Luther King Revela o jornal parisiense, France-Dimanche em seu número 1.130, que dois dias antes de ser assassinado, o líder negro tivera um sonho em que se via estendido em um caixão mortuário e cercado de milhares de pessoas. Impressionado com o sonho, chamou seu amigo Andy Young e telefonou para a sua esposa informando sobre o acontecido. Na véspera da tragédia, ele se encontrava discursando para os membros das associações sanitárias em Memphis, quando surpreendeu a todos falando: “muitas vezes penso na minha morte e no meu enterro. Se um dia alguém de vós falar sobre a minha campa, diga que Martin Luther King deu a vida pelos seus irmãos, para vestir os pobres e alimentar os esfomeados”. Parecia sem sentido o que falara. Porém, a previsão tornou-se realidade; algum tempo depois, ele foi assassinado.
  • 40. Janeiro 1958 – “Visões” 27 para 28 de agosto de 1857...
  • 41. Sono e Sonhos Recomendações Úteis 1) Leitura evangélica - Ao deitar, ler, em voz normal, o Evangelho Segundo o Espiritismo. Este hábito faz-nos ficar mais calmos e, acalma também, os Espíritos menos felizes que nos acompanham; aqueles que querem nos prejudicar durante o sono. 2) Evitar tensões graves no momento que antecede o sono. 3) Evitar comer em excesso. 4) No caso de insônia, fazer algum exercício de educação física.
  • 42. Extrair sempre os objetivos edificantes desse ou daquele painel entrevisto em sonho. Em tudo há sempre uma lição. Repudiar as interpretações supersticiosas que pretendam correlacionar os sonhos com jogos de azar e acontecimentos mundanos, gastando preciosos recursos e oportunidades da existência em preocupação viciosa e fútil. Objetivos elevados, tempo aproveitado.