SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
A EFICÁCIA DA PRECE
"Seja o que for que peçais na prece, crede
que o obtereis e concedido vos será o que
pedirdes." ( MARCOS, cap. XI, v. 24.)




  FINALIDADE ESSENCIAL DA ORAÇÃO(L.E.)--------ADORAR A DEUS
 Há quem conteste a eficácia da prece, com
  fundamento no princípio de que, conhecendo Deus
  as nossas necessidades, inútil se torna expor-lhas.
 E acrescentam os que assim pensam que,
  achando-se tudo no Universo encadeado por leis
  eternas, não podem as nossas súplicas mudar os
  decretos de Deus. ESE
 ORIENTAÇÃO DOS ESPÍRITOS A KARDEC:
 A oração não tem como mudar a linha de nosso
  destino( os efeitos daquelas causas produzidas
  antes) , mas sim, fortalecer aquele que ora para que
  ele enfrente as vicissitudes naturais e inevitáveis de
  sua impericia, leviandade ou de suas tendências
  negativas.
 Desta máxima: "Concedido vos será o que quer que
  pedirdes pela prece", fora ilógico deduzir que basta
  pedir para obter e fora injusto acusar a Providência se
  não acede a toda súplica que se lhe faça, uma vez que
  ela sabe, melhor do que nós, o que é para nosso bem.
  É como procede um pai criterioso que recusa ao filho o
  que seja contrário aos seus interesses.
 Em geral, o homem apenas vê o presente; ora, se o
  sofrimento é de utilidade para a sua felicidade futura,
  Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa que o
  doente sofra as dores de uma operação que lhe trará a
  cura. ESE
 OBS DIVALDO: orar é abrir a alma para entrar em
  sintonia com Deus para que Ele não faça o que
  pedimos, mas o que é melhor para nós.
 A Doutrina Espírita nos ensina que a prece é justamente
  o encaminhamento fluídico do nosso pensamento, por
  meio da nossa vontade, alimentada e reforçada pelos
  anseios sinceros.
 A prece não tem fórmulas mágicas.

 A ação da prece, na maioria das vezes, funciona ao
  contrário do que achamos, pois quando entramos em
  contato com os espíritos superiores e eles nos mandam
  suas inspirações, ao aceitá-las, nos acalmamos e
  mudamos o nosso “campo mental” para melhor.

 Ficamos mais calmos, menos turbulentos, mais
  perceptivos, vibrando em termos mais elevados. Isso
  faz com que nossos obsessores não nos enxerguem
  mais e não se excitem com a nossa presença.
 “A mente centralizada na oração pode ser comparada
  a uma flor estelar, aberta ante o infinito, absorvendo-
  lhe o orvalho nutriente de vida e luz.
 Aliada à higiene do espírito, a prece representa o
  comutador das correntes mentais, arrojando-as à
  sublimação. “
  André Luiz (Mecanismo da mediunidade)

 BEZERRA DE MENEZES disse por DIVALDO:
 “Orar é abrir a alma para Deus, esvaziando-a das
  paixões e das fixações negativas para que Deus
  preencha este espaço com plenitude e consigamos
  alcançar a meta d oração: A PAZ INTERIOR.”
 LIVRO DOS MEDIUNS, item 331:
 “Reuni-vos para orar”, disse o apóstolo (At 12, 12).
 A prece feita em comum é feixe de vontade, de
  pensamentos, raios, harmonias e perfumes que se
  dirige mais poderosamente ao seu alvo. Pode
  adquirir uma força irresistível capaz de agitar, de
  abalar as massas fluídicas.”

 “Tem-se visto, algumas vezes, a alma em prece
  desprender-se do corpo e, inebriada pelo êxtase,
  seguir o pensamento fervoroso que se projetou
  como seu precursor através do infinito.”
 Ex: Divaldo foi levado por Joanna para ajudar a mãe
  desencarnada, desprender seu filho recém – des. do
  corpo material.
   Para melhorarmos a qualidade de nossa prece é fundamental a
   Quietude Mental;
   Meditação;
   Vigilância. (vigiar e orar sem cessar – Jesus)



 Exemplo Legal: marido foi procurar ajuda para a esposa
    depressiva no Centro Espírita; após a varredura medianímica
    feita pelos mediuns, visualizaram um caixão funerário no meio
    da sala de visitas da residência deles. Quando se perguntou aos
    guias a razão daquilo, uma das médiuns disse: “Ele fica
    entediado com ela e deseja intimamente que ela morra, como
    ainda não é chegada a hora dela, o pensamento constante que
    ele mantém na morte foi formando a imagem que repercute
    nela na forma de depressão.” Os benfeitores “queimaram”
    aquela forma-pensamento desse circulo mental vicioso e
    algum tempo depois o casal estava bem e unidos na tarefa que
    realizavam numa instituição espírita.
 O que Aniceto disse no livro Os Mensageiros sobre
  a oração no LAR:
 “ Nunca poderemos enumerar todos os benefícios
  da oração. Toda vez que se ora num lar, prepara-se
  a melhoria do ambiente doméstico.
 Cada prece do coração constitui emissão
  eletromagnética de relativo poder. Por isso
  mesmo o estudo familiar do Evangelho não é tão
  só um curso de iluminação interior, mas também
  processo avançado de defesa exterior, pelas
  claridades espirituais que acende em torno.

 O homem que ora traz consigo inalienável
  couraça.
 O lar que cultiva a prece transforma-se em
  fortaleza.
 As entidades da sombra experimentam choques
  de vulto, em contato com as vobrações luminosas
  deste santuário doméstico, e é por isso que se
  mantém à distância, procurando outros rumos.”
 Ex: livro Palhano Júnior pg 98
A eficácia da Prece

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismopaikachambi
 
Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituaisLisete B.
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a leiGraça Maciel
 
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúdeOs sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúdeMarcel Jefferson Gonçalves
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Marcos Antônio Alves
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espíritaJerri Almeida
 
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novoNinguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novoCEENA_SS
 
Palestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e EspiritismoPalestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e EspiritismoVictor Passos
 
Cap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa Mãe
Cap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa MãeCap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa Mãe
Cap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa Mãegmo1973
 

Mais procurados (20)

Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituais
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Indulgencia
 
Eficácia da prece
Eficácia da prece Eficácia da prece
Eficácia da prece
 
Leis divinas
Leis divinasLeis divinas
Leis divinas
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
 
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúdeOs sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
 
VISÃO ESPÍRITA DO NATAL
VISÃO ESPÍRITA DO NATALVISÃO ESPÍRITA DO NATAL
VISÃO ESPÍRITA DO NATAL
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
 
Honrar pai e mãe
Honrar pai e mãeHonrar pai e mãe
Honrar pai e mãe
 
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novoNinguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
 
Palestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e EspiritismoPalestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e Espiritismo
 
Cap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa Mãe
Cap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa MãeCap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa Mãe
Cap XIV Honrai a vosso Pai e a vossa Mãe
 
Ser espírita
Ser espíritaSer espírita
Ser espírita
 

Semelhante a A eficácia da Prece

Palestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - PrecePalestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - Precemanumino
 
A oração, nossa força
A oração, nossa forçaA oração, nossa força
A oração, nossa forçaCE BV
 
Apostila De Preces Espíritas
Apostila De Preces EspíritasApostila De Preces Espíritas
Apostila De Preces EspíritasNilson Almeida
 
LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7
LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7
LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7Patricia Farias
 
Espiritualidade Alegria E Triunfo
Espiritualidade Alegria E TriunfoEspiritualidade Alegria E Triunfo
Espiritualidade Alegria E TriunfoAndreia Muenzer
 
Mantras para uma vida saudavel
Mantras para uma vida saudavel Mantras para uma vida saudavel
Mantras para uma vida saudavel Amadeu Wolff
 
Como orar de modo correto
Como orar de modo corretoComo orar de modo correto
Como orar de modo corretoHelio Cruz
 
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismoOração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismoEduardo Ottonelli Pithan
 
Lourenco Prado - Mantras
Lourenco Prado - MantrasLourenco Prado - Mantras
Lourenco Prado - MantrasAmadeu Wolff
 

Semelhante a A eficácia da Prece (20)

A Prece
A PreceA Prece
A Prece
 
Palestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - PrecePalestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - Prece
 
A oração, nossa força
A oração, nossa forçaA oração, nossa força
A oração, nossa força
 
Pedi obtereis
Pedi obtereis    Pedi obtereis
Pedi obtereis
 
42 fluidoterapia-preces
42 fluidoterapia-preces42 fluidoterapia-preces
42 fluidoterapia-preces
 
Apostila De Preces Espíritas
Apostila De Preces EspíritasApostila De Preces Espíritas
Apostila De Preces Espíritas
 
LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7
LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7
LE Q662 a 664 e ESE cap.6_item7
 
Espiritualidade Alegria E Triunfo
Espiritualidade Alegria E TriunfoEspiritualidade Alegria E Triunfo
Espiritualidade Alegria E Triunfo
 
Mantras(ry)
Mantras(ry)Mantras(ry)
Mantras(ry)
 
Mantras
MantrasMantras
Mantras
 
Mantras
MantrasMantras
Mantras
 
Mantras para uma vida saudavel
Mantras para uma vida saudavel Mantras para uma vida saudavel
Mantras para uma vida saudavel
 
Pedi e obtereis
Pedi e obtereisPedi e obtereis
Pedi e obtereis
 
Mantras para uma vida saudável
Mantras para uma vida saudávelMantras para uma vida saudável
Mantras para uma vida saudável
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
4 grau de oração capitulo 17 a 22
4 grau de oração   capitulo 17 a 224 grau de oração   capitulo 17 a 22
4 grau de oração capitulo 17 a 22
 
Como orar de modo correto
Como orar de modo corretoComo orar de modo correto
Como orar de modo correto
 
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismoOração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
Oração na ótica espírita - Baseada nos obras básicas do espiritismo
 
A Prece e o Pensamento Construtivo
A Prece e o Pensamento ConstrutivoA Prece e o Pensamento Construtivo
A Prece e o Pensamento Construtivo
 
Lourenco Prado - Mantras
Lourenco Prado - MantrasLourenco Prado - Mantras
Lourenco Prado - Mantras
 

Mais de Izabel Cristina Fonseca

Mais de Izabel Cristina Fonseca (20)

O advento do cristo
O advento do cristoO advento do cristo
O advento do cristo
 
Misterios ocultos aos doutos e prudentes
Misterios ocultos aos doutos e prudentesMisterios ocultos aos doutos e prudentes
Misterios ocultos aos doutos e prudentes
 
Melodia natalina
Melodia natalinaMelodia natalina
Melodia natalina
 
Bem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechadosBem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechados
 
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-aSe a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
 
Misterios ocultos aos prudentes
Misterios ocultos aos prudentesMisterios ocultos aos prudentes
Misterios ocultos aos prudentes
 
Poemas
PoemasPoemas
Poemas
 
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
 
Solidão fonte viva
Solidão   fonte vivaSolidão   fonte viva
Solidão fonte viva
 
Simpatia
SimpatiaSimpatia
Simpatia
 
Progressão e escala espírita
Progressão e escala espíritaProgressão e escala espírita
Progressão e escala espírita
 
Palestra lei destruição
Palestra lei destruiçãoPalestra lei destruição
Palestra lei destruição
 
Pal janfevmar 2017
Pal janfevmar 2017Pal janfevmar 2017
Pal janfevmar 2017
 
Oração nossa
Oração nossaOração nossa
Oração nossa
 
O mancebo rico
O mancebo ricoO mancebo rico
O mancebo rico
 
O bem e o mal esde - leis divinas
O bem e o mal  esde - leis divinasO bem e o mal  esde - leis divinas
O bem e o mal esde - leis divinas
 
Natal palestra
Natal palestraNatal palestra
Natal palestra
 
Não desanimar bezerra
Não desanimar   bezerraNão desanimar   bezerra
Não desanimar bezerra
 
Inteligência e instinto
Inteligência e instintoInteligência e instinto
Inteligência e instinto
 
Incompreensão palestra 2016
Incompreensão   palestra 2016Incompreensão   palestra 2016
Incompreensão palestra 2016
 

Último

Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusTaoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusVini Master
 
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfnatzarimdonorte
 
DIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptx
DIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptxDIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptx
DIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptxRoseLucia2
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .natzarimdonorte
 
Ha muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra Espirita
Ha muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra EspiritaHa muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra Espirita
Ha muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra EspiritaSessuana Polanski
 
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 199ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19PIB Penha
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).natzarimdonorte
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............Nelson Pereira
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadofreivalentimpesente
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaDenisRocha28
 

Último (12)

Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina EspíritaMediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
 
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusTaoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
 
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
 
DIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptx
DIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptxDIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptx
DIP Domingo da Igreja Perseguida 2024.pptx
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
 
Ha muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra Espirita
Ha muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra EspiritaHa muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra Espirita
Ha muitas moradas na Casa de meu Pai - Palestra Espirita
 
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 199ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significado
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
 

A eficácia da Prece

  • 1. A EFICÁCIA DA PRECE "Seja o que for que peçais na prece, crede que o obtereis e concedido vos será o que pedirdes." ( MARCOS, cap. XI, v. 24.) FINALIDADE ESSENCIAL DA ORAÇÃO(L.E.)--------ADORAR A DEUS
  • 2.  Há quem conteste a eficácia da prece, com fundamento no princípio de que, conhecendo Deus as nossas necessidades, inútil se torna expor-lhas.  E acrescentam os que assim pensam que, achando-se tudo no Universo encadeado por leis eternas, não podem as nossas súplicas mudar os decretos de Deus. ESE  ORIENTAÇÃO DOS ESPÍRITOS A KARDEC:  A oração não tem como mudar a linha de nosso destino( os efeitos daquelas causas produzidas antes) , mas sim, fortalecer aquele que ora para que ele enfrente as vicissitudes naturais e inevitáveis de sua impericia, leviandade ou de suas tendências negativas.
  • 3.
  • 4.  Desta máxima: "Concedido vos será o que quer que pedirdes pela prece", fora ilógico deduzir que basta pedir para obter e fora injusto acusar a Providência se não acede a toda súplica que se lhe faça, uma vez que ela sabe, melhor do que nós, o que é para nosso bem. É como procede um pai criterioso que recusa ao filho o que seja contrário aos seus interesses.  Em geral, o homem apenas vê o presente; ora, se o sofrimento é de utilidade para a sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa que o doente sofra as dores de uma operação que lhe trará a cura. ESE  OBS DIVALDO: orar é abrir a alma para entrar em sintonia com Deus para que Ele não faça o que pedimos, mas o que é melhor para nós.
  • 5.
  • 6.  A Doutrina Espírita nos ensina que a prece é justamente o encaminhamento fluídico do nosso pensamento, por meio da nossa vontade, alimentada e reforçada pelos anseios sinceros.  A prece não tem fórmulas mágicas.  A ação da prece, na maioria das vezes, funciona ao contrário do que achamos, pois quando entramos em contato com os espíritos superiores e eles nos mandam suas inspirações, ao aceitá-las, nos acalmamos e mudamos o nosso “campo mental” para melhor.  Ficamos mais calmos, menos turbulentos, mais perceptivos, vibrando em termos mais elevados. Isso faz com que nossos obsessores não nos enxerguem mais e não se excitem com a nossa presença.
  • 7.
  • 8.  “A mente centralizada na oração pode ser comparada a uma flor estelar, aberta ante o infinito, absorvendo- lhe o orvalho nutriente de vida e luz.  Aliada à higiene do espírito, a prece representa o comutador das correntes mentais, arrojando-as à sublimação. “ André Luiz (Mecanismo da mediunidade)  BEZERRA DE MENEZES disse por DIVALDO:  “Orar é abrir a alma para Deus, esvaziando-a das paixões e das fixações negativas para que Deus preencha este espaço com plenitude e consigamos alcançar a meta d oração: A PAZ INTERIOR.”
  • 9.  LIVRO DOS MEDIUNS, item 331:  “Reuni-vos para orar”, disse o apóstolo (At 12, 12).  A prece feita em comum é feixe de vontade, de pensamentos, raios, harmonias e perfumes que se dirige mais poderosamente ao seu alvo. Pode adquirir uma força irresistível capaz de agitar, de abalar as massas fluídicas.”  “Tem-se visto, algumas vezes, a alma em prece desprender-se do corpo e, inebriada pelo êxtase, seguir o pensamento fervoroso que se projetou como seu precursor através do infinito.”  Ex: Divaldo foi levado por Joanna para ajudar a mãe desencarnada, desprender seu filho recém – des. do corpo material.
  • 10.
  • 11. Para melhorarmos a qualidade de nossa prece é fundamental a  Quietude Mental;  Meditação;  Vigilância. (vigiar e orar sem cessar – Jesus)  Exemplo Legal: marido foi procurar ajuda para a esposa depressiva no Centro Espírita; após a varredura medianímica feita pelos mediuns, visualizaram um caixão funerário no meio da sala de visitas da residência deles. Quando se perguntou aos guias a razão daquilo, uma das médiuns disse: “Ele fica entediado com ela e deseja intimamente que ela morra, como ainda não é chegada a hora dela, o pensamento constante que ele mantém na morte foi formando a imagem que repercute nela na forma de depressão.” Os benfeitores “queimaram” aquela forma-pensamento desse circulo mental vicioso e algum tempo depois o casal estava bem e unidos na tarefa que realizavam numa instituição espírita.
  • 12.  O que Aniceto disse no livro Os Mensageiros sobre a oração no LAR:  “ Nunca poderemos enumerar todos os benefícios da oração. Toda vez que se ora num lar, prepara-se a melhoria do ambiente doméstico.  Cada prece do coração constitui emissão eletromagnética de relativo poder. Por isso mesmo o estudo familiar do Evangelho não é tão só um curso de iluminação interior, mas também processo avançado de defesa exterior, pelas claridades espirituais que acende em torno.  O homem que ora traz consigo inalienável couraça.  O lar que cultiva a prece transforma-se em fortaleza.  As entidades da sombra experimentam choques de vulto, em contato com as vobrações luminosas deste santuário doméstico, e é por isso que se mantém à distância, procurando outros rumos.”  Ex: livro Palhano Júnior pg 98