SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
Baixar para ler offline
AULA 2 – Equipamentos de Proteção
Individual e coletiva
Profª/Dra. Liliane Garcia
vAs atividades desenvolvidas pelo setor produtivo
originam riscos que podem originar acidentes e
doenças.
vQuando esses riscos não podem ser eliminados, os
mesmos precisam ser neutralizados e controlados.
Dessa forma, os equipamentos de proteção individual
devem ser utilizados como forma de proteger o
trabalhador exposto aos mais diversos tipos de riscos
ambientais.
2
INTRODUÇÃO
Barreiras de contenção
“todo dispositivo ou produto, de uso individual
utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de
riscos susceptíveis de ameaçar a saúde e a segurança
do trabalho com a finalidade de protegê-lo
contra possíveis riscos biológicos, químicos e
físicos.
EPIs
EPC
INTRODUÇÃO
- Equipamentos de proteção individual (EPI)
- Equipamentos de proteção coletiva (EPC)
• Barreiras de contenção primária
• Barreiras de contenção secundária
- Desenho e estrutura física dos ambientes
Barreiras de contenção
INTRODUÇÃO
5
CONTENÇÃO PRIMÁRIA
EPI - Equipamentos de proteção individual
Portaria 3.214 (08/06/78)
“Todo dispositivo de uso individual destinado a proteger
a saúde e a integridade física do trabalhador”
Lei 6.514 (22/07/97)
Toda a empresa é obrigada a fornecer EPIs aos funcionários
gratuitamente
Os empregados são obrigados a usar os EPIs e são
responsabilizados pela guarda e conservação
EPIs
v O EPI é de uso individual e o seu uso não pode ser compartilhado com outro
trabalhador. Se consideramos uma atividade de serviço de limpeza que o
trabalhador necessita de uma luva de proteção, essa luva não poderá ser
compartilhada com outro trabalhador. Nesse caso, a empresa deverá
fornecer o EPI para todos os outros trabalhadores que estiverem expostos ao
mesmo risco.
v Segundo a NR 6 o EPI deve ser oferecido aos trabalhadores de forma gratuita
7
e em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas
condições: “quando as medidas de ordem geral oferecerem
seguintes
completa
proteção contra os riscos; enquanto as medidas de proteção coletiva
estiverem sendo implantadas e para atender situações de emergência”.
EPIs
vOs equipamentos de proteção apenas serão considerados como EPIs e
serem comercializados se possuírem o Certificado de Aprovação (CA).
vA responsabilidade de indicação e escolha do EPI adequado é do
SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em
Medicina do Trabalho).
NR 4 - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA
E EM MEDICINA DO TRABALHO
- As empresas privadas e públicas, os órgãos
públicos da administração direta e indireta e dos
poderes Legislativo e Judiciário, que possuam
empregados regidos pela Consolidação das Leis
do Trabalho - CLT, manterão, obrigatoriamente,
Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e em Medicina do Trabalho.
- Profissionais que integram o SESMT:
Médico do trabalho
Engenheiro de segurança do trabalho Técnico
de segurança do trabalho Enfermeiro do
trabalho
Auxiliar de enfermagem do trabalho
8
EPIs
vA Norma Regulamentadora 6 estabelece as obrigatoriedades e deveres em
relação aos equipamentos de proteção individual. De acordo com a norma,
cabe ao empregador:
9
ÞAdquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade;
ÞExigir seu uso;
ÞFornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional
guarda e
competente em matéria de segurança e saúde no trabalho;
ÞOrientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado,
conservação;
ÞSubstituir imediatamente o EPI quando danificado ou extraviado;
ÞResponsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica;
ÞRegistrar o fornecimento do EPI ao trabalhador.
EPIs
v A mesma norma estabelece também as responsabilidades do empregado no
que se relaciona aos EPIs. Sendo:
ÞUsar o EPI apenas para a finalidade a que se destina;
Þ Responsabilizar-se pela guarda econservação;
ÞComunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso;
ÞCumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado do
equipamento de proteção.
- A utilização do EPI não pode substituir a análise de risco de um local e muito menos ser
empregada como única alternativa de um sistema de gestão. Pelo contrário, a sua indicação precisa
ser feita como última medida, pois caso contrário o trabalhador permanecerá no local exposto aos
mesmos riscos e a segurança do mesmo ficará condicionada ao uso doEPI.
10
EPIs
EPI - Equipamentos de proteção individual
Ø Classificação:
§ Proteção para a cabeça:
• Capacetes de segurança
Riscos de impacto, perfurações e choque elétrico
• Máscara facial
Riscos de impacto, substancias nocivas e radiações
• Óculos de segurança
Riscos de impacto, substancias nocivas e radiações
• Proteção respiratória
Máscaras com filtro para partículas suspensas (Mecânico)
ou gases e vapores orgânicos (Químicos)
• Proteção auricular
Proteção para ruídos acima do normal
EPIs
Máscara com Filtro Mecânico
EPIs
• Filtros para Proteção Respiratória
BRANCO- gases e ácidos
Amarelo- vapores orgânicos e gases ácidos
Verde- amônia
Marrom- vapores orgânicos, gases ácidos e amônia
Vermelho- Universal (gases industriais, monóxido de carbono)
Branco com listras verdes- vapores de ácido clorídrico
Branco com listras amarelas- cloro
Azul- monóxido de carbono
Máscara com Filtro Químico
§ Semifaciais: quando a concentração do vapor tóxico não
ultrapassa 10 vezes o limite de exposição (junto óculos).
§ Total da face: concentração atinge até 50 vezes o limite
de exposição. Pode ter sistema de ar autônomo.
EPIs
Máscara com Filtro Químico
EPIs
Óculos e
Protetor Facial
EPIs
EPI - Equipamentos de proteção individual
Classificação:
§ Proteção do corpo
• Avental / Jaleco
Protege as roupas contra borrifos químicos e biológico, fogo e calor
• Macacão
Protege do calor excessivo, fogo, químicos e biológico
• Protetor de tronco
Risco de projeção de partículas, golpes, calor radiante, chamas e
respingos químicos
EPIs
§ Tipos de aventais:
ü Aventais de PVC – quando há risco de respingos de produtos
químicos
ü Aventais de Kevler - utilizados onde o calor é excessivo
ü Aventais de borracha – utilizados na manipulação de grande
volume de susbstancias ou e trabalho perigoso, na lavagem e limpeza
de materiais e equipamentos
AVENTAIS PVC
JALECOS AVENTAIS KEVLER
EPIs
EPI - Equipamentos de proteção individual
Classificação:
§ Proteção dos membros superiores
• Luvas
Riscos biológicos, químicos, calor ou frio excessivo, mordidas, cortes,
choque elétrico e riscos físicos
• Mangas
• Cremes protetores
EPIs
EPIs (LUVAS)
LUVADE
KVELAR
Cloreto de
Polivinila
(PVC)
NEOPRENE
ÁLCOOL POLIVINÍLICO
(PVA)
LÁTEX
LUVAS DE
MALHA
DE AÇO
EPIs - LUVAS
Substância
Acetaldeído
Ác. Acético
Acetona
Benzeno
Butanol
Clorofórmio
Formaldeído
HCl
Fenol
Tolueno
Xileno
Borracha
natural
E
E
E
N
R
E
N
R
E
B
E
N
R
N
R
E
E
B
N
R
E
N
R
E
E
E
N
R
N
R
N
R
N
R
N
R
N
R
N
R
N
R
E
E
B
Neoprene PVC PVA
N
R
N
R
N
R
E
N
R
E
N
R
N
R
B
Borracha
Butadieno
N
R
B
N
R
N
R
E
B
E
E
N
R
N
R
E: Excelente; B: Bom; NR: Não recomendada
LUVAS
EPIs - LUVAS
BIOSSEGURANÇA
EPIs - EXEMPLOS
EPI - Equipamentos de proteção individual
Classificação:
§ Proteção dos membros inferiores
• Botas
Protegem de impactos, perfurações, queimaduras, choques, substancias
químicas, calor, frio e perigos elétricos.
• Botas de borracha
Áreas úmidas e serviços de limpeza
• Propé
Uso em áreas de cultivo e cirúrgica
EPIs
EPIs - EXEMPLOS
EPIs - EXEMPLOS
- Tempo de adaptação;
- Conforto;
- Qualidade (Certificado de Aprovação);
- Treinamento
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL
EPIs
Proteção obrigatória
para os pés
Proteção obrigatória
para as mãos
Uso obrigatório de
máscara integral óculos de proteção
Proteção obrigatória
para corpo
Uso obrigatório de
EPIs - SIMBOLOGIA
v O Equipamento de Proteção Coletiva, da sigla EPC, como o próprio nome
sugere, diz respeito à todo sistema ou dispositivo com finalidade de proteção
coletiva, seu principal objetivo é zelar pela saúde e integridade física, não
só dos trabalhadores, mas também de terceiros.
ü De acordo com a NR4, o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina
do Trabalho (SESMT) é o responsável por aplicar todo seu conhecimento na Saúde e
Segurança do Trabalho (SST), a fim de reduzir, ou ainda quando possível, erradicar os riscos
presentes nos ambientes de trabalho nas empresas. Se os meios de eliminação e ainda de
neutralização se esgotem, cabe ao Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em
Medicina do Trabalho impor quando será necessário a utilização e ainda o tipo de EPC
necessário, que é adequado a determinada função.
2
7
EPCs
Equipamentos destinados a proteger os trabalhadores
aos riscos e minimizam a exposição dos
trabalhadores aos riscos, reduzindo as consequências
em casos de acidentes
EPC - Equipamentos de proteção coletiva
EPCs
ü Logo, a NR9, fala sobre o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), segundo
esta norma, é preciso descrever todas as medidas de controle existentes, incluindo ainda a
utilização de EPI e EPC, durante o processo de identificação dos riscos existentes. No ítem
9.3.5.2, as empresas devem priorizar a utilização do EPC, colocando a adoção do EPI
apenas em último caso.
https://sistemaeso.com.br/blog/seguranca-no-trabalho/o-que-e-um-epc-equipamento-de-protecao-coletiva
29
QUAIS SÃO OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA?
Þ Muito se confunde com relação a diferença entre o EPC e o EPI, mas esta diferença é
simples de ser entendida, isso porque o EPI trata-se de um equipamento de proteção
individual, ou seja, ele tem por objetivo prevenir os riscos físicos do trabalhador de
maneira individual, enquanto que o EPC, como dito anteriormente, irá proteger
todos os trabalhadores e envolvidos.
EPCs
https://sistemaeso.com.br/blog/seguranca-no-trabalho/o-que-e-um-epc-equipamento-de-protecao-coletiva
Þ O EPC apresenta maior eficiência que os EPI’S, não apresentando incômodo ao
trabalhador, além de ter a funcionalidade da proteção de toda a equipe. Entretanto, há
atividades que exigem a utilização do EPI e por esse motivo é que deve ser feita uma
avaliação dos riscos para determinar quais são os equipamentos de proteção
necessários para cada setor e atividade.
11
EPCs
31
EPCs - EXEMPLOS
32
EPCs - EXEMPLOS
33
EPCs - EXEMPLOS
- Chuveiros de descontaminação
- Lava-olhos
- Capela química
- Capela fluxo laminar
- Balde de areia
- Extintores de incêndio
- Luz ultra violeta
- Filtros
- Cabines de segurança biológica
EPC - Equipamentos de proteção coletiva
EPCs
Lava-olhos
Chuveiros de descontaminação
CAPELA
verificada periodicamente
A exaustão da capela éum item
importantíssimo e deve ser
pela
medida de velocidade facial, feita
por um anemômetro e expressa
em metros/segundo.
CABINE DE SEGURANÇA
QUÍMICA
Cabines de segurança biológica (CSB)
Utilizadas como barreiras primárias para evitar a
fuga de aerossóis ao meio ambiente
Micropartículas sólidas ou líquidas, com dimensão aproximada entre 0,1 µ
e 50 µ, que podem permanecer em suspensão por várias horas.
1 µ = 1/1000 mm
Utilizadas para proteger contra aerossóis
infecciosos, limitando a exposição do trabalhador e
do meio ambiente, e ainda protegendo a amostra.
Divididas em classes, diferem por:
- Área de trabalho
Cabines de segurança biológica (CSB)
- Fluxo de ar
- Equipamentos de filtração
- Tipos de exaustão
Proteger o operador,
o produto e o meio
ambiente.
A cabine de fluxo laminar é um sistema eletromecânico em que uma
massa de ar ultrafiltrada, através de filtros absolutos HEPA (high efficiency
particulate air), move-se em sentido unidirecional, a baixa velocidade
criando um ambiente estéril e removendo a contaminação do ambiente.
Cabines de segurança biológica (CSB)
• Fluxo Horizontal:
Usada para trabalhar com produtos estéreis
não patogênicos. O ar ambiental não entra em
contato com amostra e o operador recebe a
fluxo de ar já filtrado que vem dentro da
cabine.
• Fluxo Vertical:
Destina-se para trabalho com amostras ou
produtos patogênicos, onde existe a
necessidade de absoluta segurança do
operador. Neste tipo de cabine a cortina
frontal de ar cria uma barreira que isola o
interior da área externa.
- Classe I;
- Classe II;
- Classe III.
Cabines de segurança biológica (CSB)
EXTINTORES
EXTINTORES
ØManta corta-fogo
Usada quando o incêndio se estende a roupa do
operador. A extinção do fogo é por abafamento.
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PARA
INCÊNDIO
Equipamentos de proteção para incêndio
• EXTINTOR DE INCÊNDIO A BASE DE ÁGUA: é usado em papel, tecido e
madeira. Não usar em eletricidade, líquidos inflamáveis, metais em ignição.
• EXTINTOR DE INCÊNDIO DE CO2 EM PÓ: utiliza o CO2 em pó como
base. É usado em líquidos e gases inflamáveis, fogo de origem elétrica. Não
usar em metais alcalinos e papel.
• EXTINTOR DE INCÊNDIO DE PÓ SECO : usado em líquidos e gases
inflamáveis, metais do grupo dos álcalis, fogo de origem elétrica.
• EXTINTOR DE INCÊNDIO DE ESPUMA: usado para líquidos inflamáveis.
Não usar para fogo causado por eletricidade.
• EXTINTOR DE INCÊNDIO DE BCF: utiliza o bromoclorodifluorometano.
É usado em líquidos inflamáveis, incêndio de origem elétrica. O ambiente
precisa ser cuidadosamente ventilado após seu uso.
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PARA
INCÊNDIO
• Equipamentos elétricos mal conservados ou mal operados;
• Sobrecarga da rede elétrica;
• Operação indevida de líquidos inflamáveis;
• Vazamento de gazes inflamáveis;
• Estocagem de líquidos inflamáveis e voláteis de forma
indevida.
CAUSAS DOS INCÊNDIOS
Ajuda a reduzir e até evitar os acidentes de trabalho que envolva trabalhadores e outras
pessoas envolvidas no local do trabalho, além de aumentar a produtividade da empresa
por conta das melhores condições de trabalho e ainda.
ü Digamos que um equipamento gere ruídos que ultrapassem os limites de tolerância, que
segundo a NR 15 sobre Atividades Insalubres, define a exposição máxima de 85 dB em uma
jornada de trabalho de 8 horas.
- Ao implementar um EPC que seja capaz de reduzir essa emissão de ruído, reduzindo-o para
níveis considerados seguros, podemos dizer que o ambiente deixou de ser um local de trabalho
insalubre. A insalubridade pode ser totalmente eliminada, desde que todos os riscos estejam
abaixo do descrito na NR 15, promovendo a segurançacoletiva.
Tanto a fonte do ruído como também o trabalhador exposto (receptor do ruído) podem ser isolados.
• Isolamento da fonte: construção de barreiras separando a fonte do ruído do ambiente em que o
rodeia (Ex.: parede isolante).
• Isolamento do receptor (trabalhador): construção de barreiras separando a fonte do ruído do
ambiente em que o trabalhador está exposto. (Ex. cabine de um equipamento móvel).
47
EPCs - IMPORTÂNCIA
48
• Eliminação ou redução dos riscos ambientais. Através dela, é
possível reduzir o foco de emissão de riscos ambientais, sejam
eles de origem química, física, biológica, de acidentes ou
ergonômicos.
• Ao aplicar corretamente, os EPCs podem neutralizar a maior
parte dos riscos presentes no ambiente de trabalho, promovendo
a saúde e a segurança de todas as pessoas presentes no local.
EPCs - VANTAGENS
49
Þ EPI: Utilizados para proteger o trabalhador da
exposição a um risco do ambiente de trabalho.
(Medida de controle Individual)
Þ EPC: Atuam diretamente nas fontes de risco do
ambiente de trabalho, reduzindo, neutralizando ou
eliminando os riscos gerados pela atividade,
promovendo um ambiente de trabalho mais
seguro e saudável a todos os trabalhadores.
(Medida de controle coletivo)
EPCs ¹ EPIs
50
CONTENÇÃO
SECUNDÁRIA
§ Desenho arquitetônico - separação da área de risco
do acesso público;
§ Sistema de ventilação especializado - fluxo
direcionado do ar incluindo sistema de tratamento
do ar;
§ Criação de áreas de acesso controlado;
§ Área para armazenamento temporário e
descontaminação dos rejeitos (autoclave);
§ Pias para lavagem de mãos;
CONTENÇÃO SECUNDÁRIA
§ Administrativos;
§ Rotinas de Conservação da Infraestrutura;
§ Rotinas de Emergência / Acidente;
§ Rotinas de Manutenção / Conserto de Equipamentos;
§ Utilização de Equipamentos;
§ Técnicas / Protocolos Gerais;
§ Informações.
CONTENÇÃO SECUNDÁRIA
53
FIM DA AULA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurançaTreinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurança
conbetcursos
 
Eng.introdução
Eng.introduçãoEng.introdução
Eng.introdução
Eliane Blen
 

Mais procurados (20)

EPI e EPC
EPI e EPCEPI e EPC
EPI e EPC
 
Epi e epc
Epi e epcEpi e epc
Epi e epc
 
Doença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do TrabalhoDoença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do Trabalho
 
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saudeSlides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
 
Riscos Biológicos
Riscos BiológicosRiscos Biológicos
Riscos Biológicos
 
Treinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosTreinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos Químicos
 
EPI - Equipamento de Proteção Coletiva
EPI - Equipamento de Proteção ColetivaEPI - Equipamento de Proteção Coletiva
EPI - Equipamento de Proteção Coletiva
 
Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
 
Aula 1 reconhecimento de risco
Aula 1 reconhecimento de riscoAula 1 reconhecimento de risco
Aula 1 reconhecimento de risco
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Riscos ambientais
Riscos ambientais   Riscos ambientais
Riscos ambientais
 
Nr – 23
Nr – 23Nr – 23
Nr – 23
 
Riscos biológicos
Riscos biológicosRiscos biológicos
Riscos biológicos
 
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
 
Saúde e Segurança no Trabalho em Serviços de Saúde
Saúde e Segurança no Trabalho em Serviços de SaúdeSaúde e Segurança no Trabalho em Serviços de Saúde
Saúde e Segurança no Trabalho em Serviços de Saúde
 
Treinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurançaTreinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurança
 
Introdução à Segurança do Trabalho
Introdução à Segurança do TrabalhoIntrodução à Segurança do Trabalho
Introdução à Segurança do Trabalho
 
Eng.introdução
Eng.introduçãoEng.introdução
Eng.introdução
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualNR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
 

Semelhante a Aula 2- Equipamentos de Proteção Individual e coletiva.pdf

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdf
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdfEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdf
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdf
ssuser22319e
 
Guia Essencial de EPIs
Guia Essencial de EPIsGuia Essencial de EPIs
Guia Essencial de EPIs
Zanel EPIs de Raspa e Vaqueta
 
119167864 1641.epis
119167864 1641.epis119167864 1641.epis
119167864 1641.epis
Pelo Siro
 
NR6 Treinamento atualizado de equipamento
NR6 Treinamento atualizado de equipamentoNR6 Treinamento atualizado de equipamento
NR6 Treinamento atualizado de equipamento
DiegoMenezes36
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
soniaalmeida38
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
soniaalmeida38
 

Semelhante a Aula 2- Equipamentos de Proteção Individual e coletiva.pdf (20)

EPIs - NR6 - AULA 7.pdf
EPIs - NR6 - AULA 7.pdfEPIs - NR6 - AULA 7.pdf
EPIs - NR6 - AULA 7.pdf
 
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
Segurança e higiene do trabalho - Aula 3
 
segurança do trabalho.pptx
segurança do trabalho.pptxsegurança do trabalho.pptx
segurança do trabalho.pptx
 
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdf
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdfEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdf
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.pdf
 
Guia Essencial de EPIs
Guia Essencial de EPIsGuia Essencial de EPIs
Guia Essencial de EPIs
 
119167864 1641.epis
119167864 1641.epis119167864 1641.epis
119167864 1641.epis
 
NR6 Treinamento atualizado de equipamento
NR6 Treinamento atualizado de equipamentoNR6 Treinamento atualizado de equipamento
NR6 Treinamento atualizado de equipamento
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
 
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
 
EPI.ppt
EPI.pptEPI.ppt
EPI.ppt
 
NR 06 EPIS - Equipamento de Proteção Individual
NR 06 EPIS -  Equipamento de Proteção IndividualNR 06 EPIS -  Equipamento de Proteção Individual
NR 06 EPIS - Equipamento de Proteção Individual
 
atividade 3.ppt
atividade 3.pptatividade 3.ppt
atividade 3.ppt
 
DDS EPI.ppt
DDS EPI.pptDDS EPI.ppt
DDS EPI.ppt
 
4- Controles Coletivos e Individual.pdf
4- Controles Coletivos e Individual.pdf4- Controles Coletivos e Individual.pdf
4- Controles Coletivos e Individual.pdf
 
203689110 slides-epi-e-epc-ppt
203689110 slides-epi-e-epc-ppt203689110 slides-epi-e-epc-ppt
203689110 slides-epi-e-epc-ppt
 
NR 6.pdf
NR 6.pdfNR 6.pdf
NR 6.pdf
 
4. hst epi's e sinalização de segurança
4. hst epi's e sinalização de segurança4. hst epi's e sinalização de segurança
4. hst epi's e sinalização de segurança
 
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptxM7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
M7 Equipamento de Protecao Individual.pptx
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
 

Mais de LilianeLili11

Aula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdf
Aula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdfAula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdf
Aula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdf
LilianeLili11
 
Aula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptx
Aula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptxAula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptx
Aula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptx
LilianeLili11
 
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdfAula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
LilianeLili11
 
Aula 3 RS - Características e Classificações.pdf
Aula 3  RS - Características e Classificações.pdfAula 3  RS - Características e Classificações.pdf
Aula 3 RS - Características e Classificações.pdf
LilianeLili11
 

Mais de LilianeLili11 (7)

Aula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdf
Aula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdfAula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdf
Aula 3 - Dinâmicas das populações e Sucessão Ecológica.pdf
 
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdfAula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
 
Aula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptx
Aula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptxAula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptx
Aula 2 - Desequilíbrios nos ecossistemas e nos seus serviços.pptx
 
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdfAula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
 
Aula 3 RS - Características e Classificações.pdf
Aula 3  RS - Características e Classificações.pdfAula 3  RS - Características e Classificações.pdf
Aula 3 RS - Características e Classificações.pdf
 
Aula 1 - Investigação, cadastro, análise e custos do acidentes do trabalho...
Aula 1 - Investigação, cadastro, análise e custos do acidentes do trabalho...Aula 1 - Investigação, cadastro, análise e custos do acidentes do trabalho...
Aula 1 - Investigação, cadastro, análise e custos do acidentes do trabalho...
 
Aula 1 -Vigilância em Saúde.pdf
Aula 1 -Vigilância em Saúde.pdfAula 1 -Vigilância em Saúde.pdf
Aula 1 -Vigilância em Saúde.pdf
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 

Último (20)

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 

Aula 2- Equipamentos de Proteção Individual e coletiva.pdf

  • 1. AULA 2 – Equipamentos de Proteção Individual e coletiva Profª/Dra. Liliane Garcia
  • 2. vAs atividades desenvolvidas pelo setor produtivo originam riscos que podem originar acidentes e doenças. vQuando esses riscos não podem ser eliminados, os mesmos precisam ser neutralizados e controlados. Dessa forma, os equipamentos de proteção individual devem ser utilizados como forma de proteger o trabalhador exposto aos mais diversos tipos de riscos ambientais. 2 INTRODUÇÃO
  • 3. Barreiras de contenção “todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de riscos susceptíveis de ameaçar a saúde e a segurança do trabalho com a finalidade de protegê-lo contra possíveis riscos biológicos, químicos e físicos. EPIs EPC INTRODUÇÃO
  • 4. - Equipamentos de proteção individual (EPI) - Equipamentos de proteção coletiva (EPC) • Barreiras de contenção primária • Barreiras de contenção secundária - Desenho e estrutura física dos ambientes Barreiras de contenção INTRODUÇÃO
  • 6. EPI - Equipamentos de proteção individual Portaria 3.214 (08/06/78) “Todo dispositivo de uso individual destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador” Lei 6.514 (22/07/97) Toda a empresa é obrigada a fornecer EPIs aos funcionários gratuitamente Os empregados são obrigados a usar os EPIs e são responsabilizados pela guarda e conservação EPIs
  • 7. v O EPI é de uso individual e o seu uso não pode ser compartilhado com outro trabalhador. Se consideramos uma atividade de serviço de limpeza que o trabalhador necessita de uma luva de proteção, essa luva não poderá ser compartilhada com outro trabalhador. Nesse caso, a empresa deverá fornecer o EPI para todos os outros trabalhadores que estiverem expostos ao mesmo risco. v Segundo a NR 6 o EPI deve ser oferecido aos trabalhadores de forma gratuita 7 e em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas condições: “quando as medidas de ordem geral oferecerem seguintes completa proteção contra os riscos; enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas e para atender situações de emergência”. EPIs
  • 8. vOs equipamentos de proteção apenas serão considerados como EPIs e serem comercializados se possuírem o Certificado de Aprovação (CA). vA responsabilidade de indicação e escolha do EPI adequado é do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho). NR 4 - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO - As empresas privadas e públicas, os órgãos públicos da administração direta e indireta e dos poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, manterão, obrigatoriamente, Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. - Profissionais que integram o SESMT: Médico do trabalho Engenheiro de segurança do trabalho Técnico de segurança do trabalho Enfermeiro do trabalho Auxiliar de enfermagem do trabalho 8 EPIs
  • 9. vA Norma Regulamentadora 6 estabelece as obrigatoriedades e deveres em relação aos equipamentos de proteção individual. De acordo com a norma, cabe ao empregador: 9 ÞAdquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade; ÞExigir seu uso; ÞFornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional guarda e competente em matéria de segurança e saúde no trabalho; ÞOrientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, conservação; ÞSubstituir imediatamente o EPI quando danificado ou extraviado; ÞResponsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica; ÞRegistrar o fornecimento do EPI ao trabalhador. EPIs
  • 10. v A mesma norma estabelece também as responsabilidades do empregado no que se relaciona aos EPIs. Sendo: ÞUsar o EPI apenas para a finalidade a que se destina; Þ Responsabilizar-se pela guarda econservação; ÞComunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso; ÞCumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado do equipamento de proteção. - A utilização do EPI não pode substituir a análise de risco de um local e muito menos ser empregada como única alternativa de um sistema de gestão. Pelo contrário, a sua indicação precisa ser feita como última medida, pois caso contrário o trabalhador permanecerá no local exposto aos mesmos riscos e a segurança do mesmo ficará condicionada ao uso doEPI. 10 EPIs
  • 11. EPI - Equipamentos de proteção individual Ø Classificação: § Proteção para a cabeça: • Capacetes de segurança Riscos de impacto, perfurações e choque elétrico • Máscara facial Riscos de impacto, substancias nocivas e radiações • Óculos de segurança Riscos de impacto, substancias nocivas e radiações • Proteção respiratória Máscaras com filtro para partículas suspensas (Mecânico) ou gases e vapores orgânicos (Químicos) • Proteção auricular Proteção para ruídos acima do normal EPIs
  • 12. Máscara com Filtro Mecânico EPIs
  • 13. • Filtros para Proteção Respiratória BRANCO- gases e ácidos Amarelo- vapores orgânicos e gases ácidos Verde- amônia Marrom- vapores orgânicos, gases ácidos e amônia Vermelho- Universal (gases industriais, monóxido de carbono) Branco com listras verdes- vapores de ácido clorídrico Branco com listras amarelas- cloro Azul- monóxido de carbono Máscara com Filtro Químico § Semifaciais: quando a concentração do vapor tóxico não ultrapassa 10 vezes o limite de exposição (junto óculos). § Total da face: concentração atinge até 50 vezes o limite de exposição. Pode ter sistema de ar autônomo. EPIs
  • 14. Máscara com Filtro Químico EPIs
  • 16. EPI - Equipamentos de proteção individual Classificação: § Proteção do corpo • Avental / Jaleco Protege as roupas contra borrifos químicos e biológico, fogo e calor • Macacão Protege do calor excessivo, fogo, químicos e biológico • Protetor de tronco Risco de projeção de partículas, golpes, calor radiante, chamas e respingos químicos EPIs
  • 17. § Tipos de aventais: ü Aventais de PVC – quando há risco de respingos de produtos químicos ü Aventais de Kevler - utilizados onde o calor é excessivo ü Aventais de borracha – utilizados na manipulação de grande volume de susbstancias ou e trabalho perigoso, na lavagem e limpeza de materiais e equipamentos AVENTAIS PVC JALECOS AVENTAIS KEVLER EPIs
  • 18. EPI - Equipamentos de proteção individual Classificação: § Proteção dos membros superiores • Luvas Riscos biológicos, químicos, calor ou frio excessivo, mordidas, cortes, choque elétrico e riscos físicos • Mangas • Cremes protetores EPIs
  • 19. EPIs (LUVAS) LUVADE KVELAR Cloreto de Polivinila (PVC) NEOPRENE ÁLCOOL POLIVINÍLICO (PVA) LÁTEX LUVAS DE MALHA DE AÇO EPIs - LUVAS
  • 22. EPI - Equipamentos de proteção individual Classificação: § Proteção dos membros inferiores • Botas Protegem de impactos, perfurações, queimaduras, choques, substancias químicas, calor, frio e perigos elétricos. • Botas de borracha Áreas úmidas e serviços de limpeza • Propé Uso em áreas de cultivo e cirúrgica EPIs
  • 25. - Tempo de adaptação; - Conforto; - Qualidade (Certificado de Aprovação); - Treinamento EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPIs
  • 26. Proteção obrigatória para os pés Proteção obrigatória para as mãos Uso obrigatório de máscara integral óculos de proteção Proteção obrigatória para corpo Uso obrigatório de EPIs - SIMBOLOGIA
  • 27. v O Equipamento de Proteção Coletiva, da sigla EPC, como o próprio nome sugere, diz respeito à todo sistema ou dispositivo com finalidade de proteção coletiva, seu principal objetivo é zelar pela saúde e integridade física, não só dos trabalhadores, mas também de terceiros. ü De acordo com a NR4, o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) é o responsável por aplicar todo seu conhecimento na Saúde e Segurança do Trabalho (SST), a fim de reduzir, ou ainda quando possível, erradicar os riscos presentes nos ambientes de trabalho nas empresas. Se os meios de eliminação e ainda de neutralização se esgotem, cabe ao Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho impor quando será necessário a utilização e ainda o tipo de EPC necessário, que é adequado a determinada função. 2 7 EPCs
  • 28. Equipamentos destinados a proteger os trabalhadores aos riscos e minimizam a exposição dos trabalhadores aos riscos, reduzindo as consequências em casos de acidentes EPC - Equipamentos de proteção coletiva EPCs
  • 29. ü Logo, a NR9, fala sobre o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), segundo esta norma, é preciso descrever todas as medidas de controle existentes, incluindo ainda a utilização de EPI e EPC, durante o processo de identificação dos riscos existentes. No ítem 9.3.5.2, as empresas devem priorizar a utilização do EPC, colocando a adoção do EPI apenas em último caso. https://sistemaeso.com.br/blog/seguranca-no-trabalho/o-que-e-um-epc-equipamento-de-protecao-coletiva 29 QUAIS SÃO OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA? Þ Muito se confunde com relação a diferença entre o EPC e o EPI, mas esta diferença é simples de ser entendida, isso porque o EPI trata-se de um equipamento de proteção individual, ou seja, ele tem por objetivo prevenir os riscos físicos do trabalhador de maneira individual, enquanto que o EPC, como dito anteriormente, irá proteger todos os trabalhadores e envolvidos. EPCs
  • 30. https://sistemaeso.com.br/blog/seguranca-no-trabalho/o-que-e-um-epc-equipamento-de-protecao-coletiva Þ O EPC apresenta maior eficiência que os EPI’S, não apresentando incômodo ao trabalhador, além de ter a funcionalidade da proteção de toda a equipe. Entretanto, há atividades que exigem a utilização do EPI e por esse motivo é que deve ser feita uma avaliação dos riscos para determinar quais são os equipamentos de proteção necessários para cada setor e atividade. 11 EPCs
  • 34. - Chuveiros de descontaminação - Lava-olhos - Capela química - Capela fluxo laminar - Balde de areia - Extintores de incêndio - Luz ultra violeta - Filtros - Cabines de segurança biológica EPC - Equipamentos de proteção coletiva EPCs
  • 37. CAPELA verificada periodicamente A exaustão da capela éum item importantíssimo e deve ser pela medida de velocidade facial, feita por um anemômetro e expressa em metros/segundo. CABINE DE SEGURANÇA QUÍMICA
  • 38. Cabines de segurança biológica (CSB) Utilizadas como barreiras primárias para evitar a fuga de aerossóis ao meio ambiente Micropartículas sólidas ou líquidas, com dimensão aproximada entre 0,1 µ e 50 µ, que podem permanecer em suspensão por várias horas. 1 µ = 1/1000 mm Utilizadas para proteger contra aerossóis infecciosos, limitando a exposição do trabalhador e do meio ambiente, e ainda protegendo a amostra.
  • 39. Divididas em classes, diferem por: - Área de trabalho Cabines de segurança biológica (CSB) - Fluxo de ar - Equipamentos de filtração - Tipos de exaustão Proteger o operador, o produto e o meio ambiente. A cabine de fluxo laminar é um sistema eletromecânico em que uma massa de ar ultrafiltrada, através de filtros absolutos HEPA (high efficiency particulate air), move-se em sentido unidirecional, a baixa velocidade criando um ambiente estéril e removendo a contaminação do ambiente.
  • 40. Cabines de segurança biológica (CSB) • Fluxo Horizontal: Usada para trabalhar com produtos estéreis não patogênicos. O ar ambiental não entra em contato com amostra e o operador recebe a fluxo de ar já filtrado que vem dentro da cabine. • Fluxo Vertical: Destina-se para trabalho com amostras ou produtos patogênicos, onde existe a necessidade de absoluta segurança do operador. Neste tipo de cabine a cortina frontal de ar cria uma barreira que isola o interior da área externa.
  • 41. - Classe I; - Classe II; - Classe III. Cabines de segurança biológica (CSB)
  • 44. ØManta corta-fogo Usada quando o incêndio se estende a roupa do operador. A extinção do fogo é por abafamento. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PARA INCÊNDIO
  • 45. Equipamentos de proteção para incêndio • EXTINTOR DE INCÊNDIO A BASE DE ÁGUA: é usado em papel, tecido e madeira. Não usar em eletricidade, líquidos inflamáveis, metais em ignição. • EXTINTOR DE INCÊNDIO DE CO2 EM PÓ: utiliza o CO2 em pó como base. É usado em líquidos e gases inflamáveis, fogo de origem elétrica. Não usar em metais alcalinos e papel. • EXTINTOR DE INCÊNDIO DE PÓ SECO : usado em líquidos e gases inflamáveis, metais do grupo dos álcalis, fogo de origem elétrica. • EXTINTOR DE INCÊNDIO DE ESPUMA: usado para líquidos inflamáveis. Não usar para fogo causado por eletricidade. • EXTINTOR DE INCÊNDIO DE BCF: utiliza o bromoclorodifluorometano. É usado em líquidos inflamáveis, incêndio de origem elétrica. O ambiente precisa ser cuidadosamente ventilado após seu uso. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PARA INCÊNDIO
  • 46. • Equipamentos elétricos mal conservados ou mal operados; • Sobrecarga da rede elétrica; • Operação indevida de líquidos inflamáveis; • Vazamento de gazes inflamáveis; • Estocagem de líquidos inflamáveis e voláteis de forma indevida. CAUSAS DOS INCÊNDIOS
  • 47. Ajuda a reduzir e até evitar os acidentes de trabalho que envolva trabalhadores e outras pessoas envolvidas no local do trabalho, além de aumentar a produtividade da empresa por conta das melhores condições de trabalho e ainda. ü Digamos que um equipamento gere ruídos que ultrapassem os limites de tolerância, que segundo a NR 15 sobre Atividades Insalubres, define a exposição máxima de 85 dB em uma jornada de trabalho de 8 horas. - Ao implementar um EPC que seja capaz de reduzir essa emissão de ruído, reduzindo-o para níveis considerados seguros, podemos dizer que o ambiente deixou de ser um local de trabalho insalubre. A insalubridade pode ser totalmente eliminada, desde que todos os riscos estejam abaixo do descrito na NR 15, promovendo a segurançacoletiva. Tanto a fonte do ruído como também o trabalhador exposto (receptor do ruído) podem ser isolados. • Isolamento da fonte: construção de barreiras separando a fonte do ruído do ambiente em que o rodeia (Ex.: parede isolante). • Isolamento do receptor (trabalhador): construção de barreiras separando a fonte do ruído do ambiente em que o trabalhador está exposto. (Ex. cabine de um equipamento móvel). 47 EPCs - IMPORTÂNCIA
  • 48. 48 • Eliminação ou redução dos riscos ambientais. Através dela, é possível reduzir o foco de emissão de riscos ambientais, sejam eles de origem química, física, biológica, de acidentes ou ergonômicos. • Ao aplicar corretamente, os EPCs podem neutralizar a maior parte dos riscos presentes no ambiente de trabalho, promovendo a saúde e a segurança de todas as pessoas presentes no local. EPCs - VANTAGENS
  • 49. 49 Þ EPI: Utilizados para proteger o trabalhador da exposição a um risco do ambiente de trabalho. (Medida de controle Individual) Þ EPC: Atuam diretamente nas fontes de risco do ambiente de trabalho, reduzindo, neutralizando ou eliminando os riscos gerados pela atividade, promovendo um ambiente de trabalho mais seguro e saudável a todos os trabalhadores. (Medida de controle coletivo) EPCs ¹ EPIs
  • 51. § Desenho arquitetônico - separação da área de risco do acesso público; § Sistema de ventilação especializado - fluxo direcionado do ar incluindo sistema de tratamento do ar; § Criação de áreas de acesso controlado; § Área para armazenamento temporário e descontaminação dos rejeitos (autoclave); § Pias para lavagem de mãos; CONTENÇÃO SECUNDÁRIA
  • 52. § Administrativos; § Rotinas de Conservação da Infraestrutura; § Rotinas de Emergência / Acidente; § Rotinas de Manutenção / Conserto de Equipamentos; § Utilização de Equipamentos; § Técnicas / Protocolos Gerais; § Informações. CONTENÇÃO SECUNDÁRIA