Acidentes de trabalho

1.146 visualizações

Publicada em

Entender o que é acidente do trabalho e quais os fatores que influenciam na sua ocorrência e fator fundamental na prevenção de acidentes, este slide poderá oferece uma pesperctiva destes conceitos basedo na Lei 8.213/91 e NBR 14.280 da ABNT.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.146
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acidentes de trabalho

  1. 1. ACIDENTES DE TRABALHO Alex Costa Triers alextriers@gmail.com
  2. 2. 1. Introdução Os acidentes do trabalho são ocorrências já conhecidas pelos seres humanos desde os primórdios da humanidade, os primeiros registros datam de época do Egito antigo. Toda atividade envolve riscos e cabe ao profissional Prevencionista identificá-lo e após isso controlá-lo ou eliminá-lo do ambiente de trabalho através de medidas inteligentes de controle de riscos.
  3. 3. 2. Conceito Durante anos o Acidente de Trabalho foi considerado com um acontecimento imprevisível ou uma tragédia que não poderia ter sido evitada, e algumas vezes até como “algo do destino” para o acidentado. Hoje nós já sabemos que estes conceitos são errados, e que os acidentes não podem ser considerados como uma tragédia que não poderia ser evitada.
  4. 4. Conceitos Hoje a ideia do que realmente seja o acidente do trabalho está dividida em duas vertentes, ou seja, no: Conceito Legal: Conceito determinado por lei específica; Conceito Prevencionista: conceito disseminado pelos estudiosos de acidentes do trabalho e que é mais voltado para a prevenção.
  5. 5. 2.1 Conceito Legal Conforme a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, Acidente do trabalho é: “Art. 19. Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa que provoque lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.”
  6. 6. 2.1 Conceito Legal § 1º A empresa é responsável pela adoção e uso de medidas coletivas e individuais de proteção e segurança da saúde do trabalhador. § 2º Constitui-se contravenção penal, punível com multa, deixar a empresa de cumprir as normas de segurança e higiene do trabalho. § 3º É dever da empresa prestar informações pormenorizadas sobre os riscos da operação a executar e do produto a manipular. § 4º O Ministério do Trabalho e da Previdência Social fiscalizará e os sindicatos e entidades representativas de classe acompanharão o fiel comprimento do disposto nos parágrafos anteriores, conforme dispuser o Regulamento.
  7. 7. 2.1 Conceito Legal Acidente de trabalho é todo aquele resultante do exercício do trabalho, isto é, cuja ocorrência se verifique na execução do trabalho, ou enquanto o empregado é considerado no desempenho, ainda que, em certos casos, fora dos respectivo lugar e horário.
  8. 8. 2.1 Conceito Legal O Lei ainda determina que para ser considerado um acidente TEM QUE HAVER LESÃO. A lesão é o ponto de partida para descobrir o tipo de acidente ocorrido, já que é uma das consequências do acidente. Evidentemente, a extensão e a gravidade das lesões sofridas pelos trabalhadores dependem da natureza do acidente, a qual pode ser: 1 . Imediata (tensão traumática); 2 . Mediata (doença profissional).
  9. 9. Caracterização das Lesões Lesões imediatas: São aquelas em que os traumas físicos ou psicológicos são observados imediatamente ou num intervalo de algumas horas após a ocorrência do acidente, é o caso das lesões traumáticas como corte, fraturas, escoriações, queimaduras, choques elétricos e intoxicações agudas com substâncias nocivas.
  10. 10. Caracterização das Lesões Lesões Mediatas: São aquelas em que os estados patológicos, ás vezes, demoram até anos para se manifestarem. É o caso das intoxicações e da maioria das doenças profissionais decorrentes de exposições constantes e prolongadas a agentes ambientais agressivos. Exemplos bastantes conhecidos são: a Silicose, que resulta da exposição à poeira de sílica livre e cristalina; o Benzolismo, resultado da exposição de vapores de Benzeno; o saturnismo, resultante da exposição a fumos de chumbos; a surdez profissional, entre outros.
  11. 11. Conceitos básicos sobre consequências do acidente Lesão pessoal ou lesão: qualquer dano sofrido pelo organismo humano como consequência de acidente de trabalho. Natureza da lesão: expressão que identifica a lesão, segundo suas características principais. Lesão imediata: lesão que se verifica imediatamente após a ocorrência do acidente. Lesão media (tardia): lesão que não se verifica imediatamente após a exposição à fonte da lesão.
  12. 12. Conceitos básicos sobre consequências do acidente Morte: cessação da capacidade de trabalho pela perda da vida, independentemente do tempo ocorrido desde a lesão. Lesão com perda de tempo ou incapacitante: lesão que impede o acidentado de voltar no dia imediato ao do acidente, ou da qual resulte incapacidade permanente. Lesão sem perda de tempo: lesão pessoal que não impede o acidentado de voltar ao trabalho no dia imediato ao do acidente, desde que não haja capacidade permanente. Essa lesão exige primeiros socorros médicos de urgência
  13. 13. Exemplo de acidente com MORTE
  14. 14. Exemplo de Lesão com perca de tempo ou incapacitante
  15. 15. Exemplo de lesão sem perca de tempo
  16. 16. Conceitos básicos sobre consequências do acidente Incapacidade total permanente: Lesão que não provoca a morte, mas impossibilita permanentemente o acidentado de exercer ocupação remunerada, ou da qual decorre a perda total dos seguintes elementos: • Ambos os olhos; • Um olho e uma das mão ou um olho e um pé; • Ambas as mãos ou ambos os pés ou uma das mãos e um pé.
  17. 17. Exemplo de incapacidade total permanente
  18. 18. Conceitos básicos sobre consequências do acidente Incapacidade parcial permanente: redução parcial da capacidade para o trabalho, em caráter permanente. Está incapacidade corresponde a lesão que não provocando morte ou incapacidade permanente total, é causa de perda de qualquer membro ou parte do corpo, ou qualquer redução permanente da função orgânica.
  19. 19. Exemplo de Incapacidade parcial permanente
  20. 20. Conceitos básicos sobre consequências do acidente • Incapacidade temporária total: perda de capacidade de trabalho da qual resulte 1 ou mais dias perdidos, sem ter causado a morte, a incapacidade parcial permanente e incapacidade total permanente. Permanecendo o acidentado afastado de sua atividade por mais de 1 ano, a incapacidade temporária será automaticamente considerada permanente.
  21. 21. 2.1 Conceito Legal “Art. 20. Consideram-se acidente do trabalho, nos termos do artigo anterior, as seguintes entidades mórbidas: I - doença profissional, assim entendida a produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social; II - doença do trabalho, assim entendida a adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente, constante da relação mencionada no inciso I.”
  22. 22. Doença Profissional A doença profissional é aquela produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar à determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e Emprego e o da Previdência Social. Exemplo: • Saturnismo (intoxicação provocada pelo chumbo); • Silicose (sílica).
  23. 23. Doença do Trabalho Já a doença do trabalho é aquela adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente. Exemplo: • Disacusia (surdez) em trabalho realizado em local extremamente ruidoso.
  24. 24. 2.1 Conceito Legal “Art. 21. Equiparam-se também ao acidente do trabalho, para efeitos desta Lei: II - o acidente sofrido pelo segurado no local e no horário do trabalho, em consequência de: a) ato de agressão, sabotagem ou terrorismo praticado por terceiro ou companheiro de trabalho; b) ofensa física intencional, inclusive de terceiro, por motivo de disputa relacionada ao trabalho;
  25. 25. 2.1 Conceito Legal c) ato de imprudência, de negligência ou de imperícia de terceiro ou de companheiro de trabalho; d) ato de pessoa privada do uso da razão; e) desabamento, inundação, incêndio e outros casos fortuitos ou decorrentes de força maior; III - a doença proveniente de contaminação acidental do empregado no exercício de sua atividade;
  26. 26. 2.1 Conceito Legal IV - o acidente sofrido pelo segurado ainda que fora do local e horário de trabalho: a) na execução de ordem ou na realização de serviço sob a autoridade da empresa; b) na prestação espontânea de qualquer serviço à empresa para lhe evitar prejuízo ou proporcionar proveito; c) em viagem a serviço da empresa, inclusive para estudo quando financiada por esta dentro de seus planos para melhor capacitação da mão-de-obra, independentemente do meio de locomoção utilizado, inclusive veículo de propriedade do segurado;
  27. 27. 2.1 Conceito Legal d) no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado. § 1º Nos períodos destinados a refeição ou descanso, ou por ocasião da satisfação de outras necessidades fisiológicas, no local do trabalho ou durante este, o empregado é considerado no exercício do trabalho. § 2º Não é considerada agravação ou complicação de acidente do trabalho a lesão que, resultante de acidente de outra origem, se associe ou se superponha às consequências do anterior.
  28. 28. 2.2 Conceito Prevencionista 3. Conceito Prevencionista de acidente de trabalho: Acidente de trabalho é qualquer ocorrência não programada, inesperada, que interfere ou interrompe o processo normal de uma atividade, trazendo como consequência isolada ou simultaneamente perda de tempo, dano material ou lesões ao homem.
  29. 29. Conceito Prevencionista Os acidentes que ocorrem sem a presença da lesão, servem como um indicador de que a algo errado e que precisa ser corrigido. Essas ocorrências podem apontar para falha humana, máquinas defeituosas, ambiente irregular à atividade que será realizada e muitos outros fatores que contribuem para a ocorrência dos acidentes com lesão.
  30. 30. 2.3 Conceito legal X Conceito Prevencionista CONCEITO LEGAL: Independente das circunstâncias do acidente, tem que haver a lesão. CONCEITO PREVENCIONISTA: Não é necessário que haja lesão.
  31. 31. 3. Causas dos Acidentes de Trabalho Os Acidentes são causados por: CONDIÇÕES INSEGURAS ATOS INSEGUROS FATOR PESSOAL DE INSEGURANÇA
  32. 32. 3.2 Atos inseguros ATO INSEGURO: ação ou omissão que, contrariando preceito de segurança, pode causar ou favorecer a ocorrência de acidente. (NBR 14280:2001). Eles podem ser:
  33. 33. 3.2 Atos inseguros Eles podem ser: Conscientes – as pessoas sabem que estão se expondo ao perigo; Inconscientes – as pessoas desconhecem o perigo a que se expõem; Circunstancial – as pessoas podem conhecer ou desconhecer o perigo, mas algo mais forte as leva a prática da ação insegura. Exemplos: tentativa de salvar alguém de situação perigosa, tentativa de evitar algum prejuízo a empresa; ou mesmo fazer algo errado por pressão da chefia.
  34. 34. 3.2 Atos inseguros Quanto à ação perigosa das pessoas, nada muda nos três exemplos; o que diferencia um dos outros é o estado de consciência das pessoas ou o motivo que as levou a praticar o ato inseguro. Convém não confundir, no caso, ato com atitude. Atitude é a decisão mental de praticar a ação física que aproxima as pessoas do perigo
  35. 35. 3.2 Atos inseguros Alguns atos inseguros destacam-se entre os catálogos como mais frequentes, embora a maior evidência de um ou de outro varie de empresa para empresa, os mais conhecidos são: Ficar junto ou sob cargas suspensas; Colocar parte do corpo em lugar perigoso; Usar máquina sem habilitação; Imprimir excesso de velocidade ou sobre carga; Lubrificar, ajustar e limpar máquinas em movimento; Improvisação ou mau emprego de ferramentas manuais; Uso de dispositivo de segurança inutilizados;
  36. 36. 3.2 Atos inseguros Não usar proteção individual; Uso de roupas inadequadas ou acessórios desnecessários; Manipulação insegura de produtos químicos; Transportar ou empilhar inseguramente; Fumar ou usar chamas em lugares indevidos; Tentativa de ganhar tempo; Brincadeiras e exibicionismo;
  37. 37. 3.2 Atos inseguros a) O ato inseguro pode ser algo que a pessoa fez quando não deveria fazer, ou, ainda, algo que deixou de fazer quando deveria ter feito; b) O ato inseguro pode ser praticado tanto pelo próprio acidentado como por terceiro; c) A ação pessoal não deve ser classificada como ato inseguro pelo simples fato de envolver risco. Por exemplo: o trabalho com eletricidade ou com certas substâncias perigosas envolve riscos óbvios, mas, embora parcialmente perigoso, não deve ser considerado, em si, ato inseguro
  38. 38. Ex. de Ato Inseguro
  39. 39. Ato Inseguro
  40. 40. Ato Inseguro
  41. 41. 3.1 Condições inseguras Condição Ambiente de insegurança (condição ambiente ou condição ambiental): Condição do meio que causou o acidente ou contribuiu para sua ocorrência (NBR 14280:2001).
  42. 42. 3.1 Condições inseguras Condições inseguras apresentam-se com deficiências técnicas na: a) Construção e instalações: em que se localiza a empresa: áreas insuficientes, pisos fracos e irregulares, excesso de ruído e trepidações, falta de ordem e de limpeza, instalações elétricas impróprias ou com defeitos, falta de sinalização, piso escorregadio, buracos, saliências, plataforma sem corrimão, sem rodapé (falha de projeto) iluminação inadequada (falta ou excesso), ventilação inadequada, etc.;
  43. 43. 3.1 Condições inseguras b) Maquinaria: Localização imprópria das máquinas, falta de proteção em partes móveis polias, engrenagens e pontos de agarramento, maquinas apresentando defeitos, falta de dispositivos de segurança, etc.;
  44. 44. 3.1 Condições inseguras c) Proteção do trabalhador: proteção insuficiente ou totalmente ausente, falta de proteção em partes móveis polias, engrenagens e pontos de agarramento, maquinas apresentando defeitos, falta de dispositivos de segurança, etc.; d) Elaboração e redação de procedimentos e normas de trabalho.
  45. 45. 3.1 Condições inseguras Estas causas são apontadas como responsáveis pela ocorrência dos acidentes. No entanto, deve-se levar em conta que, as vezes, os acidentes são provocados por haver condições e atos inseguros ao mesmo tempo.
  46. 46. Exemplos de condições inseguras.
  47. 47. Condição Insegura
  48. 48. Condição Insegura
  49. 49. 3.3 Fator pessoal de insegurança FATOR PESSOAL DE INSEGURANÇA: causa relativa ao comportamento humano, que pode levar a ocorrência de acidente ou a prática de ato inseguro
  50. 50. 3.3 Fator pessoal de insegurança Alguns fatores que podem levar os trabalhadores a praticar atos inseguros: a) Inadaptação entre homem e função por fatores constitucionais. Exemplos: sexo (mina); idade (serviços pesados); tempo e reação aos estímulos; coordenação motora (deficientes físicos); estabilidade emocional; extroversão / introversão (conversa); agressividade; impulsividade, problemas neurológicos; nível de inteligência; grau de atenção; percepção; coordenação visual-motora; voluntariedade (iniciativa).
  51. 51. 3.3 Fator pessoal de insegurança b) Fatores circunstanciais: são os fatores que estão influenciando o desempenho do indivíduo no momento. Exemplos: problemas familiares; abalos emocionais; discussão com colegas; alcoolismo e toxicomania (consumo de drogas); grande preocupações; doença; estado de fadiga.
  52. 52. 3.3 Fator pessoal de insegurança c) Desconhecimento dos riscos da função e/ou da forma de evitá-lo. Causados por: seleção ineficaz; falhas de treinamento; falta de treinamento (em novatos): negação do risco (quando elevado).
  53. 53. 3.3 Fator pessoal de insegurança d) Desajustamento: relacionado com certas condições específicas do trabalho. Exemplos: problemas com a chefia; problemas com os colegas; política salarial imprópria; política promocional imprópria; clima de insegurança; pressão por produtividade.
  54. 54. 3.3 Fator pessoal de insegurança e) Personalidade: fatores que fazem parte da personalidade da pessoa e que se manifestam por comportamentos impróprios. Exemplo: O desleixado; o exibicionista calado; o exibicionista falador, o desatento o brincalhão; o negligente; o desleixado; o apressado; o indisciplinado; excesso de autoconfiança.
  55. 55. Alex Costa Triers Técnico em Segurança do Trabalho E-mail: alextriers@gmail.com Site: www.sstnarede.blogspot.com.br

×