Administração ciência e técnica

1.628 visualizações

Publicada em

Administração

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.628
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 26
  • 30
  • 31
  • 32
  • 33
  • Administração ciência e técnica

    1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ - UESPI FLORIANO - PI - CAMPUS Drª JOSEFINA DEMES Curso: Bacharelado em Administração de Empresas Disciplina: Teoria Geral da Adm. I – Bloco I – 2014.2 Professor: Adm. Esp. José Lemos de Melo – CRA – PI 1525 (9921-4087/ 3521-3662: lemos2210@hotmail.com)
    2. 2. Adm. Esp. José Lemos – CRA – PI nº 1525
    3. 3. O MUNDO EM QUE VIVEMOS É UMA sociedade institucionalizada e composta por organizações. Todas as atividades relacionadas à produção de bens (produtos) ou prestação de serviços (atividades especializadas) são planejadas, coordenadas, dirigidas, executadas e controladas pelas organizações. Todas as organizações são constituídas por pessoas e por recursos não-humanos (como recursos físicos e materiais, financeiros, tecnológicos, mercadológicos etc.). A vida das pessoas depende intimamente das organizações e essas dependem da atividade e do trabalho daquelas.
    4. 4. Existem organizações lucrativas (chamadas empresas) e organizações não-lucrativas (como Exército, Igreja, serviços públicos, entidades filantrópicas, organizações não-governamentais - ONGs - etc.). A Teoria das Organizações (TO) é o campo do conhecimento humano que se ocupa do estudo das organizações em geral. Por seu tamanho e pela complexidade de suas operações, as organizações, ao atingirem um certo porte, precisam ser administradas e a sua administração requer todo um aparato de pessoas estratificadas em diversos níveis hierárquicos que se ocupam de incumbências diferentes
    5. 5. O ponto de partida dos autores da Teoria Clássica é o estudo científico da Administração, substituindo o empirismo e a improvisação por técnicas científicas. Pretendia-se elaborar uma Ciência da Administração. Fayol defendia a necessidade de um ensino organizado e metódico da Administração, de caráter geral para formar administradores. Em sua época, essa ideia era uma novidade. Administração: Ciência e técnica
    6. 6. Administração: Ciência e técnica Para Taylor, a organização e a Administração devem ser estudadas e tratadas cientificamente e não empiricamente. A improvisação deve ceder lugar ao planejamento e o empirismo à ciência: a Ciência da Administração. Como pioneiro, o mérito de Taylor reside em sua contribuição para encarar sistematicamente o estudo da organização.
    7. 7. Administração: Ciência e técnica Os elementos de aplicação da Administração Científica nos padrões de produção são: padronização de máquinas e ferramentas, métodos e rotinas para execução de tarefas e prêmios de produção para incentivar a produtividade.
    8. 8. O principal objetivo da Administração é assegurar o máximo de prosperidade ao patrão e, ao mesmo tempo, o máximo de prosperidade ao empregado. O princípio da máxima prosperidade para o patrão, acompanhada da máxima prosperidade para o empregado, deve ser os dois fins principais da Administração. Assim, deve haver uma identidade de interesses entre empregados e empregadores. Administração: Ciência e técnica
    9. 9. Origem Definição •Ad, administrar para,tendência, •minister, subordinação ou obediência. A Administração é o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos a fim de alcançar objetivos organizacionais. Administração 15:13 9
    10. 10. O QUE É ADMINISTRAÇÃO? É uma ciência fundamentada em um conjunto de normas e funções elaboradas para disciplinar elementos de produção. A administração tem como objetivo alcançar um resultado eficaz e retorno financeiro de forma sustentável e com responsabilidade social. Administrar envolve a elaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos, arbitragens e laudos, em que é exigida a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de Administração. Administração 15:13 10
    11. 11. “É o processo de trabalhar com pessoas e recursos para realizar objetivos organizacionais, de maneira eficiente e eficaz.” (BATEMAN & SNELL, 1998 – p. 27) “Processo de planejar, organizar, liderar e controlar o trabalho, e de usar todos os recursos disponíveis da organização para alcançar objetivos estabelecidos.” (STONER, James, 1995 – p. 5) Administração 15:13 11
    12. 12. “O termo se refere ao processo de fazer com que as atividades sejam realizadas eficiente e eficazmente com e através de outras pessoas. O processo representa as funções ou atividades primárias realizadas por administradores. Estas funções são tipicamente denominadas planejamento, organização, direção, liderança e controle.” (ROBBINS & COULTER, 1998 – p. 3) Administração 15:13 12
    13. 13. O que são Organizações? Em sentido geral organização é o modo como se organiza um sistema. É a forma escolhida para arranjar, dispor ou classificar objetos, documentos e informações. Administração 15:13 13
    14. 14. Segundo Maximiano(1992) uma organização é uma combinação de esforços individuais que tem por finalidade realizar propósitos coletivos. Por meio de uma organização torna-se possível perseguir e alcançar objetivos que seriam inatingíveis para uma pessoa. Uma grande empresa ou uma pequena oficina, um laboratório ou o corpo de bombeiros, um hospital ou uma escola são todos exemplos de organizações. Administração 15:13 14
    15. 15. ADMINISTRAR: é o processo de tomar e colocar em prática decisões sobre objetivos e utilização de recursos. Maximiano, A. C. A. RECURSOS Pessoas Informação e Conhecimento Espaço Dinheiro Instalações OBJETIVOS Resultados Esperados Do Sistema DECISÕES Planejamento Organização Execução e Direção Controle 15:13 15
    16. 16. A Administração é uma ciência que estuda as organizações e as empresas com fins descritivos para compreender seu funcionamento, sua evolução, seu crescimento e seu comportamento. ADMINISTRAÇÃO: CIÊNCIA e TÉCNICA 15:13 16
    17. 17. 17 TGA - Teoria Geral da administração  1903 Teoria da Administração Científica - Taylor, Gilberth  1909 Teoria da burocracia - Weber  1916 Escola dos Princípios de Administração - Fayol  1932 Escola das relações Humanas - Mayo e Lewin  1947 Teoria das decisões - Simon  1951 Teoria dos Sistemas - Bertalanffy,Kast e Rosenzweig  1953 Teoria dos Sistemas Sociotécnicos - Emery e Trist  1954 Teoria Neoclássica da Adm - Newman , Druker  1957 Escola Comportamental da Adm - McGregor  1962 Escola do Desenvolvimento Organizacional - Bennis  1972 Teoria da contingência - Woodward,Laurence e lorsch
    18. 18. Neste sentido, como ciência, a administração gera teorias e hipóteses que permitem uma abordagem prescritiva e normativa intimamente vinculada á técnica de administração, que trata de conduzir as organizações e empresas aos objetivos visados. Se a técnica atua sem o conhecimento do que esta acontecendo, ela passa a ser um ensaio meramente empírico e não cientifico.” ADMINISTRAÇÃO: CIÊNCIA e TÉCNICA 15:13 18
    19. 19. 15:13 19 Taylor verificou que os operários aprendiam a maneira de executar as tarefas do trabalho por meio da observação dos companheiros vizinhos. Notou que isso levava a diferentes métodos para fazer a mesma tarefa e uma grande variedade de instrumentos e ferramentas diferentes em cada operação. Como há sempre um método mais rápido e um instrumento mais adequado que os demais, esses métodos e instrumentos melhores podem ser encontrados e aperfeiçoados por meio de uma análise científica e um acurado estudo de tempos e movimentos, em vez de ficar a critério pessoal de cada operário. Essa tentativa de substituir métodos empíricos e rudimentares pelos métodos científicos recebeu o nome de Organização Racional do Trabalho (ORT). Organização racional do trabalho - ORT
    20. 20. 15:13 20 1. Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos. 2. Estudo da fadiga humana. 3. Divisão do trabalho e especialização do operário. 4. Desenho de cargos e de tarefas. 5. Incentivos salariais e prêmios de produção. 6. Conceito de homo economicus. 7. Condições ambientais de trabalho, como iluminação, conforto etc. 8. Padronização de métodos e de máquinas. 9. Supervisão funcional. ORT - fundamentos
    21. 21. 15:13 21 O instrumento básico para se racionalizar o trabalho dos operários era o estudo de tempos e movimentos (motion-time study). O trabalho é executado melhor e mais economicamente por meio da análise do trabalho, isto é, da divisão e subdivisão de todos os movimentos necessários à execução de cada operação de uma tarefa. O estudo dos tempos e movimentos permite a racionalização do método de trabalho do operário e a fixação dos tempos- padrão para execução das tarefas. Estudo dos tempos e movimentos
    22. 22. 15:13 22 Estudo dos tempos e movimentos: vantagens 1. Eliminação do desperdício de esforço humano e dos movimentos inúteis. 2. Racionalização da seleção e adaptação dos operários à tarefa. 3. Facilidade no treinamento dos operários e melhoria da eficiência e rendimento da produção pela especialização das atividades. 4. Distribuição uniforme do trabalho para que não haja períodos de falta ou excesso de trabalho. 5. Definição de métodos e estabelecimento de normas para a execução do trabalho. 6. Estabelecer uma base uniforme para salários equitativos e prêmios de produção.
    23. 23. 15:13 23 Frank B. Gilbreth (1868-1924) foi um engenheiro americano que acompanhou Taylor em seu interesse pelo esforço humano como meio de aumentar a produtividade. 10 Introduziu o estudo dos tempos e movimentos dos operários como técnica administrativa básica para a racionalização do trabalho. Concluiu que todo trabalho manual pode ser reduzido a movimentos elementares (aos quais deu o nome de therblig, anagrama de Gilbreth), para definir os movimentos necessários à execução de qualquer tarefa. Estudo dos tempos e movimentos
    24. 24. 15:13 24 ETM - Os movimentos elementares (Therbligs) de Gilbreth 1. Procurar 2. Escolher 3. Pegar 4. Transportar vazio 5. Transportar cheio 6. Posicionar (colocar em posição 7. Preposicionar (preparar para colocar em posição 8. Unir (ligar ou anotar) 9. Separar 10. Utilizar 11. Soltar a carga 12. Inspecionar 13. Segurar 14. Esperar inevitavelmente 15. Esperar quando evitável 16. Repousar 17. Planejar
    25. 25. A Administração é necessária porque:  Organizações precisam ser gerenciadas  Organizações têm objetivos a atingir:  Oferece produtos e serviços à sociedade  Consegue harmonizar objetivos conflitantes  Permite que as organizações alcancem eficiência e eficácia 15:13 25
    26. 26. Fonte: Idalberto Chiavenato Fase Artesanal Transição para a Industrialização Crescimento Industrial Gigantismo Industrial Fase Moderna Globalização Era da Agricultura Era Industrial Era da Informação 1780 1860 1914 1945 1980 1990 As fases da história das empresas 15:13 26
    27. 27. Objetivos organizacionais Sobrevivência  Crescimento  lucratividade  Produtividade  Qualidade  Redução de custos  Clientes  Competitividade  Mercado 15:13 27
    28. 28. Salário Objetivos individuais  Benefícios  Segurança  Qualidade de vida  Satisfação  Consideração e respeito  Crescimento  Liberdade  Orgulho da Organização 15:13 28
    29. 29. Exigência da empresa moderna 15:13 29 Iniciativa Liderança Criatividade Autodesenvolvimento Flexibilidade Gerenciar riscos Trabalho em equipe Lógica de raciocínio Educador Prontidão para resolver Problemas Conhecimento de idiomas Informática Resistência emocional
    30. 30. A rosácea da administração: a reunião de competências necessárias Foco em Resultados Missão e Valores Eficiência e Eficácia Direção Planeja- mento Organização Controle Liderança Comunicação Desempenho Networking Convergência Proatividade e Visão Antecipada Foco em Objetivos Estratégicos Visão de Futuro Visão Sistêmica e Holística 15:13 30
    31. 31. A empresa como um sistema de subsistemas Subsistema Marketing Jurídico Subsistema Financeiro Distribuição Logística Subsistema Administrat. Subsistema Recursos Humanos Subsistema Produção/ Operações Pesquisa & Desenvolvim. Entradas Saídas Retroação 15:13 31
    32. 32. A missão da empresa e seus desdobramentos Missão da Empresa Qual o negócio da empresa? Qual é o cliente e o que é valor para ele? Tecnologia e recursos Modo de fazer (como fazer) Produtos/Serviços (O que fazer) Mercado (Para quem fazer) Competências Conhecimentos e habilidades 15:13 32
    33. 33. Diferenças entre missão e visão. Missão Visão Inclui o negócio da empresa. É o que se sonha no negócio. É o ponto de partida. É aonde vamos. É a carteira de identidade da empresa. É o passaporte para o futuro. Identifica "quem somos". Projeta "quem desejamos ser". Dá o rumo à empresa. Energiza a empresa. É orientadora. É inspiradora. Foco do presente para o futuro. Focalizada no futuro. Vocação para a eternidade. É mutável conforme os desafios. 15:13 33
    34. 34. A Administração e o ambiente externo Administração Sistema Social Sistema Tecnológico Sistema Político Sistema Econômico 15:13 34
    35. 35. Habilidades Conceituais (Idéias e conceitos abstratos) Habilidades Humanas (Relacionamento Interpessoal) Habilidades Técnicas (Manuseio de coisas físicas) Nível Institucional Nível Intermediário Nível Operacional Execução das Operações Fazer e executar Alta Direção Gerência Supervisão As três habilidades do Administrador 15:13 35
    36. 36. Reflexão
    37. 37. “Poderia dar tudo o que tenho e até mesmo entregar o meu corpo para ser queimado, mas, se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada.” 1 Coríntios 13:3 O rapaz estava numa festa, dançando. Então um amigo chegou perto dele e perguntou: – Por que hoje você só está dançando com mulher feia? Ele respondeu: – Ué, você não disse que era uma festa de caridade?
    38. 38. Enquanto a ostra não se abrir para que a pérola seja burilada e possa adornar lindos pescoços, ela apenas carregará uma pedra desconhecida nas profundezas do oceano. Precisamos abrir o coração para o amor e a caridade e, assim, sair das profundezas do nosso eu, do nosso egocentrismo. Só então iremos brilhar nos salões da vida, adornando com mais intensidade e beleza os relacionamentos humanos. “Poderia dar tudo o que tenho e até mesmo entregar o meu corpo para ser queimado, mas, se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada.” 1 Coríntios 13:3
    39. 39. Abraço a todos A t a c a d o BR 230, nº 423 – Floriano - PI Adm. Esp. José Lemos CRA – PI 1525 Gerente Administrativo Fones: 89 3515-6020 9921-4087 lemos2210@hotmail.com

    ×