ADM - Evolução do pensamento em administração

30.252 visualizações

Publicada em

ADM - Evolução do pensamento em administração

Publicada em: Educação
0 comentários
14 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
30.252
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
791
Comentários
0
Gostaram
14
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ADM - Evolução do pensamento em administração

  1. 1. 2 – A Evolução doPensamento em Administração 2.1 – Teorias em administração 2.2 – Organizar e administrar como práticas seculares 2.3 – Condições geradoras do processo administrativo 2.4 – Escola clássica de administração 2.5 – Enfoque comportamental 2.6 – Teoria dos sistemas e enfoque contingencial 2.7 – Considerações finais ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  2. 2. 2.1 – Teorias emadministração As teorias influenciam a prática, servindo como guia para as decisões da administração. As teorias influenciam a forma como enxergamos as pessoas, as organizações e o meio em que elas estão inseridas. As teorias servem como fonte de compreensão e/ou previsão de práticas observadas nas organizações. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  3. 3. 2.2 – Organizar e administrarcomo práticas seculares Pensamento sistemático acerca da administração é considerado um empreendimento histórico recente. Origem da palavra administração: do latim ad (direção, tendência para) e minister (subordinação ou obediência). ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  4. 4. 2.2 – Organizar e administrarcomo práticas seculares Exemplos históricos:  Atividades comerciais e governamentais por volta de 5.000 a.C;  Pirâmides egípcias e Grande Muralha da China são exemplos de projetos de grande escopo e amplitude que envolveram milhares de pessoas desde 4.000 a.C;  Conceitos e técnicas, como organização, hierarquia, logística, planejamento, encontram- se em organizações militares desde 3.500 a.C; ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  5. 5. 2.3 – Condições geradoras dopensamento administrativo Revolução Industrial e a consolidação do capitalismo  Meados do século XVIII marca o declínio feudalismo.  Transferência da habilidade do artesão para máquina.  Desaparecimento de pequenas oficinas e surgimento das fábricas.  A mecanização exige a divisão do trabalho e a simplificação das operações.  Surgem os primeiros problemas de gerência e também os sindicatos. Processo de modernização das sociedades ocidentais  Emergência de uma lógica de mercado. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  6. 6. 2.4 – Escola clássicade administração Dividida em três correntes:  Administração científica  Gestão Administrativa  Teoria da Burocracia ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  7. 7. 2.4 – Escola clássicade administração Administração científica  Principal representante: Frederick Winslow Taylor (1856-1915)  Principal obra: Princípios de administração científica (1911)  “Há uma única maneira certa para desenvolver cada tarefa” ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  8. 8. 2.4 – Escola clássicade administração Administração científica Taylor cronometrando o tempo ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  9. 9. 2.4 – Escola clássicade administração Administração científica  Pressupostos:  Homo economicus (ser humano essencialmente egoísta e racional, orientado por motivações materiais).  A organização considerada como sistema fechado, foco em processos internos.  Existe uma ciência da administração, capaz de ser universalizada. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  10. 10. 2.4 – Escola clássicade administração Administração científica  Foco de análise:  Processos operacionais de trabalho.  Conceitos-chave:  Existe uma única maneira certa para o desempenho de cada atividade.  Dissociação da concepção do trabalho e sua execução (tarefa/trabalhador).  Remuneração baseada em incentivos materiais. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  11. 11. 2.4 – Escola clássicade administração Administração científica  Contribuições:  Melhoria acentuada da produtividade e da eficiência.  Relaciona remuneração com produtividade.  Cria base para o desenvolvimento da cadeia de produção e propicia a produção em série. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  12. 12. 2.4 – Escola clássicade administração Administração científica  Limitações:  Não considerava as influências das forças externas (concepção de sistema fechado).  Baseava-se em pressupostos motivacionais materiais e simplistas.  Criava condições propícias para a alienação do trabalhador, uma vez que aumentava excessivamente o processo de especialização e divisão do trabalho. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  13. 13. 2.4 – Escola clássicade administração Gestão administrativa  Principal representante: Henri Fayol (1841-1925)  Principal obra: Administração Industrial e Geral  Define áreas, operações e princípios de administração. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  14. 14. 2.4 – Escola clássicade administração Gestão administrativa  Pressupostos:  Foco interno  Existem princípios gerais da administração, capazes de serem universalizados.  Existe a ciência da administração.  Foco de análise:  A organização como um todo. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  15. 15. 2.4 – Escola clássicade administração Gestão administrativa  Conceitos-chave:  6 áreas de operações empresariais:  Operações técnicas, comerciais, financeiras, segurança, contabilidade, administração.  5 funções da administração:  Prever, organizar, comandar, coordenar, controlar. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  16. 16. 2.4 – Escola clássicade administração Gestão administrativa  Conceitos-chave:  14 princípios da administração:  Divisão de trabalho  Autoridade e responsabilidade  Disciplina  Unidade de comando  Unidade de direção  Subordinação do interesse individual ao interesse geral  Remuneração do pessoal ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  17. 17. 2.4 – Escola clássicade administração Gestão administrativa  Conceitos-chave:  14 princípios da administração (cont.):  Centralização  Hierarquia  Ordem  Eqüidade  Estabilidade de pessoal  Iniciativa  Espírito de equipe ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  18. 18. 2.4 – Escola clássicade administração Gestão administrativa  Contribuições:  A administração pode ser vista como uma profissão capaz de ser treinada e desenvolvida.  Muitos princípios ainda têm validade na atualidade.  Marca a forma de compreender a administração como processo, composto por funções-chave, visão que prevalece até hoje. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  19. 19. 2.4 – Escola clássicade administração Gestão administrativa  Limitações:  Prevalece a concepção da organização como um sistema fechado, não dando a devida importância aos fatores externos.  Os pressupostos motivacionais ainda são de natureza material e simplista. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  20. 20. 2.4 – Escola clássicade administração Teoria da burocracia  Principal representante: Max Weber (1864-1920)  Burocracia significa “poder do escritório”  A administração burocrática consiste no exercício da dominação baseado no saber. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  21. 21. 2.4 – Escola clássicade administração Teoria da burocracia  Pressupostos:  Trata-se de um modelo ideal (impossível de ser encontrado na prática em sua forma pura).  Foco interno à organização.  Foco de análise:  A organização como um todo. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  22. 22. 2.4 – Escola clássicade administração Teoria da burocracia  Conceitos-chave:  7 princípios da burocracia:  Divisão do trabalho  Impessoalidade  Hierarquia  Profissionalismo  Padronização e formalização  Autoridade  Separação de domínios público e privado ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  23. 23. 2.4 – Escola clássicade administração Teoria da burocracia  Contribuições:  Predomínio da lógica científica.  Consolidação de análises racionais.  Caráter democrático.  Limitações:  Organização como sistema fechado.  Possível rigidez pela formalização e abuso de poder tecnocrático. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  24. 24. 2.5 – Enfoquecomportamental Escola de relações humanas Abordagem comportamental ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  25. 25. 2.5 – Enfoquecomportamental Escola de relações humanas  Principal expoente: Elton Mayo (1880- 1949)  Experiência de Hawthorne  Crença de que as necessidades sociais tinham precedência sobre necessidades econômicas. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  26. 26. 2.5 – Enfoquecomportamental Escola de relações humanas  Pressupostos:  Homem social  Foco interno à organização  A organização é um sistema social  Foco de análise:  O indivíduo e os grupos informais nas organizações ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  27. 27. 2.5 – Enfoquecomportamental Escola de relações humanas  Conceitos-chave:  Produtividade e eficiência são influenciadas pelos grupos informais de trabalho.  A autoridade do gerente de se basear em competências sociais, em vez de técnicas. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  28. 28. 2.5 – Enfoquecomportamental Escola de relações humanas  Contribuições:  Fator humano na análise organizacional.  Alerta sobre o impacto da motivação humana no desempenho da organização.  Limitações:  Organização como sistema fechado.  Organização como sistema social.  Trabalhadores felizes nem sempre são mais produtivos. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  29. 29. 2.5 – Enfoquecomportamental Abordagem comportamental  Representantes: Abraham Maslow (1908- 1970); Douglas McGregor (1906-1964); Frederic Herzberg (1923-2000)  Estudos propõem um conjunto de medidas de mudanças no trabalho e nas estruturas organizacionais de forma a alinhar a necessidade de auto- desenvolvimento e realização do ser humano aos objetivos organizacionais ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  30. 30. 2.5 – Enfoquecomportamental Abordagem comportamental  Pressupostos:  Homem complexo  Foco nos indivíduos e na sua relação com o contexto  Foco de análise:  Comportamento de grupos nas organizações ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  31. 31. 2.5 – Enfoquecomportamental Abordagem comportamental  Conceitos-chave:  Motivação e fatores motivacionais  Liderança  Contribuições:  Aumento da complexidade nas teorias de motivação e liderança.  Melhor eficiência organizacional.  Importância do desenvolvimento de RH.  Novas práticas: participação e autonomia. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  32. 32. 2.5 – Enfoquecomportamental Abordagem comportamental  Limitações:  Abordagem de manipulação motivacional do trabalhador.  Abordagem essencialmente descritiva, como poucas prescrições para a prática das organizações.  Falta de comprovação empírica de algumas de suas teorias. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  33. 33. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial A teoria dos sistemas Enfoque contingencial ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  34. 34. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial A teoria dos sistemas  Influência da obra de Ludwig Von Bertalanffy (1950)  Fornece um meio para interpretar as organizações e contribui para uma abertura das visões interna e externa. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  35. 35. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial A teoria dos sistemas  Pressupostos:  As organizações devem ser vistas como sistemas abertos.  Foco de análise:  A organização, seus subsistemas e a interação com o ambiente onde se insere.  Conceitos-chave:  Organização como sistema aberto  Interação com o ambiente ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  36. 36. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial A teoria dos sistemas  Contribuições:  Percebe relações importantes entre subsistemas organizacionais que influenciam o alcance dos objetivos da organizações.  Desmistifica a “ótima solução administrativa”.  Expande fronteiras da organização.  Reconhece variáveis ambientais. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  37. 37. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial A teoria dos sistemas  Limitações:  Não oferece direcionamento sobre as funções e práticas gerenciais.  Conceitos transpostos de ciências biológicas e naturais nem sempre levam em consideração a complexidade e a unicidade da vida social. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  38. 38. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial Enfoque contingencial  Não existe uma única melhor maneira de administrar e organizar.  Há mais de uma forma de atingir objetivos propostos.  Depende de variáveis contingenciais. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  39. 39. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial Enfoque contingencial  Pressupostos:  As organizações devem ser vistas como sistemas abertos.  Foco de análise:  A organização, seus subsistemas e a interação com o ambiente em que atua. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  40. 40. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial Enfoque contingencial  Conceitos-chave:  Não existe uma única melhor maneira.  Existe mais de uma forma de atingir os objetivos propostos.  Contingências tais como tarefa, tamanho, tecnologia, características do ambiente.  Cabe ao administrador adaptar sua organização às características do ambiente. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  41. 41. 2.6 – Teoria dos sistemas eenfoque contingencial Enfoque contingencial  Contribuições:  Identificação de várias contingências (mediante pesquisas empíricas).  Contextação de antigos princípios.  Limitações:  Cai em certo relativismo (tudo depende). ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  42. 42. 2.7 – Considerações finais Com base na análise histórica, é possívelcompreender:  a relação existente entre o estágio inicial de desenvolvimento do capitalismo e o surgimento da teoria clássica.  o impacto da psicologia na escola das relações humanas.  a influência da Segunda Guerra Mundial na teoria geral dos sistemas.  a evolução do pensamento em administração é estreitamente relacionada com as condições socioeconômicas de determinado período. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira
  43. 43. Referências AMARU, A. C. Introdução a Administração. São Paulo: Atlas, 2004. CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro: Campus, 2000. MAXIMIANO, A. C. A. Introdução à Administração. São Paulo. Atlas, 2004. SOBRAL, F.; PECI, A. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. São Paulo: Pearson – Prentice Hall, 2008. SILVA, R. O. Teorias da Administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001. ADMEMP – Administração de Empresas Prof. Ms. Paulo Cristiano de Oliveira

×