SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
Idalberto Chiavenato
INTRODUÇÃO À TEORIA
GERAL DA ADMINISTRAÇÃO
Elsevier/Campus
www.elsevier.com.br
www.chiavenato.com
SUMÁRIO
RESUMIDOPARTE 1: INTRODUÇÃO À TGA
PARTE 2: OS PRIMÓRDIOS DA ADMINISTRAÇÃO
PARTE 3: ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO
PARTE 4: ABORDAGEM HUMANÍSTICA DA
ADMINISTRAÇÃO
PARTE 5: ABORDAGEM NEOCLÁSSICA DA
ADMINISTRAÇÃO
PARTE 6: ABORDAGEM ESTRUTURALISTA DA
ADMINISTRAÇÃO
PARTE 7: ABORDAGEM COMPORTAMENTAL DA
ADMINISTRAÇÃO
PARTE 8: ABORDAGEM SISTÊMICA DA ADMINISTRAÇÃO
PARTE UM
INTRODUÇÃO À
TEORIA GERAL DA
ADMINISTRAÇÃO
Habilidades
Conceituais
(Idéias e
conceitos abstratos)
Habilidades
Humanas
(Relacionamento
Interpessoal)
Habilidades
Técnicas
(Manuseio de
coisas físicas)
Nível
Institucional
Nível
Intermediário
Nível
Operacional
Execução das Operações Fazer e executar
Alta Direção
Gerência
Supervisão
Fig. I1.1. As três
Habilidades do
Administrador
ConhecimentoConhecimento
PerspectivaPerspectiva AtitudeAtitude
Saber.
Know-how. Informação.
Atualização profissional.
Reciclagem constante.
Saber fazer.
Visão pessoal das coisas.
Maneira prática de aplicar
o conhecimento na solução
de problemas e situações.
Saber fazer acontecer.
Comportamento ativo e proativo.
Ênfase na ação e no fazer acontecer.
Espírito empreendedor e de equipe.
Liderança e comunicação.
Fig. I.2. As Competências
Duráveis do Administrador
+ =
Habilidades
Conceituais
Habilidades
Humanas
Habilidades
Técnicas
Conhecimento
(Saber)
Perspectiva
(Saber Fazer)
Atitude
(Saber Fazer Acontecer)
Sucesso
Profissional
Figura I.3. As Competências Pessoais do Administrador
Papéis
Interpessoais
Papéis
Informacionais
Papéis
Decisórios
Como o
administrador
interage:
* Representação
* Líderança
* Ligação
Como o
administrador
intercambia e
processa a
informação:
* Monitoração
* Disseminação
* Porta voz
Como o
administrador
utiliza a
informação nas
suas decisões:
* Empreendedor
* Solução de
conflitos
* Alocação de
recursos
* Negociação
Figura I.5. Os Dez Papéis do Administrador:
Interpessoal
Representação
Assume deveres cerimoniais e simbólicos, representa a
organização, acompanha visitantes, assina documentos legais
Dirige e motiva pessoas, treina, aconselha, orienta e
se comunica com os subordinados
Categoria
Papel do
Administrador
Atividade
Disseminação
Monitoração
Ligação
Liderança
Mantém redes de comunicação dentro e fora da
organização, usa malotes, telefonemas e reuniões
Manda e recebe informação, lê revistas e relatórios,
mantém contatos pessoais
Envia informação para os membros de outras organizações,
envia memorandos e relatórios, telefonemas e contatos
Porta-voz Transmite informações para pessoas de fóra, através de
conversas, relatórios e memorandos
Empreende Inicia projetos, identifica novas idéias, assume riscos,
delega responsabilidades de idéias para outros
Toma ação corretiva em disputas ou crises, resolve conflitos
entre subordinados, adapta o grupo a crises e a mudanças
Decide a quem atribuir recursos. Programa, orça e
estabelece prioridades
Representa os interesses da organização em negociações
com sindicatos, em vendas, compras ou financiamentos
Resolve
conflitos
Alocação
de recursos
Negociação
Informacional
Decisorial
Capítulo 1
A Administração e suas Perspectivas
(Delineando o Papel da Administração)
• Conteúdo e Estudo da Administração
• O Estado Atual da Teoria Geral da Administração
• A Administração na Sociedade Moderna
• Perspectivas Futuras da Administração
Caso Introdutório:
A Promoção de Marcelo
Marcelo Gonçalves é um engenheiro bem-sucedido e foi promovido
a Gerente do Departamento de Novos Produtos da EletroMecânica
Paraíso. Está feliz, mas preocupado. Sempre trabalhou com coisas
concretas e medidas exatas: novos produtos, especificações,
protótipos, etc. Nunca lidou com situações abstratas e nem com
pessoas. Agora lida com uma equipe de 30 funcionários. Sua
maneira lógica, matemática e quantitativa deve ser substituída por
uma maneira abrangente, flexível, psicológica e humana.
Marcelo não tem a menor idéia sobre como gerir o departamento,
nem como conduzir sua equipe.
Por onde Marcelo deveria começar?
Pág: 09Pág: 09
Exercício:
Habilidades do Administrador
Márcia trabalha na Intertech há dois anos. Em uma reunião da
Diretoria, ficou sabendo de sua futura promoção a Gerente do
Departamento Financeiro da Intertech.
A primeira preocupação de Márcia foi: Estou realmente
preparada para assumir o novo cargo? Quais as habilidades
que deverei possuir para enfrentar os novos desafios da função?
Como deveria ser uma administradora competente?
Pág: 10Pág: 10
Exercício:
As Dificuldades de Roberto
Roberto é um excelente profissional, responsável e admirado
por seus conhecimentos técnicos. Depois de diplomar-se em
Administração, Roberto não parou mais de estudar e tentar
aplicar seus conhecimentos. Sabe melhor do que ninguém
equacionar os problemas e definir soluções.
Sua dificuldade maior é lidar com pessoas: não sabe explicar
nem treinar ou argumentar, tampouco tem paciência com os
subordinados. Apesar de seu excelente preparo técnico,
Roberto não consegue progredir na empresa. Quer ser
promovido a gerente de equipe, mas fica sempre na fila de espera.
O que está acontecendo com Roberto?
Pág: 11Pág: 11
ÊNFASE TEORIAS
ADMINISTRATIVAS
PRINCIPAIS ENFOQUES
Tarefas Administração Científica Racionalização do trabalho no nível operacional.
Estrutura
Teoria Clássica
Teoria Neoclássica
Organização formal.
Princípios gerais da Administração.
Funções do administrador.
Teoria da Burocracia Organização formal burocrática.
Racionalidade organizacional.
Teoria Estruturalista Múltipla abordagem:
Organização formal e informal. 
Análise intra-organizacional e interorganizacional. 
Pessoas
Teoria das Relações Humanas Organização informal.
Motivação, liderança, comunicações e dinâmica de grupo.
Teoria do Comportamento
Organizacional
Estilos de Administração. Teoria das Decisões.
Integração dos objetivos organizacionais e individuais
Desenvolvimento
Organizacional
Mudança organizacional planejada.
Abordagem de sistema aberto.
Ambiente
Teoria Estruturalista Análise intra-organizacional e análise ambiental.
Abordagem de sistema aberto.
Teoria da Contingência Análise ambiental (imperativo ambiental).
Abordagem de sistema aberto.
Tecnologia Teoria da Contingência Análise ambiental (imperativo ambiental).
Abordagem de sistema aberto.
Competitividade Novas Abordagens na
Administração
Caos e complexidade
Aprendizagem organizacional. Capital Intelectual
Anos: Teorias:
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
1903 --------------------------------------------- Administração Científica
1909 ------------------------------------------  Teoria da Burocracia
1916 ---------------------------------------- Teoria Clássica
1932 -------------------------------------  Teoria das Relações Humanas
1947 ----------------------------------- Teoria Estruturalista
1951 ------------------------------- - Teoria dos Sistemas
1953 ------------------------------ Abordagem Sociotécnica
1954 ---------------------------- Teoria Neoclássica
1957 ---------------------- Teoria Comportamental
1962 -------------------  Desenvolvimento Organizacional
1972 ----------------- Teoria da Contingência
1990 --------------- Novas Abordagens
Figura 1.1. As Principais Teorias da Administração:
Organização
Competitividade
Tarefas
Estrutura
Ambiente
Tecnologia Pessoas
Figura 1.2. As Variáveis Básicas da TGA
Exercício:
A focalização na Alpha & Beta
Rita Bastos acabara de assumir um importante cargo na
Alpha & Beta, uma empresa no ramo de produtos educacionais.
Aprendera que as teorias administrativas se centram em seis
variáveis básicas:
•Tarefas
•Estrutura
•Pessoas
•Tecnologia
•Ambiente
•Competitividade.
Ela queria trabalhar envolvendo todas essas variáveis em uma
focalização equilibrada, mesmo sabendo que as pessoas têm
primazia sobre todas as demais.
Como você procederia no lugar de Rita?
Pág: 13Pág: 13
1. Mudanças rápidas e inesperadas no mundo dos negócios,
principalmente no campo do conhecimento e da
tecnologia;
2. Crescimento e expansão das organizações;
3. Atividades que exigem pessoas de competências diversas
e especializadas.
1. Mudanças rápidas e inesperadas no mundo dos negócios,
principalmente no campo do conhecimento e da
tecnologia;
2. Crescimento e expansão das organizações;
3. Atividades que exigem pessoas de competências diversas
e especializadas.
As Perspectivas Futuras:
Os impactos futuros sobre as organizações:
1. Crescimento das organizações.
2. Concorrência mais aguda.
3. Sofisticação da tecnologia.
4. Taxas mais altas de inflação.
5. Globalização da economia e internacionalização dos
negócios.
6. Visibilidade maior das organizações.
1. Crescimento das organizações.
2. Concorrência mais aguda.
3. Sofisticação da tecnologia.
4. Taxas mais altas de inflação.
5. Globalização da economia e internacionalização dos
negócios.
6. Visibilidade maior das organizações.
Sociedade industrial
Tecnologia simples
Economia nacional
Curto prazo
Democracia representativa
Hierarquia
Opção dual ou binária
Centralização
Ajuda institucional
Sociedade industrial
Tecnologia simples
Economia nacional
Curto prazo
Democracia representativa
Hierarquia
Opção dual ou binária
Centralização
Ajuda institucional
Sociedade da informação
Tecnologia sofisticada
Economia mundial
Longo prazo
Democracia participativa
Comunicação lateral
Opção múltipla
Descentralização
Auto-ajuda
Sociedade da informação
Tecnologia sofisticada
Economia mundial
Longo prazo
Democracia participativa
Comunicação lateral
Opção múltipla
Descentralização
Auto-ajuda
Inovação e mudança
Maior eficiência
Globalização e competitividade
Visão do negócio e do futuro
Pluralismo e participação
Democratização e visibilidade
Visão sistêmica e contingencial
Incerteza e imprevisibilidade
Autonomia e serviços
diferenciados
Inovação e mudança
Maior eficiência
Globalização e competitividade
Visão do negócio e do futuro
Pluralismo e participação
Democratização e visibilidade
Visão sistêmica e contingencial
Incerteza e imprevisibilidade
Autonomia e serviços
diferenciados
De: Para: Alteração:
As Megatendências:
Caso Introdutório:
A Promoção de Marcelo
Marcelo Gonçalves refletiu bastante sobre sua recente promoção
ao cargo de Gerente do Departamento de Novos Produtos.
O que deveria fazer para começar bem? Suas principais dúvidas
estão relacionadas com os seguintes desafios:
• Quais as tarefas a serem desenvolvidas pelo Departamento?
• Qual a estrutura e a distribuição de cargos.
• Como deveria lidar com os subordinados.
• Quais as tecnologias que deveria utilizar.
• Qual o contexto ambiental de sua atividade.
• Como contribuir para a competitividade de sua empresa.
Como você poderia ajudar Marcelo em sua iniciação à Administração?
Pág: 17Pág: 17
Exercício:
O administrador como agente de mudanças
O administrador deve estar focalizado no futuro para poder
Preparar sua empresa para enfrentar os novos desafios:
• Novas tecnologias
• Novas condições sociais e culturais
• Novos produtos e serviços.
Além disso, o administrador deve :
• Pensar globalmente (ver o mundo) e agir localmente
(atuar na empresa)
• Ter espírito empreendedor
• Aceitar desafios
• Assumir riscos
• Possuir um senso de inconformismo sistemático.
Somente assim, pode conduzir sua empresa para uma
Situação melhor. O que você acha de tudo isso?
Pág: 19Pág: 19
Caso
Brahma e Antarctica Fazem Megafusão:
Surge a Ambev
Brahma:
• Faturamento: R$ 7 bilhões
• Lucro líquido: R$ 329,1 milhões
• Fábricas: 28
• Empregados: 9.700
• Produção cerveja: 4,3 bilhões de L
• Prod. refrigerantes: 1,2 bilhões de L
• Valor de mercado: R$ 7 bilhões.
• Marcas:
Brahma, Malzbier, Miller, Skol,
Caracu e Carlsberg
Pág: 17Pág: 17
Antarctica:
• Faturamento: R$ 3,3 bilhões
• Lucro líquido: R$ 642,1 milhões
• Fábricas: 22
• Empregados: 6.800
• Produção cerveja: 2,1 bilhões de L
• Prod. refrigerantes: 1,2 bilhões de L
• Valor de mercado: R$ 5 bilhões.
• Marcas:
Antarctica, Bavaria, Bohemia,
Budweiser, Kronenbier, Serramalte,
Original, Polar e Niger1
Caso
Brahma e Antarctica Fazem Megafusão:
Objetivos
• Ampliação dos mercados já explorados pelos sócios no Mercosul;
• Antecipar-se à competição provocada pela integração de 34 países
americanos na ALCA, abrindo filiais em toda a América Latina e EUA;
• Se tornar a maior cervejaria do mundo. Para isso, terá de superar a
americana Anheuser-Busch (1o
.), a holandesa Heineken (2o
.) e a
americana Miller (3o
.)
Pág: 17Pág: 17
Caso
Brahma e Antarctica Fazem Megafusão:
Questões:
1. Brahma e Antarctica sempre foram velhas e tradicionais concorrentes.
Por que substituíram a competição agressiva pela associação e
cooperação?
2. Relate as possíveis vantagens e desvantagens da megafusão para cada
uma das empresas envolvidas?
3. No seu ponto de vista, quais os fatores que levaram a essa megafusão?
4. Como ficará a administração da nova companhia em mãos de
tradicionais inimigos que nunca se bicaram?
Pág: 17Pág: 17
PARTE DOIS
OS PRIMÓRDIOS
DA
ADMINISTRAÇÃO
Capítulo 2
Antecedentes
Históricos
da Administração
(Preparando as Condições para
a
Moderna Empresa)
• A influência dos filósofos.
• A influência da organização da Igreja
Católica.
• A influência da organização militar.
• A influência da Revolução Industrial.
• A influência dos economistas liberais.
• A influência dos pioneiros e empreendedores.
A influência dos filósofos
• Na Antiguidade, Sócrates (470 a.C.-399 a.C.) entendia a Administração
como uma habilidade pessoal separada do conhecimento técnico e da
experiência, e via similaridades entre os afazeres públicos e privados.
• Platão, (429 a.C.-347 a.C.) analisou os problemas políticos e sociais e
expôs, em sua obra A República a forma democrática de governo e de
administração dos negócios públicos.
• Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.) deu origem a lógica binária como uma lei
fundamental, o principio da não-contradição: qualquer coisa só pode ser
ela mesma. Além disso, distinguiu as três formas de administração
pública:
- Monarquia ou governo de um só (que pode degenerar em tirania);
- Aristocria ou governo da elite (que pode degenerar em oligarquia);
- Democracia ou governo do povo (que pode degenerar em anarquia).
A influência dos filósofos
• Na Idade Moderna, Francis Bacon (1562-1626), fundador da lógica
moderna, propôs uma teoria do conhecimento científico baseado na
observação e experimentação, dando origem ao “princípio da prevalência
do principal sobre o acessório” ;
• Thomas Hobbes (1588-1679), defendeu o governo absoluto, para impor
a ordem e a organização da vida social, em função da visão pessimista da
humanidade (“o homem é lobo do próprio homem”).
• Jean-Jacques Rousseau (1712-1778), desenvolveu a teoria do Contrato
Social: o Estado surge de um acordo de vontade. “Se o homem é bom e
afável, a vida social o deturpa”.
• Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895), propuseram
uma teoria da origem econômica do Estado: o poder político e do Estado
surgem a partir da exploração econômica do homem pelo homem.
• Rene Descartes (1596-1650), também filósofo, matemático e físico
françês, considerado o fundador da Filosofia Moderna. Foi o criador das
coordenadas cartesianas, que deram grande impulso à Matemática e à
Geometria da época. Sua contribuição na Filosofia deu-se através do livro
O Discurso do Método, onde descreve os principais preceitos (normas) do
seu método filosófico, hoje denominado de "método cartesiano", cujos
príncípios são:
A influência dos filósofos
Os quatro princípios do
Discurso do Método de Descartes:
1. Princípio da Dúvida Sistemática ou da
Evidência:
Neste princípio não se aceita como verdadeira
coisa alguma, enquanto não se souber com
clareza, aquilo que é realmente verdadeiro,
evitando-se a prevenção e a precipitação,
aceitando-se apenas como certo aquilo que seja
evidentemente certo.
1. Princípio da Dúvida Sistemática ou da
Evidência:
Neste princípio não se aceita como verdadeira
coisa alguma, enquanto não se souber com
clareza, aquilo que é realmente verdadeiro,
evitando-se a prevenção e a precipitação,
aceitando-se apenas como certo aquilo que seja
evidentemente certo.
Os quatro princípios do
Discurso do Método de Descartes:
2. Princípio da Análise ou da Decomposição:
Consiste em decompor, dividir o problema ou a
dificuldade em tantas partes quantas sejam
possíveis e necessárias à sua melhor adequação
e solução, e resolvê-las cada uma
separadamente.
2. Princípio da Análise ou da Decomposição:
Consiste em decompor, dividir o problema ou a
dificuldade em tantas partes quantas sejam
possíveis e necessárias à sua melhor adequação
e solução, e resolvê-las cada uma
separadamente.
Os quatro princípios do
Discurso do Método de Descartes:
3. Princípio da Síntese ou da Composição:
Consiste em conduzir ordenadamente os nossos
pensamentos e o nosso raciocínio, começando
pelos objetivos e assuntos mais fáceis e simples
de se conhecer, para passarmos gradativamente
aos mais difíceis.
3. Princípio da Síntese ou da Composição:
Consiste em conduzir ordenadamente os nossos
pensamentos e o nosso raciocínio, começando
pelos objetivos e assuntos mais fáceis e simples
de se conhecer, para passarmos gradativamente
aos mais difíceis.
Os quatro princípios do
Discurso do Método de Descartes:
4. Princípio da Enumeração ou da Verificação:
Consiste em fazer, em tudo, recontagens,
verificações e revisões tão gerais que se fique
seguro de nada haver omitido ou deixado de
lado.
4. Princípio da Enumeração ou da Verificação:
Consiste em fazer, em tudo, recontagens,
verificações e revisões tão gerais que se fique
seguro de nada haver omitido ou deixado de
lado.
Caso Introdutório:
A Metodologia de Gilberto
Gilberto Marcondes é consultor de empresas na área de
Administração. Trabalha em consultoria com a
a seguinte metodologia para cada cliente:
• Colheita de Dados: entrevista os diretores da empresa-cliente
para obter dados a respeito dos seus problemas.
• Análise de Dados: analisa os dados obtidos para dividí-los e
decompô-los para considerar possíveis soluções.
• Síntese dos Dados: conduz ordenadamente as soluções para
os problemas mais fáceis para os mais difíceis.
• Verificação: faz uma revisão geral para não omitir nada.
Quais são seus comentários sobre a metodologia de Gilberto?
Pág: 19Pág: 19
Exercício:
A analista de O&M
Anamaria Montes trabalha como analista de O&M. Seu trabalho
é baseado no seguinte método:
• Duvidar de tudo o que existe na empresa.
• Analisar e decompor todos os processos existentes.
• Sintetizar e recompor tais processos de maneira nova.
• Verificar que nada tenha sido omitido nesse trabalho.
Faça uma correspondência entre o método de trabalho de
Anamaria e o método cartesiano.
Pág: 31Pág: 31
A influência da Igreja Católica
• Ao longo dos séculos, a Igreja Católica estruturou sua organização, com
uma hierarquia de autoridade, um estado-maior (assessoria) e a
coordenação funcional para assegurar integração, sendo operada sob o
comando de um único dirigente: o Papa.
A influência da Organização Militar
• Desde Esparta ou Roma, a organização militar sempre influenciou o
modo de vida das organizações. A organização linear, o princípio da
unidade de comando, a hierarquia, o princípio da direção, a centralização
de comando e a descentralização de execução
Exercício:
A inspiração de Armando
Armando de Souza é um administrador inovador. Na empresa
Que dirige implantou:
• Uma hierarquia de autoridade (diretores, gerentes
e funcionários.
• Uma assessoria (especialistas em direito, contabilidade,
propaganda, pessoal).
• Uma coordenação funcional para entrosamento das atividades.
Na verdade, será que Armando é realmente inovador?
De onde Armando tirou essas idéias?
Pág: 33Pág: 33
Características da Primeira Revolução Industrial:
(1780 – 1860)
1. Mecanização da indústria e da agricultura: Tear hidráulico e
mecânico, o descaroçador de algodão.
2. Aplicação da força motriz à indústria: Oficinas em fábricas.
3. Desenvolvimento do sistema fabril: Os artesãos e oficinas dão
lugar aos operários, as fábricas e as usinas baseadas na divisão
do trabalho.
4. Espetacular crescimento dos transportes e das comunicações:
Navegação a vapor, locomotiva a vapor, telégrafo elétrico,
telefone
• Substituição do ferro pelo aço.
• Substituição do vapor pela eletricidade.
• Desenvolvimento de máquinas automáticas.
• Especialização do operário.
• Crescente domínio da indústria pela ciência.
• Transformações nos transportes e nas comunicações.
• Novas formas de organização capitalista.
• Expansão da industrialização.
Características da Segunda Revolução Industrial:
(1860 – 1914)
Exercício:
A defesa de Eliana
Eliana Almeida não se conformava. Todos dizem que a empresa
que ela dirigia – a Dinosaurius – estava vivendo ainda em
plena era da Revolução Industrial.
Alguns acham que ela ainda não tinha saído da
1a. Revolução Industrial.
Eliana achava incrível receber menções desse tipo.
Como você agiria no lugar de Eliana?
Pág: 36Pág: 36
Características do início do século 20:
1. Desenvolvimento tecnológico.
2. Livre-comércio.
3. Mudança dos mercados vendedores para mercados
compradores.
4. Aumento da capacidade de investimento industrial.
5. Rapidez do ritmo de mudança tecnológica e redução de
custos de produção
6. Crescimento dos negócios e das empresas.
1. Desenvolvimento tecnológico.
2. Livre-comércio.
3. Mudança dos mercados vendedores para mercados
compradores.
4. Aumento da capacidade de investimento industrial.
5. Rapidez do ritmo de mudança tecnológica e redução de
custos de produção
6. Crescimento dos negócios e das empresas.
Caso Introdutório:
A Metodologia de Gilberto
Gilberto se considera um consultor de empresas bem-sucedido.
acha que seu sucesso profissional depende diretamente da
metodologia que utiliza para coletar dados a respeito de
suas empresas-clientes.
Para ele, o Diagnóstico Organizacional é mais importante
que a Terapêutica Organizacional
Você acha que Gilberto tem razão? Explique.
Pág: 38Pág: 38
Exercício:
A estratégia da Regência Sapatos
A Regência Sapatos é uma empresa que deseja ser competitiva.
Hélio Santos, o diretor de Marketing está indeciso entre imprimir
uma estratégia de integração vertical (desde a produção das
matérias-primas até o produto acabado) ou
uma estratégia de integração horizontal (produzir para uma
ampla cadeia de lojas próprias distribuídas em todo o
território nacional).
Contudo, Hélio precisa definir o assunto com o presidente da
companhia. No lugar de Hélio, quais seriam seus argumentos
prós e contras para as duas estratégias?
Pág: 40Pág: 40
Caso
As Empresas Mais Admiradas do Mundo
1. Qualidade geral da Administração.
2. Qualidade dos produtos ou serviços.
3. Criatividade e inovação.
4. Valor como um investimento a longo prazo.
5. Força financeira.
6. Responsabilidade social diante da comunidade e do ambiente.
7. Uso amplo dos ativos corporativos.
8. Capacidade de atrair e manter pessoas talentosas.
9. Papel eficaz na globalização dos negócios.
Pág: 42Pág: 42
A cada ano, a revista Fortune, em parceria com o Hay Group,
elabora uma lista das empresas mais admiradas do mundo.
São empresas de classe mundial, as grandes estrelas do
universo de negócios. A seleção das empresas se baseia nos
seguintes critérios ou atributos:
1. General Electric Equipamento elétrico e eletrônico
2. Coca-Cola Bebidas
3. Microsoft Computadores
4. Walt Disney Entretenimento
5. Intel Computadores
6. Hewlett-Packard Computadores
7. Berkshire Hathaway Seguros e atividades financeiras
8. Pfizer Farmacêutica
9. Sony Equipamento elétrico e eletrônico
10. Dell Computer Computadores
11. Toyota Motor Automóveis
12. Merck Farmacêutica
13. Southwest Airlines Aviação
14. Johnson & Johnson Farmacêutica
15. Procter & Gamble Sabonetes e cosméticos
16. Gillette Sabonetes e cosméticos
17. Citicorp Banco comercial
18. Merrill Lynch Seguros e atividades financeiras
19. ABB Asea Brown Boveri Equipamento elétrico e eletrônico
20. Daimler-Benz Automóveis
21. Caterpillar Equipamento industrial e agrícola
22. AT&T American Telephone & Telegraph Telecomunicações
23. British Airways Aviação
24. IBM International Machine Business Computadores
25. Boeing Aeroespacial
As empresas mais admiradas do mundo:
www.chiavenato.com
www.elsevier.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de Pessoas
Gestão de PessoasGestão de Pessoas
Gestão de PessoasLuis Cunha
 
Funções da Administração
Funções da AdministraçãoFunções da Administração
Funções da AdministraçãoDivino Fredson
 
Introdução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da AdministraçãoIntrodução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da AdministraçãoRubens Vinicius Conte
 
Administraçao Científica (Taylorismo)
Administraçao Científica (Taylorismo)Administraçao Científica (Taylorismo)
Administraçao Científica (Taylorismo)admetz01
 
Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1Andrey Martins
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controleRodrigo Ribeiro
 
Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1Cariocabear
 
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Gustavo Zimmermann
 
Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administraçãoalemartins10
 
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...Eder Nogueira
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoMarcos Alves
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégiaalemartins10
 
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10Wandick Rocha de Aquino
 
Primordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentaçãoPrimordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentaçãocalinesa
 
Aula 4 adm administração clássica
Aula 4 adm   administração clássicaAula 4 adm   administração clássica
Aula 4 adm administração clássicaPMY TECNOLOGIA LTDA
 

Mais procurados (20)

Gestão de Pessoas
Gestão de PessoasGestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
Teoria Neoclássica
Teoria NeoclássicaTeoria Neoclássica
Teoria Neoclássica
 
Funções da Administração
Funções da AdministraçãoFunções da Administração
Funções da Administração
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
 
Introdução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da AdministraçãoIntrodução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da Administração
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
 
Administraçao Científica (Taylorismo)
Administraçao Científica (Taylorismo)Administraçao Científica (Taylorismo)
Administraçao Científica (Taylorismo)
 
Aula de tga
Aula de tgaAula de tga
Aula de tga
 
Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controle
 
Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1
 
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
Noções de Administração: Funções da Administração (aula 1)
 
Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
 
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
Abordagem humanística da administração e decorrências da teoria das relações ...
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- Introdução
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégia
 
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
Práticas de Recursos Humanos - Aula 1 a 10
 
Primordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentaçãoPrimordios da administração apresentação
Primordios da administração apresentação
 
Administração científica 2012_01
Administração científica 2012_01Administração científica 2012_01
Administração científica 2012_01
 
Aula 4 adm administração clássica
Aula 4 adm   administração clássicaAula 4 adm   administração clássica
Aula 4 adm administração clássica
 

Destaque

Aula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da AdministraçãoAula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da AdministraçãoPMY TECNOLOGIA LTDA
 
Antecedentes históricos da administração
Antecedentes históricos da administraçãoAntecedentes históricos da administração
Antecedentes históricos da administraçãoSérgio Oliveira
 
Formula do Habibs
Formula do HabibsFormula do Habibs
Formula do HabibsChris x-MS
 
Exercícios de modelos e estrururas industriais
Exercícios de modelos e estrururas industriaisExercícios de modelos e estrururas industriais
Exercícios de modelos e estrururas industriaisDeibe Valgas
 
Palestra: O Case Masa - Ulisses Tapajós
Palestra: O Case Masa - Ulisses TapajósPalestra: O Case Masa - Ulisses Tapajós
Palestra: O Case Masa - Ulisses TapajósExpoGestão
 
Anexo apostilha adm.2
Anexo apostilha adm.2Anexo apostilha adm.2
Anexo apostilha adm.2angelo nagahy
 
Questões multipla escolha diferenciação
Questões multipla escolha  diferenciaçãoQuestões multipla escolha  diferenciação
Questões multipla escolha diferenciaçãoMoises Ribeiro
 
Histórico resumido da grécia antiga
Histórico resumido da grécia antigaHistórico resumido da grécia antiga
Histórico resumido da grécia antigaFátima da História
 
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012Elisa Maria Gomide
 
Aula 6 adm estr 2014va
Aula 6   adm estr 2014vaAula 6   adm estr 2014va
Aula 6 adm estr 2014vakatiagomide
 
A influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administraçãoA influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administraçãoMarcioveras
 
Princípios de administração na igreja
Princípios de administração na igrejaPrincípios de administração na igreja
Princípios de administração na igrejaClaudinei Dias
 

Destaque (20)

Casos1
Casos1Casos1
Casos1
 
Aula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da AdministraçãoAula 2 adm - Primórdios da Administração
Aula 2 adm - Primórdios da Administração
 
Precedentes Administração
Precedentes AdministraçãoPrecedentes Administração
Precedentes Administração
 
Antecedentes históricos da administração
Antecedentes históricos da administraçãoAntecedentes históricos da administração
Antecedentes históricos da administração
 
Formula do Habibs
Formula do HabibsFormula do Habibs
Formula do Habibs
 
Exercícios de modelos e estrururas industriais
Exercícios de modelos e estrururas industriaisExercícios de modelos e estrururas industriais
Exercícios de modelos e estrururas industriais
 
Palestra: O Case Masa - Ulisses Tapajós
Palestra: O Case Masa - Ulisses TapajósPalestra: O Case Masa - Ulisses Tapajós
Palestra: O Case Masa - Ulisses Tapajós
 
Teoria da administração
Teoria da administraçãoTeoria da administração
Teoria da administração
 
Anexo apostilha adm.2
Anexo apostilha adm.2Anexo apostilha adm.2
Anexo apostilha adm.2
 
Questões multipla escolha diferenciação
Questões multipla escolha  diferenciaçãoQuestões multipla escolha  diferenciação
Questões multipla escolha diferenciação
 
Habib’s: uma empresa líder
Habib’s: uma empresa líderHabib’s: uma empresa líder
Habib’s: uma empresa líder
 
Habibs
HabibsHabibs
Habibs
 
Histórico resumido da grécia antiga
Histórico resumido da grécia antigaHistórico resumido da grécia antiga
Histórico resumido da grécia antiga
 
Material 41dab8bdce
Material 41dab8bdceMaterial 41dab8bdce
Material 41dab8bdce
 
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
 
Ic Na02
Ic Na02Ic Na02
Ic Na02
 
Aula 6 adm estr 2014va
Aula 6   adm estr 2014vaAula 6   adm estr 2014va
Aula 6 adm estr 2014va
 
Linha Histórica da Administração
Linha Histórica da AdministraçãoLinha Histórica da Administração
Linha Histórica da Administração
 
A influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administraçãoA influência da igreja católica na administração
A influência da igreja católica na administração
 
Princípios de administração na igreja
Princípios de administração na igrejaPrincípios de administração na igreja
Princípios de administração na igreja
 

Semelhante a Teoria Geral da Administração

Apostila administracao
Apostila administracaoApostila administracao
Apostila administracaoThiago Lages
 
Gestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciarGestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciarHenrique Imbertti Jr.
 
Atps tecnologias de gestão
Atps tecnologias de gestãoAtps tecnologias de gestão
Atps tecnologias de gestão55556681
 
06 admg - carlos xavier - anatel
06   admg - carlos xavier - anatel06   admg - carlos xavier - anatel
06 admg - carlos xavier - anatelEster Almeida
 
Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI
Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI
Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI Impacta Eventos
 
Apostila de administração_pública
Apostila de administração_públicaApostila de administração_pública
Apostila de administração_públicaArilsonLeao
 
Aula 01 impressa introdução a administração
Aula 01 impressa  introdução a administraçãoAula 01 impressa  introdução a administração
Aula 01 impressa introdução a administraçãoLeonardo Bueno Teixeira
 
Aula 3 - EaD - Conceito de Administração.ppt
Aula 3 - EaD - Conceito de Administração.pptAula 3 - EaD - Conceito de Administração.ppt
Aula 3 - EaD - Conceito de Administração.pptAntonioCarlosMarques20
 
Atps adm competencias_profissionais
Atps adm competencias_profissionaisAtps adm competencias_profissionais
Atps adm competencias_profissionaisLena Meneses
 
Cadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddi
Cadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddiCadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddi
Cadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddidrifrutal
 
Teoria Geral da Administração Chiavenato.pdf
Teoria Geral da Administração Chiavenato.pdfTeoria Geral da Administração Chiavenato.pdf
Teoria Geral da Administração Chiavenato.pdfLuizFelipe925640
 
Apostila de administração pública pg8
Apostila de administração pública pg8Apostila de administração pública pg8
Apostila de administração pública pg8kisb1337
 

Semelhante a Teoria Geral da Administração (20)

Apostila administracao
Apostila administracaoApostila administracao
Apostila administracao
 
Gestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciarGestão Agile: como introduzir e influenciar
Gestão Agile: como introduzir e influenciar
 
TGA
TGATGA
TGA
 
Atps tecnologias de gestão
Atps tecnologias de gestãoAtps tecnologias de gestão
Atps tecnologias de gestão
 
TDC Recife 2020: Potencialize seu Negócio com atividades de formação e desenv...
TDC Recife 2020: Potencialize seu Negócio com atividades de formação e desenv...TDC Recife 2020: Potencialize seu Negócio com atividades de formação e desenv...
TDC Recife 2020: Potencialize seu Negócio com atividades de formação e desenv...
 
06 admg - carlos xavier - anatel
06   admg - carlos xavier - anatel06   admg - carlos xavier - anatel
06 admg - carlos xavier - anatel
 
Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI
Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI
Os desafios estratégicos dos executivos no século XXI
 
Aula Mundo dos Negócios
Aula Mundo dos NegóciosAula Mundo dos Negócios
Aula Mundo dos Negócios
 
1.adm geral
1.adm geral1.adm geral
1.adm geral
 
óTima...
óTima...óTima...
óTima...
 
Semana Agilidade em Angola: Potencialize seu Negócio com atividades de formaç...
Semana Agilidade em Angola: Potencialize seu Negócio com atividades de formaç...Semana Agilidade em Angola: Potencialize seu Negócio com atividades de formaç...
Semana Agilidade em Angola: Potencialize seu Negócio com atividades de formaç...
 
Apostila de administração_pública
Apostila de administração_públicaApostila de administração_pública
Apostila de administração_pública
 
T g a_2_a01
T g a_2_a01T g a_2_a01
T g a_2_a01
 
Aula 01 impressa introdução a administração
Aula 01 impressa  introdução a administraçãoAula 01 impressa  introdução a administração
Aula 01 impressa introdução a administração
 
Aula 3 - EaD - Conceito de Administração.ppt
Aula 3 - EaD - Conceito de Administração.pptAula 3 - EaD - Conceito de Administração.ppt
Aula 3 - EaD - Conceito de Administração.ppt
 
Agile Bee Experience 2021: Team Building Potencialize seu Negócio com ativida...
Agile Bee Experience 2021: Team Building Potencialize seu Negócio com ativida...Agile Bee Experience 2021: Team Building Potencialize seu Negócio com ativida...
Agile Bee Experience 2021: Team Building Potencialize seu Negócio com ativida...
 
Atps adm competencias_profissionais
Atps adm competencias_profissionaisAtps adm competencias_profissionais
Atps adm competencias_profissionais
 
Cadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddi
Cadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddiCadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddi
Cadernode rh desenvolvimentodehabilidadesgerenciaisrddi
 
Teoria Geral da Administração Chiavenato.pdf
Teoria Geral da Administração Chiavenato.pdfTeoria Geral da Administração Chiavenato.pdf
Teoria Geral da Administração Chiavenato.pdf
 
Apostila de administração pública pg8
Apostila de administração pública pg8Apostila de administração pública pg8
Apostila de administração pública pg8
 

Mais de Jean Leão

Administração científica e teoria clássica da administração
Administração científica e teoria clássica da administraçãoAdministração científica e teoria clássica da administração
Administração científica e teoria clássica da administraçãoJean Leão
 
Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental
Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental
Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental Jean Leão
 
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGASistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGAJean Leão
 
Sistema de esgostamento sanitário
Sistema de esgostamento sanitárioSistema de esgostamento sanitário
Sistema de esgostamento sanitárioJean Leão
 
Aula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem AmbientalAula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem AmbientalJean Leão
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambientalJean Leão
 
O que é Água?
O que é Água?O que é Água?
O que é Água?Jean Leão
 
Qualidade e paramentros -
Qualidade e paramentros - Qualidade e paramentros -
Qualidade e paramentros - Jean Leão
 
Bioma Caatinga
Bioma CaatingaBioma Caatinga
Bioma CaatingaJean Leão
 
Bioma Mata Atlantica
Bioma Mata AtlanticaBioma Mata Atlantica
Bioma Mata AtlanticaJean Leão
 
Bioma Pantanal
Bioma PantanalBioma Pantanal
Bioma PantanalJean Leão
 
Trabalho de Ecologia - Bioma Pampa
Trabalho de Ecologia - Bioma PampaTrabalho de Ecologia - Bioma Pampa
Trabalho de Ecologia - Bioma PampaJean Leão
 

Mais de Jean Leão (12)

Administração científica e teoria clássica da administração
Administração científica e teoria clássica da administraçãoAdministração científica e teoria clássica da administração
Administração científica e teoria clássica da administração
 
Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental
Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental
Proposta Acadêmica de melhoramento ambiental
 
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGASistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
 
Sistema de esgostamento sanitário
Sistema de esgostamento sanitárioSistema de esgostamento sanitário
Sistema de esgostamento sanitário
 
Aula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem AmbientalAula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem Ambiental
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
O que é Água?
O que é Água?O que é Água?
O que é Água?
 
Qualidade e paramentros -
Qualidade e paramentros - Qualidade e paramentros -
Qualidade e paramentros -
 
Bioma Caatinga
Bioma CaatingaBioma Caatinga
Bioma Caatinga
 
Bioma Mata Atlantica
Bioma Mata AtlanticaBioma Mata Atlantica
Bioma Mata Atlantica
 
Bioma Pantanal
Bioma PantanalBioma Pantanal
Bioma Pantanal
 
Trabalho de Ecologia - Bioma Pampa
Trabalho de Ecologia - Bioma PampaTrabalho de Ecologia - Bioma Pampa
Trabalho de Ecologia - Bioma Pampa
 

Último

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 

Teoria Geral da Administração

  • 1. Idalberto Chiavenato INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO Elsevier/Campus www.elsevier.com.br www.chiavenato.com
  • 2. SUMÁRIO RESUMIDOPARTE 1: INTRODUÇÃO À TGA PARTE 2: OS PRIMÓRDIOS DA ADMINISTRAÇÃO PARTE 3: ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO PARTE 4: ABORDAGEM HUMANÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO PARTE 5: ABORDAGEM NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO PARTE 6: ABORDAGEM ESTRUTURALISTA DA ADMINISTRAÇÃO PARTE 7: ABORDAGEM COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAÇÃO PARTE 8: ABORDAGEM SISTÊMICA DA ADMINISTRAÇÃO
  • 3. PARTE UM INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO
  • 4. Habilidades Conceituais (Idéias e conceitos abstratos) Habilidades Humanas (Relacionamento Interpessoal) Habilidades Técnicas (Manuseio de coisas físicas) Nível Institucional Nível Intermediário Nível Operacional Execução das Operações Fazer e executar Alta Direção Gerência Supervisão Fig. I1.1. As três Habilidades do Administrador
  • 5. ConhecimentoConhecimento PerspectivaPerspectiva AtitudeAtitude Saber. Know-how. Informação. Atualização profissional. Reciclagem constante. Saber fazer. Visão pessoal das coisas. Maneira prática de aplicar o conhecimento na solução de problemas e situações. Saber fazer acontecer. Comportamento ativo e proativo. Ênfase na ação e no fazer acontecer. Espírito empreendedor e de equipe. Liderança e comunicação. Fig. I.2. As Competências Duráveis do Administrador
  • 6. + = Habilidades Conceituais Habilidades Humanas Habilidades Técnicas Conhecimento (Saber) Perspectiva (Saber Fazer) Atitude (Saber Fazer Acontecer) Sucesso Profissional Figura I.3. As Competências Pessoais do Administrador
  • 7. Papéis Interpessoais Papéis Informacionais Papéis Decisórios Como o administrador interage: * Representação * Líderança * Ligação Como o administrador intercambia e processa a informação: * Monitoração * Disseminação * Porta voz Como o administrador utiliza a informação nas suas decisões: * Empreendedor * Solução de conflitos * Alocação de recursos * Negociação Figura I.5. Os Dez Papéis do Administrador:
  • 8. Interpessoal Representação Assume deveres cerimoniais e simbólicos, representa a organização, acompanha visitantes, assina documentos legais Dirige e motiva pessoas, treina, aconselha, orienta e se comunica com os subordinados Categoria Papel do Administrador Atividade Disseminação Monitoração Ligação Liderança Mantém redes de comunicação dentro e fora da organização, usa malotes, telefonemas e reuniões Manda e recebe informação, lê revistas e relatórios, mantém contatos pessoais Envia informação para os membros de outras organizações, envia memorandos e relatórios, telefonemas e contatos Porta-voz Transmite informações para pessoas de fóra, através de conversas, relatórios e memorandos Empreende Inicia projetos, identifica novas idéias, assume riscos, delega responsabilidades de idéias para outros Toma ação corretiva em disputas ou crises, resolve conflitos entre subordinados, adapta o grupo a crises e a mudanças Decide a quem atribuir recursos. Programa, orça e estabelece prioridades Representa os interesses da organização em negociações com sindicatos, em vendas, compras ou financiamentos Resolve conflitos Alocação de recursos Negociação Informacional Decisorial
  • 9. Capítulo 1 A Administração e suas Perspectivas (Delineando o Papel da Administração) • Conteúdo e Estudo da Administração • O Estado Atual da Teoria Geral da Administração • A Administração na Sociedade Moderna • Perspectivas Futuras da Administração
  • 10. Caso Introdutório: A Promoção de Marcelo Marcelo Gonçalves é um engenheiro bem-sucedido e foi promovido a Gerente do Departamento de Novos Produtos da EletroMecânica Paraíso. Está feliz, mas preocupado. Sempre trabalhou com coisas concretas e medidas exatas: novos produtos, especificações, protótipos, etc. Nunca lidou com situações abstratas e nem com pessoas. Agora lida com uma equipe de 30 funcionários. Sua maneira lógica, matemática e quantitativa deve ser substituída por uma maneira abrangente, flexível, psicológica e humana. Marcelo não tem a menor idéia sobre como gerir o departamento, nem como conduzir sua equipe. Por onde Marcelo deveria começar? Pág: 09Pág: 09
  • 11. Exercício: Habilidades do Administrador Márcia trabalha na Intertech há dois anos. Em uma reunião da Diretoria, ficou sabendo de sua futura promoção a Gerente do Departamento Financeiro da Intertech. A primeira preocupação de Márcia foi: Estou realmente preparada para assumir o novo cargo? Quais as habilidades que deverei possuir para enfrentar os novos desafios da função? Como deveria ser uma administradora competente? Pág: 10Pág: 10
  • 12. Exercício: As Dificuldades de Roberto Roberto é um excelente profissional, responsável e admirado por seus conhecimentos técnicos. Depois de diplomar-se em Administração, Roberto não parou mais de estudar e tentar aplicar seus conhecimentos. Sabe melhor do que ninguém equacionar os problemas e definir soluções. Sua dificuldade maior é lidar com pessoas: não sabe explicar nem treinar ou argumentar, tampouco tem paciência com os subordinados. Apesar de seu excelente preparo técnico, Roberto não consegue progredir na empresa. Quer ser promovido a gerente de equipe, mas fica sempre na fila de espera. O que está acontecendo com Roberto? Pág: 11Pág: 11
  • 13. ÊNFASE TEORIAS ADMINISTRATIVAS PRINCIPAIS ENFOQUES Tarefas Administração Científica Racionalização do trabalho no nível operacional. Estrutura Teoria Clássica Teoria Neoclássica Organização formal. Princípios gerais da Administração. Funções do administrador. Teoria da Burocracia Organização formal burocrática. Racionalidade organizacional. Teoria Estruturalista Múltipla abordagem: Organização formal e informal.  Análise intra-organizacional e interorganizacional.  Pessoas Teoria das Relações Humanas Organização informal. Motivação, liderança, comunicações e dinâmica de grupo. Teoria do Comportamento Organizacional Estilos de Administração. Teoria das Decisões. Integração dos objetivos organizacionais e individuais Desenvolvimento Organizacional Mudança organizacional planejada. Abordagem de sistema aberto. Ambiente Teoria Estruturalista Análise intra-organizacional e análise ambiental. Abordagem de sistema aberto. Teoria da Contingência Análise ambiental (imperativo ambiental). Abordagem de sistema aberto. Tecnologia Teoria da Contingência Análise ambiental (imperativo ambiental). Abordagem de sistema aberto. Competitividade Novas Abordagens na Administração Caos e complexidade Aprendizagem organizacional. Capital Intelectual
  • 14. Anos: Teorias: ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 1903 --------------------------------------------- Administração Científica 1909 ------------------------------------------  Teoria da Burocracia 1916 ---------------------------------------- Teoria Clássica 1932 -------------------------------------  Teoria das Relações Humanas 1947 ----------------------------------- Teoria Estruturalista 1951 ------------------------------- - Teoria dos Sistemas 1953 ------------------------------ Abordagem Sociotécnica 1954 ---------------------------- Teoria Neoclássica 1957 ---------------------- Teoria Comportamental 1962 -------------------  Desenvolvimento Organizacional 1972 ----------------- Teoria da Contingência 1990 --------------- Novas Abordagens Figura 1.1. As Principais Teorias da Administração:
  • 16. Exercício: A focalização na Alpha & Beta Rita Bastos acabara de assumir um importante cargo na Alpha & Beta, uma empresa no ramo de produtos educacionais. Aprendera que as teorias administrativas se centram em seis variáveis básicas: •Tarefas •Estrutura •Pessoas •Tecnologia •Ambiente •Competitividade. Ela queria trabalhar envolvendo todas essas variáveis em uma focalização equilibrada, mesmo sabendo que as pessoas têm primazia sobre todas as demais. Como você procederia no lugar de Rita? Pág: 13Pág: 13
  • 17. 1. Mudanças rápidas e inesperadas no mundo dos negócios, principalmente no campo do conhecimento e da tecnologia; 2. Crescimento e expansão das organizações; 3. Atividades que exigem pessoas de competências diversas e especializadas. 1. Mudanças rápidas e inesperadas no mundo dos negócios, principalmente no campo do conhecimento e da tecnologia; 2. Crescimento e expansão das organizações; 3. Atividades que exigem pessoas de competências diversas e especializadas. As Perspectivas Futuras:
  • 18. Os impactos futuros sobre as organizações: 1. Crescimento das organizações. 2. Concorrência mais aguda. 3. Sofisticação da tecnologia. 4. Taxas mais altas de inflação. 5. Globalização da economia e internacionalização dos negócios. 6. Visibilidade maior das organizações. 1. Crescimento das organizações. 2. Concorrência mais aguda. 3. Sofisticação da tecnologia. 4. Taxas mais altas de inflação. 5. Globalização da economia e internacionalização dos negócios. 6. Visibilidade maior das organizações.
  • 19. Sociedade industrial Tecnologia simples Economia nacional Curto prazo Democracia representativa Hierarquia Opção dual ou binária Centralização Ajuda institucional Sociedade industrial Tecnologia simples Economia nacional Curto prazo Democracia representativa Hierarquia Opção dual ou binária Centralização Ajuda institucional Sociedade da informação Tecnologia sofisticada Economia mundial Longo prazo Democracia participativa Comunicação lateral Opção múltipla Descentralização Auto-ajuda Sociedade da informação Tecnologia sofisticada Economia mundial Longo prazo Democracia participativa Comunicação lateral Opção múltipla Descentralização Auto-ajuda Inovação e mudança Maior eficiência Globalização e competitividade Visão do negócio e do futuro Pluralismo e participação Democratização e visibilidade Visão sistêmica e contingencial Incerteza e imprevisibilidade Autonomia e serviços diferenciados Inovação e mudança Maior eficiência Globalização e competitividade Visão do negócio e do futuro Pluralismo e participação Democratização e visibilidade Visão sistêmica e contingencial Incerteza e imprevisibilidade Autonomia e serviços diferenciados De: Para: Alteração: As Megatendências:
  • 20. Caso Introdutório: A Promoção de Marcelo Marcelo Gonçalves refletiu bastante sobre sua recente promoção ao cargo de Gerente do Departamento de Novos Produtos. O que deveria fazer para começar bem? Suas principais dúvidas estão relacionadas com os seguintes desafios: • Quais as tarefas a serem desenvolvidas pelo Departamento? • Qual a estrutura e a distribuição de cargos. • Como deveria lidar com os subordinados. • Quais as tecnologias que deveria utilizar. • Qual o contexto ambiental de sua atividade. • Como contribuir para a competitividade de sua empresa. Como você poderia ajudar Marcelo em sua iniciação à Administração? Pág: 17Pág: 17
  • 21. Exercício: O administrador como agente de mudanças O administrador deve estar focalizado no futuro para poder Preparar sua empresa para enfrentar os novos desafios: • Novas tecnologias • Novas condições sociais e culturais • Novos produtos e serviços. Além disso, o administrador deve : • Pensar globalmente (ver o mundo) e agir localmente (atuar na empresa) • Ter espírito empreendedor • Aceitar desafios • Assumir riscos • Possuir um senso de inconformismo sistemático. Somente assim, pode conduzir sua empresa para uma Situação melhor. O que você acha de tudo isso? Pág: 19Pág: 19
  • 22. Caso Brahma e Antarctica Fazem Megafusão: Surge a Ambev Brahma: • Faturamento: R$ 7 bilhões • Lucro líquido: R$ 329,1 milhões • Fábricas: 28 • Empregados: 9.700 • Produção cerveja: 4,3 bilhões de L • Prod. refrigerantes: 1,2 bilhões de L • Valor de mercado: R$ 7 bilhões. • Marcas: Brahma, Malzbier, Miller, Skol, Caracu e Carlsberg Pág: 17Pág: 17 Antarctica: • Faturamento: R$ 3,3 bilhões • Lucro líquido: R$ 642,1 milhões • Fábricas: 22 • Empregados: 6.800 • Produção cerveja: 2,1 bilhões de L • Prod. refrigerantes: 1,2 bilhões de L • Valor de mercado: R$ 5 bilhões. • Marcas: Antarctica, Bavaria, Bohemia, Budweiser, Kronenbier, Serramalte, Original, Polar e Niger1
  • 23. Caso Brahma e Antarctica Fazem Megafusão: Objetivos • Ampliação dos mercados já explorados pelos sócios no Mercosul; • Antecipar-se à competição provocada pela integração de 34 países americanos na ALCA, abrindo filiais em toda a América Latina e EUA; • Se tornar a maior cervejaria do mundo. Para isso, terá de superar a americana Anheuser-Busch (1o .), a holandesa Heineken (2o .) e a americana Miller (3o .) Pág: 17Pág: 17
  • 24. Caso Brahma e Antarctica Fazem Megafusão: Questões: 1. Brahma e Antarctica sempre foram velhas e tradicionais concorrentes. Por que substituíram a competição agressiva pela associação e cooperação? 2. Relate as possíveis vantagens e desvantagens da megafusão para cada uma das empresas envolvidas? 3. No seu ponto de vista, quais os fatores que levaram a essa megafusão? 4. Como ficará a administração da nova companhia em mãos de tradicionais inimigos que nunca se bicaram? Pág: 17Pág: 17
  • 26. Capítulo 2 Antecedentes Históricos da Administração (Preparando as Condições para a Moderna Empresa) • A influência dos filósofos. • A influência da organização da Igreja Católica. • A influência da organização militar. • A influência da Revolução Industrial. • A influência dos economistas liberais. • A influência dos pioneiros e empreendedores.
  • 27. A influência dos filósofos • Na Antiguidade, Sócrates (470 a.C.-399 a.C.) entendia a Administração como uma habilidade pessoal separada do conhecimento técnico e da experiência, e via similaridades entre os afazeres públicos e privados. • Platão, (429 a.C.-347 a.C.) analisou os problemas políticos e sociais e expôs, em sua obra A República a forma democrática de governo e de administração dos negócios públicos. • Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.) deu origem a lógica binária como uma lei fundamental, o principio da não-contradição: qualquer coisa só pode ser ela mesma. Além disso, distinguiu as três formas de administração pública: - Monarquia ou governo de um só (que pode degenerar em tirania); - Aristocria ou governo da elite (que pode degenerar em oligarquia); - Democracia ou governo do povo (que pode degenerar em anarquia).
  • 28. A influência dos filósofos • Na Idade Moderna, Francis Bacon (1562-1626), fundador da lógica moderna, propôs uma teoria do conhecimento científico baseado na observação e experimentação, dando origem ao “princípio da prevalência do principal sobre o acessório” ; • Thomas Hobbes (1588-1679), defendeu o governo absoluto, para impor a ordem e a organização da vida social, em função da visão pessimista da humanidade (“o homem é lobo do próprio homem”). • Jean-Jacques Rousseau (1712-1778), desenvolveu a teoria do Contrato Social: o Estado surge de um acordo de vontade. “Se o homem é bom e afável, a vida social o deturpa”. • Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895), propuseram uma teoria da origem econômica do Estado: o poder político e do Estado surgem a partir da exploração econômica do homem pelo homem.
  • 29. • Rene Descartes (1596-1650), também filósofo, matemático e físico françês, considerado o fundador da Filosofia Moderna. Foi o criador das coordenadas cartesianas, que deram grande impulso à Matemática e à Geometria da época. Sua contribuição na Filosofia deu-se através do livro O Discurso do Método, onde descreve os principais preceitos (normas) do seu método filosófico, hoje denominado de "método cartesiano", cujos príncípios são: A influência dos filósofos
  • 30. Os quatro princípios do Discurso do Método de Descartes: 1. Princípio da Dúvida Sistemática ou da Evidência: Neste princípio não se aceita como verdadeira coisa alguma, enquanto não se souber com clareza, aquilo que é realmente verdadeiro, evitando-se a prevenção e a precipitação, aceitando-se apenas como certo aquilo que seja evidentemente certo. 1. Princípio da Dúvida Sistemática ou da Evidência: Neste princípio não se aceita como verdadeira coisa alguma, enquanto não se souber com clareza, aquilo que é realmente verdadeiro, evitando-se a prevenção e a precipitação, aceitando-se apenas como certo aquilo que seja evidentemente certo.
  • 31. Os quatro princípios do Discurso do Método de Descartes: 2. Princípio da Análise ou da Decomposição: Consiste em decompor, dividir o problema ou a dificuldade em tantas partes quantas sejam possíveis e necessárias à sua melhor adequação e solução, e resolvê-las cada uma separadamente. 2. Princípio da Análise ou da Decomposição: Consiste em decompor, dividir o problema ou a dificuldade em tantas partes quantas sejam possíveis e necessárias à sua melhor adequação e solução, e resolvê-las cada uma separadamente.
  • 32. Os quatro princípios do Discurso do Método de Descartes: 3. Princípio da Síntese ou da Composição: Consiste em conduzir ordenadamente os nossos pensamentos e o nosso raciocínio, começando pelos objetivos e assuntos mais fáceis e simples de se conhecer, para passarmos gradativamente aos mais difíceis. 3. Princípio da Síntese ou da Composição: Consiste em conduzir ordenadamente os nossos pensamentos e o nosso raciocínio, começando pelos objetivos e assuntos mais fáceis e simples de se conhecer, para passarmos gradativamente aos mais difíceis.
  • 33. Os quatro princípios do Discurso do Método de Descartes: 4. Princípio da Enumeração ou da Verificação: Consiste em fazer, em tudo, recontagens, verificações e revisões tão gerais que se fique seguro de nada haver omitido ou deixado de lado. 4. Princípio da Enumeração ou da Verificação: Consiste em fazer, em tudo, recontagens, verificações e revisões tão gerais que se fique seguro de nada haver omitido ou deixado de lado.
  • 34. Caso Introdutório: A Metodologia de Gilberto Gilberto Marcondes é consultor de empresas na área de Administração. Trabalha em consultoria com a a seguinte metodologia para cada cliente: • Colheita de Dados: entrevista os diretores da empresa-cliente para obter dados a respeito dos seus problemas. • Análise de Dados: analisa os dados obtidos para dividí-los e decompô-los para considerar possíveis soluções. • Síntese dos Dados: conduz ordenadamente as soluções para os problemas mais fáceis para os mais difíceis. • Verificação: faz uma revisão geral para não omitir nada. Quais são seus comentários sobre a metodologia de Gilberto? Pág: 19Pág: 19
  • 35. Exercício: A analista de O&M Anamaria Montes trabalha como analista de O&M. Seu trabalho é baseado no seguinte método: • Duvidar de tudo o que existe na empresa. • Analisar e decompor todos os processos existentes. • Sintetizar e recompor tais processos de maneira nova. • Verificar que nada tenha sido omitido nesse trabalho. Faça uma correspondência entre o método de trabalho de Anamaria e o método cartesiano. Pág: 31Pág: 31
  • 36. A influência da Igreja Católica • Ao longo dos séculos, a Igreja Católica estruturou sua organização, com uma hierarquia de autoridade, um estado-maior (assessoria) e a coordenação funcional para assegurar integração, sendo operada sob o comando de um único dirigente: o Papa. A influência da Organização Militar • Desde Esparta ou Roma, a organização militar sempre influenciou o modo de vida das organizações. A organização linear, o princípio da unidade de comando, a hierarquia, o princípio da direção, a centralização de comando e a descentralização de execução
  • 37. Exercício: A inspiração de Armando Armando de Souza é um administrador inovador. Na empresa Que dirige implantou: • Uma hierarquia de autoridade (diretores, gerentes e funcionários. • Uma assessoria (especialistas em direito, contabilidade, propaganda, pessoal). • Uma coordenação funcional para entrosamento das atividades. Na verdade, será que Armando é realmente inovador? De onde Armando tirou essas idéias? Pág: 33Pág: 33
  • 38. Características da Primeira Revolução Industrial: (1780 – 1860) 1. Mecanização da indústria e da agricultura: Tear hidráulico e mecânico, o descaroçador de algodão. 2. Aplicação da força motriz à indústria: Oficinas em fábricas. 3. Desenvolvimento do sistema fabril: Os artesãos e oficinas dão lugar aos operários, as fábricas e as usinas baseadas na divisão do trabalho. 4. Espetacular crescimento dos transportes e das comunicações: Navegação a vapor, locomotiva a vapor, telégrafo elétrico, telefone
  • 39. • Substituição do ferro pelo aço. • Substituição do vapor pela eletricidade. • Desenvolvimento de máquinas automáticas. • Especialização do operário. • Crescente domínio da indústria pela ciência. • Transformações nos transportes e nas comunicações. • Novas formas de organização capitalista. • Expansão da industrialização. Características da Segunda Revolução Industrial: (1860 – 1914)
  • 40. Exercício: A defesa de Eliana Eliana Almeida não se conformava. Todos dizem que a empresa que ela dirigia – a Dinosaurius – estava vivendo ainda em plena era da Revolução Industrial. Alguns acham que ela ainda não tinha saído da 1a. Revolução Industrial. Eliana achava incrível receber menções desse tipo. Como você agiria no lugar de Eliana? Pág: 36Pág: 36
  • 41. Características do início do século 20: 1. Desenvolvimento tecnológico. 2. Livre-comércio. 3. Mudança dos mercados vendedores para mercados compradores. 4. Aumento da capacidade de investimento industrial. 5. Rapidez do ritmo de mudança tecnológica e redução de custos de produção 6. Crescimento dos negócios e das empresas. 1. Desenvolvimento tecnológico. 2. Livre-comércio. 3. Mudança dos mercados vendedores para mercados compradores. 4. Aumento da capacidade de investimento industrial. 5. Rapidez do ritmo de mudança tecnológica e redução de custos de produção 6. Crescimento dos negócios e das empresas.
  • 42. Caso Introdutório: A Metodologia de Gilberto Gilberto se considera um consultor de empresas bem-sucedido. acha que seu sucesso profissional depende diretamente da metodologia que utiliza para coletar dados a respeito de suas empresas-clientes. Para ele, o Diagnóstico Organizacional é mais importante que a Terapêutica Organizacional Você acha que Gilberto tem razão? Explique. Pág: 38Pág: 38
  • 43. Exercício: A estratégia da Regência Sapatos A Regência Sapatos é uma empresa que deseja ser competitiva. Hélio Santos, o diretor de Marketing está indeciso entre imprimir uma estratégia de integração vertical (desde a produção das matérias-primas até o produto acabado) ou uma estratégia de integração horizontal (produzir para uma ampla cadeia de lojas próprias distribuídas em todo o território nacional). Contudo, Hélio precisa definir o assunto com o presidente da companhia. No lugar de Hélio, quais seriam seus argumentos prós e contras para as duas estratégias? Pág: 40Pág: 40
  • 44. Caso As Empresas Mais Admiradas do Mundo 1. Qualidade geral da Administração. 2. Qualidade dos produtos ou serviços. 3. Criatividade e inovação. 4. Valor como um investimento a longo prazo. 5. Força financeira. 6. Responsabilidade social diante da comunidade e do ambiente. 7. Uso amplo dos ativos corporativos. 8. Capacidade de atrair e manter pessoas talentosas. 9. Papel eficaz na globalização dos negócios. Pág: 42Pág: 42 A cada ano, a revista Fortune, em parceria com o Hay Group, elabora uma lista das empresas mais admiradas do mundo. São empresas de classe mundial, as grandes estrelas do universo de negócios. A seleção das empresas se baseia nos seguintes critérios ou atributos:
  • 45. 1. General Electric Equipamento elétrico e eletrônico 2. Coca-Cola Bebidas 3. Microsoft Computadores 4. Walt Disney Entretenimento 5. Intel Computadores 6. Hewlett-Packard Computadores 7. Berkshire Hathaway Seguros e atividades financeiras 8. Pfizer Farmacêutica 9. Sony Equipamento elétrico e eletrônico 10. Dell Computer Computadores 11. Toyota Motor Automóveis 12. Merck Farmacêutica 13. Southwest Airlines Aviação 14. Johnson & Johnson Farmacêutica 15. Procter & Gamble Sabonetes e cosméticos 16. Gillette Sabonetes e cosméticos 17. Citicorp Banco comercial 18. Merrill Lynch Seguros e atividades financeiras 19. ABB Asea Brown Boveri Equipamento elétrico e eletrônico 20. Daimler-Benz Automóveis 21. Caterpillar Equipamento industrial e agrícola 22. AT&T American Telephone & Telegraph Telecomunicações 23. British Airways Aviação 24. IBM International Machine Business Computadores 25. Boeing Aeroespacial As empresas mais admiradas do mundo: