SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Definição
Behaviorismo, também conhecido como
comportamentalismo, é uma área da psicologia, que tem o
comportamento como objeto de estudo.
O behaviorismo surgiu como oposição ao funcionalismo e ao
estruturalismo.
Definição
Esta palavra tem origem no termo behavior, que em inglês significa
comportamento ou conduta.
Em 1913, foi publicado um artigo com o nome “Psicologia: como os
behavioristas a veem” da autoria do psicólogo John Watson
(reconhecido como pai do Behaviorismo Metodológico). Mais tarde,
em 1914, na obra intitulada Behavior, Watson abordou mais uma vez o
conceito de psicologia do comportamento.
Característica
O behaviorismo contempla o comportamento como uma forma
funcional e reacional de organismos vivos. Esta corrente psicológica
não aceita qualquer relação com o transcendental, com a introspecção e
aspectos filosóficos, mas pretende estudar comportamentos objetivos
que podem ser observados.
A aprendizagem era considerada como uma forma de
condicionamento, resultante da associação entre estímulo (E) e
respostas (R), que poderiam ser reforçadas ou inibidas.
De acordo com Watson, o estudo do meio que envolve um indivíduo
possibilita a previsão e o controle do comportamento humano.
Característica
Watson partiu do princípio de que as ações e habilidades de um
individuo são determinadas por suas relações com o meio.
Para o psicólogo uma criança poderia ser moldada utilizando se
técnicas de condicionamento.
Principais representantes
 Pavlov (1849-1936): Por meio de experimentos em laboratório
identificou os reflexos condicionados. Teorizou o condicionamento
clássico.
 Thorndike (1874-1949): Associacionismo: Lei do efeito e
aprendizagem: respostas corretas levam a resultados satisfatórios
 Watson (1878-1958): Fundador (Pai) da corrente behaviorista.
Princípios básicos do comportamento humano equivalente ao
comportamento dos animais.
 Skinner (1904-1990): Behaviorismo Radical Condicionamento
Operante. Análise Experimental Comportamento
Principais representantes
Pavlov Thorndike Watson Skinner
Primeiros conceitos: Pavlov
 Desenvolveu os princípios básicos do condicionamento clássico
através de experimentos com cães;
 Estímulo não condicionado - resposta não-condicionada;
resposta condicionada - estímulo condicionado.
Vídeo ilustrativo
https://www.youtube.com/watch?v=hJaOAKkLGqc
Associacionismo: Thorndike
 Inteligência básica: A da tentativa-erro e a da estímulo-resposta;
 Experiência com animais utilizando uma “puzzle box”;
 Lei do efeito: Um estímulo e uma determinada situação estão
relacionados através de uma associação desejável ou uma dissociação,
consoante a satisfação que causam no sujeito. Ou seja, um
comportamento que gera satisfação é reforçado no sentido de vir a ser
repetido. Pelo contrário, um comportamento que origina desconforto
tende a desaparecer.
Associacionismo: Thorndike
 Lei do exercício: Mostra que quanto mais um determinado estímulo-
resposta é utilizado mais forte tornar-se-á; quanto menos utilizado,
mais fraco ficará.
 Lei da maturidade específica: desde que um organismo esteja
preparado e predisposto a estabelecer a conexão entre o estímulo e a
resposta o resultado será agradável e a aprendizagem efetiva; caso
contrário esta não se efetivará e o resultado será desagradável.
Vídeo ilustrativo
https://www.youtube.com/watch?v=Qw8Kyj7OO-s
Behaviorismo clássico ou
metodológico: Watson
 Abandono dos estudos dos processos mentais
(pensamentos, sentimentos);
 Estudo somente dos fenômenos observáveis;
 Paradigma Pavloniano do condicionamento clássico:
Estímulo Resposta
Vídeo ilustrativo
https://www.youtube.com/watch?v=g4gmwQ0vw
0A
“O que nós somos é o que fazemos, e o que
fazemos é o que o ambiente nos faz fazer. – John
Watson
Behaviorismo radical ou linguístico:
Skinner
 Inclui todos os comportamentos (públicos ou privados);
 Foco no condicionamento operante: consequências (reforço ou
punição);
 Três níves de seleção: Filogenética (aspectos biológicos, herança da
especie); Ontogenética (história de vida e experiência individual);
Cultural (aspectos culturais que influenciam a conduta humana).
Clássico x Radical
A diferença entre o comportamento clássico e o operante é que ao
primeiro, a partir de um estímulo, sempre se segue uma resposta
enquanto no segundo o ambiente é modificado e produz
consequências que agem de novo sobre ele, alterando a probabilidade
de ocorrência futura semelhante.
Vídeo ilustrativo
https://www.youtube.com/watch?v=cFoDe9KoK74
Críticas
 Ignoravam a consciência, os sentimentos e os estados
mentais;
 Uma ciência do comportamento é impossível;
 Uma ciência do comportamento é indesejável;
 Uma ciência do comportamento é fatalista.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Aula introducao a psicologia comportamental fabiana
Aula introducao a psicologia comportamental   fabianaAula introducao a psicologia comportamental   fabiana
Aula introducao a psicologia comportamental fabiana
 
Definições e conceitos básicos em análise do comportamento
Definições e conceitos básicos em análise do comportamentoDefinições e conceitos básicos em análise do comportamento
Definições e conceitos básicos em análise do comportamento
 
O que é a psicologia
O que é a psicologiaO que é a psicologia
O que é a psicologia
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Reflexos Inatos - conceitos básicos
Reflexos Inatos - conceitos básicosReflexos Inatos - conceitos básicos
Reflexos Inatos - conceitos básicos
 
Condicionamento respondente
Condicionamento respondenteCondicionamento respondente
Condicionamento respondente
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
Teoria Humanista
Teoria HumanistaTeoria Humanista
Teoria Humanista
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
 
Aula 3 behaviorismos
Aula 3   behaviorismosAula 3   behaviorismos
Aula 3 behaviorismos
 
Psicologia Experimental
Psicologia ExperimentalPsicologia Experimental
Psicologia Experimental
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Trabalho slides behavorismo 2014
Trabalho slides behavorismo 2014Trabalho slides behavorismo 2014
Trabalho slides behavorismo 2014
 
Skinner e a educação
Skinner e a educaçãoSkinner e a educação
Skinner e a educação
 
Psicologia humanista
Psicologia humanistaPsicologia humanista
Psicologia humanista
 
Skinner slides
Skinner   slidesSkinner   slides
Skinner slides
 
teorias da personalidade - Carl Rogers
teorias da personalidade - Carl Rogersteorias da personalidade - Carl Rogers
teorias da personalidade - Carl Rogers
 
Teoria Comportamental
Teoria  ComportamentalTeoria  Comportamental
Teoria Comportamental
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
 
Psicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes AbordagensPsicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes Abordagens
 

Semelhante a Comportamentalismo: definição e principais representantes

Material de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdf
Material de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdfMaterial de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdf
Material de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdfJorge925180
 
Behaviorismo clássico e teóricos
Behaviorismo clássico e teóricosBehaviorismo clássico e teóricos
Behaviorismo clássico e teóricosThales Rocha
 
Teorias da Aprendizagen
Teorias da AprendizagenTeorias da Aprendizagen
Teorias da AprendizagenUFC
 
Psicologia Jurídica (Aula II)
Psicologia Jurídica (Aula II)Psicologia Jurídica (Aula II)
Psicologia Jurídica (Aula II)julilp10
 
Burrhus frederick skinner
Burrhus frederick skinnerBurrhus frederick skinner
Burrhus frederick skinnermagdasimone
 
John watson e o behaviorismo
John watson e o behaviorismoJohn watson e o behaviorismo
John watson e o behaviorismoFrancisca Maria
 
Aprendizagens Comportamentais.ppt
Aprendizagens Comportamentais.pptAprendizagens Comportamentais.ppt
Aprendizagens Comportamentais.pptAlessandra Pereira
 
Cap 3 Teorias da aprendizagem
Cap 3   Teorias da aprendizagemCap 3   Teorias da aprendizagem
Cap 3 Teorias da aprendizagemGustavo Blank
 
Behaviorismo - Período Pós Fundação
Behaviorismo - Período Pós FundaçãoBehaviorismo - Período Pós Fundação
Behaviorismo - Período Pós Fundaçãonicecoimbra
 
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]Universidade Federal de Roraima
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemSUZILEY
 

Semelhante a Comportamentalismo: definição e principais representantes (20)

Teorias Behavioristas
Teorias BehavioristasTeorias Behavioristas
Teorias Behavioristas
 
Material de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdf
Material de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdfMaterial de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdf
Material de apoio-Teorias de Aprendizagem2023.pdf
 
Watson e o behaviorismo
Watson e o behaviorismoWatson e o behaviorismo
Watson e o behaviorismo
 
Behaviorismo clássico e teóricos
Behaviorismo clássico e teóricosBehaviorismo clássico e teóricos
Behaviorismo clássico e teóricos
 
Watson e o Behaviorismo
Watson e o BehaviorismoWatson e o Behaviorismo
Watson e o Behaviorismo
 
Teorias da Aprendizagen
Teorias da AprendizagenTeorias da Aprendizagen
Teorias da Aprendizagen
 
Inicio do Behaviorismo.pptx
Inicio do Behaviorismo.pptxInicio do Behaviorismo.pptx
Inicio do Behaviorismo.pptx
 
Teoria Behaviorista
Teoria BehavioristaTeoria Behaviorista
Teoria Behaviorista
 
Psicologia Jurídica (Aula II)
Psicologia Jurídica (Aula II)Psicologia Jurídica (Aula II)
Psicologia Jurídica (Aula II)
 
Burrhus frederick skinner
Burrhus frederick skinnerBurrhus frederick skinner
Burrhus frederick skinner
 
John watson e o behaviorismo
John watson e o behaviorismoJohn watson e o behaviorismo
John watson e o behaviorismo
 
APRENDIZAGEM
APRENDIZAGEMAPRENDIZAGEM
APRENDIZAGEM
 
Aprendizagens Comportamentais.ppt
Aprendizagens Comportamentais.pptAprendizagens Comportamentais.ppt
Aprendizagens Comportamentais.ppt
 
Primórdio..
Primórdio..Primórdio..
Primórdio..
 
02 primórdio..
02 primórdio..02 primórdio..
02 primórdio..
 
Cap 3 Teorias da aprendizagem
Cap 3   Teorias da aprendizagemCap 3   Teorias da aprendizagem
Cap 3 Teorias da aprendizagem
 
Behaviorismo - Período Pós Fundação
Behaviorismo - Período Pós FundaçãoBehaviorismo - Período Pós Fundação
Behaviorismo - Período Pós Fundação
 
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Passo 5 2007 1
Passo 5 2007 1Passo 5 2007 1
Passo 5 2007 1
 

Último

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 

Comportamentalismo: definição e principais representantes

  • 1.
  • 2. Definição Behaviorismo, também conhecido como comportamentalismo, é uma área da psicologia, que tem o comportamento como objeto de estudo. O behaviorismo surgiu como oposição ao funcionalismo e ao estruturalismo.
  • 3. Definição Esta palavra tem origem no termo behavior, que em inglês significa comportamento ou conduta. Em 1913, foi publicado um artigo com o nome “Psicologia: como os behavioristas a veem” da autoria do psicólogo John Watson (reconhecido como pai do Behaviorismo Metodológico). Mais tarde, em 1914, na obra intitulada Behavior, Watson abordou mais uma vez o conceito de psicologia do comportamento.
  • 4. Característica O behaviorismo contempla o comportamento como uma forma funcional e reacional de organismos vivos. Esta corrente psicológica não aceita qualquer relação com o transcendental, com a introspecção e aspectos filosóficos, mas pretende estudar comportamentos objetivos que podem ser observados. A aprendizagem era considerada como uma forma de condicionamento, resultante da associação entre estímulo (E) e respostas (R), que poderiam ser reforçadas ou inibidas. De acordo com Watson, o estudo do meio que envolve um indivíduo possibilita a previsão e o controle do comportamento humano.
  • 5. Característica Watson partiu do princípio de que as ações e habilidades de um individuo são determinadas por suas relações com o meio. Para o psicólogo uma criança poderia ser moldada utilizando se técnicas de condicionamento.
  • 6. Principais representantes  Pavlov (1849-1936): Por meio de experimentos em laboratório identificou os reflexos condicionados. Teorizou o condicionamento clássico.  Thorndike (1874-1949): Associacionismo: Lei do efeito e aprendizagem: respostas corretas levam a resultados satisfatórios  Watson (1878-1958): Fundador (Pai) da corrente behaviorista. Princípios básicos do comportamento humano equivalente ao comportamento dos animais.  Skinner (1904-1990): Behaviorismo Radical Condicionamento Operante. Análise Experimental Comportamento
  • 8. Primeiros conceitos: Pavlov  Desenvolveu os princípios básicos do condicionamento clássico através de experimentos com cães;  Estímulo não condicionado - resposta não-condicionada; resposta condicionada - estímulo condicionado.
  • 10. Associacionismo: Thorndike  Inteligência básica: A da tentativa-erro e a da estímulo-resposta;  Experiência com animais utilizando uma “puzzle box”;  Lei do efeito: Um estímulo e uma determinada situação estão relacionados através de uma associação desejável ou uma dissociação, consoante a satisfação que causam no sujeito. Ou seja, um comportamento que gera satisfação é reforçado no sentido de vir a ser repetido. Pelo contrário, um comportamento que origina desconforto tende a desaparecer.
  • 11. Associacionismo: Thorndike  Lei do exercício: Mostra que quanto mais um determinado estímulo- resposta é utilizado mais forte tornar-se-á; quanto menos utilizado, mais fraco ficará.  Lei da maturidade específica: desde que um organismo esteja preparado e predisposto a estabelecer a conexão entre o estímulo e a resposta o resultado será agradável e a aprendizagem efetiva; caso contrário esta não se efetivará e o resultado será desagradável.
  • 13. Behaviorismo clássico ou metodológico: Watson  Abandono dos estudos dos processos mentais (pensamentos, sentimentos);  Estudo somente dos fenômenos observáveis;  Paradigma Pavloniano do condicionamento clássico: Estímulo Resposta
  • 14. Vídeo ilustrativo https://www.youtube.com/watch?v=g4gmwQ0vw 0A “O que nós somos é o que fazemos, e o que fazemos é o que o ambiente nos faz fazer. – John Watson
  • 15. Behaviorismo radical ou linguístico: Skinner  Inclui todos os comportamentos (públicos ou privados);  Foco no condicionamento operante: consequências (reforço ou punição);  Três níves de seleção: Filogenética (aspectos biológicos, herança da especie); Ontogenética (história de vida e experiência individual); Cultural (aspectos culturais que influenciam a conduta humana).
  • 16. Clássico x Radical A diferença entre o comportamento clássico e o operante é que ao primeiro, a partir de um estímulo, sempre se segue uma resposta enquanto no segundo o ambiente é modificado e produz consequências que agem de novo sobre ele, alterando a probabilidade de ocorrência futura semelhante.
  • 18. Críticas  Ignoravam a consciência, os sentimentos e os estados mentais;  Uma ciência do comportamento é impossível;  Uma ciência do comportamento é indesejável;  Uma ciência do comportamento é fatalista.