SlideShare uma empresa Scribd logo

Sistema de informações hospitalares do sus

SIHSUS

1 de 17
Baixar para ler offline
SIHSUS - Sistema de Informações
Hospitalares do SUS

Emilene Freires
Nutrição - UFPI

AIH - Autorização de Internação
Hospitalar
Introdução
•

O Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH-SUS) foi criado em
agosto de 1981 por meio da Portaria GM/MS n.º 896/1990, substituindo o
sistema GIH (Guia de Internação Hospitalar), o popularmente conhecido
“Sistema AIH (Autorização de Internação Hospitalar)”;

•

A gestão do SIH é responsabilidade da Secretaria de Atenção à Saúde
(SAS);

•

A AIH é o instrumento de registro padrão, sendo utilizada por todos os

gestores e prestadores de serviços;
•

Foi o primeiro sistema do DATASUS a ter captação implementada em
microcomputadores (AIH em DISQUETE – 1992);

•

É o maior sistema de informação nacional, registrando 11,5 milhões de
casos de internações (BRASIL,2008).
Objetivos:
•

A finalidade do AIH (Sistema SIH-SUS) é gerar relatórios para que os
gestores possam fazer os pagamentos dos estabelecimentos de saúde;

•

Possibilita a avaliação e qualificação do desempenho de condições
sanitárias e qualificação, através das taxas de óbito e de infecção
hospitalar informadas no sistema;

•

Conhecer aspectos clínicos e epidemiológicos dos pacientes internados no
SUS;

•

Atualizar servidores públicos, auxiliando na gestão descentralizada do
Sistema Único de Saúde.
Origem dos dados
Os dados disponíveis são oriundos do Sistema de Informações
Hospitalares do SUS - SIH/SUS, gerido pelo Ministério da Saúde, através
da Secretaria de Assistência à Saúde, em conjunto com as Secretarias
Estaduais de Saúde e as Secretarias Municipais de Saúde, sendo
processado pelo DATASUS - Departamento de Informática do SUS, da
Secretaria Executiva do Ministério da Saúde.
As unidades hospitalares participantes do
SUS

(públicas

ou

particulares

conveniadas)

enviam as informações das internações efetuadas
através da AIH, para os gestores municipais (se
em gestão plena) ou estaduais (para os demais).

Estas

informações

são

processadas

no

DATASUS, gerando os créditos referentes ao
serviços prestados e formando uma valiosa Base
de Dados, contendo dados de grande parte das
internações hospitalares realizadas no Brasil.
Importância no Sistema Público de
Saúde
• O SIH/SUS tem possibilitado importantes análises
quanto à morbidade hospitalar;
• Além disso, o sistema vem sendo utilizado para fins
de outros sistemas de informação, tais como o de
nascidos vivos (SINASC), ou como fonte
complementar de dados sobre doenças e agravos
para fins de vigilância epidemiológica.
Anúncio

Recomendados

Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaMario Gandra
 
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUSAula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUSGhiordanno Bruno
 
PREVINE BRASIL.pptx
PREVINE BRASIL.pptxPREVINE BRASIL.pptx
PREVINE BRASIL.pptxEricaRavenna
 
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaPnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaJarquineide Silva
 
E sus sistema de informação da atenção básica
E sus sistema de informação da atenção básicaE sus sistema de informação da atenção básica
E sus sistema de informação da atenção básicakatiletiele
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula Sistemas de informação Atualizada.pptx
Aula Sistemas de informação Atualizada.pptxAula Sistemas de informação Atualizada.pptx
Aula Sistemas de informação Atualizada.pptxRAFAELACAVALCANTILIR
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópiaKarla Toledo
 
Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...
Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...
Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...Mateus Clemente
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasilkellyschorro18
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemDanilo Nunes Anunciação
 
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.Cleiton Ribeiro Alves
 
Prontuário Eletrônico
Prontuário EletrônicoProntuário Eletrônico
Prontuário EletrônicoIgor Dias
 
Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012Ismael Costa
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoLaíz Coutinho
 
(Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão]
(Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão](Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão]
(Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão]Juliana Alves Roque
 

Mais procurados (20)

Apresentação atenção básica esf
Apresentação atenção básica   esfApresentação atenção básica   esf
Apresentação atenção básica esf
 
Modelo de atenção à saúde
Modelo de atenção à saúdeModelo de atenção à saúde
Modelo de atenção à saúde
 
Orientacoes siab
Orientacoes siabOrientacoes siab
Orientacoes siab
 
Aula Sistemas de informação Atualizada.pptx
Aula Sistemas de informação Atualizada.pptxAula Sistemas de informação Atualizada.pptx
Aula Sistemas de informação Atualizada.pptx
 
Historico sus
Historico susHistorico sus
Historico sus
 
Slides sus
Slides susSlides sus
Slides sus
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
 
Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...
Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...
Estrategia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NA...
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
PACTO PELA SAÚDE
PACTO PELA SAÚDEPACTO PELA SAÚDE
PACTO PELA SAÚDE
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Saúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptxSaúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptx
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
 
Uti
UtiUti
Uti
 
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
Assistência de enfermagem às infecções respiratórias agudas.
 
Prontuário Eletrônico
Prontuário EletrônicoProntuário Eletrônico
Prontuário Eletrônico
 
Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
 
(Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão]
(Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão](Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão]
(Mapa Mental) SUS - LEI 8080 - [Da Organização, da Direção e da Gestão]
 

Destaque

Aula Resumo - Sistema de Infornacao SUS
Aula Resumo - Sistema de Infornacao SUSAula Resumo - Sistema de Infornacao SUS
Aula Resumo - Sistema de Infornacao SUSIgor Alves
 
Sistemas informacao de saude
Sistemas informacao de saudeSistemas informacao de saude
Sistemas informacao de saudeFernandinhalima
 
Atualização em Avaliação de Tecnologias em Saúde
Atualização em Avaliação de Tecnologias em SaúdeAtualização em Avaliação de Tecnologias em Saúde
Atualização em Avaliação de Tecnologias em SaúdeIsabella Oliveira
 
Como é incorporada uma nova tecnologia no SUS
Como é incorporada uma nova tecnologia no SUSComo é incorporada uma nova tecnologia no SUS
Como é incorporada uma nova tecnologia no SUSPriscila Torres
 
Fat sistema informatização hospitalar conip 2007
Fat sistema informatização hospitalar   conip 2007Fat sistema informatização hospitalar   conip 2007
Fat sistema informatização hospitalar conip 2007Éberli Cabistani Riella
 
Meu prontuario para médicos
Meu prontuario   para médicosMeu prontuario   para médicos
Meu prontuario para médicosLeonardo Alves
 
Relatório - Sistema Nacional de Auditoria do SUS
Relatório -  Sistema Nacional de Auditoria do SUSRelatório -  Sistema Nacional de Auditoria do SUS
Relatório - Sistema Nacional de Auditoria do SUSmota Leonilson
 
Datasul Saúde
Datasul SaúdeDatasul Saúde
Datasul Saúdedatasul20
 
Parte 2 - SINAN e ADRT
Parte 2 - SINAN e ADRTParte 2 - SINAN e ADRT
Parte 2 - SINAN e ADRTNutecs2
 
Livro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a Bioética
Livro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a BioéticaLivro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a Bioética
Livro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a BioéticaContatonalua
 

Destaque (20)

Aula Resumo - Sistema de Infornacao SUS
Aula Resumo - Sistema de Infornacao SUSAula Resumo - Sistema de Infornacao SUS
Aula Resumo - Sistema de Infornacao SUS
 
Emitir aih
Emitir aihEmitir aih
Emitir aih
 
Sistemas informacao de saude
Sistemas informacao de saudeSistemas informacao de saude
Sistemas informacao de saude
 
Prontuário médico
Prontuário médicoProntuário médico
Prontuário médico
 
Atualização em Avaliação de Tecnologias em Saúde
Atualização em Avaliação de Tecnologias em SaúdeAtualização em Avaliação de Tecnologias em Saúde
Atualização em Avaliação de Tecnologias em Saúde
 
Como é incorporada uma nova tecnologia no SUS
Como é incorporada uma nova tecnologia no SUSComo é incorporada uma nova tecnologia no SUS
Como é incorporada uma nova tecnologia no SUS
 
Fat sistema informatização hospitalar conip 2007
Fat sistema informatização hospitalar   conip 2007Fat sistema informatização hospitalar   conip 2007
Fat sistema informatização hospitalar conip 2007
 
Meu prontuario para médicos
Meu prontuario   para médicosMeu prontuario   para médicos
Meu prontuario para médicos
 
Aula de auditoria_1
Aula de auditoria_1Aula de auditoria_1
Aula de auditoria_1
 
Relatório - Sistema Nacional de Auditoria do SUS
Relatório -  Sistema Nacional de Auditoria do SUSRelatório -  Sistema Nacional de Auditoria do SUS
Relatório - Sistema Nacional de Auditoria do SUS
 
Datasul Saúde
Datasul SaúdeDatasul Saúde
Datasul Saúde
 
Parte 2 - SINAN e ADRT
Parte 2 - SINAN e ADRTParte 2 - SINAN e ADRT
Parte 2 - SINAN e ADRT
 
Bioética geral
Bioética geralBioética geral
Bioética geral
 
íNdice
íNdiceíNdice
íNdice
 
O que é bioética
O que é bioéticaO que é bioética
O que é bioética
 
História
HistóriaHistória
História
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Bioética geral
Bioética geralBioética geral
Bioética geral
 
Livro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a Bioética
Livro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a BioéticaLivro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a Bioética
Livro "Ética Geral e Profissional" - Capítulo 4 - O Biodireito e a Bioética
 
Boas práticas da gestão na saúde - Dr. Renato Sabatinni
Boas práticas da gestão na saúde - Dr. Renato SabatinniBoas práticas da gestão na saúde - Dr. Renato Sabatinni
Boas práticas da gestão na saúde - Dr. Renato Sabatinni
 

Semelhante a Sistema de informações hospitalares do sus

Conteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de Informação
Conteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de InformaçãoConteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de Informação
Conteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de Informaçãoaagapesantamarcelina
 
aulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdf
aulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdfaulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdf
aulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdfNaiaraMendes13
 
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúdeAula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúdeFernando Moura
 
TECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptx
TECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptxTECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptx
TECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptxssuser51d27c1
 
Regiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.pptRegiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.pptAlice Costa
 
Normas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de Saúde
Normas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de SaúdeNormas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de Saúde
Normas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de SaúdeFarmacêutico Digital
 
Sistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptx
Sistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptxSistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptx
Sistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptxelaynepereira5
 
Relatório de atividades (saúde)
Relatório de atividades (saúde)Relatório de atividades (saúde)
Relatório de atividades (saúde)Cicero Coutinho
 
Rede de urgência e emergência crs leste
Rede de urgência e emergência crs lesteRede de urgência e emergência crs leste
Rede de urgência e emergência crs lesteRubens Kon
 
Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...
Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...
Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...Rio Info
 
Aula Sistemas de informação Atualizada.pdf
Aula Sistemas de informação Atualizada.pdfAula Sistemas de informação Atualizada.pdf
Aula Sistemas de informação Atualizada.pdfRafaela Cavalcanti
 
Apresentaçã SIE
Apresentaçã SIEApresentaçã SIE
Apresentaçã SIEasiramage
 
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoBSeminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoBWladimir Crippa
 

Semelhante a Sistema de informações hospitalares do sus (20)

Conteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de Informação
Conteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de InformaçãoConteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de Informação
Conteúdo Teórico - Módulo 2 - Sistemas de Informação
 
Manual regulacao ambulatorial2_20140606
Manual regulacao ambulatorial2_20140606Manual regulacao ambulatorial2_20140606
Manual regulacao ambulatorial2_20140606
 
aulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdf
aulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdfaulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdf
aulatecnologiaaplicadaasade-131115074838-phpapp01.pdf
 
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúdeAula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
 
TECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptx
TECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptxTECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptx
TECNOLOGIA APLICADA À SAÚDE.pptx
 
Regiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.pptRegiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.ppt
 
Normas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de Saúde
Normas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de SaúdeNormas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de Saúde
Normas e Procedimentos de Uso Cartão Nacional de Saúde
 
Sistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptx
Sistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptxSistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptx
Sistemas de Informação do Sistema Único de Saúde.pptx
 
Relatório de atividades (saúde)
Relatório de atividades (saúde)Relatório de atividades (saúde)
Relatório de atividades (saúde)
 
Rede de urgência e emergência crs leste
Rede de urgência e emergência crs lesteRede de urgência e emergência crs leste
Rede de urgência e emergência crs leste
 
Planejamento em saúde
Planejamento em saúdePlanejamento em saúde
Planejamento em saúde
 
Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...
Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...
Rio Info 2015 - Palestra O papel da TI na regulação de Serviços em Saúde - Fr...
 
Aula Sistemas de informação Atualizada.pdf
Aula Sistemas de informação Atualizada.pdfAula Sistemas de informação Atualizada.pdf
Aula Sistemas de informação Atualizada.pdf
 
AulaSIS.pdf
AulaSIS.pdfAulaSIS.pdf
AulaSIS.pdf
 
AULA 4 - SIS.pptx
AULA 4 - SIS.pptxAULA 4 - SIS.pptx
AULA 4 - SIS.pptx
 
UPA 24hs
UPA 24hsUPA 24hs
UPA 24hs
 
Apresentaçã SIE
Apresentaçã SIEApresentaçã SIE
Apresentaçã SIE
 
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoBSeminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
 
"FORTALECENDO ATENÇÃO BÁSICA” STS Cidade Tiradentes
"FORTALECENDO ATENÇÃO BÁSICA” STS Cidade Tiradentes"FORTALECENDO ATENÇÃO BÁSICA” STS Cidade Tiradentes
"FORTALECENDO ATENÇÃO BÁSICA” STS Cidade Tiradentes
 
Controle e avaliação
Controle e avaliaçãoControle e avaliação
Controle e avaliação
 

Último

5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 

Último (20)

5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 

Sistema de informações hospitalares do sus

  • 1. SIHSUS - Sistema de Informações Hospitalares do SUS Emilene Freires Nutrição - UFPI AIH - Autorização de Internação Hospitalar
  • 2. Introdução • O Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH-SUS) foi criado em agosto de 1981 por meio da Portaria GM/MS n.º 896/1990, substituindo o sistema GIH (Guia de Internação Hospitalar), o popularmente conhecido “Sistema AIH (Autorização de Internação Hospitalar)”; • A gestão do SIH é responsabilidade da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS); • A AIH é o instrumento de registro padrão, sendo utilizada por todos os gestores e prestadores de serviços; • Foi o primeiro sistema do DATASUS a ter captação implementada em microcomputadores (AIH em DISQUETE – 1992); • É o maior sistema de informação nacional, registrando 11,5 milhões de casos de internações (BRASIL,2008).
  • 3. Objetivos: • A finalidade do AIH (Sistema SIH-SUS) é gerar relatórios para que os gestores possam fazer os pagamentos dos estabelecimentos de saúde; • Possibilita a avaliação e qualificação do desempenho de condições sanitárias e qualificação, através das taxas de óbito e de infecção hospitalar informadas no sistema; • Conhecer aspectos clínicos e epidemiológicos dos pacientes internados no SUS; • Atualizar servidores públicos, auxiliando na gestão descentralizada do Sistema Único de Saúde.
  • 4. Origem dos dados Os dados disponíveis são oriundos do Sistema de Informações Hospitalares do SUS - SIH/SUS, gerido pelo Ministério da Saúde, através da Secretaria de Assistência à Saúde, em conjunto com as Secretarias Estaduais de Saúde e as Secretarias Municipais de Saúde, sendo processado pelo DATASUS - Departamento de Informática do SUS, da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde.
  • 5. As unidades hospitalares participantes do SUS (públicas ou particulares conveniadas) enviam as informações das internações efetuadas através da AIH, para os gestores municipais (se em gestão plena) ou estaduais (para os demais). Estas informações são processadas no DATASUS, gerando os créditos referentes ao serviços prestados e formando uma valiosa Base de Dados, contendo dados de grande parte das internações hospitalares realizadas no Brasil.
  • 6. Importância no Sistema Público de Saúde • O SIH/SUS tem possibilitado importantes análises quanto à morbidade hospitalar; • Além disso, o sistema vem sendo utilizado para fins de outros sistemas de informação, tais como o de nascidos vivos (SINASC), ou como fonte complementar de dados sobre doenças e agravos para fins de vigilância epidemiológica.
  • 7. Como se dá Entrada no Sistema • Nos procedimentos eletivos o fluxo inicia-se com uma consulta em estabelecimento de saúde ambulatorial onde o profissional assistente emite o laudo; • Nos procedimentos de urgência o fluxo inicia-se com o atendimento direto no estabelecimento para onde o usuário for levado, ou por um encaminhamento de outra unidade ou ainda pela Central de Regulação ou SAMU, onde houver.
  • 8. A consulta/atendimento que gera a internação deve ocorrer em estabelecimento de saúde integrante do SUS. O profissional de saúde que realizou a consulta/atendimento solicita a Autorização para Internação Hospitalar (AIH) devendo, obrigatoriamente, preencher o Laudo para Solicitação de AIH.
  • 10. Laudo para Solicitação de Internação - AIH • O Laudo é o documento para solicitar a autorização de internação hospitalar, deve ser feito antes da internação; • Em casos de urgência, o laudo é preenchido na ocasião da internação; • Ele contém dados de identificação do paciente e suas informações de anamnese, além da justificativa da internação e hipótese de diagnóstico inicial e/ou o definitivo.
  • 15. O Sistema na Prática A internação pode ser considerada desnecessária e ser rejeitada. Se não, é autorizada com os procedimentos e códigos seguintes:  03.01.06.001-0 - DIAGNÓSTICO E/OU ATENDIMENTO DE URGÊNCIA EM CLÍNICA PEDIÁTRICA: Refere-se ao primeiro atendimento de urgência hospitalar com diagnóstico em clínica pediátrica.  03.01.06.007-0 - DIAGNÓSTICO E/OU ATENDIMENTO DE URGÊNCIA EM CLÍNICA CIRÚRGICA: Refere-se ao primeiro atendimento de urgência hospitalar com diagnóstico para clínica cirúrgica.  03.01.06.008-8 - DIAGNÓSTICO E/OU ATENDIMENTO DE URGÊNCIA EM CLÍNICA MÉDICA: Refere-se ao primeiro atendimento de urgência hospitalar com diagnóstico em clínica médica.