SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 58
Baixar para ler offline
Unidade de Centro Cirúrgico
Enfº Eduardo Gomes da Silva – COREN223268
Enfª Juliana Lopes Figueiredo – COREN 99792
Conceito – Ministério da Saúde
Conjunto de elementos destinados às
atividades cirúrgicas, bem como a
recuperação anestésica e pós operatória
imediata
Conceitos – Lamb (2000)
“É o conjunto de ambientes, devidamente
localizados, dimensionados, inter-
relacionados e dotados de instalações e
equipamentos, com pessoal qualificado e
treinado para a realização de
procedimentos cirúrgicos, de forma a
oferecer o máximo de segurança aos
pacientes e às melhores condições de
trabalho para equipe técnica”
Histórico
Se desenvolveram em paralelo com as
técnicas de assepsia a partir do século
XIX
Histórico
Cirurgiões da época continuavam
operando usando roupas que utilizavam
na rua, com placas de pus e com sangue
encrustrado
Histórico
Registros específicos da enfermagem
recomendava para que tomassem banho
antes das laparotomias e utilizassem
mangas longas e limpas para
procedimentos cirúrgicos
Histórico
Primeiro relato de uso de gorro e materiais
esterilizados ocorreu na Alemanha com Joseph
Lister
Em 1865 demonstrou que o ácido carbólico
(fenol) era um efetivo agente anti-séptico
Tinha como princípio excluir bactérias
putrefáticas
Histórico
Em 1889, Dr. Wiliam Halsted, introduziu
as luvas de borracha durante o ato
cirúrgico, acrescentando uma ferramenta
de inestimável valor à antissepsia
Atualmente, o uso de luvas descartável é
universalmente estabelecido
Histórico
A prática que conhecemos atualmente teve
início ao final do século dezenove, com advento
da assepsia e anestesia geral
A administração segura da anestesia, o controle
da infecção pós-cirúrgica, além do
desenvolvimento de instrumentais cirúrgicos,
foram temas que envolveram projetos da sala
de operação na primeira metade do século vinte
Histórico
A prática cirúrgica ainda continua em
desenvolvimento contínuo e
tecnologicamente, com objetivo de ser
minimamente invasivas e no menor
período
Ambiente Cirúrgico
É a unidade hospitalar onde se realizam
as intervenções cirúrgicas
Sala Cirúrgica
É um dos componentes do ambiente
cirúrgico onde se realiza efetivamente o
ato operatório
Planejamento Físico
Deve ser planejada em equipe: arquitetos,
engenheiros, enfermeiros, médicos e
administradores
Considerar:
Número de leitos
Número de cirurgias/dia
Horário de utilização
Taxa de ocupação
especialidades
Localização
Deve ficar livre do trânsito de pessoas e
materiais
Ficar próximo à Unidades de Terapia
Intensiva, Pronto Socorro e Clínica
Cirúrgica
Número de Salas
Uma sala para cada 50 leitos gerais
Uma sala para cada 25 leitos clínica
cirúrgica
Portaria 1884/94: uma s.o. para cada 15
leitos cirúrgicos
Dimensionamento das Salas de
Cirurgias
Cirurgia Geral: mínimo de 25m²
Cirurgia especializada (neurocirurgia,
cirurgia ortopédica, cardiovascular):
mínimo de 36m²
Cirurgia de pequeno porte: Oftalmo, OTR,
endoscopia: 20m²
Componentes do Ambiente
Cirúrgico
Vestiários masculino e feminino: armários,
chuveiros uniformes privativos (máscara,
gorro, propés)
Componentes do Ambiente
Cirúrgico
Sala de recepção dos pacientes: protegida
por ante-sala, ser tranquila; possibilitar
alguns procedimentos e transferência de
maca
Componentes do Ambiente
Cirúrgico
Corredores: um corredor obedecendo as
recomendações da ANVISA/ABNT
Um lavabo para cada 2 salas de operação
Sala Cirúrgica
Mesa cirúrgica com comando de posições
Mesas de instrumentais
Mesas auxiliares
Focos de luz
Aparelho de anestesia
Monitor cardíaco
Bisturi elétrico
Rede de oxigênio, ar comprimido, óxido nitroso
Sala Auxiliar
Anexa à S.O.
Para algumas especialidades (trauma,
neuro)
Sala de Equipamentos
Aparelhos de raio-x
Microscópios
Aparelhos de vídeolaparoscopia
Aparelhos de artroscopia
Focos auxiliares
Aspiradores móveis
Equipamentos extras (cardioscópios,
capnógrafos, oxímetros de pulso, etc)
Sala de Conforto
Divãs
Sofás
Televisão
Copa anexa
Serviços Auxiliares
Radiologia
Laboratório clínico
Anatomia patológia
Administração
Chefia do Centro Cirúrgico
Supervisão de enfermagem
Serviço de anestesia
Secretaria
Farmácia satélite
Manutenção e Gasoterapia
Tubulações e registros de oxigênio, óxido
nitroso, ar comprimido
Sala de Recuperação Anestésica
Sala onde o paciente permanece até que
o nível de consciência esteja normal e os
sinais estáveis
Bioengenharia
Iluminação
Ventilação
Temperatura e umidade
Comunicações
Eletricidade
Piso
Parede
Janela
Portas
Cor
Iluminação
Artificial
Sem sombras, reflexos
Eliminação de excesso de calor (filtro de vidro)
Cúpula com revestimento de espelhos refletores
x lâmpadas conjugadas
Deve ser móvel (braços articulados)
Luz convergente (halogênio)
Focos auxiliares - baterias
Iluminação
Iluminação
Iluminação
Iluminação
Ventilação
Entrada e saída de ar
15 a 20 renovações de ar/hora
Ventilação com exaustor para permitir
saída dos gases anestésicos, odores
Filtragem retira e impede entrada de
partículas contaminantes
Ressão positiva no interior da sala
Temperatura e Umidade
Temperatura: 19 a 24ºC
Umidade: de 45 a 60%
Comunicações
Telefones
Interfones
Campainhas
Monitoramento central computadorizado
Eletricidade
Aterramento
Gerador central
Pisos
Resistente
Não poroso
Fácil visualização de sujeira
Sem frestas
Pouco sonoros
Sem relevo
Paredes
Cantos arredondados
Lisas
Janelas
Vidro duplo com persianas no meio
Portas
Sem dobradiças
Com visor de vidro
Cor
Para combater fadiga visual: verde, azul
Potencial de Contaminação
As áreas de superfícies fixas (pisos,
paredes, tetos, portas, mobiliários,
equipamentos e demais instalações) não
representam riscos significativos de
transmissão de infecções no ambiente
hospitalar
Potencial de Contaminação
Áreas que permanecem úmidas ou
molhadas têm mais condições de albergar
e proliferar microorganismos gram-
negativos e fungos
Superfícies empoeiradas são favoráveis à
proliferação de microorganismos gram-
positivos
Classificação
Não críticas
Semi-críticas
Críticas
Contaminadas
Área Não-críticas
São todas as áreas não ocupadas por
pacientes ou as quais estes não tem
acesso
Setores semelhantes aos que existem em
qualquer edifício aberto ao público
(escritórios, depósitos, banheiro)
Áreas Semi-críticas
Ocupadas por pacientes portadores de
doenças não infecciosas ou de doenças
de baixa transmissibilidade
Áreas Críticas
Abrigam pacientes com baixa resistência
imunológica ou que realizam parto e
cirurgias ou;
Nas quais é maior a possibilidade de
contato com microorganismos
patogênicos
Áreas Críticas: 2 Critérios
A depressão da resistência natural
antiinfecciosa dos pacientes as torna
críticas: salas de operação, sala de parto,
UTI, hemodiálise, berçários
Risco aumentado de transmissão de
infecções engloba laboratório de análises
clínicas, laboratório de análises
patológica, banco de sangue, lavanderia,
lactário
Centro Cirúrgico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide Centro Cirúrgico
Slide Centro CirúrgicoSlide Centro Cirúrgico
Slide Centro CirúrgicoLuana Santos
 
Apostila centro cirurgico
Apostila centro cirurgicoApostila centro cirurgico
Apostila centro cirurgicoWilmar Ribeiro
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelizaçãoGilson Betta Sevilha
 
Centro cirurgico
Centro cirurgicoCentro cirurgico
Centro cirurgicoshaxa
 
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data showClínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data showCésar Müller
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Aline Bandeira
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoConceição Quirino
 
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...Lucas Fontes
 
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4Aline Bandeira
 
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e EquipeAula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e EquipeDébora Ramos Marcinichen
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Aline Bandeira
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Aline Bandeira
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicajoselene beatriz
 

Mais procurados (20)

Cme completo
Cme completoCme completo
Cme completo
 
Slide Centro Cirúrgico
Slide Centro CirúrgicoSlide Centro Cirúrgico
Slide Centro Cirúrgico
 
Aula tempos cirurgicos
Aula tempos cirurgicosAula tempos cirurgicos
Aula tempos cirurgicos
 
Apostila centro cirurgico
Apostila centro cirurgicoApostila centro cirurgico
Apostila centro cirurgico
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
Centro cirurgico
Centro cirurgicoCentro cirurgico
Centro cirurgico
 
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data showClínica cirúrgica aula teôrica 1  powerpoint data show
Clínica cirúrgica aula teôrica 1 powerpoint data show
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
Tempos cirurgicos
Tempos cirurgicosTempos cirurgicos
Tempos cirurgicos
 
Apresentação cc
Apresentação ccApresentação cc
Apresentação cc
 
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
 
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
 
Infecções Sitio Cirurgico
Infecções Sitio CirurgicoInfecções Sitio Cirurgico
Infecções Sitio Cirurgico
 
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e EquipeAula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
Aula Centro Cirúrgico 01 - Introdução e Equipe
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
enfermagem cirugica
enfermagem cirugicaenfermagem cirugica
enfermagem cirugica
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1
 
Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgica
 

Semelhante a Centro Cirúrgico

Planta física c.c
Planta física c.cPlanta física c.c
Planta física c.cSandra Silva
 
ambiente cirúrgico - centro cirúrgico
ambiente cirúrgico - centro cirúrgicoambiente cirúrgico - centro cirúrgico
ambiente cirúrgico - centro cirúrgicoGuilherme Sicuto
 
AULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdf
AULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdfAULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdf
AULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdfjosemaciel33
 
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdfCLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdfInara Lima
 
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docx
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docxO CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docx
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docxMellissa Castanho
 
Centro cirrgico-2012 (1)
Centro cirrgico-2012 (1)Centro cirrgico-2012 (1)
Centro cirrgico-2012 (1)GeaneSilva33
 
Clínica cirúrgica-e-centro-cirúrgico
Clínica cirúrgica-e-centro-cirúrgicoClínica cirúrgica-e-centro-cirúrgico
Clínica cirúrgica-e-centro-cirúrgicoconcursohub
 
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptx
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptxInstrumentação cirúrgica aula completa.pptx
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptxMilkaPassos1
 
Zonas de um centro cirúrgico.pptx
Zonas de um centro cirúrgico.pptxZonas de um centro cirúrgico.pptx
Zonas de um centro cirúrgico.pptxFernandaMaia71
 
RRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptx
RRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptxRRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptx
RRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptxJooHenriqueCarvallho
 
Limpeza e desinfecção hospitalar
Limpeza e desinfecção hospitalarLimpeza e desinfecção hospitalar
Limpeza e desinfecção hospitalarPrLinaldo Junior
 
Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2Rosimeyre Lira
 

Semelhante a Centro Cirúrgico (20)

Centro cirurgico
Centro cirurgicoCentro cirurgico
Centro cirurgico
 
O centro cirúrgico
O centro cirúrgicoO centro cirúrgico
O centro cirúrgico
 
Planta física c.c
Planta física c.cPlanta física c.c
Planta física c.c
 
ambiente cirúrgico - centro cirúrgico
ambiente cirúrgico - centro cirúrgicoambiente cirúrgico - centro cirúrgico
ambiente cirúrgico - centro cirúrgico
 
AULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdf
AULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdfAULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdf
AULA ENFERMAGEM EM CENTRO CIRURGICO DR. JOSE.pdf
 
Enfermagem-no-centro-cirúrgico.pdf
Enfermagem-no-centro-cirúrgico.pdfEnfermagem-no-centro-cirúrgico.pdf
Enfermagem-no-centro-cirúrgico.pdf
 
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdfCLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
 
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docx
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docxO CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docx
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO PÓS.docx
 
Centro cirrgico-2012 (1)
Centro cirrgico-2012 (1)Centro cirrgico-2012 (1)
Centro cirrgico-2012 (1)
 
Clínica cirúrgica-e-centro-cirúrgico
Clínica cirúrgica-e-centro-cirúrgicoClínica cirúrgica-e-centro-cirúrgico
Clínica cirúrgica-e-centro-cirúrgico
 
Katia02
Katia02Katia02
Katia02
 
Katia
KatiaKatia
Katia
 
Instrumentação cirúrgica thaty
Instrumentação cirúrgica thatyInstrumentação cirúrgica thaty
Instrumentação cirúrgica thaty
 
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptx
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptxInstrumentação cirúrgica aula completa.pptx
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptx
 
Zonas de um centro cirúrgico.pptx
Zonas de um centro cirúrgico.pptxZonas de um centro cirúrgico.pptx
Zonas de um centro cirúrgico.pptx
 
aula 1 e 2 CME.ppt
aula 1 e 2 CME.pptaula 1 e 2 CME.ppt
aula 1 e 2 CME.ppt
 
RRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptx
RRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptxRRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptx
RRRRRSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.pptx
 
cc.pdf
cc.pdfcc.pdf
cc.pdf
 
Limpeza e desinfecção hospitalar
Limpeza e desinfecção hospitalarLimpeza e desinfecção hospitalar
Limpeza e desinfecção hospitalar
 
Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2
 

Centro Cirúrgico