Centrocirurgicoe 140827063934-phpapp02

573 visualizações

Publicada em

aula centrocirurgico

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
573
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Centrocirurgicoe 140827063934-phpapp02

  1. 1. CENTROCENTRO CIRÚRGICOCIRÚRGICO
  2. 2. DEFINIÇÃO DE CENTRO CIRÚRGICODEFINIÇÃO DE CENTRO CIRÚRGICO ►É a unidade do hospital constituídaÉ a unidade do hospital constituída de várias salas cirúrgicas destinada àde várias salas cirúrgicas destinada à realização de procedimentosrealização de procedimentos (partos,drenagens,cirurgias).(partos,drenagens,cirurgias). ►Deve estar situado em localDeve estar situado em local estratégico de maneira a facilitar oestratégico de maneira a facilitar o acesso a UTI e setores deacesso a UTI e setores de emergências.emergências. ►Local privativo,não existe visitasLocal privativo,não existe visitas..
  3. 3. Estrutura da unidadeEstrutura da unidade ► Composto de vestiáriosComposto de vestiários masculinos e femininosmasculinos e femininos ► Salas de enfermagem,Salas de enfermagem, posto, medicação.posto, medicação. ► Arsenal, materiais.Arsenal, materiais. ► Equipamentos.Equipamentos. ► Expurgo,copa,sala deExpurgo,copa,sala de estudo,repouso médico.estudo,repouso médico. ► Recuperação pósRecuperação pós anestésicaanestésica ► Porta de entrada doPorta de entrada do pacientepaciente
  4. 4. PORTA DE ENTRADA/ ÚNICA EPORTA DE ENTRADA/ ÚNICA E EXCLUSIVA DO PACIENTEEXCLUSIVA DO PACIENTE
  5. 5. ► CorredorCorredor ► PortasPortas ► MateriaisMateriais ► MóveisMóveis
  6. 6. A equipeA equipe ► Os profissionais queOs profissionais que atuam no Centroatuam no Centro Cirúrgico são: asCirúrgico são: as equipes médicasequipes médicas (cirúrgica e(cirúrgica e anestesiologia), deanestesiologia), de enfermagem,enfermagem, administrativa e deadministrativa e de higiene, que têm comohigiene, que têm como objetivo assistirobjetivo assistir adequadamente àsadequadamente às necessidades donecessidades do paciente.paciente.
  7. 7. ► Em uma equipe, todosEm uma equipe, todos os seus membros têmos seus membros têm suas responsabilidadessuas responsabilidades e funções definidas,e funções definidas, assim como devem serassim como devem ser habilitados para ashabilitados para as atividades queatividades que desempenham. Asdesempenham. As funções do enfermeirofunções do enfermeiro coordenador, docoordenador, do enfermeiro assistencial,enfermeiro assistencial, dos técnicos emdos técnicos em enfermagem, dosenfermagem, dos auxiliares deauxiliares de enfermagem e dosenfermagem e dos auxiliaresauxiliares administrativosadministrativos
  8. 8. Trabalhando no centroTrabalhando no centro cirúrgico.cirúrgico. ► Importância da roupaImportância da roupa privativa .privativa . ► Uso de equipamentosUso de equipamentos de proteçãode proteção individual.individual. ► ComprometimentoComprometimento da equipe.da equipe. ► Uso de anéis,Uso de anéis, brincos.brincos. ► Roupa de frio.Roupa de frio.
  9. 9. O PREPARO,O PREPARO, VESTIMENTA,DEGERMAÇÃOVESTIMENTA,DEGERMAÇÃO
  10. 10. LOCAL PRIVATIVO(vestimenta)LOCAL PRIVATIVO(vestimenta)
  11. 11. Trabalhando em centro cirúrgicoTrabalhando em centro cirúrgico vestiário femininovestiário feminino
  12. 12. ► Degermação das mãosDegermação das mãos ► Lavagem básicaLavagem básica ► Uso de anti-sépticosUso de anti-sépticos ► Atenção no pré operatórioAtenção no pré operatório no centro cirúrgico.no centro cirúrgico. ► Sala de enfermagem.Sala de enfermagem.
  13. 13. Degermação mãos atéDegermação mãos até cotoveloscotovelos
  14. 14. ► USO DEUSO DE ANTISSÉPTICOSANTISSÉPTICOS ► ESCOVA EXCLUSIVAESCOVA EXCLUSIVA ► TORNEIRAS COMTORNEIRAS COM SENSORSENSOR
  15. 15. DEGERMAÇÃDEGERMAÇÃ O,O, ►APÓS SECARAPÓS SECAR BEMBEM ►CALÇAR LUVASCALÇAR LUVAS
  16. 16. ATO CIRÚRGICOATO CIRÚRGICO ►INTERVENÇÃO SANGRENTAINTERVENÇÃO SANGRENTA ►ORGANISMO VIVOORGANISMO VIVO ►VIA DE ACESSOVIA DE ACESSO CONCEITOCONCEITO
  17. 17. ►PREVENTIVAPREVENTIVA ►TERAPÊUTICATERAPÊUTICA ►ESTÉTICAESTÉTICA ► EXPERIMENTALEXPERIMENTAL FINALIDADEFINALIDADE
  18. 18. TEMPOSTEMPOS FUNDAMENTAISFUNDAMENTAIS ►DIERÉSEDIERÉSE ►HEMOSTASIAHEMOSTASIA ►ATO CIRURGICOATO CIRURGICO ►SÍNTESESÍNTESE
  19. 19. sintesesintese
  20. 20. Definições.Definições. ► Cirurgia: método utilizado para remoção,Cirurgia: método utilizado para remoção, reparo,ou substituição de uma partereparo,ou substituição de uma parte ► ClassificaçãoClassificação:Emergência:Emergência-- risco de morte.-- risco de morte. ► UrgênciaUrgência--,precisa ser feita dentro de 24 horas .--,precisa ser feita dentro de 24 horas . ► EletivaEletiva-- programada.-- programada. ► PaliativaPaliativa– qualidade de vida– qualidade de vida ► PlásticaPlástica—finalidade estética,corretiva.—finalidade estética,corretiva. ► RadicalRadical—retirada parcial ou total.—retirada parcial ou total. ► DiagnósticaDiagnóstica—finalidade de exames.—finalidade de exames.
  21. 21. Cirurgia, comCirurgia, com finalidade diagnósticafinalidade diagnóstica ► PunçãoPunção ► IncisãoIncisão
  22. 22. BIÓPSIAS ===POR PUNÇÃOBIÓPSIAS ===POR PUNÇÃO
  23. 23. PLÁSTICA PARA AUMENTO DEPLÁSTICA PARA AUMENTO DE VOLUME DE MAMAVOLUME DE MAMA
  24. 24. ►FINALIDADFINALIDAD EE ESTÉTICAESTÉTICA
  25. 25. Cirurgia radical ou parcialCirurgia radical ou parcial
  26. 26. TOTAL OU PARCIALTOTAL OU PARCIAL
  27. 27. A cirurgia de remoção da pele durouA cirurgia de remoção da pele durou várias horas e os cirurgiõesvárias horas e os cirurgiões retiraram cerca de 57 kg.retiraram cerca de 57 kg. ► Natalya tornou-se obesaNatalya tornou-se obesa por causa de problemaspor causa de problemas hormonais. Desde os 13hormonais. Desde os 13 anos ela sofre com oanos ela sofre com o aumento de peso. Elaaumento de peso. Ela tentou todas as dietastentou todas as dietas existentes, visitouexistentes, visitou centenas de médicos,centenas de médicos, mas sem nenhummas sem nenhum resultado. Enquanto isso,resultado. Enquanto isso, sua barriga continuavasua barriga continuava crescendo.crescendo.
  28. 28. Cirurgia eletivaCirurgia eletiva
  29. 29. FERIMENTOS ABERTOS/ emergênciaFERIMENTOS ABERTOS/ emergência PROVOCADO POR VIDRO COLOCADO SOBRE MURO DE RESIDÊNCIA
  30. 30. Atendimento de emergênciaAtendimento de emergência
  31. 31. CirurgiaCirurgia Definição: o conjunto de gestos manuais ouDefinição: o conjunto de gestos manuais ou instrumentais, executando pelo cirurgião,instrumentais, executando pelo cirurgião, que abrange a abertura ou não do corpoque abrange a abertura ou não do corpo com a finalidade diagnóstica, terapêutica oucom a finalidade diagnóstica, terapêutica ou estética.estética.
  32. 32. Período PerioperatórioPeríodo Perioperatório Refere-se aos eventos ocorridosRefere-se aos eventos ocorridos durante todo o período cirúrgico,durante todo o período cirúrgico, desde o preparo para a cirurgia até adesde o preparo para a cirurgia até a recuperação dos efeitos temporáriosrecuperação dos efeitos temporários da cirurgia e anestesia.da cirurgia e anestesia. Dividindo-se em: pré, trans e pós-Dividindo-se em: pré, trans e pós-
  33. 33. Pré-operatórioPré-operatório ► OO pré-operatóriopré-operatório tem início notem início no momento em que se identifica amomento em que se identifica a necessidade de uma intervençãonecessidade de uma intervenção cirúrgica e termina com acirúrgica e termina com a transferência do cliente a mesatransferência do cliente a mesa cirúrgica.cirúrgica.
  34. 34. Trans-operatórioTrans-operatório ►OO trans-operatóriotrans-operatório tem início notem início no momento em que o paciente émomento em que o paciente é transferido para o leito da sala detransferido para o leito da sala de cirurgia e termina quando ocirurgia e termina quando o paciente é admitido na sala depaciente é admitido na sala de recuperação anestésica ourecuperação anestésica ou enfermaria.enfermaria.
  35. 35. Pós-operatórioPós-operatório ►OO pós-operatóriopós-operatório tem início com atem início com a admissão no setor de recuperaçãoadmissão no setor de recuperação anestésica e termina com aanestésica e termina com a avaliação na unidade de internaçãoavaliação na unidade de internação ou no consultório médico.ou no consultório médico.
  36. 36. Cuidados de enfermagem noCuidados de enfermagem no período pré, trans e pós-operatórioperíodo pré, trans e pós-operatório ► Tem como objetivo subsidiar meios para umaTem como objetivo subsidiar meios para uma assistência de enfermagem global atendendo asassistência de enfermagem global atendendo as necessidades do paciente cirúrgico.necessidades do paciente cirúrgico. ► O foco principal é estar centrado no paciente e nasO foco principal é estar centrado no paciente e nas intervenções para atender suas necessidades.intervenções para atender suas necessidades. ► Respeitar o paciente como indivíduo, protegendoRespeitar o paciente como indivíduo, protegendo seus direitos e dignidadeseus direitos e dignidade.. ► Reduzir a ansiedade do paciente e de sua famíliaReduzir a ansiedade do paciente e de sua família.. ► Oferecer uma assistência individualizada (cadaOferecer uma assistência individualizada (cada pessoa é diferente e tem suas necessidadespessoa é diferente e tem suas necessidades).).
  37. 37. Visita Pré-operatóriaVisita Pré-operatória ► Buscar a satisfação do paciente, familiares e equipe;Buscar a satisfação do paciente, familiares e equipe; ► A equipe de enfermagem deve ir até o quarto deA equipe de enfermagem deve ir até o quarto de internação do paciente einternação do paciente e verificar as dúvidas everificar as dúvidas e necessidades do paciente e familiares em relação ànecessidades do paciente e familiares em relação à cirurgiacirurgia;; ► Avaliação pré operatória: exame físico e entrevista.Avaliação pré operatória: exame físico e entrevista. ► Buscar dados relevantes para o período pré e trans.Buscar dados relevantes para o período pré e trans. ► Diagnóstico de enfermagem eDiagnóstico de enfermagem e Prescrição dePrescrição de enfermagem para o período transoperatório e SRA.enfermagem para o período transoperatório e SRA.
  38. 38. Visita pós-operatóriaVisita pós-operatória ► IrIr ao quarto de internação do paciente;ao quarto de internação do paciente; ► Verificar as condições clínicas do paciente;Verificar as condições clínicas do paciente; ► Avaliar o paciente frente aos cuidados prestadosAvaliar o paciente frente aos cuidados prestados no CC;no CC; ► Realizar orientações necessárias;Realizar orientações necessárias; ► Ouvir o paciente e familiares esclarecendo eOuvir o paciente e familiares esclarecendo e reforçando as orientações recebidas;reforçando as orientações recebidas; ► Saber como foi a experiência para o paciente.Saber como foi a experiência para o paciente.
  39. 39. Infecção no ambienteInfecção no ambiente cirúrgicocirúrgico As principais fontes:As principais fontes: ►o próprio cliente;o próprio cliente; ► o pessoal da sala operatória;o pessoal da sala operatória; ► o ambiente;o ambiente; ►os materiais e os equipamentos.os materiais e os equipamentos.
  40. 40. As formas de precaução:As formas de precaução: ► lavagem das mãos;lavagem das mãos; ► uso de luvas;uso de luvas; ► máscaras, protetor de olhos e protetor de facemáscaras, protetor de olhos e protetor de face quando necessário para proteger o profissional;quando necessário para proteger o profissional; ► aventais;aventais; ► manuseio adequado dos equipamentos demanuseio adequado dos equipamentos de cuidados ao paciente;cuidados ao paciente; ► controle do ambiente que cerca o paciente;controle do ambiente que cerca o paciente; ► manipulação adequada das roupas do paciente;manipulação adequada das roupas do paciente; ► total atenção com os materiais pérfuro-cortantes;total atenção com os materiais pérfuro-cortantes; ► cuidado com o leito de internação.cuidado com o leito de internação.
  41. 41. Equipamentos de proteção individualEquipamentos de proteção individual
  42. 42. Potencial de contaminação dasPotencial de contaminação das cirurgiascirurgias ► Operações LimpasOperações Limpas são realizadas em tecidos estéreis ou passíveis desão realizadas em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação, na ausência de processo infeccioso edescontaminação, na ausência de processo infeccioso e inflamatório local ou falhas técnicas grosseiras, cirurgiasinflamatório local ou falhas técnicas grosseiras, cirurgias atraumáticas e sem drenagem, não ocorrem penetraçãoatraumáticas e sem drenagem, não ocorrem penetração nos tratos digestivo, respiratório ou urinário.nos tratos digestivo, respiratório ou urinário.
  43. 43. ► Operações Potencialmente ContaminadasOperações Potencialmente Contaminadas são realizadas em tecidos colonizados por florasão realizadas em tecidos colonizados por flora microbiana pouco numerosa ou em tecido de difícilmicrobiana pouco numerosa ou em tecido de difícil descontaminação, na ausência do processodescontaminação, na ausência do processo infeccioso e inflamatório e com falas técnicasinfeccioso e inflamatório e com falas técnicas discretas no trans-operatório. Cirurgias limpas comdiscretas no trans-operatório. Cirurgias limpas com drenagem, se enquadram nesta categoria. Ocorredrenagem, se enquadram nesta categoria. Ocorre penetração nos tratos digestivo, respiratório oupenetração nos tratos digestivo, respiratório ou urinário sem contaminação significativa.urinário sem contaminação significativa.
  44. 44. ► Operações ContaminadasOperações Contaminadas São realizadas em tecidos traumatizadosSão realizadas em tecidos traumatizados recentemente e abertos, colonizados por florarecentemente e abertos, colonizados por flora bacteriana abundante cuja descontaminação sejabacteriana abundante cuja descontaminação seja difícil ou impossível, bem como todas aquelas emdifícil ou impossível, bem como todas aquelas em que tenham ocorrido falhas técnicas grosseiras, naque tenham ocorrido falhas técnicas grosseiras, na ausência de supuração local. Presença deausência de supuração local. Presença de inflamação aguda na incisão e grandeinflamação aguda na incisão e grande contaminação a partir do tubo digestivo, obstruçãocontaminação a partir do tubo digestivo, obstrução biliar ou urinária.biliar ou urinária.
  45. 45. ► Operações InfectadasOperações Infectadas São todas as intervenções cirúrgicas realizadasSão todas as intervenções cirúrgicas realizadas em qualquer tecido ou órgão, em presença deem qualquer tecido ou órgão, em presença de processo infeccioso, tecido necrótico, corposprocesso infeccioso, tecido necrótico, corpos estranhos e ferida de origem suja.estranhos e ferida de origem suja.
  46. 46. CIRURGIA INFECTADACIRURGIA INFECTADA
  47. 47. POTENCIALMENTEPOTENCIALMENTE CONTAMINADACONTAMINADA ► CISTOCISTO PILONIDALPILONIDAL
  48. 48. ► CIRURGIACIRURGIA BÁRIATRICABÁRIATRICA ► COMPLICAÇÃOCOMPLICAÇÃO ► APÓS MESES DAPÓS MESES D TRATAMENTOTRATAMENTO ► CIRURGIACIRURGIA CONTAMINADACONTAMINADA
  49. 49. ►CIRURGIACIRURGIA LIMPALIMPA ►CURATIVOCURATIVO ►ALTAALTA BREVEBREVE
  50. 50. CIRURGIA LIMPACIRURGIA LIMPA
  51. 51. Aspectos relacionados a todo o paciente cirúrgico:Aspectos relacionados a todo o paciente cirúrgico: ► Especificidade da cirurgia, anestesia e traumaEspecificidade da cirurgia, anestesia e trauma anestésico-cirúrgico;anestésico-cirúrgico; ► Período de hospitalização pré-operatória;Período de hospitalização pré-operatória; ► Degermação e cuidados com a pele;Degermação e cuidados com a pele; ► Paramentação cirúrgica;Paramentação cirúrgica; ► Procedimentos invasivos;Procedimentos invasivos; ► uso de antibióticos.uso de antibióticos.
  52. 52. Aspectos relacionados aos Materiais eAspectos relacionados aos Materiais e Equipamentos:Equipamentos: ► O tratamento oferecido aos artigos eO tratamento oferecido aos artigos e equipamentos, no que se refere ao seuequipamentos, no que se refere ao seu procedimento adequado e conservação e aindaprocedimento adequado e conservação e ainda a qualidade do procedimento realizado, no quala qualidade do procedimento realizado, no qual está em evidência o conhecimento do usuárioestá em evidência o conhecimento do usuário bom como utiliza a técnica asséptica.bom como utiliza a técnica asséptica.
  53. 53. A limpeza do centro cirúrgico é dividida em quatro fases:A limpeza do centro cirúrgico é dividida em quatro fases: ► Limpeza PreparatóriaLimpeza Preparatória – realizada quase antes do início das– realizada quase antes do início das cirurgias programadas do dia. Tem por objetivo removercirurgias programadas do dia. Tem por objetivo remover poeiras que se acumularam no período noturno, utiliza-sepoeiras que se acumularam no período noturno, utiliza-se um pano seco e limpo com solução anti-séptica, deum pano seco e limpo com solução anti-séptica, de preferência álccol.preferência álccol. ► Limpeza OperatóriaLimpeza Operatória – realizada durante o procedimento– realizada durante o procedimento cirúrgico, com o intuito de controlar a matéria orgânica quecirúrgico, com o intuito de controlar a matéria orgânica que por ventura se espalhou pelo ar ou por contato direto epor ventura se espalhou pelo ar ou por contato direto e indireto do campo cirúrgico.indireto do campo cirúrgico. ► Limpeza ConcorrenteLimpeza Concorrente – realizada ao término de cada– realizada ao término de cada cirurgia. Envolve a limpeza de superfícies, móveis,cirurgia. Envolve a limpeza de superfícies, móveis, equipamentos, piso (com água e sabão e utilizandoequipamentos, piso (com água e sabão e utilizando desinfetante após) e posterior remontagem da sala.desinfetante após) e posterior remontagem da sala. ► Limpeza TerminalLimpeza Terminal – realizada após a última cirurgia– realizada após a última cirurgia programada do dia, sendo mais completa que a limpezaprogramada do dia, sendo mais completa que a limpeza concorrente. Inclui limpeza dos lavabos, paredes,concorrente. Inclui limpeza dos lavabos, paredes, maçanetas, grades de ar condicionado, etc.maçanetas, grades de ar condicionado, etc.
  54. 54. Os conceitos fundamentais para evitar a infecção noOs conceitos fundamentais para evitar a infecção no ambiente cirúrgico são:ambiente cirúrgico são: AssepsiaAssepsia - consiste na utilização de medidas para impedir a- consiste na utilização de medidas para impedir a penetração de microrganismos num local estéril.penetração de microrganismos num local estéril. Anti-sepsiaAnti-sepsia - consiste na destruição ou inibição do- consiste na destruição ou inibição do crescimento numérico de microrganismos patogênicos porcrescimento numérico de microrganismos patogênicos por substâncias químicas aplicadas localmente em tecidossubstâncias químicas aplicadas localmente em tecidos vivos.vivos.
  55. 55. Classificação de áreasClassificação de áreas ► Áreas críticasÁreas críticas são aquelas onde existem ossão aquelas onde existem os riscos aumentados de transmissão de infecção, onderiscos aumentados de transmissão de infecção, onde se realizam procedimentos de risco ou onde sese realizam procedimentos de risco ou onde se encontram pacientes com seu sistema com seuencontram pacientes com seu sistema com seu sistema imunológico deprimido. Ex: UTI/berçário desistema imunológico deprimido. Ex: UTI/berçário de alto risco/banco de sangue/salas de operação ealto risco/banco de sangue/salas de operação e parto/lavanderia.parto/lavanderia. ► Áreas semi-críticasÁreas semi-críticas são todos as áreassão todos as áreas hospitalares ocupadas por pacientes com doençashospitalares ocupadas por pacientes com doenças infecciosas de baixa transmissibilidade e doençasinfecciosas de baixa transmissibilidade e doenças não infecciosas. Ex: enfermarias e ambulatórios.não infecciosas. Ex: enfermarias e ambulatórios. ► Áreas não-críticasÁreas não-críticas são todas as áreassão todas as áreas hospitalares não ocupadas por pacientes. Ex:hospitalares não ocupadas por pacientes. Ex: escritório / depósitos / sanitários.escritório / depósitos / sanitários.
  56. 56. Classificação de artigosClassificação de artigos ► Artigos críticosArtigos críticos são aqueles que penetram através da pele e mucosas,são aqueles que penetram através da pele e mucosas, atingindo os tecidos subepiteliais e no sistema vascular,atingindo os tecidos subepiteliais e no sistema vascular, bem como todos os que estejam diretamente conectadosbem como todos os que estejam diretamente conectados com este sistema, isto é, são artigos que entram emcom este sistema, isto é, são artigos que entram em contato direto com tecidos ou trato estéreis. Estescontato direto com tecidos ou trato estéreis. Estes requerem esterilização para satisfazer os objetivos a que serequerem esterilização para satisfazer os objetivos a que se propõem.propõem. Ex: instrumentos de corte ou ponta/soluçõesEx: instrumentos de corte ou ponta/soluções injetáveis/instrumentos cirúrgicos/roupas utilizadas no atoinjetáveis/instrumentos cirúrgicos/roupas utilizadas no ato cirúrgico, borracha para aspiração/etc.cirúrgico, borracha para aspiração/etc.
  57. 57. ► Artigos semi-críticosArtigos semi-críticos são aqueles que entram em contato com a pele nãosão aqueles que entram em contato com a pele não íntegra ou com mucosas íntegras requerem desinfecçãoíntegra ou com mucosas íntegras requerem desinfecção de médio ou de alto nível, ou esterilização, para terde médio ou de alto nível, ou esterilização, para ter garantia a qualidade do múltiplo uso destes.garantia a qualidade do múltiplo uso destes. Ex: medicamentos orais e inaláveis / pratos / talheres /Ex: medicamentos orais e inaláveis / pratos / talheres / alimentos / endoscópios em geral / termômetros(aferiralimentos / endoscópios em geral / termômetros(aferir temperatura oral ou retal) / ambu / espéculos vaginais /temperatura oral ou retal) / ambu / espéculos vaginais / bicos de mamadeira / mamadeira / etc.bicos de mamadeira / mamadeira / etc.
  58. 58. ► Artigos não-críticosArtigos não-críticos São aqueles que entram em contato apenas com a peleSão aqueles que entram em contato apenas com a pele íntegra do paciente. Requerem limpeza ou desinfecção deíntegra do paciente. Requerem limpeza ou desinfecção de baixo ou médio nível, dependendo do uso a que sebaixo ou médio nível, dependendo do uso a que se destinam ou do último uso realizado.destinam ou do último uso realizado. Ex: mesas de aparelho de raio X/artigos de higiene doEx: mesas de aparelho de raio X/artigos de higiene do paciente/recipientes de lixo / termômetro (aferir temperaturapaciente/recipientes de lixo / termômetro (aferir temperatura axilar) / esfigmomanômetro / bacias / cubas / jarros / etc.axilar) / esfigmomanômetro / bacias / cubas / jarros / etc.
  59. 59. ACESSO AO BANCO DEACESSO AO BANCO DE SANGUESANGUE ► ESTOQUE PRÉVIOESTOQUE PRÉVIO ► SOLICITAÇÃOSOLICITAÇÃO PRÉVIAPRÉVIA ► PROCESSOPROCESSO RELIGIOSORELIGIOSO

×