Centro cirurgico

27.719 visualizações

Publicada em

Centro cirúrgico

Publicada em: Mídias sociais
  • Seja o primeiro a comentar

Centro cirurgico

  1. 1. Universidade Potiguar Ciclo Vital III
  2. 2.       Cirurgião Auxiliar Médico Anestesiologista Enfermeiro Instrumentador Circulante
  3. 3.   Dar continuidade aos cuidados de enfermagem pré-operatórios. “A anestesia e a cirurgia conturbam todos os principais sistemas corporais.” (BRUNNER & SUDDART, 2004)
  4. 4.      “A Unidade de Centro Cirúrgico é o conjunto de elementos destinados às atividades cirúrgicas, bem como à recuperação pós-anestésica e pósoperatória imediatas.” (Ministério da Saúde) - Ambiente crítico: risco aumentado de transmissão de infecção pelos procedimentos ali realizados Áreas não-restritas Áreas semi-restritas Áreas restritas
  5. 5.      Jaleco cirúrgico Máscaras Gorros Propés Capote Cirúrgico
  6. 6.  “Todos os suprimentos cirúrgicos, instrumentos, agulhas, suturas, curativos, luvas, campos e soluções que possam entrar em contato com a ferida cirúrgica devem ser esterilizados antes de sua utilização.” (Mecker, 1999)
  7. 7. CARACTERÍSTIC A SO Corredores Temperatura min-max (o C) 19-24 19-24 22-24 45-60 45-60 45-60 25 15 10 G2/F2/A3 G2/F3 Umidade Relativa Troca de Ar (por hora) Filtros G2/F2/A3 Recuperação Anestésica
  8. 8. Conforto Térmico SITUAÇÃO AMBIENTAL APROXIMADA TEMPERATURA E UMIDADE Temperatura termômetro normal Umid relativa EM RELAÇÃO A Situação Menor 16 ºC Qualquer Desconforto (frio) Entre 16 e 24 ºC 40% a 50% Zona de conforto Acima de 25 ºC maior que 50% Desconforto (quente) FACISA / CBPEX
  9. 9. CLASSIFICAÇÃO DE FILTROS DE AR PARA UTILIZAÇÃO EM AMBIENTES CLIMATIZADOS, CONFORME RECOMENDAÇÃO NORMATIVA 0041995 da SBCC Classe de filtro Eficiência (%) Grossos G0 30-59 G1 60-74 G2 75-84 G3 85 e acima F1 40-69 F2 70-89 F3 90 e acima A1 85-94, 9 A2 95-99, 96 A3 99, 97 e acima Finos Absolutos FACISA / CBPEX
  10. 10. CLIMATIZAÇÃO DE SALA CIRÚRGICA
  11. 11.   RDC 50/2002 RDC 307/2002 “Deve haver uma sala de operação para cada 50 leitos não especializados ou 15 leitos cirúrgicos”
  12. 12. Tamanho:    Pequena: 20 metros quadrados Média: 25 metros quadrados Grande: 36 metros quadrados
  13. 13.  “O Piso deve ser liso, não poroso, resistente a agentes químicos, sem fendas ou fissuras, impermeável, durável, de fácil limpeza e capaz de realçar a sujeira.” (RDC 50, 2002)
  14. 14.    “Material liso, resistente, lavável, antiacústico e não refletor de luz. A cor deve combater a fadiga visual.” Cerâmicas com índice de absorção inferior a 4 %. Tintas sem cheiro, resistentes à limpeza, textura lisa para dificultar a aderência de sujeiras. (Tintas à base de epoxi e PVC)
  15. 15.  Material resistente e lavável, sem ranhuras e não poroso para impedir a retenção de bactérias.
  16. 16. Situação indesejável:
  17. 17. Execução Recomendável:
  18. 18.    Iluminação adequada do capo operatório Prevenção da fadiga visual “A má iluminação pode acarretar graves prejuízos ao profissional e ao paciente” (RDC 50/2002)
  19. 19.      Lavagem simples Escovação Cirúrgica “Para cada duas salas, recomenda-se um lavabo com duas torneiras.” O espaço entre duas pessoas : 1,10m) Acionamento para dispensação de antiséptico
  20. 20. LAVATÓRIOS IVANILDO BRASILEIRO CBPEX 22
  21. 21.     Oxigênio Ar Comprimido Vácuo Óxido Nitroso
  22. 22. A MESA CIRÚRGICA
  23. 23.        Posição Posição Posição Posição Posição Posição Posição decúbito dorsal decúbito ventral fowler ou sentada litotômica ou ginecológica Jackknife ou canivete lateral ou SIMS Trendelenburg
  24. 24.   A equipe Cirúrgica A prevenção de Infecção Hospitalar
  25. 25.          Tempo Cirúrgico Bactérias Suspensas Dispersão Abertura da pele Mãos Equipe Técnica Bacteriemia Ar Condicionado Instrumentais, fluidos, antisépticos contaminados
  26. 26.      Papel do enfermeiro: Mapa de consumo: diário, semanal, quinzenal e mensal Artigos hospitalares: Acrescentar 20 a 30% do total da sua cota Roupa Cirúrgica: Quantidade Máxima Utilizada em 24 horas multiplicado por 4 Compressas: Previsão de 12 vezes a quantidade utilizada
  27. 27.         NBR 6492 – Representação de projetos de arquitetura; - NBR 13532 - Elaboração de projetos de edificações – Arquitetura. - NBR 5261 – Símbolos gráficos de eletricidade – Princípios gerais para desenho de símbolos gráficos; - NBR 7191 - Execução de desenhos para obras de concreto simples ou armado; - NBR 7808 - Símbolos gráficos para projetos de estruturas; - NBR 14611 – Desenho técnico – Representação simplificada em estruturas metálicas; e - NBR 14100 – Proteção contra incêndio – Símbolos gráficos para projetos.
  28. 28.  1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. PREVISÃO Especificidade dos tipos de artigos Características dos usuários Frequência no uso dos artigos Número de procedimentos Local de armazenamento Durabilidade do artigo Periodicidade de reposição do artigo
  29. 29.  1. 2. 3. 4. Provisão Sistema de reposição Sistema de reposição Sistema de reposição tempo Sistema de reposição quantidade por quantidade por tempo por quantidade e imediata por
  30. 30.  Padronização dos artigos  Controle de estoque dos artigos  Processo de compra dos artigos  Fluxograma de materiais
  31. 31.     Cirurgia de porte I: tempo de duração até 2h Cirurgia de porte II: tempo de duração de 2 a 4h Cirurgia de porte III: tempo de duração de 4 a 6h Cirurgia de porte IV: tempo de duração acima de 6h
  32. 32.        Tempo e porte cirúrgico Características do usuário Previsão e provisão dos matérias Recursos humanos Leitos disponíveis Anestesiologista Duração do usuário na RPA
  33. 33.       Impossibilidade pessoal Impossibilidade de mat-med e equipamentos Impossibilidade do paciente Alteração da programação cirúrgica Problemas anestésicos Outras causas
  34. 34. Referentes à estrutura organizacional e infra-estrutura do hospital: falta de leitos para internação no pós operatório- 27%;  Relacionados às equipes médicas: atraso da equipe cirúrgica e do anestesista - 61,7%;  Relativos aos pacientes: não comparecimento do mesmo (sem detalhamento do motivo)- 2,99%;  Relacionados à equipe de enfermagem: demora no transporte do paciente de Unidade de Internação para o CCI - 1,79%;  Outros motivos dentre os quais o principal é relativo ao longo período de duração da cirurgia precedente às cirurgias programadas 6,88 % (HOSPITAL DAS CLINICAS, 2007) 

×