Organologia Vegetal - Carlos Eduardo

5.733 visualizações

Publicada em

Uma apresentação elaborada para dar aulas sobre os órgãos vegetais, principais funções, partes e tipos de cada órgão vegetal. A montagem das lâminas estão configuradas para uso de controle com lazer. Um trabalho abordando as principais características dos órgãos das plantas, com imagens bem explorativas de exemplificação. Uma apresentação perfeita para sala de aula.

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
170
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Organologia Vegetal - Carlos Eduardo

  1. 1. BIOLOGIA Miraíma – CE 2014
  2. 2. ORGANOLOGIA VEGETAL Raízes, caules e folhas Flores, sementes e frutos
  3. 3. RAÍZ Órgão vegetativo, normalmente subterrâneo e aclorofilado, que faz parte do eixo da planta. Exerce funções de sustentação e fixação, além de absorção de água e sais minerais e, em alguns casos, reserva nutritiva. As raízes são classificadas acordo com o tipo de ambiente onde nascem, se fixam e vivem: subterrâneas, aéreas e aquáticas.
  4. 4. RAÍZ • TIPOS DE RAÍZES • Axial ou pivotante • Fasciculada ou cabeleira • Tuberosas • Raízes aquáticas • Raízes aéreas
  5. 5. TIPOS DE RAÍZES • AXIAL OU PIVOTANTE . A mais comumente encontrada na natureza, em plantas como as gimnospermas e angiospermas dicotiledôneas. É constituída de um eixo principal de onde partem as raízes secundárias ou laterais. Este tipo de raiz possui regiões facilmente identificáveis em sua estrutura.
  6. 6. TIPOS DE RAÍZES • FASCICULADA OU CABELEIRA Típica de angiospermas monocotiledôneas como gramíneas. Este tipo de raiz não possui um eixo principal e a diferenciação das raízes secundárias, sendo constituída por inúmeras raízes equivalentes, saindo de pontos muito próximos. Este tipo de raiz não se aprofunda muito no solo como as axiais.
  7. 7. TIPOS DE RAÍZES • TUBEROSAS Este tipo de raiz, além de realizar as funções tradicionais de fixação e absorção, sofreu uma adaptação para armazenar material nutritivo, principalmente o amido, conhecido carboidrato de reserva de energia vegetal.
  8. 8. TIPOS DE RAÍZES • RAÍZES AQUÁTICAS São as raízes de plantas de regiões alagadiças, aquáticas, podendo os vegetais serem submersos ou superficiais.
  9. 9. TIPOS DE RAÍZES • RAÍZES AÉREAS São aquelas que crescem acima da superfície do solo ou substrato. TABULARES SUPORTES OU ESCORAS
  10. 10. TIPOS DE RAÍZES GRAMPIFORMES EPÍFITAS ESTRANGULANTES: MATA-PAU PNEUMATÓFORAS
  11. 11. CAULE É outro exemplo de órgão vegetativo, geralmente aéreo, que desempenha as funções principais de sustentação, elevação das folhas em direção à luz e distribuição de seiva pela planta. • GEMA APICAL • GEMA LATERAL • NÓ • ENTRENÓ
  12. 12. CAULE • CAULES AÉREOS HASTE TRONCO ESTIPE COLMO
  13. 13. CAULE RASTEJANTE: ESTOLÃO CLADÓDIO RASTEJANTE: SARMENTOSO VOLÚVEL
  14. 14. CAULE • CAULES AQUÁTICOS São considerados caules aquáticos todos aqueles que se desenvolvem em meio aquoso.
  15. 15. CAULE • CAULES SUBTERRÂNEOS Crescem abaixo da superfície (substrato). Podem ser do tipo Rizoma, Tubérculo e Bulbo. RIZOMA TUBÉRCULO BULBO
  16. 16. CAULE • PSEUDOCAULE Pseudocaule é um temo botânico que se refere a falsos caules, por exemplo, as bananeiras não tem um caule verdadeiro pois este é composto apenas por restos de suas grandes bainhas foliares superpostas.
  17. 17. FOLHA Típico órgão vegetativo vegetal, normalmente de forma laminar e clorofilado, cujas funções principais seriam a realização da fotossíntese e as trocas gasosas (respiração, transpiração).
  18. 18. FOLHA • PRINCIPAIS PARTES LIMBO: Considerada a parte principal da folha, sua superfície é ampla e achatada, o que facilita a captação de luz para a fotossíntese. PECÍOLO: É através dele que ocorre a ligação do caule à folha, e é também por meio dele que é possível a troca de seiva bruta e seiva elaborada entre caule e folhas. BAINHA: Tem a função de prender a folha ao caule; também existem folhas sem a bainha.
  19. 19. FLOR A flor nada mais é do que órgão reprodutivo das plantas superiores (angiospermas). Uma flor é geralmente constituída por quatro conjuntos de folhas modificadas, denominadas de verticilos florais.
  20. 20. FLOR • PRINCIPAIS PARTES • CÁLICE: Conjunto de sépalas • COROLA: Conjunto de pétalas • ANDROCEU: Conjunto de estames • GINECEU: Constituído pelos carpelos. • PEDÚNCULO FLORAL: local de união do ramo a flor • RECEPTÁCULO FLORAL: área de sustentação do cálice e corola.
  21. 21. FRUTO Órgão encontrado somente nas angiospermas, com a finalidade protetora, mas acima de tudo, de dispersão das sementes. Portanto, suas características estão adaptadas ao tipo de dispersor, assim como, observado nas flores. Os frutos são considerados também órgãos reprodutores. São originados após a fecundação, a partir do ovário floral. Qualquer órgão semelhante, desenvolvido a partir de qualquer outra parte floral será denominado de PSEUDOFRUTO.
  22. 22. FRUTO • PARTES DE UM FRUTO EPICARPO: Camada mais externa. Oriunda da epiderme da folha carpelar. Normalmente é uma camada membranácea e muito fibrosa. MESOCARPO: Camada intermediária. Às vezes armazena alguma substância de reserva. Oriunda dos parênquimas da folha carpelar. ENDOCARPO: Camada mais interna. geralmente mais rígida, envolve a semente. Oriunda da epiderme interna do ovário.
  23. 23. FRUTO • CLASSIFICAÇÃO DOS FRUTOS SECO CARNOSO BAGA DRUPA INDEISCENTES DEISCENTES (Contém várias sementes) (Contém só uma semente) (não abrem quando maduros) (abrem quando maduros)
  24. 24. FRUTO • PSEUDOFRUTOS São chamados também de falsos frutos, pois são originados a partir de outra parte floral que não seja o ovário. Ex: CAJU MAÇÃ MORANGO
  25. 25. SEMENTE É o óvulo maduro e já fecundado das plantas gimnospermas ou angiospermas. É formada por: TEGUMENTO (ou casca): É um envoltório pouco rígido, que tem a função proteger e semear a semente. EMBRIÃO: Parte interna que dará origem a nova planta. COTILÉDONES : são reservatórios de nutrientes para que o embrião que também esta na semente sobreviva e possa até se desenvolver usando essas reservas.
  26. 26. BIOLOGIA Miraíma – CE 2014

×