Celula eucarionte animal

2.634 visualizações

Publicada em

Mais uma apresentação elaborada especialmente para dar aulas de Biologia no Ensino Médio. Um conteúdo simples e de fácil compreensão sobre a célula animal, descrevendo sua estrutura externa e interna. Descrição das organelas intracelulares com ilustrações bem definidas para melhor entendimento sobre a célula eucarionte animal.

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.634
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
113
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Celula eucarionte animal

  1. 1. A célula animal é do tipo eucarionte, ou seja, estas células possuem um núcleo delimitado por um sistema de membranas (a membrana nuclear ou carioteca), nitidamente separado do citoplasma. MEMBRANA NUCLEAR
  2. 2. ESTRUTURA DA CÉLULA ANIMAL Na célula animal eucariótica existem três componentes básicos: membrana, citoplasma e núcleo. No citoplasma existem organelas aderidas a ele, que são compartimentos celulares limitados por membranas. Essas organelas desenvolvem funções distintas, que, no total, produzem as características de vida associada com a célula.
  3. 3. Sua espessura é de 7,5 nanômetros, o que a torna visível somente ao microscópio eletrônico, sua composição química é lipoproteica, sendo 75% de proteínas e 25% de gorduras.
  4. 4. Sua composição química é lipoproteica, sendo 75% de proteínas e 25% de gorduras. A membrana controla a entrada e saída de substâncias da célula, mantendo quase constante a composição do seu meio interno. Possui permeabilidade seletiva, permitindo a livre passagem de algumas substâncias e não de outras.
  5. 5. É constituído por uma substância fundamental amorfa – o hialoplasma ou citosol – que contém água, proteínas, íons, aminoácidos e outras substâncias. A parte proteica pode sofrer modificações reversíveis em sua estrutura, aumentando ou diminuindo sua viscosidade, alternando de gel (mais denso) para sol (mais fluido) ou vice-versa.
  6. 6. O núcleo é o responsável pelo controle de todas as funções celulares. A maior parte das células de nosso corpo possui um único núcleo. Contudo, há células que não possuem nenhum (glóbulos vermelhos maduros) e outras que possuem vários, como, por exemplo, as células musculares esqueléticas.
  7. 7. No caso das células eucariontes, o núcleo encontra-se separado pela carioteca, que, além de ter a função de separar o núcleo do citoplasma, comunica-se com o citoplasma através dos poros nucleares. Estes poros são os responsáveis pelo controle da troca de substâncias entre o núcleo e o citoplasma. POROS NUCLEARES
  8. 8. Dento do núcleo, encontram-se corpos em formatos esféricos denominados nucléolos, compostos proteicos, DNA e RNA e os genes nucleares, também conhecidos como código genético. De forma geral podemos dizer que o núcleo possui duas funções básicas: regular as reações químicas que ocorrem dentro da célula e armazenar suas informações genéticas. NUCLÉOLOS GENES NUCLEARES
  9. 9. MITOCÔNDRIAS São alongadas ou esféricas, revestidas por dupla membrana lipoproteica. Possuem DNA próprio e capacidade de autoduplicação. São bastante numerosas, principalmente em células onde se precisa de muita energia (células nervosas e do coração). MITOCÔNDRIA (superficial) MITOCÔNDRIA (interior)
  10. 10. MITOCÔNDRIAS Liberam energia de moléculas orgânicas, como a glicose, transferindo-a para moléculas de ATP. A energia do ATP é empregada pelas células na realização de trabalho: síntese de substâncias, movimento, divisão celular, etc. Os processos de oxidação da glicose constituem a respiração celular aeróbica, dependente de oxigênio.
  11. 11. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO É uma organela exclusiva de células eucariontes, formada a partir da invaginação da membrana plasmática. É divido em dois: rugoso e liso. O retículo endoplasmático (RE) é formado por um extenso sistema de túbulos e vesículas revestidas por membrana lipoproteica.
  12. 12. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO Conhecido também como retículo endoplasmático granuloso, é formado por sistemas de vesículas achatadas com ribossomos aderidos à membrana. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO (RER)
  13. 13. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO Devido aos ribossomos, participa da síntese de proteínas, que serão enviadas para o exterior das células. Esse tipo de retículo é muito desenvolvido em células com função secretora. Possui também a função de transporte de substâncias. RIBOSSOMOS RER
  14. 14. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO LISO Conhecido também chamado retículo endoplasmático agranular, é formado por sistemas de túbulos cilíndricos e sem ribossomos aderidos à membrana. Participa principalmente da síntese de esteroides, fosfolipídios e outros lipídios. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO LISO
  15. 15. RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO LISO Uma de suas principais funções, é a desintoxicação do organismo, atuando na degradação do álcool ingerido em bebidas alcoólicas, assim como a degradação de medicamentos ingeridos pelo organismo como antibióticos e substâncias anestésicas.
  16. 16. COMPLEXO DE GOLGI O complexo de Golgi situa-se próximo do núcleo celular e é formado por sáculos achatados e vesículas. As células sintetizam um grande número de diferentes macromoléculas. E ele é parte integrante na modificação, classificação e empacotamento dessas macromoléculas para que possam ser secretadas, processo conhecido com exocitose. VESÍCULA Complexo de Golgi
  17. 17. COMPLEXO DE GOLGI Ele modifica principalmente proteínas vindas do retículo endoplasmático rugoso, mas também está envolvido no transporte de lipídios pela célula e na formação de lisossomos. Dessa forma, o complexo de Golgi pode ser comparado a uma central de correios, na qual os “pacotes” são enviados a diferentes destinos no interior da célula. COMPLEXO DE GOLGI
  18. 18. LISOSSOMOS São pequenas vesículas esféricas cheias de enzimas digestivas. Com origem no Complexo de Golgi, os lisossomos são organelas responsáveis pela digestão intracelular. VISÃO SUPERFICIAL VISÃO INTERNA
  19. 19. LISOSSOMOS As bolsas formadas na fagocitose e na pinocitose, que contêm partículas capturadas no meio externo, fundem-se aos lisossomos, dando origem a bolsas maiores, onde a digestão ocorrerá.
  20. 20. PEROXISOSSOMOS Os peroxissomos ou microcorpos são pequenas vesículas que contêm enzimas oxidativas. Possuem, também, quase toda a catalase da célula, enzima que degrada a água oxigenada.
  21. 21. CENTRÍOLOS São organelas não envolvidas por membrana e que participam do progresso de divisão celular. São formados por um total de nove trios de microtúbulos proteicos, que se organizam em cilindro.
  22. 22. CITOESQUELETO Citoesqueleto é constituído de Proteína dando plasticidade à célula. o esqueleto da célula pode ser completamente modificado, além de ele ter movimentos, ele é quem define a posição do núcleo, organelas etc. É uma rede intrincada de filamentos proteicos.

×