SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
REINO PLANTAE 
Profª Shirley Correia
REINO PLANTAE OU METAPHYTA 
Características Gerais 
As plantas são organismos: 
• Eucariontes. 
• Pluricelulares. 
• Com tecidos verdadeiros. 
• Parede celular com reforço de celulose. 
• Reprodução sexuada e assexuada. 
• Adaptados a vida em terra firme, embora algumas 
possam viver na água. 
• Autótrofos – são fotossintetizantes: possuem cloroplasto 
(organela produtora de clorofila) - Base das cadeias 
alimentares.
REINO PLANTAE 
As plantas são produtores da matéria orgânica que nutre, direta 
ou indiretamente, quase todos os demais seres vivos dos mais 
diversos ecossistemas da Terra. Também fornece gás oxigênio 
para a biosfera, contribuindo para a vida. dos seres aeróbicos.
REINO PLANTAE 
• A área da Biologia que estuda 
as plantas é a Botânica. 
• As teorias mostram que elas poderiam ter 
surgido de algas verdes, pois as suas 
características são semelhantes, como por 
exemplo, às substâncias existentes em suas 
células: celulose e clorofilas a e b.
REINO PLANTAE 
Elas têm sido divididas em dois grandes grupos: 
• Criptógamas 
Samambaia 
Musgo e hepática 
• Fanerógamas 
Margarida Pinheiro
REINO PLANTAE 
Criptógamas: cripto = escondido e gamae = 
gametas. Elas são plantas com estruturas 
produtoras de gametas pouco evidentes. 
Essas são subdivididas em: 
• Briófitas 
• Pteridófitas
REINO PLANTAE 
Fanerógamas: fanero = visíveis. Plantas que 
possuem estruturas produtoras de gametas 
bem visíveis. 
Subdivididas em: 
• Gimnospermas 
• Angiospermas
REINO PLANTAE
BRIÓFITAS 
Briófitas (do grego bryon: 'musgo'; e phyton: 'planta') 
Representantes: Musgos e hepáticas 
Musgos Hepáticas
BRIÓFITAS 
Características: 
• São plantas pequenas, geralmente com 
poucos centímetros de altura. 
• Vivem preferencialmente em locais úmidos e 
sombreados. 
• Possuem tecidos. 
• Não possuem vasos condutores de seiva 
(avasculares); nem flores, nem frutos, nem 
sementes. 
• A reprodução só pode ser realizada com a 
existência de água. 
• Possuem rizoides, cauloides e filoides.
BRIÓFITA - Musgo 
• RIZOIDE: filamentos que fixam a planta no ambiente em que ela 
vive e absorvem a água e os sais minerais disponíveis no 
ambiente. 
• CAULOIDE: pequena haste de onde partem os filoides. 
• FILOIDE: estrutura clorofilada e capaz de fazer fotossíntese.
CICLO REPRODUTIVO DAS BRIÓFITAS 
O ciclo reprodutivo das briófitas é dividido em duas fases: 
• Fase assexuada 
• Fase sexuada 
FASE ASSEXUADA 
É representada pelo esporófito, que é uma fase passageira, 
produtora de esporos. 
FASE SEXUADA 
É representada pelo gametófito, que é uma fase duradoura, 
produtora de gametas. 
Os gametas das briófitas são: 
• Os Anterozoides (gameta masculino); 
• A Oosfera (gameta feminino).
MUSGOS 
GAMETÓFITO
MUSGOS 
ESPORÓFITOS
REINO PLANTAE
PTERIDÓFITAS 
A palavra "pteridófitas" vem do grego 
"pteris", que significa "feto", mais 
"phyton", que significa "planta". 
O brotamento das 
folhas das pteridófitas 
lembra a posição de 
um feto.
PTERIDÓFITAS 
Representantes: 
Samambaia 
Xaxim 
Avenca
PTERIDÓFITAS 
Características: 
• Plantas de tamanho médio. 
• Vivem em locais úmidos. 
• Surgimento dos vasos condutores de seiva (xilema e 
floema) – plantas vasculares. 
• Surgimento de órgãos especializados: raiz (fixação e 
absorção), caule (sustentação e transporte de 
nutrientes) e folha (fotossíntese). 
• Desprovidas de flor, de sementes e frutos. 
• Depende da água para a reprodução. 
• Surgimento dos tecidos de crescimento, tecido de 
sustentação e tecido de preenchimento.
PTERIDÓFITAS
VASOS CONDUTORES DE SEIVA 
• Xilema 
(do grego xylon, madeira): 
transporta água e sais 
minerais, chamada seiva 
bruta das raízes até as folhas. 
• Floema 
(do grego phloos, casca): 
transporta água, glicose e 
outras substâncias orgânicas, 
chamada seiva elaborada das 
folhas para as demais partes 
da planta.
VASOS CONDUTORES DE SEIVA
VASOS CONDUTORES DE SEIVA 
Seiva bruta ou mineral Seiva elaborada ou orgânica
PTERIDÓFITAS 
• Em certas épocas, na superfície inferior das 
folhas das samambaias formam-se pontinhos 
escuros chamados soros.
PTERIDÓFITAS 
• O surgimento dos soros indica que as 
samambaias estão em época de reprodução - 
em cada soro são produzidos inúmeros 
esporos.
PTERIDÓFITAS 
• Quando os esporos amadurecem, os soros se abrem. 
Então os esporos caem no solo úmido; cada esporo 
pode germinar e originar um protalo, aquela plantinha 
em forma de coração mostrada no esquema abaixo.
PTERIDÓFITAS 
• O protalo é uma planta sexuada, produtora de gametas; 
por isso, ele representa a fase chamada de gametófito. 
• No interior do protalo existe água em quantidade 
suficiente para que o anterozoide se desloque em meio 
líquido e "nade" em direção à oosfera, fecundada-a. 
Surge então o zigoto, que se desenvolve e forma o 
embrião. 
• O embrião, por sua vez, se desenvolve e forma uma nova 
samambaia, isto é, um novo esporófito. Quando adulta, 
as samambaias formam soros, iniciando novo ciclo de 
reprodução.
PTERIDÓFITAS 
• Nas briófitas, o gametófito é a fase duradoura 
e os esporófitos, a fase passageira. 
• Nas pteridófitas ocorre o contrário: o 
gametófito é passageiro - morre após a 
produção de gametas e a ocorrência da 
fecundação - e o esporófito é duradouro, pois 
se mantém vivo após a produção de esporos.
PTERIDÓFITAS 
Curiosidades 
• As plantas pteridófitas foram as primeiras que 
desenvolveram um sistema destinado ao 
transporte de seiva. 
• São muito usadas como plantas ornamentais, 
principalmente as samambaias. 
• Algumas espécies de samambaias podem 
crescer até 15 metros.
GIMNOSPERMAS
GIMNOSPERMAS 
Gimnospermas, 
sperma= semente, 
gimno = nu: possuem 
sementes, chamadas 
de nuas, pois não 
estão no interior dos 
frutos, e não formam 
frutos. 
Pinheiro-do-paraná (Araucária angustifólia)
GIMNOSPERMAS 
REPRESENTANTES 
Pinheiro 
Sequoia 
Araucária 
Ginko biloba
GIMNOSPERMAS 
Características: 
• Plantas de grande porte. 
• Vivem preferencialmente em regiões de clima frio a 
temperado. 
• Apresentam vasos condutores de seiva. 
• Possuem raízes, caules e folhas. 
• Primeiras plantas a apresentarem sementes – 
espermatófitas. 
• Estróbilos - órgãos reprodutores masculino e feminino: 
produção de sementes. 
• Independência de água para se reproduzir. Dependem do 
ar. 
• Não apresentam flores verdadeiras ou frutos. 
• Primeiras plantas a produzirem grãos de pólen.
GIMNOSPERMAS 
Em muitas gimnospermas, como 
os pinheiros e as sequoias, os 
estróbilos são bem desenvolvidos 
e conhecidos como cones.
GIMNOSPERMAS 
• O estróbilo masculino produz pequenos esporos 
chamados grãos de pólen. 
• O estróbilo feminino produz estruturas 
denominadas óvulos. 
• No interior de um óvulo maduro surge um grande 
esporo.
GIMNOSPERMAS 
Quando um estróbilo masculino se abre e libera 
grande quantidade de grãos de pólen, esses grãos 
se espalham no ambiente e podem ser levados 
pelo vento até o estróbilo feminino.
CICLO REPRODUTIVO NAS GIMNOSPERMAS
CICLO REPRODUTIVO NAS GIMNOSPERMAS 
Após a fecundação, forma-se o zigoto (célula-ovo). 
Este, por sua vez, se desenvolve, originando um 
embrião. À medida que o embrião se forma, o 
óvulo se transforma em semente, estrutura que 
contém e protege o embrião.
GIMNOSPERMAS - Pinheiros 
Nos pinheiros, as 
sementes são 
chamadas pinhões. 
Uma vez formados os 
pinhões, o cone 
feminino passa a ser 
chamado pinha. 
Se espalhadas na natureza por algum agente 
disseminador, as sementes podem germinar. 
Ao germinar, cada semente origina uma 
nova planta.
GIMNOSPERMAS - Pinheiros 
A semente pode ser entendida como uma espécie de 
"fortaleza biológica“: 
• abriga e protege o embrião contra desidratação, 
calor, frio e ação de certos parasitas. 
• as sementes armazenam reservas nutritivas, que 
alimentam o embrião e garantem o seu 
desenvolvimento até que as primeiras folhas sejam 
formadas. A partir daí, a nova planta fabrica seu 
próprio alimento pela fotossíntese.
ANGIOSPERMAS 
Angiospermas, 
angio = urna: suas 
sementes se 
encontram no 
interior dos frutos, 
que nascem 
devido ao 
desenvolvimento 
do ovário da flor.
ANGIOSPERMAS 
REPRESENTANTES 
Todas as plantas que produzem fruto: 
Abacateiro 
Cajueiro 
Limoeiro 
Laranjeira 
Mangueira
ANGIOSPERMAS 
Características: 
• Podem ter diferentes tamanhos. 
• Têm ampla distribuição geográfica - 
compreendem a maioria das plantas atuais. 
• Apresentam vasos condutores. 
• Produzem raiz, caule, folhas, sementes, 
grãos de pólen e tubo polínico. 
• Apresentam flores e frutos. 
• Possuem sementes protegidas por frutos.
ANGIOSPERMAS 
• A presença de flores 
e frutos é 
fundamental para o 
desenvolvimento 
das angiospermas.
ANGIOSPERMAS 
• As flores possuem 
cores vivas, néctar e 
cheiros que atraem 
pássaros e insetos que 
vão ajudar no processo 
de polinização. 
Há também flores que 
não têm peças 
coloridas, não são 
perfumadas e nem 
produzem néctar.
ANGIOSPERMAS 
• Já os frutos são importantes para proteger as 
sementes das plantas.
ANGIOSPERMAS 
A flor e o fruto do maracujá
ANGIOSPERMAS 
Estruturas das flores
REINO PLANTAE - Resumo
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 
• BROCKELMANN, Rita Helena. Observatório de Ciências , 6º e 7º 
Anos. 1 ed. São Paulo: Moderna, 2011. 
• MOURTHÉ, Carlos Alberto. Ciências - 7º Ano Ensino Fundamental 
Coleção Pitágoras, 2012. 
• FAVALLI, Leonel Delvai. Projeto Radix: ciências, 7º Ano. 2 ed. - São 
Paulo: Scipione, 2012. 
• GOWDAK, Demétrio Ossowski. Ciências novo pensar- Edição 
renovada: seres vivos, 7º Ano. 1 ed. São Paulo: FTD, 2012. 
• STERN, Iris. Ciências no século XXI, 7º Ano. 2 ed. São Paulo: 
Saraiva, 2012.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Reino das plantas
Reino das plantasReino das plantas
Reino das plantas
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Reprodução plantas
Reprodução plantasReprodução plantas
Reprodução plantas
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
 
Reino plantae resumo
Reino plantae resumoReino plantae resumo
Reino plantae resumo
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Briofitas
BriofitasBriofitas
Briofitas
 
Os invertebrados
Os invertebrados Os invertebrados
Os invertebrados
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Reino Plantae - Briófitas e Pter...
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
 
Botânica- resumo
Botânica- resumoBotânica- resumo
Botânica- resumo
 
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e sementeV.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
V.5 Angiospermas - flor, fruto e semente
 
7º ano reino plantae 1
7º ano    reino plantae 17º ano    reino plantae 1
7º ano reino plantae 1
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Aula bactérias
Aula bactériasAula bactérias
Aula bactérias
 
Reprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuadaReprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuada
 
Gimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiospermaGimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiosperma
 
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
 
Algas aula
Algas aulaAlgas aula
Algas aula
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 

Semelhante a Reino plantae

REINO PLANTAE características dos grupos.pptx
REINO PLANTAE características dos grupos.pptxREINO PLANTAE características dos grupos.pptx
REINO PLANTAE características dos grupos.pptxJosAlmeida331367
 
reinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.ppt
reinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.pptreinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.ppt
reinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.pptisispatriciagomes
 
3 - morfologia e fisiologia vegetal
3 - morfologia e fisiologia vegetal3 - morfologia e fisiologia vegetal
3 - morfologia e fisiologia vegetalMarcus Magarinho
 
Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...
Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...
Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...Bianca Rantin
 
Reino Plantae Total
Reino Plantae TotalReino Plantae Total
Reino Plantae TotalNAPNE
 
Reino das Plantas
Reino das PlantasReino das Plantas
Reino das PlantasIkaro Slipk
 
Aula briofitas e pteridófitas
Aula briofitas e pteridófitasAula briofitas e pteridófitas
Aula briofitas e pteridófitasGrupo UNIASSELVI
 
Capítulo 04 - reino das plantas I
Capítulo 04 - reino das plantas ICapítulo 04 - reino das plantas I
Capítulo 04 - reino das plantas IIgor Brant
 

Semelhante a Reino plantae (20)

Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
REINO PLANTAE características dos grupos.pptx
REINO PLANTAE características dos grupos.pptxREINO PLANTAE características dos grupos.pptx
REINO PLANTAE características dos grupos.pptx
 
REINO PLANTAE.pdf
REINO PLANTAE.pdfREINO PLANTAE.pdf
REINO PLANTAE.pdf
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
REINO PLANTAE (1).pptx
REINO PLANTAE (1).pptxREINO PLANTAE (1).pptx
REINO PLANTAE (1).pptx
 
reinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.ppt
reinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.pptreinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.ppt
reinoplantae-powerpoint-090726184322-phpapp02.ppt
 
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
 
Reino Plantae
Reino PlantaeReino Plantae
Reino Plantae
 
3 - morfologia e fisiologia vegetal
3 - morfologia e fisiologia vegetal3 - morfologia e fisiologia vegetal
3 - morfologia e fisiologia vegetal
 
Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...
Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...
Classificação das plantas - briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiosper...
 
Sistematica vegetal
Sistematica vegetal  Sistematica vegetal
Sistematica vegetal
 
Plantas
PlantasPlantas
Plantas
 
Plantas
PlantasPlantas
Plantas
 
Reino Plantae
Reino PlantaeReino Plantae
Reino Plantae
 
Reino Plantae Total
Reino Plantae TotalReino Plantae Total
Reino Plantae Total
 
Reinodasplantas 130731180649-phpapp01
Reinodasplantas 130731180649-phpapp01Reinodasplantas 130731180649-phpapp01
Reinodasplantas 130731180649-phpapp01
 
Reino das Plantas
Reino das PlantasReino das Plantas
Reino das Plantas
 
8_Cap_2_Os Vegetais.pdf
8_Cap_2_Os Vegetais.pdf8_Cap_2_Os Vegetais.pdf
8_Cap_2_Os Vegetais.pdf
 
Aula briofitas e pteridófitas
Aula briofitas e pteridófitasAula briofitas e pteridófitas
Aula briofitas e pteridófitas
 
Capítulo 04 - reino das plantas I
Capítulo 04 - reino das plantas ICapítulo 04 - reino das plantas I
Capítulo 04 - reino das plantas I
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares

Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32Alpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasAlpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraAlpha Colégio e Vestibulares
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª LaraAlpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesAlpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminosesAlpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36Alpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Alpha Colégio e Vestibulares
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares (20)

Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Estudo da Química
Estudo da QuímicaEstudo da Química
Estudo da Química
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
 
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
 
O Sistema Endócrino
O Sistema EndócrinoO Sistema Endócrino
O Sistema Endócrino
 
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domíniosDiversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domínios
 
Os vírus - características e ação
Os vírus  - características e açãoOs vírus  - características e ação
Os vírus - características e ação
 
Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2
 
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 
Sistemas de transporte
Sistemas de transporteSistemas de transporte
Sistemas de transporte
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
 

Último

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 

Reino plantae

  • 1. REINO PLANTAE Profª Shirley Correia
  • 2. REINO PLANTAE OU METAPHYTA Características Gerais As plantas são organismos: • Eucariontes. • Pluricelulares. • Com tecidos verdadeiros. • Parede celular com reforço de celulose. • Reprodução sexuada e assexuada. • Adaptados a vida em terra firme, embora algumas possam viver na água. • Autótrofos – são fotossintetizantes: possuem cloroplasto (organela produtora de clorofila) - Base das cadeias alimentares.
  • 3. REINO PLANTAE As plantas são produtores da matéria orgânica que nutre, direta ou indiretamente, quase todos os demais seres vivos dos mais diversos ecossistemas da Terra. Também fornece gás oxigênio para a biosfera, contribuindo para a vida. dos seres aeróbicos.
  • 4. REINO PLANTAE • A área da Biologia que estuda as plantas é a Botânica. • As teorias mostram que elas poderiam ter surgido de algas verdes, pois as suas características são semelhantes, como por exemplo, às substâncias existentes em suas células: celulose e clorofilas a e b.
  • 5. REINO PLANTAE Elas têm sido divididas em dois grandes grupos: • Criptógamas Samambaia Musgo e hepática • Fanerógamas Margarida Pinheiro
  • 6. REINO PLANTAE Criptógamas: cripto = escondido e gamae = gametas. Elas são plantas com estruturas produtoras de gametas pouco evidentes. Essas são subdivididas em: • Briófitas • Pteridófitas
  • 7. REINO PLANTAE Fanerógamas: fanero = visíveis. Plantas que possuem estruturas produtoras de gametas bem visíveis. Subdivididas em: • Gimnospermas • Angiospermas
  • 8.
  • 10. BRIÓFITAS Briófitas (do grego bryon: 'musgo'; e phyton: 'planta') Representantes: Musgos e hepáticas Musgos Hepáticas
  • 11. BRIÓFITAS Características: • São plantas pequenas, geralmente com poucos centímetros de altura. • Vivem preferencialmente em locais úmidos e sombreados. • Possuem tecidos. • Não possuem vasos condutores de seiva (avasculares); nem flores, nem frutos, nem sementes. • A reprodução só pode ser realizada com a existência de água. • Possuem rizoides, cauloides e filoides.
  • 12. BRIÓFITA - Musgo • RIZOIDE: filamentos que fixam a planta no ambiente em que ela vive e absorvem a água e os sais minerais disponíveis no ambiente. • CAULOIDE: pequena haste de onde partem os filoides. • FILOIDE: estrutura clorofilada e capaz de fazer fotossíntese.
  • 13. CICLO REPRODUTIVO DAS BRIÓFITAS O ciclo reprodutivo das briófitas é dividido em duas fases: • Fase assexuada • Fase sexuada FASE ASSEXUADA É representada pelo esporófito, que é uma fase passageira, produtora de esporos. FASE SEXUADA É representada pelo gametófito, que é uma fase duradoura, produtora de gametas. Os gametas das briófitas são: • Os Anterozoides (gameta masculino); • A Oosfera (gameta feminino).
  • 16.
  • 18. PTERIDÓFITAS A palavra "pteridófitas" vem do grego "pteris", que significa "feto", mais "phyton", que significa "planta". O brotamento das folhas das pteridófitas lembra a posição de um feto.
  • 20. PTERIDÓFITAS Características: • Plantas de tamanho médio. • Vivem em locais úmidos. • Surgimento dos vasos condutores de seiva (xilema e floema) – plantas vasculares. • Surgimento de órgãos especializados: raiz (fixação e absorção), caule (sustentação e transporte de nutrientes) e folha (fotossíntese). • Desprovidas de flor, de sementes e frutos. • Depende da água para a reprodução. • Surgimento dos tecidos de crescimento, tecido de sustentação e tecido de preenchimento.
  • 22. VASOS CONDUTORES DE SEIVA • Xilema (do grego xylon, madeira): transporta água e sais minerais, chamada seiva bruta das raízes até as folhas. • Floema (do grego phloos, casca): transporta água, glicose e outras substâncias orgânicas, chamada seiva elaborada das folhas para as demais partes da planta.
  • 24. VASOS CONDUTORES DE SEIVA Seiva bruta ou mineral Seiva elaborada ou orgânica
  • 25. PTERIDÓFITAS • Em certas épocas, na superfície inferior das folhas das samambaias formam-se pontinhos escuros chamados soros.
  • 26. PTERIDÓFITAS • O surgimento dos soros indica que as samambaias estão em época de reprodução - em cada soro são produzidos inúmeros esporos.
  • 27. PTERIDÓFITAS • Quando os esporos amadurecem, os soros se abrem. Então os esporos caem no solo úmido; cada esporo pode germinar e originar um protalo, aquela plantinha em forma de coração mostrada no esquema abaixo.
  • 28. PTERIDÓFITAS • O protalo é uma planta sexuada, produtora de gametas; por isso, ele representa a fase chamada de gametófito. • No interior do protalo existe água em quantidade suficiente para que o anterozoide se desloque em meio líquido e "nade" em direção à oosfera, fecundada-a. Surge então o zigoto, que se desenvolve e forma o embrião. • O embrião, por sua vez, se desenvolve e forma uma nova samambaia, isto é, um novo esporófito. Quando adulta, as samambaias formam soros, iniciando novo ciclo de reprodução.
  • 29. PTERIDÓFITAS • Nas briófitas, o gametófito é a fase duradoura e os esporófitos, a fase passageira. • Nas pteridófitas ocorre o contrário: o gametófito é passageiro - morre após a produção de gametas e a ocorrência da fecundação - e o esporófito é duradouro, pois se mantém vivo após a produção de esporos.
  • 30. PTERIDÓFITAS Curiosidades • As plantas pteridófitas foram as primeiras que desenvolveram um sistema destinado ao transporte de seiva. • São muito usadas como plantas ornamentais, principalmente as samambaias. • Algumas espécies de samambaias podem crescer até 15 metros.
  • 32. GIMNOSPERMAS Gimnospermas, sperma= semente, gimno = nu: possuem sementes, chamadas de nuas, pois não estão no interior dos frutos, e não formam frutos. Pinheiro-do-paraná (Araucária angustifólia)
  • 33. GIMNOSPERMAS REPRESENTANTES Pinheiro Sequoia Araucária Ginko biloba
  • 34. GIMNOSPERMAS Características: • Plantas de grande porte. • Vivem preferencialmente em regiões de clima frio a temperado. • Apresentam vasos condutores de seiva. • Possuem raízes, caules e folhas. • Primeiras plantas a apresentarem sementes – espermatófitas. • Estróbilos - órgãos reprodutores masculino e feminino: produção de sementes. • Independência de água para se reproduzir. Dependem do ar. • Não apresentam flores verdadeiras ou frutos. • Primeiras plantas a produzirem grãos de pólen.
  • 35. GIMNOSPERMAS Em muitas gimnospermas, como os pinheiros e as sequoias, os estróbilos são bem desenvolvidos e conhecidos como cones.
  • 36. GIMNOSPERMAS • O estróbilo masculino produz pequenos esporos chamados grãos de pólen. • O estróbilo feminino produz estruturas denominadas óvulos. • No interior de um óvulo maduro surge um grande esporo.
  • 37. GIMNOSPERMAS Quando um estróbilo masculino se abre e libera grande quantidade de grãos de pólen, esses grãos se espalham no ambiente e podem ser levados pelo vento até o estróbilo feminino.
  • 38. CICLO REPRODUTIVO NAS GIMNOSPERMAS
  • 39. CICLO REPRODUTIVO NAS GIMNOSPERMAS Após a fecundação, forma-se o zigoto (célula-ovo). Este, por sua vez, se desenvolve, originando um embrião. À medida que o embrião se forma, o óvulo se transforma em semente, estrutura que contém e protege o embrião.
  • 40. GIMNOSPERMAS - Pinheiros Nos pinheiros, as sementes são chamadas pinhões. Uma vez formados os pinhões, o cone feminino passa a ser chamado pinha. Se espalhadas na natureza por algum agente disseminador, as sementes podem germinar. Ao germinar, cada semente origina uma nova planta.
  • 41. GIMNOSPERMAS - Pinheiros A semente pode ser entendida como uma espécie de "fortaleza biológica“: • abriga e protege o embrião contra desidratação, calor, frio e ação de certos parasitas. • as sementes armazenam reservas nutritivas, que alimentam o embrião e garantem o seu desenvolvimento até que as primeiras folhas sejam formadas. A partir daí, a nova planta fabrica seu próprio alimento pela fotossíntese.
  • 42.
  • 43. ANGIOSPERMAS Angiospermas, angio = urna: suas sementes se encontram no interior dos frutos, que nascem devido ao desenvolvimento do ovário da flor.
  • 44. ANGIOSPERMAS REPRESENTANTES Todas as plantas que produzem fruto: Abacateiro Cajueiro Limoeiro Laranjeira Mangueira
  • 45. ANGIOSPERMAS Características: • Podem ter diferentes tamanhos. • Têm ampla distribuição geográfica - compreendem a maioria das plantas atuais. • Apresentam vasos condutores. • Produzem raiz, caule, folhas, sementes, grãos de pólen e tubo polínico. • Apresentam flores e frutos. • Possuem sementes protegidas por frutos.
  • 46. ANGIOSPERMAS • A presença de flores e frutos é fundamental para o desenvolvimento das angiospermas.
  • 47. ANGIOSPERMAS • As flores possuem cores vivas, néctar e cheiros que atraem pássaros e insetos que vão ajudar no processo de polinização. Há também flores que não têm peças coloridas, não são perfumadas e nem produzem néctar.
  • 48. ANGIOSPERMAS • Já os frutos são importantes para proteger as sementes das plantas.
  • 49. ANGIOSPERMAS A flor e o fruto do maracujá
  • 51.
  • 52. REINO PLANTAE - Resumo
  • 53. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA • BROCKELMANN, Rita Helena. Observatório de Ciências , 6º e 7º Anos. 1 ed. São Paulo: Moderna, 2011. • MOURTHÉ, Carlos Alberto. Ciências - 7º Ano Ensino Fundamental Coleção Pitágoras, 2012. • FAVALLI, Leonel Delvai. Projeto Radix: ciências, 7º Ano. 2 ed. - São Paulo: Scipione, 2012. • GOWDAK, Demétrio Ossowski. Ciências novo pensar- Edição renovada: seres vivos, 7º Ano. 1 ed. São Paulo: FTD, 2012. • STERN, Iris. Ciências no século XXI, 7º Ano. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2012.