A Sociedade Senhorial

7.805 visualizações

Publicada em

Trabalho de duas alunos do 7º ano do ensino básico

Publicada em: Educação
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.805
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
121
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Sociedade Senhorial

  1. 1. A Sociedade Senhorial<br /> Disciplina de História<br /> Trabalho Realizado por:<br /> Sara Mira nº27<br /> Sofia Henriques nº28 <br />
  2. 2. Índice<br /><ul><li>Introdução …………………………………………………………Pág. 3
  3. 3. Uma sociedade ruralizada e tripartida………………Pág. 4 a 7
  4. 4. Importância do Clero ……………………………………….Pág. 8 a 11
  5. 5. A divisão do Clero …………………………………………….Pág. 12
  6. 6. Ordens religiosas: de Cluny e Cister …………………Pág. 13 a 14
  7. 7. A vida quotidiana nos mosteiros ……………………..Pág. 15 a 25
  8. 8. Conclusão …………………………………………………........Pág. 26
  9. 9. Bibliografia e webgrafia ……………………………………Pág. 27</li></li></ul><li>Introdução<br /> Esperemos que gostem deste trabalho e que fiquem a saber mais sobre este tema.<br />
  10. 10. Uma Sociedade Ruralizada e Tripartida<br />As guerras e invasões que do século V ao século X abalaram a Europa, fizeram com que parte dos camponeses abandonassem as suas terras, as cidades perdessem habitantes e o comércio se reduzisse ao mínimo. Predominava, assim, uma economia de subsistência em que a agricultura era a principal actividade.<br />
  11. 11. Uma Sociedade Ruralizada e Tripartida<br />Formou-se, então, uma sociedade baseada na posse da terra e constituída por três estados ou ordens: clero, nobreza e povo.<br /> O clero e a nobreza gozavam de direitos e regalias próprios, eram os grupos privilegiados.<br />
  12. 12. Uma Sociedade Ruralizada e Tripartida<br />Entre esses direitos, comuns aos dois grupos, destacam-se:<br />A isenção do pagamento dos impostos;<br />O julgamento em tribunais próprios, em caso de crime;<br />A posse de grandes propriedades (domínios senhoriais) e o exercício sobre os seus camponeses de poderes fiscais e de justiça (poderes senhoriais).<br />
  13. 13. Uma Sociedade Ruralizada e Tripartida<br />Abaixo destes grupos, situava-se o povo, grupo não privilegiado que vivia, em geral, pobremente. Nesta sociedade trinitária e hierarquizada, todos tinham funções distintas:<br />Povo<br />Clero<br />Nobreza<br />Rezava pela protecção e salvação de todos;<br />Combatia para defender território;<br />Trabalhava para alimentar toda a sociedade.<br />
  14. 14. A importância do Clero<br />
  15. 15. O Homem medieval era profundamente religioso, logo entre os grupos sociais existentes, o clero tinha um enorme prestígio. Estava presente nos principais momentos da vida das populações (nascimento, baptismo e morte). Do nascer ao pôr do sol , os sinos das Igrejas marcavam o ritmo da vida quotidiana.<br />
  16. 16. O casamento<br />A morte<br />
  17. 17. Neste período, a Igreja começou a ter também poder económico porque o Rei, nobres e o povo faziam-lhe doações de terras e bens com o objectivo da salvação da sua alma. Isto contribuiu para aumentar a sua riqueza que era contrária aos princípios do cristianismo, e também a indisciplina por parte de alguns membros.<br />
  18. 18. O Clero divide-se em:<br /><ul><li>Alto Clero: arcebispos, bispos e abades.
  19. 19. Baixo Clero: monges e abades que viviam de forma modesta.</li></li></ul><li>As ordens religiosas:<br />Cluny e Cister<br /> No séc. X, a preocupação do Clero em aumentar a sua riqueza e o afastamento dos valores religiosos levou à criação de duas ordens religiosas beneditinas: a ordem de Cluny<br />
  20. 20. e a ordem de Cister para a renovação da Igreja Católica (movimento reformista cujo o objectivo era o regresso à pureza e à humildade).<br />
  21. 21. A vida quotidiana nos mosteiros<br /> A partir do séc. XI o Papa passou a ser considerado a autoridade Suprema da cristandade.<br /> Os mosteiros passaram a ser dirigidos pelo Papa, e a disciplina e a obediência ao abade foram reforçadas.<br />
  22. 22. Rezar<br />
  23. 23. Além da sua função religiosa, os monges tinham outras actividades ligadas:<br /><ul><li>Ao ensino (o clero era o grupo social mais instruído, sabia ler, escrever e contar).</li></ul> <br /> <br /> <br />
  24. 24. <ul><li>A assistência a doentes, peregrinos e mendigos</li></li></ul><li> Foi também importante o seu papel no desbravamento e aproveitamento de terrenos incultos.<br />
  25. 25. Havia também os monges copistas que escreviam à mão documentos e livros, feitos em pergaminho, que decoravam por vezes com ilustrações de cores vivas e ouro: iluminuras.<br /> <br />
  26. 26. Faziam as encadernações<br />
  27. 27. Caligrafia<br />
  28. 28. Iluminuras<br />
  29. 29. Iluminura<br />
  30. 30.
  31. 31. Conclusão<br /> Este trabalho permitiu – nos conhecer a sociedade senhorial e o porquê da importância do Clero neste período Histórico. <br /> Foi interessante realizar este trabalho, uma vez, que nos permitiu viajar no tempo aos séculos IX a XII.<br />
  32. 32. Bibliografia<br /><ul><li>Cantanhede, Francisco; Catarino, Isabel; Oliveira, Ana; Torrão, Paula, História 7, Lisboa, Texto Editores, 2008.</li></ul>Webgrafia<br /><ul><li>www.historia7beseq.blogspot.com/2008/04/sociedade.
  33. 33. www.historia7alfandega.blogspot.com/2009/02/atila-o-h
  34. 34. www.historia-interctiva.blogspot.com/2007/03/tex... </li>

×