Cultura na idade média

17.089 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.089
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
230
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
338
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • bbb
  • RELAÇÕES FEUDO-VASSÁLICAS
  • Cultura na idade média

    1. 2. SOCIEDADE EUROPEIA NOS SÉCULOS IX A XII
    2. 3. Sociedade Senhorial A sociedade medieval era composta por três ordens , cada qual com a sua função: - A Nobreza - os que lutavam ; - O Clero - os que rezavam ; - O Povo - os que trabalhavam. <ul><li>Grupos privilegiados </li></ul><ul><li>Clero e Nobreza </li></ul><ul><li>detentores de poder e riqueza </li></ul><ul><li>Grupo não privilegiado </li></ul><ul><li>Povo - camponeses, comerciantes e artesãos </li></ul><ul><li>era o grupo minoritário, vivia na pobreza e na dependência dos privilegiados </li></ul>SOCIEDADE EUROPEIA NOS SÉCULOS IX A XII
    3. 4. <ul><li>Sociedade Senhorial </li></ul><ul><li>CLERO </li></ul><ul><li>Possuía riqueza, prestígio e grande influência na sociedade </li></ul><ul><li>Recebia doações de terras, bens e privilégios </li></ul><ul><li>Possuía grandes propriedades </li></ul><ul><li>Tinha as seguintes funções: </li></ul><ul><li>religiosas - oração, missas, procissões, baptismo, casamento.. </li></ul><ul><li>culturais – tinha a seu cargo o ensino nas igrejas e escolas </li></ul><ul><li>sociais – prestava assistência aos doentes e aos pobres </li></ul>
    4. 5. <ul><li>Sociedade Senhorial </li></ul><ul><li>Nobreza </li></ul><ul><li>Possuía riqueza, prestígio e desempenhava funções militares e de defesa – aristocracia guerreira – cavaleiros que combatiam na guerra em auxílio do rei </li></ul><ul><li>Recebia doações de terras, bens e privilégios </li></ul><ul><li>Possuía grandes propriedades – domínios senhoriais ou senhorios </li></ul><ul><li>nos seus domínios senhoriais gozavam de poderes , que deviam ser exclusivos dos reis: </li></ul><ul><li>cobrança de impostos às populações </li></ul><ul><li>aplicação da justiça </li></ul><ul><li>cunhagem da moeda </li></ul><ul><li>exércitos privados </li></ul>Bellatores
    5. 6. <ul><li>Sociedade Senhorial </li></ul><ul><li>Povo </li></ul><ul><li>Constituído por: </li></ul><ul><li>Camponeses comerciantes </li></ul><ul><li>POVO </li></ul><ul><li>Agricultura era a principal actividade </li></ul><ul><li>Trabalhava para alimentar todos os grupos sociais </li></ul>Comerciantes Artesãos <ul><li>Os camponeses ficavam sobre dependência dos senhores em troca de protecção </li></ul><ul><li>entregavam as suas terras a um senhor e recebiam um manso para explorar </li></ul>
    6. 7. <ul><li>Camponeses </li></ul><ul><li>Colonos e vilãos – homens livres </li></ul><ul><li>Servos – descendentes de escravos, pertenciam ao senhorio do nascimento até à morte. </li></ul>Tinham uma vida dura, com trabalho pesado e uma alimentação insuficiente. Tinham uma vida marcada pelo medo e pela fome.
    7. 8. O • Pagar impostos e uma renda em dinheiro ou em géneros ao B senhor R • Prestar dias de trabalho gratuito, geralmente 3 dias por I semana na reserva do senhor - Corveias ; G A • Utilizar, obrigatoriamente, o forno, o moinho e o lagar Ç do senhor, pagando em géneros a sua utilização - banalidades Õ E • Servir o senhor noutros trabalhos que lhe fossem solicitados. S Camponeses cumpriam as seguintes obrigações : Corveias banalidades Pagar uma renda
    8. 9. Relações de dependência entre o senhor e o camponês
    9. 10. Cultura monástica <ul><li>Cultura monástica – cultura desenvolvida nos mosteiros pelos monges </li></ul><ul><li>Os Mosteiros eram verdadeiros centros culturais na Idade Média. </li></ul><ul><li>Aí funcionavam: </li></ul><ul><li>Escolas - escolas monásticas </li></ul><ul><li>- ensino era em latim e o estudo com base na doutrina cristã </li></ul><ul><li>Oficinas de cópias de man uscritos - scriptorium </li></ul><ul><li>- Dedicavam-se à cópia de livros de autores greco-romanos, muçulmanos e cristãos </li></ul><ul><li>- Obras decoradas com iluminuras representativas da vida da época </li></ul>Scriptorium (monge copista) Escola monástica Mosteiros em Portugal : Lorvão, Santa Cruz de Coimbra, Alcobaça e São Vicente de Lisboa – foram importantes centros de cultura, estudo e ensino dessa época. ILUMINURA
    10. 11. Cultura Cortesã <ul><li>Cultura cortesã – desenvolvida nas cortes dos reis, palácios e castelos dos senhores </li></ul><ul><li>A prosperidade que se viveu na Europa a partir do século XII permitiu aos reis e senhores da nobreza fazer dos seus palácios centros de cultura. </li></ul><ul><li>Espectáculos de jograis </li></ul><ul><li>- Os jograis animavam as reuniões nas cortes dos reis e senhores com a sua poesia trovadoresca. Recitava-se: </li></ul><ul><li>As cantigas de amigo : poesia de origem galaico-português, em que o assunto era a ausência de um amigo, confidenciava o amor e a saudade; </li></ul><ul><li>As cantigas de amor : de origem provençal, em que o único tema tratado era o amor pela sua dama. </li></ul><ul><li>As cantigas de escárnio e maldizer : em que se satirizava a sociedade em geral – a vida da corte, as dificuldades económicas de certos estratos sociais, as aspirações da burguesia e aspectos caricatos da vida das camadas populares. </li></ul>Jograis Ambiente Cortesão
    11. 12. Cultura Cortesã <ul><li>Faziam-se, também, parte da literatura medieval textos em prosa : </li></ul><ul><li>romances de cavalaria – relatam feitos lendários </li></ul><ul><li>a vida de santos </li></ul><ul><li>crónicas - textos históricos que relatam os acontecimentos – de um reinado ou dinastia - por ordem cronológica </li></ul><ul><li>literatura genealógica - as famílias de nobres trazem ao presente os feitos valorosos da sua ascendência </li></ul>Cena de amor cortês
    12. 13. Cultura Cortesã <ul><li>AMBIENTE CORTESÃO </li></ul>sarau na corte banquete jograis jogos
    13. 14. Cultura Popular <ul><li>Cultura popular – desenvolveu-se nos campos e nas cidades </li></ul><ul><li>Assentava, sobretudo, na tradição oral - estava ligada às lendas, cantares de trabalho e contos </li></ul><ul><li>Os jograis divulgavam-nas nas feiras e romarias. </li></ul><ul><li>Era transmitida oralmente de terra em terra e de geração em geração </li></ul>Jogral cantando para populares.
    14. 15. Cultura Popular <ul><li>Nas festas, feiras e romarias existia: </li></ul><ul><li>Bailes, dança </li></ul><ul><li>Procissões </li></ul><ul><li>Música popular </li></ul><ul><li>Saltimbancos </li></ul><ul><li>Declamação de poesia </li></ul><ul><li>Uma dançarina (manuscrito francês, </li></ul><ul><li>século XI) </li></ul><ul><li>• As romarias, os mercados e as feiras atraíam músicos, malabaristas e dançarinos . Era deste modo que ganhavam a vida. </li></ul>
    15. 16. Cultura Popular Músicos: a música era agrado de todos Populares dançando no intervalo dos trabalhos agrícolas
    16. 17. Ordens medicantes <ul><li>Como reacção ao luxo, em que viviam muitos membros do clero, afastados dos ideais de pobreza, simplicidade e amor ao próximo, vão surgir duas ordens religiosas que vão defender o ideal de pobreza e de humildade : </li></ul><ul><li>Ordens mendicantes </li></ul><ul><li>Franciscanos – fundada por S. Francisco de Assis, 1209 </li></ul><ul><li>Dominicanos – fundada por S. Domingos de Gusmão, 1215 </li></ul><ul><li>Viviam do seu trabalho e de esmolas </li></ul><ul><li>Prestavam assistência aos </li></ul><ul><li>mais necessitados </li></ul>S. Francisco de Assis Dominicanos
    17. 18. Criação de Universidades <ul><li>Com o desenvolvimento económico e urbano, o ensino nas escolas monásticas e episcopais não eram suficiente, daí que se tenham criado as Universidades ou Estudos Gerais nos séculos XII e XIII. </li></ul>Dominicanos A primeira universidade portuguesa foi de facto fundada em Lisboa, em 1290 por diploma de D. Dinis e transferida em 1308 para Coimbra Universidade de Coimbra

    ×