O país urbano e concelhio

8.979 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Diversão e humor
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.979
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
146
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
241
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O país urbano e concelhio

  1. 1. O País Urbano e Concelhio
  2. 2. Um país de senhorios e concelhos Doc. 7 A
  3. 3. A multiplicação de vilas e cidades concelhias no Portugal Medieval
  4. 4. Texto p 74 Doc. 17 A Doc. 17 D Área amuralhada e população de cidades e vilas em fins do século XIV
  5. 5. Doc. 17 C Cidade de Évora Cidade de Coimbra Cidade de Lisboa Cidade do Porto
  6. 6. A afirmação das cidades no Portugal Medieval Factores explicativos <ul><li>O Avanço da Reconquista </li></ul><ul><li>As heranças romana e muçulmana </li></ul><ul><li>As peregrinações a Santiago de Compostela </li></ul><ul><li>A itinerância e permanência da Corte Régia </li></ul><ul><li>As sedes dos Bispados </li></ul><ul><li>A criação de Concelhos </li></ul><ul><li>O dinamismo comercial e artesanal </li></ul>
  7. 7. 1. O Avanço da Reconquista Coimbra - 1064 Leiria - 1145 Santarém - 1147 Évora - 1165 Lisboa - 1147 Silves - 1249
  8. 8. Doc. 23 Lisboa medieval Oliveira Marques
  9. 9. 2. As heranças romana e muçulmana Mesquita Córdoba Conímbriga
  10. 10. Doc. 18 Falta texto p. 75 O exemplo de Coimbra, cidade moçárabe
  11. 11. 3. As peregrinações a Santiago de Compostela
  12. 12. Texto p. 149 Doc. pág. 149
  13. 13. 4. A Itinerância e permanência da Corte Régia Número de visitas de D. Dinis às localidades do reino Doc. 39
  14. 14. 5. As sedes dos Bispados A Sé do Porto A Sé de Braga A Sé de Lisboa Coimbra – Lamego – Guarda – Viseu – Évora - Silves
  15. 15. 6. A criação de Concelhos para povoamento
  16. 16. 7. O dinamismo comercial e artesanal
  17. 20. A afirmação das cidades no Portugal Medieval <ul><li>O avanço da Reconquista </li></ul><ul><li>As heranças romana e muçulmana </li></ul><ul><li>As peregrinações a Santiago de Compostela </li></ul><ul><li>A permanência da Corte Régia </li></ul><ul><li>As sedes dos Bispados </li></ul><ul><li>A criação de Concelhos </li></ul><ul><li>O dinamismo comercial e artesanal </li></ul>Síntese da aula anterior
  18. 21. A organização do espaço citadino medieval
  19. 22. 1. A CINTURA DE MURALHAS Construção : D. Afonso IV a D. Fernando (1376) Extensão : 2.600 m Altura : 9 m Portas : 18 <ul><ul><li>Muralha fernandina </li></ul></ul><ul><ul><li>do Porto </li></ul></ul><ul><ul><li>Alargamento das </li></ul></ul><ul><ul><li>muralhas de Lisboa </li></ul></ul>
  20. 23. <ul><li>Funções : </li></ul><ul><li>Delimitação do espaço urbano </li></ul><ul><li>Protecção e segurança </li></ul><ul><li>Prestígio e admiração </li></ul><ul><li>Rendimentos </li></ul>Doc. 17 C
  21. 24. 2. O ESPAÇO AMURALHADO O CENTRO zona nobre da cidade, dos edifícios do poder e das elites locais. Sé de Évora Castelo de Guimarães N.S. Oliveira Torre de menagem Beja Paço do arcebispo de Braga Domus Municipalis Bragança
  22. 25. O ESPAÇO AMURALHADO O MERCADO
  23. 26. O ESPAÇO AMURALHADO RUAS SECUNDÁRIAS RUAS DIREITAS RUAS NOVAS
  24. 27. O ESPAÇO AMURALHADO AS RUAS DOS OFÍCIOS
  25. 28. Minoria étnico-religiosa
  26. 29. 3. O ARRABALDE Zona extra-muros Zona de exclusão, mas muito dinâmica
  27. 30. MOURARIA Minoria étnico-religiosa
  28. 31. 4. O TERMO O Termo do Porto em finais do século XIV Espaço circundante da cidade Olivares Vinhas Searas Aldeias Fonte de sobrevivência da cidade E dela dependente nos domínios jurídico, fiscal e militar.
  29. 32. <ul><li>A cintura de muralhas </li></ul><ul><li>O espaço amuralhado </li></ul><ul><li>O arrabalde </li></ul><ul><li>O termo </li></ul>Síntese final A organização do espaço citadino medieval
  30. 33. <ul><li>Tarefa : </li></ul><ul><li>Partindo do texto, compara a cidade medieval com o mundo rural envolvente, tendo em conta os seguintes aspectos: </li></ul><ul><li>Actividades económicas </li></ul><ul><li>Relações de vizinhança </li></ul><ul><li>Mentalidades </li></ul><ul><li>Desigualdades sociais </li></ul>AS MARCAS DA URBANIDADE (Doc. 22) TPC
  31. 36. Partindo do texto «Judeus e Mouros nos séculos XIV e XV» (Doc. 28C), responde às seguintes questões: 1.Identifica os espaços das cidades cristãs onde residiam as comunidades judaica e moura. 2. Justifica a segregação (isolamento) dessas minorias e a desigualdade de tratamento dada a uns e a outros. 3. Enuncia as restrições impostas aos cristãos para entrarem nos bairros dos judeus e dos mouros. Tarefa
  32. 37. 4. Compara a situação de Judeus e Mouros, preenchendo, com os dados do texto, o quadro seguinte: 5.Identifica as queixas dos cristãos contra a minoria judaica. 6. Refere a quem e onde as populações cristãs apresentavam essas queixas. Minorias Situação Judeus Mouros Situação Económica Situação social (Profissões) Vida cultural

×