Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio - 2º ano

3.392 visualizações

Publicada em

Plano de Curso de Filosofia / 2º ano do Ensino Mádio

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio - 2º ano

  1. 1. Plano de Ensino INSTITUIÇÃO ESCOLAR: Centro de Ensino Urbano Rocha ETAPA DE ENSINO: Ensino Médio Nº de aulas: 80 DISCIPLINA: Filosofia TURNO: matutino, vespertino e noturno PROFESSORAS: Mary Alvarenga, Glória Lago, Vanúsia e Sobrinha IBIMSTRE ETAPA DE ENSINO: ENSINO MÉDIO SÉRIE: 2º ANO DISCIPLINA: FILOSFIA APRENDIZAGEMS ESPERADAS POR PERIODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER APRENDIDO) CONTEÚDOS ESTRUTURANTES CONTEÚDOS BÁSICOS POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER ENSINADO) METODOLOGIA POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO) PROCESSO AVALIATIVO POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER AVALIADO) AVALIAÇÃO POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO)  Percorrer as distintas maneiras de conceber e organizar o trabalho ao longo da história.  Apresentar a distinção do conceito de alienação em Hegel e em Marx.  Investigar o problema da alienação nos âmbitos do trabalho, do consumo, da cultura, das relações humanas e do lazer.  Discutir o problema do impacto do desenvolvimento tecnológico na esfera do trabalho, gerando avanços, mas também desemprego.  Conhecer e problematizar a questão do trabalho humano.  Conhecer os conceitos de representação e de verdade.  Debater sobre o problema da relação sujeito- objeto.  Investigar as principais interpretações sobre a origem ou fonte primeira do conhecimento. O processo de investigação filosófica; Linguagens filosóficas e suas relações socioculturais. Unidade 2 - Nós e o mundo  Capítulo 9 - O trabalho  Trabalho – Características e história  Alienação - A pessoa alheia a si mesmo  Perspectivas – Tempo livre ou desemprego  Capítulo 10 - O conhecimento  Gnosiologia – A investigação sobre o conhecer.  Fontes primeiras – Razão ou sensação?  Possibilidades – O que podemos conhecer? Exposição e explicação de conteúdo. Aulas expositivas e dialogadas, propiciando discussões, debates numa expectativa de uma maior participação do aluno. Leitura compartilhada e discussões em grupo Leitura e discussão de textos filosóficos e complementares de diferentes fontes com diferentes estratégias de leitura (roda de conversa, leitura compartilhada...) Problematização de situações da prática social para um diálogo investigativo. Trabalhar com textos que incluam termos e conceitos cotidianos que Avaliar a capacidade argumentativa, a participação em debates. Avaliar se o aluno é capaz de compreender, problematizar e interpretar os textos, bem como elaborar dissertações estruturadas de maneira lógica e coerente. A participação ativa, interesse, organização e o desenvolvimento do aluno Análise das questões relacionadas aos temas em estudo.  Forma:  Observação  Em grupos  Auto avaliação  Produções individuais e em grupo  Auto correção nas discussões e debates  Avaliação contínua através da participação em discussões e debates, produção textual e apresentação de trabalhos além de avaliações e simulados.
  2. 2.  Debater sobre as possibilidades de se conhecer a verdade ou o ser em si.  Compreender e estimular a atitude filosófica  Construir sínteses e generalizações, a partir da observação, leitura, interpretação e discussão coletiva de textos.  Demonstrar capacidade de análise, interpretação e problematização de textos filosóficos.  Demonstrar capacidade argumentativa coerente e rigorosa, apresentando boas razões na exposição de defesa do discurso, em debates, e aceitação de posição contrária face a argumentos mais consistentes. facilitem a interação no contexto social. Formulação de questões- problema que sejam, ao mesmo tempo, vinculadas à realidade presente e ao conteúdo filosófico em questão. Incentivar os alunos a questionarem, a indagarem, a fim de adotarem uma atitude crítica diante da realidade; Elaboração e registro de sínteses/resumo do conteúdo exposto. Socialização de ideias e questionamentos. Exibição, análise e debates de vídeos que trate do assunto abordado. Organização de seminário e exposição oral Estudos dirigidos em sala de aula Resolução de exercícios Avaliar mediante a capacidade de trabalhar e criar conceitos dos temas em estudo Capacidade criativa na organização das ideias.  Instrumentos:  Trabalho em grupo.  Debates.  Seminário.  Pesquisas  Avaliação escrita  Produção textual  Apresentação dos temas (oral ou escrita) em estudo.  Registro das aulas, conforme a necessidade.  Atividades individuais e em grupo
  3. 3. IIBIMSTRE ETAPA DE ENSINO: ENSINO MÉDIO SÉRIE: 2º ANO DISCIPLINA: FILOSFIA APRENDIZAGEMS ESPERADAS POR PERIODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER APRENDIDO) CONTEÚDOS ESTRUTURANTES CONTEÚDOS BÁSICOS POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER ENSINADO) METODOLOGIA POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO) PROCESSO AVALIATIVO POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER AVALIADO) AVALIAÇÃO POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO)  Investigar a transição do saber mítico para o saber racional (logos) e sua relação com o nascimento da filosofia.  Refletir sobre as condições históricas que favoreceram essa transição, como a prática de debates em praça pública na pólis, seguindo a interpretação tradicional.  Analisar a antropologia filosófica de Sócrates e articular com a sua metodologia filosófica (Ironia e Maiêutica)  Conhecer as questões fundamentais que pautaram as investigações dos filósofos pré- socráticos, com destaque para a busca do arché, que derivou na construção das primeiras cosmologias e no inicio das investigações sobre o ser, dando inicio à antologia e á lógica  Investigar as relações históricas entre as práticas da retórica e da argumentação pública na pólis e o desenvolvimento da sofistica, destacando concepções de Protágoras de Abdera e Górgias de Leontini.  Analisar algumas das principais concepções de Platão sobre os problemas da realidade (mundo sensível e inteligível), do conhecimento (teoria das ideias) e da politica. O processo de investigação filosófica; Linguagens filosóficas e suas relações socioculturais. Unidade 3 - A filosofia na história Capitulo 11 - Pensamento pré- socrático – Pólis e filosofia - A passagem do mito ao logos – Pré – socráticos – Os primeiros filósofos gregos  Capítulo 12 – Pensamento s clássico e helenístico. – Democracia ateniense - O debate em praça pública – Platão – Alicerces da filosofia ocidental – Aristóteles – Bases do pensamento lógico e cientifico. – Filosofias helênicas e greco- romana - a busca da felicidade interior. Exposição e explicação de conteúdo. Aulas expositivas e dialogadas, propiciando discussões, debates numa expectativa de uma maior participação do aluno. Leitura compartilhada e discussões em grupo Leitura e discussão de textos filosóficos e complementares de diferentes fontes com diferentes estratégias de leitura (roda de conversa, leitura compartilhada...) Problematização de situações da prática social para um diálogo investigativo. Trabalhar com textos que incluam termos e conceitos cotidianos que facilitem a interação no contexto social. Avaliar a capacidade argumentativa, a participação em debates. Avaliar se o aluno é capaz de compreender, problematizar e interpretar os textos, bem como elaborar dissertações estruturadas de maneira lógica e coerente. A participação ativa, interesse, organização e o desenvolvimento do aluno Análise das questões relacionadas aos temas em estudo. Avaliar mediante a capacidade de trabalhar e criar conceitos dos temas em estudo  Forma:  Observação  Em grupos  Auto avaliação  Produções individuais e em grupo  Auto correção nas discussões e debates  Avaliação contínua através da participação em discussões e debates, produção textual e apresentação de trabalhos além de avaliações e simulados.  Instrumentos:  Trabalho em grupo.  Debates.  Seminário.  Pesquisas  Avaliação escrita
  4. 4.  Examinar algumas das principais concepções de Aristóteles sobre os problemas da realidade (hilemorfismo teleológico) e da ética, bem como sua importância para o desenvolvimento do pensamento lógico e cientifico.  Explorar alguns dos aspectos mais destacados de filosofias helenísticas como o epicurismo, o estoicismo e o cinismo.  Construir sínteses e generalizações, a partir da observação, leitura, interpretação e discussão coletiva de textos.  Construir sínteses e generalizações, a partir da observação, leitura, interpretação e discussão coletiva de textos.  Demonstrar capacidade de análise, interpretação e problematização de textos filosóficos.  Demonstrar capacidade argumentativa coerente e rigorosa, apresentando boas razões na exposição de defesa do discurso, em debates, e aceitação de posição contrária face a argumentos mais consistentes. Formulação de questões- problema que sejam, ao mesmo tempo, vinculadas à realidade presente e ao conteúdo filosófico em questão. Incentivar os alunos a questionarem, a indagarem, a fim de adotarem uma atitude crítica diante da realidade; Elaboração e registro de sínteses/resumo do conteúdo exposto. Socialização de ideias e questionamentos. Exibição, análise e debates de vídeos que trate do assunto abordado. Organização de seminário e exposição oral Estudos dirigidos em sala de aula Resolução de exercícios Capacidade criativa na organização das ideias.  Produção textual  Apresentação dos temas (oral ou escrita) em estudo.  Registro das aulas, conforme a necessidade.  Atividades individuais e em grupo
  5. 5. IIIBIMSTRE ETAPA DE ENSINO: ENSINO MÉDIO SÉRIE: 2º ANO DISCIPLINA: FILOSFIA APRENDIZAGEMS ESPERADAS POR PERIODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER APRENDIDO) CONTEÚDOS ESTRUTURANTES CONTEÚDOS BÁSICOS POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER ENSINADO) METODOLOGIA POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO) PROCESSO AVALIATIVO POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER AVALIADO) AVALIAÇÃO POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO)  Expor brevemente o processo histórico- filosófico de formação da doutrina cristã.  Refletir sobre as relações entre fé e razão.  Analisar a patrística e algumas das concepções mais importantes de Santo Agostinho.  Considerar alguns desenvolvimentos e discussões da escolástica, como a questão dos universais.  Examinar algumas das teses mais relevantes de São Tomás de Aquino.  Examinar as condições históricas que favoreceram o surgimento de uma nova racionalidade no contexto europeu, especialmente a revalorização de ser humano e da natureza a partir do renascimento.  Investigar as características da nova ciência e suas relações com o pensamento filosófico moderno, especialmente em relação a questão do método, com destaque para Francis Bacon e Galileu Galilei.  Conhecer o grande racionalismo, destacando alguns dos principais problemas abordados e teses filosóficas definidas por René Descartes e Baruch Espinosa, bem como a voz discordante de Blaise Pascal.  Demonstrar capacidade de análise, interpretação e problematização de textos filosóficos. O processo de investigação filosófica; Linguagens filosóficas e suas relações socioculturais. Unidade 3 - A filosofia na história  Capítulo 13 – Pensamento cristão – Período medieval – Filosofia e cristianismo – Patrística – A matriz platônica de apoio á fé. – Escolástica - A matriz aristotélica até Deus.  Capítulo 14 – Nova ciência e racionalismo  Idade Moderna – A revalorização do ser humano e da natureza.  Razão e experiências – As bases da ciência moderna  Grande racionalismo – O conhecimento parte da razão.  Arte e cultura afro-brasileira (música, dança, artes plásticas, culinária, religião, vestimentas e indumentárias, linguagens etc) Exposição e explicação de conteúdo. Aulas expositivas e dialogadas, propiciando discussões, debates numa expectativa de uma maior participação do aluno. Leitura compartilhada e discussões em grupo Leitura e discussão de textos filosóficos e complementares de diferentes fontes com diferentes estratégias de leitura (roda de conversa, leitura compartilhada...) Problematização de situações da prática social para um diálogo investigativo. Estudos dirigidos em sala de aula Resolução de exercícios Avaliar a capacidade argumentativa, a participação em debates. Avaliar se o aluno é capaz de compreender, problematizar e interpretar os textos, bem como elaborar dissertações estruturadas de maneira lógica e coerente. A participação ativa, interesse, organização e o desenvolvimento do aluno Análise das questões relacionadas aos temas em estudo. Avaliar mediante a capacidade de trabalhar e criar conceitos dos temas em estudo Capacidade criativa na organização das ideias.  Forma:  Observação  Em grupos  Auto avaliação  Produções individuais e em grupo  Auto correção nas discussões e debates  Avaliação contínua através da participação em discussões e debates, produção textual e apresentação de trabalhos além de avaliações e simulados.  Instrumentos:  Trabalho em grupo.  Debates.  Seminário.  Pesquisas  Avaliação escrita  Produção textual
  6. 6.  Demonstrar capacidade argumentativa coerente e rigorosa, apresentando boas razões na exposição de defesa do discurso, em debates, e aceitação de posição contrária face a argumentos mais consistentes.  Pesquisar e organizar seminário sobre a arte e cultura afro-brasileira.  Construir sínteses e generalizações, a partir da observação, leitura, interpretação e discussão coletiva de textos.  Demonstrar capacidade de análise, interpretação e problematização de textos filosóficos.  Demonstrar capacidade argumentativa coerente e rigorosa, apresentando boas razões na exposição de defesa do discurso, em debates, e aceitação de posição contrária face a argumentos mais consistentes. Trabalhar com textos que incluam termos e conceitos cotidianos que facilitem a interação no contexto social. Formulação de questões-problema que sejam, ao mesmo tempo, vinculadas à realidade presente e ao conteúdo filosófico em questão. Incentivar os alunos a questionarem, a indagarem, a fim de adotarem uma atitude crítica diante da realidade; Elaboração e registro de sínteses/resumo do conteúdo exposto. Socialização de ideias e questionamentos. Exibição, análise e debates de vídeos que trate do assunto abordado. Organização de seminário e exposição oral  Apresentação dos temas (oral ou escrita) em estudo.  Registro das aulas, conforme a necessidade.  Atividades individuais e em grupo
  7. 7. IVBIMSTRE ETAPA DE ENSINO: ENSINO MÉDIO SÉRIE: 2º ANO DISCIPLINA: FILOSFIA APRENDIZAGEMS ESPERADAS POR PERIODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER APRENDIDO) CONTEÚDOS ESTRUTURANTES CONTEÚDOS BÁSICOS POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER ENSINADO) METODOLOGIA POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO) PROCESSO AVALIATIVO POR PERÍODO ESCOLAR (O QUE DEVERÁ SER AVALIADO) AVALIAÇÃO POR PERÍODO ESCOLAR (COMO DEVERÁ SER ENSINADO)  Examinar as relações entre as revoluções politicas e sociais e as filosofias empiristas e iluministas nos séculos XVII e XVIII.  Analisar as origens do empirismo britânico e algumas das principais concepções de Thomas Hobbes, John Locke e David Hume.  Investigar as origens e alguns dos valores mais importantes que nortearam o iluminismo.  Destacar algumas das concepções dos pensadores do período iluminista, ênfase para Jean –Jacques Rousseau e Immanuel Kant.  Investigar brevemente o contexto politico, econômico e social em que surgiram as filosofias do século XIX.  Caracterizar o romantismo e sua relação com o idealismo alemão.  Abordar algumas das principais concepções do positivismo de Augusto Comte.  Analisar alguns aspectos do pensamento de Karl Marx, a recepção das teses de Hegel e Feuerbach, sua relação com Engels e a construção do materialismo histórico e dialético O processo de investigação filosófica; Linguagens filosóficas e suas relações socioculturais. Unidade 3 - A filosofia na história  Capítulo 15 – Empirismo e iluminismo – Empirismo britânico - O conhecimento para da experiência. – Iluminismo - A razão em busca de liberdade  Capítulo 16 – Pensamento do século XIX – Século XIX – Expansão do capitalismo e os novos ideais – Friedrich Hegel - O idealismo absoluto – Karl Marx – O materialismo dialético e histórico. – Friedrich Nietzsche – Uma filosofia “a golpes de martelo” Exposição e explicação de conteúdo. Aulas expositivas e dialogadas, propiciando discussões, debates numa expectativa de uma maior participação do aluno. Leitura compartilhada e discussões em grupo Leitura e discussão de textos filosóficos e complementares de diferentes fontes com diferentes estratégias de leitura (roda de conversa, leitura compartilhada...) Problematização de situações da prática social para um diálogo investigativo. Trabalhar com textos que incluam termos e conceitos cotidianos que facilitem a interação no contexto social. Avaliar a capacidade argumentativa, a participação em debates. Avaliar se o aluno é capaz de compreender, problematizar e interpretar os textos, bem como elaborar dissertações estruturadas de maneira lógica e coerente. A participação ativa, interesse, organização e o desenvolvimento do aluno Análise das questões relacionadas aos temas em estudo. Avaliar mediante a capacidade de trabalhar e criar conceitos dos temas em estudo Capacidade criativa na organização das ideias.  Forma:  Observação  Em grupos  Auto avaliação  Produções individuais e em grupo  Auto correção nas discussões e debates  Avaliação contínua através da participação em discussões e debates, produção textual e apresentação de trabalhos além de avaliações e simulados.  Instrumentos:  Trabalho em grupo.  Debates.  Seminário.  Pesquisas  Avaliação escrita  Produção textual
  8. 8.  Refletir sobre a filosofia de Friedrich Nietzsche, a influencia de Schopenhauer, algumas de suas peculiaridades e teses mais destacadas.  Reconhecer a importância do uso de diferentes linguagens para elaborar o pensamento e a expressão em processos reflexivos.  Construir sínteses e generalizações, a partir da observação, leitura, interpretação e discussão coletiva de textos.  Demonstrar capacidade de análise, interpretação e problematização de textos filosóficos.  Demonstrar capacidade argumentativa coerente e rigorosa, apresentando boas razões na exposição de defesa do discurso, em debates, e aceitação de posição contrária face a argumentos mais consistentes. Formulação de questões- problema que sejam, ao mesmo tempo, vinculadas à realidade presente e ao conteúdo filosófico em questão. Incentivar os alunos a questionarem, a indagarem, a fim de adotarem uma atitude crítica diante da realidade; Elaboração e registro de sínteses/resumo do conteúdo exposto. Socialização de ideias e questionamentos. Exibição, análise e debates de vídeos que trate do assunto abordado. Organização de seminário e exposição oral Estudos dirigidos em sala de aula Resolução de exercícios  Apresentação dos temas (oral ou escrita) em estudo.  Registro das aulas, conforme a necessidade.  Atividades individuais e em grupo
  9. 9.  Recursos: Textos, slides, data show , vídeos, música, quadro, pincel, computador, internet, projetor multimídia, livro didático, material impresso,  TEMAS TRANSVERSAIS QUE POSSO INCLUIR.  Ética, Saúde, Meio Ambiente, Orientação Sexual e Pluralidade Cultural.  BIBLIOGRAFIA CONSULTADA Diretrizes Curriculares / Secretaria de Estado da Educação do Maranhão, SEDUC, 3 ed. São Luís. COTRIM, Gilberto Fundamentos de filosofia / Gilberto Cotrim , Mirna Fernandes – 2. ed – São Paulo: Saraiva 2013. ARANHA, Maria Lúcia de Arruda Filosofando: Introdução à Filosofia / Maria Lúcia de Arruda Aranha, Maria Helena Pires Martins.- 4.ed.- São Paulo : Moderna, 2009. CHAUI, Marilena – Novo Ensino Médio Filosofia. São Paulo: Ática, 2004 Revista Mundo Jovem: um jornal de ideias. Porto Alegre – UCBC

×