SlideShare uma empresa Scribd logo

Ae sec filosofia

Aprendizagens Essenciais _ Filosofia

1 de 13
Baixar para ler offline
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS
10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO
FILOSOFIA
INTRODUÇÃO
Enquanto componente da formação geral de todos os cursos científico-humanísticos do ensino secundário, a disciplina de
Filosofia deve ser considerada uma atividade intelectual na qual os problemas, conceitos e teorias filosóficas são a base do
desenvolvimento de um pensamento autónomo, consciente das suas estruturas lógicas e cognitivas, e capaz de mobilizar o
conhecimento filosófico para uma leitura crítica da realidade e o fundamento sólido da ação individual e na sua relação com
os outros humanos e não humanos.
No conjunto do currículo, e tendo em conta o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, a disciplina de Filosofia,
ao colocar o aluno como aprendente ativo e responsável, contribui para que seja questionador, investigador, crítico,
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA
PÁG. 2
organizador, informado e auto-avaliativo ao facilitar o desenvolvimento
- de um pensamento crítico capaz de mobilizar o conhecimento filosófico e as competências lógicas da filosofia para formular
questões de modo claro e preciso, de usar conceitos abstratos para avaliar informação, de validar teses e argumentos através
de critérios sólidos, de avaliar os pressupostos e implicações do seu pensamento e o dos outros e de comunicar efetivamente
na busca de solução de problemas que se colocam nas sociedades contemporâneas;
cuidador de si e dos outros, através
- de um pensamento e ação éticos e políticos que mobilizem conhecimento filosófico para compreender, formular e refletir
sobre os problemas sociais, éticos, políticos e tecno-científicos que se colocam nas sociedades contemporâneas, e seu impacto
nas gerações futuras, discutindo criticamente as teorias que se apresentam para a resolução desses problemas e assumindo
gradualmente posições autónomas devidamente fundamentadas e capazes de sustentar uma cidadania ativa;
respeitador da diferença, ao ser capaz
- de um pensamento e ações inclusivos, capaz de acolher a diferença individual e cultural num mundo globalizado, a partir da
compreensão das razões axiológicas pelas quais as pessoas pensam e agem de formas diferentes;
criativo, ao ser capaz
- de um pensamento estético sobre a arte e diferentes formas de manifestação cultural;
- de propor soluções alternativas para problemas filosóficos que lhe são colocados.
Na análise metódica do texto filosófico, no trabalho oral, nas produções escritas, em trabalho colaborativo ou individual, as
atividades devem ser orientadas para que o aluno desenvolva competências de problematização, conceptualização e
argumentação, culminando na produção de um ensaio filosófico.
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA
PÁG. 3
Problematização
Identifique, formule e relacione com clareza e rigor problemas filosóficos e justifique a sua pertinência.
Conceptualização
Identifique, clarifique e relacione com clareza e rigor conceitos filosóficos e os mobilize na compreensão e formulação de
problemas, teses e argumentos filosóficos.
Argumentação
Identifique, formule teorias, teses e argumentos filosóficos, aplicando instrumentos operatórios da lógica formal e informal,
avaliando criticamente os seus pontos fortes e fracos.
Compare e avalie criticamente, pelo confronto de teses e argumentos, todas as teorias dos filósofos apresentados a estudo.
Determine as implicações filosóficas e as implicações práticas de uma teoria ou tese filosófica.
Assuma posições pessoais com clareza e rigor, mobilizando conhecimentos filosóficos e avaliando teses, argumentos e contra-
argumentos.
OPÇÕES METODOLÓGICAS
 os instrumentos lógicos do trabalho filosófico devem tornar-se operatórios nas atividades a desenvolver com os alunos,
servindo de apoio permanente à análise crítica a realizar na exploração de cada problema filosófico;
 em cada área temática, os problemas circunscrevem as linhas essenciais mínimas a explorar em aula e o professor deve
criar situações de aprendizagem que permitam formular com clareza a questão filosófica que vai orientar o trabalho;
 não sendo um programa de autores, os tópicos a explorar no pensamento de cada autor são os que respondem aos
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA
PÁG. 4
problemas elencados e devem ser sujeitos a uma análise crítica, tendo em conta o desenvolvimento das competências
operatórias da disciplina;
 num princípio da construção progressiva das aprendizagens, é necessário que os alunos exercitem por escrito e oralmente
as várias competências filosóficas de problematização, conceptualização e argumentação antes de lhes ser proposta a
elaboração de um ensaio filosófico; a elaboração do ensaio filosófico não tem necessariamente de ser realizada no final de
cada ano letivo e a sua realização pode corresponder à necessária flexibilização na articulação curricular com outras
disciplinas;
 no ensaio filosófico, os alunos, sob orientação do professor, e após a seleção de um dos temas enunciados, devem começar
por definir com rigor qual a questão filosófica que vai ser desenvolvida e estabelecer os termos do problema.
BIBLIOGRAFIA
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA
PÁG. 5
ÁREAS DE
COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS
ALUNOS
(ACPA)
Informaçãoe
comunicação
Pensamentocríticoe
pensamentocriativo
Desenvolvimento
pessoaleautonomia
Sensibilidadeestéticae
artística
Consciênciaedomínio
docorpo
Linguagensetextos
Raciocínioeresolução
deproblemas
Relacionamento
interpessoal
Bem-estar,saúdee
ambiente
Sabercientífico,
técnicoetecnológico
A C E G I
B D F H J
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA
PÁG. 6
OPERACIONALIZAÇÃO DAS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS (AE)
ORGANIZADOR
Módulos
AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO
ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS
ALUNOS
(Exemplos de ações a desenvolver na disciplina)
DESCRITORES
DO PERFIL DOS
ALUNOS
I. ABORDAGEM
INTRODUTÓRIA À
FILOSOFIA E AO
FILOSOFAR
O aluno deve ficar capaz de: Promover estratégias que envolvam aquisição de
conhecimento, informação e outros saberes,
relativos aos conteúdos das AE, que impliquem:
- necessidade de rigor, articulação e uso
consistente de conhecimentos;
- seleção de informação pertinente;
- organização sistematizada de leitura e estudo
autónomo;
- análise de factos, teorias, situações,
identificando os seus elementos ou dados;
- tarefas de memorização, verificação e
consolidação, associadas a compreensão e uso de
saber, bem como a mobilização do memorizado;
- estabelecer relações intra e interdisciplinares;
Promover estratégias que envolvam a
criatividade dos alunos:
- imaginar hipóteses face a um fenómeno ou
evento;
- conceber situações onde determinado
conhecimento possa ser aplicado;
- imaginar alternativas a uma forma tradicional de
abordar uma situação-problema;
- criar um objeto, texto ou solução face a um
desafio;
Conhecedor/
sabedor/ culto/
informado
(A, B, G, I, J)
Criativo
(A, C, D, J)
O que é a filosofia?
Caracterizar a noção de filosofia como uma atividade
conceptual crítica.
As questões da filosofia
Clarificar a natureza dos problemas filosóficos.
Racionalidade
argumentativa da
Filosofia e a
dimensão
discursiva do
trabalho
filosófico
Tese, argumento, validade, verdade e solidez.
Quadrado da oposição
Explicitar os conceitos de tese, argumento, validade,
verdade e solidez;
Operacionalizar os conceitos de tese, argumento, validade,
verdade e solidez, usando-os como instrumentos críticos da
filosofia;
Aplicar o quadrado da oposição à negação de teses.

Recomendados

01 programa psicologia_(cursos_profissionais)
01 programa psicologia_(cursos_profissionais)01 programa psicologia_(cursos_profissionais)
01 programa psicologia_(cursos_profissionais)Micas Cullen
 
C:\Fakepath\Forumdir 2005b
C:\Fakepath\Forumdir 2005bC:\Fakepath\Forumdir 2005b
C:\Fakepath\Forumdir 2005bSolange Soares
 
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E Historia
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E HistoriaConcurso Para Docentes Da See Sp Geografia E Historia
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E HistoriaFabio Santos
 
Prática docente mediada pelo estágio
Prática docente mediada pelo estágioPrática docente mediada pelo estágio
Prática docente mediada pelo estágioMarcelle Pires
 
T. básico cúrriculo baseado em competências
T. básico   cúrriculo baseado em competênciasT. básico   cúrriculo baseado em competências
T. básico cúrriculo baseado em competênciasNatalia Santos
 
Estágio supervisionado
Estágio supervisionadoEstágio supervisionado
Estágio supervisionadoMarcelo Rony
 
Análise do artigo_científico
Análise do artigo_científicoAnálise do artigo_científico
Análise do artigo_científicolislieribeiro
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...ProfessorPrincipiante
 
Slide o estágio na história da educação
Slide o estágio na  história da educaçãoSlide o estágio na  história da educação
Slide o estágio na história da educaçãoestudosacademicospedag
 
Analise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EAD
Analise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EADAnalise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EAD
Analise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EADRogério Da Costa Ribeiro
 
Estágio e docência
Estágio e docênciaEstágio e docência
Estágio e docênciaNadia Biavati
 
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...
A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...Marcelo Gomes
 
Estágio: diferentes concepções
Estágio: diferentes concepções Estágio: diferentes concepções
Estágio: diferentes concepções Lílian Reis
 
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...ProfessorPrincipiante
 
CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...
CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...
CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...ProfessorPrincipiante
 
Oficina de idéias sobre estágio e docencia
Oficina de idéias sobre estágio e docenciaOficina de idéias sobre estágio e docencia
Oficina de idéias sobre estágio e docenciaCelia Santos
 

Mais procurados (16)

APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE BACHARÉIS E TECNÓLOGOS EM UMA UNIVERSIDADE TECNOL...
 
Slide o estágio na história da educação
Slide o estágio na  história da educaçãoSlide o estágio na  história da educação
Slide o estágio na história da educação
 
Atitude critica
Atitude criticaAtitude critica
Atitude critica
 
Analise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EAD
Analise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EADAnalise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EAD
Analise Artigo Científico: Supervisão Pedagógica na EAD
 
Estágio e docência
Estágio e docênciaEstágio e docência
Estágio e docência
 
Nb m08t08 competencias
Nb m08t08 competenciasNb m08t08 competencias
Nb m08t08 competencias
 
08 sintese d..
08 sintese d..08 sintese d..
08 sintese d..
 
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...
A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...
 
193 596-1-pb
193 596-1-pb193 596-1-pb
193 596-1-pb
 
Estágio: diferentes concepções
Estágio: diferentes concepções Estágio: diferentes concepções
Estágio: diferentes concepções
 
7.1 resumo Zabala
7.1 resumo Zabala7.1 resumo Zabala
7.1 resumo Zabala
 
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
 
Concepções+sobre+avaliação+escolar esteban
Concepções+sobre+avaliação+escolar estebanConcepções+sobre+avaliação+escolar esteban
Concepções+sobre+avaliação+escolar esteban
 
Artigo sobre projetos interdisciplinares
Artigo sobre projetos interdisciplinaresArtigo sobre projetos interdisciplinares
Artigo sobre projetos interdisciplinares
 
CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...
CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...
CONCEPÇÕES SOBRE A PRÁTICA EDUCATIVA DE DOCENTES EM EXERCÍCIO E EM FORMAÇÃO: ...
 
Oficina de idéias sobre estágio e docencia
Oficina de idéias sobre estágio e docenciaOficina de idéias sobre estágio e docencia
Oficina de idéias sobre estágio e docencia
 

Destaque

Ex fil714-f2-2017-v1
Ex fil714-f2-2017-v1Ex fil714-f2-2017-v1
Ex fil714-f2-2017-v1Isabel Moura
 
Ex fil714-f2-2017-v2
Ex fil714-f2-2017-v2Ex fil714-f2-2017-v2
Ex fil714-f2-2017-v2Isabel Moura
 
Ex fil714-f2-2017-cc-vt
Ex fil714-f2-2017-cc-vtEx fil714-f2-2017-cc-vt
Ex fil714-f2-2017-cc-vtIsabel Moura
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & Authenticity
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & AuthenticityEd Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & Authenticity
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & AuthenticityEd Batista
 
Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016
Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016 Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016
Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016 Ed Batista
 
Coaching Your Employees, March 2014
Coaching Your Employees, March 2014Coaching Your Employees, March 2014
Coaching Your Employees, March 2014Ed Batista
 
Holistic Health coaching, Wulf-Peter Paezold
Holistic Health coaching, Wulf-Peter PaezoldHolistic Health coaching, Wulf-Peter Paezold
Holistic Health coaching, Wulf-Peter PaezoldMagazineontheSpot
 
Programa psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionaisPrograma psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionaisIsabel Moura
 
Transforming Service & Support - Implementing a Service Delivery University
Transforming Service & Support - Implementing a Service Delivery UniversityTransforming Service & Support - Implementing a Service Delivery University
Transforming Service & Support - Implementing a Service Delivery UniversityGreg Trexler
 
Introduction to clinical psychology
Introduction to  clinical psychologyIntroduction to  clinical psychology
Introduction to clinical psychologytexila123
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: Influence
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: InfluenceEd Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: Influence
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: InfluenceEd Batista
 
Compassion Satisfaction and Compassion Fatigue
Compassion Satisfaction and Compassion FatigueCompassion Satisfaction and Compassion Fatigue
Compassion Satisfaction and Compassion Fatiguechsbuffalo
 
SCARF Model for Managing Organization Stress
SCARF Model for Managing Organization StressSCARF Model for Managing Organization Stress
SCARF Model for Managing Organization StressMaya Townsend
 
Neuroscience - Change management with the brain in mind
Neuroscience - Change management with the brain in mindNeuroscience - Change management with the brain in mind
Neuroscience - Change management with the brain in mindZukunft2020
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...Ed Batista
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...Ed Batista
 

Destaque (17)

Ex fil714-f2-2017-v1
Ex fil714-f2-2017-v1Ex fil714-f2-2017-v1
Ex fil714-f2-2017-v1
 
Ex fil714-f2-2017-v2
Ex fil714-f2-2017-v2Ex fil714-f2-2017-v2
Ex fil714-f2-2017-v2
 
Ex fil714-f2-2017-cc-vt
Ex fil714-f2-2017-cc-vtEx fil714-f2-2017-cc-vt
Ex fil714-f2-2017-cc-vt
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & Authenticity
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & AuthenticityEd Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & Authenticity
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 3: Self-Disclosure & Authenticity
 
Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016
Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016 Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016
Ed Batista, The Art of Self-Coaching @ InnerSpace, June 2016
 
Coaching Your Employees, March 2014
Coaching Your Employees, March 2014Coaching Your Employees, March 2014
Coaching Your Employees, March 2014
 
Self-healing Yan schroën
Self-healing Yan schroën   Self-healing Yan schroën
Self-healing Yan schroën
 
Holistic Health coaching, Wulf-Peter Paezold
Holistic Health coaching, Wulf-Peter PaezoldHolistic Health coaching, Wulf-Peter Paezold
Holistic Health coaching, Wulf-Peter Paezold
 
Programa psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionaisPrograma psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionais
 
Transforming Service & Support - Implementing a Service Delivery University
Transforming Service & Support - Implementing a Service Delivery UniversityTransforming Service & Support - Implementing a Service Delivery University
Transforming Service & Support - Implementing a Service Delivery University
 
Introduction to clinical psychology
Introduction to  clinical psychologyIntroduction to  clinical psychology
Introduction to clinical psychology
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: Influence
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: InfluenceEd Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: Influence
Ed Batista, Interpersonal Dynamics, Class 7: Influence
 
Compassion Satisfaction and Compassion Fatigue
Compassion Satisfaction and Compassion FatigueCompassion Satisfaction and Compassion Fatigue
Compassion Satisfaction and Compassion Fatigue
 
SCARF Model for Managing Organization Stress
SCARF Model for Managing Organization StressSCARF Model for Managing Organization Stress
SCARF Model for Managing Organization Stress
 
Neuroscience - Change management with the brain in mind
Neuroscience - Change management with the brain in mindNeuroscience - Change management with the brain in mind
Neuroscience - Change management with the brain in mind
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 5: ...
 
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...
Ed Batista, Interpersonal Dynamics (aka Touchy Feely) @StanfordBiz, Class 1: ...
 

Semelhante a Ae sec filosofia

Guião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docx
Guião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docxGuião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docx
Guião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docxSandra Ameixinha
 
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.docProjeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.docJocilaine Moreira
 
Filosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidades
Filosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidadesFilosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidades
Filosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidadesMichele Wilbert
 
Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)UyaraPortugal
 
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...Natalia Ribeiro
 
Plano de Ensino de Filosofia / 1º ano
Plano de Ensino  de Filosofia   / 1º ano Plano de Ensino  de Filosofia   / 1º ano
Plano de Ensino de Filosofia / 1º ano Mary Alvarenga
 
Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio - 2º ano
Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio -    2º ano Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio -    2º ano
Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio - 2º ano Mary Alvarenga
 
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia Jocilaine Moreira
 

Semelhante a Ae sec filosofia (20)

Ppc filosofia
Ppc filosofiaPpc filosofia
Ppc filosofia
 
620 2268-1-pb
620 2268-1-pb620 2268-1-pb
620 2268-1-pb
 
Guião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docx
Guião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docxGuião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docx
Guião de interdisciplinaridade - unidade 5 (1).docx
 
Oficio Professor
Oficio ProfessorOficio Professor
Oficio Professor
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
 
OT Filosofia
OT FilosofiaOT Filosofia
OT Filosofia
 
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.docProjeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
 
Filosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidades
Filosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidadesFilosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidades
Filosofia para crianças - competências, atitudes, valores e habilidades
 
Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)
 
Ppp
PppPpp
Ppp
 
Ppp
PppPpp
Ppp
 
3 formação pnaic
3 formação pnaic3 formação pnaic
3 formação pnaic
 
Problemas filosóficos a abordar.pptx
Problemas filosóficos a abordar.pptxProblemas filosóficos a abordar.pptx
Problemas filosóficos a abordar.pptx
 
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
Monografia "Tendência Histórico-Crítica e Emancipação Humana: concepções,sent...
 
tesegamboa.pdf
tesegamboa.pdftesegamboa.pdf
tesegamboa.pdf
 
Plano de Ensino de Filosofia / 1º ano
Plano de Ensino  de Filosofia   / 1º ano Plano de Ensino  de Filosofia   / 1º ano
Plano de Ensino de Filosofia / 1º ano
 
Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio - 2º ano
Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio -    2º ano Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio -    2º ano
Plano de Ensino de Filosofia Ensino Médio - 2º ano
 
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
 
Otm filosofia
Otm   filosofiaOtm   filosofia
Otm filosofia
 
Otm filosofia
Otm filosofiaOtm filosofia
Otm filosofia
 

Mais de Isabel Moura

O POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdf
O POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdfO POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdf
O POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdfIsabel Moura
 
Plano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docxPlano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docxIsabel Moura
 
Plano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docxPlano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docxIsabel Moura
 
TeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdf
TeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdfTeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdf
TeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdfIsabel Moura
 
Doc4. super book of_web_tools_for_educators
Doc4. super book of_web_tools_for_educatorsDoc4. super book of_web_tools_for_educators
Doc4. super book of_web_tools_for_educatorsIsabel Moura
 
Matriz 4 teste 10 d
Matriz 4 teste 10 dMatriz 4 teste 10 d
Matriz 4 teste 10 dIsabel Moura
 
Estudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto trumanEstudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto trumanIsabel Moura
 
Ética deontológica vs ética teleológica
Ética deontológica vs ética teleológicaÉtica deontológica vs ética teleológica
Ética deontológica vs ética teleológicaIsabel Moura
 
Correção da ficha de revisões 2 teste 11
Correção da ficha de revisões 2 teste 11Correção da ficha de revisões 2 teste 11
Correção da ficha de revisões 2 teste 11Isabel Moura
 
Ficha de revisões 2 teste 11
Ficha de revisões 2 teste 11Ficha de revisões 2 teste 11
Ficha de revisões 2 teste 11Isabel Moura
 
Argumentos não dedutivos
Argumentos não dedutivosArgumentos não dedutivos
Argumentos não dedutivosIsabel Moura
 
Matriz do 2 teste de filosofia 11º ano
Matriz do 2 teste de filosofia 11º anoMatriz do 2 teste de filosofia 11º ano
Matriz do 2 teste de filosofia 11º anoIsabel Moura
 
Seb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_anoSeb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_anoIsabel Moura
 
Correção das atividades sobre falácias
Correção das atividades sobre faláciasCorreção das atividades sobre falácias
Correção das atividades sobre faláciasIsabel Moura
 
Matriz do 1 teste de ai 12 f estética
Matriz do 1 teste de ai 12 f estéticaMatriz do 1 teste de ai 12 f estética
Matriz do 1 teste de ai 12 f estéticaIsabel Moura
 
Ficha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informaisFicha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informaisIsabel Moura
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informaisIsabel Moura
 

Mais de Isabel Moura (20)

O POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdf
O POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdfO POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdf
O POTENCIAL PEDAGÓGICO DAS FERRAMENTAS DA WEB.pdf
 
Plano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docxPlano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_31_05_2021_Isabel Duarte.docx
 
Plano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docxPlano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docx
Plano de aula_11_01_2021_Isabel Duarte.docx
 
TeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdf
TeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdfTeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdf
TeresaMorais_Guião_filosofiadaarte.docx.pdf
 
Doc4. super book of_web_tools_for_educators
Doc4. super book of_web_tools_for_educatorsDoc4. super book of_web_tools_for_educators
Doc4. super book of_web_tools_for_educators
 
Matriz 4 teste 10 d
Matriz 4 teste 10 dMatriz 4 teste 10 d
Matriz 4 teste 10 d
 
Quiz descartes
Quiz descartesQuiz descartes
Quiz descartes
 
Estudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto trumanEstudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto truman
 
Ética deontológica vs ética teleológica
Ética deontológica vs ética teleológicaÉtica deontológica vs ética teleológica
Ética deontológica vs ética teleológica
 
Correção da ficha de revisões 2 teste 11
Correção da ficha de revisões 2 teste 11Correção da ficha de revisões 2 teste 11
Correção da ficha de revisões 2 teste 11
 
Ficha de revisões 2 teste 11
Ficha de revisões 2 teste 11Ficha de revisões 2 teste 11
Ficha de revisões 2 teste 11
 
Argumentos não dedutivos
Argumentos não dedutivosArgumentos não dedutivos
Argumentos não dedutivos
 
Matriz do 2 teste de filosofia 11º ano
Matriz do 2 teste de filosofia 11º anoMatriz do 2 teste de filosofia 11º ano
Matriz do 2 teste de filosofia 11º ano
 
A retórica
A retóricaA retórica
A retórica
 
Seb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_anoSeb filosofia 11_resumos_10_ano
Seb filosofia 11_resumos_10_ano
 
Correção das atividades sobre falácias
Correção das atividades sobre faláciasCorreção das atividades sobre falácias
Correção das atividades sobre falácias
 
Funções da arte
Funções da arteFunções da arte
Funções da arte
 
Matriz do 1 teste de ai 12 f estética
Matriz do 1 teste de ai 12 f estéticaMatriz do 1 teste de ai 12 f estética
Matriz do 1 teste de ai 12 f estética
 
Ficha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informaisFicha de trabalho- falácias informais
Ficha de trabalho- falácias informais
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informais
 

Último

Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...azulassessoriaacadem3
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...azulassessoriaacadem3
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 

Ae sec filosofia

  • 1. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO FILOSOFIA INTRODUÇÃO Enquanto componente da formação geral de todos os cursos científico-humanísticos do ensino secundário, a disciplina de Filosofia deve ser considerada uma atividade intelectual na qual os problemas, conceitos e teorias filosóficas são a base do desenvolvimento de um pensamento autónomo, consciente das suas estruturas lógicas e cognitivas, e capaz de mobilizar o conhecimento filosófico para uma leitura crítica da realidade e o fundamento sólido da ação individual e na sua relação com os outros humanos e não humanos. No conjunto do currículo, e tendo em conta o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, a disciplina de Filosofia, ao colocar o aluno como aprendente ativo e responsável, contribui para que seja questionador, investigador, crítico,
  • 2. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 2 organizador, informado e auto-avaliativo ao facilitar o desenvolvimento - de um pensamento crítico capaz de mobilizar o conhecimento filosófico e as competências lógicas da filosofia para formular questões de modo claro e preciso, de usar conceitos abstratos para avaliar informação, de validar teses e argumentos através de critérios sólidos, de avaliar os pressupostos e implicações do seu pensamento e o dos outros e de comunicar efetivamente na busca de solução de problemas que se colocam nas sociedades contemporâneas; cuidador de si e dos outros, através - de um pensamento e ação éticos e políticos que mobilizem conhecimento filosófico para compreender, formular e refletir sobre os problemas sociais, éticos, políticos e tecno-científicos que se colocam nas sociedades contemporâneas, e seu impacto nas gerações futuras, discutindo criticamente as teorias que se apresentam para a resolução desses problemas e assumindo gradualmente posições autónomas devidamente fundamentadas e capazes de sustentar uma cidadania ativa; respeitador da diferença, ao ser capaz - de um pensamento e ações inclusivos, capaz de acolher a diferença individual e cultural num mundo globalizado, a partir da compreensão das razões axiológicas pelas quais as pessoas pensam e agem de formas diferentes; criativo, ao ser capaz - de um pensamento estético sobre a arte e diferentes formas de manifestação cultural; - de propor soluções alternativas para problemas filosóficos que lhe são colocados. Na análise metódica do texto filosófico, no trabalho oral, nas produções escritas, em trabalho colaborativo ou individual, as atividades devem ser orientadas para que o aluno desenvolva competências de problematização, conceptualização e argumentação, culminando na produção de um ensaio filosófico.
  • 3. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 3 Problematização Identifique, formule e relacione com clareza e rigor problemas filosóficos e justifique a sua pertinência. Conceptualização Identifique, clarifique e relacione com clareza e rigor conceitos filosóficos e os mobilize na compreensão e formulação de problemas, teses e argumentos filosóficos. Argumentação Identifique, formule teorias, teses e argumentos filosóficos, aplicando instrumentos operatórios da lógica formal e informal, avaliando criticamente os seus pontos fortes e fracos. Compare e avalie criticamente, pelo confronto de teses e argumentos, todas as teorias dos filósofos apresentados a estudo. Determine as implicações filosóficas e as implicações práticas de uma teoria ou tese filosófica. Assuma posições pessoais com clareza e rigor, mobilizando conhecimentos filosóficos e avaliando teses, argumentos e contra- argumentos. OPÇÕES METODOLÓGICAS  os instrumentos lógicos do trabalho filosófico devem tornar-se operatórios nas atividades a desenvolver com os alunos, servindo de apoio permanente à análise crítica a realizar na exploração de cada problema filosófico;  em cada área temática, os problemas circunscrevem as linhas essenciais mínimas a explorar em aula e o professor deve criar situações de aprendizagem que permitam formular com clareza a questão filosófica que vai orientar o trabalho;  não sendo um programa de autores, os tópicos a explorar no pensamento de cada autor são os que respondem aos
  • 4. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 4 problemas elencados e devem ser sujeitos a uma análise crítica, tendo em conta o desenvolvimento das competências operatórias da disciplina;  num princípio da construção progressiva das aprendizagens, é necessário que os alunos exercitem por escrito e oralmente as várias competências filosóficas de problematização, conceptualização e argumentação antes de lhes ser proposta a elaboração de um ensaio filosófico; a elaboração do ensaio filosófico não tem necessariamente de ser realizada no final de cada ano letivo e a sua realização pode corresponder à necessária flexibilização na articulação curricular com outras disciplinas;  no ensaio filosófico, os alunos, sob orientação do professor, e após a seleção de um dos temas enunciados, devem começar por definir com rigor qual a questão filosófica que vai ser desenvolvida e estabelecer os termos do problema. BIBLIOGRAFIA
  • 5. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 5 ÁREAS DE COMPETÊNCIAS DO PERFIL DOS ALUNOS (ACPA) Informaçãoe comunicação Pensamentocríticoe pensamentocriativo Desenvolvimento pessoaleautonomia Sensibilidadeestéticae artística Consciênciaedomínio docorpo Linguagensetextos Raciocínioeresolução deproblemas Relacionamento interpessoal Bem-estar,saúdee ambiente Sabercientífico, técnicoetecnológico A C E G I B D F H J
  • 6. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 6 OPERACIONALIZAÇÃO DAS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS (AE) ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS I. ABORDAGEM INTRODUTÓRIA À FILOSOFIA E AO FILOSOFAR O aluno deve ficar capaz de: Promover estratégias que envolvam aquisição de conhecimento, informação e outros saberes, relativos aos conteúdos das AE, que impliquem: - necessidade de rigor, articulação e uso consistente de conhecimentos; - seleção de informação pertinente; - organização sistematizada de leitura e estudo autónomo; - análise de factos, teorias, situações, identificando os seus elementos ou dados; - tarefas de memorização, verificação e consolidação, associadas a compreensão e uso de saber, bem como a mobilização do memorizado; - estabelecer relações intra e interdisciplinares; Promover estratégias que envolvam a criatividade dos alunos: - imaginar hipóteses face a um fenómeno ou evento; - conceber situações onde determinado conhecimento possa ser aplicado; - imaginar alternativas a uma forma tradicional de abordar uma situação-problema; - criar um objeto, texto ou solução face a um desafio; Conhecedor/ sabedor/ culto/ informado (A, B, G, I, J) Criativo (A, C, D, J) O que é a filosofia? Caracterizar a noção de filosofia como uma atividade conceptual crítica. As questões da filosofia Clarificar a natureza dos problemas filosóficos. Racionalidade argumentativa da Filosofia e a dimensão discursiva do trabalho filosófico Tese, argumento, validade, verdade e solidez. Quadrado da oposição Explicitar os conceitos de tese, argumento, validade, verdade e solidez; Operacionalizar os conceitos de tese, argumento, validade, verdade e solidez, usando-os como instrumentos críticos da filosofia; Aplicar o quadrado da oposição à negação de teses.
  • 7. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 7 ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS Formas de inferência válida Explicitar em que consistem as conectivas proposicionais de conjunção, disjunção (inclusiva e exclusiva), condicional, bicondicional e negação; Aplicar tabelas de verdade na validação de formas argumentativas; Aplicar as regras de inferência do Modus Ponens, do Modus Tollens, do silogismo hipotético, das Leis de De Morgan, da negação dupla, da contraposição e do silogismo disjuntivo para validar argumentos. Principais falácias formais Identificar e justificar as falácias formais da afirmação do consequente e da negação do antecedente. O discurso argumentativo e principais tipos de argumentos e falácias informais Clarificar as noções de argumento não-dedutivo, por indução, por analogia e por autoridade; - analisar textos ou outros suportes com diferentes pontos de vista, concebendo e sustentando um ponto de vista próprio; - fazer predições; - usar modalidades diversas para expressar as aprendizagens (por exemplo, imagens); - criar soluções estéticas criativas e pessoais; Promover estratégias que desenvolvam o pensamento crítico e analítico dos alunos, incidindo em: - mobilizar o discurso (oral e escrito) argumentativo (expressar uma tomada de posição, pensar e apresentar argumentos e contra- argumentos, rebater os contra-argumentos); - organizar debates que requeiram sustentação de afirmações, elaboração de opiniões ou análises de factos ou dados; - discutir conceitos ou factos numa perspetiva disciplinar e interdisciplinar, incluindo conhecimento disciplinar específico; - analisar textos com diferentes pontos de vista; confrontar argumentos para encontrar semelhanças, diferenças, consistência interna; - problematizar situações; - analisar factos, teorias, situações, identificando os seus elementos ou dados, em particular numa perspetiva disciplinar e interdisciplinar; Crítico/Analítico (A, B, C, D, G)
  • 8. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 8 ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS Construir argumentos por indução, por analogia e por autoridade; Identificar, justificando, as falácias informais generalização precipitada, amostra não representativa, falsa analogia, apelo à autoridade, petição de princípio, falso dilema, falsa relação causal, ad hominem, ad populum, apelo à ignorância, boneco de palha e derrapagem; Utilizar conscientemente diferentes tipos de argumentos formais e não formais na análise crítica do pensamento filosófico e na expressão do seu próprio pensamento; Aplicar o conhecimento de diferentes falácias formais e não formais na verificação da estrutura e qualidade argumentativas de diferentes formas de comunicação. Promover estratégias que envolvam por parte do aluno: - tarefas de pesquisa sustentada por critérios, com autonomia progressiva; - incentivo à procura e aprofundamento de informação; - recolha de dados e opiniões para análise de temáticas em estudo; Promover estratégias que requeiram/induzam por parte do aluno: - aceitar ou argumentar pontos de vista diferentes; - promover estratégias que induzam respeito por diferenças de características, crenças ou opiniões; - confrontar ideias e perspetivas distintas sobre abordagem de um dado problema e ou maneira de o resolver, tendo em conta, por exemplo, diferentes perspetivas culturais, sejam de incidência local, nacional ou global; Promover estratégias que envolvam por parte do aluno: - tarefas de síntese; - tarefas de planificação, de revisão e de monitorização; - registo seletivo; - organização (por exemplo, construção de sumários, registos de observações, relatórios de visitas segundo critérios e objetivos); - elaboração de planos gerais, esquemas; Indagador/ Investigador (C, D, F, H, I) Respeitador da diferença/ do outro (A, B, E, F, H) Sistematizador/ organizador (A, B, C, I, J) II. A AÇÃO HUMANA E OS VALORES A ação humana — análise e compreensão do agir A rede conceptual da ação [Filosofia da Ação] Distinguir ação de acontecimento, ato voluntário de involuntário. Determinismo e liberdade na ação humana [Metafísica] Formular o problema do livre-arbítrio, justificando a sua pertinência filosófica;
  • 9. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 9 ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS Enunciar as teses do determinismo radical, determinismo moderado e libertismo enquanto respostas ao problema do livre-arbítrio; Discutir criticamente as posições do determinismo radical, do determinismo moderado e do libertismo e respetivos argumentos. - promoção do estudo autónomo com o apoio do professor à sua concretização, identificando quais os obstáculos e formas de os ultrapassar; Promover estratégias que impliquem por parte do aluno: - saber questionar uma situação; - organizar questões para terceiros, sobre conteúdos estudados ou a estudar; - interrogar-se sobre o seu próprio conhecimento prévio; Promover estratégias que impliquem por parte do aluno: - ações de comunicação uni e bidirecional; - ações de resposta, apresentação, iniciativa; - ações de questionamento organizado; Promover estratégias envolvendo tarefas em que, com base em critérios, se oriente o aluno para: - se autoanalisar; - identificar pontos fracos e fortes das suas aprendizagens; - descrever processos de pensamento usados durante a realização de uma tarefa ou abordagem de um problema; - considerar o feedback dos pares para melhoria Questionador (A, F, G, I, J) Comunicador (A, B, D, E, H) Autoavaliador (transversal às áreas) A dimensão ético- política - análise e compreensão da experiência convivencial [Ética] A dimensão pessoal e social da ética Enunciar o problema da natureza dos juízos morais, justificando a sua relevância filosófica; Caracterizar o conceito de juízo moral enquanto juízo de valor; Clarificar as teses e os argumentos do subjetivismo, do relativismo e do objetivismo enquanto posições filosóficas sobre a natureza dos juízos morais; Discutir criticamente estas posições e respetivos argumentos; Aplicar estas posições na discussão de problemas inerentes às sociedades multiculturais.
  • 10. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 10 ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS A necessidade de fundamentação da moral - análise comparativa de duas perspetivas filosóficas O problema do critério ético da moralidade de uma ação:  a ética deontológica de Kant — o dever e a lei moral; a boa vontade; máxima, imperativo hipotético e imperativo categórico; heteronomia e autonomia da vontade; agir em conformidade com o dever e agir por dever. Críticas à ética de Kant.  a ética utilitarista de Mill — intenção e consequências; o princípio da utilidade; a felicidade; prazeres inferiores e prazeres superiores; a inexistência de regras morais absolutas. Críticas à ética de Mill. Clarificar a necessidade de uma fundamentação da ação moral; Enunciar o problema ético da moralidade de uma ação; Clarificar os conceitos nucleares, as teses e os argumentos das éticas de Kant e Mill; Discutir criticamente as éticas de Kant e Mill; Mobilizar os conhecimentos adquiridos para analisar criticamente ou propor soluções para problemas éticos que possam surgir a partir da realidade, cruzando a perspetiva ou aprofundamento de saberes; - a partir da explicitação de feedback do professor, reorientar o seu trabalho, individualmente ou em grupo; Promover estratégias que criem oportunidades para o aluno: - colaborar com outros, apoiar terceiros em tarefas; - fornecer feedback para melhoria ou aprofundamento de ações; - apoiar atuações úteis para outros (trabalhos de grupo); Promover estratégias e modos de organização das tarefas que impliquem por parte do aluno: - a assunção de responsabilidades adequadas ao que lhe for pedido; - organizar e realizar autonomamente tarefas; - assumir e cumprir compromissos, contratualizar tarefas; - a apresentação de trabalhos com auto e heteroavaliação; - dar conta a outros do cumprimento de tarefas e funções que assumiu; Promover estratégias que induzam: - ações solidárias para com outros nas tarefas de aprendizagem ou na sua organização /atividades de Participativo/ colaborador (B, C, D, E, F) Responsável/ autónomo (C, D, E, F, G, I, J) Cuidador de si e do outro (B, E, F, G)
  • 11. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 11 ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS ética com outras áreas do saber. entreajuda; - posicionar-se perante situações dilemáticas de ajuda a outros e de proteção de si; - disponibilidade para o autoaperfeiçoamento;Ética, direito e política — liberdade e justiça social; igualdade e diferenças; justiça e equidade [Filosofia Política] O problema da organização de uma sociedade justa:  a teoria da justiça de John Rawls — a posição original e o veu de ignorância; a justiça como equidade; os princípios da justiça; a regra maximim; o contratualismo e a rejeição do utilitarismo. As críticas comunitarista (Michael Sandel) e libertadista (Robert Nozick) a Rawls. Formular o problema da organização de uma sociedade justa, justificando a sua importância filosófica; Clarificar os conceitos nucleares, as teses e os argumentos da teoria da justiça de Rawls; Confrontar a teoria da justiça de Rawls com as críticas que lhe são dirigidas pelo comunitarismo (Michael Sandel) e libertarismo (Robert Nozick); Aplicar os conhecimentos adquiridos para discutir problemas políticos das sociedades atuais e apresentar soluções, cruzando a perspetiva filosófica com outras perspetivas.
  • 12. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 12 ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS Temas / problemas do mundo contemporâneo Desenvolvimento de um dos seguintes temas: 1. Erradicação da pobreza 2. Estatuto moral dos animais 3. Responsabilidade ambiental 4. Problemas éticos na interrupção da vida humana 5. Fundamento ético e político de direitos humanos universais 6. Guerra e paz 7. Terrorismo 8. Igualdade e discriminação 9. Cidadania e participação política 10. Os limites entre o público e privado 11. Outros (desde que inseridos nas áreas filosóficas das Aprendizagens Essenciais propostas para o 10.º ano) O desenvolvimento do tema deve ter por horizonte a elaboração de um ensaio filosófico, sendo que a sua extensão e o grau de aprofundamento do ensaio deverá ter em consideração a maturidade dos alunos (possível área de trabalho transversal com outras disciplinas): Delimitar com rigor um problema filosófico dentro de uma
  • 13. APRENDIZAGENS ESSENCIAIS | ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS 10.º ANO | ENSINO SECUNDÁRIO | FILOSOFIA PÁG. 13 ORGANIZADOR Módulos AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES AE: AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO ORIENTADAS PARA O PERFIL DOS ALUNOS (Exemplos de ações a desenvolver na disciplina) DESCRITORES DO PERFIL DOS ALUNOS área temática; Formular o problema filosófico em discussão; Fundamentar o problema filosófico e os conceitos que o sustentam; Enunciar claramente a(s) tese(s) e teoria(s) em discussão; Assume posições com clareza e rigor; Mobilizar com rigor conceitos filosóficos na formulação de teses, argumentos e contra-argumentos; Confrontar criticamente teses e argumentos; Determinar as implicações práticas das teses e teorias em discussão; Aplicar adequadamente conhecimentos filosóficos para pensar problemas que se colocam às sociedades contemporâneas; Apresentar soluções relevantes para esses problemas, articulando, quando possível, com outras áreas do saber.