Planejamento de Filosofia e arte 2º bimestre

2.142 visualizações

Publicada em

Plano de Filosofia e Arte do 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.142
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento de Filosofia e arte 2º bimestre

  1. 1.  Filosofia: 1º ano A/B/C , 2º ano A/B e 3º ano A  Arte: 2º ano A  Período: 14/05 a 22/08/2014 Mary Alvarenga
  2. 2. ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO UNIDADE REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE IMPERATRIZ CENTRO DE ENSINO URBANO ROCHA RUA MARANHÃO S/N – FONE (99) 3525-3521 PLANO BIMESTRAL Série: 1º ano Turmas: A/B/C Turno: matutino Período: 14/05 a 22/08/2014 Disciplina: Filosofia Professora: Mary Alvarenga Coordenador pedagógico: Giselda Nº de aulas previstas: Bimestral 20 Semanal 02 Área ou disciplinas envolvidas (para atividades interdisciplinares): História, Português e Artes  OBJETIVO GERAL ( o que se espera ao final da etapa)  Possibilitar o desenvolvimento da consciência crítico-reflexiva para que o aluno se perceba como agente transformador da realidade. Antropologia filosófica 2ºBIMESTRE  Capítulo 4 – Natureza e cultura – Para começar – O comportamento animal – O agir humano: a cultura – Uma nova sociedade – A cultura como construção humana  Capítulo 5 – linguagem e pensamento – A linguagem do desenho – O que é uma linguagem? – A linguagem verbal – Funções da linguagem – Linguagem, pensamento e cultura.  Capítulo 6 – Trabalho, alienação e consumo. – Trabalho como tortura – A humanização pelo trabalho – Ócio e negócio – Uma nova concepção do trabalho – O trabalho como mercadoria: a alienação – A era do olhar: a disciplina – De olho no cronômetro – Novos tempos na fábrica – Da fábrica para o escritório – Consumo ou consumismo? – Crítica a sociedade administrada – Uma civilização do lazer – A sociedade pós-moderna: o hiperconsumo  Capítulo 7– Em busca da felicidade – O que significa ser feliz? – A experiência de ser – Os tipos de amor – Platão: Eros e a filosofia – O corpo sob o olhar da ciência – A inovação de Espinosa – As teorias contemporâneas – Individualismo e narcisismo – Felicidade e autonomia
  3. 3.  OBJETIVOS ESPECÍFICOS (o que espero da turma) – Reconhecer a importância do uso de diferentes linguagens para elaborar o pensamento e a expressão em processos reflexivos. – Criticar a concepção de conhecimento cientifica como verdade absoluta. – Identificar e realizar procedimentos de pesquisa, tais como: observação, entrevistas, elaboração, de roteiros para entrevistas e observação, registros, classificação e interpretações. – Reconhecer a relevância da reflexão filosófica para a análise dos temas que emergem dos problemas das sociedades contemporâneas. – Distinguir entre as noções de natureza e cultura. – Distinguir as características do comportamento animal e humano. – Compreender a noção de cultura como essencial à definição do ser humano. – Compreender que, no ser humano, as características biológicas da natureza e os dados culturais estão profundamente associados. – Refletir sobre os elementos fundamentais que caracterizam o homem e que ao mesmo tempo, o diferenciam dos demais seres vivos. – Abordar a importância da linguagem para o pensamento e a formação do ser humano. – Abordar conceitos fundamentais de trabalho, alienação e consumo. – Analisar o mundo do trabalho na era capitalista. – Discutir as relações entre globalização, consumismo, alienação e trabalho. – Analisar os conceitos de felicidade. – Refletir sobre o conceito de felicidade na filosofia, desde a Antiguidade até a contemporânea. – Ler textos filosóficos de modo significativo. – Ampliar gradativamente o alcance da leitura filosófica – Demonstrar que o papel da Filosofia é construir um campo de conhecimento, de elaboração de concepções, de análise do pensamento humano. – Ler, de modo filosófico, textos de diferentes estruturas e registros. – Desenvolver experiências de pensamento que o torne competente para uma leitura critica e criativa da realidade que nos cerca ao longo do tempo. – Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo. – Debater, tomando uma posição, defendendo-a argumentando e mudando de posição em face de argumentos mais conscientes. – Compreender o conceito de filosofia e sua importância na história da humanidade. – Diferenciar consciência mítica da consciência filosófica – Identificar os motivos que levaram os gregos a desenvolver a Filosofia. – Conceituar com mais especificidade o que é filosofia.  METODOLOGIA (como deve ser ensinado) – Aulas expositivas e dialogadas. – Leitura: indicação de algumas leituras para ampliação da abordagem dos temas. – Pesquisas: para reflexão e debates sobre fatos históricos e correntes de pensamento.
  4. 4. – Vocabulário: significado de conceitos chaves. – Painéis em equipes: apresentação de painéis a partir das pesquisas vinculadas a avaliação. – Leitura, interpretação e produção de textos. – Estudo dirigido e exercícios em sala de aula.  Atividades de trabalhos em grupo. – Apresentação de trabalhos individuais e coletivos. – Seminários  AVALIAÇÃO (o que deverá ser avaliado) A avaliação será contínua e levará em consideração todas as atividades desenvolvidas pelo aluno, tais como: a compreensão, análise, senso crítico, atividades propostas, interesse, o desenvolvimento do aluno, assiduidade, organização das atividades, testes, presença e participação em aula.  EXECUÇÃO DE PROJETOS (sala de aula, de informática, pátio da escola, etc...) – Orientação sexual  RECURSOS (o que vou utilizar) – Livro didático – Data show  Quadro  Textos diversos  TV/DVD  Cartazes  Letras de música e poemas  Revistas  Computador  Internet  Tablet  Notebook  Pen drive – Câmera digital – Revista Mundo Jovem  Papel A4, cartolinas, papel 40 e papel madeira Tesoura, revistas, cola e gravuras  BIBLIOGRAFIA CONSULTADA ARANHA, Maria Lúcia de Arruda Filosofando: Introdução à Filosofia / Maria Lúcia de Arruda Aranha, Maria Helena Pires Martins. - 4.ed.- São Paulo : Moderna, 2009. CHAUI, Marilena – Novo Ensino Médio Filosofia. São Paulo: Ática, 2004. Revista Mundo Jovem: um jornal de ideias. Porto Alegre – UCBC Internet (www.acordacultura.org.br) Observações:
  5. 5. ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO UNIDADE REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE IMPERATRIZ CENTRO DE ENSINO URBANO ROCHA RUA MARANHÃO S/N – FONE (99) 3525-3521 PLANO BIMESTRAL Série: 2º ano Turmas: A/B Turno: matutino Período: 14/05 a 22/08/2014 Disciplina: Filosofia Professora: Mary Alvarenga Coordenador pedagógico: Giselda Nº de aulas previstas: Bimestral 20 Semanal 02 Área ou disciplinas envolvidas (para atividades interdisciplinares): História, Português e Artes  OBJETIVO GERAL ( o que se espera ao final da etapa)  Possibilitar o desenvolvimento da consciência crítico-reflexiva para que o aluno se perceba como agente transformador da realidade. O conhecimento 2ºBIMESTRE  Capítulo 11 – Lógica aristotélica – O que é lógica? – Termo e preposição – Princípios da lógica – Quadrado de preposição – Argumentação – Tipos de argumentação – Falácias A lógica pós- aristotélica  Capítulo 12 – Lógica simbólica – Uma linguagem artificial – Lógica proposicional – Tabelas de verdade – Sinais de pontuação – Formas de enunciado – Consciência dos enunciados – A lógica de predicados – Lógicas complementares e alternativas – A importância da lógica simbólica  Capítulo 13 – A busca da verdade – O que veremos no capítulo – A filosofia pré-socrática – Os sofistas: a arte de argumentar – Sócrates e o conceito – Platão: o mundo das ideias – Aristóteles: a metafísica – A filosofia medieval: razão e fé  Capítulo 14 – A metafísica da modernidade – As mudanças na modernidade – A questão do método – O racionalismo cartesiano: a dúvida metódica – O empirismo britânico
  6. 6.  OBJETIVOS ESPECÍFICOS (o que espero da turma) – Reconhecer a importância do uso de diferentes linguagens para elaborar o pensamento e a expressão em processos reflexivos. – Criticar a concepção de conhecimento cientifica como verdade absoluta. – Identificar e realizar procedimentos de pesquisa, tais como: observação, entrevistas, elaboração, de roteiros para entrevistas e observação, registros, classificação e interpretações. – Reconhecer a relevância da reflexão filosófica para a análise dos temas que emergem dos problemas das sociedades contemporâneas. – Definir o que é lógica, mostrando sua importância básica para o pensamento filosófico. – Mostrar os tipos de argumentação: dedução e indução. – Estudar a lógica Aristotélica e pós - aristotélica – Compreender a relação entre filosofia e a busca pela verdade, desde o pensamento pré-socrático até a filosofia da idade Média – Ler textos filosóficos de modo significativo. – Ler, de modo filosófico, textos de diferentes estruturas e registros. – Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo. – Debater, tomando uma posição, defendendo-a argumentados e mudando de posição em face de argumentos mais conscientes. – Compreender o conceito de filosofia e sua importância na história da humanidade. – Demonstrar que o papel da Filosofia é construir um campo de conhecimento, de elaboração de concepções, de análise do pensamento humano. – Refletir sobre o mundo de maneira autônoma a partir dos textos filosóficos. – Introduzir o conceito de conhecimento dentro da Filosofia.  METODOLOGIA (como deve ser ensinado) – Aulas expositivas e dialogadas. – Leitura: indicação de algumas leituras para ampliação da abordagem dos temas. – Pesquisas: para reflexão e debates sobre fatos históricos e correntes de pensamento. – Vocabulário: significado de conceitos chaves. – Painéis em equipes: apresentação de painéis a partir das pesquisas vinculadas a avaliação. – Leitura, interpretação e produção de textos. – Estudo dirigido e exercícios em sala de aula.  Atividades de trabalhos em grupo. – Apresentação de trabalhos individuais e coletivos. – Seminários
  7. 7.  AVALIAÇÃO (o que deverá ser avaliado) A avaliação será contínua e levará em consideração todas as atividades desenvolvidas pelo aluno, tais como: a compreensão, análise, senso crítico, atividades propostas, interesse, o desenvolvimento do aluno, assiduidade, organização das atividades, testes, presença e participação em aula.  EXECUÇÃO DE PROJETOS (sala de aula, de informática, pátio da escola, etc...) – Orientação sexual  RECURSOS (o que vou utilizar) – Livro didático – Data show  Quadro  Textos diversos  TV/DVD  Cartazes  Letras de música e poemas  Revistas  Computador  Internet  Tablet  Notebook  Pen drive – Câmera digital – Revista Mundo Jovem  Papel A4, cartolinas, papel 40 e papel madeira Tesoura, revistas, cola e gravuras  BIBLIOGRAFIA CONSULTADA ARANHA, Maria Lúcia de Arruda Filosofando: Introdução à Filosofia / Maria Lúcia de Arruda Aranha, Maria Helena Pires Martins.- 4.ed.- São Paulo : Moderna, 2009. CHAUI, Marilena – Novo Ensino Médio Filosofia. São Paulo: Ática, 2004 Revista Mundo Jovem: um jornal de ideias. Porto Alegre – UCBC Internet Observações:
  8. 8. ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO UNIDADE REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE IMPERATRIZ CENTRO DE ENSINO URBANO ROCHA RUA MARANHÃO S/N – FONE (99) 3525-3521 PLANO BIMESTRAL Série: 3º ano Turma: A Turno: matutino Período: 14/05 a 22/08/2014 Disciplina: Filosofia Professora: Mary Alvarenga Coordenador pedagógico: Giselda Nº de aulas previstas: Bimestral 10 Semanal 01 Área ou disciplinas envolvidas (para atividades interdisciplinares): História, Português e Artes  OBJETIVO GERAL ( o que se espera ao final da etapa)  Possibilitar o desenvolvimento da consciência crítico-reflexiva para que o aluno se perceba como agente transformador da realidade. Ética Estética Filosofia das ciências 2ºBIMESTRE  Capítulo 17 – Entre o bem e o mal – Uma história real – Os valores – Moral e ética – Caráter histórico e social da moral – A liberdade do sujeito moral – Dever e liberdade – A bússola e a balança – Ética aplicada – Aprender a conviver  Capítulo 35 – Arte como forma de pensamento – Retrato de uma infância – Arte é conhecimento intuitivo do mundo – Funções da arte – O conhecimento pela arte  Capítulo 31 – O método das ciências da natureza – O desafio do método – A investigação cientifica – O método experimental – A ciência como construção – O desenvolvimento das ciências da natureza – A crise da ciência – Novas orientações epistemológicas – A ambiguidade do progresso científico  OBJETIVOS ESPECÍFICOS (o que espero da turma) – Reconhecer a importância do uso de diferentes linguagens para elaborar o pensamento e a expressão em processos reflexivos. – Criticar a concepção de conhecimento cientifica como verdade absoluta.
  9. 9. – Identificar e realizar procedimentos de pesquisa, tais como: observação, entrevistas, elaboração, de roteiros para entrevistas e observação, registros, classificação e interpretações. – Discutir conceitos chaves para compreender a diferença entre ética e moral, o que são valores, além da dialética entre o pessoal e o social na moral. – Refletir sobre liberdade e deveres em sociedade. – Compreender o universo da convivência e do compromisso coletivo. – Discutir os métodos e as formar de investigação cientifica. – Refletir sobre o desenvolvimento das ciências da natureza, especialmente após a obra de Charles Darwin. – Analisar a arte como uma forma de conhecimento intuitivo do mundo. – Abordar o papel da imaginação na arte, na criação e na recepção da estética. – Analisar as funções da arte: utilitária, naturalista e formativa. – Respeitar e valorizar as manifestações da cultura africana em nosso espaço cotidiano. – Reconhecer a relevância da reflexão filosófica para a análise dos temas que emergem dos problemas das sociedades contemporâneas. – Ler textos filosóficos de modo significativo. – Ler, de modo filosófico, textos de diferentes estruturas e registros. – Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo. – Debater, tomando uma posição, defendendo-a argumentados e mudando de posição em face de argumentos mais conscientes. – Compreender o conceito de filosofia e sua importância na história da humanidade – Determinar as funções da arte na sociedade.  METODOLOGIA (como deve ser ensinado) – Aulas expositivas e dialogadas. – Leitura: indicação de algumas leituras para ampliação da abordagem dos temas. – Pesquisas: para reflexão e debates sobre fatos históricos e correntes de pensamento. – Vocabulário: significado de conceitos chaves. – Painéis em equipes: apresentação de painéis a partir das pesquisas vinculadas a avaliação. – Leitura, interpretação e produção de textos. – Estudo dirigido e exercícios em sala de aula.  Atividades de trabalhos em grupo. – Apresentação de trabalhos individuais e coletivos. – Seminários
  10. 10.  AVALIAÇÃO (o que deverá ser avaliado) A avaliação será contínua e levará em consideração todas as atividades desenvolvidas pelo aluno, tais como: a compreensão, análise, senso crítico, atividades propostas, interesse, o desenvolvimento do aluno, assiduidade, organização das atividades, testes, presença e participação em aula.  EXECUÇÃO DE PROJETOS (sala de aula, de informática, pátio da escola, etc...) – Orientação sexual  RECURSOS (o que vou utilizar) – Livro didático – Data show  Quadro  Textos diversos  TV/DVD  Cartazes  Letras de música e poemas  Revistas  Computador  Internet  Tablet  Notebook  Pen drive – Câmera digital – Revista Mundo Jovem  Papel A4, cartolinas, papel 40 e papel madeira Tesoura, revistas, cola e gravuras  BIBLIOGRAFIA CONSULTADA ARANHA, Maria Lúcia de Arruda Filosofando: Introdução à Filosofia / Maria Lúcia de Arruda Aranha, Maria Helena Pires Martins.- 4.ed.- São Paulo : Moderna, 2009. CHAUI, Marilena – Novo Ensino Médio Filosofia. São Paulo: Ática, 2004 Revista Mundo Jovem: um jornal de ideias. Porto Alegre – UCBC Internet Observações:
  11. 11. ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO UNIDADE REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE IMPERATRIZ CENTRO DE ENSINO URBANO ROCHA RUA MARANHÃO S/N – FONE (99) 3525-3521 PLANO BIMESTRAL Série: 2º ano Turma: A Turno: matutino Período: 14/05 a 22/08/2014 Disciplina: Arte Professora: Mary Alvarenga Coordenador pedagógico: Giselda Nº de aulas previstas: Bimestral 20 Semanal 02 Área ou disciplinas envolvidas (para atividades interdisciplinares): História, Português, Filosofia.  OBJETIVO GERAL ( o que se espera ao final da etapa)  Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrador da organização do mundo e da própria identidade. O Barroco fora da península Itálica O Barroco no Brasil A transição do século XVIII para o século XIX 2ºBIMESTRE – O Barroco nos Países Baixos – O Barroco na Espanha: arquitetura – O Barroco na Espanha: pintura  Cultura afro-brasileira – As construções jesuíticas do Sul do Brasil – O Barroco d primeira capital do pais – O ciclo da cana leva o Barroco a Pernambuco e à Paraíba – Com o ciclo do ouro o Barroco chega ao Rio de Janeiro – O Barroco de uma região pobre: São Paulo – Barroco mineiro: o surgimento de uma arquitetura brasileira – Os clássicos e as academias – O Romantismo: primeira reação à arte neoclássica – A paisagem romântica – O realismo e a crescente industrialização  OBJETIVOS ESPECÍFICOS (o que espero da turma) – Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho da produção dos artistas em seus meios culturais.
  12. 12. – Analisar as diversas produções artísticas como meio de explicar diferentes culturas, padrões de beleza e pré-conceitos. – Reconhecer o valor da diversidade artística e das inter-relações de elementos que se apresentam nas manifestações de vários grupos sociais e étnicos. – Promover o desenvolvimento cultural dos alunos, visando à formação de cidadãos críticos e participativos. – Realizar produções artísticas, individuais ou coletivas, nas linguagens da Arte (dança, musica. teatro, artes visuais, artes audiovisuais) – Apreciar produtos de Arte, em suas varias linguagens, desenvolvendo tanto a fruição quanto a analise estética. – Compreender os diferentes processos da Arte, com seus diferentes instrumentos de ordem material e ideal, como manifestações socioculturais e históricas. – Conhecer critérios culturalmente construídos e embasados em conhecimentos afins, de caráter filosófico, histórico, sociológico, antropológico, cientifico e tecnológico, entre outros. – Respeitar e valorizar as manifestações da cultura africana em nosso espaço cotidiano. – Identificar contribuições da cultura africana para a cultura brasileira. – Conhecer as culturas africanas, suas crenças, religiões, músicas, danças, artes visuais. – Ler e Pesquisar o material proposto, considerando as estratégias de leitura e pesquisa. – Conceituar e caracterizar a Arte barroca. – Analisar as origens e os precursores do Barroco. Historicidade do Barroco e seus principais artistas e correntes artísticas. – Caracterizar a Pintura, Escultura e Arquitetura Barroca na Península Itálica e fora dela. – Identificar e caracterizar o Barroco brasileiro. – Reconhecer as características do barroco brasileiro. Barroco nas diversas Regiões do Brasil. Estudo comparativo entre o barroco brasileiro e o barroco europeu. – Identificar a Arte como forma de humanização do ser humano. – Compreender a existência de diferentes culturas a partir do estudo da História da Arte. – Reconhecer as características do barroco brasileiro. Barroco nas diversas Regiões do Brasil. Estudo comparativo entre o barroco brasileiro e o barroco europeu. – Compreender a arte no processo histórico, como fundamento da memória cultural, importante na formação do cidadão, agente integrante e participativo nesses processos. – Respeitar as diversas manifestações artísticas em suas múltiplas funções, identificando, relacionando e compreendendo a arte como fato histórico contextualizado nas diversas culturas.  METODOLOGIA (como deve ser ensinado)  Aulas expositivas e explicativa com uso do data show, TV, filmes ...  Indicação de algumas leituras para ampliação da abordagem dos temas.  Pesquisas para reflexão e debates sobre fatos históricos e artísticos  Estudo dirigido e exercícios em sala de aula.  Atividades de trabalhos em grupo  Estudo orientado e atividades diversificadas.  Confecções de trabalhos manuais artísticos: pintura, colagem, etc.  Apresentação de trabalhos individuais e coletivos  Aula teórica com apresentação de seminários, debates, palestras, etc.
  13. 13.  Uso da apostila, textos, revistas.  EXECUÇÃO DE PROJETOS (sala de aula, de informática, pátio da escola, etc...)  AVALIAÇÃO (o que deverá ser avaliado) A avaliação será contínua e levará em consideração todas as atividades desenvolvidas pelo aluno, tais como: a compreensão, análise, senso crítico, atividades propostas, interesse, o desenvolvimento do aluno, assiduidade, organização das atividades, testes, presença e participação em aula.  EXECUÇÃO DE PROJETOS (sala de aula, de informática, pátio da escola, etc...) – Orientação sexual  RECURSOS (o que vou utilizar) – Livro didático – Data show  Quadro  Textos diversos  TV/DVD  Cartazes  Letras de música e poemas  Revistas  Computador  Internet  Tablet  Notebook  Pen drive – Câmera digital – Revista Mundo Jovem  Papel A4, cartolinas, papel 40 e papel madeira Tesoura, revistas, cola e gravuras  BIBLIOGRAFIA CONSULTADA PROENÇA, Graça – História das Artes, Graça Proença – 1 ed. – São Paulo – Ática, 2008 REVERBEL, Olga Garcia – Jogos Teatrais na Escola: Atividades Globais de Expressão, Olga Garcia Rever bel – Ed. Scipione PROENÇA, Graça. Descobrindo a história da arte: livro do professor/Graça Proença. São Paulo: Ática, 2007.PROENÇA, Graça. Descobrindo a história da arte: livro do professor/Graça Proença. São Paulo: Ática, 2007. BRASIL, Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Artes- Brasília MEC/SEF, 1997 Observações:

×