Reino fungi

1.174 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre o reino fungi

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.174
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • As amebas migram em direção a um centro de irrigação, tornando-se associadas pelas extremidades e formando cadeias. Passam por vários estágios multicelulares para formar um corpo de frutificação. Os esporos dispersam-se para encontrar um ambiente adequado antes de germinarem, formando amebas que iniciam um ciclo de vida novamente.
  • Reino fungi

    1. 1. REINO FUNGI FUNGOS
    2. 2. CARACTERÍSTICAS  Eucarióticos  Unicelulares ou Pluricelulares  Heterótrofos  Parede celular de quitina  Digestão extracorpórea  Não há tecidos verdadeiros  Aeróbicos ou anaeróbicos
    3. 3. CLASSIFICAÇÃO  Características dos esporos sexuais e corpos de frutificação presentes durante os estágios sexuais dos seus ciclos de vida.  Natureza de seus ciclos de vida.  Características morfológicas de seu micélio vegetativo ou de suas células.
    4. 4. MUTUALISMO  Líquens:  fungos + algas ou  fungos + cianobactérias
    5. 5. FUNGOS LIMOSOS Fungos Limosos Celulares Fungos Limosos Acelulares  Células amebóides que se alimentam de bactérias e se agregam para formar corpos de frutificação pedunculadas(esporo-carpo) que produzem esporos.  Multicelulares, plasmódio sem parede, que se transforma em esporângio organizado, produzindo esporongiósporos
    6. 6. FUNGOS LIMOSOS CELULARES Dictyostelium discoideum
    7. 7. FUNGOS LIMOSOS ACELULARES Physarum polycephalum
    8. 8. FUNGOS INFERIORES FLAGELADOS  Incluem todos os fungos, menos os limosos, que produzem células flageladas em alguma parte do seu ciclo de vida.  Alimentam-se pela absorção de nutrientes  Reprodução sexuada pode ocorrer por vários meios; reprodução assexuada ocorre mediante a produção de zoósporos.  Existem quatro principais grupos: Chytridiomycetes, Hyphochytridiomycetes, Plasmodiophoromycetes e Oomycetes.
    9. 9. CHYTRIDIOMYCETES  Vivem no solo ou água doce.  São microorganismos parasitas ou saprófitas.  Se alimentam por meio de hifas cenocíticas.  Células móveis com um único flagelo chicoteante, localizado na extremidade posterior.
    10. 10. Allomyces macrogynus
    11. 11. HYPHOCHYTRIDIOMYCETES  Vivem no solo ou água doce.  São microorganismos parasitas ou saprófitas.  Células móveis com um único flagelo do tipo falso ou emplumado, localizado na porção anterior.
    12. 12. Hyphochytrium catenoides
    13. 13. PLASMODIOPHOROMYCETES  Muitas espécies crescem no interior de plantas, algas e outros fungos.  Parasita obrigatório em plantas superiores; estágio vegetativo como plasmódio; células móveis com dois flagelos chicoteantes anteriores desiguais.
    14. 14. OOMYCETES  É uma classe de organismos filamentosos  Unicelulares  A maioria é composta por decompositores (saprófitos)  Existem espécies parasitas
    15. 15. Saprolegnia ferax
    16. 16. FUNGOS TERRESTRES  São as leveduras, bolores, orelhas-de-pau, mofo, fungos um forma de taça, ferrugem, carvão, bufa-de-lobo(puffballs) e cogumelos.  Nutrição através de absorção  Existem quatro tipos de grupos principais: Zygomycetes, Ascomycetes, Basidiomycetes e Deuteromycetes.
    17. 17. ZYGOMYCETES  Reprodução sexuada por fusão gametangial;  O zigoto é transformado em zigósporo com parede celular espessa;  Reprodução vegetativa por meio de esporangiósporos no interior de esporângios.
    18. 18. Rhizopus stolonifer
    19. 19. Phycomyces blakesleeanus
    20. 20. Phycomyces blakesleeanus
    21. 21. ASCOMYCETES  Esporos sexuais produzidos endogenamente em um asco semelhante a saco produzido em um ascocarpo bem diferenciado;  Reprodução vegetativa por conídios.
    22. 22. Saccharomyces cerevisiae
    23. 23. Neurospora crassa
    24. 24. Neurospora crassa
    25. 25. BASIDIOMYCETES  Esporos sexuais produzidos exogenamente em células em forma de clava denominada basídio;  Os basídios são formados em basidiocarpos bem diferenciados.
    26. 26. Agaricus bisporus_
    27. 27. DEUTEROMYCETES  Reprodução sexuada desconhecida;  Reprodução vegetativa por meio de conídios que se originam de conidióforos.
    28. 28. Candida albicans
    29. 29. Trichophyton rubrum
    30. 30. Trichophyton rubrum
    31. 31. O Mycena chlorophos aparece aqui no Brasil, assim como no Japão. Como você pode ver, ele irradia um brilho verde incrível. Normalmente aparecem na base de florestas no vale da Ribeira.
    32. 32. Uma peruca mal-feita? Um monte de macarrão instantâneo esparramado? Nada disso, é o Hericum erinaceus! Acredite ou não, apesar de sua aparência exótica ele é comestível. Costuma aparecer na América do Norte, especialmente durante o verão, sempre acoplados em troncos.
    33. 33. Hydnellum peckii, como você pode ver, deve sua aparência peculiar às gotas de “sangue” que aparecem em sua superfície. É encontrado comumente na América do Norte, na Europa e já foi visto em partes da Ásia. O sangue é uma espécie de seiva que sai dos poros do próprio cogumelo.
    34. 34. Esse é um dos fungos mais raros do mundo – tem a forma de uma estrela e seu nome científico é Chorioactis geaster. Ele aparece com a forma de um charuto e depois se abre e fica na forma de estrela, por isso ganhou o apelido de charuto do demônio. E, para ficar ainda mais estranho, quando está liberando esporos o fungo literalmente produz um som parecido com um assobio.
    35. 35. Esse cogumelo, Calvatia gigantea, é facilmente reconhecido por seu formato e por seu tamanho. Normalmente ele chega ao tamanho de uma bola de futebol, mas dificilmente é perfeitamente redondo.
    36. 36. Trametes versicolor é o nome científico do rabo de peru, porém seu apelido é mais descritivo. Ele aparece em florestas, acoplados a árvores e sempre em grupos.
    37. 37. Aquela imagem que todos nós temos do cogumelo, com o topo vermelho com manchinhas brancas, é o retrato do Amanita muscaria, o cogumelo mais famoso do mundo. Apesar de ser muito bonito ele é venenoso e pode provocar vício por suas propriedades psicoativas. Há várias espécies de Amanita e, apesar da mais famosa ser a vermelha, há outras com diferentes cores de “chapéu”.
    38. 38. O Entoloma hochstetteri é encontrado na Índia e na Nova Zelândia e eles são facilmente identificáveis por sua belíssima cor. O Entoloma não é comestível, mas não se sabe se é fatal para nós. A espécie é tão famosa na Nova Zelândia que aparece nos selos e no dinheiro do país.

    ×