Pirâmides ecológicas

URCA
URCAProfessor de ciências para ensino fundamental na Colégio Porvecto em URCA
BIOLOGIA INTERATIVABIOLOGIA INTERATIVA
Criado e Desenvolvido por:
Ronnielle Cabral RolimRonnielle Cabral Rolim
Todos os direitos são reservados ©2017
tioronnicabral.blogspot.com.br
PIRÂMIDES ECOLÓGICASPIRÂMIDES ECOLÓGICAS
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
Pirâmides ecológicas são as representações gráficas da estrutura trófica de um
ecossistema. Na base dessas representações, há os produtores, seguidos dos
consumidores primários, secundários, terciários e assim sucessivamente.
As pirâmides ecológicas podem ser de três tipos principais: pirâmides de número,
de biomassa e de energia.
FLUXO DE ENERGIA
Fluxo de energia
Quantidadedeenergia
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
a) Pirâmide de Energia: É sempre direta ou unidirecional.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
Energia mantida no sistema Energia perdida pelo sistema
produtores
consumidor 1
consumidor 2
consumidor 3
consumidor 4
a) Pirâmide de Energia: É sempre direta ou unidirecional.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
a) Pirâmide de Energia: É sempre direta ou unidirecional.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
b) Pirâmide de números: mede a quantidade de indivíduos, pode ser direta ou inversa.
Se os produtores forem
organismos pequenos e os
consumidores relativamente
maiores, a pirâmide será
sempre direta.
Se os produtores forem
organismos pequenos e os
consumidores relativamente
maiores, a pirâmide será
sempre direta.
Se os produtores forem de
grande tamanho (uma
árvore) e os herbívoros
pequenos (lagartas) a base
da pirâmide será estreita e o
gráfico não apresentará
forma de pirâmide.
Se os produtores forem de
grande tamanho (uma
árvore) e os herbívoros
pequenos (lagartas) a base
da pirâmide será estreita e o
gráfico não apresentará
forma de pirâmide.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
b) Pirâmide de números: mede a quantidade de indivíduos, pode ser direta ou inversa.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
10000 Kg de biomassa de produtores
1000 Kg de biomassa de cons.1
100 Kg de biomassa de cons. 2
10 Kg de biomassa de cons. 3
1 Kg de biomassa de cons. 4
Expressa a quantidade de substância viva
(“peso seco” em cada nível trófico.
Expressa a quantidade de substância viva
(“peso seco” em cada nível trófico.
b) Pirâmide de biomassa: mede o peso dos indivíduos, pode ser direta ou inversa.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
Zooplâncton
Fitoplâncton
b) Pirâmide de biomassa: mede o peso dos indivíduos, pode ser direta ou inversa.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
Nesses ecossistemas, a biomassa de fitoplâncton pode
ser menor que a de zooplâncton. A inversão da
pirâmide ocorre porque a biomassa é relativa apenas
àquele momento, não considerando a velocidade de
reprodução do fitoplâncton, que é maior que a do
zooplâncton, o que permite a sua rápida renovação. Se
for medida a média de um ano inteiro, poderemos
observar que a quantidade média de fitoplâncton foi
maior que a de zooplâncton.
EFEITO ACUMULATIVO: capacidade de algumas substâncias se acumularem ao
longo da cadeia alimentar.
Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
(Vunesp-SP) Uma determinada espécie de
camarão foi introduzida em um lago. A figura
representa a variação nos tamanhos
populacionais do camarão, de uma espécie de
peixe e de uma espécie de aves que vivem no
lago, observada nos anos seguintes, como
consequência da introdução do camarão.
Exercício 1
Resposta: Letra A
Resposta: Letra A
Os organismos que desempenham no ecossistema terrestre o mesmo papel do
fitoplâncton no ambiente aquático são:
a) Gramíneas
b) Bactérias do solo
c) Fungos
d) Gafanhotos
e) Protozoários ciliados
Resposta: Letra E
Resposta: Letra A
Resposta: Letra D
Resposta: Letra B
Resposta: Letra B
OBRIGADOOBRIGADO
1 de 21

Recomendados

Fluxo de energia e pirâmides ecológicas por
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasSilvana Sanches
5.8K visualizações14 slides
Cadeia e teias alimentares por
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresGabriela de Lima
94.6K visualizações34 slides
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio] por
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Ronaldo Santana
5.2K visualizações20 slides
Classificação dos Seres Vivos por
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosJuliana Mendes
81K visualizações34 slides
V.1 Introdução a ecologia por
V.1 Introdução a ecologiaV.1 Introdução a ecologia
V.1 Introdução a ecologiaRebeca Vale
14.5K visualizações20 slides
Fluxo de energia por
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energiaCatir
109K visualizações17 slides

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula relações ecológicas por
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicasGabriela de Lima
73.8K visualizações30 slides
Aula ecologia. por
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.Gov. Estado do Paraná
48.1K visualizações52 slides
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas por
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasAlpha Colégio e Vestibulares
57.1K visualizações36 slides
Evolução ( Lamarck e darwin) por
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Gisele A. Barbosa
31.5K visualizações19 slides
Cadeia e teia alimentar por
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarEstude Mais
22.7K visualizações27 slides
V.2 Briófitas e Pteridófitas por
V.2 Briófitas e PteridófitasV.2 Briófitas e Pteridófitas
V.2 Briófitas e PteridófitasRebeca Vale
23.4K visualizações12 slides

Mais procurados(20)

Aula relações ecológicas por Gabriela de Lima
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
Gabriela de Lima73.8K visualizações
Evolução ( Lamarck e darwin) por Gisele A. Barbosa
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
Gisele A. Barbosa31.5K visualizações
Cadeia e teia alimentar por Estude Mais
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
Estude Mais 22.7K visualizações
V.2 Briófitas e Pteridófitas por Rebeca Vale
V.2 Briófitas e PteridófitasV.2 Briófitas e Pteridófitas
V.2 Briófitas e Pteridófitas
Rebeca Vale23.4K visualizações
Ciclos Biogeoquímicos por profatatiana
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana16.3K visualizações
Ecologia por Bio Sem Limites
EcologiaEcologia
Ecologia
Bio Sem Limites63.3K visualizações
Reprodução assexuada e sexuada por Matheus Faria do Valle
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
Matheus Faria do Valle98.7K visualizações
Ecologia - Introdução por Killer Max
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Killer Max4.2K visualizações
I.3 classificação seres vivos por Rebeca Vale
I.3 classificação seres vivosI.3 classificação seres vivos
I.3 classificação seres vivos
Rebeca Vale47.2K visualizações
Tipos de Energia por Pibid Física
Tipos de EnergiaTipos de Energia
Tipos de Energia
Pibid Física54.2K visualizações
Aulão a origem da vida por César Milani
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
César Milani37.2K visualizações
Reino Fungi por emanuel
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
emanuel10.5K visualizações
Ecologia 3º ano por Renata Magalhães
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães18.5K visualizações
Pirâmides ecológicas por Pelo Siro
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
Pelo Siro9.8K visualizações
A Célula - Unidade básica da vida por Catir
A Célula - Unidade básica da vidaA Célula - Unidade básica da vida
A Célula - Unidade básica da vida
Catir 152.4K visualizações
Relações ecológicas entre seres vivos por Silvana Sanches
Relações ecológicas entre seres vivosRelações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
Silvana Sanches67.5K visualizações

Similar a Pirâmides ecológicas

Piramide por
PiramidePiramide
PiramideLucilo Campos
366 visualizações2 slides
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1] por
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]CIN
4.8K visualizações28 slides
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano por
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1ano
2 fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas 1anoAlpha Colégio e Vestibulares
5.4K visualizações35 slides
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas por
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasAlpha Colégio e Vestibulares
4.1K visualizações35 slides
Aula5 2012 ecossistemas por
Aula5 2012 ecossistemasAula5 2012 ecossistemas
Aula5 2012 ecossistemasRigo Rodrigues
3.8K visualizações39 slides
Cadeiaeteiasalimentares revisão por
Cadeiaeteiasalimentares revisãoCadeiaeteiasalimentares revisão
Cadeiaeteiasalimentares revisãoGlauco Duarte
1.6K visualizações28 slides

Similar a Pirâmides ecológicas(20)

Piramide por Lucilo Campos
PiramidePiramide
Piramide
Lucilo Campos366 visualizações
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1] por CIN
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
Aula 01 campo de estudo da ecologia[1]
CIN4.8K visualizações
Aula5 2012 ecossistemas por Rigo Rodrigues
Aula5 2012 ecossistemasAula5 2012 ecossistemas
Aula5 2012 ecossistemas
Rigo Rodrigues3.8K visualizações
Cadeiaeteiasalimentares revisão por Glauco Duarte
Cadeiaeteiasalimentares revisãoCadeiaeteiasalimentares revisão
Cadeiaeteiasalimentares revisão
Glauco Duarte1.6K visualizações
Aula 3 por Pedro .
Aula 3Aula 3
Aula 3
Pedro .139 visualizações
Relações Alimentares.ppt por LarissiFial
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
LarissiFial15 visualizações
Cadeia e teias alimentares por Marcia Bantim
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
Marcia Bantim3K visualizações
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa por Med. Veterinária 2011
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaaConceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Med. Veterinária 201112.4K visualizações
Ecologia i por denilsonbio
Ecologia iEcologia i
Ecologia i
denilsonbio1.2K visualizações
1587720847uPWGbYeE.ppt por mariabonfim11
1587720847uPWGbYeE.ppt1587720847uPWGbYeE.ppt
1587720847uPWGbYeE.ppt
mariabonfim1174 visualizações
1o ano fluxo e pirâmides de energia por SESI 422 - Americana
1o ano   fluxo  e pirâmides de energia1o ano   fluxo  e pirâmides de energia
1o ano fluxo e pirâmides de energia
SESI 422 - Americana1.4K visualizações
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf por LucasVideira1
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdfEcologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
Ecologia 4- Pirâmides Ecológicas.pdf
LucasVideira157 visualizações
fluxo de energia e piramides ecologicas 1.ppt por TERCIOSANTANA6
fluxo de energia e piramides ecologicas 1.pptfluxo de energia e piramides ecologicas 1.ppt
fluxo de energia e piramides ecologicas 1.ppt
TERCIOSANTANA612 visualizações
03 ecologia relacoes troficas por rommel andrade
03 ecologia   relacoes troficas03 ecologia   relacoes troficas
03 ecologia relacoes troficas
rommel andrade82 visualizações
Ecologia power point por Suely namaste
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
Suely namaste8.9K visualizações

Mais de URCA

Máquinas Simples por
Máquinas SimplesMáquinas Simples
Máquinas SimplesURCA
7.3K visualizações10 slides
Transformações Químicas por
Transformações QuímicasTransformações Químicas
Transformações QuímicasURCA
1.3K visualizações23 slides
Separação de Materiais por
Separação de MateriaisSeparação de Materiais
Separação de MateriaisURCA
2.6K visualizações13 slides
Misturas homogêneas e Heterogeneas por
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e HeterogeneasURCA
23.1K visualizações18 slides
Folhas caules e raízes por
Folhas caules e raízesFolhas caules e raízes
Folhas caules e raízesURCA
5.9K visualizações51 slides
Angiospermas por
AngiospermasAngiospermas
AngiospermasURCA
5.6K visualizações32 slides

Mais de URCA(20)

Máquinas Simples por URCA
Máquinas SimplesMáquinas Simples
Máquinas Simples
URCA7.3K visualizações
Transformações Químicas por URCA
Transformações QuímicasTransformações Químicas
Transformações Químicas
URCA1.3K visualizações
Separação de Materiais por URCA
Separação de MateriaisSeparação de Materiais
Separação de Materiais
URCA2.6K visualizações
Misturas homogêneas e Heterogeneas por URCA
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e Heterogeneas
URCA23.1K visualizações
Folhas caules e raízes por URCA
Folhas caules e raízesFolhas caules e raízes
Folhas caules e raízes
URCA5.9K visualizações
Angiospermas por URCA
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
URCA5.6K visualizações
Briofitas por URCA
BriofitasBriofitas
Briofitas
URCA5.1K visualizações
Flores e frutos por URCA
Flores e frutosFlores e frutos
Flores e frutos
URCA3.9K visualizações
Gimnospermas por URCA
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
URCA2.8K visualizações
Aborto por URCA
AbortoAborto
Aborto
URCA2.8K visualizações
Dsts por URCA
DstsDsts
Dsts
URCA1.3K visualizações
Pteridófitas por URCA
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
URCA1.3K visualizações
Vírus por URCA
VírusVírus
Vírus
URCA1.9K visualizações
Taxonomia por URCA
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
URCA2.1K visualizações
Tipos de reprodução por URCA
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
URCA6.6K visualizações
Métodos contaceptivos por URCA
Métodos contaceptivosMétodos contaceptivos
Métodos contaceptivos
URCA349 visualizações
Reino protoctista por URCA
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
URCA2.7K visualizações
Angiospermas por URCA
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
URCA1.3K visualizações
Reino Monera por URCA
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
URCA2.2K visualizações
Reino Fungi por URCA
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
URCA2.4K visualizações

Último

Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ... por
Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ...Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ...
Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ...IntegrareAcademy2
22 visualizações3 slides
A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for... por
A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for...A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for...
A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for...HelpEducacional
21 visualizações3 slides
a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere... por
a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere...a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere...
a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere...HelpEducacional
18 visualizações2 slides
1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf por
1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf
1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdfPrime Assessoria
21 visualizações3 slides
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei... por
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...pauladiasuni
61 visualizações2 slides
a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par... por
a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par...a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par...
a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par...Prime Assessoria Acadêmica
193 visualizações2 slides

Último(20)

Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ... por IntegrareAcademy2
Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ...Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ...
Ao longo da história, ocorreram inúmeros movimentos que foram modificando as ...
IntegrareAcademy222 visualizações
A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for... por HelpEducacional
A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for...A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for...
A Ciência Contábil desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, for...
HelpEducacional21 visualizações
a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere... por HelpEducacional
a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere...a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere...
a) ​DETERMINE quais as funções dos conceitos T1 e T2 e suas principais difere...
HelpEducacional18 visualizações
1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf por Prime Assessoria
1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf
1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf
Prime Assessoria21 visualizações
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei... por pauladiasuni
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...
A Lei da Libras nº 10.436, de 24 de abril de 2002 reconhece a Língua Brasilei...
pauladiasuni61 visualizações
a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par... por Prime Assessoria Acadêmica
a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par...a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par...
a) ELABORE quadros de Punnet que representam o sistema ABO, MN e fator Rh par...
Prime Assessoria Acadêmica193 visualizações
b) Qual é a concentração molar de HCl de sua amostra? Apresente os cálculos, ... por azulassessoriaacadem3
b) Qual é a concentração molar de HCl de sua amostra? Apresente os cálculos, ...b) Qual é a concentração molar de HCl de sua amostra? Apresente os cálculos, ...
b) Qual é a concentração molar de HCl de sua amostra? Apresente os cálculos, ...
azulassessoriaacadem322 visualizações
Base de Dados Scopus_20231124_220830_0000.pdf por PAULOAMARAL67705
Base de Dados Scopus_20231124_220830_0000.pdfBase de Dados Scopus_20231124_220830_0000.pdf
Base de Dados Scopus_20231124_220830_0000.pdf
PAULOAMARAL6770524 visualizações
O consultor Breno, percebendo a resistência por parte de um dos sócios da emp... por IntegrareAcademy2
O consultor Breno, percebendo a resistência por parte de um dos sócios da emp...O consultor Breno, percebendo a resistência por parte de um dos sócios da emp...
O consultor Breno, percebendo a resistência por parte de um dos sócios da emp...
IntegrareAcademy243 visualizações
a. Sabemos que a causa da dermatite seborreica é multifatorial e pode estar r... por azulassessoriaacadem3
a. Sabemos que a causa da dermatite seborreica é multifatorial e pode estar r...a. Sabemos que a causa da dermatite seborreica é multifatorial e pode estar r...
a. Sabemos que a causa da dermatite seborreica é multifatorial e pode estar r...
azulassessoriaacadem318 visualizações
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres... por IntegrareAcademy2
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...
IntegrareAcademy219 visualizações
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf por Vítor Santos
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
Vítor Santos96 visualizações
c. Proponha uma adaptação para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem ... por azulassessoriaacadem3
c. Proponha uma adaptação para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem ...c. Proponha uma adaptação para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem ...
c. Proponha uma adaptação para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem ...
azulassessoriaacadem322 visualizações
Considerando o exposto, faça uma pesquisa elencando dois recursos que possam ... por azulassessoriaacadem3
Considerando o exposto, faça uma pesquisa elencando dois recursos que possam ...Considerando o exposto, faça uma pesquisa elencando dois recursos que possam ...
Considerando o exposto, faça uma pesquisa elencando dois recursos que possam ...
azulassessoriaacadem331 visualizações
4- Responda argumentando se a perícope possui valor primário ou secundário. por azulassessoriaacadem3
4- Responda argumentando se a perícope possui valor primário ou secundário.4- Responda argumentando se a perícope possui valor primário ou secundário.
4- Responda argumentando se a perícope possui valor primário ou secundário.
azulassessoriaacadem317 visualizações
MAPA - SSOC - FUNDAMENTOS TEÓRICO-FILOSÓFICOS DO SERVIÇO SOCIAL - 54/2023 por IntegrareAcademy2
MAPA - SSOC - FUNDAMENTOS TEÓRICO-FILOSÓFICOS DO SERVIÇO SOCIAL - 54/2023MAPA - SSOC - FUNDAMENTOS TEÓRICO-FILOSÓFICOS DO SERVIÇO SOCIAL - 54/2023
MAPA - SSOC - FUNDAMENTOS TEÓRICO-FILOSÓFICOS DO SERVIÇO SOCIAL - 54/2023
IntegrareAcademy220 visualizações
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf por RaulGomez822561
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf
28-11-2023 - Reflexions sessió.pdf
RaulGomez82256118 visualizações
sorteados Livre Concorrência 2024.pdf por Jornal do Commercio
sorteados Livre Concorrência 2024.pdfsorteados Livre Concorrência 2024.pdf
sorteados Livre Concorrência 2024.pdf
Jornal do Commercio765 visualizações
A partir de sua análise, responda-seria viável e mais eficiente substituir a ... por IntegrareAcademy2
A partir de sua análise, responda-seria viável e mais eficiente substituir a ...A partir de sua análise, responda-seria viável e mais eficiente substituir a ...
A partir de sua análise, responda-seria viável e mais eficiente substituir a ...
IntegrareAcademy275 visualizações

Pirâmides ecológicas

  • 1. BIOLOGIA INTERATIVABIOLOGIA INTERATIVA Criado e Desenvolvido por: Ronnielle Cabral RolimRonnielle Cabral Rolim Todos os direitos são reservados ©2017 tioronnicabral.blogspot.com.br
  • 3. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia Pirâmides ecológicas são as representações gráficas da estrutura trófica de um ecossistema. Na base dessas representações, há os produtores, seguidos dos consumidores primários, secundários, terciários e assim sucessivamente. As pirâmides ecológicas podem ser de três tipos principais: pirâmides de número, de biomassa e de energia.
  • 4. FLUXO DE ENERGIA Fluxo de energia Quantidadedeenergia Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
  • 5. a) Pirâmide de Energia: É sempre direta ou unidirecional. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
  • 6. Energia mantida no sistema Energia perdida pelo sistema produtores consumidor 1 consumidor 2 consumidor 3 consumidor 4 a) Pirâmide de Energia: É sempre direta ou unidirecional. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
  • 7. a) Pirâmide de Energia: É sempre direta ou unidirecional. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
  • 8. b) Pirâmide de números: mede a quantidade de indivíduos, pode ser direta ou inversa. Se os produtores forem organismos pequenos e os consumidores relativamente maiores, a pirâmide será sempre direta. Se os produtores forem organismos pequenos e os consumidores relativamente maiores, a pirâmide será sempre direta. Se os produtores forem de grande tamanho (uma árvore) e os herbívoros pequenos (lagartas) a base da pirâmide será estreita e o gráfico não apresentará forma de pirâmide. Se os produtores forem de grande tamanho (uma árvore) e os herbívoros pequenos (lagartas) a base da pirâmide será estreita e o gráfico não apresentará forma de pirâmide. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
  • 9. b) Pirâmide de números: mede a quantidade de indivíduos, pode ser direta ou inversa. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
  • 10. 10000 Kg de biomassa de produtores 1000 Kg de biomassa de cons.1 100 Kg de biomassa de cons. 2 10 Kg de biomassa de cons. 3 1 Kg de biomassa de cons. 4 Expressa a quantidade de substância viva (“peso seco” em cada nível trófico. Expressa a quantidade de substância viva (“peso seco” em cada nível trófico. b) Pirâmide de biomassa: mede o peso dos indivíduos, pode ser direta ou inversa. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
  • 11. Zooplâncton Fitoplâncton b) Pirâmide de biomassa: mede o peso dos indivíduos, pode ser direta ou inversa. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia PIRÂMIDES ECOLÓGICAS Nesses ecossistemas, a biomassa de fitoplâncton pode ser menor que a de zooplâncton. A inversão da pirâmide ocorre porque a biomassa é relativa apenas àquele momento, não considerando a velocidade de reprodução do fitoplâncton, que é maior que a do zooplâncton, o que permite a sua rápida renovação. Se for medida a média de um ano inteiro, poderemos observar que a quantidade média de fitoplâncton foi maior que a de zooplâncton.
  • 12. EFEITO ACUMULATIVO: capacidade de algumas substâncias se acumularem ao longo da cadeia alimentar. Cadeia Alimentar e Fluxo de EnergiaCadeia Alimentar e Fluxo de Energia
  • 13. (Vunesp-SP) Uma determinada espécie de camarão foi introduzida em um lago. A figura representa a variação nos tamanhos populacionais do camarão, de uma espécie de peixe e de uma espécie de aves que vivem no lago, observada nos anos seguintes, como consequência da introdução do camarão. Exercício 1
  • 15. Resposta: Letra A Os organismos que desempenham no ecossistema terrestre o mesmo papel do fitoplâncton no ambiente aquático são: a) Gramíneas b) Bactérias do solo c) Fungos d) Gafanhotos e) Protozoários ciliados

Notas do Editor

  1. <número>
  2. <número>
  3. <número>
  4. <número>
  5. <número>
  6. <número>
  7. <número>
  8. <número>
  9. <número>
  10. <número>
  11. <número>
  12. <número>
  13. <número>
  14. <número>
  15. <número>
  16. <número>
  17. <número>
  18. <número>
  19. <número>
  20. <número>