SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Ciências Naturais
Ciências Naturais - ICRM
Reino dos
Fungos
Ciências Naturais - ICRM
O que são fungos?
 Os fungos são popularmente
conhecidos por bolores, mofos,
fermentos, levedos, orelhas-de-pau,
trufas e cogumelos-de-chapéu
(champignon).
 É um grupo bastante numeroso,
formado por cerca de 200.000 espécies
espalhadas por praticamente qualquer
tipo de ambiente.
Ciências Naturais - ICRM
Ciências Naturais - ICRM
Reino dos Fungos
 Reúne organismos
eucariontes
unicelulares e
pluricelulares,
aclorofilados,
heterótrofos, que
incorporam os
alimentos por
absorção.
Ciências Naturais - ICRM
Nutrição por absorção
 Os fungos liberam
enzimas digestivas
para fora de seus
corpos. Essas enzimas
atuam imediatamente no
meio orgânico no qual
eles se instalam,
degradando-o à
partículas, que são
absorvidas pelo fungo
como uma solução
aquosa.
Ciências Naturais - ICRM
Unicelulares e Pluricelulares
 A maioria dos
fungos é pluricelular
(formados por
muitas células).
 Existem fungos
unicelulares
(formados por uma
célula).
Ciências Naturais - ICRM
Fungo Unicelular
 Formado por uma
célula.
 Também chamado
de levedura.
 Existem,
aproximadamente,
850 espécies
diferentes de
leveduras Saccharomyces
Ciências Naturais - ICRM
“Fermento de pão”
Usando um microscópio
podemos observá-lo de
mais perto.
O “fermento de pão”, que é um tipo de fungo,
é o responsável pelo crescimento da massa.
Ciências Naturais - ICRM
Fungo pluricelular
Seu corpo é constituído por
dois componentes:
 Estrutura reprodutora
(corpo de frutificação)
é responsável pela
reprodução do fungo,
por meio de células
reprodutoras especiais
(os esporos).
 micélio é constituído
por uma trama de
filamentos (cada
filamento é chamado de
hifa).
Ciências Naturais - ICRM
Classificação
 Os fungos podem ser classificados de acordo como
interagem com o ambiente.
Ciências Naturais - ICRM
Fungos comestíveis
Ciências Naturais - ICRM
Fungos Saprófitas (saprófagos)
 São os que
decompõem restos de
animais e vegetais.
Ex.: os cogumelos,
mofo do pão, mofo de
tronco de árvores.
 O Penicillium foi
descoberto em 1928
pelo cientista
Alexander Fleming e
tem grande
propriedade
antibiótica.
Ciências Naturais - ICRM
Ação dos fungos...
Penicillium sp
Ciências Naturais - ICRM
Levedos ou leveduras
 São fungos de
importância econômica,
pois são responsáveis
pela fermentação de
substâncias que entram
na composição de
bebidas como a cerveja
(cevada), vinho (uva) e
aguardente (cana-de-
açúcar).
 Também são utilizados
no preparo de pães e
massas (fermento de
pão).
Ciências Naturais - ICRM
Fungos Predadores
(predatismo)
 São fungos que
capturam pequenos
animais (vermes do
solo).
Ciências Naturais - ICRM
Liquens
 São fungos que vivem
em associação com
algas.
 Os fungos fornecem
água às algas para
que essas possam
realizar a
fotossíntese.
 As algas fornecem a
matéria orgânica para
que os fungos se
alimentem.
Ciências Naturais - ICRM
Liquens
Ciências Naturais - ICRM
Micorrizas
 São fungos que
se unem às
raízes de
vegetais fazendo
com que os
minerais do solo
possam ser
melhor
absorvidos pelos
vegetais.
Ciências Naturais - ICRM
Fungos Parasitas
 São aqueles que
vivem à custa de
outro ser vivo,
causando-lhe
prejuízo.
 Ex.: fungos que
causam micoses
(pé-de-atleta,
sapinho, pano
branco).
Ciências Naturais - ICRM
Doenças: micoses
 As mais comuns ocorrem na pele,
podendo-se manifestar em qualquer
parte da superfície do corpo.
 Também chamadas de impinge ou
impingem.
 Existem, também, fungos que parasitam
o interior do organismo, como é o caso
do fungo causador da histoplasmose,
doença grave que ataca os pulmões.
Ciências Naturais - ICRM
Candidíase (ou candidose)
 A Candida Albicans é um
fungo unicelular que é
encontrada na pele e
membranas mucosas da
boca, aparelho digestivo,
vias respiratórias, na
vagina, onde normalmente
é inofensivo.
 No entanto, o uso de
antibióticos de amplo
espectro pode deixar o
sistema imunológico
vulnerável, o que pode
levar à infecção devido à
levedura.
 Infecções: candidíase oral,
candidíase vaginal e
assaduras.
Ciências Naturais - ICRM
“Sapinho” (candidíase oral)
 Sintomas:
aparecimento de
placas
esbranquiçadas e
aveludadas na
membrana mucosa
da boca e da língua.
Ciências Naturais - ICRM
Paroníquia (“unheiro”)
 Tipo de candidose
que se manifesta na
cutícula em volta da
unha.
 Fica inflamado,
dolorido, inchado e
avermelhado e, por
consequência, altera
a formação da unha,
que cresce ondulada
e com alterações da
superfície.
Ciências Naturais - ICRM
Onicomicose
 A onicomicose é uma
infecção que atinge as
unhas, causada por
fungos.
 As fontes de infecção
podem ser o solo,
animais, outras
pessoas ou alicates e
tesouras
contaminados.
Ciências Naturais - ICRM
“Pé-de-atleta” (frieira)
 Micose que aparece
entre os dedos dos
pés.
 É de resolução
demorada.
Ciências Naturais - ICRM
Tinhas
 Se manifestam tanto
nas crianças quanto
nos adultos.
 Ataca o couro
cabeludo das
crianças, provocando
queda de cabelos na
área afetada.
 Contaminação:
através de outra
criança ou de animais
contaminados.
Ciências Naturais - ICRM
Pitiríase Versicolor
 A pitiríase prefere as
regiões onde a pele é
mais oleosa,
principalmente pelo meio
do tórax e as costas (o
fungo alimenta-se da
gordura da pele).
 Com o tempo, porém, a
infecção pode
disseminar-se e tomar o
corpo inteiro, sem que a
pessoa tenha qualquer
sintoma.
Ciências Naturais - ICRM
Histoplasmose
 É uma doença causada pela
inalação do esporo do
fungo Histoplasma
apsulatum, encontrado em
fezes secas de pombos e
morcegos.
 A histoplasmose gera uma
micose profunda, e atinge o
sistema respiratório
causando febre, tosse, dor
torácica, mal estar geral,
debilidade, anemia, entre
outros.
 Por se tratar de uma doença
oportunista, vai depender do
estado geral de saúde do
paciente, ou seja, ele pode
ou não desenvolver a
doença, dependendo da sua
imunidade.
 Sua ocorrência está
associada a locais com alta
concentração de fezes de
morcegos (cavernas, minas
abandonadas, túneis) e
pombos.
Ciências Naturais - ICRM
Criptococose
É uma doença causada pelo fungo Criptococus neoformans.
Ciências Naturais - ICRM
Principais doenças transmitidas pelos
pombos
 Criptococose
 Histoplasmose
 Salmonelose
 Ornitose ou Psitacose
 Dermatites causadas por
ectoparasitas – piolho do
pombo
 Alergias
 Toxoplasmose
 Tuberculose avícola
 Evitar o contato com os pombos e suas
fezes.
 A forma mais comum de infecções
causadas pelos pombos, é feita pelas
vias respiratórias, através da inalação
das fezes secas depositadas nos mais
variados lugares, como em carros,
chãos, janelas e calçadas.
 Outro modo de contaminação bastante
comum é através do piolho dos
pombos que podem cair sobre
as pessoas quando eles voam.
 Não é necessário matar os pombos.
Basta deixar de “alimentar” os
pombos. As fêmeas só colocam
ovos se tiverem alimento.
Ciências Naturais - ICRM
Ciências Naturais – Prof.ª Ivanise Meyer (2015)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Reino dos fungos
Reino dos fungosReino dos fungos
Reino dos fungos
 
Slides fungos
Slides  fungosSlides  fungos
Slides fungos
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Protozoários e protozooses
Protozoários e protozoosesProtozoários e protozooses
Protozoários e protozooses
 
Reino Plantae Power Point
Reino Plantae Power PointReino Plantae Power Point
Reino Plantae Power Point
 
Reino das Plantas
Reino das PlantasReino das Plantas
Reino das Plantas
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
 
II.4 Reino Fungi
II.4 Reino FungiII.4 Reino Fungi
II.4 Reino Fungi
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
 
Gimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiospermaGimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiosperma
 
REINO FUNGI
REINO FUNGIREINO FUNGI
REINO FUNGI
 
Os Fungos
Os FungosOs Fungos
Os Fungos
 

Destaque

Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Maria Monteiro Soares
 
Micoses superficiais
Micoses superficiaisMicoses superficiais
Micoses superficiaisupload718
 
Seminário de Microbiologia - Candidíase
Seminário de Microbiologia - CandidíaseSeminário de Microbiologia - Candidíase
Seminário de Microbiologia - CandidíaseCarla Bernardo Chagas
 
Microbiologia: Fungos na Produção de Alimentos
Microbiologia: Fungos na Produção de AlimentosMicrobiologia: Fungos na Produção de Alimentos
Microbiologia: Fungos na Produção de AlimentosCarlos Arroxelas
 
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo nettoPatologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo nettoJucie Vasconcelos
 
Applications of environmental microbiology in industries
Applications of environmental microbiology in industriesApplications of environmental microbiology in industries
Applications of environmental microbiology in industriesAbhishek Rajput
 
Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino Fungi
Ascomicetos e  Basidiomicetos  - Filos Basidiomycota e Ascomycota  - Reino FungiAscomicetos e  Basidiomicetos  - Filos Basidiomycota e Ascomycota  - Reino Fungi
Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino FungiCRAFTA
 
Candidíase
CandidíaseCandidíase
Candidíase9aGrupo7
 
Aula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaAula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaRaimundo Tostes
 
09. deterioração microbiana de alimentos
09. deterioração microbiana de alimentos09. deterioração microbiana de alimentos
09. deterioração microbiana de alimentosIgor Reis
 

Destaque (20)

Botânica aula2 fungos
Botânica aula2 fungosBotânica aula2 fungos
Botânica aula2 fungos
 
Candidíase
CandidíaseCandidíase
Candidíase
 
Web Fólio 2º semestre 2013
Web Fólio 2º semestre 2013Web Fólio 2º semestre 2013
Web Fólio 2º semestre 2013
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Biologia e controle de pombos
Biologia e controle de pombosBiologia e controle de pombos
Biologia e controle de pombos
 
Biorremediação
Biorremediação Biorremediação
Biorremediação
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Micoses superficiais
Micoses superficiaisMicoses superficiais
Micoses superficiais
 
Seminário de Microbiologia - Candidíase
Seminário de Microbiologia - CandidíaseSeminário de Microbiologia - Candidíase
Seminário de Microbiologia - Candidíase
 
Microbiologia: Fungos na Produção de Alimentos
Microbiologia: Fungos na Produção de AlimentosMicrobiologia: Fungos na Produção de Alimentos
Microbiologia: Fungos na Produção de Alimentos
 
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo nettoPatologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
 
Applications of environmental microbiology in industries
Applications of environmental microbiology in industriesApplications of environmental microbiology in industries
Applications of environmental microbiology in industries
 
Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino Fungi
Ascomicetos e  Basidiomicetos  - Filos Basidiomycota e Ascomycota  - Reino FungiAscomicetos e  Basidiomicetos  - Filos Basidiomycota e Ascomycota  - Reino Fungi
Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino Fungi
 
Candidíase
CandidíaseCandidíase
Candidíase
 
Taxonomia E Reinos
Taxonomia E ReinosTaxonomia E Reinos
Taxonomia E Reinos
 
Aula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaAula de Dermatopatologia
Aula de Dermatopatologia
 
09. deterioração microbiana de alimentos
09. deterioração microbiana de alimentos09. deterioração microbiana de alimentos
09. deterioração microbiana de alimentos
 
Moda, Média e Mediana
Moda, Média e MedianaModa, Média e Mediana
Moda, Média e Mediana
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 

Semelhante a Reino dos Fungos (20)

Aula Micologia.pptx
Aula Micologia.pptxAula Micologia.pptx
Aula Micologia.pptx
 
Fungos e bactérias gilda esse
Fungos e bactérias gilda esseFungos e bactérias gilda esse
Fungos e bactérias gilda esse
 
Fungos e bactérias
Fungos e bactériasFungos e bactérias
Fungos e bactérias
 
REINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.pptREINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.ppt
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Parasitologia.pptx
Parasitologia.pptxParasitologia.pptx
Parasitologia.pptx
 
Parasitologia. O que é, parasitas e formas de transmissão
Parasitologia. O que é, parasitas e formas de transmissãoParasitologia. O que é, parasitas e formas de transmissão
Parasitologia. O que é, parasitas e formas de transmissão
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Generalidades De MicologìA
Generalidades De MicologìAGeneralidades De MicologìA
Generalidades De MicologìA
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Aula reino-fungi
Aula reino-fungiAula reino-fungi
Aula reino-fungi
 
aula inicial sobre oque é Microbiologia
aula inicial sobre oque é  Microbiologiaaula inicial sobre oque é  Microbiologia
aula inicial sobre oque é Microbiologia
 
Vida e Ambiente
Vida e AmbienteVida e Ambiente
Vida e Ambiente
 
Fungos e Bactérias
Fungos e BactériasFungos e Bactérias
Fungos e Bactérias
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Aula 2º EJA.
Aula 2º EJA.Aula 2º EJA.
Aula 2º EJA.
 
Fungos e Bactérias
Fungos e BactériasFungos e Bactérias
Fungos e Bactérias
 
Os Fungos - (Trabalho em Grupo)
Os Fungos - (Trabalho em Grupo)Os Fungos - (Trabalho em Grupo)
Os Fungos - (Trabalho em Grupo)
 
Seres causadores de doenças
Seres causadores de doençasSeres causadores de doenças
Seres causadores de doenças
 

Mais de Ivanise Meyer

África Aula Ivanise Meyer
África Aula Ivanise MeyerÁfrica Aula Ivanise Meyer
África Aula Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Petróleo parte 2 pré sal prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 2 pré sal  prof Ivanise MeyerPetróleo parte 2 pré sal  prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 2 pré sal prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Petróleo parte 1 prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 1  prof Ivanise MeyerPetróleo parte 1  prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 1 prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Tabela periódica prof Ivanise Meyer
Tabela periódica  prof Ivanise MeyerTabela periódica  prof Ivanise Meyer
Tabela periódica prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Tabagismo a química do cigarro prof Ivanise Meyer
Tabagismo a química do cigarro  prof Ivanise MeyerTabagismo a química do cigarro  prof Ivanise Meyer
Tabagismo a química do cigarro prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Química substâncias prof Ivanise Meyer
Química substâncias  prof Ivanise MeyerQuímica substâncias  prof Ivanise Meyer
Química substâncias prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Noções de química prof Ivanise Meyer
Noções de química prof Ivanise MeyerNoções de química prof Ivanise Meyer
Noções de química prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Estrutura da matéria prof Ivanise Meyer
Estrutura da matéria  prof Ivanise MeyerEstrutura da matéria  prof Ivanise Meyer
Estrutura da matéria prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Estados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise MeyerEstados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Termologia prof Ivanise Meyer
Termologia prof Ivanise MeyerTermologia prof Ivanise Meyer
Termologia prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Óptica visão prof ivanise meyer
Óptica visão prof ivanise meyerÓptica visão prof ivanise meyer
Óptica visão prof ivanise meyerIvanise Meyer
 
Óptica prof Ivanise Meyer
Óptica prof Ivanise MeyerÓptica prof Ivanise Meyer
Óptica prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Mecânica cinemática prof Ivanise Meyer
Mecânica cinemática prof Ivanise MeyerMecânica cinemática prof Ivanise Meyer
Mecânica cinemática prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Física noções prof Ivanise Meyer
Física noções prof Ivanise MeyerFísica noções prof Ivanise Meyer
Física noções prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Energia prof Ivanise Meyer
Energia prof Ivanise MeyerEnergia prof Ivanise Meyer
Energia prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Acústica prof Ivanise Meyer
Acústica prof Ivanise MeyerAcústica prof Ivanise Meyer
Acústica prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Sistema respiratório prof Ivanise Meyer
Sistema respiratório prof Ivanise MeyerSistema respiratório prof Ivanise Meyer
Sistema respiratório prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Sistema reprodutor humano prof Ivanise Meyer
Sistema reprodutor humano prof Ivanise MeyerSistema reprodutor humano prof Ivanise Meyer
Sistema reprodutor humano prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Sistema nervoso prof Ivanise Meyer
Sistema nervoso prof Ivanise MeyerSistema nervoso prof Ivanise Meyer
Sistema nervoso prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Sistema locomotor prof Ivanise Meyer
Sistema locomotor prof Ivanise MeyerSistema locomotor prof Ivanise Meyer
Sistema locomotor prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 

Mais de Ivanise Meyer (20)

África Aula Ivanise Meyer
África Aula Ivanise MeyerÁfrica Aula Ivanise Meyer
África Aula Ivanise Meyer
 
Petróleo parte 2 pré sal prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 2 pré sal  prof Ivanise MeyerPetróleo parte 2 pré sal  prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 2 pré sal prof Ivanise Meyer
 
Petróleo parte 1 prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 1  prof Ivanise MeyerPetróleo parte 1  prof Ivanise Meyer
Petróleo parte 1 prof Ivanise Meyer
 
Tabela periódica prof Ivanise Meyer
Tabela periódica  prof Ivanise MeyerTabela periódica  prof Ivanise Meyer
Tabela periódica prof Ivanise Meyer
 
Tabagismo a química do cigarro prof Ivanise Meyer
Tabagismo a química do cigarro  prof Ivanise MeyerTabagismo a química do cigarro  prof Ivanise Meyer
Tabagismo a química do cigarro prof Ivanise Meyer
 
Química substâncias prof Ivanise Meyer
Química substâncias  prof Ivanise MeyerQuímica substâncias  prof Ivanise Meyer
Química substâncias prof Ivanise Meyer
 
Noções de química prof Ivanise Meyer
Noções de química prof Ivanise MeyerNoções de química prof Ivanise Meyer
Noções de química prof Ivanise Meyer
 
Estrutura da matéria prof Ivanise Meyer
Estrutura da matéria  prof Ivanise MeyerEstrutura da matéria  prof Ivanise Meyer
Estrutura da matéria prof Ivanise Meyer
 
Estados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise MeyerEstados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
 
Termologia prof Ivanise Meyer
Termologia prof Ivanise MeyerTermologia prof Ivanise Meyer
Termologia prof Ivanise Meyer
 
Óptica visão prof ivanise meyer
Óptica visão prof ivanise meyerÓptica visão prof ivanise meyer
Óptica visão prof ivanise meyer
 
Óptica prof Ivanise Meyer
Óptica prof Ivanise MeyerÓptica prof Ivanise Meyer
Óptica prof Ivanise Meyer
 
Mecânica cinemática prof Ivanise Meyer
Mecânica cinemática prof Ivanise MeyerMecânica cinemática prof Ivanise Meyer
Mecânica cinemática prof Ivanise Meyer
 
Física noções prof Ivanise Meyer
Física noções prof Ivanise MeyerFísica noções prof Ivanise Meyer
Física noções prof Ivanise Meyer
 
Energia prof Ivanise Meyer
Energia prof Ivanise MeyerEnergia prof Ivanise Meyer
Energia prof Ivanise Meyer
 
Acústica prof Ivanise Meyer
Acústica prof Ivanise MeyerAcústica prof Ivanise Meyer
Acústica prof Ivanise Meyer
 
Sistema respiratório prof Ivanise Meyer
Sistema respiratório prof Ivanise MeyerSistema respiratório prof Ivanise Meyer
Sistema respiratório prof Ivanise Meyer
 
Sistema reprodutor humano prof Ivanise Meyer
Sistema reprodutor humano prof Ivanise MeyerSistema reprodutor humano prof Ivanise Meyer
Sistema reprodutor humano prof Ivanise Meyer
 
Sistema nervoso prof Ivanise Meyer
Sistema nervoso prof Ivanise MeyerSistema nervoso prof Ivanise Meyer
Sistema nervoso prof Ivanise Meyer
 
Sistema locomotor prof Ivanise Meyer
Sistema locomotor prof Ivanise MeyerSistema locomotor prof Ivanise Meyer
Sistema locomotor prof Ivanise Meyer
 

Último

HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 

Último (20)

XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 

Reino dos Fungos

  • 3. O que são fungos?  Os fungos são popularmente conhecidos por bolores, mofos, fermentos, levedos, orelhas-de-pau, trufas e cogumelos-de-chapéu (champignon).  É um grupo bastante numeroso, formado por cerca de 200.000 espécies espalhadas por praticamente qualquer tipo de ambiente. Ciências Naturais - ICRM
  • 5. Reino dos Fungos  Reúne organismos eucariontes unicelulares e pluricelulares, aclorofilados, heterótrofos, que incorporam os alimentos por absorção. Ciências Naturais - ICRM
  • 6. Nutrição por absorção  Os fungos liberam enzimas digestivas para fora de seus corpos. Essas enzimas atuam imediatamente no meio orgânico no qual eles se instalam, degradando-o à partículas, que são absorvidas pelo fungo como uma solução aquosa. Ciências Naturais - ICRM
  • 7. Unicelulares e Pluricelulares  A maioria dos fungos é pluricelular (formados por muitas células).  Existem fungos unicelulares (formados por uma célula). Ciências Naturais - ICRM
  • 8. Fungo Unicelular  Formado por uma célula.  Também chamado de levedura.  Existem, aproximadamente, 850 espécies diferentes de leveduras Saccharomyces Ciências Naturais - ICRM
  • 9. “Fermento de pão” Usando um microscópio podemos observá-lo de mais perto. O “fermento de pão”, que é um tipo de fungo, é o responsável pelo crescimento da massa. Ciências Naturais - ICRM
  • 10. Fungo pluricelular Seu corpo é constituído por dois componentes:  Estrutura reprodutora (corpo de frutificação) é responsável pela reprodução do fungo, por meio de células reprodutoras especiais (os esporos).  micélio é constituído por uma trama de filamentos (cada filamento é chamado de hifa). Ciências Naturais - ICRM
  • 11. Classificação  Os fungos podem ser classificados de acordo como interagem com o ambiente. Ciências Naturais - ICRM
  • 13. Fungos Saprófitas (saprófagos)  São os que decompõem restos de animais e vegetais. Ex.: os cogumelos, mofo do pão, mofo de tronco de árvores.  O Penicillium foi descoberto em 1928 pelo cientista Alexander Fleming e tem grande propriedade antibiótica. Ciências Naturais - ICRM
  • 14. Ação dos fungos... Penicillium sp Ciências Naturais - ICRM
  • 15. Levedos ou leveduras  São fungos de importância econômica, pois são responsáveis pela fermentação de substâncias que entram na composição de bebidas como a cerveja (cevada), vinho (uva) e aguardente (cana-de- açúcar).  Também são utilizados no preparo de pães e massas (fermento de pão). Ciências Naturais - ICRM
  • 16. Fungos Predadores (predatismo)  São fungos que capturam pequenos animais (vermes do solo). Ciências Naturais - ICRM
  • 17. Liquens  São fungos que vivem em associação com algas.  Os fungos fornecem água às algas para que essas possam realizar a fotossíntese.  As algas fornecem a matéria orgânica para que os fungos se alimentem. Ciências Naturais - ICRM
  • 19. Micorrizas  São fungos que se unem às raízes de vegetais fazendo com que os minerais do solo possam ser melhor absorvidos pelos vegetais. Ciências Naturais - ICRM
  • 20. Fungos Parasitas  São aqueles que vivem à custa de outro ser vivo, causando-lhe prejuízo.  Ex.: fungos que causam micoses (pé-de-atleta, sapinho, pano branco). Ciências Naturais - ICRM
  • 21. Doenças: micoses  As mais comuns ocorrem na pele, podendo-se manifestar em qualquer parte da superfície do corpo.  Também chamadas de impinge ou impingem.  Existem, também, fungos que parasitam o interior do organismo, como é o caso do fungo causador da histoplasmose, doença grave que ataca os pulmões. Ciências Naturais - ICRM
  • 22. Candidíase (ou candidose)  A Candida Albicans é um fungo unicelular que é encontrada na pele e membranas mucosas da boca, aparelho digestivo, vias respiratórias, na vagina, onde normalmente é inofensivo.  No entanto, o uso de antibióticos de amplo espectro pode deixar o sistema imunológico vulnerável, o que pode levar à infecção devido à levedura.  Infecções: candidíase oral, candidíase vaginal e assaduras. Ciências Naturais - ICRM
  • 23. “Sapinho” (candidíase oral)  Sintomas: aparecimento de placas esbranquiçadas e aveludadas na membrana mucosa da boca e da língua. Ciências Naturais - ICRM
  • 24. Paroníquia (“unheiro”)  Tipo de candidose que se manifesta na cutícula em volta da unha.  Fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada e com alterações da superfície. Ciências Naturais - ICRM
  • 25. Onicomicose  A onicomicose é uma infecção que atinge as unhas, causada por fungos.  As fontes de infecção podem ser o solo, animais, outras pessoas ou alicates e tesouras contaminados. Ciências Naturais - ICRM
  • 26. “Pé-de-atleta” (frieira)  Micose que aparece entre os dedos dos pés.  É de resolução demorada. Ciências Naturais - ICRM
  • 27. Tinhas  Se manifestam tanto nas crianças quanto nos adultos.  Ataca o couro cabeludo das crianças, provocando queda de cabelos na área afetada.  Contaminação: através de outra criança ou de animais contaminados. Ciências Naturais - ICRM
  • 28. Pitiríase Versicolor  A pitiríase prefere as regiões onde a pele é mais oleosa, principalmente pelo meio do tórax e as costas (o fungo alimenta-se da gordura da pele).  Com o tempo, porém, a infecção pode disseminar-se e tomar o corpo inteiro, sem que a pessoa tenha qualquer sintoma. Ciências Naturais - ICRM
  • 29. Histoplasmose  É uma doença causada pela inalação do esporo do fungo Histoplasma apsulatum, encontrado em fezes secas de pombos e morcegos.  A histoplasmose gera uma micose profunda, e atinge o sistema respiratório causando febre, tosse, dor torácica, mal estar geral, debilidade, anemia, entre outros.  Por se tratar de uma doença oportunista, vai depender do estado geral de saúde do paciente, ou seja, ele pode ou não desenvolver a doença, dependendo da sua imunidade.  Sua ocorrência está associada a locais com alta concentração de fezes de morcegos (cavernas, minas abandonadas, túneis) e pombos. Ciências Naturais - ICRM
  • 30. Criptococose É uma doença causada pelo fungo Criptococus neoformans. Ciências Naturais - ICRM
  • 31. Principais doenças transmitidas pelos pombos  Criptococose  Histoplasmose  Salmonelose  Ornitose ou Psitacose  Dermatites causadas por ectoparasitas – piolho do pombo  Alergias  Toxoplasmose  Tuberculose avícola  Evitar o contato com os pombos e suas fezes.  A forma mais comum de infecções causadas pelos pombos, é feita pelas vias respiratórias, através da inalação das fezes secas depositadas nos mais variados lugares, como em carros, chãos, janelas e calçadas.  Outro modo de contaminação bastante comum é através do piolho dos pombos que podem cair sobre as pessoas quando eles voam.  Não é necessário matar os pombos. Basta deixar de “alimentar” os pombos. As fêmeas só colocam ovos se tiverem alimento. Ciências Naturais - ICRM
  • 32. Ciências Naturais – Prof.ª Ivanise Meyer (2015)