Reforma Íntima e Livre Arbítrio

5.988 visualizações

Publicada em

Sob a luz dá Doutrina Espírita

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.988
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
373
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reforma Íntima e Livre Arbítrio

  1. 1. Reforma Íntimax Livre-arbítrio<br />“Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más” (E.S.E.)<br />
  2. 2. Qual a nossa imagem?<br /><ul><li>Qual a imagem que você tem de si?
  3. 3. Qual a imagem que as outras pessoas tem de você?
  4. 4. Qual a imagem que você gostaria de passar as outras pessoas?</li></li></ul><li>Então quem somos?<br />“Conhece-te a ti mesmo” (Sócrates)<br />“O conhecimento de si mesmo é, portanto, a<br />chave do desenvolvimento individual”(Santo Agostinho - E.S.E.)<br /><ul><li>buscar o Autoconhecimento através das luzes da imortalidade.
  5. 5. elaborarmos um mapa de como chegar ao nosso “eu verdadeiro”, mas além do mapa, necessitamos de suprimentos morais preventivos e fortalecedores, necessitamos de uma ética de paz com nós próprios.
  6. 6. nos aceitarmos como somos para não cairmos nas garras de perigosas ameaças nessa “viagem de retorno a Deus”</li></li></ul><li>Esquecimento do nosso PASSADO...<br /><ul><li>percebermos nossas tendências;
  7. 7. descobrirmos as motivações que sustentam nossos vícios milenares;
  8. 8. não estacionarmos na vergonha e no remorso, no rancor e na mágoa;
  9. 9. despertarmos reflexos afetivos novos propícios a um novo recomeço.</li></li></ul><li>...Sábia providência<br /><ul><li>através da voz da nossa consciênciatemos o rumo correto a seguir...
  10. 10. ao conhecermos as nossas tendências instintivas temos as bóias sinalizadoras para que saibamos nos conduzir dentro desse rumo.
  11. 11. em uma temos o futuro, em outra temos o passado cooperando para não desviarmos novamente do que nos espera...</li></li></ul><li>Síndrome de SINESIM<br /><ul><li>Sistema Neurótico de Supervalorização das Imperfeições Morais – é o mau hábito de destacar nossas doenças espirituais, o que tem conduzido muitos espíritas à condição de autênticos “hipocondríacos da alma”.
  12. 12. O espírita costuma “neurotizar” a proposta da reforma íntima. É a “neurose de santificação”, um modo imaturo de agir em razão da ausência de noções mais profundas sobre a sua verdadeira realidade espiritual.</li></li></ul><li>Perigosas ameaças!!!<br /><ul><li>a culpa
  13. 13. a autopunição
  14. 14. a baixa autoestima</li></ul>estabelecem o clima psicológico do martírio<br />
  15. 15. Sintomas do Martírio <br /><ul><li>estado íntimo de desconforto e desassossego quase permanentes;
  16. 16. torturante sensação de perda de controle sobre a existência;
  17. 17. baixa tolerância à frustração;
  18. 18. ansiedade de origem ignorada;
  19. 19. medos incontroláveis de situações irreais;
  20. 20. irritações sem motivos claros;
  21. 21. angústia perante o porvir com aflição e sofrimento por antecipação;
  22. 22. excesso de imaginação ante fatos corriqueiros da vida;
  23. 23. descrença no esforço de mudança e nas tarefas doutrinárias;
  24. 24. mau humor;
  25. 25. decisões infelizes no clima emotivo de confusão mental;
  26. 26. intenso desgaste energético decorrente de conflitos;
  27. 27. Desânimo... entre outros.</li></li></ul><li>Precisamos nos libertar...<br /><ul><li>não devemos ser demasiadamente severos conosco mesmos;
  28. 28. sem lástima e censura, devemos nos perdoar e prosseguir sempre;
  29. 29. confiar e trabalhar cada vez mais;
  30. 30. guardar-nos na oração e na confiança;
  31. 31. enriquecermos a nossa fé nas pequenas vitórias;
  32. 32. a angústia da melhora é impulso para promoção;
  33. 33. se nos punimos estaremos assinando um decreto de desamor contra nós mesmos.</li></li></ul><li>A luz que vem de fora não é suficiente...<br /><ul><li>Evitemos, assim, confundir a simples adesão a práticas doutrinárias ou ainda o acúmulo de cultura espiritual como sendo iluminação e adiantamento, quando nada mais são que estímulos valorosos para o crescimento.</li></li></ul><li>...é necessário fazer brilhar a nossa LUZ<br /><ul><li>Façamos as pazes com as nossas imperfeições;
  34. 34. A questão não é de lutar contra nós, e sim equilibrar a nossa parte enferma.</li></li></ul><li>Amaiao próximo como a ti mesmoJesus<br /><ul><li>O remédio salutar é a aceitação incondicional de nós mesmos;
  35. 35. É fazer o melhor que possamos;
  36. 36. Sem alimentar fantasias de saltos evolutivos, dar um passo atrás do outro.</li></li></ul><li>Precisamos nos conectar<br /><ul><li>evidencia-se a urgência da edificação de laços de afeto nos grupamentos espíritas;
  37. 37. Afeto é a seiva vitalizadora dos processos relacionais e o construtor de sentidos nobres para a existência dos homens.</li></li></ul><li>Ajustemos o nosso tempo...<br /><ul><li>Ajustemos os nossos propósitos aos limites de nossas possibilidades, libertando-nos da angústia que provém dos excessos;
  38. 38. Caminhemos um dia após o outro na esperança de que amanhã sejamos melhores que hoje, para nossa própria felicidade. </li></li></ul><li>É tempo de semeadura<br /><ul><li>estejamos alertas para a única referência que servirá a cada um de nós:</li></ul>Fazer todo bem que pudermos no alcance de nossas forças. <br />
  39. 39. inevitavelmente, quem se renova alcança a maior conquista das pessoas livres e felizes:<br />o prazer de viver<br />
  40. 40. A prática essencial e meta fundamental dos ensinos dos Bons Espíritos são a melhora da humanidade, a formação do homem de bem.<br />
  41. 41. A reforma íntima solicita fazer de nossas vidas um projeto:<br />Um projeto de cumplicidade e amor!<br />

×