PODER JUDICIÁRIO                    TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO                                            ...
PODER JUDICIÁRIO                  TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO                                             V...
PODER JUDICIÁRIO                  TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULOrepresentante, Claudemir, preencheu "termo de ...
PODER JUDICIÁRIO                 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO                       Por solicitação do reque...
PODER JUDICIÁRIO                  TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULOvãmente a saúde e recebeu alta hospitalar em 1...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Direito sao bernardo tgdp - acordao transfusao - 110304

1.015 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.015
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
86
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Direito sao bernardo tgdp - acordao transfusao - 110304

  1. 1. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE juirira nr- „~# ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRA- VO DE INSTRUMENTO 990.10.414217-2, da Comarca de SÃO CA- ETANO DO SUL, em que é AGRAVANTE HOSPITAL ALVORADA TAGUATINGA LTDA. (nome de fantasia HOSPITAL ITACO- LOMY UNIDADE HSB) e AGRAVADO CLAUDIONOR FRAN- CISCO BARBIERI. ACORDAM, em Nona Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça, por votação unânime, em julgar prejudicado o recur- so, em conformidade com o voto do relator. Participaram do julgamento os desembargadores JO- SÉ LUIZ GAVIÃO DE ALMEIDA e GRAVA BRAZIL, que o presi- diu. São Paulo, 09 de novembro de 2010. AR4KOS GARCIA LATOR Agravo de Instrumento - 990.10.414217-2 - SÃO CAETANO DO SUL - VOTO 19431 P 1
  2. 2. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO VOTO EMENTA - Cautelar inominada - Testemunha de Jeová que, por motivo de crença, se recusa a realizar transfusão de sangue - Pretensão da instituição hospitalar à obtenção de autorização judicial para submeter o paciente a tratamento reputado indispensável para preservar a vida do paciente - Liminar denegada - Agravo interposto pelo autor - Ven- turosa especificidade do caso concreto, em que, na Sessão de Julga- mento, subsequente à interposição do recurso, o próprio paciente compareceu pessoalmente, acompanhado por seu patrono, pedindo prazo para se manifestar nos autos - Comprovação, por meio de rela- tório médico, da evolução positiva da moléstia e desnecessidade da transfusão de sangue - Perda superveniente do objeto - Recurso pre- judicado. 1. Trata-se de agravo de instrumento interposto contra a inter-locutóría de fls. 36/38 e 43 que, no curso da cautelar inominada intentada pelo HOS-PITAL ALVORADA TAGUATINGA LTDA. em face de CLAUDIONORFRANCISCO BARBIERI, indeferiu medida liminar para autorizar a equipe médicado nosocômio a submeter o réu a transfusão sangüínea, medida tida por indispensávelpara a estabilização do quadro clínico do paciente. O HOSPITAL ALVORADA sustenta que, em 16.08.2010,Claudionor foi internado em suas dependências para tratamento de trauma crânio-encefálico decorrente de queda da própria altura; desde então, o paciente permaneceuestável do ponto de vista neurológico; visto que apresentava como antecedente mór-bido um quadro de hepatite C crônica, Claudionor foi submetido a exames laboratori-ais; até então, por indicação do médico particular do paciente, o quadro vinha sendotratado com Interferon Peguilado associado a Ribavirina (fls. 29); o laudo do hemo-grama completo evidenciou intensa pancitopenia com aplasia de medula óssea (fls.31/33); diante desse resultado, a médica hematologista da equipe, Dra. Elaine Maza-rá, indicou a realização de hemotransfusão; ocorre que Claudionor é Testemunha deJeová e, por motivo de credo, opõe-se à transfusão de sangue total ou de hemoderiva-dos; na data em que Claudionor deu entrada no HOSPITAL ALVORADA, seu filho e Agravo de Instrumento - 990.10.414217-2 - SAO CAETANO DO SUL - VOTO 19431 P 2
  3. 3. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULOrepresentante, Claudemir, preencheu "termo de ciência e consentimento" referente àanestesia/sedação (fls. 27 e 29/30); nesse documento, Claudemir apôs a observaçãode que não autorizava transfusão de sangue "por razões de consciência" (fl. 27); alémdisso, Claudemir recusou-se assinar o "termo de conhecimento, ciência e consenti-mento informado para transfusão de sangue" apresentado pelo nosocômio, nos termosda procuração que lhe foi outorgada pelo pai em 11.08.2010 (fls. 28/30); diante doeminente risco à vida de Claudionor, o HOSPITAL ALVORADA não teve alternativasenão intentar cautelar inominada visando a obter, inclusive liminarmente, autoriza-ção para realizar a transfusão necessária à estabilização do quadro clínico do paciente(fls. 12/17); a decisão de fls. 36/38 indeferiu a liminar requerida, consignando que, arigor, o nosocômio careceria de interesse processual; os embargos opostos pelo reque-rente contra essa interlocutória foram rejeitados sob o argumento de que o recursocabível contra error injudicando seria o agravo de instrumento (fls. 40/43); o HOS-PITAL ALVORADA então manejou este agravo para reiterar a pretensão à obtençãode liminar, com a reforma da decisão de fls. 36/38 e 43; o risco de vida de Claudionoré patente; o relatório médico que instruiu a inicial evidencia que o caso evoluirá paraóbito caso não se proceda à transfusão (fls. 25/26); o intenso estresse emocional cau-sado pela proximidade da morte prejudicou a capacidade de discernimento do pacien-te e de seus familiares, que já não conseguem distinguir entre razão e emoção/crençareligiosa; o direito à vida é inviolável e deve prevalecer sobre a liberdade de crença;sem a garantia da vida, todos os outros direitos fundamentais perdem a razão de ser,inclusive a liberdade religiosa; o quadro de Claudionor é tão grave que ele tem depermanecer em repouso absoluto no leito de internação; o médico particular de Clau-dionor, Dr. Igor Alexandre de Souza, CRM 49.247, foi chamado pela equipe médicado HOSPITAL ALVORADA para assumir o caso de seu cliente, mas declinou dessaatribuição não obstante seja, também ele, Testemunha de Jeová (fls. 04/08). Dispensou-se a apreciação do pedido de antecipação dos efei-tos da tutela recursal em razão do encaminhamento imediato do agravo à mesa dejulgamento (fl. 45). Agravo de Instrumento - 990.10.414217-2 - SÃO CAETANO DO SUL - VOTO 19431 P 3
  4. 4. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Por solicitação do requerido, que compareceu pessoalmente àsessão de 21.09.2010, o recurso foi retirado de pauta pelo relator (fls. 46/47 e 49/52). Em contraminuta, Claudionor requereu prioridade de tramita-ção em razão da idade e concessão do benefício de assistência judiciária (fls. 61/81). É o relatório. 2. De início, defere-se prioridade na tramitação pretendida pelorequerido, nos termos do art. 71, §1°, da Lei °. 10.741/2003. O pedido de gratuidade processual deverá ser formulado peran-te o juízo de origem, para evitar supressão de instância. No mérito, o agravo perdeu o objeto. O quadro clínico de Claudionor evoluiu positivamente desde adata de ajuizamento da cautelar inominada. O relatório médico de fl. 25/26 refletiu asituação do paciente na data de propositura da demanda (25.08.2010): RELATÓRIO MÉDICO O paciente Claudionor Francisco Barbieri, 67 anos, é portador de hepati- te C e foi tentado tratamento com Interferon por médico externo. Tratou por 1 mês, última dose em 02/08/10. Evoluiu com aplasia de medula ós- sea, com pancitopenia grave. Está com Hb [hemoglobina] < 4,0 plaque- tas <5000. Evoluindo com ICC [insuficiência cardíaca congestiva], e- dema agudo de pulmão e risco de morte em horas ou dias. E testemunha de Jeová, assim como sua família, e recusa-se firmemente a tomar transfusão. Está consciente da gravidade do caso, assim como sua família, e está orientado. Já está recebendo eritropoietina + trombopoietina + reposição vitamíni- ca, sem resposta. Se não receber transfusão, a evolução será para óbito. Dra. Elaine Mazará CRM 60.738 24/08/10 No lapso de tempo decorrido entre o indeferimento da liminar eo encaminhamento do agravo à mesa de julgamento, Claudionor recobrou progressi- AgravodcInstiumento-990.I0.4142I7-2-SAOCAETANODOSUL-VOTO 19431 P 4
  5. 5. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULOvãmente a saúde e recebeu alta hospitalar em 15.09.2010 (fl. 204). O relatório médicojuntado com a contraminuta dá conta do restabelecimento do paciente (fl. 106): Paciente: Claudionor Francisco Barbieri Diagnóstico de internação: trauma craniano leve Data de internação: 16/08/2010 Data da alta: 15/09/2010 Paciente admitido em UTI, com história de queda da própria altura com trauma palpebral à esquerda, com plaquetopenia importante (1.000/ml) e níveis alterados de hemoglobina (7,3 g/dl), feito [sic] hipótese diagnos- tica de Aplasia Medular devido a uso de Interferon. Referindo ser Tes- temunha de Jeová, com recusa de transfusão de hemoderivados. Teve al- ta da UTI para continuidade de tratamento na Enfermaria em 17/08/2010, recebeu Eprex 10.000 UI e Trompopoietina como alternati- va à hemotransfusão. Evoluiu com piora de níveis laboratoriais de He- moglobina, Plaquetas e Neutrófílos, sendo readmitido na UTI em 23/10/2010 por risco de sangramento fatal. Seguiu em repouso absoluto e em observação de parâmetros hemodinâmicos, ainda com recusa de hemotransfusão. Recebeu alta da UTI para Enfermaria em 27.08.2010, em uso de Noripurum e Eprex, evoluiu com melhora dos níveis de pla- quetas e série branca, assim como melhora parcial dos níveis de Hemo- globina, recebendo alta hospitalar com orientações, indicação de uso de Eritropoietina 3 vezes por semana e seguimento ambulatorial com He- matologia. São Bernardo do Campo, 08 de outubro de 2010. Dra. Cláudia de Araújo da Rocha Benevides Gerente Médica CRM-SP: 117.369 Com a alta hospitalar e o restabelecimento do paciente, a trans-fusão sangüínea pretendida pelo agravante perdeu o propósito. 3. Ante o exposto, julga-se prejudicado o agravo. < J O A O P í í R L O S GARCIA ^^RELATOR Agravo de Instrumento - 990.10.414217-2 - SÀO CAETANO DO SUL - VOTO 19431 P 5

×