SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
Superior Tribunal de Justiça
AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 236.162 - MS (2012/0206562-7)
RELATOR : MINISTRO SEBASTIÃO REIS JÚNIOR
AGRAVANTE : MARIA ABADIA DE SOUZA SILVA
ADVOGADO : ELIAS CESAR KESROUANI - DEFENSOR PÚBLICO E
OUTROS
AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO
GROSSO DO SUL
EMENTA
PENAL. AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ABANDONO DE
INCAPAZ. DENÚNCIA NÃO RECEBIDA NA SENTENÇA.
ATIPICIDADE DA CONDUTA. REFORMA NO ACÓRDÃO.
ELEMENTARES DO CRIME DE ABANDONO DE INCAPAZ.
INEXISTÊNCIA. AGRAVO CONHECIDO E PROVIDO O RECURSO
ESPECIAL.
1. Pela narrativa feita na denúncia, não houve, de fato,
demonstração de ato de abandono, que tenha exposto em perigo
concreto e material, a vida ou a saúde dos menores, filhos da
recorrente. Atipicidade da conduta.
2. Agravo conhecido e provido o recurso especial.
DECISÃO
Agravo contra inadmissão do recurso especial interposto por Maria
Abadia de Souza Silva, com fundamento no art. 105, III, a, da Constituição
Federal.
Narram os autos que a agravante foi denunciada como incursa nas
sanções do art. 133, § 3º, II, do Código Penal, ao fundamento de ter
abandonado os filhos, em idades entre 3 e 17 anos, sendo a mais velha
portadora de necessidades especiais ("Síndrome de Morth"), não podendo
cuidar dos irmãos menores. Na sentença, a denúncia não foi recebida, ao
fundamento de ausência de dolo, não estando configurado o crime de
abandono de incapaz, nos termos do art. 395, II, do Código de Processo
Penal (fls. 50/52).
A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Mato Grosso
do Sul deu provimento ao recurso do Ministério Público, para receber a
denúncia. Esta, a ementa do julgado (fl. 130):
Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 1 de 6
Superior Tribunal de Justiça
RECURSO EM SENTIDO ESTRITO - ABANDONO DE INCAPAZ -
DENÚNCIA REJEITADA - PRESENÇA DOS REQUISITOS PREVISTOS
NO ARTIGO 41 DO CPP - INDÍCIOS DE AUTORIA - DENÚNCIA QUE
DEVE SER RECEBIDA - RECURSO PROVIDO.
Preenchidos os requisitos previstos no artigo 41 do Código de
Processo Penal, bem como havendo indícios da autoria, bem como de
que as vítimas, supostamente abandonadas, permaneceram em situação
de perigo concreto, impõe-se o recebimento da denúncia, para fins de se
apurar, durante a instrução processual, a prática ou não da ação delitiva.
Inconformada, a recorrente interpôs recurso especial, no qual
apontou negativa de vigência ao art. 133, § 3º, II, do Código Penal. Sustentou,
em síntese: a) acertada a sentença quando não recebeu a denúncia, por
atipicidade de conduta; b) inexistência de abandono de incapaz, porquanto a
mãe saiu apenas para trabalhar, e iria retornar à sua residência; c) não
ocorrência de risco efetivo para a vítima; d) ausência de justa causa, pois
comprovado nos autos de que todos os filhos estudam, pela manhã, e
recebem da mãe a assistência necessária à sua subsistência.
O recurso especial foi inadmitido pela Corte de origem, sob o
fundamento de aplicação da Súmula 7/STJ, em relação à existência de justa
causa (fls. 177/178).
Instado a se manifestar, o Ministério Público Federal opinou pelo
provimento do recurso, por entender atípica a conduta narrada na denúncia,
que não teria especificado qual o efetivo e concreto perigo que sofreram os
menores. Eis a ementa do parecer (fl. 225):
AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ABANDONO DE INCAPAZ.
ANÁLISE SOBRE OS REQUISITOS DO TIPO PENAL PREVISTO NO
ART. 133 DO CP. NECESSIDADE OU NÃO DE NARRATIVA, PELA
ACUSAÇÃO, DE PERIGO CONCRETO ÀS VÍTIMAS. QUESTÃO QUE
NÃO EXIGE INCURSÃO EM SEARA PROBATÓRIA, MAS SIMPLES
LEITURA DA DENÚNCIA. INAPLICABILIDADE DA DECISÃO
AGRAVADA. DELITO QUE EXIGE, PARA SUA CARACTERIZAÇÃO, A
OCORRÊNCIA DE RISCO CONCRETO À INTEGRIDADE FÍSICA DOS
OFENDIDOS. DOUTRINA.
A análise sobre os requisitos legais caracterizadores do crime de
abandono de incapaz não exige incursão em seara probatória.
Inaplicabilidade da Súmula 7/STJ.
O crime do art. 133 do CP exige, para sua caracterização, a ocorrência
Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 2 de 6
Superior Tribunal de Justiça
de perigo concreto às vítimas abandonadas. Doutrina.
PARECER PELO PROVIMENTO DO AGRAVO E DO RECURSO
ESPECIAL.
É o relatório.
Presentes os requisitos de admissibilidade, o recurso merece ser
conhecido.
Ao oferecer a denúncia contra a recorrente, trouxe o Ministério
Público do Estado de Mato Grosso do Sul a seguinte narrativa sobre a
conduta da denunciada (fl. 3):
Apurou-se que a denunciada Maria Abadia de Souza Silva deixou os
filhos menores em casa, para trabalhar em uma lanchonete, ocasião em
que o Conselho Tutelar foi acionado mediante informação apócrifa, e foi
até o local, constatando a veracidade do abandono dos filhos que têm
idade entre 17 (dezessete) e 3 (três) anos, sendo que a mais velha, de
17 (dezessete) anos é portadora de necessidades especiais e não tem
condições de cuidar dos menores.
A despeito da observação feita pela autoridade policial, evidente o
risco a que foram expostas as crianças, tanto que, por ocasião da
chegada das Conselheiras Tutelares, os menores encontravam-se sujos
e descalços, de modo a gerar perigo para si e para os outros irmãos.
Na sentença, a denúncia não foi recebida, ante a inexistência de
tipicidade na conduta da recorrente (fls. 50/52).
Ao dar provimento ao recurso em sentido estrito do Ministério
Público estadual, assim manifestou-se o Tribunal local (fls. 132/133):
[...]
Não fosse só isso, há, indícios da prática do delito pela recorrida, isso
porque, consta da denúncia e das provas extrajudiciais até então
colacionadas aos autos, que essa deixava os seus filhos, todos menores
(sendo que um deles, inclusive, especial, já que portador de "Síndrome
de Morth"), sozinhos em casa, em situação de desleixo e, em possível
situação de perigo concreto, já que, ela própria, ao prestar as suas
declarações perante a autoridade policial, aduziu que os menores foram
encontrados sujos pela Conselheira Tutelar, pois brincavam na rua -
situação, que sem dúvidas os expunha a perigo, pois podiam ser
atropelados, ou mesmo sofrerem outros prejuízos.
[...]
Verifica-se nas razões recursais, que a controvérsia gira em torno
de ter ou não a recorrente agido de forma a praticar o delito do art. 133, § 3º,
Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 3 de 6
Superior Tribunal de Justiça
II, do Código Penal, não se tratando portanto de reexame fático a matéria aqui
tratada. Nesse ponto, importante transcrever o parecer do Ministério Público
Federal, que fez minuciosa análise do tipo penal, inclusive com posição
doutrinária (fls. 227/228):
A conduta narrada pelo Ministério Público do Mato Grosso do Sul é a
de uma mãe que, ao sair para trabalhar, deixou 4 filhos menores em
casa, um deles portador de necessidades especiais, os quais foram
encontrados sujos e descalços na própria residência em que habitam.
A única questão a ser debatida nos autos é se a conduta narrada
configura ou não, em tese, o crime previsto no art. 133 do CP.
Trata-se, assim, de questão meramente de direito, não havendo que
se falar em necessidade de reapreciação fática para sua análise.
Logo, merece provimento o agravo para dar seguimento ao recurso
especial, a seguir analisado.
Dispõe o art. 133 do CP:
Art. 133. Abandonar pessoa que está sob seu cuidado, guarda,
vigilância ou autoridade, e, por qualquer motivo, incapaz de defender-se
dos riscos resultantes do abandono:
Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 3 (três) anos.
Leciona a doutrina sobre o crime em questão:
Classificação doutrinária
Crime próprio (pois o tipo penal aponta quem pode ser considerado
como sujeito ativo, bem como aqueles que poderão figurar como sujeito
passivo); de perigo concreto (não basta demonstrar o ato de abandono,
mas, sim, que esse comportamento trouxe perigo para a vida ou saúde
da vítima); [...] (GREGO, Rogério. Código Penal Comentado. 5. ed.
Niterói, RJ: Impetus, 2011, p. 314 - grifo nosso)
[...] Além da transgressão da relação particular de assistência entre
agente e vítima, é indispensável a existência - ainda que momentânea -
de perigo concreto. [...] (PRADO, Luiz Regis. Comentários ao Código
Penal. 6. ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2011, p. 434 -
grifo nosso).
Fica claro, portanto, que o Ministério Público do Mato Grosso do Sul
narrou conduta atípica em sua denúncia, pois não especificou qual o
efetivo e concreto perigo que sofreram os menores, limitando-se a
afirmar que os menores estavam descalços e sujos, o que, por si só, não
traduz qualquer situação de risco.
Com efeito, pela narrativa feita na denúncia, não houve, de fato,
demonstração de ato de abandono, que tenha exposto em perigo concreto e
material, a vida ou a saúde dos menores, filhos da recorrente. A denúncia
narra que os menores estavam sujos e descalços (fl. 3). Por outro lado,
consta nos autos que todas as crianças frequentam a escola, inclusive a
Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 4 de 6
Superior Tribunal de Justiça
que é portadora da mencionada síndrome, não se podendo falar em
ausência de assistência. O fato de as crianças estarem sozinhas, em casa,
enquanto a mãe trabalhava, não significa abandono, no sentido literal da
palavra, mas sim desleixo ou descuido, por parte da mãe, caso a ser
resolvido, talvez, por uma assistente social, mas não pela justiça criminal, que
deve atuar apenas em último caso (princípio da intervenção mínima). Diante
disso, adoto, como fundamentos, para decidir, trecho da sentença, que, além
de estudar o tipo penal, também abordou a presente situação em um contexto
cultural e social (fls. 50/51):
[...]
Impende observar que o que se tem nos autos é que as denúncias
chegam ao Conselho Tutelar sempre de forma anônima; que a mãe, na
época das denúncias, trabalhava em dois locais, num frigorífico da região
e numa lanchonete nesta cidade;
O só fato das crianças ficarem sozinhas, não significa, definitivamente,
que a mãe as tivesse abandonado, no sentido emprestada ao termo pelo
legislador ordinário.
Não significa que a tivessem colocado, dolosamente, em situação de
perigo iminente. Perigo havia, sim, porque perigosa é a sociedade em
que vivemos.
O que ocorreu com as crianças, na situação posta, foi que a mãe,
arrimo de família, trabalhava dia e noite para sustentá-los, decorrência
natural do mundo desordenado que vivemos, pais pobres e sem
instrução.
As supostas vítimas não foram deixadas perigosamente a suas
próprias sorte, elas ficam em casa enquanto a mãe trabalha.
Precisamos analisar com cautelas os fatos, pois, se todas as vezes
que uma família tal qual a dos autos, tiver que deixar filhos em casa,
ainda que sozinhos, mas sob os olhos de um adulto, ainda que não se
aprove, teríamos, então, todos os dias, todas as horas, que indiciar vários
pais pela prática de crime da mesma natureza.
Releva dizer que o elemento subjetivo do tipo é o dolo específico,
traduzido na vontade de abandonar, o que, por tudo que restou provado
nos autos, não ocorreu no caso vertente.
Que a mãe, ora denunciada foi descuidada, não se nega, contudo
afirmar por isso, que ela abandonou seus filhos, ao meu sentir não é
razoável.
Consignei acima que são elementares constitutivas do crime de
abandono de incapaz: a) o abandono; b) a violação do especial dever de
assistência; c) a superveniência efetiva de perigo concreto à vida ou à
saúde do abandonado; d) a incapacidade de defender-se da situação de
perigo; e) a vontade e a consciência de abandonar incapaz expondo-o a
perigo.
Registro que o só abandono - e as vítimas não foram abandonadas,
Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 5 de 6
Superior Tribunal de Justiça
repito - não realiza a figura típica, sendo indispensável que dele resulte
perigo concreto para a vida e a saúde da pessoa. Trata-se, pois, de
perigo concreto, que precisa ser comprovado. Os autos não dão notícia
desse perigo.
Para configuração do crime em comento, é indispensável que a vítima,
efetivamente, fique exposta ao perigo, mas perigo concreto, repita-se.
Não vale o perigo abstrato, ou meramente presumido. A eventual
exposição da vítima ao perigo, não abrangido pelo dolo, não configura o
crime de abandono de incapaz.
[...]
Assim, entendo estar violado o art. 133, § 3º, II, do Código Penal,
pois, na presente hipótese, não estão presentes as elementares constitutivas
do crime de abandono de incapaz.
Ante o exposto, com fundamento no art. 544, § 4º, II, c, do Código
de Processo Civil, c/c o art. 3º do Código de Processo Penal, conheço do
agravo e dou provimento ao recurso especial, para restabelecer a
sentença de primeiro grau, e rejeitar a denúncia contra a recorrente, Maria
Abadia de Souza Silva (art. 395, II, do Código de Processo Penal).
Publique-se.
Brasília, 1º de agosto de 2013.
Ministro Sebastião Reis Júnior
Relator
Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 6 de 6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CASACION 490-2019 expo.pptx
CASACION 490-2019  expo.pptxCASACION 490-2019  expo.pptx
CASACION 490-2019 expo.pptxfranciscojose94
 
1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃO
1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃO1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃO
1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃOConsultor JRSantana
 
Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion antecedentes 29 octu...
Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion  antecedentes 29 octu...Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion  antecedentes 29 octu...
Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion antecedentes 29 octu...Guti Tierno Amor
 
Resposta Escrita à acusação - Maria da penha
Resposta Escrita à acusação - Maria da penhaResposta Escrita à acusação - Maria da penha
Resposta Escrita à acusação - Maria da penhaScarlatt Campos
 
La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)
La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)
La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)Fernando Barrientos
 
Desalojo ocupante precario castro herrera
Desalojo ocupante precario  castro herreraDesalojo ocupante precario  castro herrera
Desalojo ocupante precario castro herreraHarold Otiniano
 
Carta notarial arbitro revisado
Carta notarial arbitro revisadoCarta notarial arbitro revisado
Carta notarial arbitro revisadoCarlos Escobar
 
Réplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação IndenizatóriaRéplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação IndenizatóriaConsultor JRSantana
 
Defesa Preliminar Penal Eleitoral
Defesa Preliminar Penal EleitoralDefesa Preliminar Penal Eleitoral
Defesa Preliminar Penal EleitoralConsultor JRSantana
 
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPCConsultor JRSantana
 
1141- Contestação do Município - Medicamentos ACP
1141- Contestação do Município - Medicamentos ACP1141- Contestação do Município - Medicamentos ACP
1141- Contestação do Município - Medicamentos ACPConsultor JRSantana
 
MODELO DE SOLICITUD DE ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE INMUEBLE
MODELO DE SOLICITUD DE  ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE  INMUEBLEMODELO DE SOLICITUD DE  ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE  INMUEBLE
MODELO DE SOLICITUD DE ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE INMUEBLEMassey Abogados (Oscar Massey)
 
Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...
Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...
Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...Corporación Hiram Servicios Legales
 
2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENAL
2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENAL2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENAL
2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENALConsultor JRSantana
 

Mais procurados (20)

CASACION 490-2019 expo.pptx
CASACION 490-2019  expo.pptxCASACION 490-2019  expo.pptx
CASACION 490-2019 expo.pptx
 
1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃO
1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃO1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃO
1013- AÇÃO ANULATÓRIA DE LEILÃO
 
Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion antecedentes 29 octu...
Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion  antecedentes 29 octu...Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion  antecedentes 29 octu...
Solicito rehabilitacion y oficie al inpe para anulacion antecedentes 29 octu...
 
Resposta Escrita à acusação - Maria da penha
Resposta Escrita à acusação - Maria da penhaResposta Escrita à acusação - Maria da penha
Resposta Escrita à acusação - Maria da penha
 
1087- ALEGAÇÕES FINAIS
1087- ALEGAÇÕES FINAIS1087- ALEGAÇÕES FINAIS
1087- ALEGAÇÕES FINAIS
 
La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)
La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)
La Objeción a la Querella en el Proceso Penal Bolivia (parte 2)
 
Desalojo ocupante precario castro herrera
Desalojo ocupante precario  castro herreraDesalojo ocupante precario  castro herrera
Desalojo ocupante precario castro herrera
 
Carta notarial arbitro revisado
Carta notarial arbitro revisadoCarta notarial arbitro revisado
Carta notarial arbitro revisado
 
Réplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação IndenizatóriaRéplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação Indenizatória
 
Defesa Preliminar Penal Eleitoral
Defesa Preliminar Penal EleitoralDefesa Preliminar Penal Eleitoral
Defesa Preliminar Penal Eleitoral
 
Demanda laboral modelo
Demanda laboral modeloDemanda laboral modelo
Demanda laboral modelo
 
Asignacion anticipada
Asignacion anticipadaAsignacion anticipada
Asignacion anticipada
 
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
2133 - Tutela Cautelar Antecedente - Reduzida - Novo CPC
 
1141- Contestação do Município - Medicamentos ACP
1141- Contestação do Município - Medicamentos ACP1141- Contestação do Município - Medicamentos ACP
1141- Contestação do Município - Medicamentos ACP
 
Apersonamiento
ApersonamientoApersonamiento
Apersonamiento
 
resposta a acusação
resposta a acusaçãoresposta a acusação
resposta a acusação
 
Ampliacion demanda chirre
Ampliacion demanda chirreAmpliacion demanda chirre
Ampliacion demanda chirre
 
MODELO DE SOLICITUD DE ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE INMUEBLE
MODELO DE SOLICITUD DE  ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE  INMUEBLEMODELO DE SOLICITUD DE  ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE  INMUEBLE
MODELO DE SOLICITUD DE ADMINISTRACIÓN JUDICIAL DE INMUEBLE
 
Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...
Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...
Cómo presentar depósitos de honorarios de peritos y cédulas de notificación a...
 
2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENAL
2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENAL2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENAL
2037 - RESPOSTA A ACUSAÇÃO PENAL
 

Destaque

É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...
É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...
É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...Luiz F T Siqueira
 
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicaçãoWhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicaçãoLuiz F T Siqueira
 
Acordao carf-globo-agio-interno-pl
Acordao carf-globo-agio-interno-plAcordao carf-globo-agio-interno-pl
Acordao carf-globo-agio-interno-plMiguel Rosario
 
Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...
Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...
Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...Luiz F T Siqueira
 
Acordao tj-rs-mantem-sentenca-nega
Acordao tj-rs-mantem-sentenca-negaAcordao tj-rs-mantem-sentenca-nega
Acordao tj-rs-mantem-sentenca-negaInforma Jurídico
 
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012Hyago Correia
 
Direito penal parte geral
Direito penal parte geralDireito penal parte geral
Direito penal parte geralmariocanel
 

Destaque (7)

É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...
É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...
É válido protesto de cheque feito antes do término do prazo para ação de exec...
 
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicaçãoWhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
 
Acordao carf-globo-agio-interno-pl
Acordao carf-globo-agio-interno-plAcordao carf-globo-agio-interno-pl
Acordao carf-globo-agio-interno-pl
 
Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...
Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...
Bem de família pode ser penhorado para garantir pensão alimentícia decorrente...
 
Acordao tj-rs-mantem-sentenca-nega
Acordao tj-rs-mantem-sentenca-negaAcordao tj-rs-mantem-sentenca-nega
Acordao tj-rs-mantem-sentenca-nega
 
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
 
Direito penal parte geral
Direito penal parte geralDireito penal parte geral
Direito penal parte geral
 

Semelhante a Direito Penal - Abandono de incapaz - Atipicidade da conduta

Resumo de pratica simulada penal iii
Resumo de pratica simulada penal  iiiResumo de pratica simulada penal  iii
Resumo de pratica simulada penal iiiWalter Marinho
 
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresaTJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresaLeandro César
 
Sentença indenização
Sentença indenizaçãoSentença indenização
Sentença indenizaçãoJamildo Melo
 
1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIA
1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIA1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIA
1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIAConsultor JRSantana
 
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...Luiz F T Siqueira
 
Caso Escobar SentençA
Caso Escobar   SentençACaso Escobar   SentençA
Caso Escobar SentençAJamildo Melo
 
Desições sobre guarda
Desições sobre guardaDesições sobre guarda
Desições sobre guardaElvis Braga
 
Pet 3947 - PETIÇÃO (Processo físico)
Pet 3947 - PETIÇÃO  (Processo físico)Pet 3947 - PETIÇÃO  (Processo físico)
Pet 3947 - PETIÇÃO (Processo físico)tribunadoceara
 
Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...
Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...
Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...Cesar Augusto Venancio Silva
 
Suicidio preso
Suicidio presoSuicidio preso
Suicidio presoallaymer
 
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodriguesRazões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodriguesEliton Meneses
 
Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica
Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica
Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
TJ nega recurso réu defecou nos autos
TJ nega recurso réu defecou nos autosTJ nega recurso réu defecou nos autos
TJ nega recurso réu defecou nos autosPaulo Araujo
 
Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]
Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]
Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]Alexandre Matzenbacher
 

Semelhante a Direito Penal - Abandono de incapaz - Atipicidade da conduta (20)

Resumo de pratica simulada penal iii
Resumo de pratica simulada penal  iiiResumo de pratica simulada penal  iii
Resumo de pratica simulada penal iii
 
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresaTJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
TJ-Rondônia mantém condenação de sindicalista que achacou empresa
 
Sentença indenização
Sentença indenizaçãoSentença indenização
Sentença indenização
 
1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIA
1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIA1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIA
1121- JUSTIÇA DE PRIMEIRA INSTÂNCIA
 
Caso Ricardinho - MPSC apresenta alegações finais
Caso Ricardinho - MPSC apresenta alegações finaisCaso Ricardinho - MPSC apresenta alegações finais
Caso Ricardinho - MPSC apresenta alegações finais
 
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
 
Caso Escobar SentençA
Caso Escobar   SentençACaso Escobar   SentençA
Caso Escobar SentençA
 
Desições sobre guarda
Desições sobre guardaDesições sobre guarda
Desições sobre guarda
 
Pet 3947 - PETIÇÃO (Processo físico)
Pet 3947 - PETIÇÃO  (Processo físico)Pet 3947 - PETIÇÃO  (Processo físico)
Pet 3947 - PETIÇÃO (Processo físico)
 
In dubio pro reu2
In dubio pro reu2In dubio pro reu2
In dubio pro reu2
 
Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...
Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...
Excelentíssimo senhor desembargador presidente do tribunal de justiça do esta...
 
827827
827827827827
827827
 
827827 (1)
827827 (1)827827 (1)
827827 (1)
 
Suicidio preso
Suicidio presoSuicidio preso
Suicidio preso
 
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodriguesRazões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
Razões_de_apelação_homicídio-diego_rodrigues
 
Lei maria-penha
Lei maria-penhaLei maria-penha
Lei maria-penha
 
Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica
Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica
Publicada decisão que condenou vereador de Porto Velho por falsidade ideológica
 
TJ nega recurso réu defecou nos autos
TJ nega recurso réu defecou nos autosTJ nega recurso réu defecou nos autos
TJ nega recurso réu defecou nos autos
 
Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]
Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]
Tj sp-nega-recurso-reu-defecou-autos[1]
 
Questões Prejudiciais e Exceções
Questões Prejudiciais e ExceçõesQuestões Prejudiciais e Exceções
Questões Prejudiciais e Exceções
 

Mais de Luiz F T Siqueira

É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...
É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...
É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...Luiz F T Siqueira
 
STJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamento
STJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamentoSTJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamento
STJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamentoLuiz F T Siqueira
 
Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...
Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...
Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...Luiz F T Siqueira
 
Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...
Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...
Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...Luiz F T Siqueira
 
STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...
STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...
STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...Luiz F T Siqueira
 
STJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasados
STJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasadosSTJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasados
STJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasadosLuiz F T Siqueira
 
STJ - Espera excessiva em fila de banco - Indenização
STJ - Espera excessiva em fila de banco - IndenizaçãoSTJ - Espera excessiva em fila de banco - Indenização
STJ - Espera excessiva em fila de banco - IndenizaçãoLuiz F T Siqueira
 
STF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatórios
STF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatóriosSTF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatórios
STF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatóriosLuiz F T Siqueira
 
STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...
STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...
STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...Luiz F T Siqueira
 
Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...
Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...
Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...Luiz F T Siqueira
 
Justiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safra
Justiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safraJustiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safra
Justiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safraLuiz F T Siqueira
 
Execução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacada
Execução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacadaExecução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacada
Execução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacadaLuiz F T Siqueira
 
STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...
STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...
STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...Luiz F T Siqueira
 
Dano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - OverbookingDano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - OverbookingLuiz F T Siqueira
 
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...Luiz F T Siqueira
 
Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...
Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...
Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...Luiz F T Siqueira
 
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...Luiz F T Siqueira
 
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...Luiz F T Siqueira
 
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...Luiz F T Siqueira
 
Dano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagem
Dano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagemDano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagem
Dano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagemLuiz F T Siqueira
 

Mais de Luiz F T Siqueira (20)

É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...
É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...
É válido testamento que cumpre vontade do falecido mesmo na falta de formalid...
 
STJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamento
STJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamentoSTJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamento
STJ anula júri por uso de algema em réu durante julgamento
 
Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...
Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...
Estado deve indenizar preso em situação degradante - STF - Voto do Ministro C...
 
Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...
Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...
Prazo decadencial para anular praça pública começa após expedição da carta de...
 
STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...
STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...
STF - Regime de precatórios não se aplica à execução provisória de obrigação ...
 
STJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasados
STJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasadosSTJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasados
STJ - É válida a penhora de salário para pagamento de aluguéis atrasados
 
STJ - Espera excessiva em fila de banco - Indenização
STJ - Espera excessiva em fila de banco - IndenizaçãoSTJ - Espera excessiva em fila de banco - Indenização
STJ - Espera excessiva em fila de banco - Indenização
 
STF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatórios
STF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatóriosSTF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatórios
STF decide que juros de mora incidem sobre obrigações de RPV e precatórios
 
STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...
STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...
STF - Estrangeiro residente no país tem direito à concessão de benefício assi...
 
Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...
Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...
Ausência de notificação justifica retirada de nome em cadastro de restrição a...
 
Justiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safra
Justiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safraJustiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safra
Justiça do trabalho reconhece unicidade em contratos sucessivos de safra
 
Execução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacada
Execução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacadaExecução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacada
Execução de cheque deve ser processada no mesmo local da agência sacada
 
STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...
STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...
STJ - Terceira turma considera juizado especial competente para execução de m...
 
Dano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - OverbookingDano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - Overbooking
 
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
 
Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...
Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...
Dano moral presumido - Instituição de ensino - Impossibilidade de registro de...
 
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Utilização indevid...
 
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...
Dano moral presumido - Extravio de talonários de cheques - Inclusão indevida ...
 
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
 
Dano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagem
Dano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagemDano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagem
Dano moral presumido - Dano à personalidade - Danos à imagem
 

Direito Penal - Abandono de incapaz - Atipicidade da conduta

  • 1. Superior Tribunal de Justiça AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 236.162 - MS (2012/0206562-7) RELATOR : MINISTRO SEBASTIÃO REIS JÚNIOR AGRAVANTE : MARIA ABADIA DE SOUZA SILVA ADVOGADO : ELIAS CESAR KESROUANI - DEFENSOR PÚBLICO E OUTROS AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL EMENTA PENAL. AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ABANDONO DE INCAPAZ. DENÚNCIA NÃO RECEBIDA NA SENTENÇA. ATIPICIDADE DA CONDUTA. REFORMA NO ACÓRDÃO. ELEMENTARES DO CRIME DE ABANDONO DE INCAPAZ. INEXISTÊNCIA. AGRAVO CONHECIDO E PROVIDO O RECURSO ESPECIAL. 1. Pela narrativa feita na denúncia, não houve, de fato, demonstração de ato de abandono, que tenha exposto em perigo concreto e material, a vida ou a saúde dos menores, filhos da recorrente. Atipicidade da conduta. 2. Agravo conhecido e provido o recurso especial. DECISÃO Agravo contra inadmissão do recurso especial interposto por Maria Abadia de Souza Silva, com fundamento no art. 105, III, a, da Constituição Federal. Narram os autos que a agravante foi denunciada como incursa nas sanções do art. 133, § 3º, II, do Código Penal, ao fundamento de ter abandonado os filhos, em idades entre 3 e 17 anos, sendo a mais velha portadora de necessidades especiais ("Síndrome de Morth"), não podendo cuidar dos irmãos menores. Na sentença, a denúncia não foi recebida, ao fundamento de ausência de dolo, não estando configurado o crime de abandono de incapaz, nos termos do art. 395, II, do Código de Processo Penal (fls. 50/52). A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul deu provimento ao recurso do Ministério Público, para receber a denúncia. Esta, a ementa do julgado (fl. 130): Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 1 de 6
  • 2. Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM SENTIDO ESTRITO - ABANDONO DE INCAPAZ - DENÚNCIA REJEITADA - PRESENÇA DOS REQUISITOS PREVISTOS NO ARTIGO 41 DO CPP - INDÍCIOS DE AUTORIA - DENÚNCIA QUE DEVE SER RECEBIDA - RECURSO PROVIDO. Preenchidos os requisitos previstos no artigo 41 do Código de Processo Penal, bem como havendo indícios da autoria, bem como de que as vítimas, supostamente abandonadas, permaneceram em situação de perigo concreto, impõe-se o recebimento da denúncia, para fins de se apurar, durante a instrução processual, a prática ou não da ação delitiva. Inconformada, a recorrente interpôs recurso especial, no qual apontou negativa de vigência ao art. 133, § 3º, II, do Código Penal. Sustentou, em síntese: a) acertada a sentença quando não recebeu a denúncia, por atipicidade de conduta; b) inexistência de abandono de incapaz, porquanto a mãe saiu apenas para trabalhar, e iria retornar à sua residência; c) não ocorrência de risco efetivo para a vítima; d) ausência de justa causa, pois comprovado nos autos de que todos os filhos estudam, pela manhã, e recebem da mãe a assistência necessária à sua subsistência. O recurso especial foi inadmitido pela Corte de origem, sob o fundamento de aplicação da Súmula 7/STJ, em relação à existência de justa causa (fls. 177/178). Instado a se manifestar, o Ministério Público Federal opinou pelo provimento do recurso, por entender atípica a conduta narrada na denúncia, que não teria especificado qual o efetivo e concreto perigo que sofreram os menores. Eis a ementa do parecer (fl. 225): AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ABANDONO DE INCAPAZ. ANÁLISE SOBRE OS REQUISITOS DO TIPO PENAL PREVISTO NO ART. 133 DO CP. NECESSIDADE OU NÃO DE NARRATIVA, PELA ACUSAÇÃO, DE PERIGO CONCRETO ÀS VÍTIMAS. QUESTÃO QUE NÃO EXIGE INCURSÃO EM SEARA PROBATÓRIA, MAS SIMPLES LEITURA DA DENÚNCIA. INAPLICABILIDADE DA DECISÃO AGRAVADA. DELITO QUE EXIGE, PARA SUA CARACTERIZAÇÃO, A OCORRÊNCIA DE RISCO CONCRETO À INTEGRIDADE FÍSICA DOS OFENDIDOS. DOUTRINA. A análise sobre os requisitos legais caracterizadores do crime de abandono de incapaz não exige incursão em seara probatória. Inaplicabilidade da Súmula 7/STJ. O crime do art. 133 do CP exige, para sua caracterização, a ocorrência Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 2 de 6
  • 3. Superior Tribunal de Justiça de perigo concreto às vítimas abandonadas. Doutrina. PARECER PELO PROVIMENTO DO AGRAVO E DO RECURSO ESPECIAL. É o relatório. Presentes os requisitos de admissibilidade, o recurso merece ser conhecido. Ao oferecer a denúncia contra a recorrente, trouxe o Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul a seguinte narrativa sobre a conduta da denunciada (fl. 3): Apurou-se que a denunciada Maria Abadia de Souza Silva deixou os filhos menores em casa, para trabalhar em uma lanchonete, ocasião em que o Conselho Tutelar foi acionado mediante informação apócrifa, e foi até o local, constatando a veracidade do abandono dos filhos que têm idade entre 17 (dezessete) e 3 (três) anos, sendo que a mais velha, de 17 (dezessete) anos é portadora de necessidades especiais e não tem condições de cuidar dos menores. A despeito da observação feita pela autoridade policial, evidente o risco a que foram expostas as crianças, tanto que, por ocasião da chegada das Conselheiras Tutelares, os menores encontravam-se sujos e descalços, de modo a gerar perigo para si e para os outros irmãos. Na sentença, a denúncia não foi recebida, ante a inexistência de tipicidade na conduta da recorrente (fls. 50/52). Ao dar provimento ao recurso em sentido estrito do Ministério Público estadual, assim manifestou-se o Tribunal local (fls. 132/133): [...] Não fosse só isso, há, indícios da prática do delito pela recorrida, isso porque, consta da denúncia e das provas extrajudiciais até então colacionadas aos autos, que essa deixava os seus filhos, todos menores (sendo que um deles, inclusive, especial, já que portador de "Síndrome de Morth"), sozinhos em casa, em situação de desleixo e, em possível situação de perigo concreto, já que, ela própria, ao prestar as suas declarações perante a autoridade policial, aduziu que os menores foram encontrados sujos pela Conselheira Tutelar, pois brincavam na rua - situação, que sem dúvidas os expunha a perigo, pois podiam ser atropelados, ou mesmo sofrerem outros prejuízos. [...] Verifica-se nas razões recursais, que a controvérsia gira em torno de ter ou não a recorrente agido de forma a praticar o delito do art. 133, § 3º, Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 3 de 6
  • 4. Superior Tribunal de Justiça II, do Código Penal, não se tratando portanto de reexame fático a matéria aqui tratada. Nesse ponto, importante transcrever o parecer do Ministério Público Federal, que fez minuciosa análise do tipo penal, inclusive com posição doutrinária (fls. 227/228): A conduta narrada pelo Ministério Público do Mato Grosso do Sul é a de uma mãe que, ao sair para trabalhar, deixou 4 filhos menores em casa, um deles portador de necessidades especiais, os quais foram encontrados sujos e descalços na própria residência em que habitam. A única questão a ser debatida nos autos é se a conduta narrada configura ou não, em tese, o crime previsto no art. 133 do CP. Trata-se, assim, de questão meramente de direito, não havendo que se falar em necessidade de reapreciação fática para sua análise. Logo, merece provimento o agravo para dar seguimento ao recurso especial, a seguir analisado. Dispõe o art. 133 do CP: Art. 133. Abandonar pessoa que está sob seu cuidado, guarda, vigilância ou autoridade, e, por qualquer motivo, incapaz de defender-se dos riscos resultantes do abandono: Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 3 (três) anos. Leciona a doutrina sobre o crime em questão: Classificação doutrinária Crime próprio (pois o tipo penal aponta quem pode ser considerado como sujeito ativo, bem como aqueles que poderão figurar como sujeito passivo); de perigo concreto (não basta demonstrar o ato de abandono, mas, sim, que esse comportamento trouxe perigo para a vida ou saúde da vítima); [...] (GREGO, Rogério. Código Penal Comentado. 5. ed. Niterói, RJ: Impetus, 2011, p. 314 - grifo nosso) [...] Além da transgressão da relação particular de assistência entre agente e vítima, é indispensável a existência - ainda que momentânea - de perigo concreto. [...] (PRADO, Luiz Regis. Comentários ao Código Penal. 6. ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2011, p. 434 - grifo nosso). Fica claro, portanto, que o Ministério Público do Mato Grosso do Sul narrou conduta atípica em sua denúncia, pois não especificou qual o efetivo e concreto perigo que sofreram os menores, limitando-se a afirmar que os menores estavam descalços e sujos, o que, por si só, não traduz qualquer situação de risco. Com efeito, pela narrativa feita na denúncia, não houve, de fato, demonstração de ato de abandono, que tenha exposto em perigo concreto e material, a vida ou a saúde dos menores, filhos da recorrente. A denúncia narra que os menores estavam sujos e descalços (fl. 3). Por outro lado, consta nos autos que todas as crianças frequentam a escola, inclusive a Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 4 de 6
  • 5. Superior Tribunal de Justiça que é portadora da mencionada síndrome, não se podendo falar em ausência de assistência. O fato de as crianças estarem sozinhas, em casa, enquanto a mãe trabalhava, não significa abandono, no sentido literal da palavra, mas sim desleixo ou descuido, por parte da mãe, caso a ser resolvido, talvez, por uma assistente social, mas não pela justiça criminal, que deve atuar apenas em último caso (princípio da intervenção mínima). Diante disso, adoto, como fundamentos, para decidir, trecho da sentença, que, além de estudar o tipo penal, também abordou a presente situação em um contexto cultural e social (fls. 50/51): [...] Impende observar que o que se tem nos autos é que as denúncias chegam ao Conselho Tutelar sempre de forma anônima; que a mãe, na época das denúncias, trabalhava em dois locais, num frigorífico da região e numa lanchonete nesta cidade; O só fato das crianças ficarem sozinhas, não significa, definitivamente, que a mãe as tivesse abandonado, no sentido emprestada ao termo pelo legislador ordinário. Não significa que a tivessem colocado, dolosamente, em situação de perigo iminente. Perigo havia, sim, porque perigosa é a sociedade em que vivemos. O que ocorreu com as crianças, na situação posta, foi que a mãe, arrimo de família, trabalhava dia e noite para sustentá-los, decorrência natural do mundo desordenado que vivemos, pais pobres e sem instrução. As supostas vítimas não foram deixadas perigosamente a suas próprias sorte, elas ficam em casa enquanto a mãe trabalha. Precisamos analisar com cautelas os fatos, pois, se todas as vezes que uma família tal qual a dos autos, tiver que deixar filhos em casa, ainda que sozinhos, mas sob os olhos de um adulto, ainda que não se aprove, teríamos, então, todos os dias, todas as horas, que indiciar vários pais pela prática de crime da mesma natureza. Releva dizer que o elemento subjetivo do tipo é o dolo específico, traduzido na vontade de abandonar, o que, por tudo que restou provado nos autos, não ocorreu no caso vertente. Que a mãe, ora denunciada foi descuidada, não se nega, contudo afirmar por isso, que ela abandonou seus filhos, ao meu sentir não é razoável. Consignei acima que são elementares constitutivas do crime de abandono de incapaz: a) o abandono; b) a violação do especial dever de assistência; c) a superveniência efetiva de perigo concreto à vida ou à saúde do abandonado; d) a incapacidade de defender-se da situação de perigo; e) a vontade e a consciência de abandonar incapaz expondo-o a perigo. Registro que o só abandono - e as vítimas não foram abandonadas, Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 5 de 6
  • 6. Superior Tribunal de Justiça repito - não realiza a figura típica, sendo indispensável que dele resulte perigo concreto para a vida e a saúde da pessoa. Trata-se, pois, de perigo concreto, que precisa ser comprovado. Os autos não dão notícia desse perigo. Para configuração do crime em comento, é indispensável que a vítima, efetivamente, fique exposta ao perigo, mas perigo concreto, repita-se. Não vale o perigo abstrato, ou meramente presumido. A eventual exposição da vítima ao perigo, não abrangido pelo dolo, não configura o crime de abandono de incapaz. [...] Assim, entendo estar violado o art. 133, § 3º, II, do Código Penal, pois, na presente hipótese, não estão presentes as elementares constitutivas do crime de abandono de incapaz. Ante o exposto, com fundamento no art. 544, § 4º, II, c, do Código de Processo Civil, c/c o art. 3º do Código de Processo Penal, conheço do agravo e dou provimento ao recurso especial, para restabelecer a sentença de primeiro grau, e rejeitar a denúncia contra a recorrente, Maria Abadia de Souza Silva (art. 395, II, do Código de Processo Penal). Publique-se. Brasília, 1º de agosto de 2013. Ministro Sebastião Reis Júnior Relator Documento: 30054383 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 05/08/2013 Página 6 de 6