Ler dort

5.098 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.098
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
50
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
286
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ler dort

  1. 1. LER/DORT Dr. Rodrigo Rodarte
  2. 2. Há dois lados em todas as questões (Pitágoras, 410 – 445 a.C.)
  3. 3. Definição: As L.E.R. são Lesões por Esforços Repetitivos (definiçãomais antiga) A D.O.R.T. (conhecidas como doenças osteomuscularesrelacionados ao trabalho) são responsáveis pela alteraçãodas estruturas osteomusculares – tendões, articulações,músculos e nervos.
  4. 4. Histórico das L.E.R 1700 - Ramazzini - Pai da Medicina do trabalho - "doençados escribas e notórios". 1920 - Doença das tecelãs (1920) 1965 - Doença das lavadeiras Década de 80 – Universalização do problema Várias profissões Movimentos repetitivos ou grande imobilização postural - Fenômeno Mundial.
  5. 5. Histórico das L.E.R/ D.O.R.T. Informatização – 70% das doenças profissionaisregistradas no Brasil.
  6. 6. Doenças OcupacionaisLER – Lesões por Esforços RepetitivosLTC – Lesões por Traumas CumulativosDCO – Doença Cervicobraquial OcupacionalCTD – Cumulative Trauma DisordersSSO – Síndrome da Sobrecarga OcupacionalDORT – Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho
  7. 7. L.E.R Lesões por Esforços repetitivosResultado dos desequilíbrios entre asexigências das tarefas e as margens deixadaspela organização do trabalho para que otrabalhador, na realização de suas tarefas,mobilize as suas capacidades dentro das suaspossibilidades
  8. 8. D.O.R.TDistúrbios Osteomusculares Relacionados ao TrabalhoUma “síndrome clínica” caracterizada por dorcrônica, acompanhada ou não por alteraçõesobjetivas e que se manifesta principalmente nopescoço, cintura escapular e/ou membrossuperiores em decorrência do trabalho. INSS/1998
  9. 9. Causas das D.O.R.T1) Dano Diminuição do aporte sanguíneo à região Repetitividade e/ou força dos movimentosquanto na atividade estática das estruturas envolvidas2) Dano Trauma ou microtrauma - formação de processosinflamatórios locais.
  10. 10. O problema é provocado normalmente por atividadesdesenvolvidas no trabalho e que exigem um excesso deuso do sistema musculoesquelético.
  11. 11. O ambiente de trabalho inadequado pode ser umainesgotável fonte de problema. aumento da produtividade o cliente é rei repetição de atividades má divisão de tarefas mobiliário não adaptado pressão no ambiente de trabalho sobrecarga física no trabalho
  12. 12. Determinantes do surgimento de lesõesOrganização da produçãoConcepção de equipamentosAmbiente físicoContrato de trabalhoConcepção de ferramentasOrganização do trabalho
  13. 13. Diagnóstico/ Sintomas na D.O.R.T A DORT se manifesta clinicamente por um sintoma subjetivo epeculiar a cada indivíduo que é a DOR. Conseqüência de trauma direto de estruturas orgânicas porsobrecarga funcional ou traumatismos externos, acarretando danosaos tecidos mais comumente afetados, como os músculos,tendões, fáscias, nervos e articulações.
  14. 14. ????????
  15. 15. Sintomas da D.O.R.T Desconforto, tensão, rigidez ou dor nas mãos, dedos, antebraços ecotovelos Mãos frias, dormência ou formigamento Redução da habilidade (destreza manual) Perda de força ou coordenação nas mãos Dor capaz de interromper o sono
  16. 16. Exames complementaresImagem RX RNM CintilografiaENMG (STC)Outros: Hemograma, Bioquímica
  17. 17. Comunicado de Acidente deTrabalho Nexo causal – importante !!!!!!!!!!!!! Quando ???????????
  18. 18. Fatores de risco D.O.R.T Fatores de Risco DORT - movimentos repetitivos - movimentos repetitivos com o uso da força Fatores Biomecânicos - postura inadequada - uso de ferramentas manuais - ineficácia da empresa em eliminar riscos potenciaisFatores Administrativos - método de trabalho inadequado, uso de ferramentas e equipamentos impróprios - pressões no trabalho - inexistência de autonomia e controle sobre o trabalho Fatores Psicossociais - inexistência de ajuda ou de apoio de colegas de trabalho - pouca variabilidade no conteúdo das atividades
  19. 19. Fatores Falta de diagnóstico adequado, tanto clínicocomo exames complementares. Falta de tratamento adequado, principalmentefisioterápico. Falta de conhecimento do médico do trabalhoque falha na análise das circunstâncias quelevaram o indivíduo a apresentar este quadro.
  20. 20. Falta de apoio de níveis superiores para uma atuaçãoadequada. Falta de acompanhamento adequado durante otratamento médico e principalmente na sua readaptaçãoao trabalho. Falta de um programa ergonômico. Fisioterapia – Ginástica laboral
  21. 21. Estresse Estresse – estado emocional causado pela discrepância entre ograu de exigência do trabalho e os recursos disponíveis paragerenciá-lo, sendo que é subjetivo, na medida que depende dacompreensão individual.
  22. 22. Estresse Situações de trabalho que representam sobrecarga no sentido de estresse: Falta de supervisão e vigilância causando sobrecarga emocional, sem o conhecimento do grau de participação dos trabalhadores na produção; Falta de apoio e reconhecimento dos superiores; Insatisfação causada pela carga de trabalho;
  23. 23. Exigências de trabalho, determinadas pelacarga e prazo de realização de tarefas; Falta de estabilidade no emprego
  24. 24. Sobrecarga mental causada porresponsabilidade excessiva pela vida epelo bem-estar dos outros; Ambiente físico com ruído, iluminaçãodeficiente, espaço físico inadequado,clima; Grau de complexidade do trabalhomuito baixo, tornando-o monótono, oumuito alto com exigência excessiva.
  25. 25. EstresseRepresentação esquemática do estresse
  26. 26. Prevenção D.O.R.TOrganização do Trabalho (função da relação entre o homem e a máquina) Ergonomia Postura errada.
  27. 27. Prevenção D.O.R.TMudanças nas características relacionadas à: Repetitividade, Excesso de movimentos, Falta de flexibilidade de tempo e ritmo, Exigência de produtividade, Falta de canais de diálogo entre trabalhadores e empresa, Pressão de chefias para manter a produtividade Mobiliários e equipamentos inadequados.
  28. 28. Ações para D.O.R.T Incentivar o trabalhador a prestar atenção em sintomas elimitações, mesmo que pequenas, e orientá-lo a procurarlogo o auxílio. Propiciar aos médicos que atendem aos trabalhadoresum diálogo com a empresa nos casos que houvernecessidade de mudar as características do posto detrabalho.
  29. 29. Ações para D.O.R.T Propiciar aos médicos reciclagem para que possamatender adequadamente o trabalhador. Ter uma atitude de amparo ao trabalhador com D.O.R.Ttanto em relação ao tratamento quanto em relação areabilitação. Ter uma política de prevenção, para que se evite oadoecimento de mais trabalhadores.

×