Vcomesp janete coimbra

1.108 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.108
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vcomesp janete coimbra

  1. 1. NASF - NÚCLEO DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA NASFV COMESP- APS: AGORA MAIS QUE NUNCA JANETE COIMBRA SMSA COORDENAÇÃO DE REABILITAÇÃO E NASF
  2. 2. REFLEXÕES SOBRE O PERCURSO DO NASF EM BH• Ponto(s) de partida;• Passos iniciais: definição de balizas;• O caminhar ou a aprendizagem na caminhada;• O ponto de chegada provisório.
  3. 3. PONTO(S) DE PARTIDA Diretrizes da portaria GM 154 de 24/01/08; Experiência e metodologia de trabalho dos Núcleos de Apoio em Reabilitação - NAR, nos distritos Barreiro (2005) e Norte (2006); Orientações do documento “Atenção Básica à Saúde em Belo Horizonte: Recomendações para Organização Local”
  4. 4. PONTO(S) DE PARTIDAO que aprendemos: A operacionalização de novas propostas requer mais que diretrizes claras. Envolve estratégias planejadas, poder compartilhado e articulação de interesses nos diversos níveis da gestão. A pessoa do coordenador em cada distrito favorece o acompanhamento dos processos. É preciso seguir para além do ponto de partida apesar das resistências. “Estou sempre me despedindo Do ponto de partida que me lança de si Do ponto de chegada que nunca é aqui” - Lya Luft
  5. 5. PASSOS INICIAIS1) Definimos as áreas estratégicas prioritárias e quais profissionais comporiam as equipes:• REABILITAÇÃO: Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais, Fonoaudiólogos, Psicólogos e Assistentes Sociais• ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO: Nutricionistas• ATIVIDADE FÍSICA E PRÁTICAS CORPORAIS: Professores de Educação Física• ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA: Farmacêuticos• Outras áreas mais avançadas: Saúde Mental, Saúde da Mulher, Saúde da Criança, Práticas Integrativas e Complementares, Assistência Social S 5
  6. 6. PASSOS INICIAIS2) Algumas balizas/diretrizes POPULAÇÃO DEFINIDA E SUAS NECESSIDADES DE SAÚDE ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL E INTERDISCIPLINAR DEMANDA REFERENCIADA AÇÕES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO FOCO AMPLIADO PARA FAMÍLIA ARTICULAÇÃO COMUNITÁRIA E INTERSETORIAL PLANEJAMENTO A PARTIR DAS NECESSIDADES
  7. 7. PASSOS INICIAIS 3)Ferramentas tecnológicas:  Apoio Matricial  Clínica Ampliada  Projeto Terapêutico 4) Ações prioritárias  Ações técnico-pedagógicas de apoio às ESF  Visitas domiciliares  Atendimentos individuais  Atividades coletivas
  8. 8. PASSOS INICIAISO que aprendemos: A formação dos profissionais de saúde deixa muitas lacunas que o serviço não consegue suprir no rítmo que o cuidado ao usuário exige (em processo) Matriciamento pressupõe estabelecimento de vínculo entre as partes. Isso requer tempo, conhecimento mútuo e abertura para a escuta. Sistemas de informação organizados podem dar visibilidade ao trabalho das equipes de apoio e as adequações necessárias ao seu funcionamento precisam fazer parte dos passos iniciais. Os passos iniciais precisam ser acompanhados de perto e podem ser repensados continuamente.“Nunca ninguém se perdeu, porque todos os caminhos são os teus caminhos, e todos os erros, atalhos para outra verdade” Fernando Pessoa 8
  9. 9. O CAMINHARIntervenções conjuntas NASF/ESF: Discussões de casos clínicos; Construção de projetos terapêuticos e apoio na coordenação dos casos; Realização de avaliações, consultas, grupos, visitas domiciliares, etc. Acompanhamento e planejamento de ações coletivas estimulando a autonomia da equipe; Atendimento aos casos prioritários, de maior gravidade, risco e vulnerabilidade ; Apoio na construção dos encaminhamentos; Articulações intra e intersetorias ( CREABs,CEMs,PAD, Lian Gong, PSE, Academias, GT do Idoso, GT da Promoção da Saúde, GT da Igualdade Racial, Bolsa Família, Coordenações, IES…) 9
  10. 10. O CAMINHAR: PROCESSO DE TRABALHO Trabalhadores da ESF Trabalhadores do Necessidade NASF Demanda Não existe umUsuário produto prontoSujeito Reuniões NASF e ESF Produto do uso de tecnologias, PROJETO saberes, afetos, TERAPÊUTICO desejos, projetos, Demanda disputas, conflitos, reconhecida impossibilidades Necessidade atendida
  11. 11. O CAMINHARO que aprendemos: O apoio do nível central, distritos e gerentes locais é fundamental; O caminhar na rede não é linear A demanda por atendimentos dificulta mas não impossibilita o matriciamento; No processo de matriciamento quando há espaço para discussão clínica, processamento de demandas e definição de ações e acima de tudo aprendizagem, há implicacão dos profissionais . As reuniões precisam ser institucionalizadas e negociadas; 11
  12. 12. O CAMINHARO que aprendemos: Os casos precisam ser pensados em sua singularidade; Priorizar não significa “”engessar”. A discussão clínica permite analisar situações complexas a partir de um olhar multiprofissional integrado; Os tempos de cada equipe são diferenciados. É preciso conhecer os serviços e as pessoas para superar mecanismos tradicionais de referência e contra-referência É preciso dar visibilidade às ações realizadas.“Para se fazer amanhã o impossível de hoje, é preciso fazer hoje o possível de hoje.” Paulo Freire 12
  13. 13. O PONTO DE CHEGADA PROVISÓRIO Consolidar uma identidade na rede de saúde (apropriação do papel de apoiador pelos profissionais) Superar obstáculos estruturais para avançar na assistência (espaço físico, incremento de profissionais,informatização...) Sermos reconhecidos como apoio que compartilha de fato os problemas de saúde da população e que tem a “capacidade de tomar para si a invenção de novas saídas: capacidade de ousar, criar, sair dos terrenos previamente delimitados”. 13
  14. 14. O PONTO DE CHEGADA PROVISÓRIO No ano que passou fizemos o possível , o que acreditávamos, o que era incrível. Botes, submarinos, caravelas, comunas, castelos, favelas. A novidade é a incapacidade de destruirmos a guerra. Não mudou o sonho, ora naufragou, ora ficou à deriva. (...)Continuamos apaixonados pela vida e faremos ano que vem, maior e mais forte investida.” Mário Pirata
  15. 15. OBRIGADA! Janete.coimbra@pbh.gov.br reabilita@pbh.gov.br

×