Aula 06 Cultura: concepções e derivações

3.774 visualizações

Publicada em

Em qualquer das concepções, a cultura não é uma realidade estanque, estagnada. Tampouco trata-se de algo acabado, completo. Ao contrário, são realidades dinâmicas, em processo contínuo de transformação e aperfeiçoamento.

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.774
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
245
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 06 Cultura: concepções e derivações

  1. 1. Teorias da Comunicação Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. Pensamento Francês Teoria Culturológica • Funcionalistas e críticos defendiam a inevitabilidade do poder dos meios de comunicação sobre a sociedade. • Portanto, analisavam o fenômeno da comunicação na perspectiva do “antes” e do “depois” da comunicação, como forma de destacar os efeitos desta.
  3. 3. Pensamento Francês Teoria Culturológica • Na perspectiva de Edgar Morin, a cultura da sociedade é muito mais ampla do que aquela imposta pela mídia. Edgar Morin (1921) • Há valores e instituições culturais muito importantes na vida das pessoas que não são totalmente obscurecidas pela atuação da mídia.
  4. 4. Pensamento Francês Teoria Culturológica • A cultura midiática não encontra a sociedade destituída de referências culturais. Antes, depara-se com outros fatores transcendentais presentes nacultura: religião, folclore, tradições etc.
  5. 5. Pensamento Francês Teoria Culturológica • A mídia participa da construção da cultura, mas não tem poder absoluto e tampouco é inevitável. Não é a única forma de cultura das sociedades contemporâneas.
  6. 6. Pensamento Francês Teoria Culturológica • Considera a cultura de massa como sistema de símbolos, valores, mitos e imagens relacionados tanto à vida cotidiana como ao imaginário coletivo.
  7. 7. Pensamento Francês Teoria Culturológica • Realidades multiculturais presentes na cultura de massa não são autônomas. Ao contrário, podem impregnar-se da cultura nacional, religiosa e/ou humanista. Em contrapartida, podem também ser incorporadas à cultura nacional, religiosa e/ou humanista.
  8. 8. Pensamento Francês Teoria Culturológica • Pode corroer e desagregar outras culturas. Pode ser por elas subjugada. Na intersecção entre as culturas diversas (popular, religiosa, humanista) e a cultura midiática, ocorre o sincretismo.
  9. 9. Pensamento Francês Teoria Culturológica • A cultura midiática convive com a contradição entre a necessidade industrial de padronização e a natureza inovadorado homem. Esta contradição é amenizada por um denominador comum: padronização dos conteúdos.
  10. 10. Pensamento Francês Teoria Culturológica • Para alcançar a padronização, adota arquétipos (modelos), com os quais constrói estereótipos (padrões pré- concebidos). • ARQUÉTIPOS: modelos, tipos, paradigmas;
  11. 11. Pensamento Francês Teoria Culturológica • ESTEREÓTIPOS: lugar-comum, sem originalidade, padrão. O conteúdo homogêneo é o lugar-comum onde as classes sociais se encontram.
  12. 12. Pensamento Francês Teoria Culturológica • O poder dos media consiste em adequar seus conteúdos às necessidades e aspirações da audiência. • A cultura de massa age em duas direções: Os personagens vivem por nós, nos desviam da nossa vida e consolam-nos pela vida que temos. • Criam exemplos a serem seguidos. Apontam caminhos para a felicidade. (Utopias)
  13. 13. Referência bibliográfica: WOLF, Mauro. Teorias da comunicação. Lisboa, Ed. Presença, 1999

×